sábado, dezembro 3, 2022

Saab RBS 70NG

Estamos perto da Terceira Guerra Mundial?

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

Analistas estão preocupados que grandes perdas na Ucrânia possam levar a Rússia a “recorrer a um ataque nuclear”

Pesadas perdas russas na Ucrânia deram nova urgência aos temores sobre a eclosão de uma terceira guerra mundial.

Analistas acreditam que entramos em um momento crucial para as forças russas na Ucrânia, que sofreram grandes reveses no leste e nordeste nas últimas semanas.

As perdas recentes “levaram a falar do potencial de uma Rússia humilhada recorrer a um ataque nuclear”, disse o Insider.

Vladimir Putin “parece não querer diminuir a escalada”, concordou o correspondente do The Guardian em Moscou, Andrew Roth. Em vez disso, o presidente russo está procurando “transformar a ‘operação militar especial’ na Ucrânia em uma guerra defensiva na Rússia”, abrindo a possibilidade de “uma mobilização completa, declaração de guerra e até um ataque nuclear”, acrescentou Roth.

Tanya Stanovaya, estudiosa não residente do Carnegie Endowment for International Peace em Washington DC, disse ao The Telegraph que o plano de Putin é apresentar “um ultimato absolutamente [inequívoco] à Ucrânia e ao Ocidente. Ou a Ucrânia recua, ou é uma guerra nuclear”.

Os defensores de Putin também veem essas opções como um próximo passo lógico. Margarita Simonyan, editora-chefe da emissora estatal russa RT, disse: “A julgar pelo que está acontecendo e pelo que está prestes a acontecer, esta semana marca o limiar de nossa vitória iminente ou o limiar de uma guerra nuclear. Não consigo ver nenhuma terceira opção.”

Esses jogos de agressividade levaram as pessoas a questionar como o mundo evitou uma terceira guerra mundial por mais de três quartos de século. Para alguns analistas internacionais, “a estabilidade vem da preservação de um equilíbrio global de poder e estados respeitando as esferas de influência uns dos outros”, disse Jerome Roos no The New Statesman. Para outros, “as ordens mundiais são mantidas unidas por regras fortes subscritas por um hegemon global”.

Nenhum dos modelos está se sustentando bem, com agressões da Rússia, Irã e China alimentando uma série de tensões geopolíticas.

Linhas borradas

Enquanto muitos analistas internacionais acreditam que o risco de uma nova guerra mundial permanece relativamente baixo, alguns argumentam que o próximo conflito global já começou.

Putin se atreveu a lançar sua “invasão em grande escala” da Ucrânia porque a Rússia anteriormente “se safou de seus crimes” na nação vizinha e na Moldávia, Geórgia e Síria, disse a jornalista Veronika Melkozerova, de Kiev, do The Atlantic.

No futuro, a invasão da Ucrânia pode ser vista não como o início da próxima guerra mundial, mas sim “como um ponto de virada fundamental” em um conflito mais amplo, sugeriu ela.

“Aniquilação nuclear”

“A guerra na Ucrânia elevou as tensões geopolíticas a níveis não vistos desde a crise dos mísseis cubanos de 1962”, disse a Reuters. Agora, como então, a ameaça de uma guerra nuclear é levada a sério por muitos líderes ocidentais.

O mundo está a “apenas um mal-entendido, um erro de cálculo da aniquilação nuclear”, disse o secretário-geral da ONU, Antonio Guterres, em agosto.

Falando em uma conferência sobre o tratado de Não Proliferação de Armas Nucleares em Nova York, Guterres disse: “Tivemos uma sorte extraordinária até agora. Mas a sorte não é uma estratégia. Tampouco é um escudo contra as tensões geopolíticas que se acumulam em um conflito nuclear”.

Dias antes, o líder norte-coreano Kim Jong Un havia dito que seu país estava “pronto para mobilizar” seu arsenal nuclear. E o conselheiro de segurança nacional do Reino Unido, Stephen Lovegrove, alertou que uma “falha de comunicação” aumentou o risco de uma guerra nuclear entre o Ocidente e a China ou a Rússia.

Em uma carta à conferência de não proliferação, Putin disse que “não pode haver vencedores em uma guerra nuclear e ela nunca deve ser desencadeada”. Mas desde que invadiu a Ucrânia, “o Kremlin brandiu seu arsenal nuclear tantas vezes que está começando a se tornar tedioso”, disse Matthew Sussex, membro do Centro Estratégico e de Defesa e Estudos da Universidade Nacional Australiana, em um artigo no The Conversation.

Um acordo nuclear “precário”

Os países do mundo com os maiores arsenais nucleares não são as únicas fontes de preocupação com a estabilidade nuclear. A incerteza também envolve os esforços para impedir que o Irã se junte ao clube nuclear.

Os EUA iniciaram as negociações há muito esperadas para reviver o acordo nuclear do Irã de 2015 no ano passado, três anos depois que Donald Trump desistiu do acordo. O Irã respondeu à retirada com “um aumento público, passo a passo, do maquinário usado para enriquecer urânio – o combustível nuclear necessário para uma bomba”, disse a NPR.

As duas nações “resolveram alguns dos obstáculos mais espinhosos nas negociações”, disse a repórter de defesa do Politico, Lara Seligman. Mas sempre que essas conversas parecem estar à beira de um acordo, “atores de ambos os lados tentam interrompê-las”, disse o especialista em segurança nacional Joe Cirincione ao site.

O presidente do Irã, Ebrahim Raisi, disse que uma investigação da Agência Internacional de Energia Atômica sobre “questões de salvaguardas” em instalações nucleares iranianas não declaradas deve terminar se um acordo “deve ser fechado”, disse a Al Jazeera. Os EUA se recusaram a se comprometer a encerrar a investigação, “adiando a questão fundamental” de se o Irã voltará a se juntar ao acordo nuclear, disse a Reuters.

E qualquer “nova iteração” do acordo que for acordado “será precária na melhor das hipóteses”, disse Trita Parsi, vice-presidente executiva do Quincy Institute for Responsible Statecraft, em um artigo na Foreign Affairs. Os críticos afirmam que será “mais curto e mais fraco, em vez de mais longo e mais forte”, escreveu ele.

Parsi concordou que o acordo será “frágil”, devido à “desconfiança profunda” sobre “a capacidade de Washington de cumprir acordos internacionais”. Devem ser tomadas medidas para abordar as preocupações “e tornar o negócio mais duradouro”, continuou, caso contrário “mesmo este avanço histórico poderia ser apenas um precursor de uma crise ainda mais perigosa”.

Território taiwanês

Taiwan está procurando “aumentar drasticamente seu orçamento militar” e gastos com defesa em resposta a uma crescente ameaça de agressão da China, disse Kathrin Hille, correspondente do Financial Times na Grande China.

Durante décadas, sucessivos líderes do Partido Comunista Chinês “consideraram alcançar a reunificação com Taiwan como um objetivo supremo que selará seu lugar na história chinesa”, escreveu Zhenze Huang, estudante de doutorado em Governo e Política na Universidade de Maryland, em um artigo na The Diplomat. O presidente Xi Jinping “não é exceção”.

E o líder chinês se prepara agora para presidir o 20º Congresso do Partido em seu país, que acontecerá em novembro – “um momento chave e sensível”.

Nesse contexto, as relações entre a China e Taiwan “parecem ter se deteriorado acentuadamente” desde que a presidente da Câmara dos Deputados dos EUA, Nancy Pelosi, visitou Taiwan no início de agosto, disse a BBC.

Sua viagem “colocou Xi em uma posição embaraçosa”, disse Huang, em parte porque ocorreu semanas após uma longa teleconferência entre a China e Joe Biden “na qual os dois líderes relataram um consenso sobre ‘oposição a mudanças unilaterais no status quo por qualquer um dos dois lados’ através do Estreito de Taiwan”.

Um relatório da teleconferência publicado pelo Ministério das Relações Exteriores da China disse que Xi enfatizou que “os meandros históricos das questões de Taiwan são claros”, acrescentando: “Aqueles que brincam com fogo perecerão por isso”.

Dois meses antes, em “uma declaração presidencial extraordinariamente forte”, Biden havia explicitamente comprometido os EUA a intervir se Taiwan fosse atacada pela China, informou o The Guardian.

Dissuadir a China está “na mente dos EUA”, disse Hille, do Financial Times.

Antes da visita de Pelosi, a Casa Branca “desvinculou” sua visita de sua própria posição, “criando a ilusão do itinerário de Pelosi como uma visita pessoal”, disse Huang no The Diplomat.

Mesmo assim, sua breve viagem não caiu bem em Pequim. Depois que Pelosi deixou Taiwan em 3 de agosto, a China “realizou sua maior demonstração de força militar no ar e nos mares ao redor de Taiwan”, informou a BBC. Taiwan disse que os exercícios, que incluíram o lançamento de mísseis balísticos, representaram um bloqueio.

“Um novo império russo”

Após a eclosão da guerra na Ucrânia, analistas temem que “Moscou e Pequim se aproximem quando os Estados Unidos apresentarem ambas as questões como uma luta entre autoritarismo e democracia”, disse o The New York Times.

Embora “haja uma infinidade de diferenças” entre a Ucrânia e Taiwan, “ambas as democracias em apuros ficam ao lado de potências militares muito maiores, com armas nucleares”, cujos líderes “deixaram claro que não veem seus vizinhos como estados soberanos”.

O presidente da Rússia “ofereceu todo tipo de desculpas bizarras para sua invasão da Ucrânia”, escreveu o editor do blog UkraineAlert do Atlantic Council, Peter Dickinson, em junho. Mas a realidade “arrepiante” é que ele pretende conquistar a nação e “incorporá-la a um novo império russo”.

Em um evento em Moscou naquele mês, Putin “elaborou sua visão imperial”, descrevendo o “retorno” da terra ucraniana como sendo “responsabilidade” da Rússia. Sua agenda apresenta “um desafio sem precedentes ao direito internacional e representa uma grave ameaça a todo o sistema de segurança global pós-Segunda Guerra Mundial”, segundo Dickinson.

O secretário-geral da Otan, Jens Stoltenberg, concordou. “Disputas sobre fronteiras podem levar a grandes conflitos”, alertou ele no mês passado. E se a Rússia conseguir derrotar a Ucrânia, “outros países vizinhos podem ser os próximos”.

A lista de países que “poderiam potencialmente se tornar alvos” da missão imperial de Putin é “extensa”, disse Dickinson, do Atlantic Council. “Se isso soa absurdo, lembre-se de que quase ninguém na Ucrânia acreditava que uma invasão russa era remotamente possível até que realmente acontecesse.”

FONTE: The Week

- Advertisement -

137 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

137 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
WSilva
WSilva
2 meses atrás

Faltou Índia e Paquistão, a coisa é bem feia ali também além de envolver duas potências nucleares e inimigos eternos.

Henrique C.O
Henrique C.O
Reply to  WSilva
2 meses atrás

Um conflito entre Índia e Paquistão seria péssimo para a Rússia e China pois desestabilizaria toda a Ásia, e também não há interesse dos EUA pois de certa forma são países aliados do ocidente.

Patrício
Patrício
Reply to  Henrique C.O
2 meses atrás

Índia e Paquistão aliados do Ocidente?
Isso foi há uns vinte anos, não?

WSilva
WSilva
Reply to  Henrique C.O
2 meses atrás

Aliados não, são países que transitam bem no ocidente e oriente.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  WSilva
2 meses atrás

Concordo.

Henrique C.O
Henrique C.O
2 meses atrás

O mundo nunca viveu um único dia de paz total na história da humanidade, a diferença que hoje temos uma mídia global que instiga a divisão interna em todas as nações e líderes incompetentes fazendo me### pelos quatro cantos do planeta. O único alicerce que ainda resta firme para a paz mundial é a economia globalizada, enquanto a ONU é um cadáver que já passou da hora de ser enterrado.

Francisco
Francisco
Reply to  Henrique C.O
2 meses atrás

Amigo a ONU só tem a função de cabide de emprego para derrotados políticos da esquerda mundial, é só olhar os nomes que arrumaram uma boquinha no sindicatão mundial, mas pior ainda fossem apenas sangue sugas até que passava, mas no fundo tem sido um dos principais responsáveis/avalizadores por todo os desentendimentos entre as nações, são várias agendas impositivas desse órgão (ler agenda 2030 no site da ONU) como a ambiental que no fundo só defendem interesses de grandes corporações e de meia dúzia de nações sem levar em conta inúmeros fatores, particularidades, características, etc… de cada membro do sindicatão… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Francisco
LUIZ
LUIZ
Reply to  Henrique C.O
2 meses atrás

A ONU,Ongs,entidades religiosas servem aos interesses dos EUA e Europeus. Por isso tão sendo expulsas da Rússia e países da África.

Sagaz
Sagaz
Reply to  LUIZ
2 meses atrás

“Entidades religiosas”, em parte. Algumas precedem governos e até mesmo a existência de muitas nações.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
2 meses atrás

Espero que seja depois das eleições no Brasil, quero ver um novo hospede na papuda em 2023.

Patrício
Patrício
Reply to  Nilton L Junior
2 meses atrás

Tic tac. Tic tac.
O relógio acelera e o dia 02 se aproxima.

Everton G. Barbosa
Everton G. Barbosa
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Saudações!
É inacreditável como aguentamos 4 anos de vergonhas mil.

Ivanmc
Ivanmc
Reply to  Patrício
2 meses atrás

A pois é…

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Nilton L Junior
2 meses atrás

Aquele que estava em Curitiba?

Patrício
Patrício
Reply to  Alan Santos
2 meses atrás

Em janeiro estará em Brasília.
Respeita o ‘ômi’.

Gustavo Tadeu
Gustavo Tadeu
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Melhor já ir se acostumando será o fim da petralhada

Minsc
Minsc
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Só se for em presídio

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Vocês tem todo o direito de ser esq….. n vejo problema e acho até salutar ter gente que pensa diferente.

Mas vcs precisam arrumar outro nome..este aí não dá mais…

Patrício
Patrício
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
2 meses atrás

Valeu, Padre Kelman.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Que seja… pelo menos é um nome diferente…

Quem tem apego a nomes são vocês.. o dia que o ex presidiário morrer, vocês ficarão órfãos.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Alan Santos
2 meses atrás

Estou fazendo camiseta bozo livre queres quantas.

Francisco
Francisco
Reply to  Nilton L Junior
2 meses atrás

Estás a confundir quem é o ladrão e quem defende ladrão.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Francisco
2 meses atrás

Para quem defende um genocida igual ao Putin isto é o de menos

Nickless
Nickless
2 meses atrás

“A lista de países que “poderiam potencialmente se tornar alvos” da missão imperial de Putin é “extensa”

No primeiro nuke que o comediante da russia lançar na ucrania todos seus vizinhos vão rasgar qualquer tratado de não proliferação de armas nucleares e começar seus programas, se já não estão fazendo.

Patrício
Patrício
Reply to  Nickless
2 meses atrás

O problema para a Europa não são armas nucleares, mas os graves problemas que a estão corroendo.
Por dentro
Lenta e inexoravelmente.
Daí todo o alarido vindo daquelas terras.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Qual parte que a tua mãe Rússia ” será riscada do mapa vc não entendeu?

Patrício
Patrício
Reply to  Alan Santos
2 meses atrás

A parte em que o lado inimigo perderá Paris, Londres, Bruxelas, Roma, Milão, Londres, Washington, Nova York, Lis Angeles, Tóquio e etc.
Por que vc acha que a Rússia tem muito mais armas nucleares que os inimigos?
Porque tem muitos mais alvos para acertar.
O preju será muito maior.

mago
mago
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Você esqueceu de mencionar aí Brasília, São Paulo, Buenos Aires e etc e etc e etc. Palavras do já falecido general Lebed. Todas essas cidades também estavam (e duvido que ainda não estejam) no endereço de entrega de alguns “Satan”, hoje “sarmat”. Esses “chapeus de alumínio” não tem a mínima ideia do que nos aguarda. Aliás, sabem sim, mas como toda essa direita/extrema direita, só entendem “pau na moleira”, como foi no final da llGG quando seus “heróis” nazistas foram quase todos exterminados e seu “reich de mil anos” não durou nem vinte.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Ou você acha que teu baixinho mafioso vai fazer uma cruzada contra o Ocidente e vai se dar bem ?

Patrício
Patrício
Reply to  Alan Santos
2 meses atrás

Putin só está estimulando a saudável mania européia de se matarem uns aos outros.
Já ocorreu duas vezes.

Heitor
Heitor
Reply to  Nickless
2 meses atrás

Assino embaixo, países como Cazaquistão são muitos quietos e muito ricos. O Irã falou demais, buzinou demais, por isso todos os olhos se viraram a eles. Acredito que esses países já tenham seus arsenais.

Joanderson
Joanderson
Reply to  Heitor
2 meses atrás

Cazaquistão rico ????

Heitor
Heitor
Reply to  Joanderson
2 meses atrás

Sim, são países fornecedores de gás natural também, não a toa Azerbaijão é chamado de “terra do fogo”

Patrício
Patrício
2 meses atrás

Essa é mais uma narrativa do Ocidente.
A China caminha a passos largos para a predominância em todos os setores.
A Rússia vai se posicionando no novo cenário internacional e se resguardando de qualquer eventualidade.
Enquanto isso, a Europa vai se esvaindo em uma gigantesca crise que se avoluma e os EUA vão perdendo sua hegemonia.
Apenas um exemplo.
Na foto abaixo, representantes de Donetsk, Kherson e Zaporizhizhia chegam a Moscou para assinar sua união com a Rússia.
Não parecem muito preocupados com uma 3a GM.

IMG-20220929-WA0000.jpg
Henrique C.O
Henrique C.O
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Os líderes da União Soviética também eram bem felizes no início dos anos 80 🙂

Patrício
Patrício
Reply to  Henrique C.O
2 meses atrás

Sim.
Como os Césares de Roma, os Reis franceses e agora os políticos americanos.
Potências são assim.
Aparecem e desaparecem.
Algumas demoram séculos.
Outras apenas alguns anos.
Dentro em breve, seus filhos e netos lerão nos livros de História que a predominância americana foi a mais curta de todas.
Que bom, né?

Henrique C.O
Henrique C.O
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Eu sou brasileiro, uma nação ocidental, com valores e cultura ocidental, não me importa a posição dos EUA. O que eu não quero é que o desprezo oriental pela liberdade se espalhe pelo mundo.

Moises
Moises
Reply to  Henrique C.O
2 meses atrás

O Brasil não faz parte do ocidente! Nós somos Latinos. Exemplo prático: é só ir na Europa que você vai ser chamado de Latino e não de ocidental. Não devemos seguir alinhados aos EUA, mas sim seguir pela via pragmática. Diversas em nossa história prevaleceu os interesses americanos ao nossos próprios interesses.

Underground
Underground
Reply to  Moises
2 meses atrás

Com certeza somos Orientais!

jommado
jommado
Reply to  Underground
2 meses atrás

Viemos da amazonia…

César Evaristo
César Evaristo
Reply to  Moises
2 meses atrás

Que besteira. Já morei na Europa e visitei vários países europeus. Em nenhum lugar vivi ou experimentei esse tipo de preconceito. Latino-americano foi uma expressão criada para designar os países de linguagem originada no Latim romano. Muito tempo depois, a ignorância geográfica e historiográfica de Hollywood associou a expressão a um conteúdo racial inexistente. Infelizmente, esse pensamento desprezível foi prontamente adotado por interesseiros de todas as matizes. Mas o pior foi o complexo de vira-latas decorrente.

WSilva
WSilva
Reply to  César Evaristo
2 meses atrás

O termo original foi sequestrado, houve uma distorção para a esfera racial principalmente nos EUA.

Latino hoje, na visão dos europeus e americanos, representa primariamente uma pessoa oriunda da América central/sul e não uma pessoa cujo idioma deriva do Latim, pois os idiomas romeno, francês etc derivam do Latim também, mas você nunca verá esses povos sendo chamados de Latinos.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  WSilva
2 meses atrás

Porque eles não vieram da América Latina..

Quando chamam de Latinos, não é pelo idioma.. é o encurtamento de latino-americano..

Vocês problematizam coisas que não existem..

Vai discutir pronome neutro velho..

WSilva
WSilva
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
2 meses atrás

”Porque eles não vieram da América Latina..”

O termo original(em espanhol) dava ênfase ao histórico cultural.

A distorção para ”localidade” foi promovida pelos EUA para se referir a povos da América Central/sul e mais tarde adotada por povos que se recusavam a ser chamados de hispânicos.

Considerando o termo original, nós somos latinos, mas portugueses, romenos, franceses, italianos e espanhóis também são.

Agora vá chamar um desses de Latino pra você ver… rs

O que prevalece hoje é a definição americana, e não mais a espanhola.

Vá estudar rapaz!

Francisco
Francisco
Reply to  WSilva
2 meses atrás

o inglês vem do latim.

Moises
Moises
Reply to  César Evaristo
2 meses atrás

O complexo de vira-lata seria pensar que os interesses dos países ocidentais (Anglo-saxões em sua maioria) são os nossos. O Brasil deve buscar pela via pragmática. Por conta dos interesses Americanos o nosso país viveu durante 21 anos sob uma ditadura civil-militar, etc.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Moises
2 meses atrás

Há duas discussões misturadas aí. Um é o papel geopolítico e econômico do Brasil, especialmente ao considerar o prisma sob o ponto de vista de Europa e EUA. Nesse ponto, concordo que não nos vêem como iguais. Concordo que se colocam, constantemente, em uma posição de superioridade em relação à América Latina. E, para que isso ocorra, o papel preponderante é a questão socioeconômica. Basicamente, países desenvolvidos, com melhores índices sociais e com economia mais sólida tratam países com problemas sociais e com economias emergentes de uma forma vertical. Mas há um segundo ponto que o Henrique abordou. Nossos costumes,… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Felipe Morais
Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Moises
2 meses atrás

Nenhum europeu, minimamente alfabetizado, irá lhe chamar de latino. Talvez latino-americano. E olhe que muitas vezes latino -americano no imaginário coletivo deles está mais associado a cultura caribenha ( que faz sucesso em Miami e depois reverbera na Europa.
Quem provavelmente faria essa confusão seriam os estadunidenses, que frequentemente trocam hispánico por latino como sinónimos.
Latino, è um termo genérico, muito vago que na Europa indica o mundo de língua latina. Poderia muito bem indicar a ” Europa latina”. Ou seja, Espanha, Portugal, França ( em menor grau), Itália …

Machado
Machado
Reply to  Moises
2 meses atrás

Exatamente

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Moises
2 meses atrás

Você sabe que espanhóis, romenos, portugueses e franceses e italianos são povos latinos né?

Last edited 2 meses atrás by Capa Preta
Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  Moises
2 meses atrás

Nãp confunda ocidental com europeu…

Você será chamado de latino na Europa, pq você veio de um país latino, não por que não é ocidental..

Ê pátria educadora maldita…

europeu
europeu
Reply to  Moises
2 meses atrás

Moisés
Pára de inventar coisas. Aqui na Europa ninguém usa essa expressão, até porque muitos países da Europa também são de origem latina.
Quando se usa a expressão de ocidental em termos políticos tem a ver com a democracia liberal e a cultura!

Patrício
Patrício
Reply to  Henrique C.O
2 meses atrás

Não estou nem aí para os seus valores ocidentais.
Quero o fim da fome, da pobreza, do desemprego, da falta de escolas, moradias e hospitais.
Se os seus valores ocidentais não são capazes de sanar esses problemas, que sejam substituídos.
É só isso.

Nei
Nei
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Por qual? Valores comunistas? Está de brincadeira né Patrício?

Henrique
Henrique
Reply to  Patrício
2 meses atrás

vamo trocar pelos valores russo que criam  fome, da pobreza, do desemprego, da falta de escolas, moradias e hospitais ao quadrado…

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Para substituir tem que ter algo que substitua. O que seria?

Um modelo baseado em controle social e restrição de liberdades nos ajudaria como em ser mais prósperos?

Se você não houver algo para substituir o que você crítica, você se torna um rebelde sem causa. E acho que é o caso, pois você não irá conseguir contrapor a velha máxima: “democracia é péssima, só não é pior que todas as outras formas de governo”.

Heitor
Heitor
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Substituídos pelo que? Na humanidade tivemos e temos vários valores.. sejam políticos, sociais, religiosos e nenhum deles tem interesse em sanar a fome… Se fosse assim, a humanidade já teria feito muito antes de nós existirmos. Não importa os valores, o ser humano é mau por essência.. e finalidade é sempre o dinheiro

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Então não gosta da China meeeeeesmo

Patrício
Patrício
Reply to  Velho Alfredo
2 meses atrás

Que eu saiba, chineses não passam fome, analfabetismo zero e todos têm saúde.
Ande à noite por uma rua de Pequim ou Xangai e depois por Rio ou São Paulo para ver a diferença.
Se não ficar satisfeito, ande por Nova York ou Los Angeles e veja as gordas de mendigos e desvalidos pelos valores ocidentais.
Deixa de papo furado.

jommado
jommado
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Na china os traficantes são executados e os drogados levados gentilmente para os campos de reeducação e os vagabundos não ganhan comida do estado.

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Você sabe que e nenhuma experiência socialista até hoje aplicada no mundo teve o fim de nada disso não sabe? Aliás muito pelo contrário ao tentar aplicar na marra uma planificação social,se dúvida e só perguntar para refugiados venezuelanos,cubanos e norte coreanos , ou então para os ancestrais de poloneses e demais povos do leste europeu sobre como foi.

Bosco
Bosco
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Ah sim! Você quer isso tudo mesmo. Todo mundo acredita que você é preocupado com a plebe ignara, que vocês odeiam. Povo, pra pessoas como você, é peça da engrenagem estatal. O Estado é tudo e o estado se confunde com o partido único e com o líder supremo iluminatus. Tonho, você até era capaz de enganar alguns tolos mas passou do ponto e virou uma piada. Igual a demonização do atual presidente. A oposição passou tanto do ponto que virou piada e hoje ninguém mais acredita nas acusações diuturnas feitas a ele. Erraram na mão igual a você com… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Bosco Jr
Minsc
Minsc
Reply to  Patrício
2 meses atrás

Como se na sua amada Russia não existisse isso

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Patrício
2 meses atrás

“Quero o fim da fome, da pobreza, do desemprego, da falta de escolas, moradias e hospitais.” E advinha quem tá mais próximo e tem o melhor welfare state ? Pode apostar que não são os chineses da República Popular. Que valores você queres substituir ? Cara , tu é vermelho até o miolo e todos sabemos. Nenhum problema com isso. Mas não vem contar lorota não, porque os valores que tu defendes e votas nas urnas se desenvolveram em sociedades ocidentais . Pregar a ascensão do oriente significa marginalizar ainda mais as culturas ocidentais, suas conquistas e suas crenças. Inclusive… Read more »

Machado
Machado
Reply to  Henrique C.O
2 meses atrás

Não cara. Vc não é ocidental. Se enxerga. Vc é latino americano. Que mania do brasileiro achar que faz parte do seleto clube ocidental. Nunca fomos tratados como tal e nunca seremos nesse sistema atual. A nossa única chance de se libertar e sermos verdadeiramente livres e soberanos é a ascensão de outras nações e a divisão do poder mundial como China, Rússia, Iran, Índia entre outros. É muita cegueira. Precisamos de uma nova ordem mundial com divisão de poder e não concentração de poder como é hoje.

Junior Souza
Junior Souza
Reply to  Machado
2 meses atrás

O Dia que China, Irã e Rússia se tornarem democracias eu apoio sua tese, até lá quero distância daqueles lugares, alias o Irã é um manicômio a ceu aberto não entendo como tens coragem de mencionar aquilo.

Machado
Machado
Reply to  Junior Souza
2 meses atrás

Cara seja pragmático. Esquece isso de valores ocidentais. Apenas pense de forma pragmática. O chinês, russo, indiano, iraniano, árabes em geral são todos assim. Não querem mudar o mundo e impor os valores deles. Eles querem fazer negócios apenas isso. E que o país deles seja próspero. Estão pouco se lixando pro seus valores. Apenas o que é mais vantajoso economicamente e que possa trazer benefícios. Respeita cada sociedade é diferente de outra e ponto final. São civilizações milenares. Então que se dane o modo de vida deles. Mania de querer impor sua visão de mundo aos outros.

Wellington jr
Wellington jr
Reply to  Machado
2 meses atrás

A Russia não quer impor seus valores, avisa pra Moldavia, Georgia, Cazaquistão e agora a Ucrânia, pois eles discordam da sua afirmação. China? Uma ditadura que permeia ao seu redor e até na África seus valores, sim a China tem seus valores, nenhuma nação sobrevive sem uma estrutura de valores e não se expande se não propagar seus valores. India nem se fala, alias nem serve de exemplo de ser pragmático. Irã e Arabes, deixa eu te contar teocracias árabes vivem em guerra e amam introduzir um pouco de sua cultura em outros países. Talvez você não saiba mas ser… Read more »

Cesar
Cesar
Reply to  Wellington jr
2 meses atrás

Excessão – excesso grande.

Exceção – excepcionalmente grande.

Bosco
Bosco
Reply to  Machado
2 meses atrás

Mas ele não está impondo nada. Ele apenas tem uma regra de valores e pra ele os valores ocidentais são preponderantes. Os chineses fiquem com os seus , os islâmicos idem

Moises
Moises
Reply to  Machado
2 meses atrás

É isso.

WSilva
WSilva
Reply to  Machado
2 meses atrás

Pouco, ou quase nada se falava de valores ocidentais no Brasil, isso aí é coisa nova e muita gente nem mesmo sabe o que isso significa.

Valores ocidentais décadas atrás eram democracia, capitalismo e cristianismo, mas por conta da ascenção da China e o medo dos EUA perder sua hegemonia ou até dividir poder com outros países igualmente grandes e importantes fez com que esses valores sejam usados como escudo para avançar a agenda americana, que centralizar o poder cada vez mais.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Machado
2 meses atrás

Os Russos não querem impor os valores deles?
E, em menor grau, os Chineses e os Muçulmanos?

O que acha que está a acontecer na Ucrânia, Líbano, Síria, Iraque, Iêmen, etc…?
Nunca percebi esta ideia de ditaduras inócuas e de que não tentam impor os seus valores. Basta ver os países que apoiam diretamente a Rússia e se não há algo que os une…

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Machado
2 meses atrás

dá preguiça …

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Machado
2 meses atrás

O que define a cultura ocidental são três pilares ,o direito romano,a filosofia grega e a moral judaico cristã, isso de “aaaiiin somos latinos não ocidentais ” e puro complexo de vira latas, somos latinos por decender em cultura de povos latinos europeus ( espanhóis,portugueses, romenos, italianos e franceses)

Last edited 2 meses atrás by Capa Preta
Cesar
Cesar
Reply to  Capa Preta
2 meses atrás

Em latim, descender tem S ou não tem S?

(os cara não sabe discernir descendente de decente e quer dar aula de geopolítica e filosofia. q dó.)

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Cesar
2 meses atrás

Cesar, Conheço pessoas letradas, inclusive ex-colegas, que possuem um excelente domínio da gramática. Na sala de aula, frequentemente recebiam elogios, decoravam inúmeras noções e datas históricas, mas ainda assim continuavam completamente perdidos quando os professores pediam para fazer uma leitura dos fatos, analisando causas e efeitos. Eu não me importo quando alguém questiona o meu português, pelo contrário agradeço eventuais correções, sou ciente dos meus limites. Errar é normal. Agora, tentar usar eventuais erros gramaticais para desqualificar o raciocínio do seu interlocutor, é simplesmente o último recurso de um boçal que não tem argumentos sólidos . Só um babaca se… Read more »

Cesar
Cesar
Reply to  Thiago A.
2 meses atrás

Uau, nesse nível de currículo a concorrência é muito acirrada. A falta de um S tira sua vaga no Itamaraty, não é mesmo?

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  Cesar
2 meses atrás

Não me pertence esse nível de presunção, cedo com prazer essa vaga. Quem sabe, com você ocupando esse cargo conheceremos um novo ápice na política externa brasilera, algo impensável até para o excelentíssimo Ernesto Araújo.

WSilva
WSilva
Reply to  Thiago A.
2 meses atrás

”Agora, tentar usar eventuais erros gramaticais para desqualificar o raciocínio do seu interlocutor, é simplesmente o último recurso de um boçal que não tem argumentos sólidos” Concordo com você nesse ponto, porém acho que ele quis dizer que erros juvenis fazem com que seu argumento perca impacto e credibilidade. Erros simples de digitação podemos até deixar passar, mas quando é algo escandaloso, melhor corrigir porque acredite, se a pessoa realmente não souber a diferença ou como escrever tal palavra corretamente, após a correção ela é iluminada. Claro, se for uma pessoa sábia e humilde. Já a pessoa mesquinha e ignorante… Read more »

Capa Preta
Capa Preta
Reply to  Cesar
2 meses atrás

Kkkkkk vai com calma aee patrulheiro ortográfico de caixa de comentários, tu tá muito emocionado por causa de um “S” se eu gastar minha norma culta com vc então vai ter um derrame 🤣

WSilva
WSilva
Reply to  Capa Preta
2 meses atrás

”somos latinos por decender em cultura de povos latinos europeus ( espanhóis,portugueses, romenos, italianos e franceses)”

Todos esses povos são latinos também, originalmente, mas ninguém os chama de latinos como chamam povos da América central e sul.

Geograficamente o Brasil é ocidental, mas na pratica não é.

É uma questão de pertencimento também, o Brasil não contribuiu em nada com a cultura e progresso ocidental. Os EUA, embora colonizados como nós, contribuíram muito e essa noção de pertencimento lá é muito forte, enquanto aqui no Brasil é algo muito mais forçado do que orgânico.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  WSilva
2 meses atrás

Qual foi o grande contributo australiano? Canadense ?

Me poupem.

LINGUA- neolatina
Localização geográfica- Hemisfério Ocidental
Sistema jurídico- Romano-germânico
Regime- democrático
Religião – Cristianismo
….

Os EUA, a RPC e o capeta podem manipular e politizar o conceito como quiserem, nada disso mudará o nosso percurso histórico .

WSilva
WSilva
Reply to  Thiago A.
2 meses atrás

”Qual foi o grande contributo australiano? Canadense ?” Quase nenhuma contribuição, mas estão intimamente conectados culturalmente com os dois países lideres do chamado ocidente nos últimos 200 anos, Inglaterra e EUA. Eles compartilham entre si tudo isso que você descreveu acima, além do idioma e outras coisas distantes para nós. Como disse acima, senso de pertencimento é importante. Vejo que internamente os americanos e europeus não nos consideram ocidentais, mas de vez em quando nos iludem com essa questão para que sacrifiquemos nossos interesses em prol de algo ”maior”, e muito tolo foi enganado justamente pela falta de identidade e… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  WSilva
2 meses atrás

Mas aí você está fazendo exatamente o jogo deles, entregando para eles a chave de quem entra ou não na definição de ocidental, definições e limites traçados por autores, na maioria das vezes, anglofonos. Você deixa a sua identidade ser definida apenas pela percepção alheia ou reivindica para si esse direito ?

Eu aceito muito bem ficar de fora do conceito Ocidente político liderado pelos EUA, mas não posso aceitar a mutilação cultural e histórica do Brasil.

Last edited 2 meses atrás by Thiago A.
WSilva
WSilva
Reply to  Thiago A.
2 meses atrás

Acontece que somos um estranho no ninho até mesmo para aqueles que deveriam nos acolher, tais como portugueses, espanhóis, romenos, italianos e franceses.

Isso acontece até mesmo entre eles, a turma anglo-saxã se considera superior a turma latina da Europa, imagine em relação a turma latina da América central/sul? rs

Mesmo assim, existem mais coisas que os aproximam do que coisas que nos aproximam deles.

Underground
Underground
Reply to  Machado
2 meses atrás

Sim, ele é. Você também.

Henrique
Henrique
Reply to  Patrício
2 meses atrás

A Rússia vai se posicionando no novo cenário internacional e se resguardando de qualquer eventualidade.

Fonte: delírios

Marco Venâncio
Marco Venâncio
2 meses atrás

Se essa 3ª Guerra Mundial realmente ocorrer peço encarecidamente que se inicie antes do ano virar.

Estou cheio de dívidas que irão começar a ser cobradas em 2023 e, embora tenha como pagá-las, eu não quero.

Então por favor Sr. Bidê e Sr. Putinho, comecem ela com urgência.

Décio
Décio
Reply to  Marco Venâncio
2 meses atrás

Piada besta. Ô gente mais sem graça essa.

leonidas
leonidas
2 meses atrás

E cansativo mas necessário repassar. A situação chegou a este ponto devido a um erro absurdo do Depto de Estado Norte Americano em relação a China e a contenção do expansionismo chinês. Os americanos são especializados em fazer merda mundo afora com suas intervenções. Eles agem quando deveriam ficar na deles e ficam na deles quando deveriam agir. Em Ruanda em 1994 assistiram o genocídio em pleno mundo pos guerra de + de 800 mil ruandeses e ninguém (nem ONU ou Otan) interviu. O presidente Clinton na época ficou em uma situação delicada depois do fiasco na Somália com imagens… Read more »

Last edited 2 meses atrás by leonidas
Fabricio Lustosa
Reply to  leonidas
2 meses atrás

Parabéns pelo texto. Só faço uma ponderação: “(…) assistiram o genocídio (…)” Nenhuma, frise-se, nenhuma intervenção militar do EUA na realidade teve como foco principal ajuda humanitária. Na Somália a ação dos EUA – como acontece nesse exato momento, na Somália mesmo, em que tropas especiais americanas estão combatendo por lá – teve objetivos políticos sobretudo e depois veio, sempre, o lobby do complexo industrial militar dos EUA que manda em vários aspectos na política externa desse país como atestou um presidente americano, militar ironicamente, chamado Dwight Eisenhower. Acerca das “intervenções” (o certo: invasões) dos EUA nos outros países citados,… Read more »

Ed Sanches
Reply to  leonidas
2 meses atrás

Nada a acrescentqar. Perfeito comentário.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Sim.E adianto que após o hecatombe o Brasil vai perder a oportunidade de mandar no mundo.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Olhando para várias regiões do país acho que já seria bom se o Brasil conseguir mandar em seu próprio território.

André Sávio Craveiro Bueno
André Sávio Craveiro Bueno
Reply to  Renato de Mello Machado
2 meses atrás

Não haverá mundo para ser mandado.

Tallguiese
Tallguiese
2 meses atrás

Cara que paranóia doida, pra que a Rússia vai devastar uma terra que ela quer conquistar? Um terreno assim não serva pra mais nada! Mas tudo bem se as tropas russas saírem as pressas da Ucrânia aí até eu posso começar a acreditar nisso. Porque o cara não vai jogar bombas nas suas próprias tropas né? Ou vai? Sei lá, o gasoduto já era mas também já estava nos planos dele. Acho que vou fazer compras….

Zezão
Zezão
2 meses atrás

Não vai ter guerra nuclear porque os ucranianos não são burros, irão agir pra que Putin seja derrotado sem que ele consiga justificar o uso de armas nucleares…

Oras, o exército ucraniano sabe que não precisa reconquistar um centímetro dos territórios ocupados, basta que consigam inflingir milhares de perdas humanas aos russos que estão sendo forçados a lutarem na Ucrânia. Putin não tem como justificar esse conflito ao olhos da população russa, conseguiu manter essa guerra porque até agora quem morria eram soldados voluntários, daqui pra frente a história é outra.

Patrício
Patrício
Reply to  Zezão
2 meses atrás

Pois então, a Ucrânia tem um sério problema.
Os russos têm pouquíssima gente, até então, na Ucrânia e vem baseando sua atuação na utilização maciça de artilharia para infringir perdas ao inimigo.
Por que ninguém falou em baixas russas em Kharkov?
Simples. Porque não havia quase soldados lá.
Por outro lado, as perdas ucranianas são enormes.
Ela está atuando assim.
Mandando soldados como bucha de canhão.
Até quando vão aguentar e agora com os russos mandando mais 300 mil soldados, veremos o que vai acontecer

Maurício.
Maurício.
2 meses atrás

Quando a Turquia abateu o Su-24 da Rússia, tinha um pessoal já imaginando uma terceira guerra mundial, isso já vai fazer 7 anos, e até agora nada de terceira guerra mundial. Tem um pessoal que gosta de ver terceira guerra mundial em tudo, é DEFCON prá lá, DEFCON prá cá… Viram também, na Criméia em 2014, viram na Líbia e Síria em 2011, alguns viram até na suposta invasão americana na Venezuela lá por 2019, no fim, é só blá blá blá mesmo, não passam de cortinas de fumaça.

André Sávio Craveiro Bueno
André Sávio Craveiro Bueno
Reply to  Maurício.
2 meses atrás

Prezado Maurício, foi uma situação bem diferente da atual e os canais diplomáticos funcionaram.

Maurício.
Maurício.
Reply to  André Sávio Craveiro Bueno
2 meses atrás

André, claro que a atual situação é muito mais complicada e perigosa, mas tivemos mais de quatro décadas de guerra fria e nada de mais sério aconteceu, claro, tanto EUA como URSS usaram seus peões em guerras de procuração, mas não passou disso. Claro, eu não coloco a mão no fogo pelo Putin, mas ele não seria tão louco de usar nukes na Ucrânia, assim espero.

André Sávio Craveiro Bueno
André Sávio Craveiro Bueno
Reply to  Maurício.
2 meses atrás

Sim, é verdade. Talvez nessas quatro décadas os “responsáveis”, civis e militares, fossem menos estúpidos. Sobre o Putin usar armas nucleares na Ucrânia, a Rússia perderia muito. Também espero que não seja louco.

Victor Filipe
Victor Filipe
2 meses atrás

O fato de que nos últimos vocês fizeram oque? umas 3/4 matérias com o mesmo tema já indica bastante se estamos ou não próximos da terceira guerra mundial.

Cesar
Cesar
Reply to  Victor Filipe
2 meses atrás

Três quartos de matéria?

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Cesar
2 meses atrás

quis dizer 3 ou 4 não saiu como eu queria

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
2 meses atrás

Todo mundo fala de uma guerra nuclear de Rússia X OTAN ou China X EUA, ou CN X EUA, mas acho que a maior probabilidade de guerra nuclear vem de Índia X Paquistão. São esses dois que realmente tem possibilidade de uma briga virar uma guerra nuclear “local”.

No mais, eu apostaria que, caso o Putin realmente cogite usar nukes contra a Ucrânia, seus próprios militares o tiram do poder, pois sabem que é eles que eetarão na linha de frente nessa sandice.

Gilson Elano
Gilson Elano
2 meses atrás

Fico aqui, observando, as estratégias dos grandes estrategistas mundiais e cheguei a conclusão que alguns desses estrategistas são burros ao quadrado. É o caso da Rússia, uma potência nuclear, que tá levando uns chutes na bund@, de um país não nuclear. Esses chutes, misturados com incompetência militar, levam o assaltante, que ocupa o Kremlin a esbravejar ameaças, citando seu armamento nuclear. Essas ameaças vão levar aos países próximos a mergulhar em de cabeça na OTAN, pois eles estão entendendo que vão necessitar de um guarda chuvas nuclear, também, várias populações que detestam os russos, vão passar a odiá-los. Os militares… Read more »

Décio
Décio
Reply to  Gilson Elano
2 meses atrás

Essa é a sua análise? Que simplória. A coisa funciona assim: os EUA sabem que a ascensão da Ásia é inevitável e sua perda de poder inexorável. Então, pra garantir o máximo de domínio possível nesse novo mundo, eles provocam a Rússia de um modo que sabem que ela não terá como não responder e iniciará uma guerra que enfraquecerá a Europa economicamente deixando-a ainda mais dependente da economia norte-americana. Basicamente, estão tornando a Europa continental uma colônia. O Brexit foi uma saída estratégica de um país anglo-saxão dessa jogada, porque todo empreendimento de grande porte como esse precisa de… Read more »

Gilson Elano
Gilson Elano
Reply to  Décio
2 meses atrás

É sério que você pensa assim?
Tudo esse raciocínio, pra não reconhecer que a Rússia estar praticando um assalto a mão armada contra a Ucrânia!

naval762
naval762
2 meses atrás

Tenho uma impressão muito forte de que estamos sendo empurrados em direção a um novo conflito mundial.

Marcelo
Marcelo
2 meses atrás

A Rússia bate no peito e diz que vai usar uma arma nuclear tática (alguns quiloton) na Ucrânia. Então surgem algumas perguntas na minha mente: 1) Onde ele vai lançar esse artefato nuclear? Sobre Kiev, matando milhões (genocídio)? Sobre o campo de batalha, matando soldados ucranianos e russos (contaminação nuclear)? Na alta atmosfera, causando um pulso eletromagnético e deixando ao sabor dos ventos a direção da nuvem radioativa, que pode ir na direção dos países da OTAN (estupidez) ou na direção da propria Rússia (burrice). Ainda que não ocorra uma retaliação nuclear (possível), a opção nuclear da Rússia está recheada… Read more »

Nickless
Nickless
Reply to  Marcelo
2 meses atrás

Pelo histórico de guerras da Rússia ou união soviética, nunca se importaram com soldados ou equipamentos. se o comediante russo lançar mesmo um nuke acredito que será na frente de batalha.

Claudio QUADROS
Claudio QUADROS
2 meses atrás

Acaba tudo isso só eliminar puti com bala tudo volta normal tem por limiter nesse louco .

Machado
Machado
Reply to  Claudio QUADROS
2 meses atrás

O problema do mundo é o EUA. Mete uma bomba nuclear em Washington e o mundo vai ficar em paz

Patrício
Patrício
Reply to  Claudio QUADROS
2 meses atrás

Pior que botaram uma na cabeça do Kennedy e não adiantou muito.
Só agora, 60 anos depois, que os americanos enviaram no caminho para o brejo.

Patrício
Patrício
Reply to  Patrício
2 meses atrás

enviaram = embicaram

Allan Lemos
Allan Lemos
2 meses atrás

Está ai a nossa chance de fazer parte do clube nuclear.

Machado
Machado
Reply to  Allan Lemos
2 meses atrás

Se tivéssemos a bomba nuclear seríamos respeitados no tabuleiro geopolítico. Teríamos força e voz. É a única arma que realmente as potências temem. Veja o anão que é Coréia do norte mas o EUA todo poderoso não tem culhão de invadir. Só ameaçam e fazem sanções. A bomba nuclear trás soberania e independência de verdade. Claro que teremos um preço a pagar mas será temporário. As nações não teriam coragem de nós sancionar pois precisam mais de nós do nós deles. Foi o que aconteceu com Índia e Paquistão

Hcosta
Hcosta
Reply to  Machado
2 meses atrás

E a Coreia do Norte não tem sanções…

Nenekin
Nenekin
2 meses atrás

Palestina como fica? la as leis ja são violadas muito tempo.

Digo
Digo
2 meses atrás

Depois que eu descobri que os efeitos do “inverno nuclear” são exagerados eu passei a ficar mais tranquilo quanto ao futuro da humanidade se acontecer uma guerra nuclear(Não que eu queira que ocorra). Dificilmente a civilização colapsaria, porém, claro que o custo humano em vidas seria muito alto e deve tentar ser evitado ao máximo.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
2 meses atrás

Como esta escrito no texto, a paz era possivel pois as potencias respeitavam suas esferas de influencia, com o fim da guerra fria a OTAN e os EUA se aproveitaram do caos e expandiram suas fronteiras para perto da Russia. Vizinhos de muro, armados e que se odeiam, não da em boa coisa nunca. Talvez, se os antigos estados soviéticos tivessem ficado neutros as coisas fossem diferentes.
Obs. Ficar neutro, não significa ficar indefeso ou fraco, A Suecia, Finlandia e ate a Ucrânia com ajuda mostram isso.

Heinz
Heinz
2 meses atrás

Notícias recentes do front.
Os russos estão conseguindo avançar em Bakmut, batalhas intensas estão se desenrolando naquela área.
No setor de Lyman, os ucranianos estão avançando e estão próximos de fechar a última estrada que os russos podem recuar, se os russos não recuarem poderão ficar cercados num caldeirão, cerca de 7 mil russos.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Heinz
2 meses atrás

A Inteligência Britânica disse que “a Russia tenta avançar sobre Bakhmut, no oblast de Donetsk, apesar da pressão da Ucrânia nos flancos norte/sul.” Tentar e diferente de conseguir.
https://euromaidanpress.com/2022/09/28/russia-keeps-trying-to-advance-on-donetsks-bakhmut-despite-ukraines-pressure-on-flanks-in-north-south-british-intel/

Máximo
Máximo
2 meses atrás

Se vai ter terceira guerra? Pelo jeito que as coisas estão indo..

Senhores, foi um prazer discutir temas militares com vocês desde 98!!

Nestes anos todos, apesar do meu time não ser campeão mundial até hoje, pelo menos o Brasil teve a 5 estrela!

Abraço a todos!! 🙂

Zé lesqui
Zé lesqui
2 meses atrás

Tá, deixa vê se entendi: segundo analistas, então, a culpa é da Ucrânia por estar causando baixas aos invasores, caso putin resolva lançar os nukes?

Luciano
Luciano
2 meses atrás

A Rússia tem a tríade nuclear superior à otan em meios mais modernos e em maior quantidade, aliado ao sistema anti missil modernizado, venceria um confronto nuclear, por isso a otan não enfrenta diretamente a Rússia.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Luciano
2 meses atrás

Fonte, por favor.

Marcelo
Marcelo
2 meses atrás

A cidade de Lyman está cercada pelo ucranianos e vai cair em breve. Segue a contra ofensiva ucraniana. Putin gritou truco e a Ucrania, olhou para Putin e disse seis, marreco.
https://www.ft.com/content/5e7946da-8f98-4e10-acb6-693e9b962f06

Last edited 2 meses atrás by Marcelo
mago
mago
2 meses atrás

Não consegui ler duas linhas…! Deixa pra lá!

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
2 meses atrás

Se Putin quer a Ucrânia de volta, por quê iria atacá-la com armas nucleares? Ele vai continuar a matar o carrapato na unha, mesmo porque a unha não é dele se o carrapato for muito aguerrido e couraçado. Ditador é assim: se não mata, manda morrer. Desde que a bomba foi criada, disse alguém muito inteligente, a humanidade vive sob sursis, adiando o inevitável. Seremos, homens do vinte e um (digitais, financeirizados, maliciosos e quase transhumanos de tão desumanos), tão tolos pra precipitar o que gente de meados do vinte evitou? Bom, ideologia emburrece…

Décio
Décio
Reply to  Alex Barreto Cypriano
2 meses atrás

Segundo as pesquisas mais recentes, a ideologia de direita emburrece de forma mais rápida e definitiva.

Mentira, o que as pesquisas indicam é que as pessoas que já são naturalmente burras tendem a se identificar com a rigidez e esquemática simplista das proposições de direita. Mas a sabedoria popular tem aquela coisa do diga-me com quem andas e tal…

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Décio
2 meses atrás

Qualquer ideologia emburrece quando ela perde a pedra de toque da realidade e começa girar em torno de si mesma e das suas abstrações – Chauí abandonou a inteligência ao se tornar a ideóloga de Lula, Carvalho o de Bolsonaro, Bannon o de Trump, Dugin o de Putin, FHC o de si mesmo, etc. Daí se vê que a capacidade de fazer abstrações não é sempre sinal de inteligência mas de algo essencialmente sinistro: a manipulação magistral de palavras ao arrepio da mais singela consciência dos laços entre palavras e coisas. A propósito, não existem pessoas naturalmente burras, mas pessoas… Read more »

Last edited 2 meses atrás by Alex Barreto Cypriano
Marcelo
Marcelo
2 meses atrás

Saiu hoje no The Guardian – “As forças ucranianas conquistaram toda Kupiansk e expulsaram as tropas russas de suas posições restantes na margem leste do rio que divide a cidade no nordeste da Ucrânia. A maior parte de Kupiansk, um entroncamento ferroviário estratégico, foi recapturada no início deste mês como parte de uma contra-ofensiva das tropas ucranianas. A AFP informou que as tropas russas que resistiram na margem leste do rio Oskil foram expulsas.”
https://www.theguardian.com/world/2022/sep/30/russia-ukraine-war-latest-what-we-know-on-day-219-of-the-invasion

Marcelo
Marcelo
2 meses atrás

A vila de Kupiansk/Vuzlovy, na região de Kharkiv está libertada. Uma das maiores estações ferroviárias do leste está localizada lá. Os ucranianos matam a cobra russa e mostram a cobra morta. Segue a contra ofensiva ucraniana…
https://www.19fortyfive.com/2022/09/watch-russian-ammunition-depot-in-kharkiv-destroyed-by-himars/

Screenshot_20220930-115927_Chrome.jpg
Marcelo
Marcelo
2 meses atrás

Os mísseis GMRLS dos Himars ucranianos transformaram em sucata de metal retorcido um depósito de munições russas em Kupyansk.
https://www.19fortyfive.com/2022/09/watch-russian-ammunition-depot-in-kharkiv-destroyed-by-himars/

Últimas Notícias

Rússia rejeita condições de Biden para conversa com Putin sobre a Ucrânia

O presidente dos EUA disse que conversaria com Putin se ele estivesse disposto a encerrar a invasão em solo...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -