A China avalia enviar ajuda militar letal para a Rússia na forma de projéteis de artilharia, enquanto o exército do presidente Vladimir Putin esgota rapidamente seu suprimento de munição um ano após a invasão da Ucrânia, disseram autoridades dos EUA, uma perspectiva que alarmou aqueles no governo Biden que acreditam Pequim tem a capacidade de transformar a trajetória da guerra.

Não há evidências de que tenha ocorrido qualquer transferência de armas, disseram essas autoridades, falando sob condição de anonimato para discutir a avaliação do governo dos EUA. Mas se a China seguir em frente, será a primeira vez que Pequim fornecerá ajuda letal no conflito, apesar das repetidas advertências dos Estados Unidos para não fornecer tal apoio. Também violaria o espírito de um plano de paz proposto pelos líderes chineses na sexta-feira.

A ajuda contempla munições de 122 e 152 milímetros, que a Rússia tem em oferta cada vez menor enquanto prossegue uma guerra travada com artilharia, disseram as autoridades.

A revelação, relatada pela primeira vez na sexta-feira pelo Wall Street Journal, segue um alerta público do secretário de Estado, Antony Blinken, que disse no fim de semana passado que Pequim está considerando seriamente fornecer ajuda letal. Isso ocorre, também, à medida que as nações ocidentais ficam cada vez mais preocupadas com o fato de que o envolvimento chinês no conflito possa ser um revés significativo para a Ucrânia e seus apoiadores.

“A China tem a capacidade de mudar o jogo”, disse um alto funcionário do governo dos EUA.

A Embaixada da China em Washington não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. Em resposta ao aviso de Blinken, o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da China, Wang Wenbin, disse no início desta semana que a China “nunca aceitará que os EUA apontem o dedo para as relações sino-russas ou mesmo nos coagem”. Instando os Estados Unidos a “refletir seriamente sobre suas próprias ações”, Wang disse que “são os Estados Unidos, e não a China, que estão constantemente enviando armas para o campo de batalha”.

No momento, tanto a Rússia quanto a Ucrânia estão vasculhando a terra em busca de mais munições. Moscou está apelando para a Coréia do Norte e o Irã para reabastecer 122 mm e 152 mm, ambos os quais a China também usa. Os aliados ocidentais estão tentando adquirir mais munição de 152 mm para os obuses da era soviética da Ucrânia, bem como tentando produzir mais do padrão de artilharia de 155 mm da OTAN que eles forneceram à Ucrânia desde o início da guerra.

A caçada desesperada é impulsionada pela enorme quantidade de bombardeios realizados pelas forças ucranianas e russas todos os dias – um ponto enfatizado pelo secretário-geral da OTAN, Jens Stoltenberg, no início deste mês.

“A guerra na Ucrânia está consumindo uma enorme quantidade de munições e esgotando os estoques aliados”, disse Stoltenberg em uma reunião de ministros da Defesa em Bruxelas. “A taxa atual de uso de munição da Ucrânia é muitas vezes maior do que nossa taxa atual de produção.”

A Rússia está ficando sem munição, disseram autoridades dos EUA, mas a China, com sua alardeada capacidade de produção de artilharia de longo alcance, lançadores de foguetes, mísseis superfície-superfície e drones, poderia mais do que compensar a escassez.

Esse foi um ponto focal durante a reunião na semana passada entre Blinken e o principal diplomata da China, Wang Yi, à margem da Conferência de Segurança de Munique.

Blinken alertou Wang que haveria “consequências se a China fornecer apoio material à Rússia ou assistência na evasão de sanções sistêmicas”, disse o porta-voz do Departamento de Estado, Ned Price.

Até agora, Pequim não forneceu apoio militar direto à Rússia, mas autoridades dos EUA acusaram empresas estatais chinesas de fornecer assistência não letal nas últimas semanas.

“Temos indícios de que a China pode estar considerando o fornecimento de capacidades letais para a China”, disse o porta-voz do Conselho de Segurança Nacional, John Kirby, na sexta-feira, sem entrar em detalhes sobre o tipo específico. “Não os vimos tomar essa decisão. Não os vimos se mover nessa direção. Temos sido claros, tanto privada quanto publicamente, sobre nossas preocupações com relação a esse resultado potencial. A China não deveria querer se envolver de forma tangível em dessa maneira.”

Questionado sobre uma reportagem do jornal alemão Der Spiegel de que a China estava negociando o envio de drones de ataque sem piloto para a Rússia, Kirby disse: “Não tenho nada para você sobre isso”.

Na sexta-feira, Pequim pediu um cessar-fogo abrangente em conjunto com um plano de paz de 12 pontos que apresentou. Blinken e Stoltenberg reagiram com ceticismo à proposta – dizendo que nenhuma solução deveria permitir que a Rússia “descanse” e “se rearme”.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelensky, reagiu de forma mais positiva, dizendo que não via isso como um plano concreto, mas como um gesto produtivo.

“É um sinal importante de que eles estão se preparando para participar desse tema”, disse ele durante entrevista coletiva em Kiev.

Ele enfatizou, no entanto, que a principal preocupação da Ucrânia é que Pequim não armasse Moscou.

“Quero muito acreditar que a China não entregará armas à Rússia, e para mim isso é muito importante”, disse ele. “Este é o ponto número um.”

Até o momento, o governo Biden comprometeu mais de US$ 30 bilhões em assistência militar à Ucrânia, anunciando seu último pacote na sexta-feira. As autoridades americanas não quantificaram a quantidade de ajuda que a China está considerando, exceto para dizer que era, nas palavras de uma autoridade, “substancial”.

Uma das principais restrições para a Rússia no momento é o fornecimento limitado de munição de artilharia, disseram especialistas. O exército russo é “culturalmente um exército de artilharia”, disse Michael Kofman, analista militar russo do grupo de pesquisa CNA, com sede na Virgínia. “No ano passado, as forças russas na Ucrânia alavancaram sua vantagem na artilharia para compensar a falta de mão de obra. Mas eles estavam gastando mais de meio milhão de projéteis por mês.”

Como resultado, disse ele, o exército russo provavelmente agora ou em breve racionará seu suprimento de projéteis de artilharia. “E é claro que eles já esgotaram, ao longo do ano passado, vários tipos de calibres diferentes, como 122 milímetros.”

A falta de munição, observou Kofman, “é um dos fatores essenciais na guerra e tem sido desde o início”.

Mesmo alertando a China, o governo lançou novas acusações contra o Irã, que forneceu à Rússia drones letais sem piloto usados ​​para atingir a infraestrutura ucraniana.

“Hoje temos informações adicionais de que o apoio iraniano à guerra da Rússia” se expandiu, disse Kirby a repórteres na sexta-feira. Em novembro, disse ele, “o Irã enviou munições para artilharia e tanques para a Rússia para uso na Ucrânia” e, no futuro, “pode ​​fornecer ao Irã caças a jato”.

Em troca, Kirby disse: “A Rússia tem oferecido ao Irã uma cooperação de defesa sem precedentes, inclusive em mísseis, eletrônicos e defesa aérea… No total, o Irã está buscando bilhões de dólares em equipamentos militares da Rússia.”

Ele se recusou, em resposta a perguntas, a oferecer detalhes, particularmente sobre o que ele disse serem embarques potenciais de caças russos. “Não posso ir mais longe… isso é realmente o máximo que posso ir aqui. Estaremos observando isso de perto para ver o que realmente acontece, se é que alguma coisa.”

O Irã negou enviar à Rússia quaisquer drones para uso na Ucrânia. O porta-voz do Ministério das Relações Exteriores do Irã, Nasser Kana’ani, disse à mídia russa Sputnik na sexta-feira que Moscou e o Irã têm uma longa história de cooperação militar que antecedeu o conflito ucraniano “e não é contra nenhum terceiro país”.

FONTE: Stripes.com

Subscribe
Notify of
guest

90 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Allan Lemos
Allan Lemos
25 dias atrás

enquanto o exército do presidente Vladimir Putin esgota rapidamente seu suprimento de munição

Ainda insistem nessa ladainha? A Rússia está ficando sem munição desde o terceiro mês da guerra. Deveriam saber separar a realidade de seu wishful thinking.

Mas enfim, seria interessante para os chineses ajudarem os russos. Ambos têm um inimigo em comum e a guerra na Ucrânia também poderia servir como laboratório para os equipamentos chineses do mesmo modo que a Guerra Civil Espanhola foi para os alemães.

Tutor
Tutor
Reply to  Allan Lemos
25 dias atrás

Entendo que, a partir do momento em que você começa a usar arma terra-ar (S-300) para atacar alvos no solo, é um claro indicativo de que há falta de meios próprios ar-terra ou terra-terra.

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Tutor
25 dias atrás

Vocês são como aqueles charlatões que ficam falando “Esse ano ocorrerá uma grande tragédia” ou “Esse ano alguém importante vai morrer”. Sendo que todo ano acontece alguma tragédia, todo ano alguém importante morre. É óbvio que a munição não é infinita, é óbvio que um dia ela se esgotará, então quando alguém diz “a munição russa está acabando”, assume-se logicamente que isso ocorrerá nos próximos dias ou semanas, não em 1, 2, 10 ou 100 anos. O que a mídia faz com esse tipo de matéria é desinformar usando sensacionalismo barato. A melhor forma de não saber de nada hoje… Read more »

Nei
Nei
Reply to  Allan Lemos
21 dias atrás

Se tivesse munição de sobra, não comprava do Irã e Coreia!

Jose
Jose
Reply to  Tutor
23 dias atrás

Por cá no ocidente falam muito nisso mas explique lá como um sistema Como o s 300 funcionaria atacando alvos terrestres ? A carga explosiva dos sistemas s300 não possuem potencia para danificar alvos blindados ou protrgidos ( pq não necessitam ) , os sistemas de guidance deste sistema estão projetados para procurar alvos no ar e não para atingir alvos em terra , por trás de terreno montanhoso ou eventualmente debaixo do solo . Mas casa um acredita no a quer .

Francisco
Francisco
Reply to  Jose
21 dias atrás

Realmente caro José não faz muito sentido, a não ser que uma das hipóteses a de que seriam estoques grandes de unidades bastante antigas que serviriam para fazer algum estrago mas principalmente o de mobilizar sistemas de defesa, aparentemente tudo indica que ainda não foi por falta de munição que utilizaram desses meios para esses fins, contudo, não passam de suposições de ambos os lados.

ORIVALDO
ORIVALDO
Reply to  Allan Lemos
25 dias atrás

Claro que a munição não está acabando. Estão guardando para quando a Otan invadir. Assim como Estão poupando os caças da Vks, que faz 1 ano e não conseguem dominar os áres na Ucrânia

Maurício Oliveira
Maurício Oliveira
Reply to  ORIVALDO
25 dias atrás

Realmente a Ucrânia tem a superioridade aérea, isso é indiscutível!

ORIVALDO
ORIVALDO
Reply to  Maurício Oliveira
25 dias atrás

Fake. É a Rússia que tem. E a superioridade é tamanha, que nem usam os caças

Jalbas
Jalbas
Reply to  ORIVALDO
24 dias atrás

A Rússia domina o espaço aéreo ucraniano há meses. As torres dos seus famosos (poderosos) tanques “T” voam para todos os lados do céu ucraniano, de dia, de noite, na madrugada estão voando!

Cláudio Almeida
Cláudio Almeida
Reply to  Maurício Oliveira
24 dias atrás

COMO , O QUE VOCÊ DISSE??

Norival
Norival
Reply to  Maurício Oliveira
23 dias atrás

Ucrânia superioridade aérea?
tu vive num universo paralelo?
tá iqual esses bolsominions que são minoria mas se acham 99% da população. kkk

Nei
Nei
Reply to  Norival
21 dias atrás

Faz o L se você gosta e deixa os demais em paz.

O único Universo paralelo que existe, vivem os apoiadores de um ladrão, que furtou da população, mentiu e agora está na presidência, isso sim é fim do mundo nesse país. E outra, não estou defendendo Bolsonaro, pois se fez algo errado, que seja punido.

Mas sabendo da organização criminosa que este país tem no poder, não existe esperança para dias melhores por estes lados.

Sds

João Moita Jr
João Moita Jr
Reply to  Allan Lemos
25 dias atrás

A trilogia agora é a Trilogia Da Otan…

Maromba
Maromba
Reply to  João Moita Jr
25 dias atrás

“Money for nothing” parceiro, “Money for nothing”
https://youtu.be/wTP2RUD_cL0

dfa
dfa
Reply to  João Moita Jr
24 dias atrás

Olha aí o cara que escreveu que os ucranianos não estavam oferecendo resistência voltou de novo…

Andre
Andre
Reply to  João Moita Jr
24 dias atrás

É sim, com textos chamando os ucranianos de inimigos.

Mas a realidade tem sido muito dura com vcs putinzetes. 6 meses e o único ganho do poderoso exército russo foi Soledar. Melhos atacar o mensageiro do que discutir os fatos que a mensagem trás.

Nei
Nei
Reply to  João Moita Jr
21 dias atrás

Zé moitinha, o cara que chamou os Ucranianos de “inimigos”.

Procure tratamento cara, com certeza seu cérebro de passarinho está nas últimas.

Sioner Salazar
Sioner Salazar
Reply to  Allan Lemos
25 dias atrás

Bla,bla,bla dos medios occidentales,todos eles ficam de joelhos a os pes dos EE UU mientras Rusia confirma a superiodidade militar frente a EE.UU e seus aliados da OTAN.O mundo mudó para sempre e os EE.UU não são mais Deus na terra para imponher politicas absurdas a outros paises soberanos..

Andre
Andre
Reply to  Sioner Salazar
24 dias atrás

Agora os deuses na terra que impõe políticas absurdas a outros países soberanos são os russos.

Nei
Nei
Reply to  Sioner Salazar
21 dias atrás

Sim, você prefere Putin mandando em você ou Biden?

Para de apoiar país do outro lado do mundo!

IvanF
IvanF
Reply to  Allan Lemos
18 dias atrás

A conta é simples, se estão usando mais que produzindo, está acabando :-).
O quanto estão usando até se tem uma ideia boa, mas, e produzindo?

Considerando a quantidade absurda de tanques que a União Soviética produziu, não ouso nem chutar quanto poderia ser o estoque Russo de munição!
E considerando que por aquelas bandas parecem não ligar muito se tá na validade ou se tá bem preservado, então tudo que tem por lá vai tá disponível pra uso.

Tutor
Tutor
25 dias atrás

Bom, ler essa matéria me traz até um certo alívio em relação ao Brasil. Sempre tive em mente uma preocupação referente a nossa baixa quantidade de meios militares, e sempre tive uma certa ideia de que em caso de guerra seria fácil uma superpotência nos capitular. Mas, ao ver essa realidade na guerra Rússia x Ucrânia, percebo que meios tecnológicos avançados podem dar uma certa vantagem, mas está longe de ser garantia de vitória; e no fundo no fundo, a guerra termina sendo resolvida na base de artilharia e fuzis. Ainda, se essa tentativa de conquistar a Ucrânia (600 mil… Read more »

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  Tutor
25 dias atrás

Sinto muito mas sua confiança é infundada, a Ucrânia resiste porque está recebendo bilhões em armas, equipamentos e inteligência da NATO. Se estivesse sozinha, já teria caído há muito tempo. Rússia e China não têm interesse em invadir o Brasil. Os únicos que poderiam fazê-lo seriam os EUA/OTAN. Nesse caso, quem você acha que viria nos ajudar? Se espera por auxílio externo, então torça para que a China se torne bem mais forte do que ela já é. Embora eu concorde que o Brasil seja muito mais forte do que a Ucrânia devido aos nossos recursos e manpower e também… Read more »

ORIVALDO
ORIVALDO
Reply to  Allan Lemos
25 dias atrás

Óbvio que a Rússia não tem interesse em invadir o Brasil.Não conseguem nem terminar o serviço na Ucrânia, imagina em um país continental, com traficantes armardos até os dente igual o nosso. Já a China, tem uma ilha “inimiga” pertinho faz décadas

Atiecher
Atiecher
Reply to  ORIVALDO
24 dias atrás

Bobagem, Rússia e China não têm método colonizador. Mais, estamos do outro lado do mundo. Como chegariam até aqui com força para ainda além de invadir, ocupar?
Sem chances. Na verdade os yankees nos ameaçam com essa ladainha russa e chinesa mas q está se dando bem com isso são eles mesmos cooptado traidores internos de toda ordem.

dfa
dfa
Reply to  Atiecher
24 dias atrás

A China e a Rússia não tem método colonizador? Rrrsss.
Como é que você acha que o Império Russo foi criado? Com vodka?
E o povo tibetano foram voluntários na sua anexação?
Deixa de escrever disparates.
Entre US, China e Rússia não existem inocentes mas antes interesses.

Last edited 24 dias atrás by dfa
Andre
Andre
Reply to  Atiecher
24 dias atrás

Não tem método colonizador?

Então essa invasão é o que? E a invasão da Criméia? E a invasão do Tibet?

kavuanza
kavuanza
Reply to  Atiecher
24 dias atrás

Hipocrisia ou conheces mesmo a história? Chineses e Russos não tenhem métodos colonizador! Os chineses atualmente onde passam escravizam as pessoas. Nós cá em Africa particularmente, em Angola existe trabalho escravo a luz do meio dia. Só não tenhem êxito na Europa; Sem descriminação com chineses deve se ter o devido cuidado.

Nei
Nei
Reply to  Atiecher
21 dias atrás

Como chegariam para nos ajudar contra os EUA, já que estão do outro lado do mundo?

Vocês são bobos, achando que algum país quer ser amigo, querem nossos recursos, todos eles.

Sempre a mesma narrativa contra os EUA, mas quando eles fazem isso não movem uma palavra para dizer que eles estão errados também.

Tutor
Tutor
Reply to  Allan Lemos
25 dias atrás

Mais ou menos infundada. Nem mesmo o Estado Islâmico lutou sem receber ajuda externa, embora ninguém assumiu que os ajudassem.
Difícilmente o Brasil seria atacado por unanimidade, sem receber apoio de niguém.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Allan Lemos
25 dias atrás

Boa tarde, não podemos confiar em nenhum dos 2 polos….
Temos que ter dissuasão
Abraços

Wnderley
Wnderley
Reply to  Saldanha da Gama
24 dias atrás

Se a Ucrânia tivesse entrado para Otan nada disso estaria acontencendo

Edimur
Edimur
Reply to  Allan Lemos
24 dias atrás

E Duro pessoas que não só torcem e não analisam nada e levam a polaridade até para uma guerra, e não aceitam que a Rússia hoje luta contra Otam, os EUA dando cordenadas para artilharia Ucrânia. Me respondam aí desde segunda guerra quando os EUA passaram por um conflito igual ? Aonde o outro lado recebia armas de todo lado?

Andre
Andre
Reply to  Edimur
24 dias atrás

É duro quando a gente tem muita opinião mas carecemos de informações, né? Ai acabamos falando, ou beste caso escrevendo, muita bobagem.

Até o Da Lua poderia facilmente responder essa “pergunta” sua, afinal ele adora lembrar da guerra do Vietnã, onde os norte vietnamitas receberam total apoio dos países do pacto de Varsóvia, tanto de armas e equipamentos quanto de pessoal.

Poderíamos também lembrar da guerra da Coreia, para onde foram enviados mais de 1 milhão de soldados chineses e uma gigantesca quantidade de equipamentos russos, além de muitos pilotos russos terem participado dos combates.

Last edited 24 dias atrás by Andre
sub urbano
sub urbano
Reply to  Tutor
25 dias atrás

A diferença é que o Brasil não tem 10% do material bélico que a Ucrania tinha antes da guerra. Ucrania tinha 1.000 tanques, 6.000 blindados, 2.000 peças de artilharia. Brasil tem 200 tanques, 900 blindados e 600 peças de artilharia. Veja só, nem estamos contando morteiros, lança rojões e metralhadoras pesadas aqui, nem tampouco as vultuosas doações da OTAN e seus cupinxas para a Ucrania.

Nilo
Nilo
Reply to  sub urbano
25 dias atrás

Um sentimento de confiança que não se sustenta, basta ver o comparativo de numero de peça que vc cita, sem falar da dificuldade logistica do Exercito Brasileiro se deslocar, tanto por meios ferreos como aereos (reduzimos drasticamente o número de KC-390 a ser produzido). Outra dificuldade ainda de leitura que não se ver na politica de Estado Brasileiro e tão pouco nas nossas forças armadas (quando muito são questões discutidas de forma academica) é que nossa defesa tendo o limite de fronteira terreste e maritima de toda a America do Sul passando pela Antarctica, se é que o este pais… Read more »

Last edited 25 dias atrás by Nilo
Maromba
Maromba
Reply to  sub urbano
25 dias atrás

Ahhh…! Mas nós somos um grande parceiro e amigo dos EUA/OTAN, e fazemos parte do “mundo ocidental civilizado” deles. Em caso de invasão do nosso território certamente teríamos todo apoio deles. Afinal eles respeitam nossa soberania sobre a Amazônia e não nos veem como meros garçons numa festa (com todo respeito a essa nobre e honrosa profissão).

Wnderley
Wnderley
Reply to  sub urbano
24 dias atrás

Blasil não tá aguentando nem com ele imagine entrar num confrito

Dagor Dagorath
Dagor Dagorath
Reply to  Tutor
25 dias atrás

Invadir o Brasil por terra, devido à sua envergadura geográfica, é tarefa bastante difícil mesmo para superpotências. Seriam necessários centenas de milhares de homens e milhares de veículos terrestres. Provavelmente um conflito em nosso território se daria com ataques à infraestrutura militar, energética e industrial com mísseis de cruzeiro e armas stand-off lançadas de aviões.

Maromba
Maromba
Reply to  Dagor Dagorath
24 dias atrás

Amigo, é só mandar uma chuva de mísseis sobre nossos políticos e generais em Brasília, ou simplesmente cortar nosso acesso ao Netflix, YouTube, WhatsApp e Instagram que a população já pede arrego.

Atiecher
Atiecher
Reply to  Dagor Dagorath
24 dias atrás

Nosso maior investimento militar teria q ser em defesa anti aérea e anti míssil. É dessa forma q podem nos atacar e nos destruir.

Inimigo público
Inimigo público
Reply to  Dagor Dagorath
23 dias atrás

E quem disse que precisa invadir o Brasil por terra? 80% do que mantém o Brasil de pé está no litoral. Rio de Janeiro, Recife, Salvador, Fortaleza, Natal, Vitória, Santos, Camaçari, Porto Alegre, Florianópolis, etc, tudo no litoral. Domina isso tudo aí e o resto do Brasil cai por tabela, pois nem fede e nem cheira. A exceção de São Paulo, BH e Brasília, que tem que andar um pouco, o resto se acerta à distância.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  Tutor
25 dias atrás

Como disseram abaixo, a Ucrania está recebendo bilhões em ajuda militar na OTAN, e antes da invasão, eles tinham um arsenal numeroso, mesmo que da época da Guerra Fria, além de terem uma extensa rede de AAA de curto/médio/longo alcance.
Se eles, com isso, já estão passando sufoco, imagine nós, que não temos nada disso?
Na verdade, nsm precisam nos invadir. É só jogar meia dúzia de minas na entrada da Guanabara e Itaguaí, que 90% da esquadra da MB não sai do lugar.

Pedro
Pedro
Reply to  Tutor
25 dias atrás

Se vir em nossa direção uma Guerra descontrolada, Eu acredito que nossos governos são os primeiros a entregar o Brasil para o inimigo a troco de uns pouco milhares , uma vez que não existe amor a pátria .

Afonso Bebiano
Afonso Bebiano
Reply to  Tutor
25 dias atrás

Mas e se o objetivo de um eventual invasor não for conquistar o Brasil inteiro, mas apenas uma parte dele?
De todo modo, com o padrão de governo de nossos últimos quinhentos anos, é mais produtivo, para o inimigo, apostar na corrupção do governante da vez. A guerra é a hipótese mais custosa.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Tutor
25 dias atrás

Se não tiver superioridade aérea resta a artilharia…

Como seria a guerra do Golfo se fosse somente com forças terrestres?

Boitatá
Boitatá
Reply to  Tutor
24 dias atrás

Não quero te desanimar, mas o dia que uma potência vier invadir o Brasil, eles vão escolher a parte que lhes interessa e simplesmente ocupar. O Brasil que lute para recuperar. Ninguém vai querer conquistar o território inteiro, isso é loucura.

O que eu mais fico pensando a partir da guerra da Ucrânia, é o grau de prontidão das Forças, principalmente no que se relaciona a estoque de munições e contingências após grandes ataques à nossa infraestrutura.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Tutor
24 dias atrás

se caça 5G, mira térmica e o escambal vencesse guerra nem URSS e nem os EUA teriam perdido no Afeganistão, além de ser necessário 1 trilhão na invasão do Iraque.

Inimigo público
Inimigo público
Reply to  Carlos Campos
23 dias atrás

Resta saber se o brasileiro tem a mesma disposição que o talibã tem para lutar. Aquele povo sempre viveu em guerra, sem água encanada, energia, comida de qualidade, etc. Duvido que tu aguentasse uma semana sem geladeira, cagando na latinha e comendo besouro frito.

Last edited 23 dias atrás by Inimigo público
Edimur
Edimur
Reply to  Tutor
24 dias atrás

Mano a Ucrânia nunca foi o anao Militar que é o Brasil eles sempre tiveram fábricas de armas desde a união Soviética.olha nos aqui cara só com a imbel até Engesa se foi

Andre
Andre
Reply to  Tutor
24 dias atrás

Além do nosso tamanho, estamos geograficamente isolados.

Se a Rússia teve tantas dificuldades logísticas para invadir seu vizinho, que país teriam condições logísticas de enviar uma força de invasão e manter essa força suprida?

Quantos homens a China conseguiria enviar se mobilizasse toda sua marinha, que é a maior do mundo em quantidade de navios?

Jose
Jose
Reply to  Tutor
23 dias atrás

Quem andou a rebentar com as platforms petroliferas off shore do Brasil quando Este não possuia meios para partilhar as auas águas não foi a Russia mas SIM os EUA .

Jotamobri
Jotamobri
Reply to  Tutor
21 dias atrás

Seria bom sem Guerra, se uma Guerra fosse do jeito que vocês estão imaginando seria uma maravilha. Conquistar o território de um país não fácil. Mas em qualquer Guerra há muita destruição, tanto material como de vidas . Cada parte na guerra tem sua narrativa. Não estou dando razão esta ou aquela nação, mas o que o Ocidente quer é expandir suas influências para o oriente, para isso quem está pagando caro é o povo de Ucrânia e Rússia. Quero ver se fossem os EUA envolvidos diretamente se não teriam usado armas atômicas para fazer o outro se render. Única… Read more »

Wagner
Wagner
25 dias atrás

Agora querem creditar a derrota da Ucrânia na China? E essa ladainha das munições russas vai continuar até quando?

ORIVALDO
ORIVALDO
25 dias atrás

Não posso acreditar que o grandioso Império Russo, que, se quiser, ocupa Kiev em dois dias, Berlim em duas semanas, Lisboa em um ano, está precisando de ajuda Chinesa pois está atolado na Ucrânia . Acho que fui enganado pela Midia Russa 🙁

Demolidor
Demolidor
Reply to  ORIVALDO
23 dias atrás

Na realidade a Ucrânia só resistiu graças ao apoio dos países da otan, no terceiro dia a Ucrânia já pediu ajuda da Polônia com munições porque seu estoque estava no fim, realmente a Rússia teria ganhado em poucos dias sem o apoio da Otan para a Ucrânia.

MFB
MFB
25 dias atrás

Isso é neio óbvio. A Rússia é uma grande força militar, com doutrina e equipamentos inferiores ao ocidente, mas em grande quantidade. Se a China apoiar, o ocidente teria que dobrar a aposta e a coisa iria escalar mais ainda. O mundo vai acabar pagando caro pela lambança do filhotinho de Hitler russo.

Last edited 25 dias atrás by MFB
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
25 dias atrás

A maior beneficiado dessa guerra será a China.
A Rússia, “ganhando” ou perdendo, ficará cada vez mais dependente da China, e a China pegará a influência que era russa nas ex-repúblicas soviéticas que a cercam.
E as FA’s chiesas tem uma chance de ouro pra avaliar uma guerra de grandes proporções, pra usarem os ensinamentos em suas FA’s, numa eventual invasão a Taiwan.

WSilva
WSilva
Reply to  Willber Rodrigues
24 dias atrás

Para a China é interessante que a Russia vença e quanto mais território a Russia anexar melhor será para a China pois a paranoia sobre ameaça russa no ocidente voltará com força total e a China ficará em segundo plano, enquanto isso a China cresce seu poderio militar e nuclear para garantir de vez seu dominio em Taiwan e no mar do sul da China. Além disso, a Russia se vencer sairá fortalecida geopolitica e militarmente. Uma Russia forte, ao contrário do que muitos pensam, é melhor do que uma Russia em frangalhos para a China. Porém, tudo isso é… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Willber Rodrigues
24 dias atrás

China e EUA.

Demolidor
Demolidor
Reply to  Willber Rodrigues
24 dias atrás

Errado, o maior beneficiado na guerra é economia dos EUA.

Mauricio
Mauricio
25 dias atrás

Os chineses entrando na guerra fornecendo munição e armas a russia poderá até mesmo impulsiona la a anexar Georgia e Moldávia. China não pode abandonar a Rússia porque sabe que em breve enfrentará a otan em Taiwan e precisará da russia. Os americanos conseguiram o impensável unir russia e China

Last edited 25 dias atrás by Mauricio
MFB
MFB
Reply to  Mauricio
25 dias atrás

“Os americanos conseguiram o impensável unir Rússia e China”

Você foi criado dentro de uma bolha? Desde quando isso era impensável?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  MFB
24 dias atrás

desde que os Russos nunca caíram de amores pelos Chineses, pois desde URSS a China se ressente por territórios, além de os Chineses ao longo de décadas roubaram tecnologia soviética, e foram sempre uma ameaça a segurança da URSS.

ORIVALDO
ORIVALDO
Reply to  Mauricio
25 dias atrás

Conseguiu unir mais a Russia e China. Assim como a “operação especial” reviveu a otan

cerberosph
cerberosph
Reply to  Mauricio
25 dias atrás

A China deve estar calculando se já está na hora de deixar a política de comer pelas beiradas. Ela já acumulou riqueza e poder e sabe que mais dia menos dia terá que peitar os EUA pela hegemônia econômica. Os EUA usaram a Ucrânia para debilitar a Rússia mas parece que morderam demais, com déficits estratosféricos e se afundando mais em gastos com a guerra e a baixa preocupante dos estoques de material militar nos EUA e aliados. Já vale a pena sair da sombra e usar a Ucrânia para debilitar mais os EUA em gastos e matériais?. E as… Read more »

Afonso Bebiano
Afonso Bebiano
Reply to  cerberosph
25 dias atrás

A China é a maior beneficiária dessa guerra (e também da pandemia surgida lá mesmo), mas acho que os chineses ainda dependem da economia americana para manter suas exportações em alto volume.
Um confronto direto entre os EUA e a China não deve ser coisa para esta década, no mínimo.

Demolidor
Demolidor
Reply to  Mauricio
24 dias atrás

Essa guerra reviveu a economia dos EUA.

Dom Pedro II
Dom Pedro II
25 dias atrás

são os Estados Unidos, e não a China, que estão constantemente enviando armas para o campo de batalha

China 1 x Estados Unidos 0

A hipocrisia das nações na geopolítica é uma coisa de louco, especialmente dos Estados Unidos.
A hipocrisia americana sempre supera as expectativas, impressionante isso.

Saldanha da Gama
Saldanha da Gama
Reply to  Dom Pedro II
25 dias atrás

Boa tarde !!!

Ainda tentando entender, por que a otan, eua… podem fornececer à ucrânia e a china , não pode para a rússia….

Não confio em nenhum dos polos, seja do ocidente, seja do oriente.

João Moita Jr
João Moita Jr
25 dias atrás

Mudar o rumo da guerra na Ucrânia?? Huh?? Como assim?? Então a Rússia vai começar a perder a guerra??? Segundo oc blog, a Russia está sem munição des do ano passado…

José de Oliveira Motta
José de Oliveira Motta
25 dias atrás

É obrigação da china ajudar diretamente a Rússia pois são ALIADOS sem limites.

Gilson Elano
Gilson Elano
25 dias atrás

Se a ajuda chinesa se consumar, América de Norte e Europa vão ter apertar ainda seu abraço amigo, junto a Ucrânia
Vão ter de fortalecer ainda mais seus laços militares e tratar tanto a Rússia com a China, como inimigos.
Quanto a África e América do Sul e Central, continuarão a ser latrinas.

Cesar Costa
Cesar Costa
24 dias atrás

Só não entendo porque a ganância desses povos que querem se envolver apenas para ganhar dinheiro.
Se já tivessem deixado a luta entre eles já teria sido resolvido,mas a ganância não deixa,ainda mais com esses americanos que vivem de guerra e adoram ameaçar os outros com seu poder.
Um dia a casa caí.

Realista
Realista
24 dias atrás

Todos as guerras que os chineses apoiaram eles venceram .

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Realista
24 dias atrás

se apoiar eles vencem, se eles lutarem eles perdem kkkk

Oliveira
Oliveira
24 dias atrás

Essa é uma conclusão meio óbvia.
Se a China entrar ao lado de Luxemburgo, esse país ganha qualquer guerra.
Basta ver o tamanho e as potencialidades chinesas.
Maior que do Ocidente junto.
1,4 bilhão de habitantes.
Mais de 1/3 da indústria mundial
E as maiores Forças Armadas.
Quem encara?

Francis Schindler
Francis Schindler
24 dias atrás

Tudo profético,guerra,pandemia,terremotos.
Enquanto não envolver China,Irã e Israel ainda não terão sido cumpridas as profecias biblicas.
Os tempos do fim estão sendo concluídos rapidamente.

Wnderley
Wnderley
24 dias atrás

Pra acontecer isso era melhor ter entrado na Otan aí eles respeitariam

Reginaldo
Reginaldo
24 dias atrás

Estados Unidos como sempre um pais sutil, procura enfia a Ucrânia como um bode expiatório pra fazer sua guerra, injetando bilhões de dólares encoraja a Ucrânia se mata, Rússia por outro lado luta uma guerra de olho no gato e o outro no peixe, o inimigo sempre foi o Estados Unidos, se a Rússia não joga mais pesado com a Ucrânia vai se desgasta e é isso que o Tio Sam tanto deseja, porque coragem mesmo de bate de frente com a Rússia isso não tem, então manda a Ucrânia faze seu serviço sujo.

Carlos
Carlos
Reply to  Reginaldo
24 dias atrás

Se a Rússia invadir o Brasil os EUA e a UE vão ajudar a gente, a mesma coisa se a China invadir,

Rogerio
Rogerio
Reply to  Carlos
24 dias atrás

Quem vai invadir São americanos e europeus, na verdade já invadimos, empresas europeu comprou um fazenda na Amazônia maior estado são Paulo..

Demolidor
Demolidor
Reply to  Carlos
23 dias atrás

A Rússia e China nunca atacariam o Brasil, as maiores ameaças a segurança do Brasil são EUA e Europa.

Alexandre
Alexandre
24 dias atrás

Desejo que EUA e Europa sejam derrotados neste conflito. Que se esbeleça logo o mundo multipolar. Também espero que os dirigentes do Brasil, bem como, os militares, estejam atentos para a importância do Brasil desenvolver sua indústria de defesa robusta, com força para enfrentar os desafios futuros. As verdadeiras ameaças ao Brasil vem de Europa e EUA, não dos países vizinhos da América do Sul.

Demolidor
Demolidor
Reply to  Alexandre
24 dias atrás

Sim as grandes ameaças a segurança do Brasil e global são os EUA e Europa, infelizmente nossos militares não vêem desta forma.

Demolidor
Demolidor
24 dias atrás

Para os EUA quanto tempo mais durar a guerra melhor, a indústria militar deles esta vendendo como nunca, eles depende deste conflito para tentar não perder a posição de maior economia para a China.
Os EUA é a primeira potência econômica na história que chegou neste posto vendendo armas.

Marcelo
Marcelo
23 dias atrás

Como a China reagirá à rodadas de sanções econômicas e fechamento de grandes mercados consumidores? Os chineses são capitalistas demais para mandar armas para a Rússia.

Demolidor
Demolidor
Reply to  Marcelo
23 dias atrás

São sanções unilaterais de EUA e Europa é fácil para eles contornar isso igual a Rússia e Iran fazem, só seria complicado se fossem sanções internacionais da ONU.

Ozias Gonçalves da Silva
Ozias Gonçalves da Silva
23 dias atrás

Lógico que não estar acabando e si assim acontecer a Rússia tem armamento morderno nem os EuA junto com a OTAN tem poder pra para a Rússia,sim fosse verdade não seria bom para Ucrânia e os fogueteiros aliados dela .pute é estratégico e não um comédia como zeleske