sábado, outubro 1, 2022

Saab RBS 70NG

Operações de sabotagem do serviço de segurança ucraniano da guerra contra a Rússia

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Por Rodolfo Queiroz Laterza*

INTRODUÇÃO

Recentemente diversas explosões ocorreram em áreas de infraestrutura crítica na Crimeia e em território russo, com forte repercussão midiática e gerando desdobramentos tático-operacionais por parte das unidades de segurança russas, notadamente o FSB (Serviço Federal de Segurança) e a Rosguardia (Guarda Nacional).

Este artigo analisará os métodos, características operacionais e estrutura organizacional do pouco conhecido Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU), equivalente ao FSB da Rússia e altamente envolvido em diversas operações de sabotagem e destruição de infraestrutura crítica no atual conflito militar entre Rússia e Ucrânia.

A DINÂMICA OPERACIONAL

A especificidade das operações de informação e psicológica (IPSO) na Guerra da Ucrânia é que elas são realizadas levando em consideração a necessidade de desmoralização máxima, rebaixamento de capacidade operacional da força adversária, construção de narrativas de descrédito e derrotas sucessivas, bem como a formatação no imaginário coletivo mundial de uma ilegalidade, ilegitimidade e violação de soberania empreendidas pela Rússia.

Entretanto este trabalho essencial de IPSO, do SBU, ocorre desde o início do conflito de Donbass em 2014, quando forças russófonas insurgentes se rebelaram contra o movimento sociopolítico Euromaidan que resultou na renúncia do então presidente Victor Yanukovich, de inclinação política favorável a maior integração com a Rússia.

Este conflito emergiu para uma operação antiterrorista (ATO) decretada pelo Governo da Ucrânia, resultando em um estado de beligerância nos oblasts de Donetsk e Luhansk entre as Forças Armadas da Ucrânia e as milícias separatistas russófonas apoiadas pela Rússia

No contexto das especificidades das operações militares da Ucrânia contra as repúblicas do Donbass, com significativo apoio da OTAN, ocorreu um processo de cruzamento (hibridização) de formas de confronto relativamente independentes, como sabotagem e IPSOs, resultando numa melhor caracterização de tais ações promovidas pelo SBU como operações psicológicas de sabotagem (DPO).

O DPO é baseado em ações coordenadas e sistematizadas de desinformação e mentiras, provocações, intimidações e manipulação da opinião pública com objetivos gerais e específicos em um contexto de conflito interno e externo (no caso da Ucrânia, a DPO é conduzida contra a Rússia e seus interesses nacionais).

É importante entender que, embora o conflito militar da Ucrânia não seja uma verdadeira guerra com decretação oficial, ela tem certos componentes psicossociais e culturais de uma guerra civil no seio das sociedades envolvidas, começando com a inegável realidade de que existem setores pró-Rússia da população na Ucrânia, mas há também seções favoráveis ao regime político ucraniano no seio da população das áreas controladas pela Rússia e em seu território. Assim, ambos os lados têm pessoas capazes e dispostas a ajudar o outro lado adversário, o que facilita o recrutamento e as ações de cooptação pelas agências de segurança de ambos os países.

Ademais, a cooptação e recrutamento para operações de sabotagem envolvem motivos ideológicos e corrupção simples, seguindo a doutrina das agências de inteligência nestes casos. Tanto o SBU / GUR (Inteligência Militar da Ucrânia) quanto o SVR / GRU russo têm acesso fácil a bancos de dados de cidadãos de ambos os países o que lhes permite chantagear uma pessoa do outro lado para cooperação. Eles podem usar informações incriminatórias sobre qualquer atividade (passada ou presente) que possa, se tornada pública, causar grandes problemas a tal pessoa, mas também podem pressionar membros da família, podendo até ameaçar diretamente e induzir uma pessoa a cooperar.

Finalmente, há muitas pessoas pobres e desfavorecidas em ambos os lados, e elas realmente precisam de dinheiro, talvez não para comprar bens luxuosos, mas, por exemplo, para tratar a saúde de um membro da família. As agências de inteligência ocidentais são muito boas em encontrar e usar esse perfil de pessoas.

https://businessinsider.mx/russia-secretly-sending-weapons-recruiting-mercenaries-ukraine-says-2022-1/

Outrossim, como em qualquer outro conflito, quando há uma guerra, certamente haverá pessoas que se beneficiarão com isso, mas sempre haverá aqueles que perderão muito e poderão ficar muito infelizes com isso. As pessoas ofendidas são excelentes recrutas para os serviços secretos (a maioria dos desertores soviéticos traiu o país por dinheiro, embora alguns o fizessem porque foram tratados injustamente por seus superiores ou pelo próprio Estado Soviético).

Dessa forma, do ponto de vista doutrinário para articular e dar execução a operações de sabotagem em um contexto maior de IPSO-DTO as agências de inteligência são muito hábeis em:

1) encontrar vulnerabilidades e,

2) explorá-las. Como, por definição, pessoas são singulares, com cargas emocionais próprias, convicções e idiossincrasias, pessoas vulneráveis a recrutamento para tais operações ​​estarão em ambos os lados do conflito.

Segundo a doutrina de inteligência, o recrutamento é baseado em alguma hipnose psicossocial profissional. Em tempos de massivo uso de tecnologia digital, no entanto, os recrutadores não estão mais correndo pelas ruas em busca de pessoas, mas o processo de aproximação e recrutamento se dá pelas redes sociais. São selecionados para recrutamento nas operações de sabotagem e repasse de informações sensíveis jovens de 15 a 30 anos. Nessa idade, segundo os psicólogos, uma pessoa muitas vezes ainda não decidiu sua posição na vida, sendo, portanto, influenciável.

https://gur.gov.ua/en/content/sluzhba-bezpeky-ukrainy-prosyt-hromadian-ukrainy-povidomliaty-pro-pidozrili-vypadky.html

As redes sociais são construídas de tal forma que o usuário expõe praticamente todas as informações de sua página. A partir de seus interesses e terminando com postagens, citações, status que demonstram claramente sua posição na vida, o que facilita a abordagem para recrutamento.

Para seu propósito, os recrutadores das agências de inteligência escolhem pessoas que estão insatisfeitas com suas vidas. Seja sofrendo de amor não correspondido, decepção com amigos ou pais, falta de dinheiro, recalques com a própria vida, frustração profissional, isolamento social, necessidade de autoafirmação, desejo de aventuras, a esfera de motivações psíquicas que ensejam um recrutamento bem sucedido por uma agência de inteligência é praticamente ilimitado, requerendo capacidade de persuasão pelo recrutador.

Em tais circunstâncias, não é nada difícil iniciar uma correspondência em uma rede social com um estranho. Geralmente começa com curtidas. Imperceptivelmente procede a uma discussão de interesses comuns que aparecem nas páginas dos usuários da rede social.

E quando um recrutador se comunica com uma pessoa, ele já entende sua atitude mental. Como resultado da comunicação, os recrutadores projetam a causa do problema de uma determinada pessoa nos interesses exigidos. Aos poucos, na correspondência, o recrutador começa a avaliar o poder, o sistema estatal, impondo imperceptivelmente o ponto de vista de que necessita. Convence uma pessoa de que seu problema pessoal não está nele, mas em fatores externos – naqueles que interessam ao recrutador.

O próximo passo é aproximar a pessoa do recrutador. Sob sua influência, o jovem começa a acreditar que seu problema pessoal realmente surgiu por causa do que foi imposto. Nas páginas pessoais dos usuários nas redes sociais, é preciso identificar as dores dos jovens. É possível fazer isso de acordo com seus status, postagens e pensamentos, tornando mais fácil a um experiente operador de inteligência cooptar eficazmente militantes para obtenção de informações e atos de sabotagem.

https://www.bbc.com/news/world-europe-62608526.amp

Se nas regiões fronteiriças da Rússia, como em Belgorod, ocorrem ações de grupos furtivos ucranianos de reconhecimento e sabotagem, como foi o caso, por exemplo, com a explosão de uma ponte na região de Kursk, em regiões distantes da fronteira russo-ucraniana os atos de reconhecimento e sabotagem são baseados em moradores que se enquadram nos perfis psicológicos acima descritos para os serviços especiais ucranianos.

Um dos principais atores nesse campo são os adeptos das visões de ultradireita e membros de comunidades misantrópicas entre os jovens. Mas há outras categorias sociais que o SBU está tentando usar em sabotagem e ataques terroristas, com ofertas para sabotar a infraestrutura civil e profanar memoriais para soldados russos e soviéticos em troca de drogas, tal como recentemente foi verificado em salas de bate-papo de Telegram para viciados em drogas. Nesse contexto, algo já verificado história de várias agências de Inteligência são experiências e conexões com organizações criminosas criminal no recrutamento de colaboradores para obtenção de informações e realização de atos criminosos. Essas conexões podem ser efetivamente usadas para fins de sabotagem.

ESTRUTURAS OPERACIONAIS DAS AGÊNCIAS UCRANIANAS ENVOLVIDAS EM IPSO/DPO

O Serviço de Segurança da Ucrânia  (SBU) exerce a atribuição legal de autoridade policial no sistema de persecução penal da Ucrânia e é principal agência de segurança do governo nas áreas de atividade de contrainteligência e de combate ao terrorismo.

Logomarca do Serviço de Segurança da Ucrânia(SBU)

De acordo com suas disposições estatutárias e legais, o Serviço de Segurança da Ucrânia é responsável por:

  • proteção da contra-inteligência da soberania do Estado, ordem constitucional, integridade territorial, econômica, científica e técnica, capacidades de defesa, segurança da informação da Ucrânia, interesses vitais do Estado, direitos e liberdades dos cidadãos contra invasões de serviços secretos estrangeiros, organizações separatistas, grupos e pessoas que representem uma ameaça à segurança nacional da Ucrânia;
  • oposição às atividades de inteligência, reconhecimento e sabotagem e outras atividades ilegais dos serviços secretos estrangeiros;
  • proteção de contra-inteligência das autoridades estatais, científicas e técnicas, capacidades de defesa, complexo industrial -militar e infraestrutura de transporte, sistema nacional de telecomunicações e suas instalações, bem como instalações de infraestrutura crítica de importância estratégica;
  • prevenção, detecção e resolução de crimes contra a paz e contra a segurança humana, cometidos no ciberespaço; adoção de medidas de contrainteligência, operacionais e de busca, direcionadas ao combate ao ciberterrorismo e à ciberespionagem; combate aos crimes cibernéticos, cujos possíveis resultados representem uma ameaça aos interesses vitais da Ucrânia; investigação de incidentes cibernéticos e ataques cibernéticos aos recursos de informação eletrônica do estado; teste de preparação para proteger instalações de infraestrutura de informação crítica de possíveis ataques cibernéticos e incidentes cibernéticos; garantia de resposta aos incidentes informáticos na esfera da segurança estatal;
  • edição de leis administrativas complexas, organizacionais, operacionais e de busca, bem como execução de ações operacionais e técnicas de combate às atividades terroristas, inclusive internacionais e ao financiamento do terrorismo;
  • combate a crimes que representem uma ameaça à segurança do Estado da Ucrânia;
  • detecção e combate a grupos criminosos organizados transnacionais e inter-regionais, combatendo os sinais do crime organizado em diferentes áreas ( conforme exigido por lei das responsabilidades do Serviço de Segurança da Ucrânia nesta esfera);
  • oposição a operações especiais de informação e influências dos serviços secretos estrangeiros, organizações, grupos e pessoas;
  • combate ao tráfico e uso ilegal de equipamentos de escuta;
  • realização de informações e atividades analíticas no interesse da segurança do Estado da Ucrânia;
  • prevenção a crimes contra a segurança do Estado da Ucrânia.

O SBU se reporta ao Presidente da Ucrânia e informa a Verkhovna Rada (Parlamento da Ucrânia) sobre os resultados de sua atividade. A publicação dos resultados das atividades dos órgãos e unidades da SBU é realizada de acordo com os requisitos estatutários.

Entretanto, ressalte-se que informações sobre a organização, planos, conteúdo, formas, métodos, meios, apoio financeiro e logístico, resultados de atividades de contra-inteligência, desenvolvimentos científicos e de pesquisa relativos à segurança nacional e sobre indivíduos que cooperam ou cooperaram anteriormente de forma confidencial com a SBU órgãos e unidades que realizam atividades de contra-inteligência, os dados resumidos sobre o pessoal desses órgãos e unidades são segredos de Estado e devem ser protegidos de acordo com a Lei Federal “Sobre o Segredo de Estado” da República da Ucrânia.

O acesso às informações mencionadas pode ser dado nos casos e ordem definidos diretamente pelo SBU de acordo com os requisitos estatutários. É proibido publicar ou divulgar dados e informações coletados sobre a realização ou não de quaisquer atividades e medidas de contrainteligência em relação a determinada pessoa até que uma decisão pelos resultados de tal atividade ou medidas seja tomada.

O efetivo do SBU é estimado em 33.000 funcionários, tendo sua doutrina e estrutura ainda influenciadas pela antiga KGB (Comitê de Segurança do Estado da antiga União Soviética) e pelo próprio FSB da Rússia, agência pela qual até 2014 tinha forte vínculo e cooperação.

Quanto às estruturas organizacionais envolvidas na implementação do IPSO/DPO na Guerra da Ucrânia, inicialmente essas tarefas foram em grande parte atribuídas à SBU, à Direção Principal de Inteligência do Ministério da Defesa da Ucrânia e ao Ministério da Política de Informação. Em menor grau – ao Serviço de Inteligência Estrangeira e à Administração do Serviço de Fronteiras.

Esta área de atividade foi coordenada pelo Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia (NSDC). Grande relevância também foi atribuída às Forças de Operações Especiais (SSO) na estrutura das Forças Armadas da Ucrânia, pois também lhes foi confiada a implementação do IPSO, para o qual os centros de informação e operações psicológicas foram transferidos para o SSO.

As atividades desses centros são gerenciadas pelo Departamento IPSO do Comando das SOF. Um destacamento combinado e grupos operacionais de centros de operações especiais são destacados para cidades estrategicamente localizadas próximas aos principais fronts, cujo pessoal muda de forma rotativa.

No entanto, mesmo antes da criação da 1ª brigada das Forças de Operações Especiais, não havia escassez de forças de operações especiais nas Forças Armadas da Ucrânia. Até recentemente, as forças especiais consistiam no 3º regimento separado (OP) para fins especiais na cidade de Kropyvnytskyi e no 8º OP Forças Especiais na cidade de Khmelnitsky. Bem como o 140º Centro de Propósitos Especiais em Khmelnitsky, que é composto exclusivamente por oficiais e é projetado para resolver problemas especiais.

Esta é a unidade mais treinada das Forças Especiais da Ucrânia, que recebeu um certificado da OTAN. As forças especiais da Marinha são representadas pelo 73º Centro de Operações Especiais da Marinha em Ochakovo. Qualquer uma dessas estruturas pode estar envolvida em sabotagem na Rússia. Além disso, não se pode descartar que o GUR das Forças Armadas da Ucrânia e o SBU possam ter à sua disposição os chamados grupos de inteligência adormecidos, anteriormente criados e escondidos no território da Rússia.

Do ponto de vista da realização de sabotagem e operações psicológicas contra a Rússia no contexto do conflito atual, duas estruturas merecem maior atenção na escalada das operações de sabotagem na Crimeia e em território russo – o SBU e o SSO.

Na SBU, três divisões são as principais responsáveis ​​pela condução de tais operações, quais sejam: o Departamento de Proteção dos Interesses do Estado no Campo da Segurança da Informação (DKIB SBU), o Departamento de Proteção do Estado Nacional (DZNG SBU) e a Academia Nacional do SBU (NA SBU), um dos departamentos especiais do qual treina especialistas em operações de informação.

Exemplo de Relatório DKIB sobre operações de informações especiais (Página 1)

É dentre os colaboradores destas unidades que se forma um grupo de operações especiais de informação (SIO) no âmbito da Sede Conjunta da Direção Central da SBU (doravante designada como o OSh TsU SBU) – um órgão que desde janeiro de 2015 é totalmente responsável pelas atividades do Serviço de Segurança da Ucrânia no Donbass e que foi originalmente formado com base na ordem do Presidente do Conselho de Segurança da Ucrânia Valentin Nalyvaichenko Nº 7 de 14.01.2014.

Ato normativo que define a estrutura do Escritório Central da SBU em Donbass (Página 1)
Estrutura do Escritório Central da SBU em Donbas, Setor de Operações de Informações Especiais (Página 10)

A composição deste grupo é completada de forma rotativa, respetivamente, por colaboradores da DKIB, DZNG e da Academia Nacional da SBU.

https://www.bbc.com/news/world-europe-62500560.amp

Ao mesmo tempo, destaca-se que essas operações são realizadas em estreita cooperação com o Serviço de Inteligência Estrangeira, a Direção Principal de Inteligência do Ministério da Defesa e a Administração do Serviço de Guarda de Fronteiras da Ucrânia. Esta atividade é coordenada pelo Conselho Nacional de Segurança e Defesa da Ucrânia.

Essas unidades trabalham interconectadas desde 2015 nas áreas conflagradas em Donbass, atualmente intensificando o trabalho de sabotagem por meio da criação de grupos de combate disfarçado (reconhecimento e sabotagem) no território temporariamente ocupado da Ucrânia, incluindo entre os residentes que têm experiência de combate.

Ao mesmo tempo, há atenção especial pelo SBU  às questões de legendagem confiável de atividades de combate operacional (sabotagem e reconhecimento), sob o pretexto da luta de grupos criminosos organizados e formações de redes locais criminosas e subversivas por esferas de influência, bem como infiltração em atividades políticas e movimentos sociais no âmbito das não reconhecidas Repúblicas de Donetsk e Luhansk, além de monitoramento de  operações de serviços especiais russos nas áreas não controladas pelas Forças Armadas da Ucrânia – FAU.

As operações de DPO empreendidas pelo SBU seguem doutrinariamente a metodologia de outras agências de inteligência, como imputar as consequências da sabotagem e dos ataques terroristas a criminosos locais, supostamente organizando um confronto por esferas de influência, ou a um movimento de libertação rebelde fictício, ou a operações maliciosamente concebidas dos serviços especiais russos.

Para realizar uma IPSO-DPO, as forças de segurança ucranianas usam ativamente não apenas as redes sociais, mas também a mídia tradicional: mídia impressa, rádio e televisão. Ao mesmo tempo, não hesitam em retirar tempo de antena e frequências das estruturas comerciais, motivando-o pela necessidade de resistência à operação militar russa.

Carta do Conselho Nacional de Televisão e Rádio

As operações psicológicas da informação se tornaram um tópico essencial da estratégia de guerra entre as forças militares e de segurança ucranianas. Desde a emergência do conflito em Donbass em 2014, estruturas de guerra de informação bastante técnicas e profissionais foram criadas nas Forças Armadas da Ucrânia para identificar e combater ameaças de informação. Ao nível do quartel-general das forças terrestres, foi formado um departamento de guerra de informação, em comandos operacionais – grupos de 3-4 oficiais, em brigadas e escritórios regionais de registro e alistamento militar – grupos de monitoramento e contra-ataque psicológico de 5 especialistas militares e civis.

Além de relatórios semanais sobre a publicação de materiais negativos sobre as Forças Armadas da Ucrânia na Internet, essas unidades também distribuem artigos positivos sobre o serviço militar e mantêm as páginas oficiais das brigadas militares no Facebook.

Os propagandistas militares encomendam certos tipos de materiais e trabalham de empreiteiros terceirizados. Informações sobre isso são frequentemente publicadas em domínio público em sites de compras públicas ou postadas por blogueiros. Em média, os centros IPOC gastaram em 2029 cerca de 10,5 milhões UAH em tais pedidos por ano, havendo um incremento de centenas de milhões de dólares desde o início do conflito em tais gastos.

Exemplo de documento de contratação de propaganda militar

Vale neste diapasão relembrar as várias operações de tentativas de assassinato da liderança político-militar do DPR-LPR e comandantes de milícias, versões foram lançadas imediatamente sobre confrontos criminais ou operações especiais pontuais das agências de inteligência e segurança russas como o FSB-GRU-SVR da Rússia para eliminar “pessoas indesejadas”.

De fato, a SBU e os executores por ela recrutados estavam por trás da organização de ataques terroristas e sabotagem contra alvos especificamente selecionados dentre as lideranças militares das Repúblicas separatistas de Donetsk (DPR) e Luhansk (LNR) desde 2014. Tomemos como exemplo o caso do antigo chefe do DPR, Alexander Zakharchenko, submetido a tentativas de eliminação física em 14 de agosto de 2014, 30 de janeiro de 2015, 8 de maio de 2017 e , finalmente,em 31 de agosto de 2018, quando operadores de sabotagem do SBU  alcançaram seu objetivo matando o então líder da República de Donetsk.

Um dos ataques do SBU de maior destaque foi a morte de outro líder militar proeminente da DPR, o comandante do batalhão Sparta Arsen Pavlov (indicativo de chamada “Motorola”), que foi explodido em sua casa em 16 de outubro de 2016. Em 8 de fevereiro de 2017, ação de sabotagem matou o comandante do batalhão “Somália”, Mikhail Tolstykh (indicativo de chamada “Givi”). Todos esses casos se tornaram uma ocasião informativa para um grande número de versões alternativas da cadeia de eventos por parte da mídia ucraniana.

Outra ênfase por parte do SBU no contexto de IPSO-DPO se dá mediante operações de reconhecimento presencial, coleta de informações de campo, designação de potenciais alvos mediante fornecimento de coordenadas de geolocalização se tornaram crescentes no contexto de ataques crescentes por MLRS e drones nos teatros de operações de Kherson e Donbass.

https://dan-news.info/en/defence/sparta-battalion-granted-elite-guards-status-by-pushilins-decree/

Um dos ataques terroristas de maior destaque foi a morte de outro líder militar proeminente da RPD, o comandante do batalhão de Esparta Arsen Pavlov (indicativo de chamada Motorola), que foi explodido em sua casa em 16 de outubro de 2016. Em 8 de fevereiro de 2017, terroristas mataram o comandante do batalhão da Somália, Mikhail Tolstykh (indicativo de chamada Givi). Todos esses casos se tornaram uma ocasião informativa para muitos recheios da mídia do lado ucraniano.

No âmbito da IPSO-DPO empreendidas pelo SBU com bastante ênfase e resultados, estão operações que visam criar instabilidade social e política nas áreas controladas pela Rússia na Ucrânia e desacreditar as ações das administrações civil-militares coordenadas pelos russos, principalmente na área de Kherson e Zaporizhzhia.

No curso deste tipo de operação está a criação de regulamentos falsos dos órgãos administrativos das regiões e cidades controladas pela Rússia, com o objetivo de  desinformação, visando desacreditar a capacidade militar das forças inimigas, rebaixar sua prontidão operacional, massificar suas perdas e inferiorizar  certos aspectos de sua atividades (notadamente que se refiram à eficiência operacional), iniciando o pânico, criando um cenário de derrota e fortalecendo as tendências centrífugas nas fileiras dos militantes ucranianos recrutados pelo SBU  como parte de outras atividades operacionais de DPO.

Outro exemplo são as operações guerra psicológica bem-sucedidas para desacreditar a Frota do Mar Negro da Federação Russa, cujas tarefas de informação e influência psicológica também estão definidas para o 73º Centro de Operações Especiais da Marinha (unidade militar A1594), que estava originalmente implantado em Ochakovo.

Escritório do IPSO KSSO

Além disso, “vazamentos” separados podem estimular as células mobilizadas a procurar traidores e apoiadores russos nas áreas controladas pela Rússia e deflagrar repressões nos aparatos administrativos das fileiras das agências ucranianas, como recentemente verificado com a suposta operação desencadeada contra supostos espiões russos e alegados colaboradores pró Rússia nas diferentes estruturas governamentais ucranianas, o que teria resultado em centenas de prisões.

E há muitos desses atos de sabotagem perpetrados desde o início do conflito em território russo, principalmente nas cidades de Belgorod e Kursk, de maior acessibilidade a células do SBU.

É possível que cada uma das sabotagens cometidas possa ser realizada por uma pessoa que possa trabalhar na instalação a ser alvejada. Mas como estamos vendo uma série de atos de sabotagem, podem ser agentes ucranianos operando em sua própria área. Para implementar esta tarefa, são necessários meios de sabotagem apropriados, que podem ser armazenados em depósitos camuflados ou entregues por agentes especiais aos executores.

As operações de sabotagem pode ser realizada não apenas por algumas “células adormecidas” vinculadas ao SBU, bem como por forças especiais das Forças Armadas da Ucrânia especialmente mobilizadas para operar na retaguarda russa. É quase impossível distingui-los das pessoas comuns, pois falam russo fluentemente e conhecem as peculiaridades culturais. Não há dúvida de que operam vestidos com roupas civis.

O método de retirada para a retaguarda das forças russas pode ser diferente. É improvável que em uma zona densamente povoada e com forte sistema de detecção e defesa aérea como vigente na Crimeia, alguém salte de paraquedas. Neste caso, seria mais conveniente retirar por mar grupos do 73º Centro Naval de Operações Especiais de Ochakov para a Crimeia, através de meios de superfície e subaquática. A via marítima é uma das mais secretas nestes casos, geralmente usada para operações de comandos anfíbios mobilizados para atuar atrás das linhas inimigas.

https://www.newsheadquarterng.net/ukraine-war-crimea-airbase-badly-damaged-satellite-images-show/amp/

Especificamente na Crimeia, no auge da temporada de férias, as embarcações de água de superfície podem ser usadas de forma limitada. Ou seja, de um barco inflável, a cerca de uma milha da costa, à noite, os sabotadores vão ao mar e depois se deslocam em botes para a costa. À medida que se aproximam da terra firme, os mergulhadores esconderão suas roupas de mergulho, nadadeiras e aparelhos de respiração se entrarem debaixo d’água. Em seguida, eles receberão roupas, documentos e tudo o que for necessário em sacos lacrados. A bolsa será enterrada, fazendo para tal um esconderijo. Eles também podem usar macacões do tipo seco – sob eles estão as roupas que permitirão que eles se misturem com os turistas.

https://www.dw.com/en/russia-ukraine-updates-moscow-admits-sabotage-caused-crimea-depot-blast/a-62818068

Outra forma de atuação destas unidades subversivas poderia ser a penetração na área de operações com legalização total ou parcial. Isso é um pouco mais difícil do que apenas nadar com equipamentos de mergulho. Mas dado que o 140º Centro de Forças Especiais das Forças Armadas da Ucrânia é composto exclusivamente por oficiais, eles podem ser levados da Ucrânia para o território russo através da fronteira sob a rubrica de refugiados, dentre os mais de 3 milhões e meio de cidadãos ucranianos que buscaram refúgio na Rússia.

Por exemplo, em 25 de maio, na região de Rostov, foi detido um nacionalista que preparava ataques terroristas nas escolas por ordem do SBU. Sabe-se que ele conseguiu recrutar 800 pessoas para organizações extremistas proibidas na Rússia.

Além disso, os sabotadores podem ser retirados da área de operações e do território da Rússia, onde anteriormente poderiam ser legalizados sob o pretexto de trabalhadores temporários- e até receber passaportes russos. Além disso, os recém-chegados podem ir a uma reunião com o agente e depois, de acordo com o plano dele, fazer a sabotagem por conta própria, silenciosamente saindo como vieram.

De acordo com uma série de variáveis consideradas, as ações dos sabotadores são espontâneas e não estão vinculadas a um plano geral que visa atingir um único objetivo de atrapalhar ou danificar um alvo específico. Os objetos, muito provavelmente, são selecionados de acordo com o grau de acessibilidade máxima. Afinal, o objetivo deles é fazer gerar o máximo de dano e repercussão consequente possíveis, criando necessidades e custos adicionais às forças russas diante da importância de se manter um regime de segurança reforçado para as principais instalações, inclusive na Crimeia. Tudo isso é chamado de “medidas especiais de contra-inteligência”.

AÇÕES DE CONTRA-INTELIGÊNCIA DO FSB NA UCRÂNIA

Diante do aumento exponencial de ataques de sabotagem na Crimeia e em território russo, recentemente o FSB e unidades da Rosguardia tem intensificado operações repressivas no escopo de uma estratégia mais ampla de contra inteligência, resultando no desmantelamento de várias unidades subversivas recrutadas pelo SBU, principalmente em Kherson e na Crimeia, com prisões e eliminação de operadores recrutados por aquela agência de segurança ucraniana.

As medidas de contra-inteligência são um conjunto de medidas realizadas por serviços especiais, partes da Guarda Nacional e da polícia para combater a inteligência inimiga e sabotadores. Eles incluem (de acordo com documentos relevantes): verificações secretas de cidadãos; seleção cuidadosa de pessoas para instalações de manutenção; vigilância secreta de pessoas suspeitas; penetração nas fileiras dos sabotadores; captura do pessoal dos corpos de reconhecimento inimigos; escuta e intercepção de comunicações em meios técnicos de comunicação; garantir a segurança interna nas instituições e unidades militares; informar militares e oficiais sobre questões de segurança; garantindo a segurança dos documentos.

Além disso, o FSB, a polícia e as tropas da Guarda Russa podem realizar as seguintes medidas de segurança, se necessário: registro da população e emissão de passes (certificados e instruções especiais) confirmando a identidade de um civil ( militar) ou permitindo movimentação, entrada na instalação; verificação de documentos; restrição do trabalho de transporte público (pessoal) e meios de comunicação; introdução de um toque de recolher; estabelecimento de controle sobre a produção, transporte e armazenamento de armas, munições e explosivos; proibição do uso de UAVs próximo a infraestrutura militar .

https://www.thedefensepost.com/tag/fsb/

Para combater eficazmente os órgãos de reconhecimento e sabotagem do inimigo, os serviços especiais organizam eventos de natureza passiva e ativa. Os passivos incluem, por exemplo, camuflagem de objetos e atividades de tropas, desinformação e ações semelhantes.

Portanto, os serviços especiais russos já estão tomando uma série de medidas necessárias para conter a seria ameaças das ações de sabotagem inseridas no âmbito das operações de IPSO-DPO. Em primeiro lugar, é promovido um trabalho de verificação de representantes de grupos de risco – estruturas e organizações vistas anteriormente em cooperação com extremistas e com a inteligência ucraniana.

Além disso, com a escalada do conflito nas áreas fronteiriças, o FSB, a Guarda Nacional e a polícia tiveram que verificar a vulnerabilidade de todos os objetos, tanto civis quanto militares, cuja desativação poderia causar danos significativos. Para fazer isso, precisa-se olhar para o objeto através dos olhos de um sabotador. A assistência nisso pode ser fornecida por forças especiais, tanto o FSB quanto a inteligência militar.

APOIO DA OTAN ÀS OPERAÇÕES IPSO -DPO PELAS AGÊNCIAS UCRANIANAS

No contexto do agravamento do conflito de Donbass e derrotas militares sucessivas ocorridas em 2014-2015, o Governo da Ucrânia emitiu em 21 de abril de 2015, em caráter sigiloso, a “Decisão do Comitê Conjunto de Atividades de Inteligência sob o Presidente da Ucrânia de 21 de abril de 2015”, conforme abaixo se segue:

“O Serviço de Segurança da Ucrânia (SBU), juntamente com as agências de inteligência da Ucrânia, dentro de duas semanas, por meio de estruturas de parceiros estrangeiros, devem resolver a questão da organização do treinamento de grupos operacionais de combate (reconhecimento e sabotagem) na infraestrutura existente na Ucrânia com o envolvimento de especialistas estrangeiros”.

Foi após esta decisão que especialistas dos EUA, Grã-Bretanha, Polônia e países bálticos apareceram na Ucrânia em massa, que começaram a treinar funcionários do Departamento de Contra-inteligência do SBU, a Direção Principal de Inteligência do Ministério da Defesa ucraniano e unidades do exército em cometer assassinatos e ataques furtivos em alvos específicos de interesse político -militar.

A título de exemplo desta conexão entre unidades de Inteligência de combate da OTAN e as congêneres ucranianas, duas equipes de combate de especialistas em operações de informação da 77ª brigada das Forças Armadas Britânicas (“Chindits”) operavam na zona próxima à operação da Ucrânia na linha de contato em Donbass.  Os grupos consistiam em 10 pessoas, eles estavam localizados em Mariupol no hotel “Chaika” e no hotel “Reikartz Mariupol”, bem como em Kramatorsk no hotel “Sapphire”. Os britânicos estariam envolvidos na interceptação de conversas em telefones celulares, realizavam atividades de influência informativa e treinavam especialistas ucranianos em criptografia, telecomunicações e desinformação.

Considerações finais

A dinâmica e as perspectivas da guerra da Ucrânia indicam, diante da ausência de resolução do conflito a curto/médio prazo por meios diplomáticos, ambos países deverão se preparar para longas operações de contra-inteligência e contra-sabotagem que duram muitos anos, já que o custo e a facilidade de deflagração de operações de sabotagem e atentados é muito menor que mobilização de meios operacionais e tropas para confrontos de caráter convencional.

Novos atentados poderão ocorrer, seja em aeródromos, navios, portos, ferrovias, infraestrutura críticas, como hidrelétricas, represas, aeroportos, torres de energia.

A maioria desses ataques de sabotagem/terroristas ainda fazem parte do contexto de uma estratégia de IPSO-DPO e são principalmente para efeito de desgaste, desmoralização midiática e relações públicas. Em termos de seu impacto real nas capacidades militares russas ainda foi residual quanto a seu esforço militar, embora significativo em desgaste.

Para realmente impactar as operações militares, operações de sabotagem exigem um suporte de uma força partidária grande, viável e sofisticada, que os ucranianos e os russos, por ora, não têm por uma ampla margem. Além disso, para realmente afetar as operações militares, é essencial que haja continuidade em escala diária e múltipla, como aplicado pelo talibã no Afeganistão.

Outro desafio para as agências de inteligência envolvidas no conflito, quanto ao planejamento e implementação de operações de sabotagem e de guerra psicológica é o problema de coordenação e interação entre os órgãos de aplicação da lei, no caso da Ucrânia SBU-GUR-DKIB e da Rússia, as agências FSB-GRU-SVR.


*Delegado de Polícia, Mestre em Segurança Pública, historiador e pesquisador de conflitos armados e geopolítica

Fontes consultadas:

- Advertisement -

94 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

94 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Capa Preta
Capa Preta
25 dias atrás

E uma guerra sim, um país está invadindo o território soberano de outro país vizinho.

Alexandre
Alexandre
Reply to  Capa Preta
24 dias atrás

“um país Soberano” ou um Proxis? Demonstre objetivamente que a Ucrânia é um país soberano. Sim, de fato esta a ser realizada uma ação militar contra a Ucrânia. Sim a Russia tomou a iniciativa e lançou tal ação. Mas, omitir ou ignorar as causas objetivas é no minimo desonestidade intelectual ou ignorância pura.
O interessante é que até o momento, oficialmente, ninguém declarou GUERRA!

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Alexandre
23 dias atrás

Um país soberano com instituições, constituição e representantes reconhecidos pela comunidade internacional, territorio demarcado e concordado por varias conveções e acordos e até 2014 não havia nenhuma questão sobre a soberania territorial da Ucrânia. Os Ucranianos possuem uma cultura e identidade própria. Entendeu? Não é declarado oficialmente guerra por diversas razões especifica, a primeira os russos não podem declarar guerra,pois se declarar não pode anexar nenhum territorio, já a Ucrania não declara guerra pois poderia instigar uma moçao na Russia para um embate nuclear e tornar as naçoes que apoiam os ucranianos como inimigos de guerra da Russia.

Zé das couve
Zé das couve
Reply to  Alexandre
21 dias atrás

Sim. País soberano reconhecido até mesmo pela Rússia.

Patrício
Patrício
Reply to  Capa Preta
24 dias atrás

E……?

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Patrício
23 dias atrás

E aí que Yanucovich é um ladrão apoiado pelo baixinho mais ladrão ainda ..resumido .

Marcelo
Marcelo
25 dias atrás

Primeiro, quero parabenizar o autor pela profundidade da análise constante no artigo. Segundo, há controvérsias sobre a origem dos ataques na Criméia e na Rússia. Os russos construiram uma narrativa muito conveniente sobre “acidentes” e “sabotagem” em ambos os territórios. Porém a Ucrânia possui em seu arsenal um sistema de mísseis de longo alcance (SAPSAN) capaz de atingir a base russa de Saki e o território russo parece ter sido atacado por drones com explosivos. Terceiro, ações de sabotagem podem ser realizadas por membros de forças especiais ucranianas, por espiões, por membros da resistência ou por cidadãos comuns com algum… Read more »

Joe
Joe
25 dias atrás

Não foi sabotagem, foram apenas cigarros…

Patrício
Patrício
Reply to  Joe
24 dias atrás

Não são bombas caindo na Ucrânia.
É chuva.

Grifon
Grifon
25 dias atrás

Ucrânia já era, acabou, deixou de ser nação para ser fantoche dos globalistas

Patrício
Patrício
Reply to  Grifon
24 dias atrás

Mapa do avanço russo.
Falta avançar para Odessa e Dnipro.
E pronto.
Estará formada a Novorossia.
E dizem que esse será o primeiro passo.
O resto da Ucrânia virá depois.

IMG_20220906_184158_615.jpg
Hcosta
Hcosta
Reply to  Patrício
24 dias atrás

Onde é que está o avanço?

Como refere esse mapa os Russos conquistaram 14% para além do que já estava ocupado, com pouco mais de 20% do total.

14% desde fevereiro e sem grandes mudanças há já alguns meses…

Last edited 24 dias atrás by Hcosta
Patrício
Patrício
Reply to  Hcosta
24 dias atrás

Não entendi sua pergunta.
É sério?
Vou desenhar para vc
A área vermelha escura era a região original de Donetsk e Luganski.
A vermelha clara foi tomada após 24/02.
E a verde é o que resta tomar.
Cresça, filho.
E venha com argumentos mais adultos.

Zé das couve
Zé das couve
Reply to  Patrício
21 dias atrás

Desensino avanço pra trás dos russos.

Patrício
Patrício
Reply to  Hcosta
24 dias atrás

Vou desenhar para vc.
A área vermelha escura era a região inicial separatista.
A vermelha clara o avanço russo
A verde é a que falta conquistar.
Coloque no pacote as futuras conquistas de Odessa e Dnipro.
Prezado.
Não venha com esses argumentos infantis.
Eleve o debate
Só falta o ‘Kiev em três dias.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Patrício
24 dias atrás

Que argumento infantil?

Só me limitei a usar a informação que estava nesse mapa.

E realmente o argumento de Kiev em três dias é infantil mas me parece que foi o senhor quem o afirmou. Tal como Odessa está para cair desde 24 de fevereiro, entre muitos outros…

E um avanço é diferente de não sair do sítio…

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Patrício
24 dias atrás

Não vi esse avanço todo não, alias vi muito equipamento em kherson ser abandonado e o Namorado de Putin dizer que destruiu 44 Himars quando apenas alvejaram maquetes de taboa ou caminhão com toras e computaram como himars kkkk

Patrício
Patrício
Reply to  Wellington jr
24 dias atrás

Olhe o mapa de novo.

Pedro
Pedro
Reply to  Patrício
23 dias atrás

Nem precisa..é o mesmo mapa há meses…

Ivan
Ivan
Reply to  Pedro
20 dias atrás

Pedrão, Você TINHA razão até uma semana atrás. Nos últimos dias os mapas tem mudado… …em favor da Ucrânia. . O Zelensky – que malandro – chamou os russos para guerrear em Kherson, com as forças armadas ucranianas efetivamente atacando a região da margem oeste do Rio Dnipro. Para tanto atacou e incapacitou as pontes daquela região (Antonovski e Nova Kakhovka), bem como áreas de travessia por barcaças. . Os russos reforçaram suas forças naquela frente… Os ucranianos efetivamente atacaram para retomar suas terras, que estava sendo roubadas… . Mas, o comando ucraniano, habilmente, comandou o silêncio, para não dar… Read more »

Zé das couve
Zé das couve
Reply to  Patrício
21 dias atrás

Congelaram o mapa dos avanços russos. Impressionante como o inverno chegou mais cedo por lá congelando tudo.

Ivan
Ivan
Reply to  Zé das couve
20 dias atrás

Pois Zé…
.
Mas os ucranianos estão descongelando o mapa,
em favor da Ucrânia,
na luta para expulsar os invasores ORCs russos.
.
Saudações,
Ivan, um antigo infante.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Wellington jr
24 dias atrás

O correto é dizer que os russo desperdiçaram 44 (quarenta e quatro) caríssimos mísseis de cruzeiro Kalibr para destruir 44 engodos feitos de madeira pelos ucranianos. E os 16 Himars verdadeiros continuam destruindo sistemas antiaéreos, depósitos de munições, infraestrutura de transportes, postos de comando, etc. A maré está ruim para a detecção de alvos dos russos.

Last edited 24 dias atrás by Marcelo
Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Marcelo
24 dias atrás

Segundo um documento vazado no Telegran os EUA se preparam para turbinar a força ucraniana com mais Himars, misseis, artilharia e munição, alem de outros veiculos. Circula entre os congressistas a ideia que os EUA forneçam também avioes ocidentais, porem isso não se daria de imediato pois tem todo um treinamento de piloto e equipe de solo. Mas aparentemente tudo está dependendo dessa contraofensiva no sul e agora em Kharkiv se vai ter o resultado que os EUA esperam. Pelo som ecoando na região de Kherson os militares russos estão cogitando abandonar a região.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Wellington jr
24 dias atrás

“Segundo um documento vazado no Telegran”

Os ucranianos estão tendo perdas gigantescas na contra ofensiva em Kerson.

Patrício
Patrício
Reply to  LUIZ
24 dias atrás

A Ofensiva em Kherson foi paralisada devido às perdas ucranianas.
Agora estão tentando em Izyum.
Estão atacando com cerca de 9.000 soldados e estão próximos de Balakliva.
Aguardemos os desdobramentos.

Ivan
Ivan
Reply to  Patrício
20 dias atrás

Segundo os canais de Telegram russos,
pois os ucranianos estão – sabiamente – em silêncio,
já passaram por Balakliya, estando batalhando em Kupyansk.
Izyum está para ser cercada e os russos temem por Lyman.
.
Qualquer dúvida, pergunte aos russos.
Eles é que estão falando.
Os ucranianos estão em silêncio, apenas guerreando.
.
Saudações,
Ivan, an oldinfantryman.

Patrício
Patrício
Reply to  LUIZ
24 dias atrás

A Ofensiva em Kherson parou devido às enormes perdas ucranianas.
Agora estão tentando em Balakliva.
Aguardemos novas informações.
Estão atacando com 9.000 soldados, mas não conseguiram tomar a cidade.
Rússia estão mandando reforços.

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  LUIZ
23 dias atrás

segundo o ministerio da Defesa russo?

Patrício
Patrício
Reply to  Wellington jr
24 dias atrás

Talvez agora os russos aumentem seus efetivos na Ucrânia de 150 mil para 175 mil.

Kkkkkkkk

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Patrício
23 dias atrás

Não podem pois a russia tem o mesmo problema da URSS, logistica e agora não tem o tio SAM para enviar milhares de caminhoes.

Patrício
Patrício
Reply to  Wellington jr
24 dias atrás

Agora os russos aumentam seus efetivos na Ucrânia para 175.000 homens.

Ivan
Ivan
Reply to  Wellington jr
20 dias atrás

Sim, faz sentido. . Os russos estão em no dilema do lençol curto. Levaram suas melhores forças para Kherson, mas agora elas estão praticamente cercadas, com o Rio Dnipro nas costas e sem pontes para atravessar, com os Ucranianos avançando em várias pequenas frentes, porém com uma maior tentando corta os russos até o Dnipro… …formando um bolsão que vai virar um moedor de carne. . Só que, em seguida, a batalha no Oblast de Kharkiv recomeçou, com ucranianos atropelando Balakiya e avançado até Kupyansk (talvez já tenha caído enquanto escrevo). Izyum – antes firmemente nas mãos dos ORCs russos… Read more »

LUIZ
LUIZ
Reply to  Marcelo
24 dias atrás

Como desperdiçar 44 mísseis sabendo os russos que a Ucrânia não possuí 44 Himars e sim 16? Cara tu vive num mundo das tias do whatsapp da Ucrânia. Os russos tem meios pra detectar os alvos e os eliminá-los.

Hcosta
Hcosta
Reply to  LUIZ
24 dias atrás

Não passe vergonha. Foram os próprios russos que divulgaram essa informação…

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  LUIZ
23 dias atrás

os russos foram burros o suficiente para iniciar uma guerra contra um vizinho sabendo que sem os nukes eles são um exército de país subdesenvolvido. Desperdiçar misseis so pra fazer propaganda não é nada.

Marcelo
Marcelo
Reply to  LUIZ
23 dias atrás

O raciocínio é muito simples, pequeno gafanhoto. Os Himar são alvos prioritários devido a sua grande mobilidade e a sua enorme capacidade de destruição. Os drones russos estão caçando os Himars, porém não conseguem distinguir os engodos (muitos) dos verdadeiros (dezesseis). O alarme de Himars dos drones aciona o ataque com mísseis Kalibr baseados em belonaves no Mar Negro. Só tem um probleminha, os ucranianos escondem os Himars verdadeiros e deixam os engodos a vista. E os russos cairam no conto do vigário, informando (eles próprios) que destruiram 44 (quarenta e quatro) Himars. Só que os 16 Himars verdadeiros continuam… Read more »

Ivan
Ivan
Reply to  Marcelo
20 dias atrás

Marcelo,
.
Tem mais.
Um canal do Telegram RUSSO, tem um especialista/comentarista RUSSO que está puto.
.
Segundo ele, as Forças Russas já anunciaram que abateram 100 (cem) Su-25 ucranianos. Entretanto a Ucrânia tinha apenas 44 (quarenta e quatro) destes aviões de ataque antes da guerra, sendo que os referidos ‘danados’ ainda estão voando e atacando as posições russas.
.
Em tempo:
“Danado” foi por minha conta nordestina.
.
Forte abraço,
Ivan, o antigo.

Felipe
Felipe
Reply to  Marcelo
24 dias atrás

Fonte?

Marcelo
Marcelo
Reply to  Felipe
23 dias atrás
Patrício
Patrício
Reply to  Wellington jr
24 dias atrás

Não viu?
Óticas do Povo, morô?
Hahai!

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Patrício
23 dias atrás

Não vi mesmo pois alem do seu mapa muito porco, nem mesmo o ministerio da Defesa russo tem visão de tais avanços.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Patrício
24 dias atrás

Desenhar no mapa é fácil. Igualzinho ao exercício militar inflado e teatralizado. Quero ver a Rússia fazer isso no campo de batalha. Por que o Putin não vai até o front na Ucrânia para ver como suas tropas estão conduzindo a “Operação Militar Especial”, que já dura mais de seis meses?
https://www.19fortyfive.com/2022/09/russia-is-suffering-devastating-losses-in-ukraine-trying-to-hold-kherson/

Last edited 24 dias atrás by Marcelo
Patrício
Patrício
Reply to  Marcelo
24 dias atrás

Comentar no 1945 é mais fácil ainda.

Henrique
Henrique
Reply to  Patrício
24 dias atrás

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK
.
claro que avançando russeti… o fato da Rússia estar travada ja tem 4 meses na mesma posição é a maior prova de avanço russo kkkkk

Felipe
Felipe
Reply to  Henrique
24 dias atrás

Esta travado após conquistar 20% do território do maior país europeu e esse país com ajuda da Otan não consegue retomar nada. Cadê os Himars, Harm, Javelin?..não se fala mais deles

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Felipe
23 dias atrás

Tão destruindo e neutralizando as AA russas. Até os Drones turcos voltaram a destruir S-300 em Kherson.

rafa
rafa
Reply to  Patrício
23 dias atrás

O avanço visualmente é considerável.
Mas se a gente for por em números, eu acredito que seja muito pouco para um país como a Rússia.

Levando em consideração que a Ucrânia tem o tamanho do estado de Minas Gerais (603 mil km2 contra 583 mil km2) os ganhos totais da Rússia foram de dois estados do Rio de Janeiro. Muito pouco para quem se considera a 3 maior força bélica do mundo. Sem falar no número total de baixas.

Zé das couve
Zé das couve
Reply to  Patrício
21 dias atrás

Mapa do avanço russo desse mês é o mesmo de junho. Não mudou nada.

Zé das couve
Zé das couve
Reply to  Grifon
21 dias atrás

O Exército do Putin já era. Acabou. Gastou todo o estoque de munição velha da URSS e agora não consegue avançar mais nem um centímetro. Vem aí o inverno e eles vão ficar totalmente parados.

Arthur
Arthur
25 dias atrás

Postagem acima da média. Muito bem analisado, sério e em profundidade. Espero que venham novos artigos. Não deixam saudades aquelas transcrições de mídia inglesa que invadiram os três blogs nos últimos tempos.

naval762
naval762
25 dias atrás

Texto bom, muito instrutivo.

Nickless
Nickless
25 dias atrás

Nada disso é verdade. Essas dezenas de depósitos de equipamentos e munições, centros de comando, bases, estruturas criticas e etc de bilhões de dólares foram destruídas como um gesto de boa vontade por parte dos russos nessa operação especial de libertação do povo ucraniano. Claro que as vezes tem um soldado fumando perto da munição e acontece algum acidente também.

Andre
Andre
Reply to  Nickless
24 dias atrás

e os atlanticistas estão formatando o imaginário mundial de que a Rússia está agindo de maneira ilegal, ilegítima e violando a soberania da Ucrânia. Um absurdo já que nada disso está ocorrendo.

Essas duas semanas estão durando…

Patrício
Patrício
Reply to  Andre
24 dias atrás

A doutrina russa é: Defender os russos onde os russos estiverem.
Portanto, Países Bálticos, Cazaquistão, Moldávia e etc são áreas de atuação dos russos.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Patrício
24 dias atrás

Nem que os tenha de os matar…

Nickless
Nickless
Reply to  Patrício
23 dias atrás

Fico imaginando o Brasil com essa desculpa sem fundamento querer defender os “brasiguaios” brasileiros com terras e perseguidos no Paraguai.

Andre
Andre
Reply to  Patrício
23 dias atrás

Para os países bálticos os russos não fazem nem língua com medo das consequências.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Nickless
24 dias atrás

Bem bem é bom os ucras terem muita buxa de canhão para fazer sabotagem no Donbas porque se demorar mais um pouco vão ter que contratar sabotador em outro locais

mago
mago
Reply to  Nilton L Junior
24 dias atrás

Verdade. Nos últimos dias apareceram dezenas dessas carniças boiando nas praias. Os russos mataram muitos deles.

Patrício
Patrício
Reply to  Nickless
24 dias atrás

Pense nos bilhões de dólares e oito anos de trabalho que os EUA gastaram na Ucrânia e que em seis meses virou pó.

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Patrício
24 dias atrás

a unica coisa que virou pó foi o exercito Russo ser considerado uma ameaça. Se tirar as nukes o exercito Russo é igual a um exercito de país subdesenvolvido.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Wellington jr
24 dias atrás

Os russos tão fragmentando o exército ucraniano. A fase agora é destruir o exército ucraniano atuando na defensiva. Pra quê avançar mais arriscando perdas grandes?

Marcelo
Marcelo
Reply to  LUIZ
24 dias atrás

Será por causa dessa estratégia que os russos estão comprando drones do Iran e peças de artilharia da Coréia do Norte? Depois que os Himars chegaram na Ucrânia a única coisa fragmentada que se tem notícia são os depósitos de munição russos indo pelos ares aos montes. Os mísseis antiradiação AGM 88 Harm estão acabando com os radares russos. Até os drones Bayraktar, que andavam sumidos, voltaram a destruir os blindados russos. As forças russas, já desgastadas e desorganizadas, estão tendo que se coçar ainda mais para segurar os ucranianos na região de Kherson. Welcome to Ukraine.
https://www.19fortyfive.com/2022/09/russia-is-suffering-devastating-losses-in-ukraine-trying-to-hold-kherson/

Nickless
Nickless
Reply to  Marcelo
24 dias atrás

Exatamente Marcelo, o grande aumento da atividade do bayraktar nos últimos dias evidencia isso mesmo. o agm-88 esta fazendo a diferença nessa questão. ou os russos estão deixando seus radares desligados por causa dele ou estão sendo destruídos.

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  LUIZ
24 dias atrás

Nossa que desculpa mais chula.

Pedro
Pedro
Reply to  LUIZ
23 dias atrás

Pq não conseguem

Nickless
Nickless
Reply to  Patrício
24 dias atrás

Eua Investe 750 bilhões de dólares em defesa, enquanto a Rússia 60. Alguns bilhões de dólares em perda pros americanos não fazem muita diferença já pra Rússia. hahahahaha

Marcelo
Marcelo
Reply to  Nickless
23 dias atrás

Lembre que R$ 750 bilhões de dólares é o orçamento aprovado pelo Congresso dos EUA, mas existe também o orçamento negro, que ninguém conhece o tamanho exato. É um colosso de dinheiro investido em assuntos de interesse militar e geopolítico por parte dos EUA.

Ramon
Ramon
Reply to  Patrício
23 dias atrás

Não sei o motivo de darem Ibope para esse cara, é apenas um cego ideológico que vai passar pano para os russos fazer pirraça igual uma criança e pregar que só a visão dele é a certa, pois na cabeça desses indivíduos eles são superiores aos outros pois somente eles conseguem ver a realidade, provavelmente está aqui desde o início do ano narrando o quão grandiosa é a Rússia toda hora posta mapinha de sei lá o que, da tomada de um galinheiro, mas fala com ele que os depósitos russos de munições estão indo para o espaço, fala que… Read more »

Bruno
Bruno
Reply to  Ramon
23 dias atrás

Perfeito comentário Ramon. Esse cidadão e seus n apelidos que conversam entre si….

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
24 dias atrás

Utilizando informações do próprio artigo a constatação óbvia de que a OTAN atua, presencialmente, na Ucrânia contra a Rússia desde 2015 é registrada de forma especifica nessa passagem: “APOIO DA OTAN ÀS OPERAÇÕES IPSO -DPO PELAS AGÊNCIAS UCRANIANAS. No contexto do agravamento do conflito de Donbass e derrotas militares sucessivas ocorridas em 2014-2015, o Governo da Ucrânia emitiu em 21 de abril de 2015, em caráter sigiloso, a “Decisão do Comitê Conjunto de Atividades de Inteligência sob o Presidente da Ucrânia de 21 de abril de 2015”, (…) Foi após esta decisão que especialistas dos EUA, Grã-Bretanha, Polônia e países… Read more »

Fabricio Lustosa
Fabricio Lustosa
Reply to  Fabricio Lustosa
24 dias atrás

Ainda sobre o exaurimento da Europa, esqueci de citar notícia de ontem dia 05 de setembro de 2022: “A guerra na Ucrânia está “esgotando em grande proporção” os arsenais da União Europeia, como declarou o chefe da diplomacia da UE, Josep Borrell, nesta segunda-feira, 5. De acordo com ele, o bloco deveria redefinir sua política de compras militares. (…)”Os estoques militares da maior parte dos Estados-membros [da UE] estão, eu não diria exauridos, mas esgotados em uma grande proporção, porque nós estamos provendo muita capacidade para os ucranianos”, afirmou Borrell, como repercutido pela Folha de S.Paulo.” https://aventurasnahistoria.uol.com.br/noticias/historia-hoje/uniao-europeia-tem-arsenais-esgotados-por-guerra-na-ucrania.phtml Como se a Europa já não tivesse… Read more »

LUIZ
LUIZ
Reply to  Fabricio Lustosa
24 dias atrás

E também o comunicado europeu colocando a Rússia como país terrorista. Enquanto isso diversos atentados contra cidadãos russos. Embaixador assassinado na Turquia e por último o atentado na embaixada russa em Cabul.

Hcosta
Hcosta
Reply to  LUIZ
24 dias atrás

Que embaixador assassinado na Turquia?

Pouco deve faltar para relacionarem o assassinato do Czar com a OTAN…

Andre
Andre
24 dias atrás

a formatação no imaginário coletivo mundial de uma ilegalidade, ilegitimidade e violação de soberania empreendidas pela Rússia.”

desse jeito precisamos da formatação do imaginário coletivo mundial de que a terra é redonda, que o sol brilha e de que a água molha…

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Andre
24 dias atrás

Esta se identificando né amigo kkk

Andre
Andre
Reply to  Nilton L Junior
24 dias atrás

nem em uma nem em outra. Me identifico com a realidade, não com as fantasias.

Jefferson BA
Jefferson BA
24 dias atrás

Parabéns aos ucranianos. Essa guerra da ditadura russa é terrível. São 7 milhões de refugiados, extermínio, perseguição, crime de guerra, famílias inteiras mortas e um racismo sem igual da Rússia. O brasil jamais deveria apoiar a Rússia, essa aliança não será boa para o Brasil, deveríamos ter coordenado missão diplomática para agir frente a essa agressão. O brasil sai pequeno dessa guerra! A Ucrânia não deu sequer 1 tiro em direção ao território russo, não ameaçou invadir a Rússia. Trata-se de uma covarde do bandido Putin, Lavrov, Medvedev e Kadyrov. A Rússia deve pagar caro pelas mortes de ucranianos e… Read more »

sub urbano
sub urbano
24 dias atrás

A Ucrania tem uma grande dificuldade de recrutar “Partisans” pelo fato da área controlada pela Russia ser uma região historicamente russófila e abandonada pelo governo de Kiev desde o fim da URSS. No antigo site englisrussia era comum noticias de prefeitos da região de Donbass fornecer apartamentos 0800 para que os cidadãos não migrassem para Moscow ou Kiev. Você não pode esperar que um individuo lute até a morte por um país que o abandonou. A russia sabe disso e ocupou apenas essa região. Chegeram a Kiev em 3 dias, não tomaram porque não quiseram. Russia perdeu apenas 30 caças… Read more »

Heinz
Heinz
24 dias atrás

Matéria excelente, cheia de detalhes.

100nick-Elã
100nick-Elã
24 dias atrás

Como resultado da contra-ofensiva, as Forças Armadas da Ucrânia conseguiram ocupar com sucesso todos os necrotérios de Nikolaev, Krivoy e Odessa.

Neural
Neural
Reply to  100nick-Elã
20 dias atrás

Hahaha tá bom. Os cães ladram mas o bondão passa!

Hilton
Hilton
24 dias atrás

Ótimo artigo! Lembrando que o serviço de informações ucraniano como o russo são mais eficientes que a nossa ABIN!!!! E só para lembrar um colaborador do ABIN entrou com um processo de ação trabalhista requerendo entre vários pedidos, reconhecimento de vínculo trabalhista e indenização! Creio que isso nunca ocorreu com nenhuma agência de informações!!!!

Jefferson BA
Jefferson BA
Reply to  Hilton
23 dias atrás

O serviço secreto russo não parece ser tão bom, não tem histórico bom. Vejo muita propaganda deles, efetivamente acho bem falhos.
Tem coisas que os russos melhoraram bastante, principalmente comunicação em massa com redes de fake news como: rt today e spunik news entre outros sites fake ds Rússia que promovem a voz do governo russo.

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Hilton
23 dias atrás

Claro que nunca, se o cara abrir o bico toma um chazinho de sumiço.

AMBAR
AMBAR
22 dias atrás

Parabéns ao pesquisador pelo post. Primoroso e imparcial.

Zé das couve
Zé das couve
21 dias atrás

Vietcrânia!

Wellington jr
Wellington jr
21 dias atrás

Tenho um pedido aos editores do Forte, nas ultimas 72 horas a guerra na Ucrânia teve uma reviravolta importantíssima com a tomada de um entroncamento ferroviário em Kupyansk e a retirada russa de Izium alem de movimento de tropas em Lyam e ataques da Força aerea Ucraniana na linha de frente mostrando que as defesas russas na zona de guerra estão inativas pois misseis estão caindo em Melitopol. Gostaria que a equipe de editores pudesse nos agraciar com algumas analises desses movimentos.

Ivan
Ivan
Reply to  Wellington jr
20 dias atrás

Wellington Jr. . Apoio entusiasticamente seu pedido. Ouso escrever que o silêncio da mídia especializada e não especializada sobre os contra ataques (será que podemos chamar de contra ofensiva?) é ensurdecedor. . A Ucrânia, que foi covardemente atacada pela Rússia, tem enfileirado feitos militares (e políticos) impressionantes, considerando sua inferioridade numérica diante do agressor. Senão vejamos: Venceu a Batalha pelo Aeroporto de Gostomel, Venceu a Batalha por Kyiv; Venceu a Batalha pela cidade de Kharkiv; Deteve as forças russas em Mykolaiv, impedindo que os ORCs chegassem perto de Odessa; Afundaram o Cruzador Moskva em abril/22 (apesar da alegação russa de… Read more »

Ivan
Ivan
Reply to  Ivan
20 dias atrás

Em tempo.
Tem notícias interessantes no Newsweek:
https://www.newsweek.com/russia-ukraine-sychevoi-capture-commander-1741356
.
“A mídia ucraniana e os usuários de mídia social especularam que um alto comandante russo foi capturado enquanto a contraofensiva de Kyiv contra as forças de Moscou ganha força.”
“Imagens e vídeos compartilhados no Twitter e no Telegram supostamente mostram o tenente-general Andrei Sychevoi entre um grupo de tropas russas algemadas de joelhos com um usuário de mídia social dizendo que estavam perto de Balakliya, na região de Kharkiv.”
.
Será que é verdade?
Vamos aguardar.
.
Saudações,
Ivan Ivanovich.

Andre
Andre
Reply to  Wellington jr
20 dias atrás

Acho que deve haver um medo dos putinzetes debandarem do fórum frente a vergonha que a amada Rússia está passando e cairem muito as interações do blog.

Nem precisa ser uma análise passadora de pano dizendo haver necessidade de formar um imaginário mundial de ilegalidade russa, um simples relato dos fatos dos últimos dias já estaria de bom tamanho.

Ivan
Ivan
Reply to  Andre
19 dias atrás

Valeu André!!!

Você tem mais prestígio que Wellington Jr. e eu juntos.
Sua solicitação foi atendida imediatamente.

Forte abraço,
Ivan Ivanovich.

Andre
Andre
Reply to  Ivan
19 dias atrás

Foi atendida antes mesmo de eu pedir hahaha

Últimas Notícias

O conflito fronteiriço entre a Quirguistão e Tadjiquistão

Rodolfo Queiroz Laterza Ricardo Cabral INTRODUÇÃO Quirguistão e Tadjiquistão são duas repúblicas oriundas da desintegração da União Soviética em 1991, com sociedades...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -