domingo, dezembro 4, 2022

Saab RBS 70NG

Exército dos EUA quer comprar fuzis AK-74

Destaques

Guilherme Poggio
Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Exército dos Estados Unidos está interessado em comprar estoques de fuzis de assalto AK-74 5.45x39mm fabricados na Rússia, ou cópias feitas em outros países. O motivo exato não está totalmente claro, mas o AK-74 é um dos fuzis padrão predominantes nas forças armadas ucranianas. O Exército, assim como outros ramos das forças armadas dos EUA, também mantém estoques de várias armas pequenas estrangeiras para uso por forças de operações especiais, para armar forças inimigas ou falsas parceiras locais durante exercícios de treinamento e para apoiar várias pesquisas e desenvolvimento e atividades de teste e avaliação.

O Comando de Contratação do Exército de Nova Jersey (CCNJ) publicou um aviso “buscando fontes potenciais para fornecer fuzis de assalto e peças de suporte Kalashnikov do tipo AK-74” no site de contratação SAM.gov do governo dos EUA em 27/10. O CCNJ disse que esta postagem foi feita em nome do Gerente do Programa de Letalidade do Soldado (PMSL) e do Centro de Armamentos do Comando de Desenvolvimento de Capacidades de Combate (CCDC-AC), mas não ofereceu mais detalhes sobre por que qualquer entidade pode estar interessada nessa potencial compra e para que as armas podem ser usadas mais especificamente.

O aviso de contratação também não diz quantos dos AK-74 projetados pelos soviéticos o Exército pode estar querendo comprar no total, mas oferece detalhes sobre o que o Exército está procurando em termos das próprias armas. “Para os propósitos deste esforço, o fuzil de assalto Kalashnikov tipo AK-74 é definido da seguinte forma: Um (1) fuzil de assalto Kalashnikov tipo AK-74 com coronha fixa e cano de aproximadamente 16 polegadas.”

Um conjunto padrão de acessórios para acompanhar cada arma – quatro carregadores, um kit de limpeza, uma garrafa de óleo, uma bandoleira e um manual do usuário – também é desejado. No entanto, o Exército diz que “reconhecerá que a disponibilidade desses acessórios depende da condição e da origem dos rifles e pode não ser incluída”.

O aviso do CCNJ é um pouco confuso em termos de quais armas alternativas ele diz que o Exército pode estar disposto a aceitar em vez de AK-74 reais produzidos por soviéticos/russos.

“Os sistemas de armas de interesse são aqueles que seguem o padrão de design de rifles da Romênia (por exemplo, md.86), Rússia (por exemplo, AK-74) e Alemanha Oriental (por exemplo, MPi AK74). Armas fabricadas em outros lugares também são desejáveis, desde que eles aderem ao padrão AK-74”, diz. “Por outro lado, os fuzis búlgaros AR-SF e poloneses Tantal não são considerados armas padrão AK-74 para os fins deste aviso de Fontes Procuradas”.

Os MPi-AK-74 da Alemanha Oriental são cópias diretas do AK-74, que foram produzidos naquele país sob licença da União Soviética durante a Guerra Fria. No entanto, o PA romeno md. 86 é uma espécie de híbrido do design anterior de 7,62x39mm AKM e do AK-74. Não está claro por que essas armas são aceitáveis, mas os Tantals poloneses derivados do AKM não são. Apesar das semelhanças nas aparências externas, um verdadeiro AK-74 tem apenas cerca de 50% de semelhança em suas partes com o AKM.

O AR-SF búlgaro e outros projetos baseados na série AK feitos pela empresa Arsenal naquele país só parecem ser oferecidos atualmente nos calibres 5,56x56mm padrão da OTAN e 7,62x39mm projetados pelos soviéticos, em vez dos calibres 5,45x39mm do AK-74, o que poderia explicar o problema lá. A Bulgária também licenciou AK-74 reais durante a Guerra Fria, cujos estoques restantes seriam aceitáveis ​​sob as definições fornecidas no recente aviso de contratação do CCNJ.

“As fontes são procuradas para sistemas de armas funcionais AK-74. Novos itens de produção são preferidos. Rifles em novas condições de estoque antigo / não emitidos, recondicionados ou excedentes são satisfatórios desde que sejam determinados como seguros para disparar”, o anúncio de contratação acrescenta. “Rifles montados a partir de peças usadas anteriormente ou soltas (ou seja, ‘kits de peças’) também são interessantes.”

Existem certamente várias fontes secundárias potenciais de AK-74 e clones, com as armas sendo exportadas para dezenas de países ao longo dos anos. Quando se trata de novas armas de produção, a Rússia continua a ser o principal produtor de novos rifles do tipo AK-74 com câmaras no cartucho 5,45x39mm, que parece ser um requisito central para o Exército. Várias empresas em outras partes do mundo, inclusive nos Estados Unidos , continuam a fabricar vários novos rifles estilo AK ou montam exemplos de kits de peças. Enquanto alguns deles estão em 5,45x39mm , é mais fácil encontrá-los nos calibres muito mais populares de 5,56x45mm e 7,62x39mm.

Como já observado, o que o Exército planeja fazer com qualquer AK-74 que compre não está imediatamente claro. Transferi-los para as forças armadas ucranianas é certamente uma possibilidade. Pelo menos no início do conflito, as forças ucranianas, especialmente unidades voluntárias das Forças de Defesa Territoriais, muitas vezes tinham poucas armas pequenas. As tropas às vezes eram vistas armadas sem metralhadoras da época da Primeira Guerra Mundial e da Segunda Guerra Mundial. Não está claro se as coisas são tão terríveis quanto às vezes pareciam inicialmente, mas as armas pequenas foram e continuam a estar entre os pacotes de ajuda militar estrangeira para as forças armadas da Ucrânia.

O Exército e outros elementos das Forças Armadas dos EUA rotineiramente compram e adquirem armas estrangeiras e outros equipamentos militares para uma série de propósitos. Isso inclui o uso operacional por unidades de forças de operações especiais, para armar indivíduos em posição de forças opostas (OPFOR) e locais amigos durante exercícios de treinamento e para apoiar programas de pesquisa e desenvolvimento e teste e avaliação.

Se as armas são realmente destinadas à Ucrânia, talvez seja um tanto irônico que o Exército dos EUA esteja agora procurando comprar rifles fabricados na Rússia para ajudar os ucranianos a lutar contra a invasão da Rússia. Independentemente de qual seja o propósito desta compra de AK-74s, isso pode levar a uma resposta do governo russo.

As autoridades da Rússia há anos criticam particularmente os esforços do governo dos EUA para oferecer ou facilitar fontes alternativas de armas leves e munição de armas leves projetadas pelos soviéticos para aliados e parceiros, alegando que o objetivo real é reduzir a participação do país nas armas internacionais mercado. Relatórios mais recentes sugeriram que as exportações de armas da Rússia podem cair devido às amplas e incapacitantes sanções ocidentais sobre a invasão da Ucrânia e os danos à reputação resultantes do fraco desempenho das forças russas no conflito.

FONTE: The Drive

- Advertisement -

24 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest

24 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Raça Negra
Raça Negra
1 mês atrás

Salvo engano há empresas nos EUA que produzem a linha AK

Oráculo
Oráculo
Reply to  Raça Negra
1 mês atrás

Existe inclusive a KALASHNIKOV USA.
Faz sucesso por lá.

https://kalashnikov-usa.com/

Guacamole
Guacamole
Reply to  Raça Negra
1 mês atrás

A PSA faz, mas a primeira versão tinha problemas de pane.

Matusa
Matusa
1 mês atrás

Reconhecidamente, o melhor do Mundo .
Por que não?

RDX
RDX
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Está longe de ser o melhor. Para começar a família AK possui péssima ergonomia, precisão terrível, miras ruins (abertas) e baixa modularidade (sempre foi difícil instalar acessórios no AK). Ao contrário do que muita gente pensa o AK é um fuzil com vida útil curta. Em outras palavras ele é fuzil descartável. Perdeu o raiamento do cano ou sofreu pane catastrófica é mais prático trocar o fuzil do que consertá-lo. Fruto da filosofia soviética/russa. Além disso, já existem fuzis muito mais confiáveis no mercado (FN SCAR e HK416, por exemplo). Historicamente, a principal virtude da família AK é a simplicidade… Read more »

Neural
Neural
Reply to  RDX
1 mês atrás

Única coisa que concordo é na precisão, realmente a família AK sempre foi mais ou menos nesse ponto, o Ak-74 já é bem melhor que o 47. De resto não concordo em nada

Antunes 1980
Antunes 1980
Reply to  RDX
1 mês atrás

Nunca li tanta baboseira em um post.
Primeiro a simplicidade e a rusticidade da família AK provam que ela não é “descartável”. Com uma simples limpeza e manutenção ela é confiável por mais de 50 anos.
Se compararmos com o AK47, calibre 7,62, a precisão melhorou muito no calibre 5,45mm.
Em testes, os danos deste calibre são superiores aos 5,56mm.
Terceiro, comparando HK416, SCAR etc, tem a AK12. Que não perde em nada para os fuzis ocidentais modernos.

RDX
RDX
Reply to  Antunes 1980
1 mês atrás

Você está perdido. Não sabe nem o significado das palavras. Vida útil não tem nada a ver com confiabilidade…e a precisão é ruim por conta das tolerâncias mecânicas. “Os rifles do tipo AK-47 são fabricados em dezenas de países, com “qualidade variando de armas finamente projetadas a peças de fabricação questionável”. [278] Como resultado, o AK-47 tem uma vida útil do sistema/serviço de aproximadamente 6.000, [279] a 10.000, [280] a 15.000 [281] rodadas. [43] O AK-47 foi projetado para ser um fuzil de assalto barato, simples e fácil de fabricar, [222] combinando perfeitamente com a doutrina militar soviética que trata equipamentos e armas como itens descartáveis. [282] Como as unidades são frequentemente implantadas sem… Read more »

Last edited 1 mês atrás by RDX
Heinz
Heinz
Reply to  RDX
1 mês atrás

RDX, creio que o AK-12 veio para solucionar esses problemas, me parece um fuzil bem construído, e com vários trilhos para acoplar miras, lançadores de granadas e etc. Quanto aos AK74, ainda dão para o gasto, a exemplo do nosso Fal, pelo menos a pancada é forte.

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  Heinz
1 mês atrás

Cópia do STG 44 com aço inferior.

Raça Negra
Raça Negra
Reply to  Matusa
1 mês atrás

Fonte: vozes da minha cabeça 😆

SteelWing
SteelWing
Reply to  Raça Negra
1 mês atrás

fonte: guerra do vietnam e outros conflitos ao redor mundo, até soldados norte-americanos prefiriam usar AK quando capturavam alguma. Semana passada, num encontro amistoso entre tropas Russas e norte americanas na Síria, tinha norte americano usando AK tbm.

Victor Filipe
Victor Filipe
Reply to  SteelWing
1 mês atrás

Esse mito do “americano preferindo Ak no vietna” vai ser eterno né? Americanos não usavam Ak por preferencia, ma verdade isso seria suicídio. o AR-15 e o AK tem sons muito distintos e na mata fechada geralmente o combate rolava sem que você visse o inimigo então se você é um americano e usa um ak a unica coisa que você esta convidando é o fogo amigo. algumas unidades de operações especiais usavam ak no Vietnam, Afeganistão e síria porque por “algum motivo misterioso” é mais fácil achar a munição da Ak no território inimigo quando você passa 3 semanas… Read more »

RDX
RDX
1 mês atrás

Mistério. Não acredito que o objetivo dessa compra seja armar o exército ucraniano. Não faz sentido. É muito mais fácil transferir parte do gigantesco arsenal de fuzis dos membros da OTAN que ainda está armazenado (AKM e clones, FAL, G3, FAMAS, FNC, vz.58, M16 etc.). Até porque o suporte logístico é proveniente da OTAN e a munição 5,45×39 não é usada pelos exércitos membros. Além disso, a principal fonte de fuzis AK-74 é o exército russo. Acredito que os ucranianos já capturaram dezenas de milhares de AK-74 no campo de batalha. A longo prazo faz menos sentido ainda, pois a… Read more »

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  RDX
1 mês atrás

Um palpite poderia ser: Em um momento de alta demanda e falta de equipamentos no exército russo, se os EUA comprarem, não sobra para os russos comprarem. Sem contar que o fornecedor vai preferir receber em dólar

SteelWing
SteelWing
1 mês atrás

já que estão Otanizando o padrão de armas dos Ucros, porque não arma-los com M-4/M-16?

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 mês atrás

Com tantas fabricantes de armas, principalmente pra uso civil, nos EUA, não tem nehuma que poderia fabricá-la, ou modificá-las pra esse cartucho ?

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
1 mês atrás

Meu sonho é ter um MP40,PPSh-41 e um STG 44.

737-800RJ
737-800RJ
Reply to  Renato de Mello Machado
1 mês atrás

Difícil ter uma MP40, mas juntando uma grana dá pra pra ter uma CT9. Apesar de parecer um pouco maior do que deveria, vi vários vídeos elogiando.

Magaren
Magaren
Reply to  Renato de Mello Machado
1 mês atrás

O meu é ter um porta aviões e de cima da ilha eu apontaria e gritaria:”FOGO!”

RDX
RDX
Reply to  Renato de Mello Machado
1 mês atrás

Meu sonho é ter uma HK MP5.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Renato de Mello Machado
1 mês atrás

Seu sonho pode virar realidade é só ter grana.

Oráculo
Oráculo
1 mês atrás

Esse tipo de compra quem faz geralmente é a CIA.
Dessa vez a “fatura” vai pro US Army.

É óbvio que o destino final é a Ucrânia.

Vai para os bravos soldados da “Forças de Defesa Territoriais” da Ucrânia, a antiga reserva militar ucraniana, antes formada por reservistas mas que na guerra se tornou numa espécie de “milícia oficial” aonde voluntários civis combatem os invasores russos.

Eles utilizam armas de origem soviética. E estão na linha de frente do combate, não tem tempo para treinamento com armamento ocidental. Só precisam de armas e munição. A OTAN vai providenciar.

Last edited 1 mês atrás by Oráculo
Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 mês atrás

Manda buscar pela amazon na China.

Últimas Notícias

Empresa alemã produzirá munição do Gepard na Espanha

A Rheinmetall, depois de adquirir o mundialmente famoso fabricante espanhol de munições Expal Systems SA, planeja estabelecer a produção...
Parceiro

- Advertisement -
- Advertisement -