domingo, dezembro 4, 2022

Saab RBS 70NG

EUA consideram enviar antigos sistemas de defesa aérea HAWK para a Ucrânia

Destaques

Redação Forças de Defesa
Redação Forças de Defesa
redacao@fordefesa.com.br

WASHINGTON, 25 de outubro (Reuters) – Os Estados Unidos estão considerando enviar equipamentos de defesa aérea HAWK mais antigos dos estoques para a Ucrânia para ajudá-la a se defender contra ataques russos de drones e mísseis de cruzeiro, disseram duas autoridades norte-americanas à Reuters.

Os mísseis interceptores HAWK seriam uma atualização dos sistemas de mísseis Stinger – um sistema de defesa aérea menor e de menor alcance – que os Estados Unidos já enviaram para impedir a invasão da Rússia.

O governo Biden usaria a Presidential Drawdown Authority (PDA) para transferir o equipamento HAWK, que é baseado na tecnologia da era do Vietnã, mas foi atualizado várias vezes. A PDA permite que os Estados Unidos transfiram artigos e serviços de defesa dos estoques rapidamente sem a aprovação do Congresso em resposta a uma emergência.

A Reuters não conseguiu determinar quantos sistemas e mísseis HAWK os Estados Unidos têm disponível para transferência. A Casa Branca se negou a comentar.

O sistema HAWK é o antecessor do sistema de defesa antimísseis PATRIOT fabricado pela Raytheon Technologies, que permanece fora da mesa para a Ucrânia, disseram autoridades dos EUA à Reuters.

O presidente dos EUA, Joe Biden, prometeu ao presidente da Ucrânia, Volodomyr Zelenskiy, que Washington forneceria à Ucrânia sistemas aéreos avançados após uma devastadora barragem de mísseis da Rússia no início deste mês.

O secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, disse que a Espanha pretende enviar quatro lançadores HAWK.

Os Estados Unidos provavelmente enviariam inicialmente mísseis interceptadores do sistema HAWK para a Ucrânia porque não estava claro se um número suficiente de lançadores dos EUA estava em boas condições, disse uma autoridade dos EUA à Reuters. Os sistemas dos EUA estão armazenados há décadas.

Uma PDA está sendo considerada para o final desta semana, disseram autoridades dos EUA. Uma autoridade dos EUA disse que provavelmente seria cerca de metade do tamanho dos recentes pacotes de assistência à segurança, que foram de cerca de US$ 700 milhões.

Não ficou imediatamente claro se os mísseis interceptores HAWK seriam incluídos, mas autoridades dos EUA alertaram anteriormente que o tamanho e a composição dos pacotes de ajuda militar podem mudar rapidamente.

Desde a invasão russa da vizinha Ucrânia em 24 de fevereiro, que Moscou chama de “operação militar especial”, os Estados Unidos enviaram cerca de US$ 17,6 bilhões em assistência de segurança para Kyiv.

FONTE: Reuters

- Advertisement -

117 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

117 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Rui Chapéu
Rui Chapéu
1 mês atrás

Pra derrubar sucata da guerra fria, nada melhor que usar sucatas da guerra fria!

Pq assim, depois que a Ucrania ganhar, eles não vão poder falar igual sempre falam:

-Ahhh, mas os israelenses estavam usando equipamentos novos e os árabes equipamentos velhos…

Sempre quando perdiam com armas soviéticas usavam essas frases ai…

Agora não vão vai colar hehehe

Bueno
Bueno
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

        É uma arma de amplo espectro , se não derrubar com o explosivo mata com tétano.. kkk

Teropode
Reply to  Bueno
1 mês atrás

É pensar que em 2022 o Brasil ainda é incapaz de produzir sozinho um sistema de arma semelhante a este que causa tétano e foi pensado a 60 anos atrás . 🤣🤣🤣🤣🤣

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Em teoria, hoje o Brasil teria condições tecnológicas e financeiras para desenvolver um sistema como esse, o que falta seria o interesse das partes envolvidas para que algo assim seja feito.

Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

Este sistema tem tecnologia utilizada em misseis curto alcance, o que teriamos como base seria tecnologia sul africana do ADARTER porem parece que todo este conhecimento e capacidade estao esquecidos e relegados a segundo plano, pois ou o missil nao e bom ou e uma caso classico de nossos desenvolvimentos abandonados para comprar do exterior. Vide tikuna, barrosso , mar1 , osorio, cascavel, tamoio, piranha….

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
1 mês atrás

No passado foi cogitada a ideia de usar o MAA-1 piranha como defesa aérea, possivelmente em cima de um Urutu, mas não foi para frente. Dos projetos citados o piranha e o cascavel entraram em produção, o tikuna teve uma discussão que foi desde a construção de uma segunda unidade, a construção de um IKL-214(sem o AIP), e o que veio foi o PROSUB. O caso do MAR-01 não sei qual a razão de terem parado o desenvolvimento já que não tem nenhum armamento da categoria em serviço, o caso da Barroso eu diria que ficou inviabilizado pelo longo tempo… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

O piranha, infelizmente, nunca ficou bom, por isto não citei o mesmo,, o adarter seria a opção a ser estudada. Tamoio e Osório são de capacidades diferentes, como exemplo Abraham vs bradley. Tikuna e Barros o seriam embrião de embarcações projetadas e construídas aqui , porém foram abandonadas junto com AMRJ, para comprar novamente exterior ( até estaleiro que iria fazer Tamandaré foi comprado por empresa externa) O que sobrou e Embraer, que não depende governo e Avibras, concordataria e com salários atrasados. Não estou criticando, estou mostrando a realidade e criando um sentimento de valorização indústria e engenharia brasileira,… Read more »

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Salim
1 mês atrás

O ponto do piranha é que mesmo ele sendo mediano, até onde eu sei, era um projeto que permitiria abrir as portas para outros projetos melhores e mais capazes feitos no Brasil o que não ocorreu. Sobre o Osório e Tamoyo, o problema foi que primeiro o EB fez os requisitos que deram origem ao Tamoyo I, pouco depois a ENGESA apareceu com o Osório, muito mais capaz e que só seguia o requisito de largura máxima, quando o EB testou o Osório, eles meio que esqueceram do Tamoyo e quando o Osório fracassou, se lembraram do Tamoyo mas o… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Wilson Look
1 mês atrás

O Tamoyo 3 era bem superior ao m60 e leo1a1 comprados 10 anos depois pois ficamos sem nada, visto m41 estarem totalmente obsoleto. O triste e comprar do exterior e abandonar a empresa nacional que produzia equipamentos superiores. Quando chegamos no ponto tecnológico nossos dirigentes abandonam tudo em detrimento a equipamento feito exterior, infelizmente dezenas de exemplos nesta linha. Vimos agora redução pedidos kc390 e logo em seguida compra 2 A330 civil que só terá uso reabastecimento no fim desta década, sendo que o EB precisa da capacidade do kc390 e o mesmo ser capaz hoje de reabastecimento, como vimos… Read more »

Fabio Araujo
Fabio Araujo
Reply to  Teropode
1 mês atrás

Sim foi um erro que estamos correndo atrás do tempo perdido para corrigir. Mas se tivéssemos mais vontade a Avibrás anos atrás estava até com um bom projeto!

Anildo Silva
Reply to  Bueno
1 mês atrás

Brilhante!

Gerson Carvalho
Gerson Carvalho
Reply to  Bueno
1 mês atrás

kkkkkkkkkkkk

PACRF
PACRF
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Esse argumento falso de que Israel usava equipamento “novos” enquanto Egito, Síria, Jordânia e Iraque usavam “velhos” equipamentos soviéticos, não encontra suporte nos fatos das guerras dos Seis Dias e do Yom Kippur. A URRS mandou o que tinha de melhor. No entanto, não se pode comparar o preparo de um soldado israelense com um sírio ou egípcio, por exemplo. Além disso, do lado de Israel tinham generais que escreveram seus nomes na história, como grandes comandantes e estrategistas: Moshe Dayan e Ariel Sharon. De tanto serem surrados por Israel, Egito e Jordânia assinaram acordos de paz, que duram até… Read more »

Last edited 1 mês atrás by PACRF
Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Na guerra dos 6 dias os israelenses fizeram uma baita de uma limonada com seu equipamento mais antigo… Desde jatos franceses da década de 50 (Vautour, Super Mystere, Ouragan, etc) a M4 shermans…

Matusa
Matusa
Reply to  PACRF
1 mês atrás

O Exército israelense foi derrotado no Sinai.
Não se sabe o motivo pelo qual os egípcios interromperam o seu avanço.
O fato é que isto deu oportunidade para que os americanos aumentassem a ajuda aos israelenses que puderam reagir.
A teoria mais aceita é que Sadat foi ‘$$$seduzido$$$’ pelos americanos.
As transcrições recentes de gravações do Alto Comando israelense mostra o desespero com a derrota e a possibilidade de utilizar armas nucleares.
Estes fatos são agora de domínio público.
Portanto, inegáveis.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Exército israelense derrotado no Sinai, quer reescrever a história ?

Fatos de domínio público ? Quais ?

Velho Alfredo
Velho Alfredo
Reply to  Plinio Jr
1 mês atrás

De Nárnia

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Na verdade se sabe sim. O planejamento dos egípcios não previa um avanço direto, eles pretendiam tomar o sinai enquanto os sírios avançavam pelo norte, com isso eles esperavam poder reposicionar suas baterias AA e trazer reforços, mas a derrota dos sírios permitiu que Israel contra ataca-se no sul empurrando os egípcios de volta.

horatio zhirinovsky
horatio zhirinovsky
Reply to  Matusa
1 mês atrás

derrotado ??? pelo q sei o exercito israelense só não entrou no cairo pq não quiz…

Marcelo
Marcelo
Reply to  horatio zhirinovsky
1 mês atrás

Exatamente. Parou na entrada do Cairo, no Egito.

Raça Negra
Raça Negra
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Você pode mudar de nick quantas vezes puder mas o seu teatro que combina falsidade com fake news não demora a ser descoberto, e você desmascarado

Dito isso que tal para de emporc@lh@r a seção de comentários do site sim!?

Ah! O exército israelense não foi derrotado no Sinai visto que Ariel Sharon não apenas cruzou o canal de Suez como ainda por cima cercou 20.000 soldados egípcios e chegou a 100km do Cairo.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Nem vou me dar ao trabalho de comentar a Guerra do Yom Kippur em 1973. Mas Bagdá escapou por minutos de ser vaporizada por um ataque nuclear israilense. Depois dos vários ataques com mísseis Scud ao território israilense, o comando militar de Israel enviou dois aviões de combate com armas nucleares, que tinham como alvo Bagdá. Após a interferência dos EUA e a garantia de defesa do território israilense contra os ataques do Iraque, a missão foi abortada e as aeronaves retornaram à base. Esse evento só se tornou público depois de muitos anos.

rfeng
rfeng
Reply to  PACRF
1 mês atrás

Não receberam na guerra do Yom Kippur 60 Phantons com o jamming mais atual dos EUA, receberam sim o que tinha de melhor.

Andre
Andre
Reply to  Rui Chapéu
1 mês atrás

Será que dessa vez vão usar a desculpa do treinamento? “O t72 é ótimo, foram destruídos às centenas prq os ucranianos tinham melhor treinamento que os russos”. Afinal, essa foi a desculpa do cacete que os velhos centurions deram nos “modernos” t62.

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
Reply to  Andre
1 mês atrás

Até por que os Ucranianos Utilizam versões inferiores aos russos, destes mesmos MBT’s.

Victor Filipe
Victor Filipe
1 mês atrás

Tudo depende de qual versão eles vão enviar. Tem umas versões mais “buffadas” dele que usam o AN/MPQ-64 que é o mesmo radar do NASAMS Levando em consideração o alcance do míssil e o desempenho do radar eu acho que ele seria bem indicado pra deixar nas cidades e proteger contra ataques de misseis de cruzeiro (a vantagem do HAWK é que a cabeça de guerra dele tem muito explosivo, não precisa de impacto direto) e caso venha com os radares mais avançados esses podem ser usados para encontrar os drones a distanciaria e avaliar se daria para abater com… Read more »

Ivan
Ivan
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Victor, Entendo que sua sugestão é perfeitamente viável, se encontrarem canhões AA Bofors 40mm L/70 ainda operacionais. Dependendo do sistema de detecção e controle de tiro pode ser útil atém mesmo contra os mísseis de cruzeiro mais simples na fase final (ou que passem pelo caminho de uma boca de fogo preparada). . Ainda mais: Contra os drones suicidas Shahed 136, lentos, barulhentos, porém com baixa assinatura radar, acredito que até mesmo os Bofors 40mm L/60 podem ser úteis, bem como os antigos canhões leves Oerlikon 20 mm, ZU-23-2 de 20mm, sem falar do cuspidor de fogo M163 Vulcan Air… Read more »

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Ivan
1 mês atrás

Ainda tem alguns países que usam, a Itália usa no sistema CIWS deles o DARDO e o sueco CV-90 usa ele como arma. então deve ser relativamente simples achar alguns deles por ai.

mas realmente, iria ser preciso muitas armas mesmo, se conseguirem montar o reparo em uma carreta ou trailer pra poder ser usado sem precisar desmontar seria um Technical mais avançado hahaha

Salim
Salim
Reply to  Ivan
1 mês atrás

Para isso tem Gepard, porem tem poucas unidades disponíveis no mundo, para drones lentos e misseis subsonico e bom. O ideal seria colocar um radar e eletronica mais moderno e capaz. EB deveria pensar nesta alternativa.

Henrique
Henrique
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Os americanos tem o C-RAM que seria bem indicado pra lidar com os drones e os mísseis de cruzeiro na fase terminal.

Jhenison Fernandez
Jhenison Fernandez
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

A principal vantagem do Bofor 40mm L/70 são sua munições com espoletas de proximidades.

Last edited 1 mês atrás by Jhenison Fernandez
Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

Mestre Victor, sua observação é emblemática e certeira. A coisa mais difícil no mundo é a cabeça do cidadão ou militar conseguir acompanhar os cenários e como eles mudam. A altíssima especialização dos caças forçou a aposentadoria da artilharia de tubo. Mísseis antiaéreas cada vez mais caros passaram a ser empregados e por óbvio indiretamente proporcional onde quanto mais caro, menor a qtde disponível. Daí continuou a miniaturizacao das coisas e possibilitando um drone de 5 mil dólares forçar o uso de um míssil antiaéreo de Us 100 MIL e raro de estoques…quer seja nós exercitos ou marinhas Ocorre que… Read more »

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Victor Filipe
1 mês atrás

comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

nada mais que quatro .50 numa pequena estação….porque lembrei dela? porque é bem pequena e fácil de rebocar num fusca….para drone….vai que vai…

Salim
Salim
Reply to  Carvalho2008
1 mês atrás

Acho que uma atualizaçao do Gepard cairia bem.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
1 mês atrás

Mas Marcelo disse que a Ucrânia estava abatendo 90% dos drones e mísseis, que houve marcelinho? Por que mandar um sistema obsoleto como o Hawk? Kkkkkkkk

Last edited 1 mês atrás by Inimigo do Estado
Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

90%? os ucranianos nunca afirmaram isso, eles sempre falaram que a casa dos abates ficava em 50 a 60%. tirou esses 90% da onde?

Nickless
Nickless
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Basta usar a cabeça pra pensar. se abate 80~90% ainda passa misseis e drones que precisam ser abatidos.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Vou explicar de novo. A OTAN e os EUA estão implantando um sistema de defesa antiaérea em células na Ucrânia. A estratégia é unir as defesas antiaéreas existentes, que já são fortes, mas apresentam deficiências, com sistemas mais modernos como o Iris-T e o NASAMS, focados no abate de aeronaves e mísseis a media e longa distãncia, com o Crotale, o Hawk, canhões antiaéreos, MAMPADS, metralhadoras pesadas para abater alvos a média e curta distância ou voando a baixa altitude. Vai ter tantos radares e armamentos que nem as moscas russas vão conseguir passar. Quem quiser pode tentar a sorte… Read more »

Matusa
Matusa
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Não é?
Se a Ucrânia está vencendo a guerra e está derrubando tudo que é russo, para que esse sarcófago?

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Matusa
1 mês atrás

O mesmo questionamento vale para os russos, se estão vencendo, porque estão ressuscitando tanques tão velhos como o T-62?

Salim
Salim
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Custo e quantidade. Ataques de saturação com vetores obsoletos ou não esgotam rapidamente capacidade

Arthur
Arthur
1 mês atrás

Trilegal! E desde quando o Hawk abateu alguma coisa nesses quase 60 anos? Agora a América também irá desenterrar sucata e meter goela abaixo dos ucranianos? Se preparem blogs da Trilogia de Defesa, aí vem: canhões Bofors 40mm, bazucas, fuzis M1 Garand, M4 Shermans, Stuarts… Russos e americanos adoram guardar porcarias; a diferença do russo é que o americano passa adiante essas mer… pensando em dindin. Já imaginaram um ataque ucraniano com Hueys ao som da Cavalgada das Valquirias?

A6MZero
A6MZero
Reply to  Arthur
1 mês atrás

O Hawk teve um ótimo desempenho quando posto em combate, aeronaves de origem soviética forram suas principais vitimas com muitos abates contabilizados…

Por exemplo os Hawk Israelenses tiveram muitos abates durante a guerra de desgaste entre Migs 21 e Migs 17.

Durante a invasão do Kuwait também tiveram um grande numero de abates como Migs 23 e Su-22.

Também na Guerra Irã-Iraque foi responsável belo abate de Migs 23 e Su-22 iraquianos

Ivan
Ivan
Reply to  A6MZero
1 mês atrás

Zero,
Você lembrou bem.
Só na Guerra de Atrito Árabe-Israelense, em 1970, foram abatidos algo entre 8 e 12 aeronaves. Conforme a Jane’s, teriam sido 12 “kills”: um Il-28, quatro Su-7, quatro MiG-17 e três MiG-21.
.
Se foi capaz de abater caças pilotados, alguns tão ágeis como o MiG-17, certamente poderão abater mísseis de cruzeiro em trajetória bem mais comportada.
.
Forte abraço,
Ivan, um antigo infante.

Matusa
Matusa
Reply to  Ivan
1 mês atrás

Os vídeos publicados pelos próprios ucranianos mostram os mísseis de cruzeiro em baixíssima altitudes.
Será que esse sistema seria eficaz?
Creio que não.

A6MZero
A6MZero
Reply to  Matusa
1 mês atrás

A altitude mínima de engajamento do Hawk é de apenas 60 metros, ou seja é eficaz sim até contra alvos voando em baixíssimas altitudes.

além disso qualquer coisa voando ainda mais baixo que isso pode ser interceptado até por manpads…

Salim
Salim
Reply to  Ivan
1 mês atrás

Grande Ivan, compartilho o seu comentario.

Matusa
Matusa
Reply to  A6MZero
1 mês atrás

Sem problema.
Há pouquíssimo tempo um SAM-2 sírio derrubou um F-16 israelense.
Quem sabe?

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Essa fonte eu faço questão de ver. Um F-16 Israilense abatido por um SAM sírio é mais raro do que cabeça de bacalhau. Posta aí …

Matusa
Matusa
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Toma São Tomé!

globoplay.globo.com/v/6492386/

Foi em 10/02/18
De lá para cá, Israel nunca mais arriscou entrar no espaço aéreo sírio e fica disparando mísseis do Mar Mediterrâneo e através do Líbano, apesar dos protestos libaneses na ONU.

Andre
Andre
Reply to  Matusa
1 mês atrás

E s300 vendido pela Rússia não tem alcance para interceptar os aviões israelenses no mediterrâneo ou sobre o Líbano? Além de não conseguir interceptar os mísseis lançados?

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Achou uma cabeça de bacalhau!!! Deve ser o primeiro e único F-16 israilense abatido pela Síria. É raro … mas acontece, uai!

Raça Negra
Raça Negra
Reply to  Matusa
1 mês atrás
Salim
Salim
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Menos ne toninho, abateu sim um F16, porem vc tirar esta afirmação que não entra mais no espaço sírio forçou a barra. Ate os ucranianos elogiaram Israel por destruírem novamente instalação montagem drones na siria. Como falei nas suas gerações passadas, vc começa bem depois descamba pra estes absurdos

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Foi um S-200 (Sa-5) que abateu o F-16 israelense em 2018, diga-se o que os israelenses já destruíram de alvos e ameaças na Síria já compensou em muito a perda deste avião .

Os israelenses tem total controle dos céus da região, vide o caso daquele Il-20M russo abatido no mesmo ano devido ao desespero dos sírios ..

Ivan
Ivan
Reply to  Plinio Jr
1 mês atrás

Exatamente. . Ainda bem que alguém lembrou. Foi um caça-bombardeiro F-16I que o piloto se expos desnecessariamente, saído do padrão de voo da missão e sendo abatido. . Mas, como você corretamente escreveu, foi um SA-5. . Em tempo. A Trilogia registrou o evento no AEREO: https://www.aereo.jor.br/2018/02/26/f-16-de-israel-abatido-na-siria-nao-conseguiu-se-defender-de-missil-sa-5/ . “F-16 de Israel abatido na Síria não conseguiu se defender de míssil SA-5.” “Investigação descobriu que piloto do F-16 derrubado não acionou ECM para se defender.” “Enquanto o piloto e o navegador do jato israelense derrubado pelo fogo antiaéreo sírio agiram corretamente ao ejetar do avião com sucesso, eles não se defenderam… Read more »

Andre
Andre
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Disse muito bem: UM s200 abateu UM f16, em centenas de missões.

É algo que todo putinzete precisa comemorar, já que é um evento muito raro. O Da Lua sabe o dia, o número de série do míssel…dizem que ele tem um poster com a foto do operador que disparou o míssil na parede do quarto dele, ao lado do operador responsável pelo unico abate do f117.

Já o su34, mais novo que o f16 e o f117, tem caído às dezenas na Ucrânia.

Salim
Salim
Reply to  Andre
1 mês atrás

Exato, estão sonhando em abater um f15 ate hoje pra completar o álbum

Matusa
Matusa
Reply to  Arthur
1 mês atrás

É o velho jargão.
A América vai lutar até o último ucraniano.
E agora, com mais sucatas.
Não bastasse os M-113 que são abertos feito latas de sardinhas.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Matusa
1 mês atrás

BMP e BMD viram pedaço de alumínio retorcido na Ucrânia o tempo todo, mas não vejo você aqui falando deles.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Tanques russos são abertos diariamente como latas de sardinha. Tem uma foto aqui mesmo. Saudações ucranianas.

630_360_1664556008-785.jpeg
Salim
Salim
Reply to  Matusa
1 mês atrás

O que vc sugere, Otan entrando na guerra direta, pensamento meio sem logica, como vc acha que ficaria com otan entrando gerra, seria inteligente e produtivo???!!! Incluindo ai o povo russo ???!!

paulof
paulof
1 mês atrás

A Rússia perdeu 23 helicópteros Kamov Ka-50 desde que invadiu a Ucrânia, em fevereiro, o que representa cerca de um quarto da sua frota de 90 aparelhos deste tipo, disse o Ministério da Defesa britânico. Mais mísseis anti-aéreos é mais problemas para Kremlin, obsoletos ou não.

Matusa
Matusa
Reply to  paulof
1 mês atrás

Ministério da Defesa que estava subordinado a Boris Johnson, Liz Truss ou ao bilionário indiano?
Parecem meio perdidos.
Certamente não sabem a quantas andam o conflito na Ucrânia.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

Mais um míssil antiáreo velho, mas que derruba drone e míssil de cruzeiro. O MIM-23 Hawk, é um míssil de médio alcance fabricado pela Raytheon. Ele foi projetado em 1960 para destruir aviões e depois adaptado para destruir outros mísseis em voo. A probabilidade de morte por disparo do Hawk original era de 56% e subiu para 85% com o sistema I-Wawk. O Hawk foi substituído pelo Patriot e saiu de serviço em 2002. Os EUA produziram 40 mil unidades do Hawk e nunca as usaram em combate, ou seja, deve haver um estoque gigante disponível para entrega, tal qual… Read more »

EduardoSP
EduardoSP
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Mísseis tem prazo de validade, especialmente em relação ao combustível. Se estão fora de serviço desde 2002, é bem provável que apenas uma pequena parte desses 40 mil unidades esteja apta a ser utilizada.

Zoe
Zoe
Reply to  EduardoSP
1 mês atrás

Usa fora da validade mesmo! Se falhar uns faz parte, melhor que nada né.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Zoe
1 mês atrás

Estão fazendo o mesmo com o AGM 88 Harm e com o Tow. Em terra de cego, quem tem um olho é rei.

A6MZero
A6MZero
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Os japoneses produziram sob licença o Hawk e ainda está ativo em seu inventario, podem ter capacidade de produzir o míssil ou repassar seus estoques.

Além disso Espanha, Grécia e outras nações matem o sistema ativo em seus inventários e poderiam ser fontes de misseis dentro da validade.

Salim
Salim
Reply to  A6MZero
1 mês atrás

Existe também retrofit que colocam estes misseis na ativa novamente. Provavelmente combustível, revisão eletrônica e cabeça de guerra. Como estao ativa em varios paises, tem tecnologia e capacidade.

Ivan
Ivan
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Se está no estoque há tantos anos, seu custo já foi totalmente amortizado. . Um dos grandes problemas dos ataques com mísseis de cruzeiro mais simples é que o custo dos mísseis atacantes podem ser menores que o custos dos mísseis defensivos, com a equação ficando ainda mais desfavorável quando são necessários mais de um disparo para deter um atacante. . Retirar da naftalina sistemas mais antigos, porém ainda operacionais, pode ser uma solução com custo-benefício aceitável. Principalmente se buscar as últimas versões ou aquelas que os ianques chamam de “Improved”. . Entretanto, não acredito que os Hawk ou mesmo… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  Ivan
1 mês atrás

Os contribuintes americanos já pagaram por esses mísseis faz tempo. É material de depósito. Nem precisa de autorização do Congresso Americano para disponibilizar. O I-Hawk tem uma probabilidade de morte por disparo de 85%. Para quem está sofrendo com ataques de drones e mísseis de cruzeiro qualquer ajuda é bem vinda.

Matusa
Matusa
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Pagaram nada.
Por que vc acha que a dívida americana chegou a 32 trilhões de dólares?

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Ah, Claro. Também estou fazendo minha lista de presentes para o Papai Noel em cirílico. Quem sabe assim o Putin se alegra. Para você … desejo que encontre fontes que amparem suas bobagens.

Salim
Salim
Reply to  Ivan
1 mês atrás

Ótima questão em relação aos drones iranianos baratos, rudimentares, porem letais. Apareceu uma arma de mão israelense alegando ser a soluçao para estes drones, alguem tem alguma informaçao a respeito. Vi em um blog yotube, porem nao achei nada a respeito em fontes mais tradicionais.

Matusa
Matusa
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Mas a Ucrânia não estava lotada de armamentos americanos como o Stinger?
Isso aí será alvo fácil para os Lancet e Geran-2 russos.
Se é que vale a pena gastar um drone nestes cacarecos.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Não se iluda, os ucranianos estão abatendo 85% dos drones iranianos e vão aprendendo os macetes para melhorar a pontaria. Metade dos mísseis de cruzeiro russos estão sendo derrubados, sendo que o NASAMS já está abatendo 9 de 10 mísseis engajados. Os Hawk são emergenciais porque existem aos milhares nos depósitos dos EUA. Dois Nasams estarão operacionais em poucas semanas. Céus fechando para os russos …

Last edited 1 mês atrás by Marcelo
Matusa
Matusa
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Fonte?

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Tudo o que eu posto tem fonte.
Taxa de abate de 85% dos drones iranianos pelas forças ucranianas:
https://www.google.com/amp/s/news.yahoo.com/amphtml/ukrainian-armed-forces-shooting-down-102900525.html
Nasams derruba 9 de 10 alvos engajados:
https://www.google.com/amp/s/en.interfax.com.ua/news/general/867936-amp.html
Dois Nasams estarão operacionais em poucas semanas:
https://www.defensenews.com/pentagon/2022/10/25/ukraine-bound-nasams-are-in-us-hands-now-raytheon/

Satyricon
Satyricon
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Marcelo, não se esqueça de mencionar a aviação de combate russa, que está perdendo aparelhos e tripulações quase que diariamente, seja por abate ou atrito. A inclusão de mais sistemas de defesa Ucranianos tornará os céus Ucranianos impraticáveis para a aviação russa.

Salim
Salim
Reply to  Satyricon
1 mês atrás

A aviaçao russa e outra decepçao. Capitulo a parte.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

A ideia é válida, é mais um sistema a ser disponível para ameaçar os russos nos céus ucranianos, desde aeronaves, a mísseis de cruzeiro e drones….se sistemas antigos soviéticos conseguem proporcionar baixas em vetores aéreos russos como o fazem, este sistema que foi produzido em grande quantidade pode faze-lo também .

paulof
paulof
1 mês atrás

A economia da Rússia é agora uma economia de guerra, a demanda por trabalhadores nas fábricas de armamento está fora do normal. Tudo agora está operando 24/7. È algo a se confirmar, mas é o que se informa, russos estão pegando gente de energia para ajudar no esforço de guerra.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Editor e amigos, sabem o motivo desse sistema ou até mesmo o patriot nunca terem sido oferecidos ao Brasil? se existe ou já existiu alguma relação/interesse comercial, esta é muito implícita com eles.
Refletindo um pouco a respeito, ou o Brasil não tem interesse em sistema de defesa antiaéreo americano ou eles nunca tiveram interesse em nos vender…qual situação condiz com nossa realidade?

Obs: equipamento de defesa antiaérea são disponibilizados via FMS ao Brasil? nunca vi

Last edited 1 mês atrás by Rafaelvbv
JuggerBR
JuggerBR
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Brasil vai esperar ser invadido pra pensar em se defender…

Wilson Look
Wilson Look
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Até onde eu sei, não houve interesse dos EUA em vender esses sistemas ao Brasil.

Salim
Salim
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 mês atrás

Compraram 100 javelim . Somanto aos igla e rbs70 nao chegam a mil unidades, temos um missil semelhante ao stugma, o mssxx, porem o desenvolvimento esta a mais de 20 anos sem conclusao, teve uns testes deles a um tempo atras.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

A Espanha já se antecipou e vai entregar quatro sistemas de defesa aérea Hawk para a Ucrânia.
https://www.kyivpost.com/russias-war/spain-hands-over-four-hawk-air-defence-systems-to-ukraine.html

Ravengar
Ravengar
1 mês atrás

Contra os drones e míssil de cruzeiro faz mais sentido os Oerlikon 35mm.

Cidadão das Sombras
Cidadão das Sombras
1 mês atrás

Quem já usou o Hawk em combate foi o Irã.

A6MZero
A6MZero
Reply to  Cidadão das Sombras
1 mês atrás

Em combate Irã, Kuwait, Israel e até os franceses…

Mas o sistema ainda está em operação incluindo países que tem em seus inventários sistemas mais modernos e superiores como o Japão.

BK117
BK117
1 mês atrás

Parece o sistema de míssil Jericho do primeiro filme do Homem de Ferro.

paulof
paulof
1 mês atrás

off: Os preços do gás natural na Europa desceram abaixo dos 100 euros por megawatt/hora pela primeira vez desde meados de junho, no final desta segunda-feira, o TTF holandês, referência para as trocas de gás na Europa, registava contratos para novembro fechados a um valor de 99,17 euros por megawatt/hora (MWh). Já esta terça-feira o mercado apresentava uma tendência semelhantes, com os preços dos contratos a rondarem os 95 euros MWh. O TTF atingiu o seu valor recorde de 349 MWh no final de agosto, uma valor que é mais de três vezes e meia o preço dos contratos negociados… Read more »

Eduardo Lima
Eduardo Lima
1 mês atrás

Estão tirando toda velharia do arsenal. Venda de garagem mesmo.

Tutor
Tutor
1 mês atrás

Tem aparência de material antigo de origem soviética, logo, certeza que não presta. Faz barulho, faz fumaça, ilumina o céu a noite, dá um show a moda Bagdá 1991, mas, o resultado é medíocre.
Se querem botar lenha na fogueira (coisa que eu desaconselho), entreguem logo uns Patriots.

Matusa
Matusa
Reply to  Tutor
1 mês atrás

O que não é muito animador, visto o resultado sofrível dos sistemas implantados pelos próprios americanos no Oriente Médio e que foram facilmente vazados pelos iranianos.

Inimigo do Estado
Inimigo do Estado
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Mas há quem diga que a taxa de acerto é de 90% kkkkkkkkk

Marcelo
Marcelo
Reply to  Inimigo do Estado
1 mês atrás

Taxa de morte por disparo do primeiro IRIS-T na casa de 90%. Taxa de abate dos drones iranianos de 85% e subindo. Quer as fontes? Posso postar novamente.

Mercenário
Mercenário
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Pior que existe um vídeo creditando a falha do Iris T em abater um drone fornecido pelo Irã.

A confirmar, pois não se sabe ao certo se estão operacionais no TO, visto que a entrega foi recente.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Não é isso que os militares americanos dizem sobre a ação dos drones iranianos no Oriente Médio, não. Eles dizem que os ataques eram constantes e era preciso manter vigilância dia e noite para realizar o abate e impedir danos às instalações. Quer a fonte? Posto daqui a pouco.

mago
mago
1 mês atrás

Agora estão mandando velharias para o regime nazista de Kiev. Mas não era a Rússia que estava sem armas?

Marcelo
Marcelo
Reply to  mago
1 mês atrás

Vamos dividir o comentário em duas partes: 1) o fluxo de armas modernas continua inalterado, mas está recebendo reforço de armas mais antigas, porém eficazes e letais. Um claro exemplo são as armas anticarro mais modernos – os Javelins, Nlaws, AT-4, etc continuam chegando, mas agora passaram a ser enviados os antigos e mais destrutivos Tow, que tem um estoque gigante. 2) a OTAN e os EUA começaram a implantar um sistema de defesa antiaérea em células na Ucrânia, que vai fechar os céus para as aeronaves, drones e mísseis russos.

Matusa
Matusa
1 mês atrás

A situação da Ucrânia vai se complicando.
Os estoques de armas de origem soviéticas que eram enormes, tanto dela quanto de aliados, estão se esgotando.
Passará a depender de armas ocidentais.
Grande parte desses suprimentos chegam da Polônia através da Transcarpátia.
Boris Rozhin considera que no inverno, os russos, na esteira de sua ofensiva, atacarão e desabilitarão os túneis das ferrovias que passam na região, vindas da Polônia.
Restarão as rotas da Hungria que tem se negado a permitir passagem por lá e pela Romênia que é mais exposta aos ataques russos.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Fonte: vozes que zumbem na sua cabeça.

Andre
Andre
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Esse russos são realmente geniais. Vão esperar quase um ano para atacar a rota pela qual os ucranianos recebem as armas que pararam e empurraram para trás com pesadas perdas o outrora poderoso exército russo.

Eu, que nem militar sou, teria feito isso logo no início, antes de perder mais de 1000 mbts e 100 aeronaves. Afinal, são só alguns túneis e ferrovias…

Nickless
Nickless
Reply to  Matusa
1 mês atrás

patricio mudou de nick novamente?

Jose
Jose
1 mês atrás

Ótimo equipamento.
O Brasil poderia estabelecer contato com Washington e adquirir por volta de 500 unidades e 5 mil mísseis .

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
1 mês atrás

[OFF]

O preço do gás natural está caindo na Europa, com os estoques da UE quase 100% cheios e um outono anormalmente quente. Se a tendência se manter, é provável que nenhum tipo de racionalmente será preciso durante o inverno desse ano.

Mudanças climáticas 1 x 0 Putin

https://www.ft.com/content/8d2d1e54-b2b7-4213-a1c4-daf9d42884cc

Matusa
Matusa
Reply to  Bruno Vinícius
1 mês atrás

Esse assunto já foi mais que debatido.
O problema da Europa não é apenas o próximo inverno, mas o dia seguinte ao próximo inverno.
Sem reposição, certeza absoluta que o gás acabará.
E a situação tende a se complicar, tendo em vista que a Europa não tem alternativas competitivas ao gás russo.
Sua economia está se inviabilizando e isso poderá ser para sempre.
O GNL não é viável, pois é muito mais caro.
Até Macron já está reclamando dos altos preços do GNL americano.
Sinuca de bico para a Europa.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Esse assunto de gás Russo devia ser esquecido. a Europa nunca mais vai comprar gás da Russia, os gasodutos já eram e não existe nenhuma confiança politica e econômica entre as partes.

E a cada dia que passa mais opções vão se abrindo para a Europa substituir o gás Russo. GNL sempre foi um substituo e não solução, o novo gasoduto que a Polônia abriu dia 27 do mês passado já ajudou muito.

Isso é águas passadas amiguinho, Russia não vai ter mais grana da Europa pra financiar a sua “operação militar especial”

paulof
paulof
Reply to  Matusa
1 mês atrás

E por que não teria reposição se os preços caíram no mercado LNG USA para os mesmos de 1 ano atrás? Navios podem vir de quaisquer jeito não existe impeditivo, inverno ou verão.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Há três fatores que vão fazer a Europa depender cada vez menos do gás russo: 1) a busca por outros fornecedores alternativos de hidrocarbonetos; 2) o uso de outras fontes alternativas para a produção de energia; 3) a busca por produtos que tenham consumo energético mais eficiente. No curto prazo a Europa vai passar um aperto, se o inverno for rigoroso. No médio e longo prazo a Europa vai se livrar da Rússia como fornecedora de hidrocarbonetos. A China vai adorar se tornar o único grande mercado para o gás e o petróleo russos.

Matusa
Matusa
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Sim.
Enquanto os produtos europeus passarão a custar 1.000, os chineses, que estão usando gás russo barato, custarão 100.
Equação fechada, assim como estarão as empresas européias.

Salim
Salim
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Em resumo vamos comprar iPhone, sansung, computadores TV…. feito Coreia, Malásia, Tailândia, vietnan e enfeite de Natal na China.

Raça Negra
Raça Negra
1 mês atrás

Os sistemas HAWK foram continuamente atualizados ao longo dos anos de modo que ainda são eficazes. Ademais para quem perdeu caças Su-30M e Su-34M para MANPADS é bom abrir o olho viu!? Rs!

Fabio Araujo
Fabio Araujo
1 mês atrás

Se ainda funcionarem é uma forma de reforçar a defesa aérea ucraniana sem muita burocracia, pois estes modelos não precisariam de aprovação do Congresso, e sem comprometer a defesa aérea americana e vão ser úteis para a Ucrânia!

Últimas Notícias

Empresa alemã produzirá munição do Gepard na Espanha

A Rheinmetall, depois de adquirir o mundialmente famoso fabricante espanhol de munições Expal Systems SA, planeja estabelecer a produção...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -