quarta-feira, outubro 5, 2022

Saab RBS 70NG

Marinha realiza a Operação Formosa 2022 no Planalto Central

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Operação Formosa 2022 reúne 3.500 militares das Forças Armadas

A condição de prontidão permanente demonstra o preparo da Marinha do Brasil (MB) para atuar na proteção de nossas riquezas, sejam elas na Amazônia Azul ou em terra, em operações internacionais de paz (Haiti e Líbano, por exemplo) ou em operações humanitárias (no Chile, em 2010, e mais recentemente nas enchentes na Região Serrana do estado do Rio de Janeiro, especialmente na cidade de Petrópolis). Entre as atividades de preparo para a execução dessas missões está a Operação Formosa 2022, maior treinamento da MB no Planalto Central.

Para que sua execução fosse possível, os veículos e equipamentos do Corpo de Fuzileiros Navais se deslocaram do Rio de Janeiro (RJ) para Brasília (DF), num percurso de mais de 1.400 km, evidenciando sua capacidade expedicionária.

Realizado desde 1988, o exercício deste ano ocorreu no período de 2 a 10 de agosto, no Campo de Instrução de Formosa (CIF), e contou com 3.500 militares das três Forças. Desde 2021, a operação passou a incluir a participação do Exército Brasileiro e da Força Aérea Brasileira. Foram empregadas cerca de 160 viaturas e equipamentos diversos, incluindo carros de combate, veículos blindados, Carros Lagarta Anfíbios (CLAnf), aeronaves de asa fixa e rotativa, obuseiros de artilharia e Lançadores Múltiplos de Foguetes (LMF) ASTROS. O treinamento com tiro real contou, pela primeira vez, com pelotões de Fuzileiros Navais de Belém (PA), Natal (RN), Salvador (BA), Ladário (MS) e Rio Grande (RS). Também houve a participação de um destacamento do Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos da América (USMC).

Presente na demonstração operativa, o Ministro da Defesa, Paulo Sérgio Nogueira, ressaltou que “a Operação Formosa foi concebida inicialmente com o propósito principal de assegurar o preparo do Corpo de Fuzileiros Navais como força estratégica de pronto emprego e de caráter anfíbio e expedicionário, capaz de atuar no País e no exterior, conforme previsto na nossa Estratégia Nacional de Defesa. Com a inclusão de uma série de atividades conjuntas, em especial relacionadas ao apoio de fogo e ao controle do espaço aéreo, essa operação passou a representar uma imperdível oportunidade para treinar e integrar os militares das três forças armadas”.

Também presente em Formosa, o Comandante da Marinha, Almirante de Esquadra Almir Garnier Santos, destacou que a operação prepara a MB para atender às necessidades do país.

“A Marinha estará sempre na vanguarda de acordo com as necessidades do povo brasileiro. O que a sociedade pode esperar é sempre muito comprometimento, muita dedicação e muito empenho. Não é à toa que essa operação simulada aqui, a operação Anfíbia, é operação de maior atrição de todos os tipos de operação naval. Os Fuzileiros Navais são comprometidos, a Marinha é comprometida e essa combinação da força de desembarque com a força tarefa anfíbia torna a Marinha do Brasil uma Marinha com capacidades únicas do mundo”.

O Comandante de Operações Navais, Almirante de Esquadra Marcos Sampaio Olsen, destacou a importância do treinamento para a Força de Fuzileiros da Esquadra. “Essa operação integra o plano geral de adestramento do Comando de Operações Navais e trata-se de uma operação de grande envergadura e complexidade dentro deste plano ela, já realizada no segundo semestre, atinge um grau preparo e emprego da Força bastante destacado”, ressaltou.

O exercício
Em resumo, a demonstração operativa, realizada hoje (10), simulou um ataque coordenado durante uma Operação Anfíbia, a fim de conquistar um dos objetivos finais da Cabeça-de-Praia. Na demonstração desta quarta-feira foram empregados aviões, helicópteros, carros de combate e blindados, com bombas e metralhadoras; disparos de fogos de artilharia de tubo e de foguetes; infiltração de paraquedistas; montagem de Unidade Avançada de Trauma (UAT) com telemedicina, posto de descontaminação Nuclear, Biológica, Química e Radiológica (NBQR), laboratório móvel de detecção de agentes químicos, entre outras atividades. Devido às características do terreno do CIF, todos os armamentos e sistemas de armas utilizados no exercício puderam empregar munições reais.

Para a demonstração, foram utilizados CLAnf, viaturas M-113, UNIMOG 5000, viaturas PIRANHA, obuseiros 105 mm, foguetes SS-30 e SS-60. Além disso, foram utilizados meios de artilharia do Exército Brasileiro, como obuseiros 105mm e LMF Astros. A fim de apoiar as ações das tropas em terra, foram utilizadas aeronaves AF-1 e aeronaves Esquilo do 1º Esquadrão de Helicópteros de Emprego Geral, da Marinha do Brasil, e as aeronaves R-99, A-1, A-29 Super Tucano e C-130 Hercules, da Força Aérea Brasileira.

As características de mobilidade, permanência, versatilidade e flexibilidade do Poder Naval, materializadas no contexto de uma Operação Anfíbia, permitem o cumprimento da tarefa básica de proteção de poder sobre terra, abrindo o caminho para os elementos de manobra mais robustos característicos da Força Terrestre, tudo isso em conjunto com as ações da Força Aérea.

Também foram realizadas ações de salto livre operacional, com a participação de militares paraquedistas das três Forças. Experiência destacada também pelo Segundo-Sargento (Fuzileiro Naval) Wellington Ferreira da Silva. “O terreno aqui proporciona uma diversidade bem grande de missões que a gente pode cumprir. Formosa tem um clima bem atípico, bem parecido com o deserto. A ambientação com esse tipo de clima favorece nosso treinamento para podermos atuar em qualquer área do território nacional”.

A Capitão-Tenente (Md) Franciane Zamparetti Callegari, médica radiologista e nuclear com especialização em Defesa NBQR que teve a oportunidade de saltar com o Sargento Wellington, ressaltou a importância dessa experiência. “Essa foi a primeira vez que participei da Operação. Eu fiz dois saltos durante a operação e o último foi muito especial porque foi com a entrega da bandeira do Brasil ao Ministro da Defesa”.

Força de Fuzileiros da Esquadra
A Força de Fuzileiros da Esquadra (FFE) é a tropa anfíbia da Marinha do Brasil que atua em Operações de Guerra Naval, ações com emprego limitado da força e atividades benignas. Trata-se de uma força estratégica de pronto emprego, de caráter anfíbio e expedicionário. Em abril desse ano, a Força de Reação Rápida dos Fuzileiros Navais foi certificada pela Organização das Nações Unidas (ONU) como nível 3 de prontidão para as Operações de Paz, o mais elevado nível operacional para aquela organização. A força foi assim a primeira do País a atingir tal certificação, sendo atualmente a única no mundo.

O Comandante da Força de Fuzileiros da Esquadra, Vice-Almirante (Fuzileiro Naval) Carlos Chagas Vianna Braga, destacou os principais desafios para a execução de uma operação desse porte, “o primeiro foi um desafio logístico para trazer essa quantidade de fuzileiros navais e marinheiros do Rio de Janeiro para Formosa, especialmente pela quantidade de equipamentos, viaturas e veículos blindados que trouxemos. O segundo grande desafio é que nós estamos operando com munição real o tempo todo, ela requer tropa qualificada e profissional”.

FONTE: Agência Marinha de Notícias

NOTA DA REDAÇÃO: Quer discutir esse e outros assuntos com leitores da Trilogia Forças de Defesa em tempo real? entre no nosso grupo de WhatsAppclicando aqui.

- Advertisement -

83 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

83 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sulamericano
Sulamericano
1 mês atrás

Muito bom essa matéria aqui no Forte. A MB é a maior marinha do mundo com capacidade terrestre, graças a um efetivo de 80 mil homens.

Já na parte naval, a MB está a ver navios, dos outros é claro!

Benevides
Benevides
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

Isso é uma tropa de exército? Marinha deveria estar no litoral? Vá explicar.

Last edited 1 mês atrás by Benevides
Henrique
Henrique
Reply to  Benevides
1 mês atrás

em que parte do litoral da pra treinar os fuzileiros no uso do astros?
.
vai desembarcar no aterro do flamengo e atirar na ilha do governador?

Nei
Nei
Reply to  Henrique
1 mês atrás

Pessoal, não entende que trata-se de um treinamento kkk. No litoral vai atirar onde?

Wilson França
Wilson França
Reply to  Henrique
1 mês atrás

O litoral brasileiro se resume ao Rio de Janeiro?

RPiletti
RPiletti
Reply to  Wilson França
1 mês atrás

Para a marinha acredito que sim…

Sensato
Sensato
Reply to  Wilson França
1 mês atrás

Qual o tamanho do campo de tiro necessário para treinar com os foguetes SS60? Sabendo disso, quantos campos de treinamento desse porte as FAs possuem no litoral?

Henrique
Henrique
Reply to  Wilson França
1 mês atrás

sim

mas vamos considera os 7,5k km de litoral.. onde ela vai trinar?
.
ai vc quer da uma de China e mandar bloquear uma área de X por Y km só pra jogar uns foguetinho lá, travar todo o trânsito aéreo e naval por conta disso… pra isso que existe Formosa

Last edited 1 mês atrás by Henrique
Andre
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

Uma das maiores do mundo, mas não a maior.

Vinicius 023
Vinicius 023
Reply to  Andre
1 mês atrás

E sem navios

Guacamole
Guacamole
1 mês atrás

Que penúria de equipamentos…..

Marcos
Marcos
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

A opinião do mesmo bocamole que não sabe a diferença entre um avião estratégico e tático

screen01.jpg
Benevides
Benevides
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Kkk o kc vai pro museu aéreo? Pode ser substituído por cargueiros boeings!

Guacamole
Guacamole
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Exatamente.

Diferentemente de muitos generais de poltrona do site, eu não sei tudo sobre tudo.

Porém sei que há dinheiro demais investido para uma carência severa de materiais. Países com orçamento similares tem muito mais recursos do que nós e criticar nossas forças é valido.

E para isso não precisa saber a diferença entre avião tático e estratégico (que por sinal, também temos poucos e os poucos que foram encomendados, mais um foi cancelado).

Last edited 1 mês atrás by Guacamole
Andre
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Muita opinião e nada de informação…

Mensageiro
Mensageiro
1 mês atrás

As Forças Armadas dos Estados Unidos são compostas por seis forças: Exército, Corpo de Fuzileiros Navais, Marinha, Força Aérea, Força Espacial e Guarda Costeira.

As do Brasil são: Capina e meio fio, Guarda costeira, e Uber aéreo (grátis pra políticos).

Thor
Thor
Reply to  Mensageiro
1 mês atrás

É para rir? Precisa avisar …

Red Pill - 红色药丸
Red Pill - 红色药丸
Reply to  Mensageiro
1 mês atrás

e tbm tem muitos vassalos

Agnelo
Agnelo
Reply to  Mensageiro
1 mês atrás

Prezado
São 6 ramos, mas 3 Secretarias.
Do Exército, da Marinha e da Força Aérea.
O Secretário da Marinha tem, “debaixo da asa”, a Marinha, os Marines e a Guarda Costeira.
Saliento, q em uma Guerra (guerra mesmo!!!), só o Exército, a Força Aérea e a Marinha tem Oficiais Generais de 5 estrelas.
Sds

Bille
Bille
Reply to  Agnelo
1 mês atrás

Vulgo: e daí?
O fato de ter marechais é algo meramente decorativo.
O negócio é o estoque de armamento que eles tem que pode ser colocado em serviço em questão de dias. Milhares de meios estocados em diferentes condições de prontidão no deserto. Esse é o poder.

Agnelo
Agnelo
Reply to  Bille
1 mês atrás

Fica calminho, Bille.
Somente expliquei q são 6 Ramos, q poderiam ser 3 com a mesma quantidade de armas, diga-se de passagem…. E, q quem manda, são as 3, ou vc não sabe q a campanha aérea é controlada pela USAF com a USNavy apoiando, e em segundo apoio o USMC?
Quem coordena a campanha terrestre é o USArmy.
E por aí vai.

E decorativo pode ser no Brasil q não tem guerra, mas lá…. É outra coisa.

Acalmou?

Fernando XO
Fernando XO
Reply to  Agnelo
1 mês atrás

Agnelo, a Coast Guard fica na escota do Homeland Security… abraço.

MATHEUS AUGUSTO
MATHEUS AUGUSTO
1 mês atrás

Hoje em dia ver comentários na Trilogia até desanima.

Guacamole
Guacamole
Reply to  MATHEUS AUGUSTO
1 mês atrás

As fotos vindas das forças armadas também.

Sulamericano
Sulamericano
Reply to  Guacamole
1 mês atrás

O que me desanima mesmo é ver projetos que dariam algum ganho tecnológico militar para o Brasil serem cancelados ou com as encomendas encolhidas de forma a inviabilizar a sua continuidade.

E, na contramão de disso, Braga Netto, Luiz Eduardo Ramos, Bento Albuquerque, Juniti Saito e outros 3.500 militares do governo recebendo super salários.

A prioridade não é as FFAA.

Last edited 1 mês atrás by Sulamericano
Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

Prezado
Não compre bobagem pra ler….
Os militares do governo ou estão na reserva, ou, os q estão na ativa, no GSI, como em todo governo há anos.
O Gen Ramos e o Pazuello q estiveram no governo, estando na ativa, pq foram designados, como a Dilma designou um Div pro DNIT e um 4 estrelas pra Sec Nac Def Civ.

Benevides
Benevides
Reply to  MATHEUS AUGUSTO
1 mês atrás

Deveriam voltar a vender super trumpho dos equipamentos

Watcher
Watcher
1 mês atrás

Apesar de saber da penúria que nossas forças armadas estão, ainda assim, causa tristeza olhar para seu baixíssimo nível técnico, bem como o seu obsoleto material bélico.

Um país assim nunca terá – nem deveria – assento permanente no Conselho de Segurança da ONU.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Watcher
1 mês atrás

Isso era um devaneio do nove dedos, o Brasil jamais trabalhou com seriedade em busca de fazer por onde ganhar um assento permanente, quem realmente merece um é a Índia, o Japāo ou a Turquia.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Caro Allan. Você está errado. O Itamaraty defende a reforma do Conselho de Segurança, com a ampliação do número de membros permanentes e inclusão do Brasil como membro permanente desde o governo Itamar. Recomendo o artigo “CONTINUIDADES E MUDANÇAS NO DISCURSO BRASILEIRO PARA OBTENÇÃO DE ASSENTO PERMANENTE NO CONSELHO DE SEGURANÇA DA ONU DOS GOVERNOS FERNANDO HENRIQUE CARDOSO E LUIZ INÁCIO LULA DA SILVA”

Marcos
Marcos
Reply to  Watcher
1 mês atrás

Baixíssimo nível técnico? Certamente deve ser por isso que o CFN foi a única QRF (Companhia de Emprego Rápido) a receber o nível 3 no Sistema de Prontidão de Capacidades de Manutenção da Paz da ONU agora em 2022

Nenhum outro país conseguiu esse status desde que o Sistema de Prontidão de Capacidades de Manutenção da Paz das Nações Unidas (UNPCRS) foi criado em 2015.

Mas o que importa mesmo é a opinião do Watcher.

Obsoleto material bélico? Me diz ai onde o Astros, Mowag Piranha III, AAV-7 RAM são obsoletos.

Guacamole
Guacamole
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Falta de interesse talvez?

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Onde?
No oxiurus da calcinha melada q fica comichando pra falar mal do q não entende….. só pra lacrar e dizer pro gatinho no canto do quarto de marinheirinho….

Desculpe…. Mas o nível dos comentários desanima…..

Nativo.
Nativo.
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Qual é a quantidade desse material? Temos centenas de astros? De mowags, AAVs? infelizmente as críticas são muito mais fundadas do que a defesa. Por 18 BILHÕES DE DOLARES por ano para a imensa Maioria do material ter quase 50 anos e muito difícil de engolir.

Red Pill - 红色药丸
Red Pill - 红色药丸
Reply to  Nativo.
1 mês atrás

A quantidade é meia dúzia de uns, um quarto de dúzia de outros e por aí vai, a MB nÃo compra nada produzido no país alegando inferioridade, daí se lambuza de sucata do FMS e dos meios sofisticados que “cumprem os requisitos” compra duas ou três unidades…

Benevides
Benevides
Reply to  Watcher
1 mês atrás

Telho orgulho do treinemanto dos soldados do exército nas bases. Quando se dedicam. Agora não vejo muita função pros marines, deveriam ser integrados ao EB.

Red Pill - 红色药丸
Red Pill - 红色药丸
Reply to  Benevides
1 mês atrás

E não tem mesmo, nao existe cenário hipotético realista de uma tomada de cabeça de ponte, vamos desembarcar tropas aonde ?!? Com que codertura ?? Se o Brasil for invadido qual a utilidade desse tipo de tropa com meios de desembarque ?? Muito dinheiro gasto em material que nÃo é defensivo.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Red Pill - 红色药丸
1 mês atrás

O Brasil tem plenas condições de fazer parte de uma coalizão.
Poucos países, inclusive 1º mundo, tem seus fuzileiros com todas as capacidades q nós temos.

Um cenário hipotético q já quase ocorreu algumas vezes, foi o resgate de nacionais no exterior, pcp na África.
Partindo daqui e/ou (dependendo do caso) nossa FFE, Pqdt e OpEsp teriam de atuar pra resgatar nacionais em sit de revolução/guerra.
Em alguns casos, com a participação de outros países. Em outros, não.

Vc não saber, não significa q não existe. E menos supertrunfo, menos.
Sds

Red Pill - 红色药丸
Red Pill - 红色药丸
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

Grande estratégia de defesa da nação… Que Deus tenha piedade desse país.

Atirador 33
Atirador 33
1 mês atrás

1º comentário: Esses astros com os misseis de 300 km, se tivessem na ativa, venderia igual pão quente.

2º comentário: Sempre que vejo foto do EB em formosa, vejo o tanto que o camuflado padrão entrega a silhueta do soldado, já o camuflado dos FNs são muito mais eficientes, é só prestar atenção nas fotos postadas.

3º comentário: Vendo o que está acontecendo na Ucrânia, sem uma defesa aérea, um inimigo destruiria fácil uma estrutura como essa que acomoda tantos meios.

Benevides
Benevides
Reply to  Atirador 33
1 mês atrás

Hora de parceria séria com Israel. Mas para enchurrada de mísseis não existe defesa capaz. Vídeo capitânia russo, dois e tchau.

Maximus
Maximus
Reply to  Atirador 33
1 mês atrás

Defesa anti aérea e um baita calcanhar de Aquiles. Talvez um dos maiores.

Andre
Reply to  Atirador 33
1 mês atrás

A Rússia e seus s300, s400 s500, s100000 acabou de ter uma base aérea destruida.

As distâncias são nossas maiores defesas.

Red Pill - 红色药丸
Red Pill - 红色药丸
Reply to  Atirador 33
1 mês atrás

2 – Isso mesmo ladino, o país inteiro é cerrado com clima seco e vegetação rala…

Last edited 1 mês atrás by Red Pill - 红色药丸
Benevides
Benevides
1 mês atrás

Se os americanos demorariam três meses para chegar plenos a taiwan, e mesmo assim perder a luta, quanto tempo levaria uma força brasileira chegar plena na fronteira do Suriname?.

Benevides
Benevides
1 mês atrás

Belo trabalho. . Soldado sendo soldado. Usando munição real.

Mas rssa Só faltou o Bahia no Pantanal.

L G
L G
1 mês atrás

O mundo está se dividindo em dois blocos

O primeiro comandado pelos EUA. EUA, Europa, OTAN, Austrália, Japão, Coreia do Sul e, Filipinas.
O segundo com a China e Rússia: China, Rússia,bielo Rússia, Iran, Birmânia, Ásia central, Coreia do Norte,etc.
Os e
Cima do muro aguardando a melhor proposta grandes países: Índia, Brasil, África do Sul, Nigéria, Egito, arábia saudita, indonésia, Tailândia, Vietnã,etc..
F
Vamos aguardar pessoal e estudar.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  L G
1 mês atrás

O melhor é buscar boas relações políticas e econômicas com todos os lados. As relações militares acabam vindo como consequência. Já equipar com duas vertentes q fica complicado, pela logística. A Índia faz, pq tem uma quantidade de meios enorme e tem uma tensão com o Paquistão enorme. O Brasil tem boas relações políticas-econômicas-militares com todos esses. Como exemplo, pelo EB, cito os inúmeros intercâmbios e troca de cursos com EUA, Inglaterra, França, Espanha, Alemanha, Itália, Canadá, Coreia do Sul, Índia, Paquistão, Portugal, Rússia, China, Argentina, Chile, Paraguai, Uruguai, Peru, Equador, Bolívia, Guatemala, México e Israel. Lembro desses, onde eu… Read more »

L G
L G
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

A Índia está no muro igual o Brasil e outros grandes países. Vamos estudar e aguardar pessoal.

Andre
Reply to  L G
1 mês atrás

Estude mais e peça menos para os outros estudarem: a Índia jamais estará no mesmo bloco que a China.

Vá estudar

Renato B.
Renato B.
Reply to  Andre
1 mês atrás

Esse tipo de “jamais” não existe em relações internacionais. Alianças giram em torno de interesses e esses mudam.

Last edited 1 mês atrás by Renato B.
Andre
Reply to  Renato B.
1 mês atrás

Dentro do horizonte visível não fará, ainda mais que não existe um inimigo comum aos dois.

Neural
Neural
Reply to  Andre
1 mês atrás

Sempre esteve Zé, junto com nós, nos BRICS

Red Pill - 红色药丸
Red Pill - 红色药丸
Reply to  L G
1 mês atrás

Errado: a Índia é soberana e está somente com ela mesma, algo que deveríamos nos espelhar.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  L G
1 mês atrás

Não, a Índia não está.
A Índia é um país q tem executado uma política militar de “ter condições de operar” se um dos blocos não a apoiar.
Não tem buscado uma política expansionista, mas faz questão de mostrar q na “área dela”, não admitirá interferência.

Claudio
Claudio
Reply to  L G
1 mês atrás

Está na hora do Brasil ser o líder do terceiro bloco, não acha?

Dieguito
Dieguito
Reply to  Claudio
1 mês atrás

Nem no carnaval, melhor é alimentar seu povo, 30 milhoes no sufoco. Mas a argentina tem 40 rsss

A marinha esta igual minas gerais? Sem mar. Parece o Itamar treinando a PM em furnas. Rss

Andre
Reply to  L G
1 mês atrás

Se você estudasse mais do que falasse para os outros estudarem saberia que isso está acontecendo há mais de 70 anos.

Vai estudar…

L G
L G
1 mês atrás

O mundo está se dividindo em uma nova guerra fria.
De um lado EUA e Europa: EUA Europa, OTAN, Austrália, Japão, Coreia do Sul, Filipinas,etc.
Do outro lado China Rússia: Rússia, China, bielo Rússia, Birmânia, Iran, Coreia do Norte, Ásia central,etc.
Países grandes aguardando a melhor oferta: Índia, Paquistão, arábia saudita, Egito, Turquia, Brasil, África do Sul, Vietnã, Tailândia, Bangladesh, etcetera. Vamos estudar pessoal e aguardar.

Wellington R. Soares
Wellington R. Soares
1 mês atrás

Com o desenrolar da guerra na Ucrânia, vemos o quão importante são as baterias ASTROS 2020. É nítido o trabalho que os Himars estão dando para os Russos. Que o desenvolvimento do AVMTC300 realmente seja concluído.

Agora essa foto do SK nos remete aos anos 70 rsrr…

Claudio
Claudio
Reply to  Wellington R. Soares
1 mês atrás

O sk tem aparência de veículo controlado remotamente

Marcos
Marcos
Reply to  Wellington R. Soares
1 mês atrás

SK-105 carregador semi-automático, capacidade de disparar em movimento e plenamente capaz de neutralizar todas as ameaças blindadas da região.

Quando um rojão de 84 mm for mais capaz que o canhão de 105 mm do SK-105 ai você pode falar mal dele. Pq tem mt maluco aqui que aposentaria os 105 mm’s da vida por ATGM e canhão sem recuo.

Povo ignorante que vive no war thunder. Esse povo certamente morre no dia em que descobrirem que o Bradley fez mt víuva de T-72 usando seu belo canhão 25 mm

Mgtow
Mgtow
1 mês atrás

O nível técnico tá bom. Já que o único papel das nossas forças é intimidar e ameaçar o próprio povo para proteger e salvaguardar os interesses das elites financeiras e rentistas nacionais e internacionais. Até o papel de patrulhar o atlântico sul eles delegaram aos EUA. Então tá de boas . Não se pode esperar mais do que isso

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Mgtow
1 mês atrás

Q comentário bizarro…. Não tem a mínima noção…. Da pena….

Jonathan Pôrto
Jonathan Pôrto
1 mês atrás

Exercício em Formosa e não em Pacaraima? tsc tsc tsc

Renato B.
Renato B.
Reply to  Jonathan Pôrto
1 mês atrás

Tem uns 1200 alvos ilegais onde eles poderiam praticar.

ORIVALDO
ORIVALDO
1 mês atrás

Alguém poderia me informar quantos Fuzileiros nós temos

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  ORIVALDO
1 mês atrás

Olá Orivaldo. Cerca de 15 mil. Praticamente uma divisão.

Osvaldo Marcilio Junior
1 mês atrás

Treinamento e manter a “doutrina” é muito importante, mas já passou da hora do Corpo de Fuzileiros Navais, substituir esses SK-105 e adquirir carros de combates “um pouco” mais modernos…ADSUMUS!!

Farroupilha
Farroupilha
1 mês atrás

Parabéns MB! Capacidade operacional em dia é meio caminho para Vitória em batalha. Adicione bom armamento e estratégia superior e temos o outro meio caminho para vitória da guerra.

Chato a quantidade de comentaristas sempre desfocados das matérias.🗑🤧

Alem
Alem
1 mês atrás

Esse Blog é incrivel e acompanho a muitos anos diariamente, mas dessas vez as fotos podiam ser melhores.

EduardoSP
EduardoSP
1 mês atrás

“…essa combinação da força de desembarque com a força tarefa anfíbia torna a Marinha do Brasil uma Marinha com capacidades únicas do mundo”.
Legal ver a auto estima desse almirante bolsonarista. Será que ele está esperando receber quanto quando for para a reserva? R$ 800 mil? R$ 1 milhão?

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Depois q a JUSTIÇA mandou pagar os meses de licença Especial não gozada ou não transformada em tempo de serviço pra reserva em indenização em soldos brutos……
Iniciativa de um grupo de Subtenentes e Oficiais QAO.

Scudafax
Scudafax
1 mês atrás

Excelente uso de equipamentos militares estrangeiros, com tecnologia pronta e operacional. A realidade é que só tem valor de longo prazo de for autossuficiente em produção de defesa. Depender de tecnologia estrangeira é típico de países incapazes de combate prolongado e de alta intensidade sem a benevolência alheia.

Red Pill - 红色药丸
Red Pill - 红色药丸
1 mês atrás

Senti daqui o cheiro da ferrugem das sucatas do FMS que o almirantado tanto gosta…

Deus tenha piedade desse país.

André de Souza
André de Souza
1 mês atrás

O desmembramento do CFN seria eficaz para uma melhor administração dos seus quadros e da sua verba também ?
A subordinação do CFN para militares da gola é prejudicial até aonde ?

Obs: por favor comentários sem palhaçadas.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  André de Souza
1 mês atrás

Não acho inviável. Não é uma Força tão grande. Nos EUA, tem muito, muito junto da Marinha. As características de emprego lá, pcp a campanha q executaram, praticamente sozinhos, no Pacífico, “elevou” o status dos Marines lá. Mas há toda uma Estrutura-Meio q é da Marinha e teria de ser duplicada. É como uma Guarda Costeira. Teria de se duplicar várias e várias estruturas. Os FN nossos treinam bastante, fazem excelentes intercâmbios, e tem estruturas muito boas. Seu tamanho, no nosso caso, abarca o Serviço de Polícia, q em outras marinhas não é dos Fuzileiros, e tem forças fluviais, dado… Read more »

Tomawack BR
Tomawack BR
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

Duplicada a guarda costeira? No Brasil os navios GC durariam mais tempo e seriam mais baratos e com melhor manutenção. um bom radar e canhões daria pro gasto e menos mal gasto. Nem precisaria desse monte de cerimonial ibérico.

Last edited 1 mês atrás by Tomawack BR
Camargoer.
Camargoer.
Reply to  André de Souza
1 mês atrás

Caro André. Não. Os fuzileiros consistem apenas de uma divisão. Em termos administrativos, faria pouca diferença. O problema orçamentário continuaria igual porque os recursos dependem da decisão do MInDef. O fato dos fuzileiros se tornarem uma força independente ou serem vinculados á MB ou ao EB tem pouco efeito sobre a quantidade de verbas do ministério. O problema orçamentário em (no mínimo) duas facetas. De um lato, o valor total é limitado (e não faz sentido algum aumentar os recursos para as forças armadas considerando o nível de desperdício e o inchamento de quadros) e por outro o EB consome… Read more »

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Boa noite Camargoer. Talvez em efetivo, mas os FN são uma Bda Anfíbia. O q tem mais q efetivo de Bda, é aquilo q seria divisionário em apoio a uma Bda, Op Esp, Gpt Operativos para Operações Ribeirinhas e de segurança e o Serviço de Polícia, q na maioria das Marinhas não são dos FN. Não sei o q chama de desperdício e inchamento dos quadros, já q temos, pelo menos no EB, uma porcentagem homem/Bda menos q a maioria dos exércitos. A porcentagem entre as Forças depende muito mais q de efetivo ou projetos. São diversos fatores. Por exemplo,… Read more »

Dixon
Dixon
1 mês atrás

Pq nunca divulgam imagens dos projeteis do ASTROS atingindo alvos?

joao pedro
joao pedro
1 mês atrás

Salve Fuzileiros, já assisti o que é ter que fazer manutenção em Obuseiro 105 L118 Light Gun, vamos investir na nossa base industrial de defesa, e produzir nossas armas aqui no país, não só partes mecânicas, mas Óticas, Optrônicas e Eletrônicas também.

Toni Cavalcante
Toni Cavalcante
1 mês atrás

Mal empregado o que se gasta com as FFAA. Não fazem nada de substancial pelo povo brasileiro. País desmoralizado.

Últimas Notícias

Impressões de um oficial do US Army sobre os exércitos da Rússia e da Ucrânia antes da guerra

por Mark Hertling (*) Em 1994, eu era um tenente-coronel em Fort Knox, Kentucky, liderando uma unidade de cerca de...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -