Enquanto continua a especulação sobre o destino das fábricas de semicondutores de Taiwan no caso de uma invasão por Pequim, o embaixador dos EUA O’Brien enfatiza a importância de negar à China a infraestrutura de fabricação de chips

Por Andrew Salerno-Garthwaite

Falando na Grande Cúpula de Estratégia da Fundação Richard Nixon em 10 de novembro, o ex-conselheiro de segurança nacional dos EUA, Embaixador Robert O’Brien, pareceu dar crédito aos relatos de que os EUA desativarão as capacidades de fabricação de chips semicondutores de Taiwan se a China tentar reunificar a ilha com o continente.

“Se a China tomar Taiwan e tomar essas fábricas intactas – o que eu acho que nunca permitiríamos – eles terão o monopólio dos chips da mesma forma que a OPEP tem o monopólio, ou ainda mais do que a OPEP tem o monopólio do petróleo”, disse O’Brien.

Estratégia de terra arrasada
A US Army War College Press publicou um artigo em novembro de 2021 recomendando que os EUA fizessem ameaças críveis de destruir as instalações da Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC), eliminando o fornecedor mais importante de chips de microprocessamento para a China e o mundo.

O artigo de Jared McKinley e Peter Harris, Broken Nest: Deterring China from Invading Taiwan, tornou-se o artigo mais baixado do US Army War College de 2021 e sugeriu que os EUA estabelecessem planos em Taiwan para uma estratégia de terra arrasada direcionada que tornaria a ilha “não apenas pouco atraente se alguma vez tomada à força, mas positivamente cara de manter”.

Após meses de especulação sobre um possível plano de contingência dos EUA, a Bloomberg informou em 7 de outubro que os planos para os piores cenários incluem a evacuação dos engenheiros de chips de Taiwan, citando um funcionário não identificado dos EUA como fonte da informação.

A cadeia de valor do chip semicondutor
“A ilha contém um fabricante de chips chamado TSMC e todo um ecossistema de fabricantes de chips associados ao TSMC, que produz 95% dos chips de computador avançados que usamos”, disse O’Brien, “não apenas em nossos produtos militares, mas em nossos carros e smartphones”.

Em agosto deste ano, o Congresso dos EUA aprovou a Lei CHIPS (Creating Helpful Incentives for the Production of Semi-conductors) com o objetivo de reforçar a capacidade da base de infraestrutura doméstica para produzir semicondutores e reduzir a dependência de importações para fornecimento, com impacto crítico na cadeia de suprimentos de defesa para tecnologias disruptivas, incluindo inteligência hipersônica e artificial. Ele fornecerá US$ 280 bilhões para subsídios aos fabricantes de chips, bem como desenvolvimento de tecnologia e pesquisa.

A importância dos chips semicondutores na geopolítica tornou-se aparente em agosto, quando a China suspendeu a exportação de areia – crucial na produção de semicondutores – para Taiwan após a visita da presidente da Câmara Nancy Pelosi a Taiwan e o período de operações militares que se seguiram. O papel de Taiwan na cadeia de valor de semicondutores foi notável no ano anterior, quando as montadoras lutaram para continuar a produção durante um déficit global de chips.

Se as fábricas da TSMC fossem destruídas durante uma invasão, seria difícil para as empresas continuarem operando globalmente. “Esse desenvolvimento significaria que as indústrias de alta tecnologia da China seriam imobilizadas exatamente ao mesmo tempo em que a nação estava envolvida em um esforço de guerra maciço”, escrevem McKinley e Harris. “Mesmo quando a guerra formal terminasse, os custos econômicos persistiriam por anos.

“Esse problema seria um coquetel perigoso da perspectiva do Partido Comunista Chinês, cuja legitimidade se baseia em promessas de tranquilidade doméstica, resiliência nacional e crescimento econômico sustentado.”

No entanto, o diretor-geral do Departamento de Segurança Nacional de Taiwan, Chen Ming-tong, negou que os planos defensivos atuais incluíssem a destruição da fábrica da TSMC ou a evacuação de engenheiros, enquanto falava em uma reunião do Comitê de Defesa Nacional e Estrangeira em 12 de outubro.

Chen descreveu a cadeia de suprimentos global da TSMC como dependente de parceiros industriais em países como a Holanda, acrescentando que os EUA não precisam destruir as fábricas de chips da TSMC porque cortar as cadeias de suprimentos de componentes vitais seria suficiente para interromper a produção. “Mesmo que o outro lado seja dono da TSMC, esta galinha de ouro não poderá botar um ovo de ouro.”

FONTE: Army Technology

SAIBA MAIS:

Funcionário do Pentágono: China deve considerar a invasão de Taiwan custosa

EUA descrevem quatro cenários para ataque chinês a Taiwan


Quer discutir esse e outros assuntos com leitores da Trilogia Forças de Defesa em tempo real? entre no nosso grupo de WhatsApp, clicando aqui.

Subscribe
Notify of
guest

68 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Nilo
Nilo
1 mês atrás

Já tinha dito em comentários anteriores a entregar, a ilha para China, os EUA destruiria a infraestrutura industrial de fabricação de Chips de Taiwan antes
Mas não esquecendo Taiwan e dependentes de máquinas Holandesas no fabrico dos Chips.
Lembremos que Portugal detinha o segredo das navegações pelo globo.
Demora mas o conhecimento é como água, fluido.

Last edited 1 mês atrás by Nilo
Andre
Andre
Reply to  Nilo
1 mês atrás

Mas a ASML não para seu desenvolvimento tbm. O mundo todo depende deles. Ter algo tão fundamental e exclusivo dentro de um aliado faz uma bela diferença.

Esteves
Esteves
Reply to  Nilo
1 mês atrás

1973 Veio o choque e depois as guerras pelo petróleo. Quem era rico ficou mais rico. Quem era pobre ficou mais pobre. Guerra pelos semicondutores? A indústria química alemã foi arrasada durante a guerra. Hoje a Basf está negociando a entrada na China após décadas de benevolência sem resultados na Alemanha. A Basf produziu gasolina sintética durante a guerra. Petróleo não é somente um buraco no chão. Petróleo é uma cadeia de valor de quem manda sobre quem não. A economia brasileira dos anos 1970/80 foi destruída pelo nosso isolationism incapaz de descrever cenários para quem era 70% dependente de… Read more »

200B6D3E-A7A6-4A9B-AC2C-00C4333E29A7.jpeg
Fagundes
Fagundes
1 mês atrás

Fico imaginando se existe a possibilidade de a China fazer com Taiwan o mesmo que o EUA fizeram com Cuba, caso seja declarada independência.A história pode até não se repetir, mas rima às vezes.Espero estar errado

Natan
Natan
Reply to  Fagundes
1 mês atrás

As fabricantes chinesas de hardware ainda depende muito dos chips produzidos pela TSMC. A China precisa ainda desenvolver seu processo de fabricação de chips de 7nm em diante, mas além disso precisa dominar as cadeias de produção e fornecimento: das máquinas de fotolitografia da holandesa ASML e das lentes que essas máquinas usam, da alemã Heiss, por exemplo. SMIC é uma fabricante de chips chinesa que ainda precisa evoluir muito nesse quesito, mas está dando passos adiante.

Alfredo
Alfredo
1 mês atrás

Os EUA estão mais perdidos que cego em tiroteio.
Como pode a política externa de um País tão importante ficar desnorteada por tantos e tantos anos?

Sulamericano
Sulamericano
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

O mais engraçado (rindo de nervoso) é o texto descrever a política de terra arrasada que os EUA vão aplicar em Taiwan.
Ou seja, de um lado serão os chineses invadindo, do outro, mísseis dos EUA caindo sobre as cabeças dos taiwaneses. Mas antes vão fazer uma operação Paperclip e levar a nata da engenharia de semicondutores embora.

Humilde Observador
Humilde Observador
Reply to  Sulamericano
1 mês atrás

Porque para os EUA, o apoio a Taiwan não é só para fazer enfrentamento à China, mas, é uma questão estratégica envolvendo chips também, em caso de invasão chinesa ou eles levam mentes e cérebros para fora de Taiwan antes que a China se apodere dos mesmos, ou dão um fim em tudo lá na ilha mesmo.

WSilva
WSilva
1 mês atrás

Se isso acontecer, os EUA perderiam para sempre os corações da ilha e de quebra enviariam uma mensagem muito, muito fragilziada para seus aliados na Àsia. Sem a TSMC com seu dominio global na produção de chips avançados, a ilha de Taiwan será tão pobre quanto a Coreia do norte, a China poderá culpar os EUA por isso mas irá herdar uma ilha arrasada e eu não sei qual é o plano econômico da China para Taiwan pós reunificação e perda da TSMC, mas a verdade é que dificilmente quem vive em Taiwan terá novamente um padrão de vida tão… Read more »

Last edited 1 mês atrás by WSilva
Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  WSilva
1 mês atrás

Me pergunto se o povo chinês se preocupa tanto com isso mesmo, ao ponto de pagarem um alto preço por um bônus que talvez não compense, como você coloca.

Acredito que não esteja dentre as prioridades do povo chinês, sejam os que querem sair da miséria ou os que tiveram um aumento substancial no padrão de vida e não querem perder isso de jeito nenhum.

Importante distinguir o que é desejo, de fato, de um povo e o que o governo vende por aí. Especialmente um governo que não possui, em sua base, um crivo popular recorrente.

Last edited 1 mês atrás by Felipe Morais
WSilva
WSilva
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

Você entendeu errado, a China não está atrás do bônus(TSMC) em Taiwan, mas sim de algo maior, honra e segurança nacional. A narrativa de que a China quer Taiwan por causa da TSMC é enganosa e infantil. Mao inclusive disse que a China poderia esperar 100 anos até reunificar Taiwan, a TSMC nem existia quando Mao fez essa declaração. Além da China trazer de volta sua honra, que sem Taiwan, não está completa, a China terá uma ilha estrategicamente importante para garantir sua segurança nacional. É muito dificil falar de honra para um brasileiro, é um conceito distante e muitas… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  WSilva
1 mês atrás

W. Pelas palavras e expressões que você utiliza percebo certa similaridade com alguns textos de geopolítica e autores que eu sigo com frequência.
Quais são as suas fontes de preferência ? Quais revistas e sites ?

WSilva
WSilva
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

Sobre China eu prefiro fonte primária, mas há também a versão em inglês de sites como Xinhua, SCMP, Caixin, Global Times e East Asia Forum que estão sendo consumidos cada vez mais no ocidente assim como o Asia Times.

Sobre autores, sigo apenas dois, mas prefiro não divulgar os nomes.

NEMO revoltado
NEMO revoltado
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

O quê o povo chinês quer não importa, mas sim o que o partido e o chefe do mesmo!

Slowz
Slowz
Reply to  NEMO revoltado
1 mês atrás

Só por essa fala já deu pra perceber que nunca leu um livro sobre a China ..

Natan
Natan
Reply to  WSilva
1 mês atrás

Não vale a pena, do ponto de vista econômico, tomar Taiwan. Os ganhos seriam pequenos (TSMC não vale tanto assim) e os embargos e sanções contra a China continental seriam um baque grande na economia daquele país.

WSilva
WSilva
Reply to  Natan
1 mês atrás

No momento não vale a pena mesmo, mas também não vale a pena a China permitir que a ilha se torne independente(oficialmente).

A Russia cometeu o erro de dar liberdade para a Ucrania, veja o resultado final…

Manter o status quo é melhor para todos no momento, mas se a ilha forçar independencia, eu não tenho duvidas que a China vai pra cima.

Maurício.
Maurício.
1 mês atrás

Quem tem que destruir alguma coisa se necessário for, é Taiwan, os americanos que vão cuidar de suas fronteiras, que ficam bem longe de Taiwan. Para um país que não reconhece Taiwan como um igual, ou seja, como um país livre e soberano, os EUA até que estão palpitando demais sobre Taiwan.

Carlos Gallani
Carlos Gallani
1 mês atrás

Essa mensagem é óbvia, inclusive deve ser divulgada pelo próprio governo de Taiwan, “vcs só vão encontrar morte aqui, nem uma moeda mais”!

Nemo
Nemo
1 mês atrás

A China tem uma população de 1,4 BI, Taiwan tem 25 Mi. A China absorveria sem maiores problemas.

Felipe Morais
Felipe Morais
Reply to  Nemo
1 mês atrás

Você coloca como se 1,4 Bi de chineses fossem cruzar o mar a nado pra tomar Taiwan.
Se 10% de 25 mi se propõe a lutar, é uma pedra no sapato de qualquer agressor, que ou deverá enfrentar uma resistência direta de 2,5 milhões de pessoas ou terá que promover um massacre com ataques à distância.

Slowz
Slowz
Reply to  Felipe Morais
1 mês atrás

“ promover um massacre com ataques à distância. “

Não precisa de ataques a China já provou que consegue bloquear a ilha ..

Emmanuel
Emmanuel
1 mês atrás

Para quem ainda acredita que os Estados Unidos vão defender Taiwan até a morte…
Espera deitado que cansa menos.

Andre
Andre
1 mês atrás

O que realmente é diferencial são os equipamentos da ASML.

Tirando eles ou os espelhos Zeiss, o resto os chineses já tem.

gordo
gordo
1 mês atrás

É engraçado esse egocentrismo Ocidental, como se a China não conseguisse construir infraestrutura similar. Com certeza por a mão em plantas industriais com esse nível de tecnologia é algo para se agradecer muito. Mas convenhamos, hoje vemos esse berreiro todo dos EUA frente a China por causa justamente de telefonia 5G e outras tecnologias que envolvem TI e isso só se consegue porque se tem uma boa planta industrial instalada. Esse tipo de declaração só serve para aumentar a tensão na região, que é o interesse dos EUA . Com isso desloca um problema econômico para a área militar, basta… Read more »

Alfredo
Alfredo
Reply to  gordo
1 mês atrás

E está semana, para desgosto dos americanos, Alemanha e França anunciaram que voltarão a trabalhar com a Huawei em 5g.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

Chegou a hora dessas 2 potências europeias decidirem seus destinos sem a interferência dos EUA. Voltar as parcerias com a Rússia e por fim a essa guerra que pode se alastrar por toda a Europa.

gordo
gordo
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

A China vai se impondo. O bolso é uma coisa que dói muito e hoje a China é um motor de economia produtiva, simples assim. Os EUA parece que esqueceu o impacto que tive na reconstrução da Europa Ocidental depois da segunda guerra. Conseguiram isso porque tinham uma economia produtiva, hoje nem tanto. O país virou uma meca de especulação, é gente bilionária com Bitcoin (sabe lá Deus que lastro tem isso) , redes sociais que são outra coisa sem densidade alguma, desaparecem tão rápido quanto somem, e o setor financeiro que ganhou aquela bolada de dinheiro na crise de… Read more »

Rodrigo-brasileiro
1 mês atrás

Acho que respondeu o nível de ajuda que Taiwan vai ter.
Já escrevi aqui antes, o melhor caminho para Taiwan é negociar a anexação tentando termos mais vantajosos para ela, pois quando a marreta descer os termos vão ser ditados pela China.
Mas cedo ou mais tarde a anexação vai ocorrer.
Quanto a TSMC, a fábrica pode ser destruída dez vezes (oque dúvido) e os engenheiros, técnicos, projetistas, desenvolvedores, etc ?
O governo chinês não é burro, vão fazer oque o EUA fizeram com os engenheiros nazistas.

Last edited 1 mês atrás by Rodrigo-brasileiro
Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Rodrigo-brasileiro
1 mês atrás

Você não leu a matéria? Os EUA têm um plano de contingência para retirar os engenheiros da ilha.

Omg
Omg
Reply to  Rodrigo-brasileiro
1 mês atrás

qualquer chance de anexação pacifica terminou quando pequim quebrou as promessas feitas para Hong Kong. Se Taiwan é anexada num dia, no dia seguinte um terço da população da ilha já vai estar em campos de concentração.

Mgtow
Mgtow
1 mês atrás

Tem que tomar tudo .
Quem investe em territorio alheio tem estar cientes dos riscos.

Adriano Madureira
Adriano Madureira
1 mês atrás

“A US Army War College Press publicou um artigo em novembro de 2021 recomendando que os EUA fizessem ameaças críveis de destruir as instalações da Taiwan Semiconductor Manufacturing Company (TSMC), eliminando o fornecedor mais importante de chips de microprocessamento para a China e o mundo”.

Estariam somente juntando o útil ao agradável, pois eles mesmos derrubariam um concorrente no mercado de chips semicondutores a bala…

Leandro Costa
Leandro Costa
1 mês atrás

Esses investimentos estão já sendo aplicados. Hoje assisti um video do LTT em uma fábrica e centro de pesquisa de memórias absolutamente gigantesca, que iria ser mais do que duplicada em tamanho, com terreno anexo já sendo preparado para construção.

E o Brasil deveria se apresentar como uma alternativa à China e surfar nessa onda em proveito próprio.

Não me espanta nem um pouquinho que os EUA não deixarão a TSMC cair em mãos Chinesas no caso de uma invasão. Eu faria exatamente a mesma coisa, só não tornaria isso público como eles fizeram.

Alfredo
Alfredo
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Aí, os chineses avisam: Se vcs destruírem essas fábricas, nós acabamos com as refinarias do Oriente Médio.
Vc verá o Ocidente acabar em cinco minutos.
Sem petróleo russo, venezuelano, iraniano e árabe.
Isso é bravata de americanos.
Só lembrando.
O ‘Poder da Sibéria’ está entrando em plena capacidade essa semana.
E vem o Poder 2.
Não vai dar para retaliar a China nesse campo.

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  Alfredo
1 mês atrás

A China acabar com as refinarias do Oriente Médio? ROFLMAO!

Sim, e jogar por terra anos de bons relacionamentos com os Árabes e levarem algumas jihad nas costas e antipatia do Mundo inteiro. Muuuuuito esperto. E que façam isso logo antes de uma mudança mais rápida na matriz energética hehehehehe

Alfredo
Alfredo
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Lembre-se.
Estarão em guerra
Provavelmente mundial.

Alfredo
Alfredo
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Ademais, mais fácil a China fabricar esses Chips do que a matriz energética mudar.
Esqueça isso.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

No Brasil não vale apena, esquece, ainda mais com o novo governo que vai aumentar impostos e voltar com o discurso de inveja e ódio contra empresas (as que não molham a mão deles).

Leandro Costa
Leandro Costa
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

Não importa quem seria o cara na cadeira, já que é um processo que levaria décadas, mas concordo que dificilmente o cara que vai sentar lá no dia 1º do mês que vem levaria essa idéia adiante, por mais atraente que fosse para a criação e manutenção de postos de trabalho qualificados. Simplesmente porque teria que fazer parceria com os EUA e ele não gosta dos caras hehehehe

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Leandro Costa
1 mês atrás

Eu faria exatamente a mesma coisa, só não tornaria isso público como eles fizeram.

Geopolítica é como xadrez, ganha quem conseguir estar mais passos à frente do adversário, duvido muito que os estrategistas chineses já não tenham considerado a ideia de que os EUA iriam/irão destruir a TSMC em caso de invasão. As escolas de guerra sempre calculam milhares de cenários diferentes. O que realmente precisa secreto são os detalhes, como os EUA destruiriam a fábrica? Mísseis de cruzeiro e balísticos? Explosivos já instalados na fábrica? Bombardeiros/caças stealth?

WSilva
WSilva
Reply to  Allan Lemos
1 mês atrás

”duvido muito que os estrategistas chineses já não tenham considerado a ideia de que os EUA iriam/irão destruir a TSMC em caso de invasão.”

Com certeza já foi analisado, assim como é possível também haver um acordo entre China e EUA onde EUA ficam com a TSMC(agora em solo americano, sob direção americana mas com profissionais chineses que fugiram da ilha) e a China fica com a ilha…Parece absurdo, mas não podemos descartar essa possibilidade.

Rafael
Rafael
1 mês atrás

via ser um lindo tiro no pé dos EUA se isto acontecer.

Omg
Omg
1 mês atrás

O mais inteligente seria simplesmente transportar a população inteira de Taiwan para solo americano. 25 milhões de pessoas bem instruídas, disciplinadas e dedicadas ao trabalho. Leva os equipamentos caros junto e deixa a ilha para os chineses povoarem com asseclas do partido. Seria um ganha-ganha. O povo de taiwan vive em paz, os estados unidos ganham ainda mais a dianteira em ciencia e tecnologia. O ursinho poo pode contar vantagem com sua conquista da ilha (e sem nem população hostil para dar trabalho). Seria estranho um país inteiro sendo transportado, mas taiwan só existe porque a elite chinesa fugiu do… Read more »

WSilva
WSilva
Reply to  Omg
1 mês atrás

Se os chineses que moram nos EUA hoje já sofrem xenofobia imagine agora 25 milhões de chineses numa tacada só, ”roubando” empregos e renda de americanos brancos e criando ”Chinatowns” em todos os bairros nos EUA? Daqui 50 anos, quem vai querer se separar dos EUA será uma dessas Chinatowns aí. rsOutra coisa, neguinho acha que 25 milhões de habitantes em Taiwan são experts em tecnologia e chips, tá enganado, apenas uma pequena parcela tá envolvida nesse setor. E tem mais, para a China, uma ilha vázia seria até melhor, não teria que sustentar ninguém e nem aturar resistencia a… Read more »

NEMO revoltado
NEMO revoltado
Reply to  WSilva
1 mês atrás

Preconceituoso, eu sou uma televisão de 29 polegadas com entrada rca.

E se reclamar eu vou xingar muito no twitter!

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  WSilva
1 mês atrás

Sempre seguindo essa lógica da “etnia” a RPC deveria abrir mão das mais de 56 etnias que ela engloba no seu território, já que nunca serão HAN, portanto chineses, nada mais justo que essas etnias tenham reconhecido o direito de revindicar a própria soberania nos territórios ancestrais deles . Poderiam começar com os uigures, manchu, mongóis, tibetanos…

WSilva
WSilva
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

Quem quer mudar de raça no grito é o DPP de Taiwan, se querem morar nos EUA ou em Marte ok, mas continuarão sendo chineses. É isso que eu quis dizer de forma indireta.

”Poderiam começar com os uigures, manchu, mongóis, tibetanos…”

Claro, assim que os EUA devolverem o Texas, a California, Novo Mexico, Diego Garcia e outros territórios tomados/ocupados de outros povos.

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  WSilva
1 mês atrás

O que eu quis dizer é que você associa etnia a identidade nacional, algo que não é necessariamente correspondente. A identidade nacional é
um processo histórico de uma determinada coletividade que se identifica em um percurso compartilhado feito de superação, dificuldades, valores e convivência …
Fiz outros comentários tentando esclarecer mas o guardião travou todos no limbo da moderação.

WSilva
WSilva
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

Eu não tive a intenção de fazer essa associação, a intenção era mostrar que independente de onde as pessoas de Taiwan vivam, continuarão sendo chineses, assim como há outras etnias dentro da China que não são chinesas etnicamente mas estão dentro da nacionalidade chinesa, essa nacionalidade chinesa não muda suas etnias. Todo mundo entende bem essa diferença, menos o DPP de Taiwan.

Num mundo ideal parece justo cada etnia ter seu pedaço terra, mas será que todos países estão dispostos a aceitar essa fragmentação ou você quer que somente a China aceite essa fragmentação?

Aí é moleza né? rs

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  WSilva
1 mês atrás

Mas é o que estou dizendo, a etnia da maioria dos taiwaneses continuará chinesa, apenas a sua identidade nacional será outra. Os árabes continuam árabes, mas dentro de várias identidades e formações nacionais. Os povos turcos se reconhecem uma mesma origem, mas cada um no seu estado/ nação. O povos germânicos, idem . Não é porque a ( hipoteticamente) ascendência de alguém é germânica que automaticamente aquela pessoa é obrigada a se reconhecer como alemã. Os povos germânicos criaram várias estados e identidades nacionais. Qual deles seria o mais digno de representar todos ? A Alemanha, porque é a maior… Read more »

WSilva
WSilva
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

Acontece que não existe etnia nem nacionalidade taiwanês, ”Taiwan” é apenas um nome derivado de uma antiga forma que os chineses chamavam a ilha, isso ainda antes dos portugueses apelidar a ilha de Formosa. É comum pensar que taiwanês são os índios aborígenes da ilha, faz mais sentido que chamar chinês de taiwanês, mas tecnicamente também está errado pois como disse acima a palavra Taiwan(em chinês) não é nativo da ilha. Não há um termo nativo definitivo para descrever todas as tribos de Taiwan, são muitas e experimente trocar o nome de uma tribo outra pra você ver, é igual… Read more »

Thiago A.
Thiago A.
Reply to  WSilva
1 mês atrás

Todos os seres humanos pertencem a mesma espécie, a do Homo sapiens. Você insiste em usar o termo r*ça, talvez na sua cultura isso seja normal, mas aqui não . R*ça= r*cismo, é utilizado por quem abraça uma certa ideologia preconceituosa . Inclusive os chineses sofreram muito por culpa dessa ideologia. A suposta superioridade r*cial dos japoneses.

Isso é pseudociência, pura ideologia .

A sequência base (as unidades que compõem a informação genética) no DNA humano é 99,9% idêntica, o que esvaziou completamente o argumento de encontrar um parâmetro confiável para definir r*ças.

WSilva
WSilva
Reply to  Thiago A.
1 mês atrás

Não é a primeira vez que você tenta, indiretamente, jogar no meu colo essa n0jera de superiodade r4ci4l, vamos parar com isso, você e eu sabemos muito bem o quão irracional essa ideologia é. Onde eu coloco raça você por substituir tranquilamete por etnia, tribo, grupo etc, meu objetivo foi apenas distinguir povos e países diferentes, o que não é o caso de China/Taiwan, nem por etnia e nem por nacionalidade já que Taiwan nunca foi um país. O que foi país por um tempo é a ROC, o nome deixa claro, Republica da China, logo a nacionalidade é chinesa… Read more »

Teropode
1 mês atrás

Normal .

Luiz Trindade
Luiz Trindade
1 mês atrás

A tática de terra arrasada deve ser considerada seriamente inclusive com lixo radioativo inclusive nessas indústrias. Deve vender o caro a ponto de promover ódio dos chineses como resultado dessa invasão.

Machado
Machado
1 mês atrás

Os EUA não permitirão. Olha o grau de arrogância dessa gente. Veja do que são capazes. Não tem limites. Vcs duvidam que eles possam fazer o mesmo conosco se sentirem ameaçados de alguma forma? Ainda tem gente que defende essa gente. Putz

Marcos
Marcos
1 mês atrás

OFF

Avibras apresentou o foguete SS-150 guiado na 7º MOSTRA BID

Marcos
Marcos
Reply to  Marcos
1 mês atrás

AVIBRAS TAMBÉM APRESENTOU A VERSÃO ANTINAVIO DO MTC-300

lucena
1 mês atrás

fiquem ciente nisso,dois grandes buracos negros na economia ocidental si não planetária; Ucrânia e Tawam.
.
Basta verifica a Ucrânia. tantas armas e dinheiros para aquele bueiro e ninguém sabem para onde vai parar tantos recurso, continuam perdendo território para os russos e ainda ficam pedindo dinheiro e armamento … é um verdadeiro ralo de dinheiro

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
1 mês atrás

Os EUA não são idiotas: CHIPS Act 2022, subsídios da ordem de 280 bilhões de dólares pros próximos dez anos (pode ser majorado, afinal), acompanhados aquela coroa de especuladores ianques com inside information (alguns mesmo fazendo inside trading, os quais me dispenso de recordar) fazendo fortuna nas bordas, inclusive com abertura de filiais da grande empresa Taiwanesa em solo tiosamesco. Honestamente, tem hora que olhos dóem de ler tanta asneira urdida pra comando e controle (quando não pra spoofing e jamming) da opinião pública. Mas a vida é assim: quem não aguentar olhar, feche os olhos, enterre a cabeça na… Read more »

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
1 mês atrás
WSilva
WSilva
Reply to  SmokingSnake 🐍
1 mês atrás

Quando não é clash contra a Ìndia é foguete chinês descontrolado que pode matar humanos na terra, quando não é clash contra a Índia e foguete chinês descontrolado que pode matar humanos na terra é protesto anti-c0v1d e queda ou m0rte de Xi Jinping, quando não é tudo isso mencionado acima é c4mpos de conc3ntração em Xinjiang…

Pô, tá na hora dessa turma inventar uma nova, coisa chata!

Andre
Andre
1 mês atrás

Por falar em chips modernos:

https://www.rt.com/news/568157-chinese-loongson-cpus-export/

Que baita aliado esses russos arrumaram….hahahaha

Carlos Eduardo
Carlos Eduardo
1 mês atrás

Minha opinião…. essa postura, foi um tiro no pé dos EUA. Eles simplesmente deixaram bem claro para a população de Taiwan que não irão defender a ilha, no caso de invasão, e pior ainda, irão retirar e ajudar apenas um pequeno grupo seleto, deixando todo o restante para traz. Agora imaginem oque esse tipo de mensagem, passa na cabeça da população local. Que simplesmente eles estão sozinhos, abandonados. Serão deixados a própria sorte. Pior ainda, pois para todos os outros que trabalham nessa organização, e não estão nesse grupo seleto, serão deixados para traz, e ainda sem trabalho e renda.… Read more »

Humilde Observador
Humilde Observador
1 mês atrás

Para boa parte do mundo, incluindo EUA, tal medida não é só de apoio a um aliado ou de enfrentamento à China, mas, é uma decisão de caráter estratégico, dado que Taiwan ocupa papel relevante no setor de micro-eletrônica.

Alex Barreto Cypriano
Alex Barreto Cypriano
Reply to  Humilde Observador
1 mês atrás

Não vai ocupar por muito tempo: O CHIPs Act tá aí porque a América sabe que Taiwan será retomada mais cedo ou mais tarde e que não dá pra fazer nada nesse mundo digital sem estar devidamente ‘chipado’. O resto, as juras estadunidenses de defesa cinética de Taiwan serão esquecidas assim que houver uma linha de produção quente em solo dos EUA.