• Embaixador Igor Morgulov diz ao chanceler chinês que a amizade entre os países pode ‘superar qualquer desafio’
  • Moscou e Pequim promovem a narrativa de que representam um mundo multipolar em contraste com a ordem global liderada pelos EUA

O novo embaixador da Rússia na China prometeu lutar ao lado de Pequim contra o que chamou de “hegemonia unipolar”, uma frase comumente usada para criticar as sanções ocidentais direcionadas ao desenvolvimento militar e tecnológico da China, bem como à invasão da Ucrânia pela Rússia.

Os laços Rússia-China não podem ser rompidos, e a amizade entre os dois países pode superar qualquer desafio”, disse o Ministério das Relações Exteriores da China, citando Igor Morgulov, durante sua primeira reunião com o ministro das Relações Exteriores da China, Wang Yi, no domingo.

A China e a Rússia declararam uma “amizade sem limites” em fevereiro, antes do início da guerra. Enquanto Pequim repetiu a narrativa de Moscou e criticou as sanções ocidentais contra a Rússia, as empresas chinesas cumpriram amplamente as sanções. Também não há evidências sugerindo que o governo chinês tenha armado os militares russos.

Ataques de mísseis da Rússia danificaram partes da infraestrutura de energia da Ucrânia, levando a cortes de energia que afetaram o aquecimento de milhões de ucranianos.

Embora a declaração do Ministério das Relações Exteriores da China sobre a reunião de Morgulov com Wang não tenha mencionado a guerra na Ucrânia, disse que eles “trocaram opiniões sobre questões internacionais e regionais de interesse mútuo”.

“A China e a Rússia, como dois grandes vizinhos, continuarão a promover a confiança estratégica e a cooperação pragmática, aprofundar a parceria estratégica abrangente de coordenação dos dois países e salvaguardar a justiça internacional juntos”, disse Wang.

Ele disse que as principais autoridades chinesas continuarão as conversas com seus colegas russos e apoiarão o desenvolvimento da Rússia.

A China e a Rússia promoveram a narrativa de que representam um mundo multipolar em contraste com o que descrevem como “hegemonia” liderada pelos Estados Unidos.

No domingo, Morgulov reafirmou essa linha, dizendo que a Rússia trabalharia com a China para salvaguardar uma ordem internacional baseada no direito internacional e na Carta das Nações Unidas. Ele também disse que os laços seriam levados a novos patamares.

Os EUA e seus aliados acusaram os dois países de desrespeitar a lei internacional. Washington disse que a China desconsiderou tratados e resultados de arbitragem internacional em relação às suas reivindicações no Mar da China Meridional e que a invasão da Rússia violou a soberania da Ucrânia.

Em entrevista à mídia russa neste mês, Morgulov disse que o presidente chinês Xi Jinping deve fazer uma visita de Estado à Rússia após as “duas sessões” das reuniões políticas em março.

Morgulov foi anteriormente destacado para o Japão e os EUA e se concentrou na Ásia durante sua carreira no Ministério das Relações Exteriores da Rússia. De 2006 a 2009, foi conselheiro da embaixada russa em Pequim e, depois disso, diretor do Primeiro Departamento Asiático do ministério.

Ele se tornou vice-ministro das Relações Exteriores em 2011 e foi nomeado pelo presidente russo, Vladimir Putin, para se tornar o principal enviado à China em setembro.

FONTE: South China Morning Post

Subscribe
Notify of
guest

38 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Esteves
Esteves
2 meses atrás

“trocaram opiniões sobre questões internacionais e regionais de interesse mútuo”.

Qual o interesse da China na guerra na Europa? Parece que o aperto de mão entre Biden e Xi mexeu com o orgulho russo.

Teófilo
Teófilo
Reply to  Esteves
2 meses atrás

O mesmo que o interesse americano em Taiwan.
A China, tornando-se o maior player mundial, tem interesses por todo o Globo.
É assim que as coisas estão funcionando agora.

Nilo
Nilo
Reply to  Esteves
2 meses atrás

Saiu do foco da midia americana e europeia a guerra comercial com a China, a invasão chinesa dos seus produtos, das aquisições industriais, de infraestruturas portuárias, ….
Governo ameriano tem sua posição na mesa de negoiaçção com os chineses frágilizada referente a Taiwan, enquanto permanecer o conflito da Ucrânia, dificicl será manter duas frentes quentes.
A guerra na europa tem propiciado a China, maior oferta de petroleo e gas e com preços convidativos.
Muitos ganhos e nenhum soldado chines morreu nos campos da europa.

Last edited 2 meses atrás by Nilo
Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
2 meses atrás

Exato.

Os russos que chorem. A Europa lamenta. A vida segue.

WSilva
WSilva
Reply to  Esteves
2 meses atrás

Essas reuniões entre China e EUA não mudarão absolutamente nada, o comportamento dos EUA em relação a China será cada vez mais hostil e paranoico.

A China ainda não entrou no jogo para atacar pois ainda não está em condição, mas quando a China atacar, uma nova linha será desenhada entre esses dois, caberá aos EUA aceitar a nova linha ou desafia-la através de uma guerra direta.

Já reuniões entre China e Russia, China e ASEAN, aí sim tem muita coisa em jogo.

Alan Santos
Alan Santos
2 meses atrás


ordem internacional baseada no direito internacional e na Carta das Nações Unidas”: incrível a cara de pau desse russo .

leonidas
leonidas
Reply to  Alan Santos
2 meses atrás

Ué, só tem criticas neste aspecto ao Russo?
Pois neste caso o termo Cara de Pau serve também para sua colocação… rs

Alan Santos
Alan Santos
Reply to  leonidas
2 meses atrás

A invasão da Ucrânia seguiu a carta das nações unidas ?

Maurício Oliveira
Reply to  Alan Santos
2 meses atrás

Como a do Iraque na segunda guerra do Golfo?

Slowz
Slowz
Reply to  Alan Santos
2 meses atrás

Assim como teve diversas invasões, as Nações Unidas fizeram algo ?

leonidas
leonidas
Reply to  Alan Santos
2 meses atrás

Mas o ponto é exatamente este…rs
O que a Rússia fez de diferente na Crimeia que a Otan e os EUA não fizeram no Kosovo, no Iraque ou na Líbia? rs

H.Saito
H.Saito
2 meses atrás

Estranho, a Rússia vai combater a China?
O governo Chinês é unipolar.
E parece que o governo Chinês está interessado em um governo mundial unipolar que obedece apenas à China.

Teófilo
Teófilo
Reply to  H.Saito
2 meses atrás

Sabemos que será difícil se acostumar com a Nova Ordem Mundial.
Prepare-se.

europeu
europeu
Reply to  Teófilo
2 meses atrás

SDB2…

FimJO9EX0AAcbfp.jpg
Andre
Reply to  Teófilo
2 meses atrás

A NOM vem ai.

Depois de conquistar Kiev em 2 semanas a Russia só irá parar em Lisboa.

Prepare-se, mas prepare-se sentado.

Teófilo
Teófilo
Reply to  Andre
2 meses atrás

Não há muito o que fazer.
O Exército ucraniano que está sendo massacrado em Backmuth é o mesmo que terá de defender novamente Kiev.
É uma coisa só.
A cada dia que passa, mais desbastado.
O nome disso é desmilitarização.
Hoje, Zezé reclamou que a Rússia já bombardeou Kherson 236 vezes.
Era previsto.
Virou campo de tiro para os russos.
Muitas baixas militares e civis indo embora.
Esse é só a metade do primeiro tempo.
Acompanhe aí.

Andre
Reply to  Teófilo
2 meses atrás

Ué Da Lua, mas vc não tinha dito que backmuth já tinha caído? Se caiu, como que o exército ucraniano ainda combate lá?

Sua amada Rússia teve que ir buscar as velharias soviéticas que estavam em estoque e mesmo assim só recua há meses, já devolveu mais da metade dos territórios invadidos esse ano e você diz que o exército ucraniano está desbastado.

Esse seu mundo de fantasias é lindo mesmo.

Plinio Jr
Plinio Jr
Reply to  H.Saito
2 meses atrás

E a Rússia obediente a China, ou seja , vai virar um país de terceiro escalão …

Manus Ferrum
Manus Ferrum
Reply to  Plinio Jr
2 meses atrás

Se você acha uma Russia satelitizada pela China algo bom, bem…

Mgtow
Mgtow
Reply to  H.Saito
2 meses atrás

Pronto.
Chegou os distorcedores de narrativas.
Olavismo fritou o cerebro de vcs hein bicho

Andre
Reply to  Mgtow
2 meses atrás

Você ao menos leu esta matéria?

“(…) as empresas chinesas cumpriram amplamente as sanções. Também não há evidências sugerindo que o governo chinês tenha armado os militares russos”

Putinismo fritou a capacidade de leitura?

Slowz
Slowz
Reply to  Andre
2 meses atrás

Você acha que o chinês vai assumir que ajuda a Rússia ? 🤣🤣🤣 santa inocência ..

Andre
Reply to  Slowz
2 meses atrás

Você também perdeu a capacidade de leitura?

Viu que está escrito o que eles fazem não o que eles falam. Enquanto falam que apoiam a Rússia, agem cumprindo as sanções.

Santo analfabetismo.

Underground
Underground
2 meses atrás

A China faz que acredita.

Teófilo
Teófilo
2 meses atrás

Assim que tem de ser.
Para os cariocas mais antigos que frequentavam o Maraca: ‘A Suderj informa: Sai o Ocidente. Entra o Oriente.’

Rogério
Rogério
Reply to  Teófilo
2 meses atrás

Vc vibrandi ate soldarem a porta da sua casa, como vem acontecendo na China atualmente kkkkkkkkkk

Magaren
Magaren
Reply to  Rogério
2 meses atrás

Estou enojado!

Henrique
Henrique
2 meses atrás

melhor a China dar um golpe na Rússia e retirar ela da Ucrânia kkkk

daqui pouco só vai sobrar a China pra ser o outro polo kkkkkkk

Andre
Reply to  Henrique
2 meses atrás

Daqui a pouco? A China já é o outro polo.

Russia é passado.

Teófilo
Teófilo
Reply to  Andre
2 meses atrás

Blá blá blá.
Dezinho e sua cruzada anti Rússia.
É coisa do passado?
Fale isso para as mais de 100 mil famílias ucrananias que perderam seus filhos em uma guerra sem chances.
Ou então para a OTAN que se pela de medo de enfrentá-la.
Talvez suas palavras reconfortem ucranianos e europeus em geral que vão passar frio e perder seus empregos.
Já era camarada.
Perdeu, mané!

Andre
Reply to  Teófilo
2 meses atrás

Da Lua e suas mil faces da vergonha, cada uma carregando o peso de uma fantasia escrita com convicção inabalável no amado líder.

Está há 9 meses repetindo a mesma coisa e há 9 meses os fatos vão contra suas fantasias.

A Rússia já “devolveu” mais do que invadiu esse ano e você ainda acredita nessas bobagens que escreve. A cada derrota russa vc troca de alter ego, mas a vergonha segue sendo sua.

E a Rússia não precisa de ninguém fazendo uma cruzada contra ela. A Rússia se afundou sozinha no lamaçal ucraniano.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Henrique
2 meses atrás

não é bem assim não, Se vários países estão reclamando de ter ajudar a ucrania, inclusive vozes dos EUA, é melhor esse desgaste dos EUA, pq assim ajudar Taiwan fica mais difícil.

paulof
paulof
2 meses atrás

Vladimir Makei, ministro das relações exteriores, um dia depois de discutir com “enviado do Papa, Ante Jozic, com quem teria discutido um caminho para a paz na Ucrânia”. A Rússia lamentou a morte, através da porta-voz do Ministério dos Negócios Estrangeiros russos, Maria Zakharova: “Estamos chocados”, lembra filmes de mafiosos ap o desafeto, vai no enterro e dá condolências a viúva, Putina é vingativo.

Andre
2 meses atrás

A diferença entre o discurso e a ação:

 (…) as empresas chinesas cumpriram amplamente as sanções. Também não há evidências sugerindo que o governo chinês tenha armado os militares russos.”

Teropode
2 meses atrás

Olhem só o que a China tem que suportar , o representante chinês certamente pensou : Que cara babaca , estão numa pitimba danada e falam como se tivessem alguma relevância , não sabe ele que Vladvostok é uma trava na nossa garganta ………..

Alberto
Alberto
2 meses atrás

Não existe isso de mundo multipolar, é conversa, de um lado os EUA com a idéia de um mundo unipolar sob sua liderança, do outro China e Rússia com um mundo sob a liderança desses 2 países. Vamos ver quem vai vencer…

Manus Ferrum
Manus Ferrum
Reply to  Manus Ferrum
2 meses atrás

Entrevista com o general português Raul Cunha pela Rádio Bandeirantes.