Munição guiada elimina por completo uma bateria de obuses russa em poucos minutos

72

Imagens divulgadas nas mídias sociais mostram a destruição de cinco peças de artilharia 2S19 Msta S numa mesma região, o que muito provavelmente significa a destruição completa de uma bateria inteira do Exército Russo.

Cada bateria de obuses da Rússia possui normalmente seis peças distribuídas em dois pelotões de três. A imagem abaixo, feita pelo site battleorder.com, ilustra a estrutura de uma bateria de obuses russa. Possivelmente, por falta de peças esta bateria possuía um dos pelotões com apenas dois Msta S.

A destruição das peças aparece em dois vídeos distintos sendo que o primeiro mostra a destruição de duas delas e o segundo a destruição das outras três (ver vídeos abaixo). Por análises de geolocalização foi possível identificar a proximidade entre os dois eventos. Ambos  foram feitos na mesma região, localizada a nordeste do vilarejo de Novopetrykivka.

Pela precisão dos disparos que destruíram as peças é provável que tenham sido empregadas munições guiadas do tipo Excalibur ou semelhantes. Este é um exemplo de como poucos projéteis em tão pouco tempo podem silenciar completamente uma bateria.

Acredita-se que a bateria aniquilada estivesse retendo o avanço ucraniano rumo a Staromayorke ou colaborando para a retomada russa de Marakivka, um pouco mais a norte.

Subscribe
Notify of
guest

72 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Heitor
Heitor
1 ano atrás

Precisão é tudo. Já é suficiente para frustrar qualquer tentativa do inimigo de agir sem cobertura.

Zeca
Zeca
1 ano atrás

Esta guerra mostra dia após dia como o EB está ultrapassado.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Zeca
1 ano atrás

A Siatt já está trabalhando em algumas munições guiadas, como vimos em matéria recente, mas o problema é que as coisas aqui no Brasil são lentas, muitas vezes ficando apenas no conceito e alguns poucos protótipos.

Renato Andrade
Renato Andrade
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

O grande problema é os governos civis q não priorizam a defesa, são ignorantes em ver o emprego dual de várias tecnologias produzidas neste solo sagrado.

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Renato Andrade
1 ano atrás

O governo americano é civil, assim como francês, inglês, coreano entre a muitos outros que investem em defesa

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Renato Andrade
1 ano atrás

Claro, durante o governo militar o Brasil era um líder em tecnologia militar….

Caaps
Caaps
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

E ai resolveram fazer politica..e deu no que deu.

André Goldman
Reply to  Rafael Oliveira
1 ano atrás

Poxa amigo, tenho q discordar. O governo militar brasileiro dependia de tudo do governo americano , nunca desenvolvemos nada de ponta para o mundo ou para nós no regime militar. Muito pelo contrário, dependiamos e dependemos até hj do governo americano.

Cosme Eustáquio
Cosme Eustáquio
Reply to  André Goldman
1 ano atrás

Ah Sim, Embraer, Engesa, Bernardini, Avibrás, Aeromot, Aerotech e tantas outras surgiram sob um governo civil, vou jogar meus livros de historia fora, eles mentiram pra mim!!

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  André Goldman
1 ano atrás

André, só um aparte: em 1977 o governo Geisel denunciou o acordo militar com os Estados Unidos. Isso até resultou em problemas para reposição de peças de diversos equipamentos militares, que tiveram que ser nacionalizadas.

sidney pereira
sidney pereira
Reply to  Renato Andrade
11 meses atrás

São os civis que pagam os salários dos soldados e das suas filhas solteiras, bastaria acabar com essa mamata e sobraria dinheiro o suficiente para equipar as forças de defesa, e capacitar melhor e também punir desvios de finalidades e etc.

Guacamole
Guacamole
Reply to  Maurício.
1 ano atrás

A Siatt está criando munição guiada por GPS para morteiros.
Esse sistema da matéria usa guiamento por laser e é para peças de obus.
A única semelhança entre os dois é que são munições de artilharia com guiamento.

Bernardo
Bernardo
Reply to  Zeca
1 ano atrás

Concordo 100% contigo. Desculpem-me, mas acredito que se um dia ocorrer alguma guerra de invasão no país, os políticos e seus familiares vão fugir como ratos. Além disso, essa geração TikTok provavelmente enfrentará problemas de saúde mental, e por influências externas, não irá para a guerra. E aqueles poucos que decidirem ir acabarão se tornando bucha de canhão nos fronts, pois não possuem equipamento de defesa, muito menos de ataque. No século 21, em guerras que exigem conhecimento estratégico, tecnologia e investimento pesado em defesa, habilidades como pintar guias ou aprender a saltar de helicóptero são inuteis.

Fernando Botelho
Fernando Botelho
Reply to  Bernardo
1 ano atrás

Só os políticos e familiares?

Como o país adora “pisar” na população com uma quantidade de injustiças e roubalheiras diárias, diria que boa parte da população não lutaria também.

C G
C G
Reply to  Bernardo
1 ano atrás

Só uma observação de que esse negócio da nova geração ter menos fibra ou coisa assim é uma prosa que vem dos tempos de Platão(!!!), ele escreveu um ensaio sobre isso.
Eles vão pegar em armas no tempo deles, enquanto a minha geração estará morrendo miseravelmente empunhando um fuzil a do TikTok estará pilotando drones cada vez mais complexos, eficientes e similares a um video game, exemplo ironicamentr atual para quem começou falando de Platão!
Pensando bem acho que a gente morreria para a geração TikTok sem nem saber o que nos atingiu!
Hahahahahahahhahaha

Last edited 1 ano atrás by C G
Wilson França
Wilson França
Reply to  Bernardo
1 ano atrás

Nesse caso, certo estão os tiktokers então.

Pedro
Pedro
Reply to  Bernardo
1 ano atrás

E quem vai à guerra por algo que nunca se acreditou ou muito menos uma instituição que quando teve a chance de realmente fazer algo pelo País, se comportou igual aos demais poderes do Estado Brasileiro, qual é a graça de ser ufanista, nisso? Se eu tiver dinheiro eu vou embora, sim, em caso de agressão externa, seguida de invasão e você faria o mesmo.

Wag
Wag
Reply to  Pedro
1 ano atrás

Boa esta amigo! Só li vdds! Retirou de mim o que estava engasgado com suas palavras

Edvaldo
Edvaldo
Reply to  Bernardo
1 ano atrás

O Brasil precisa é de estudo e não de guerra pra que investir em armas o não está em guerra com ninguém.

Carlos Pietro
Carlos Pietro
Reply to  Zeca
1 ano atrás

Boa noite,não só o EB, mas todas as forças armadas.

Kleber
Kleber
Reply to  Zeca
1 ano atrás

EB ainda usa obus m114 155 mm

Djalma
Djalma
Reply to  Zeca
1 ano atrás

Muito ultrapassado e o pior é que o Brasil está se afastando de quem detém as mais modernas tecnologias em armamentos.

Welington S.
Welington S.
1 ano atrás

E surreal como essa guerra da Ucrânia x Rússia está fazendo as forças armadas do mundo inteiro repensar sua estratégia de guerra. O uso de drones é algo absurdo e ajuda muito no campo de batalha.

Bosco
Bosco
Reply to  Welington S.
1 ano atrás

Eu tenho aqui pra mim que pode ser um F-35A utilizando seu radar AESA no modo SAR/MTI para detectar e indicar alvos para a artilharia. Os ucranianos podem também estar utilizando a munição “Excalibur HTK” com seeker autônomo , dado o nível da consistência da precisão. A precisão da Excalibur “padrão” (Inc. Ib ou M982A1) não é tão grande assim contra alvos pontuais. Um ou outro poderia ser atingido em cheio, mas foram os 5. Esse nível de precisão só é possível com uma munição dotada de seeker. Como os alvos foram atingidos num curto espaço de tempo é pouco… Read more »

Jagdv#44
Jagdv#44
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco, imaginei alguma aeronave furtiva coordenando isso.
Qual o alcance do radar do F35? Essa hipótese é factível?

Bosco
Bosco
Reply to  Jagdv#44
1 ano atrás

Jag,
Um F-35 a uns 10/12 km de altura vê no chão com seu radar a uma distância de uns 250 km.

IvanF
IvanF
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Eu ia concordar com você que a precisão desse ataque (5 acertos em 5 tentativas) parecia ser bom demais pra Excalibur padrão, mas depois de ver a página da Raytheon, mudei de opinião.

Eles prometem exatamente isso, “radial miss distance of less than two meters from the target” e “accurate first-round effects at all ranges in all weather conditions”. Palavras deles, não minhas, mas acho que se encaixam nesse ataque, 5 de 5.

Bosco
Bosco
Reply to  IvanF
1 ano atrás

Ivan, Eu fui na página. Pode ser mesmo a versão “padrão”. Mas fica meio que na dúvida se estão se referindo à “família” de munição Excalibur ou à munição padrão, orientada só por GPS/INS. Eu tenho um pé atrás por conta de que uma coisa é o teste controlado e outra coisa é o uso em situação real de combate. O projétil pode até ter essa precisão toda (2 metros) mas a cadeia de eventos (kill chain) até o disparo é muito complexa . A extração das coordenadas não é exata. Pode gerar imprecisões e aí o projétil não atinge… Read more »

IvanF
IvanF
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Pelo que eles dão a entender, ou ao menos o que eu entendi, é que as versões HTK e S seriam eficazes também contra alvos em movimento e/ou onde o sinal GPS esteja comprometido.

De qualquer forma, também fico cético com tamanha precisão, e como você mesmo pontuou, existe toda uma cadeia de informações e eventos que podem, e devem, diminuir essa capacidade.

Mas no fim, não deixa de ser impressionante o feito e o poder de destruição demonstrado.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco

F-35 acredito que não, mas talvez esse drone da filmagem esteja sendo controlado por satélite e poderia ter triangulado as coordenadas, dá para ver pela qualidade das imagens (zoom sem desfocar) que é um Drone de boas capacidades.
Me veio uma questão se é possível colocar um radar de contrabateria em um drone, talvez um miniaturizado ou apenas um sensor de som para plotar baterias inimigas.

Bosco
Bosco
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
1 ano atrás

Rafa,
Tem drones de reconhecimento com radares do tipo SAR (abertura sintética) que funciona melhor que um radar de contra bateria já que um radar de contra bateria só calcula e estima de onde os projéteis partiram e não “vê” diretamente os obuseiros/lançadores. Já um radar SAR numa aeronave (tripulada ou não) ou satélite, vê diretamente o ditos e determina a sua localização exata (ou quase).

Mr.Guara
Mr.Guara
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco, o explosivo M982A1 acredito ser pequeno demais para o tamanho do estrago, pelo menos no primeiro video se ve claramente que o detonador estava configurado para proximidade, e para o Excalibur essa configuração é para veiculo com blindagens leves e anti pessoal em area aberta. Portanto, acredito que no primeiro video o ataque foi realizado com os misseis M30A1 do HIMARS ou M270.

Bosco
Bosco
Reply to  Mr.Guara
1 ano atrás

Realmente a explosão é bem grande. Pode ser!

Glasquis7
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Não poderia ser que o diretor de tiro seja apoiado por algo assim como um N/TPQ-37 Firefinder para Contra-Bateria?

Bosco
Bosco
Reply to  Glasquis7
1 ano atrás

Glasquis, Um radar de contrabateria permite que seja feita o fogo de contrabateria utilizando um ataque maciço com projéteis burros, que saturam a área de onde partiram os disparos na esperança de atingirem algo. Geralmente é assim que se faz e não tem precisão nenhuma. Claramente não foi utilizado o fogo de CB clássico com projéteis burros, nesses casos. Se foi utilizado projéteis com seeker autônomo (Excalibur HTK, BONUS, SMArt155) ou mísseis (como o Brimstone) aí pode ser que funcione só com esses radares de CB porque o “míssil” adquire o alvo por conta própria utilizando seu seeker , desde… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  Glasquis7
1 ano atrás

Só tem duas maneiras de extrair as coordenadas precisas de um alvo móvel: radar de abertura sintética no ar ou no espaço e um sistema de designação a laser no ar ou em terra.
Via imagens de satélite (sensoriamento remoto) também , mas não tem a agilidade requerida para situações táticas (por enquanto).

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Bosco
1 ano atrás

aqui no Brasil um Atobá da Stella, com radar SAR seria fundamental para esse trabalho. vi que os EUA tem um programa de kit de guiagem para munição comum, o que tornaria munição guiada acessível e abundante.

Bosco
Bosco
Reply to  Welington S.
1 ano atrás

Outras munições de artilharia que têm esse nível de precisão são a BONUS e a SMArt 155. O exército da Ucrânia tem as duas mas não parece ter sido elas por conta de que daria para ver a submunição explodindo acima dos veículos.
Poderia ser também a Copperhead , guiada por laser, mas ao que se sabe está desativada há algum tempo. Sem falar que não parece ter sido uma arma designada por laser dada à simultaneidade dos impactos.

Francisco Vieira
Francisco Vieira
Reply to  Bosco
1 ano atrás

Bosco, tem como um alvo ser designado por laser vindo de um satélite?
Abraços.

Bosco
Bosco
Reply to  Francisco Vieira
1 ano atrás

Francisco,
Não! Até onde eu sei a designação por laser é possível até uns 15 km de distância.
Um satélite de reconhecimento “fotográfico” fica numa órbita baixa e está a 28.000 km/h . Seria complicado ele focar em um ponto durante um tempo razoável.
Talvez no futuro, mas aí deve ser um laser de alta energia, capaz de ele mesmo causar dano no alvo.

Bosco
Bosco
Reply to  Francisco Vieira
1 ano atrás

Mas satélites dotados de radar de abertura sintética (SAR) podem designar armas guiadas por GPS.
O radar no satélite “extrai” as coordenadas geográficas do alvo e transmite para a base que repassa para os efetores (artilharia, caças, etc).
Também essa extração de coordenadas pode ser feito com radares de reconhecimento “fotográfico”, desde que em tempo bom, mas é mais complicado porque demanda uma análise mais detalhada.
E por fim um satélite de reconhecimento pode passar a “imagem” de um alvo para um míssil com orientação por imagem térmica (IIR) ou visual (DSMAC)

MFB
MFB
1 ano atrás

Tem fotos, tem vídeos, geolocalização, imagem de satélites, tudo… Mas mesmo assim, logo virão os crentes pra negar. Canais de fake news do telegram são a nova bíblia deles. Se alguém postar lá 20 vídeos de um mesmo leopard sendo atingido de diferentes ângulos eles virão aqui falam em 20 mbts destruídos. Se for de madeira também conta. Trator melhor ainda.

Bernardo
Bernardo
1 ano atrás

Muito top esses videos de um lado vemos muita quantidade e pouca qualidade do outro lado vemos pouca quantidade e muita qualidade.

Nuno Taboca
Nuno Taboca
1 ano atrás

Tá errado isso. Munição escalibur? A Rússia já destruiu mais de 60 himars, mais de 200 leopards e mais de 20 patriota. Isso é fake news da mídia mínimo não vi nada disso nas fontes confiáveis, não vi nada no Intel slava Z. Tá errado isso aí . Kkkkkkkkkk

Satyricon
Satyricon
1 ano atrás

A máquina de guerra do Putinstão continua “ofegante”.

Segue o baile…

Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

Eis mais um exemplo de que Rússia insiste em usar estratégias e táticas militares do século XX contra uma dotrina de batalha do século XXI das tropas ucranianas, que está sendo implementada, de forma lenta, consistente e planejada, pela OTAN e pelos EUA. A Rússia prioriza o uso de grande quantidade de equipamentos militares, em grande parte obsoletos, e muita mão de obra mal treinada e inexperiente em combate, enquanto que a Ucrânia está aprendendo a trabalhar com menor quantidade material bélico, cada vez mais sofisticado tecnologicamente, e usando tropas menores, mas muito bem treinadas e amadurecidas no rigor das… Read more »

Carlos 07
Carlos 07
1 ano atrás

Aparenta ser uma região “segura” para os russos, por isso o grande número de abates. Oportunidades como esta são raras.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Carlos 07
1 ano atrás

Os muitos vídeos da destruição de peças de artilharia, de sistemas de lançamento múltiplo de foguetes, de baterias antiaéreas, de unidades de guerra eletrônica e de radares móveis russos provam que as oportunidades não são raras para a artilharia guiada ucraniana fazer seu serviço. Um alvo detectado, coordenadas engajadas, um disparo de armamento guiado e um alvo destruído.

Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

A Ground Launched Small Diameter Bombs (GLSDB) ou Bomba de Pequeno Diâmetro Lançada do Solo é uma bomba lançada por foguete de longo alcance, capaz de atingir alvos há cerca de 94 milhas (150 quilômetros). A GLSDB foi desenvolvida pela Boeing/Saab, combinando os sistemas GBU-39/B SDB de 250 libras com o conjunto de asa pop-out com o foguete de artilharia M26. A GLSDB pode ser disparada tanto do M270 MLRS quanto do M142 HIMARS, sendo que ambos vem sendo utilizados pelas forças ucranianas. A GLSDB usa o sistema de navegação inercial do GBU-39/B e o GPS embutido para guiá-lo até… Read more »

Jagdv#44
Jagdv#44
Reply to  Marcelo
1 ano atrás

3 pés são 90,15 cm aproximadamente.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Jagdv#44
1 ano atrás

Digitei errado … opsss … desculpa.

Foxtrot
Foxtrot
1 ano atrás

Recentemente a SIATT apresentou a granada de morteiro guiada nacional, kit para guiagem de foguetes 70 mm e munição guiada para drones e helicópteros. Em contra partida, a Estella tecnologias está desenvolvendo sua munição vagante para drones. Outras indústrias nacional apresentaram bombas guiadas etc. Se nossas FAAs se atentarem, podem se munir desses itens, e estarão em um patamar estratégico sem igual no continente sul americanos (se bobear, até a América central e andina). Os militares deveriam se reunir com todas essas empresas para solicitar uma munição ou kit de guiagem para munições de canhão ( 120, 155 mm etc).… Read more »

RDX
RDX
1 ano atrás

Sabe aquele blindado 6×6 francês parecido com o nosso Cascavel. Na primeira ofensiva, fragmentos de obuses da artilharia russa penetraram a fina blindagem de 2 AMX-10RC dos 40 recebidos pelos fuzileiros navais ucranianos. O restante foi recuado para evitar mais perdas. E o EB ainda quer modernizar o Cascavel.

Last edited 1 ano atrás by RDX
Maurício.
Maurício.
Reply to  RDX
1 ano atrás

O AMX-10 é um Cascavel que tomou Whey…rsrsrs.

Francisco Vieira
Francisco Vieira
1 ano atrás

Nessa guerra não existe o fator surpresa. Existe a supremacia tecnológica, onde tudo é vigiado e tudo é monitorado com precisão de centímetros. Uma vez excluída a opção nuclear, quem tiver melhor estrutura e melhores e mais precisas armas, vencerá essa guerra.

JPonte
JPonte
1 ano atrás

A avaliação negativa do 2º maior site chinês sohu deveria ser aqui considerada .
O mesmo teceu comentário negativo do EB , considerando o entre os 4 piores exércitos do mundo , naturalmente considerando a economia do país e suas responsabilidades inerentes geopolíticas …. O que acham em vista do que assistimos hoje da guerra na Ucrânia ?

pangloss
pangloss
Reply to  JPonte
1 ano atrás

Puxa vida, não conseguimos nem a medalha de bronze nessa disputa entre os piores exércitos?

Sergio
Sergio
1 ano atrás

Ta vendo…..O governo russo festejou por ter destruído alguns leopards e os minions daqui festejando. Uma bateria de obuses indo pro beleléu em minutos…….

Prendice Quirino
Prendice Quirino
1 ano atrás

E desculpem , mas isso é apenas uma uma agulha na guerra, se isso ocorreu mesmo. Pois desinformação, faz parte desse desse senario, horroroso. Um.mente mais que o outro, enquanto isso morrem pessoas. Guerra está fora de moda e torcer por um lado ou outro, pois ainda. A a RUSSIA , já aniquilou a UCRANIA. só falta a Otam entregar e dar a guarda. Nunca ganharão lá. Os Russos tem seus limites, e lá é um deles.

Fernando
Fernando
Reply to  Prendice Quirino
1 ano atrás

Num é possível! Acho que vc __________

COMENTÁRIO EDITADO. MANTENHA O RESPEITO. LEIA AS REGRAS DO BLOG:
https://www.forte.jor.br/home/regras-de-conduta-para-comentarios/

Djalma
Djalma
1 ano atrás

Foram atingidos por fogo de contra bateria; distância de 17km atrás das linhas de defesa russas.

Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

Em um pacote recente de ajuda militar à Ucrânia, constava que os EUA estavam fornecendo ferramentas necessárias para usar a consciência situacional fornecida pelos AWACS ocidentais em patrulha, mantendo vigilância 24 horas por dia, 7 dias por semana. Porém os AWACS patrulham fora do espaço aéreo ucraniano, onde não podem ser atacados pela Rússia. A partir da entrega dessas ferramentas, os sistemas de defesa ucranianos se tornariam aptos a atingir alvos russos sem ligar seus radares de busca. A consciência de campo de batalha da Ucrânia vai aumentando e o alcance das armas guiadas também … para desespero dos russos.

Last edited 1 ano atrás by Marcelo
Marcelo
Marcelo
1 ano atrás

Um vídeo postado esta semana no Telegram e no Twitter mostra, com riqueza de detalhes, o momento em que uma munição de vadiagem ucraniana destrói um veículo de combate de infantaria russo em Donetsk Oblast. Junto com o vídeo foi postada a seguinte mensagem: “Um veículo de combate de infantaria russo BMP-2 foi destruído por uma munição FPV ucraniana em Rivnopol, Donetsk Oblast.” Segue o link com a matéria completa.
https://www.19fortyfive.com/2023/06/dead-tank-ukraine-footage-shows-kamikaze-strike-on-russian-armor/

Last edited 1 ano atrás by Marcelo
M4|4v1t4
M4|4v1t4
1 ano atrás

A julgar pela quantidade de material de alta qualidade com tripulação muito bem treinada e que ainda não foi usada. Não há dúvida, em algum momento serão usados contra alguma grande cidade no Mar de Azov. Ou. … Crimeia?

Nesse ritmo já é possível dizer que os ucranianos poderão chegar em Melitopol, ou até mesmo em Mariupol, sem usar a força principal de ataque.

Ronaldo
Ronaldo
1 ano atrás

Alguém conhece um site para ingressar no exército ukrani, sou ex militar paraquedista e estudo russo

M4|4v1t4
M4|4v1t4
Reply to  Ronaldo
1 ano atrás

Fala inglês? Se você fala inglês então é só voar até Varsóvia que você dará de cara com o primeiro posto de recrutamento dentro do aeroporto internacional.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

não só a precisão, mas saber onde estavam as baterias era fundamental, acredito que foi por meio de drones, essa capacidade de usar munição guiada junto de drones, é algo que o EB não tem, e deveria correr parar ter, antes mesmo de pensar no MBT na minha opinião.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

não só a precisão, mas saber onde estavam as baterias era fundamental”

Você quis dizer as peças / os canhões?

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
1 ano atrás

sim

CPOR 1993
CPOR 1993
1 ano atrás

EDITADO

André Goldman
1 ano atrás

Um pouco sobre projétil que destruiu bateria russa……Ao contrário dos projéteis convencionais, cuja trajetória não pode ser corrigida após o lançamento, o Excalibur contém um GPS e um sistema de orientação inercial que, combinados com aletas que saem do corpo do projétil após o disparo, permitem que ele ajuste seu curso no meio do vôo e atinja um alvo alvo até 40 quilômetros de distância com uma precisão de alguns metros. “O Excalibur oferece extrema precisão e capacidade de ataque profundo”

José de Oliveira Motta
José de Oliveira Motta
1 ano atrás

EDITADO:
4 – Não escreva em maiúsculas, o que equivale a gritar com os demais. As maiúsculas são de uso exclusivo dos editores para dar destaque às advertências nos comentários eventualmente editados ou apagados.