domingo, dezembro 4, 2022

Saab RBS 70NG

VÍDEO: Gepard na Ucrânia abate drone iraniano

Destaques

Guilherme Poggio
Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Um vídeo que circula nas redes sociais mostra o que seria um Gepard sendo operado por forças ucranianas disparando contra drones de produção iraniana. O evento teria ocorrido na cidade portuária de Odessa (é possível ver o reflexo dos disparos na água). Rajadas de seis tiros podem ser identificadas claramente e por volta de 22 segundos do vídeo ocorre uma explosão (possível alvo abatido).

Considerado um sistema obsoleto pela OTAN, o Gepard tem se mostrado uma excelente opção no combate a drones na Guerra na Ucrânia, sendo bastante eficiente e muito menos custoso do que os sistemas baseados em mísseis.

O conflito na Ucrânia te chamado a atenção para vários tipos de armas e munições que estavam esquecidas. O Gepard é uma delas. Não fossem as restrições à venda da munição por parte da Suíça, os ucranianos estariam buscando mais desses sistemas (que não são mais fabricados) ao redor do mundo.

- Advertisement -

74 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

74 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Underground
Underground
1 mês atrás

Cada homem, cada mulher e cada criança morta da Ucrânia terá as mãos sujas dos suíços.

JS666
JS666
Reply to  Underground
1 mês atrás

???? Era melhor deixar os drones explodirem homens, mulheres e crianças ucranianas? Coitado do Putin, o ser mais bondoso e pacífico do mundo, só está defendendo o povo russo invadindo outro país.

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  JS666
1 mês atrás

Acredito que ele esteja se referindo à recusa por parte da Suíça de vender munição para os Gepards (algo que poderia salvar vidas ucranianas)

Matusa
Matusa
Reply to  JS666
1 mês atrás

Nem os ucratfakam em vítimas civis.
E muito menos nas centenas de mutantes que morrem todos os dias .
Ontem foram cerca de mil baixas ucranianas.
Em tempo.
Dos 300.000 reforços russos, cerca de 86.000 estão começando a ser posicionados na frente.

Salim
Salim
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Boa parte ja esta voltando em terno madeira recheado de azeitona.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Salim
1 mês atrás

Carga 300

Jota
Jota
Reply to  Salim
1 mês atrás

Infelizmente não é bem assim que está acontecendo!
A OTAN precisa assumir está guerra urgente, ainda enquanto existe uma Ucrânia ou tudo será perdido, não adianta mandar só material, tem que enviar tropas profissionais!

glasquis 7
Reply to  Underground
1 mês atrás

Caraí!!!

Então, foram os suíços que invadiram a Ucrânia e eu aqui achando que eram os russos.

Maldita mídia ocidental, enganando a gente.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Sempre me perguntei se não valeria a pena modernizar o radar do Guepard e “adicionar” um ou dois MANPAD’s ao lado de cada canhão….

Matheus
Matheus
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Mais fácil pegar os chassis mais antigos dos Leo 1 que foram aposentados e reutilizar como Anti-Aérea autopropulsada.

Alessandro
Alessandro
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Pensei a mesma coisa, procurar uma empresa especializada em torres anti-aereas que caiba no chassi dos LEO 1, modernizar os componentes eletrônicos, ficaria top para esse tipo de guerra.

Last edited 1 mês atrás by Alessandro
BK117
BK117
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Não creio que vale a pena investir dinheiro em máquina velha. Para algo do tipo, o ideal, para mim, seria uma plataforma moderna, como a do futuro CC (seja qual for) ou até do Guarani.

Alois
Alois
Reply to  BK117
1 mês atrás

Mas não se trata de arma velha, apenas o chassis seria de um blindado mais velho, a arma em si seria nova, um canhão duplo com um bom radar em alguns mísseis de curto alcance, seria muito bom e mais barato pra derrubar de forma primária drones, e secundária helicópteros e aviões voando baixo. Atualizando o radar do Guepard já daria um bom caldo. Os russos tem o Pantsir que na sua função é bom, e tem canhões e mísseis. Na realidade não importa muito o veículo, desde que tenha capacidade e estabilidade, mas sim a ou as armas no… Read more »

BK117
BK117
Reply to  Alois
1 mês atrás

Caro colega, entendi que a arma seria nova. O meu ponto é: não creio que vale a pena gastar para integrar uma arma nova em folha em um chassi com várias décadas de uso como dos Leopard. Se vamos gastar em uma arma nova, gastemos também numa plataforma que forneça modernidade e confiabilidade para o desempenho da tarefa. De nada adianta a arma se ela não puder se locomover.
Lembrando que parece que os Leo 1a1 “já não estão entre nós” (a confirmar) e os 1a5 estão com disponibilidade baixa (28,98% disponíveis e 38,78% disponíveis com restrição).

Alois
Alois
Reply to  BK117
1 mês atrás

Existe a necessidade de saber se a falta de disponibilidade dos Leopards é relacionada ao chassi e motor ou ao sistema de armas/torre, mas de qualquer forma temos outras opções como os Cascaveis e os Guaranis, e até mesmo caminhões blindados como da Tatra e Mercedes 6X6, lembro que o Pantsir usa chassis sobre rodas e mais antigos sobre lagartas.
Mas com tantas plataformas no mercado não vejo necessidade de desenvolver nada específico, podendo até usar o radar SABER M60 acoplado ao/s canhões com uns 4/8 mísseis de curto alcance .

Mcruel
Mcruel
Reply to  Matheus
1 mês atrás

As vezes penso em por mira laser no .22 que ganhei de herança do meu avô… só quis compartilhar meu pensamento mesmo… tem nenhuma relação com o texto.

Rogério Loureiro Dhiério
Rogério Loureiro Dhiério
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Quantos Leo 1 foram desativados?

A meu ver só faria sentido se, para cada um Leo convertido em Anti-aérea, outras duas carcaças ficassem para peças de reposição.

Partindo do princípio que não temos nada, ou seja, começando do zero, independentemente do número de Leo 1 convertido, já seria um salto gigantesco em se tratando de cenário Anti Aéreo brasileiro.

José Carlos Amador
José Carlos Amador
Reply to  Matheus
1 mês atrás

Será que precisaria de um chassis tão pesado? Uma plataforma mais leve, talvez um módulo do Guarany ou de um LUV como o LMV da IVECO, no nosso caso, seria melhor?

Não sei qual a solução dentro da nossa doutrina.

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  José Carlos Amador
1 mês atrás

Um Guarani caberia muito mais munição

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Levantou uma boa reflexão, eu me pergunto ainda se não seria prudente começarmos a produzir esse tipo de munição, já tinha sido comentado a alguns anos atrás, salve engano quando o Irã bombardeou as refinarias sauditas, a eficiência desses meios.

Não costumo confiar nas informações vindas do campo de batalha, se esse vídeo retratar a verdade, esse sistema Guepards representa a volta de uma tecnologia do passado, totalmente necessária para o presente e para o futuro, pois essa doutrina de atacar com os drones e ter consciência situacional com os mesmos, vieram para ficar e são muito eficientes.

Abs

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Atirador 33
1 mês atrás

sim…somente artilharia de tubo pode resolver pois:
a) atende ao requisito de saturação
b) atende ao requisito de emprego em larga escala
c) atente ao requisito de custo da arma de defesa X custo do alvo a ser destruido

bjj
bjj
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

Acho que economicamente não compensa, já que o manpad e o canhão de 35 mm atuam dentro da mesma faixa de emprego, e os alvos seriam basicamente os mesmos.
Como esses mísseis portáteis existem em número limitado, vale mais a pena dispersá-los melhor no campo, até porque a infantaria leve carece bastante da proteção desse tipo de sistema.

Last edited 1 mês atrás by bjj
Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Willber Rodrigues
1 mês atrás

melhor seria uma UT30 com radar diretor de tiro com o saber M60 dando o aviso antecipado

Arthur
Arthur
1 mês atrás

Nooosssa! Vi tudinho! Não foi um, nem dois, foram uns vinte drones. Só não seu pra ver direito que modelo de drone iraniano era! Putz grila!

Matusa
Matusa
Reply to  Arthur
1 mês atrás

Exato
Muito escuro .
Pode ser até São João.

andre
1 mês atrás

Isso esta com cara de treinamento.

Arthur
Arthur
1 mês atrás

Na falta de Gepards, a Ucrânia importará da Alemanha os moderníssimos Ostwind e Wirbelwind, nos calibres 37mm e 20mm, respectivamente.

Heinz
Heinz
1 mês atrás

Um sistema barato e muito eficiente, muitas vezes queremos sistemas hiper, mega fodásticos e caros, mas esquecemos que o básico, fazendo o feijão com arroz pode ser bem eficiente. Para derrubar esses drones, o guepard é excelente, tem boa cadência de tiro, é móvel e relativamente fácil de operar. Creio que esses sistemas ainda têm muita lenha para queimar.

Gelson
Gelson
1 mês atrás

Boa noite!
Desculpem pelo off-topic mas não li nada sobre isso nos nossos meios daqui: https://www.janes.com/defence-news/industry-headlines/latest/brazil-to-add-81-mm-mortar-to-guarani-afvs

Isso está confirmado?

Marcos
Marcos
Reply to  Gelson
1 mês atrás

É verdade.

No total, serão adquiridos 182 kits para transporte de morteiros calibre 81mm e de suas respectivas munições. Cada VBTP Guarani levará 1 morteiro e 60 munições HE

A obtenção desses kits não substitui a variante de combate porta-morteiro do Guarani, que também foi homologada.

Marcos
Marcos
Reply to  Marcos
1 mês atrás

E não apenas esse projeto, mas também inúmeros outros. A Trilogia perdeu a mão com algumas divulgações, creio que seja pela falta de editores disponíveis.

EB anunciou diversos programas. Aquisição de 78 IFV (VBC FUZ) e 65 MBT (VBC CC); aquisição de 36 obuseiros autopropulsados 6×6 e muito mais

Sem falar da modernização dos Leo’s 1A5

Zé bombinha
Zé bombinha
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Recentes essas informações guerreiro?… Se for de uma palavra aí…. Estou sem saber por isso a pergunta

Last edited 1 mês atrás by Zé bombinha
Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Marcos
1 mês atrás

Marcos, pelo que entendi esses guaranis são para os pelotões de apoio das companhias de fuzileiros, os VBC Mtr dos pelotões de morteiros das CCAP seriam 120mm, correto?

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Marcos
1 mês atrás

poxa..81 MM…porque não o 120 MM?

Rafael
Rafael
Reply to  Gelson
1 mês atrás

O “português da Janes” segue sendo o melhor jornalista cobrindo o setor de defesa brasileiro. O melhor ou o único, já que o resto não passa de armazém de secos e molhados.

eliton
eliton
1 mês atrás

Essas explosões não são da munição se auto detonando?

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  eliton
1 mês atrás

Boa pergunta, vamos esperar os caras que entendem tecnicamente do assunto se manifestar, pelos vídeos achei que os Guepards são os matadores do conflito..

eliton
eliton
Reply to  Atirador 33
1 mês atrás

parece treinamento.

IvanF
IvanF
Reply to  eliton
1 mês atrás

No meu entendimento leigo, creio que sim, ou algo do tipo. Apenas aos 22s do vídeo que algo explode “no meio do caminho”, que é o que a matéria diz ser um drone abatido.
Algo foi abatido, dizer que foi um drone iraniano, só se acharam os restos depois rsrsrs

BK117
BK117
1 mês atrás

Som quase inconfundível! Essa é pra quem menospreza o Gepard…
Pra quem nunca viu um Gepard disparando:
https://youtu.be/hyEPree1axc?t=110

bjj
bjj
1 mês atrás

Cada rajada é seguida de várias explosões, aparentemente no mesmo lugar. Parece ser a detonação das munições, e não dos alvos. A munição do Gepard não possui espoleta de proximidade como a 3P de 40 mm, então se for realmente a detonação da munição, é pelo sistema de autodestruição, indicando que não acertaram nada.
Mas é impossível saber ao certo.

Nemo
Nemo
1 mês atrás

https://www.army-technology.com/projects/pilica-anti-aircraft-missile-and-artillery-system-poland/
Observem o sistema Pilica (rsrs que nome) desenvolvido pela Polônia. Com o desenvolvimento de drones de menores dimensões a artilharia está voltando em conjunto com os musseis.

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  Nemo
1 mês atrás

Como leigo, de inicio achei uma baita gambiarra, porém é necessário a mobilidade e capacidade de desovar esses sistemas nas regiões dos conflitos…

O caminhão parece futurista, porém olhando de primeira, parece o transporte de um obuseiro.

bjj
bjj
Reply to  Atirador 33
1 mês atrás

Essa versão autopropulsada é uma gambiarra completa. Nem acoplaram o canhão diretamente ao chassi do caminhão, o reboque está com as rodas ainda. É evidente também que não é possível garantir uma cobertura de 360 graus em função do comprimento do tubo que bateria no próprio caminhão.

Vale mais a pena então usar o sistema como uma peça rebocada mesmo, de acordo como foi projetada para fazer.

Andre
Andre
1 mês atrás

Para aqueles que disseram que eram velharias sem utilidade, estão se mostrando uma alternativa muito boa no combate aos drones.

Omg
Omg
1 mês atrás

algo que impressiona nas forças ucranianas é a capacidade que eles tem de rapidamente assimilar e operar equipamentos de origem e tipos diferentes.

Heinz
Heinz
1 mês atrás

Uma dúvida. O Brasil fabrica as munições para o gepard?

glasquis 7
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Não.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

Acerta um passa 20

Marcelo
Marcelo
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

A taxa de morte por disparos de munição de vadiagem Shahed-136 pelas defesas antiaéreas ucranianas beira 85%, ou seja, de cada 20 estão passando 3.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Marcelo tem algumas pessoas que acreditam em qualquer coisa sem evidência concretas para justificar suas convicções, tipo essa tal tal taxa de 85%, que aliás é utilizada pelo mediastream made NATO, a questão é a seguinte não importa o fato produzido, tanto pela Russia quanto pela NATO, pode ter taxa de 85%, o que eu tenho muita dúvidas, importa o estrago que 15% fazem.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Evidência mais concreta do que links, fotos e vídeos. Só se eu for até a Ucrânia para contar as munições de vadiagem abatidas, mas os ucranianos sabem fazer direito esse serviço.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

É os Russos também, aqueles 15% estão fazendo um ótimo serviço na rede elétrica ucra, alias uma excelente oportunidade para quem tem curso de manutenção em transformadores, só não sei se a empresa que contrata coloca no PPP risco de ser atingido por um drone Persa, ops Russo.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Nilton L Junior
1 mês atrás

Vários países estão ajudando a Ucrânia a restabelecer o fornecimento de eletricidade e de água. Enquanto o sistema de defesa antiaérea Ucraniano se fortalece … os estoques de mísseis russos vão diminuindo. E a Ucrânia vai resistindo …

Last edited 1 mês atrás by Marcelo
Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Claro claro, esta uma maravilha, esse seu “vários” países é tão grande, tão grande que logo logo vai acabar o estoque de agua e fornecimento de eletricidade.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

A OTAN e os EUA estão ajudando a Ucrânia a implantar sistemas antiaéreos em células para cobrir longo, médico e curto alcance. Serão usados sistemas de mísseis terra ar, canhões antiaéreos, metralhadoras pesadas, manpads e até drones armados. Os canhões antiaéreos e as metralhadoras pesadas, com fogo controlado por radar, tem dado ótimos resultados para combater enxames de drones, porque o custo das munições é baixo. Fontes relatam que um Guepard derrubou nove Shahed-136 em uma única sequência de disparos.

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

Quantos destes (Gepard) nos temos hoje ?

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  Rodrigo Maçolla
1 mês atrás

salvo engano somente 34 nas forças.

RSmith
RSmith
1 mês atrás

Bem que o Brasil poderia doar o meia dúzia de unidades com bastante munição para a Ukrania… Se não da para boas as unidades por causa de sermos membros dos BRICS poderia doar a munição “do jeitinho Brasileiro” isso é “por debaixo dos panos” ;o)

Nemo
Nemo
Reply to  RSmith
1 mês atrás

Nem o Bolsonaro nem o Lula doação armas para a Ucrânia. Os Brics são muito mais importantes para o Brasil do que a Ucrânia. Quanto a doar em segredo, segredos do Estado brasileiro duram dois segundos.

José Carlos Amador
José Carlos Amador
Reply to  Nemo
1 mês atrás

Não só isso. Há uma questão de munição. A própria Alemanha não tinha munição suficiente, inclusive estava procurando fabricante para produzir às pressas a munição AA.

Se, de repente, começa aparecendo munição na Ucrânia do nada, não deve ser muito difícil descobrir de onde vem.

Hcosta
Hcosta
Reply to  RSmith
1 mês atrás

Alguns países estão a livrar-se do equipamento mais antigo e a receber outro mais moderno. A Grécia enviou BMP’s(?) para a Ucrânia e recebeu Marders da Alemanha.

Salim
Salim
Reply to  Hcosta
1 mês atrás

Da os mi35 pra eles rssss

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  RSmith
1 mês atrás

é nosso , deixa aqui e está mostrando que tem serventia

Felipe
Felipe
1 mês atrás

Inteceptaram comunição britânica indicando que foram eles que explodiram o Nord Stream: ‘Está feito’: Rússia aguarda resposta sobre a ‘mensagem’ de Truss logo após explosões do Nord Stream08:05 01.11.2022 Sites ocidentais, incluindo o Reddit e o 19FortyFive, estão debatendo as declarações do fundador das empresas de compartilhamento de arquivos Megaupload e Mega, Kim Dotcom (Kim Schmitz), que a ex-premiê britânica poderia ter enviando uma mensagem ao secretário de Estado dos EUA, Antony Blinken, após o ataque ao Nord Stream com o texto “está feito”. “Como os russos souberam que o Reino Unido explodiu os gasodutos Nord Stream em parceria com os EUA?… Read more »

Salim
Salim
Reply to  Felipe
1 mês atrás

Na remota possibilidade de ser verdade, a Rússia vai fazer o que?!?!?!!! Só da pra chorar na cama.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Felipe
1 mês atrás

Você acredita mesmo que a Primeira Ministra da Grã-Bretanha e o Secretário de Defesa dos EUA conversariam um assunto dessa importância por meio de um telefone celular sujeito a ataques de hackers? Isso é claramente é uma narrativa russa. Basta ler quais são as fontes. Mas cada um acredita naquilo que quer …

Nemo
Nemo
Reply to  Marcelo
1 mês atrás

Considerando a m* que a Truss aprontou na sua curtíssima passagem pelo cargo de primeira-ministra. Eu acredito em qq coisa.

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

“A luta em torno de Kherson está se intensificando. Parece que os russos moveram algumas de suas melhores tropas para defender Kherson. E se for perdido, é uma grande… grande derrota, uma grande vergonha para Putin. Como Kherson é a única grande cidade que ele conseguiu capturar até agora, no campo de batalha a luta continua e em casa, a luta continua.”
https://www.google.com/amp/s/www.express.co.uk/news/world/1690423/Putin-Kherson-Ukraine-Russia-army-troops-military-invasion-weapons-war-Lord-Dannatt-vn/amp

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

A inteligência militar na Ucrânia informou que Putin empilhou até 40.000 soldados russos na parte ocidental do rio Dnipro em Kherson. É difícil para os soldados russos escaparem de onde estão atualmente situados em direção à parte ocidental do rio. Um ex-general dos EUA afirmou que as tropas russas podem ser exterminadas em breve.
https://www.google.com/amp/s/www.express.co.uk/news/world/1690423/Putin-Kherson-Ukraine-Russia-army-troops-military-invasion-weapons-war-Lord-Dannatt-vn/amp

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

O último ataque significativo que enfrentamos foi há um mês. O inimigo realizou um reconhecimento em força e cerca de uma companhia de homens veio até nós. Matamos um monte deles, expulsamos o resto. Tivemos que enterrar seus mortos, porque eles não voltaram para pegar os corpos. Já vimos seus homens mobilizados. Você pode dizer imediatamente pelo nível de preparação deles, que e muito menor. Bucha de canhão.”
Oficial Nazar da 63ª Brigada Mecanizada da Ucrânia
https://intellinews.com/ukraine-s-63rd-brigade-gears-up-for-kherson-push-261060/#

Marcelo
Marcelo
1 mês atrás

“Para poder [tomar a cidade de Kherson], temos que levar seriamente em consideração, analisar e estudar a situação de cada operação que realizamos. Uma ofensiva não é apenas um ataque de infantaria. A ofensiva é um grande trabalho que está sendo feito em todos os níveis, começando pelo estado-maior e terminando nas unidades menores. Estamos fazendo nossa parte e estamos chegando lá”.
Oficial Nazar da 63ª Brigada Mecanizada da Ucrânia
https://intellinews.com/ukraine-s-63rd-brigade-gears-up-for-kherson-push-261060/#

Jagdverband#44
Jagdverband#44
1 mês atrás

O ronco é bonito

Últimas Notícias

Empresa alemã produzirá munição do Gepard na Espanha

A Rheinmetall, depois de adquirir o mundialmente famoso fabricante espanhol de munições Expal Systems SA, planeja estabelecer a produção...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -