domingo, junho 26, 2022

Saab RBS 70NG

Apesar de boicote ocidental, Rússia ganha mais com petróleo hoje do que antes da guerra

Destaques

Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

China e Índia, os países mais populosos do mundo, investem no petróleo russo; devido ao alto preço do barril, Moscou recebe mais por vendas do que há quatro meses

Por Victoria Kim, Clifford Krauss e Anton Troianovski, The New York Times — SEUL

Quando os Estados Unidos e a União Europeia decidiram reduzir as compras de combustíveis fósseis russos este ano, eles esperavam que isso ajudasse a tornar a invasão russa da Ucrânia tão economicamente dolorosa para Moscou que o presidente Vladimir Putin seria forçado a abandoná-la. Essa perspectiva agora parece remota, na melhor das hipóteses.

China e Índia, os países mais populosos do mundo, investiram para comprar aproximadamente o mesmo volume de petróleo russo que teria ido para o Ocidente. Os preços do petróleo estão tão altos que a Rússia está ganhando ainda mais dinheiro agora com as vendas do que antes do início da guerra, há quatro meses. E sua moeda, antes instável, subiu de valor em relação ao dólar.

Autoridades russas estão sorrindo para o que estão chamando de um fracasso espetacular em intimidar Putin. E o prejuízo econômico que o boicote ao petróleo deveria infligir está reverberando não tanto em Moscou, mas no Ocidente, especialmente nos Estados Unidos, onde a disparada dos preços do petróleo representa uma ameaça potente para o presidente Joe Biden, em menos da metade de seu mandato.

Alguns apontam que o embargo de petróleo da Europa ainda não entrou em vigor e dizem que os efeitos de longo prazo do ostracismo econômico da Rússia continuam sendo um determinante do destino do país. Esses efeitos vão muito além do comércio de combustíveis fósseis, prejudicando os bancos russos e outras indústrias, mas é em grande parte a venda de petróleo e gás que mantém o governo — e seus militares — à tona.

— As coisas estão muito melhores do que o pior cenário, e provavelmente ainda melhores do que o cenário básico — disse Yevgeny Nadorshin, economista-chefe da consultoria PF Capital em Moscou, sobre a receita energética da Rússia. — Infelizmente, o período mais difícil está apenas começando.

Se Putin agora se sentirá financeiramente encorajado a prosseguir com a guerra indefinidamente é uma questão em aberto. Mas há todas as indicações de que a Ucrânia e seus apoiadores estão se preparando para um conflito prolongado.

Iryna Vereshchuk, vice-primeira-ministra da Ucrânia, fez um apelo urgente para que centenas de milhares de pessoas que vivem em partes ocupadas pela Rússia no Sul da Ucrânia sejam retiradas antes de uma potencial contraofensiva ucraniana.

E, na terça-feira, o governo Biden despachou o procurador-geral Merrick Garland em uma visita surpresa à Ucrânia, onde anunciou a nomeação de Eli Rosenbaum, um promotor veterano conhecido por investigar ex-nazistas, para liderar os esforços dos EUA para ajudar a rastrear russos implicados em possíveis crimes de guerra no país. Putin rejeitou categoricamente quaisquer acusações de atrocidades russas na Ucrânia, que há muito ele sustenta não ser nem mesmo um país legítimo.

Mas, no curto prazo, os Estados Unidos e seus aliados ocidentais contavam com sanções econômicas, não com processos criminais, para persuadir Moscou a recuar ou pelo menos diminuir sua capacidade de sustentar a guerra. Por enquanto, pelo menos, essa tática parece ter dado errado, dada a crescente demanda na Ásia por petróleo da Rússia, o terceiro maior produtor mundial de petróleo depois dos Estados Unidos e da Arábia Saudita.

Em maio, as importações chinesas de petróleo russo aumentaram 28% em relação ao mês anterior, atingindo um recorde e ajudando a Rússia a ultrapassar a Arábia Saudita como o maior fornecedor da China, segundo estatísticas chinesas. A Índia, que antes comprava pouco petróleo russo, agora está trazendo mais de 760 mil barris por dia, segundo dados de embarque analisados pela Kpler, uma empresa de pesquisa de mercado.

— A Ásia salvou a produção de petróleo da Rússia — disse Viktor Katona, analista da Kpler. — A Rússia, em vez de cair ainda mais, está quase próxima de seus níveis pré-pandemia.

De acordo com a Rystad Energy, uma empresa independente de pesquisa e análise de negócios, as vendas de petróleo russo para a Europa caíram 554 mil barris por dia de março a maio, mas as refinarias asiáticas aumentaram sua produção em 503 mil barris por dia — quase uma substituição de 1 por 1.

Embora a Rússia esteja vendendo o petróleo com um grande desconto por causa dos riscos associados às sanções impostas pela invasão da Ucrânia, os preços crescentes da energia compensaram. A Rússia arrecadou US$ 1,7 bilhão a mais no mês passado do que em abril, segundo a Agência Internacional de Energia.

Ainda não está claro se a Ásia comprará todo o petróleo russo antes destinado à Europa, enquanto a UE trabalha para se livrar da dependência das exportações de energia do Kremlin. Mas, por enquanto, a mudança permitiu a Moscou manter os níveis de produção de petróleo e confundir as expectativas de que sua produção cairia.

As compras da China, em particular, destacaram o apoio que Putin recebe de seu colega chinês, Xi Jinping, que prometeu aprofundar a cooperação com Moscou, quaisquer que sejam seus escrúpulos sobre a guerra na Ucrânia.

A combinação de petróleo russo com desconto e preços mais altos na bomba também significa que as refinarias indianas estão lucrando duplamente, segundo analistas. Alguns dos produtos petrolíferos exportados pela Índia foram enviados para Estados Unidos, Reino Unido, França e Itália, de acordo com o Centro de Pesquisa em Energia e Ar Limpo, com sede na Finlândia.

Uma vez que as refinarias transformam petróleo em diesel ou gasolina, ninguém consegue distinguir se os combustíveis que enviam para a Europa e outros lugares vêm do petróleo russo. Isso significa que os motoristas ocidentais que pensam que estão pagando mais por combustível não russo podem estar enganados.

— Essas moléculas, muitas delas são russas — disse Jeff Brown, presidente da FGE, uma empresa de consultoria de energia, sobre os produtos petrolíferos refinados exportados para o Ocidente.

A alta demanda global por petróleo e gás da Rússia está levando as autoridades russas a declarar que os esforços do Ocidente para limitar as exportações russas fracassaram.

Aleksei Miller, chefe da Gazprom, a gigante russa de energia, disse em uma conferência econômica em São Petersburgo, na Rússia, na semana passada, que não tinha má vontade contra a Europa porque, ainda que as importações de gás natural russo do continente tenham caído, os preços subiram “várias vezes”.

— Não vou distorcer a verdade se lhe disser que não guardamos rancor — disse ele.

Somente neste mês, estimou o Ministério das Finanças da Rússia, os cofres do governo devem receber US$ 6 bilhões a mais em receita de petróleo e gás do que o previsto por causa dos altos preços.

Ainda assim, as sanções provavelmente causarão mais dor à economia russa no final deste ano. E embora a recuperação da moeda russa, o rublo, seja atribuível em parte à surpreendente resiliência econômica do país, ela também reflete os rígidos controles governamentais sobre os fluxos de capital e a queda das importações na Rússia.

O governo de Putin também reduziu drasticamente a quantidade de dados orçamentários tornados públicos, tornando difícil quantificar quanto está gastando na guerra. Analistas dizem que não há evidências de que Putin esteja sob pressão imediata — econômica ou não — para encerrar sua campanha militar.

Mas Nadorshin, da consultoria PF Capital em Moscou, disse que os dados que o governo divulga indicam que está tentando reduzir os gastos em geral. E evidências de deficiências no equipamento do Exército russo, com voluntários lutando para entregar equipamentos de primeiros socorros e outros itens básicos às tropas, mostram os limites da capacidade do Kremlin de financiar o esforço de guerra.

— A disposição do governo para gastar está claramente abalada, apesar da bravata dos pronunciamentos oficiais — disse Nadorshin. — Não é difícil adivinhar que, em termos de aquisição de armamento, nem tudo está indo bem.

FONTE: New York Times, via O Globo

NOTA DA REDAÇÃO: Para quem deseja assistir a um excelente vídeo sobre as consequências econômicas da Guerra na Ucrânia, recomendamos o seguinte:

- Advertisement -

34 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Eduardo Angelo Pasin
2 dias atrás

Só espero que os ataques da Ucrânia contra refinarias e plataformas de petróleo aumentem.

Zorann
Zorann
Reply to  Eduardo Angelo Pasin
2 dias atrás

Off topic…. mais um bolsão. Rússia cerca tropas ucranianas no dombass

horatio nelson zhirinovsky
horatio nelson zhirinovsky
Reply to  Eduardo Angelo Pasin
2 dias atrás

mais ai q tá…ataques ao territorio da russia podem ter retaliação nuclear

Nilo
Nilo
2 dias atrás

Equação simples, vende menos e ganha mais.

Maurício.
Maurício.
2 dias atrás

“E o prejuízo econômico que o boicote ao petróleo deveria infligir está reverberando não tanto em Moscou, mas no Ocidente, especialmente nos Estados Unidos.”

Resumindo, quando uma potência ou potências boicotam ou impõem sanções em outra potência, é mais ou menos isso que acontece…

images - 2022-06-16T133725.063.jpeg
Last edited 2 dias atrás by Maurício.
J.Leo
J.Leo
2 dias atrás

Impressionante a falta de discernimento funcional norte-americano, no que se refere à estratégia na geopolítica naquelas bandas do mundo. E o pior, com a ajuda de um outsider da UE, Inglaterra, conseguir levar para o lamaçal as duas maiores potências econômicas daquele continente… Esses dados, ora em evidência, eram “coisa” fáceis de prever… Mas, lógico, quando o tirocínio básico é eficaz. 

Elisandro
Elisandro
Reply to  J.Leo
2 dias atrás

Eles acreditam que governam o mundo sozinhos. Mas a realidade está batendo à porta.

Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
2 dias atrás

Alem da Europa estar sofrendo com preço da energia kk esse tiro saiu pela culatra.

George
George
Reply to  Slow 🇧🇷
2 dias atrás

Lembrando que a própria indústria petrolífera da Rússia não funciona sem componentes ocidentais. Suspiro de um paciente cuja economia está em estado terminal.

Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  George
2 dias atrás

Não funciona ? Falta avisar eles então pq quem não paga em rublos fica sem gás ou melhor já que eles querem ferrar tanto a Rússia pq não param de entregar os componentes ?

Rogério Loureiro Dhiério
Rogério Loureiro Dhiério
Reply to  George
2 dias atrás

Volte e releia a matéria com mais calma e a mente limpa de ideologias por favor.
Talvez vc entenda e apague esse seu comentário.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Slow 🇧🇷
2 dias atrás

E a água vai batendo na bunda do Velho Continente..no próximo inverno será mais gelada que nunca antes foi!

CM

NOTA:Se a Petrobrás não tivesse sido vilipendiada até o osso, já estaríamos aprovechando a brecha, e vazando, exportando nosso gás em navios da “Transpetro” como em um passado distante, na mesma época do Loyd Brasileiro…mas…1988 chegou…

Gabriel ferraz
Gabriel ferraz
2 dias atrás

Acho o mais lindo disso tudo sabe oque? Os pseudos especialistas em economia dando pitaco aqui logo quando a guerra começou e as sanções começaram a ser impostas a Rússia, que o mesmo iria quebrar ,que isso ou aquilo, que a Rússia iria ter que vender petróleo de graça pra China,era tanta baboseira com tão pouco tempo que eu sabia que uma hora eu sabia que esse jogo iria virar. Chacotaram putin até umas horas aqui chamando ele de burro, realmente eu tô vendo quem são os burros aqui. Tirem o cavalo da chuva adoradores do tio Sam o mundo… Read more »

Fabricio Lustosa
Reply to  Gabriel ferraz
2 dias atrás

valeu pelo comentário!

Reis36
Reis36
2 dias atrás

E nos aqui como sempre pagando muito caro ate no oleo de soja nem vou citar os combustíveis

Paulo Brics
2 dias atrás

Amigos e amigas, não é torcida, é um fato. Enquanto Rússia, China, Índia, tem à frente líderes de verdade, altamente inteligentes, corajosos, exímios estrategistas, todos os países da otan, tanto da A. do norte quanto da Europa, sem exceções, são governados por idiotas medíocres, paspalhos incompetentes, estúpidos impulsivos de raciocínio raso. Putin sozinho está dando vários olés em dezenas de lideres pensando juntos e o que os da otan estão conseguindo com suas ações de agressão econômica extrema, não é atirar nos próprios pés e sim colocar o cano no céu de suas próprias bocas e atirar. A Alemanha já… Read more »

Agressor's
Agressor's
2 dias atrás

Putin é um grande estrategista. Prolongar essa invasão significa forçar o ocidente a gastar mais com a Ucrânia(tudo a fundo perdido). Esse prejuízo vai destruir a economia ocidental, bem devagar, mas “ele” é paciente e sabe esperar. Essa guerra não é Rússia vs Ucrânia, é Rússia vs Ocidente(Europa e EUA). Portanto se, para a Europa, for pior do que é para a Rússia o prolongamento da guerra, e é o que parece, a Rússia irá prolongar o conflito, só para ver a Europa aos seus pés. A Europa já está começando a sentir de forma mais dura os resultados dessa… Read more »

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Agressor's
2 dias atrás

Recomendo você ver o vídeo que os editores deixando no final da matéria…

Fábio De Souza
Fábio De Souza
2 dias atrás

Os Europeus estão percebendo que essa Guerra , não foi um bom negocio e que deveriam ter insistido um pouco mais nas Negociações com a Rússia .

Monarquista
Monarquista
2 dias atrás

Esses comentários são os melhores: um paiseco ditatorial onde o governo controla todas as informações afirma que sua economia vai bem, apesar de todas as sanções, gastos na guerra e perda de vidas humanas, e alguns meio bitolados acham que o ocidente, que junto tem economia dezenas de vezes maior que a russa, é quem vai quebrar. É de tirar print, igual o dos comentários de que kiev cairia em 3 dias e que agora são motivo de piada heheheheheheh

Last edited 2 dias atrás by Monarquista
Elisandro
Elisandro
Reply to  Monarquista
2 dias atrás

Ninguém vai “quebrar”. Apenas entrar em recessão… É o que se mostra mais factível para a economia russa e para europeias, como da Alemanha, por exemplo, já que a Rússia está diminuindo a entrega de gás…

Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Monarquista
2 dias atrás

“ paiseco ditatorial onde o governo controla todas as informações afirma que sua economia vai bem “

Olha então pela sua lógica os dados da Venezuela/Cuba ou Coreia do norte era pra ser os melhores né ? ..

Monarquista
Monarquista
Reply to  Slow 🇧🇷
2 dias atrás

Nenhuma ditadura consegue esconder tudo. Cuba mesmo, afirma ter uma educação de excelência mas nunca mandou uma delegação para competições estudantis intelectuais. Afirma que ninguém é sem-teto mas coloca famílias em apartamentos de 60 metros quadrados.
Mesmo assim, acreditar em números fornecidos por ditaduras é a maior prova de inocência ou credulidade cega que alguém pode demonstrar.

Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Monarquista
2 dias atrás

“ Nenhuma ditadura consegue esconder tudo. “

Não foi você que disse que eles controlam todos os dados do país ? Então .. os dados era pra ser uma maravilha não é ?

Paulo Brics
Reply to  Monarquista
2 dias atrás

Voces adoram obsessivamente esta coisa de 3 dias, heheheheheheh…

https://veja.abril.com.br/mundo/municao-e-alimentos-da-russia-nao-durarao-mais-que-3-dias-diz-ucrania/

Monarquista
Monarquista
Reply to  Paulo Brics
2 dias atrás

Primeira vez que vejo isso. Quantas vezes tu viu que kiev cairia em 3 dias (ou 12 minutos, conforme o próprio governo russo)?

Paulo Brics
Reply to  Monarquista
2 dias atrás

Você não é só mal informado, mas também disseminador de fakes. Jamais o governo russo disse que kiev cairia em três dias. Quem disse isto foi um comentarista aqui no ForTe e os disneyboys passaram a pegar no pé dele e repetir isto ad nauseam. Putin disse lá em 2014, que “Se eu quiser, tomo Kiev em duas semanas”. Se ele quiser pode incluir um bombardeio massivo contra a cidade inteira, saca? Arrasar a cidade inteira ele pode se quiser. Mas ele não quis isto. Portanto vá pesquisar um pouco antes de ficar disseminando mentiras como muitos outros por aqui.… Read more »

Slow 🇧🇷
Slow 🇧🇷
Reply to  Monarquista
2 dias atrás

Conforme o próprio governo russo ? Me manda uma matéria em que o governo russo disse que tomaria em 3 dias ?

George
George
Reply to  Slow 🇧🇷
2 dias atrás

Serve uma semana? Essa foi o próprio Putin que falou.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Paulo Brics
2 dias atrás

Os bots pararam com a economia Russa vai ser destruída só ficaram os chapeus de alumínio com liga de nióbio com o papo dos 3 dias.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
2 dias atrás

Ideia de quem mesmo…?

“que burro, dá zero pra ele” (Memorável frase em um dos episódios do Chávez).

Sgt Moreno

(CM)

Victor Filipe
Victor Filipe
2 dias atrás

Olha, um vídeo do Perun. realmente é um excelente vídeo a cobertura de todo o conflito que ele ta fazendo é muito boa.

Victor Filipe
Victor Filipe
2 dias atrás

Pelo nível dos comentários o vídeo do Perun que os editores colocaram no final da material é realmente necessário… pena que o Brasileiro médio não consegue dedicar um espaço de tempo de uma hora para algo que não seja futebol…

Grifon
Grifon
2 dias atrás

As sanções da OTAN contra a Rússia foi simplesmente um tiro no pé, pois a Rússia resiste bem às inúmeras sanções, e a sua economia não está colapsando conforme a OTAN esperava, pelo contrário, a Rússia está se mantendo bem e dobrando ainda mais o seu comércio com o BRICS e demais países aliados.

A OTAN está sentindo na pele que não pode e não tem como derrotar a Rússia com sanções.

Últimas Notícias

Svatovo, primeiro alvo do HIMARS?

A mídia ucraniana tem divulgado vídeos e imagens de uma suposta explosão nas proximidades da cidade ucraniana de Svatovo,...
- Advertisement -
- Advertisement -