domingo, dezembro 4, 2022

Saab RBS 70NG

Exército Brasileiro divulga a ‘short-list’ do processo de aquisição da Viatura Blindada de Cavalaria Média Sobre Rodas

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

ANÁLISE DAS PROPOSTAS FASE 1B

NOTIFICAÇÃO

O Exército Brasileiro, por meio do Comando Logístico (COLOG)/Diretoria de Material (DMat),informa que, em cumprimento ao previsto no item 7.1 Cronograma de Eventos, página 10/24 do Request for Proposal (RFP) – COLOG nº 01/2022, de 20 de julho de 2022, encerrou em 07 de outubro de 2022 o período previsto para análise inicial das propostas das empresas participantes do processo de aquisição da Viatura Blindada de Cavalaria Média Sobre Rodas (VBC Cav – MSR 8×8).

Fruto do exposto, não há empresas a serem notificadas por desclassificação na “Fase 1B”.

Informa, ainda, que a short-list prevista no RFP é composta pelas seguintes empresas, não listadas em ordem classificatória e com as respectivas datas de convocação para a primeira sessão da Etapa de Negociação:

  • Empresa 1 – GDLS-C – 1ª Sessão de Negociação: 11 OUT 22 (terça-feira);
GDELS LAW 700
  • Empresa 3 – CIO – 1ª Sessão de Negociação: 12 OUT 22 (quarta-feira); e
Iveco – Oto Melara Centauro II
  • Empresa 5 – NORINCO – 1ª Sessão de Negociação: 13 OUT 22 (quinta-feira).
Norinco ST-1

As sessões de negociação ocorrerão nas dependências do COLOG/D Mat, QGEx, no primeiro piso do Bloco C, Brasília-DF, com período disponibilizado para cada sessão entre 0900h e 1200h, horário local. Há a possibilidade de condução simultânea por videoconferência, devendo a empresa informar o interesse através do e-mail de comunicação oficial do processo.

- Advertisement -

155 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

155 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Sagaz
Sagaz
1 mês atrás

Tanque chinês!? Sério?

NEMO revoltado
NEMO revoltado
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Calma, vamos ouvir primeiro a proposta. Pode ser interessante.

Underground
Underground
Reply to  NEMO revoltado
1 mês atrás

A FAB já teve experiência muito boa com helicópteros russos.
Aliás, as FFAA brasileiras já tiveram várias experiências com equipamentos vindos do Leste europeu, naqueles acordos que um lado leva grana e outro leva outra coisa. Esse lado normalmente é o brasileiro.

Tadeu
Tadeu
Reply to  Underground
1 mês atrás

A FAB não teve boa experiência com os helis russos.

Sagaz
Sagaz
Reply to  Underground
1 mês atrás

Na administração passada com certeza houve muito do “um leva uma coisa e o outro outra coisa”

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Em todas as administrações, meu caro, em todas.
Só não vê quem é apaixonado pelo seu político de estimação.

Gerson Carvalho
Gerson Carvalho
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Pelo menos a administração passada investiu muito em material bélico, tanques, aviões, submarinos, etc…

Alexandre
Alexandre
Reply to  Gerson Carvalho
1 mês atrás

Negativo. Muitos programas foram deslanchados em administrações passadas, mas pouco dinheiro foi investido: Programa F-X – cancelado em 2002 (como Programa F-X1) e retomado em 2006 (como F-X2), protelado ano após ano, com a seleção (do Gripen E/F) ocorrendo em 2013, contrato fechado em 2014, entrando em vigor em 2015). Primeiros recursos (US$ 815 milhões para down payment e US$ 254 milhões para o primeiro lote de armas) sendo liberado somente em 2016, no governo Temer. Parcelas do financiamento liberadas no atual governo, que também autorizou a compra de mais 4 aeronaves para o primeiro lote e o início das… Read more »

CMM
CMM
Reply to  Alexandre
8 dias atrás

Deu uma aula um verdadeiro show, valeu, acho que o melancia de plantão agora vai pensar 1000 vezes antes de postar suas besteiras, kkkkkk

bruno
bruno
Reply to  Gerson Carvalho
1 mês atrás

E essa administração investe muito em pessoal (gasto), sucateando as forças armadas. Veja a Marinha por exemplo.

Nonato
Nonato
Reply to  bruno
13 dias atrás

Assina: discipulo de Maduro posando de preocupado com as forças armadas brasileiras.
Disfarça bem…

Nonato
Nonato
Reply to  EduardoSP
13 dias atrás

Estimação você fala do mensalão e do petrolao que quer voltar?

Jesus Baccaro
Jesus Baccaro
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Imagina que os milicos não estão “nessa”, nessa “administração”.
Nossos patos gordos nunca abriram mão de uma boa mamata.

Nonato
Nonato
Reply to  Jesus Baccaro
13 dias atrás

Assina: defensor das forças armadas, ofendendo militares.
Maduro agradece sua atuação, companheiro.
Fazendo um ótimo trabalho.

Tutor
Tutor
Reply to  Underground
1 mês atrás

Tão boa, que desativou todos kkkkk

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Se for bem mais barato, tá valendo.
É só para treinar e fazer figuração.

Rafael
Rafael
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Nem para desfile vai precisar mais.

Anderson
Anderson
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Igual os T-72 pula pirata que não deixar chance para os tripulantes, é mais barato por um motivo.

MARS
MARS
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Jamais subestime a estupidez do ser humano!!!

India-Mike
India-Mike
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

A trilogia parece gostar bastante do produto da Norinco. Na maioria das matérias publicadas aqui sobre a concorrência a imagem de capa é dele…

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  India-Mike
1 mês atrás

É o melhor dos três. O Brasil não comprou o F35 porque era muito caro e não tinha ToT, vai querer comprar agora blindado top de linha italiano pica das galáxias pra quê? O Norinco é moderno, barato, fácil de repor, e manter, o q precisa mais?

MMerlin
MMerlin
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Moderno, fácil de repor e manter?
Se até mesmo especialistas da área estão tento dificuldades para conseguir informações básicas (públicas) sobre o veículo (que já estão disponíveis à anos dos demais) para fazer uma análise imparcial, como é possível afirmar esse três pontos?

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Vc me lembra eu mesmo há um tempo atrás, crítico ferrenho de produtos chineses, hoje mudei completamente, eles fazem produtos excepcionais, só que não chegam ao Brasil, o brasileiro só compra porcaria de 1,99. A China já chegou à Lua e à Marte. O Norinco é o melhor custo-benefício, se não tiver jabá ($$$$), o veículo chinês leva fácil.

Last edited 1 mês atrás by Carlos Crispim
H.Saito
H.Saito
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Vejamos se o presidente bidê vai gostar…

Daniel Noronha
Daniel Noronha
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Todo processo de compras tem que ter 3 orçamentos no mínimo.

Marcos Alexandre Queiroz
Marcos Alexandre Queiroz
Reply to  Sagaz
1 mês atrás

Calma com viés ideológicao. Ideologia e compra de equipamentos seja de que tipo for, militar ou não, só leva ao engano .
Ideologia cada um tem a sua, mas em uma avaliação desse tipo só atrapalha.

Teropode
1 mês atrás

Centauro .

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Teropode
1 mês atrás

papagaio só repete o que ouve.

Grifon
Grifon
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

A IVECO já tem uma infraestrutura muito boa aqui no Brasil, tem uma fábrica industrial bélica montada e consolidada no nosso país, inclusive a fábrica completa dos nossos Guarani 6×6, então a proposta do Centauro é excelente para os interesses do Brasil e do nosso EB. Com o Centauro II, a logística que é de suma importância, será meio caminho andado com tota a infraestrutura da IVECO que nós já temos aqui no Brasil. Portanto, o Centauro II é sim o mais cotado e o mais provável de ser aprovado no próximo mês. Graças à logística da IVECO que nós… Read more »

Tomcat4,4
Reply to  Grifon
1 mês atrás

E com base na estrutura que já se tem da IDV ,creio que o Centauro II já pode ser montado aqui em processo CKD (ou demande poucas modificações/adaptações), diferente dos outros concorrentes que terão que começar ,basicamente , do zero as suas estruturas . E, no caso o puro sangue caça tanques é o Centauro, tanto o I como o II .

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Tomcat4,4
1 mês atrás

E por 98 unidades, creio que as outras não iriam querer investir em algo aqui.
Já a Iveco, já tem em sete Lagoas a planta industrial prontinha pra receber eles

mac
mac
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Principalmente se o Exército levar a sério essa história de modernizar os Leo 1A5 com a mesma torre do Centauro. Simplificaria bastante a manutenção e logística dos blindados de esteiras e com rodas.

Caerthal
Caerthal
Reply to  mac
1 mês atrás

Parece ser um argumento de peso.

Ostrogodo
Ostrogodo
1 mês atrás

Empresa 1, 3 e 5… quais eram as 2 e 4?

BK117
BK117
Reply to  Ostrogodo
1 mês atrás

Elbit (Eitan) e Tata (Kestrel), não necessariamente nessa ordem.

Last edited 1 mês atrás by BK117
Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Ostrogodo
1 mês atrás

é só pesquisar, já teve matéria aqui, basta procurar.

Ostrogodo
Ostrogodo
Reply to  Carlos Crispim
1 mês atrás

Calma, tigresa

Augusto
Augusto
1 mês atrás

Nunca vi o Exército correr tanto para fechar certame. Pode ser para assegurar a compra, por cautela, antes do incerto resultado das eleições.

Marcos
Marcos
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Isso não é verdade. O Exército está correndo para não atrasar os outros programas (modernização do EE-9 Cascavel, Leopard 1A5, aquisição de 78 IFVs e 65 VBC CC) O Exército vai padronizar grande parte dos equipamentos eletrônicos de seus blindados. Quem leu os requisitos técnicos/operacionais sabe do que estou falando. Inclusive o programa VBC CAV sofreu um atraso monstruoso agora em 2022. A escolha era pra ter sido feita bem no início do ano, com as duas primeiras viaturas do lote de testes chegando no Brasil por volta de agosto e desfilando no Bicentenário. Agora as duas primeiras viaturas vão… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Marcos
Marcos
Marcos
Reply to  Marcos
1 mês atrás

A rapidez no programa é justamente para que a modernização de outros blindados seja feito de acordo com os equipamentos embarcados nestas novas viaturas.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Chegar pra desfilar? Bem Brasil mesmo, come sardinha mas arrota caviar.

Grifon
Grifon
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Faz sentido Marcos, mas veja que no tocante às eleições, se o candidato vermelho ganhar, aí é bem provável que venha o Norinco, mas se mantivermos o atual governo, aí quem virá será o Centauro II.

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Grifon
1 mês atrás

No governo do candidato vermelho foi fechado o contrato de compra do Guarani junto à Iveco.
Então não tem nada de bem provável que feche com a Norinco. É só preconceito infundado mesmo.

GuGS
GuGS
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Absolutamente nada com as eleições, isso é delírio.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  GuGS
1 mês atrás

Não é tão absurdo assim não…num eventual governo do molusco ganha quem pagar mais propina por fora e não o que o EB deseja, a pressa pode ser medo disso acontecer..

Francisco
Francisco
Reply to  Augusto
1 mês atrás

Caro Augusto, não acredito que seja pressa, basta ver o tempo decorrido desde o inicio desse processo até essa etapa, até porque não podemos esquecer que contrato assinado não é garantia de conclusão do negócio, mesmo estando sujeito as consequência caso o mesmo seja rompido por algum lado, o melhor exemplo recente de contrato não cumprido é o caso da Austrália e a França com os submarinos.

Matheus
Matheus
1 mês atrás

Se a China oferecer algo além do ST-1, pode ser interessante.
Tipo o tanque leve Type-15 ou até mesmo baterias anti-aéreas como o FK-3.

comment image
comment image

Marcos
Marcos
Reply to  Matheus
1 mês atrás

EB precisa é de 200 ZBD-04A

Precisamos substituir os M113, que vergonhosamente são utilizados como IFV pelo Exército Brasileiro.

ZBD.jpg
Matheus
Matheus
Reply to  Marcos
1 mês atrás

IFV(Infantry Fighting Vechile) = Veiculo de Combate de Infantaria.

Os M113 do EB NÃO são usados como IFV’s, mas transporte de tropas.

sub urbano
sub urbano
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Na pratica fariam ambos os papeis já que o Brasil não possui nenhum IFV. Faria o transporte de tropas e apoiaria a infantaria a nivel tatico com suas metralhadoras .50.

Marcos
Marcos
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Os M113 estão alocados nos RCC

Doutrinarmente são utilizados como IFV para acompanhar os nossos Leopards 1A5. Mal conseguem acompanhar, os Leo’s precisam diminuir a velocidade. É uma verdadeira vergonha.

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Se o Brasil for de Centauro daria para aproveitar a consolidação da parceria com a Iveco para dar uma olhada no Dardo.

Porém, acredito que o correto seria o EB fazer um programa novo para fechar essa lacuna. A depender do orçamento os Marders de segunda mão da Alemanha seriam uma opção.

Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius
Bardini
Bardini
Reply to  Bruno Vinícius
1 mês atrás

A Itália tem um processo de substituição dos Dardo acontecendo neste momento. A princípio, a coisa toda está entre Lynx KF41 ou uma solução nacional.

cipinha
cipinha
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Como estão sendo desenvolvidas as negociações para o futuro Carro de Combate do EB, provavelmente será baseado em um veiculo multifunção e é dai que deve vir o IFV e os substitutos dos M113

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Nossas forças armadas têm preconceito contra equipamentos militares não-ocidentais.

Andre
Andre
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

O mi35 e os iglas estão ai para mostrar que não…

Afonso
Afonso
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Não é preconceito, é questão de logística, visto que as FFAA BR utiliza o padrão OTAN de equipamentos. Até os MI-35 da FAB, tiveram que mudar o sistema de comunicação, pq era diferente do utilizado por aqui

paulop
paulop
Reply to  Matheus
1 mês atrás

O interessante dos materiais chineses, talvez, resida no preço. De toda a forma a aquisição de algum material chinês seria muito interessante para estreitar as relações comerciais com a China. Esse tanque chinês cairia bem heim. Mas pra blindado SR meu voto é no Centauro.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  paulop
1 mês atrás

Concordo com a premissa, mas rejeito a conclusão, o Norinco é o melhor para o Brasil no momento.

Grifon
Grifon
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Prefiro que a nossa Avibras fabrique o nosso sistema de defesa antiaérea de médio alcance, ou que o Brasil opte pelo ”Spyder RAFAEL” israelense, que é um ótimo sistema.

paulop
paulop
1 mês atrás

Que comecem as torcidas. São bons veículos. Porém, mantém o padrão doutrinário lá dos tempos do Vietnã. Esse talvez seja um dos grandes erros do EB: evoluir material e manter a doutrina antiga. Para a cavalaria mecanizada, a meu ver, esses veículos deveriam fazer a função de reserva de fogo: o foco deveria ser nos Guarani com uma torre+optrônicos+canhão 30mm, junto dos LMV Lince com metralhadoras e sistemas de localização e visualização de alvos, tropas e objetos, ambos fazendo uma dobradinha, transporando os exploradores e ampliando a consciência tática do campo de batalha. Soma isso a um SARP Cat 0… Read more »

Juarez Martinez de Castro
Juarez Martinez de Castro
Reply to  paulop
1 mês atrás

Penso da mesma forma, mas ….

Marcos
Marcos
1 mês atrás

A Itália ofereceu até agora a montagem da torre em regime CKD + fabricação da munição no Brasil (fabricar a munição no Brasil é parte obrigatório do acordo offset)

Confesso que estou tentado pela oferta chinesa. É o único blindado anfíbio das propostas. O grande problema é que escolher a oferta da Norinco é matar qualquer possibilidade do Guarani na Argentina ou países vizinhos.

A China vai usar o Brasil como vitrine, não tenham dúvidas quanto a isso.



Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Pra mim, a escolha do material chinês passaria uma importantíssima mensagem de que negociamos com todos, basta apresentar a melhor proposta. Mas só sentiria segurança se houvesse um bom contrato garantindo a manutenção 100% nacional, além das munições a serem utilizadas tbm produzidas aqui. Isso, somado a um preço bem camarada, em relação aos caríssimos Centauros, me faria olhar com bons olhos pra escolha. De toda forma, ainda fico com o pé atrás com o canhão 105mm. Não vejo pq não evoluirmos para o 120 mm. Portanto, torcida pelo Centauro, embora não faça ideia como irão pagar por esse veículo,… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Também estou torcendo pelo canhão de 120mm, mas tenho a impressão que o EB vai optar pelo de 105mm. Armamento muito potente nunca foi a prioridade das nossas forças armadas, é só ver como as Tamandarés serão mal armadas.

Tomcat4,4
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Os canhões de 105mm atuais são bem mais poderosos que os antigos(claro q sempre serão menos capazes que os de 120mm). No caso do veículo chinês, a questão do VN-1 que deu pau na Argentina, e já estão todos operacionais(conforme resposta do sr Bastos ) o veículo é de duas gerações anteriores ao que está sendo oferecido ao EB, fico curioso sobre o que poderia sair dessa possível compra e tal, não há muito material sobre este veículo para pesquisarmos, diferente do Centauro II q tem tudo pra levar o contrato e cuja torre provavelmente equipará os Leo 1A5 modernizados.

Matheus
Matheus
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Mas quem no Brasil vai fabricar? IMBEL? CBC? Ou vai vir da própria empresa instalada aqui?

Marcos
Marcos
Reply to  Matheus
1 mês atrás

IMBEL provavelmente. Que também fabrica a munição de 30 mm da UT-30 e a munição de 90 mm do Cascavel

Matheus
Matheus
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Não é a CBC que fabrica?

https://www.youtube.com/watch?v=AArEq7-qShE

Fabio Machado
Fabio Machado
Reply to  Marcos
1 mês atrás

O problema é que com os chineses você sabe o que você compra mas não sabe o que recebe. Os equipamentos “tipo exportação” chineses são um perigo. Botem uma coisa na cabeça, no universo militar, o barato sai caro.

Felipe Morais
Felipe Morais
1 mês atrás

Alguém sabe porque a proposta israelense foi desclassificada?

Outra coisa, além do canhão, há algum outro grande diferencial entre o desempenho do Centauro e do veículo chinês ofertado?

India-Mike
India-Mike
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Os veículos tanto da proposta israelense quanto da indiana são apenas protótipos e pelo fato de não estarem em produção seriada foram desclassificados.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  India-Mike
1 mês atrás

Valeu India-Mike!

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  India-Mike
1 mês atrás

É uma pena, acho que tanto a Índia quanto Israel estariam dispostos a permitir que empresas brasileiras ajudassem no desenvolvimento.

Decio
Decio
1 mês atrás

Espero que não comprem da Norinco, há notícias que países asiáticos que compraram, alegam ferrugem em tudo….
Material de terceira… Não comprem…

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Decio
1 mês atrás

Se for verdade, a culpa e de quem? Da China que vendeu ou do país comprador que não acompanhou a fabricação dos veículos e certificou o recebimento de veículos com problemas, o que diz o contrato deles, tem garantia?

Fabio Machado
Fabio Machado
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 mês atrás

Certamente a culpa é de quem produziu o veículo. Afinal, é o fabricante que é o responsável a priore em garantir a qualidade de seu produto e não o cliente. Oras, alguém compra um produto para dar defeito !?

Last edited 1 mês atrás by Fabio Machado
tsung
tsung
Reply to  Fabio Machado
1 mês atrás

clompou purqe kis nao tem galantia

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Centauro II, fecha a conta e passa a régua.

Agora…
Modernização de Cascavel
Modernização dos Leopard
Guaraní
Lince
E o programa de blindados 8X8

O EB vai ter $$$ pra tocar tudo isso de uma vez, sem um comprometer os outros, ou todos serem comprometidos de uma vez?

Matheus
Matheus
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Centauro II, Lince, Guarani usam bastante peças iguais, provavelmente vai sair muito mais barato se fosse 3 veiculos de empresas diferentes.
Se sair Centauro, o EB provavelmente vai modernizar os Leopard com a torre HITFACT II, a mesma do Centauro. Assim padronizando tudo.

India-Mike
India-Mike
Reply to  Matheus
1 mês atrás

As brigadas Guarani com esses três veículos, adicionados de um porta mrt 120mm e um obuseiro AR SR (Atmos/Caesar), na minha humilde opinião, estarão muito adequadamente equipadas. Agora, modernizar os RCC (com a modernização e posterior substituição dos Leopard 1) acrescidos de uma necessária substituição dos M113 me parece improdutivo, e pior ainda, impagável. Por mais que as Vtr SL tenham seus atributos eu consideraria com muito carinho a padronização total do EB em Vtr SR. Ah, e modernização de Cascavel? Acredito que deveria ser deixada de lado tb. Investir em mais torres UT-30 para os Guarani e mais Linces… Read more »

Matheus
Matheus
Reply to  India-Mike
1 mês atrás

Não faz sentido a modernização do Cascavel, pra mim isso ai é lobby Israelense(lembrando que a Akaer é da Elbit) e como o imbecil-mor em Brasilia morre de amores por Israel. Não acredito que teve influencia nisso tambem.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Não, não é.
A modernização do Cascavel é pra ter algo antes de toda Cav VBR ser substituída.

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  India-Mike
1 mês atrás

Prezado

Eu não tenho conseguido postar vídeo aqui.
Nem sei se dá.
Mas procure no YouTube.
A diferença de SR e SL é absurda na transposição de obstáculos e em tereno off-road.
Sem duvida a mecanização é fundamental, mas tropas pesadas, sobre lagartas temos de ter.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

O Old Alfredo está correto Índia Mike.
Um 8×8 sem dúvida passa por 90% de obstáculos off-road.
Mas lembre-se, desses 10%, 9% serão obstáculos que ou ele nem tenta ou precisa ser rebocado (por outro veículo que já passou).
Existem diversos equipamentos que auxiliam uma travessia. Mas, durante uma operação, tempo é essencial

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Exatamente!!
Acho muito provável q seja assim.

BK117
BK117
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Além disso, já começaram a dar uma olhada em VBC Fuz e VBC CC.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Não vai, a modernização dos Cascavel e dos Leopard irão ficar pela metade, assim como aconteceu com outros programas do tipo.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

Convenhamos que deixar de modernizar Cascavel não seria nenhuma grande perda…

Com essa grana, poderiam ser adquiridos mais torres REMAX pros Guaranis, ou Linces com algum ATGM integrado na torre.

M4|4v1t4
M4|4v1t4
1 mês atrás

O preco do Centauro II eh absurdo Ms ele tbm eh absurdamente superior a tds os demais concorrentes

https://www.youtube.com/watch?v=EM-qWhes1fY

Bardini
Bardini
1 mês atrás

Alguns pontos… . Para substituir o Cascavel, possívelmente o único que se justifica, é o ST-1. E isso é somente devido ao preço. Mais nada. E certamente dentro deste fator, a aquisição do ST-1 seria mais justificável que a própria modernização indefinida do Cascavel. . Quando se parte para a lógica, não demora muito para se perceber que nós já temos uma solução caseira pronta para nossas necessidades: Guarani 6×6. Bastaria adptar para a função, por um baixo custo. Como exemplo da possibilidade deste tipo de emprego, o Cottonmouth foi oferecido ao USMC em uma concorrência para selecionar o futuro… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bardini
Emmanuel
Emmanuel
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Qual dos três você acredita que seja a melhor escolha para o EB e por quê?

Antonio Abelha
Antonio Abelha
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Eu vou de IVeCO, com um desenho mais reto.

Bardini
Bardini
Reply to  Emmanuel
1 mês atrás

Está no que escrevi. Nenhum dos três. O foco deveria ser Guarani 6×6 adaptado a função.

Antonio Abelha
Antonio Abelha
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Foi desenhado um guarani “nao aquatico”??

Antonio Abelha
Antonio Abelha
Reply to  Antonio Abelha
1 mês atrás

Um superav 6×6?

Velame
Velame
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Meu camarada, não adianta, o Exército não vai desistir da modernização do Cascavelho. Conheço meu EB, tem muita munição de 90 nos paiós!

Bardini
Bardini
Reply to  Velame
1 mês atrás

Acho que a grande questão, é que o EB não precisa jogar esses blindados fora, se eles não forem modernizados. . O Cascavel tem utilidade como apoio de fogo, para a infantaria. O blindado, é um caminhão armado. É simples e barato. Poderiam manter esses meios por muito tempo ainda, formando pelotões de apoio de fogo. . Como melhoria, bastaria dar um tapa no sistema de comunicação e adicionar um sistema de visão noturna para a tripulação. Merreca, comparado ao que vão fazer. . Só o dinheiro que entregaram para os caras fuçar nos 13 primeiros, comprava mais de 40… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Velame
1 mês atrás

O valor da modernização certamente é muito maior que o das munições estocadas.
Não faz sentido essa desculpa.

India-Mike
India-Mike
Reply to  Bardini
1 mês atrás

O q vc diz vai um pouco de encontro com o q coloquei ali em cima. Justamente por ser muito mais do que a substituição dos Cascavel, a aquisição dessa viatura pode ser o começo de uma transição dos SL pro SR. A questão é que só o Centauro pode proporcionar isso. Acho q se escolher Norinco devido ao custo vai acabar com um mico na mão, pois vai estar superdimensionado pra reconhecimento mas subdimensionado pra CC. Cada vez me convenço mais que o futuro do EB é SR. Um novo MBT mais um IFV moderno pros RCC vai ser… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  India-Mike
1 mês atrás

Mas até que ponto valeria a pena abrir mão de um CC de verdade pelo Centauro, considerando o elevado custo desse último? Se o valor for esse que se estima por ai, U$ 8 mi (já vi gente falando em U$ 11 mi). Isso é preço de MBT novo. Logo, se a operação não for tão mais custosa, sob o ponto de vista econômico, creio que não haverão grandes diferenças. Na verdade, há uma grande similaridade entre as duas opções: Não há grana pra nenhuma das duas. kkkkkkk Sinceramente, é evidente que o EB precisa começar a substituir seus blindados,… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  India-Mike
1 mês atrás

Eu já fiz comentários aqui, sobre isso. Na minha opinião o EB teria: . 04 “Brigadas Médias”, inteiramente Sobre Rodas e bem completas, usando como espinha dorsal o Guarani. Aliás, boa parte já existe. O Centauro II entra como o VBC CC SR destas unidades. Neste tipo de formatação, ele faz sentido. O foco é dominar por completo a operação de armas combinadas, aliando isto a grande mobilidade e capacidade de combater sobre eixos de deslocamento. . “Ahhh mas abrindo mão da lagarta, vamos perder mobildiade em terreno ruim e isso e aquilo”… Eu digo o seguinte: o foco deve… Read more »

Juarez Martinez de Castro
Juarez Martinez de Castro
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Bardini, o problema para rebater o inimigo com artilharia de tubo será necessário dentro do terreno, no caso aqui Pampa úmida, e aí somente com lagartas e olhe lá. Rebocar um 155 mm em um caminhão no inverno não vai rodar. O EB a estás alturas do campeonato já descobriu que não cacife para bancar 4 RCCs modernos, falo em manter e operar. Talvez dois a pau e corda, porém nem pensar em um monstro de 60 tons, uma vez que o Bergenpanzer se peida para tirar um Leo I de um olho de boi. No máximo uma vtr com… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Juarez Martinez de Castro
1 mês atrás

No Sul é extremamente fácil achar estradas, dentro dos 25 km de uma munição convencional de 155 mm. Se não tiver estrada e adjacências, para posicionar suas peças e usar munição convencional, que se use a mais cara, de maior alcance. Se tu não encontrar uma única estrada dentro de 50 km, para movimentar teu obuseiro equipado com um canhão 155 mm de 52 calibres, alguma coisa está muito errada. . O atoleiro é terreno ruim para os dois lados… Tem de ser tratado como Kill Zone. . Dimensionar a força pra lutar ali, pq sofrem em um campo de… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bardini
Juarez Martinez de Castro
Juarez Martinez de Castro
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Não, não é. Explico: Em uma hipotética ação na fronteira oeste do estado, nos temos apenas a BR 290 a partir de Sta Maria até Uruguaiana na fronteira. Qualquer oponente sabe que para complicar a nossa vida é só inutilizar a rodovia que tem várias pontes e ainda é pista simples, sobra então a opção um volta enorme passando por Santana do Livramento, Barra do Quaraí, também com várias pontes que podem ser pulverizadas, ou subir a serra de de Santiago, via Maçambará e saindo em São Borja, com os mesmo problemas. Qualquer desdobramento ali será necessário adentrar a Pampa… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Juarez Martinez de Castro
1 mês atrás

Oeste do RS é recheado de estradas rurais, que se ligam umas com as outras. Se tem gente vivendo no meio do pampa, é pq tem como transitar por lá. E tudo isso, existe dentro do alcance da artilharia de tubo. . Pra atuar nesta região que tu cita, uma força inimiga (Quem?) tem que antes de tudo, ter capacidade de cruzar o Rio Uruguai ou usar o terreno do Uruguai para formar uma cabeça de ponte. Vão ter de concentrar força na fronteira para então, tentar montar uma cabeça de ponte e isso chama muita atenção. Como é que… Read more »

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Juarez Martinez de Castro
1 mês atrás

O problema é que nessa faixa de peso as opções são os MBTs russos (que apresentaram um desempenho questionável na Ucrânia – incluindo o problema da torre ejetável, trariam consigo sanções dos EUA pelo CAATSA e tem um calibre diferente do Centauro II – o que seria um problema logístico se o Brasil optar por ele) e o Type 10 japonês (que custa uma fortuna). Mesmo que você aumente a faixa de peso para algo na casa das 55t, continuamos com poucas opções: K2 (caro), Leclerc (linha de produção encerrada – embora isso deixará de ser um problema se os… Read more »

Last edited 1 mês atrás by Bruno Vinícius
Juarez Martinez de Castro
Juarez Martinez de Castro
Reply to  Bruno Vinícius
1 mês atrás

Olá Bruno. Tchê,lá na linguiça década de 70, no final dela mais precisamente o exército Argentino que precisava substituir de carros de combate antigos optou e foi pioneiro do uso de IFV na AS introduzi do o Marder, ou VCI TAM, aproveitando o mesmo chassi para criar um MMBT muito leve, e a época eu não entendi e alguns observadores militares também não, pois tinha recursos necessários para por exemplo comprar um Leo 1, que a naque momento era state of art. Quando eu tive a oportunidade ir de Sta Cruz do Sul, aonde moro, até Rosário no delta do… Read more »

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Juarez Martinez de Castro
1 mês atrás

Nesse caso terei de discordar. Se o EB tiver dinheiro para comprar o ASCOD ou KF41 com canhão de 120mm, terá dinheiro para comprar o Type 10 (que está na mesma classe de peso destes dois IFVs – 45t – mas é um projeto criado desde o começo para ser um MBT, ao invés de uma adaptação de um IFV).

Juarez Martinez de Castro
Juarez Martinez de Castro
Reply to  Bruno Vinícius
1 mês atrás

Boa noite Bruno. Como não sei ou não sabemos o valor de cada um, não posso opinar. A grosso modo, sem uma análise mais detalhada eu optaria pelo veículo que pudesse ao mesmo tempo utilizar o mesmo chassi e power train, pois escala de produção anda de mãos dadss com menores custos operacionais.

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Bardini, você sabe dizer se o C-390 consegue carregar o Centauro II? Se sim, a Brigada Média que você propõe ainda teria a vantagem de conseguir ser desdobrada muito rapidamente pelo território nacional.

JS666
JS666
Reply to  Bruno Vinícius
1 mês atrás

Não consegue, pelo menos “montado”: 30T do Centauro II x 26T que o C-390 pode levar.

Teria que ser desmontado, separar a torre do chassis para ser aerotransportado.

Juarez Martinez de Castro
Juarez Martinez de Castro
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Perfeito. A vtr a substituir o Cascavel deveria ser o Guarani com canhão de 30mm, ATGM e UAV cat 0.
Vão criar uma nova linha logística para uma vtr cara de manter e operar

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Juarez Martinez de Castro
1 mês atrás

Exato caro Juarez…a missão básica da cavalaria mecanizada sempre foi reconhecimento e segurança…é o tipo de OM que mantém contato com inimigo à distância segura, o foco aqui são os informes sobre o inimigo….tem nome para isso: inteligência, reconhecimento, vigilância e aquisição de alvos (famoso IRVA)… as ações de choque ficam limitadíssimas para esse tipo de OM chegando à conclusão que aquisição Centauro/Lav seria um exagero gasto de dinheiro para o que precisamos, sendo que tem outros meios ali precisando de atenção (a substituição do cascavel é só a ponta do iceberg da grande obsolescência da cavalaria mecanizada como um… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Juarez Martinez de Castro
1 mês atrás

Se não querem mudar muito, poderiam ter pensado em algo nessa linha da imagem. A princípio, isso aí parece caro. Mas se tu somar os valores de Centauro II e moderniação de Cascavel, a coisa começa a se tornar bastante factível…

companhia.jpg
Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Bardini
1 mês atrás

O problema dessa proposta é q fica uma boa fração de Rec, mas não de Manobra.
A Cav brasileira é Intlg e Manobra.
Sds

Carvalho
Carvalho
Reply to  Velho Alfredo
1 mês atrás

O PelCMec sempre foi fraco em manobra.
A solução usada era desembarcar os integrantes dos Marruas. (Com óbvias limitacoes).
A chegada do LMV recupera a capacidade de manobrar frente ao inimigo.
Mas de qualquer maneira, fica faltando uma Vtr na proposta do Bardini.
Na estrutura atual são 02 Cascavel e 01 Guarani.
E o pel Morteiro não existe. Cada vtr mrt acompanha um Pelotão.

Carvalho
Carvalho
Reply to  Carvalho
1 mês atrás

O problema de não modernizar o Cascavel é que vamos criar oficiais de cavalaria de 1a e 2a linha.
Tenentes operando Centauro digital e Tenentes comandando caminhão com canhão.

Juarez Martinez de Castro
Juarez Martinez de Castro
Reply to  Bardini
1 mês atrás

Bardini, modernizar Cascavel é algo a meu ver inexplicavel.

calvario
calvario
1 mês atrás

Em 1985, no governo José Sarney, os chineses vieram ao Brasil, conhecer a zona franca de Manaus. 37 anos depois eles são a 2ª economia do mundo e nós, agora, estamos comprando VB deles. O que pode explicar? BAPHOMET?

sub urbano
sub urbano
Reply to  calvario
1 mês atrás

O ministro da industria leve deles copiou o modelo brasileiro para a produção de relogios. na epoca o Brasil tinha fabricas da orient, citizen e seiko alem de diversas marcas nacionais que usavam movimentos japoneses. A China à época só produzia relogios usando o movimento standard chinês, o Tongji. A mesma maquina era produzida em diferentes qualidades em 70 (!) fabricas na China todas com nomes de cidade, por exemplo a fabrica Shanghai tinha controle de qualidade, movimentos bem lubrificados e caixas de aço enquanto Chongqing movimentos pouco lubrificados, sem controle de qualidade e caixas de latão. Quem era um… Read more »

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  calvario
1 mês atrás

Ah meu amigo, tanta coisa poderia tentar explicar isso. Nem ouso.

O atual momento é um desses momentos que servirão pra justificar esse fato no futuro. Não se discute país. A discussão é de várias outras questões que, possivelmente, dominarão as pautas nos próximos anos.

Antonio Abelha
Antonio Abelha
1 mês atrás

Nao vamos esquecer dos M119A2 e M777 antes de sonharmos com Caesar e 8×8 120mm.

Carvalho
Carvalho
1 mês atrás

Pelo número de veículos a serem adquiridos, não vão substituir integralmente o Cascavel. Talvez sejam colocados apenas na 4a Bgda Inf. Mec., que tem ponteado o reequipamento da Cav. MEC. Mas sempre fica aquela questão: Todas as nossas Brigadas MEC ou BLD sempre possuem um mix de material novo e antigo. Nenhuma possui material de ponta em todos os seus escalões. Assim, me agradaria ver os Centauros fazendo RCCs SR nas Brigadas Inf. MEC. ( e dotando elas de Limce e AP SR). Este seria o embrião de uma brigada MEC para estudar a fusão da infantaria e cavalaria. Com… Read more »

Antonio Abelha
Antonio Abelha
1 mês atrás
Antonio Abelha
Antonio Abelha
1 mês atrás

Guaranis chinos?

51518320424_94575afdca_h.jpg
Neural
Neural
1 mês atrás

Melhor comprar o tanque Chinês. Um aceno ao Brics, e ao bom relacionamento Sino-Brasileiro. China é nosso maior cliente do agronegócio

Last edited 1 mês atrás by Neural
Osvaldo Marcilio Junior
1 mês atrás

Na torcida pelo Centauro II.

737-800RJ
737-800RJ
1 mês atrás

[Quase OFF] O que os amigos do Forte pensam sobre o IFV Freccia, que utiliza a mesma plataforma do Centauro II? Haveria espaço para ele no EB?

Italian_Army_-_Mechanized_Brigade__Pinerolo__Freccia_IFV.jpg
Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  737-800RJ
1 mês atrás

Não haveria. Há produção super dimensionada de Guaranis e o EB não dá conta de dotá-los de canhões 30mm, então não faz sentido acrescentar o Freccia no rol de equipamentos.

Digo
Digo
1 mês atrás

Se não atualizarem os Leopards, não tem sentido ir de centauro, caso contrário só iria piorar a logística e distribuição de munições, mas como o outro camarada já disse, atualizar os Leopards iria custar quase o mesmo do que comprar um novo MBT de prateleira, então olhando essas três opçoes, o ST-1 tem o melhor “custo-beneficio” para o EB.

Marcos
Marcos
1 mês atrás

OFF

Foi aprovado a aquisição de 104 morteiros para o Guarani

Vem ai nova variante: VBC Mrt-MSR 6X6

Matheus
Matheus
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Algum link para leitura?

Antunes 1980
Antunes 1980
1 mês atrás

Alguém sabe qual o nível de proteção dos pneus destes veículos?
5,56…7,62 ou 12,7mm ?

Neural
Neural
Reply to  Antunes 1980
1 mês atrás

Se não me engano o Guarani não tem nenhuma proteção nos pneus, medida pra cortar custos.. ele carrega um estepe e tem kit de reparo a bordo, mas só. E a blindagem aguenta só 7 62mm, calibre 50 já perfura ele..

Tutor
Tutor
1 mês atrás

Vai dar Iveco, certeza.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
1 mês atrás

Sinceramente que alguns acham o norinco melhor que o centauro?

Marcos
Marcos
Reply to  Saldanha da Gama
1 mês atrás

Eu acho sim, principalmente pela capacidade anfíbia. Temos centenas de milhares de rios cortando o país.

Capacidade anfíbia é uma característica muito apreciada pelo EB

Se a oferta for boa = produção nacional, transferência de tecnologi e offset vantajoso, não tenho nada contra os chineses.

M4|4v1t4
M4|4v1t4
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Capacidade anfibia pra um caçarros c/ canhao d 105/120mm? Onde vc acha q vao usar ele? Na bacia do Amazonas?
Capacidade anfibia nesse caso eh totalmente dispensavel.
Vale lembra q a capacidade anfibia desse carrinho jah foi posta a prova e ele afundou

Producao nacional = Fabrica da Norinco no Brasil. E isso tem implicacoes graves a medio e longo prazo.

Marcos
Marcos
Reply to  M4|4v1t4
1 mês atrás

Pelo nível do comentário já da pra perceber que o indivíduo não entende absolutamente NADA! Deve assistir muita baboseira no youtube. O Exército não está comprando um “caçarros”. O Exército está comprando um veículo blindado de combate para a cavalaria mecanizada. A principal função deste veículo é realizar missões de segurança, vigilância e reconhecimento. Nos vários manuais de campanha que li, as ações de transpoisição de cursos de água são destaque. “Vale lembra q a capacidade anfibia desse carrinho jah foi posta a prova e ele afundou” Assim como o Guarani afundou por um problema no motor. Isso só corrobora… Read more »

Marcos
Marcos
Reply to  M4|4v1t4
1 mês atrás

Producao nacional = Fabrica da Norinco no Brasil. E isso tem implicacoes graves a medio e longo prazo.

Quais implicações? Tu deve ser mais um dos inúmeros malucos bolsonaristas que frequentam o site. A China já comprou metade do território brasileiro, comprou todas as áreas estratégicas do país, inclusive o SETOR DE ENERGIA.

Mas o problema é uma fábricazinha de carrinhos. Acorda pra realidade

Last edited 1 mês atrás by Marcos
Alois
Alois
1 mês atrás

Onde se concentram nossos MBT’s? No Rio Grande do Sul, correto? Veiculos estes que estão lá devido ao relevo e a melhor utilização do potencial do tanque e a uma potencial invasão Argentina, que convenhamos não é nossa maior preocupação estratégica. A maior preocupação que temos e teremos por muitos anos é a região norte, cobiça de muitos países e para lá os MBT’s não são úteis. Lá temos que ter helicópteros de transporte e ataque, lanchas de transporte e ataque. E mesmo nos pampas helicópteros de ataque podem ajudar talvez mais que os MBT’s sendo que o EB precisa… Read more »

Foxtrot
Foxtrot
1 mês atrás

Para mim isso é uma palhaçada sem tamanho.
Todos sabem quem será o ganhador, até pela lógica da coisa (características logísticas, de integração, suporte técnico etc).
Será o Centouro II, mas como lógica nunca é ou foi o balizador das decisões de nossos militares, pode haver surpresas.

Hélio
Hélio
1 mês atrás

Tudo isso porque não desenvolveram o Guarani 8×8, que já era previsto desde o início do projeto.

Matheus
Matheus
Reply to  Hélio
1 mês atrás

Quer ver o Guarani 8×8? Pesuise IVECO SuperAV.

Jorge Bezerra
Jorge Bezerra
1 mês atrás

Pura especulação; quem irá decidir, é o pessoal do exército.

PABLO
PABLO
1 mês atrás

tudo alvo para drones de 1000 dólares , é impossível pensar em defesa sem começar por defesa aérea decente

Bob Peh
Bob Peh
1 mês atrás

Sem ideias pré-concebidas, mas acredito que comprar da China qualquer tipo de armamento, nos coloca numa situação difícil, visto que eles podem fabricar seus sistemas eletrônicos internos dos equipamentos vendidos a nós, com “travamento ou se tornando inoperantes” por comando a distância, desativando o equipamento, ao “reconhecer” a força chinesa em contrário, nos atacando…Chips sensibilizantes dos equipamentos do Exército Chines implantados em seus equipamentos próprios. Teoria da conspiração? Não acho. E quanto aos equipamentos os Russos não seriam melhores, visto que tem grande dificuldade em fornecimento de peças de reposição, gerando o canibalismo de equipamentos, para deixar outros operacionais. Visto… Read more »

willhorv
willhorv
1 mês atrás

Eu penso que, por tudo e o conjunto da obra apresentado, só não ganha a Iveco se tiver muita falcatrua…é questão de lógica e bom senso. E cá para nós…um baita VBC.

Decio
Decio
1 mês atrás

Já vi na Net que os carros da Norinco enferrujam. Acho que indonésia….. Naquela área. É o barato que sai caro, Sing ling.

Madmax
Madmax
1 mês atrás

Sério que não acham que a Iveco já levou?

Leandro
Leandro
25 dias atrás

Os chineses entregam exatamente aquilo que se compra, quer carro de combate capaz, com preço competitivo, eles fazem. Obviamente tem de se levar em consideração o interesse deles em desenvolver nossa infraestrutura em Ferrovias. Eles não vão dar um tiro no pé, além disso existe centenas deles em uso.

RRN
RRN
19 dias atrás

O que será que acontecera se o Brasil escolher o modelo chinês?
Já sinto até o cheiro de enxofre no ar.

max
max
9 dias atrás

O pessoal militar brasileiro tem experiência prática com o ST1 da China
https://weibo.com/tv/show/1034:4839620563894383?from=old_pc_videoshow
Filme documentário

Last edited 9 dias atrás by max

Últimas Notícias