A Ucrânia ordenou a evacuação obrigatória de todos os civis de 37 assentamentos no nordeste, enquanto a Rússia intensifica seus ataques lá.

As autoridades do distrito de Kupiansk, na região de Kharkiv, disseram que tiveram que agir por causa do “contínuo bombardeio russo” na área.

“É difícil deixá-los para trás”, disse Anna Koresh, 36, à agência de notícias AFP. “Mas como está ficando perigoso, é importante levar as crianças para um lugar seguro”, acrescentou.

Em seu último briefing, o Ministério da Defesa russo disse que suas unidades de assalto na direção de Kupiansk “melhoraram sua posição ao longo da linha de frente durante as operações ofensivas”.

Os militares da Ucrânia disseram que suas forças “repeliram com sucesso” os ataques russos.

Mas na noite de quinta-feira uma mulher foi morta e um homem ficou ferido quando um projétil russo atingiu uma casa no vilarejo de Podoly, distrito de Kupiansk, disseram autoridades ucranianas.

A ordem de evacuação não é a primeira para os residentes de Kupiansk.

Em março, crianças e pessoas “com mobilidade limitada” receberam ordens de evacuar a cidade de Kupiansk por causa de um aumento no bombardeio russo.

Kupiansk – um importante centro regional de transporte e logística – testemunhou combates ferozes desde que o presidente russo, Vladimir Putin, ordenou uma invasão em grande escala da Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022.

As tropas russas tomaram a cidade em questão de dias – mas as forças ucranianas retomaram o controle durante um rápido contra-ataque em setembro passado.

Esses avanços – e a libertação da cidade de Kherson, no sul da Ucrânia – foram as mudanças mais significativas na linha de frente desde que a Rússia se retirou das áreas ao redor da capital Kiev em abril.

Também na quinta-feira, uma pessoa foi morta em um ataque russo a uma “infraestrutura civil” na cidade de Zaporizhzhia, no sul da Ucrânia, disseram autoridades locais.

Eles disseram que outras nove pessoas ficaram feridas.

FONTE: BBC

Subscribe
Notify of
guest

73 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
George
George
10 meses atrás

“Ah mas a fonte é a BBC…

Não, pera. A reportagem é a favor da Rússia! Então não vou reclamar”

Modo ironia off

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  George
10 meses atrás

George,

Sem prejuízo do argumento e da ironia, a TASS e a CNN também deram notícias semelhantes:

https://amp.cnn.com/cnn/2023/08/10/europe/kupyansk-ukraine-evacuation-russia-intl/index.html

https://tass.com/politics/1658527/amp

George
George
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
10 meses atrás

TASS tem peso 2 e BBC tem peso um (para alguns).

Deveriam ter publicado a mesma reportagem da TASS para ter “mais credibilidade”.

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  George
10 meses atrás

Críticas, críticas e mais críticas.

Eu realmente devo ter servido Dolly no Cálice Sagrado.

Afonso Bebiano
Afonso Bebiano
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
10 meses atrás

Entre torcidas rivais, a única convergência é que o árbitro será xingado.

Augusto
Augusto
Reply to  Afonso Bebiano
10 meses atrás

kkkkkkkkkkk

bit_lascado
bit_lascado
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
10 meses atrás

Será que não foi corote?

Fernando "Nunão" De Martini
Reply to  bit_lascado
10 meses atrás

Talvez.

Ou então eu joguei cândida no Santo Sudário.

Last edited 10 meses atrás by Fernando "Nunão" De Martini
Faver
Faver
Reply to  Fernando "Nunão" De Martini
10 meses atrás

Muito bom.

Hcosta
Hcosta
Reply to  George
10 meses atrás

Desde quando a credibilidade de uma notícia se define a ter de publicar a fonte russa e a fonte Ucraniana? Tem é de publicar com fontes credíveis e ter provas ou indícios do publicado. Se publicam algo sem isso nada obriga, até pelo contrário, nem devem publicar. Parece-me ridículo colocar ao mesmo nível notícias comprovadas com outras que não apresentam provas nenhumas ou a possibilidade de contraponto, somente pela “obrigação” de ter os dois “lados”. É sempre engraçado que os mais indignados pela “liberdade de imprensa” são apoiantes de Putin. Talvez não seja essa a questão mas sim por não… Read more »

Realista
Realista
10 meses atrás

Essa contraofensiva da Ucrânia tá invertida ?

Wagner
Wagner
Reply to  Realista
10 meses atrás

A Ucrânia está sem apoio dos Houthis

fjuliano
fjuliano
Reply to  Realista
10 meses atrás

Pois é cara, sabe qual é o remédio para isso? Vários filmes de Hollywood para consolar o pessoal que digeriu com gosto a narrativa enlatada desde o ano de 2022.

Fábio De Souza
Fábio De Souza
10 meses atrás

Eu , continuo com a mesma opinião formada , que a Ucrânia , deveria procurar através da Diplomacia , o fim desta Guerra , que Já matou milhões de Ucranianos . A Rússia , não vai recuar , e aqueles que achavam que os embargos iriam sufocar a Rússia , se enganaram o que está cada dia mais visível. É que até os Europeus , já estão se cansando deste conflito , e com as aproximações das Eleições EUA , o apoio Militar e financeiro a Ucrânia , vai diminuir bruscamente .

Maurício.
Maurício.
Reply to  Fábio De Souza
10 meses atrás

“Eu , continuo com a mesma opinião formada , que a Ucrânia , deveria procurar através da Diplomacia , o fim desta Guerra.” Fábio, com todo o respeito, quando as potências estão envolvidas em guerras, não existe isso de “Diplomacia”. O mais forte sempre vai sair com algum tipo de vantagem, é assim que o mundo real funciona. Um tempo atrás, tinha um pessoal que dizia que o mundo não era um lugar justo, que no mundo real a lei que realmente imperava era a lei do galinheiro, onde o mais forte mandava, isso até essa guerra na Ucrânia começar,… Read more »

Gerson Carvalho
Gerson Carvalho
Reply to  Fábio De Souza
10 meses atrás

Se Trump vencer as eleições tchau apoio americano!

Bruno
Bruno
Reply to  Gerson Carvalho
10 meses atrás

A guerra acaba no dia seguinte

Maurício.
Maurício.
Reply to  Bruno
10 meses atrás

Gerson e Bruno, eu vou repetir, eu não consigo ver esse cenário onde o Trump deixa de ajudar a Ucrânia, acho que vai continuar na mesma, mas claro, posso estar errado. Só mais um detalhe, ele anda dando indícios ou já falou sobre isso? Sobre o fim da ajuda americana caso ele ganhe as eleições?

Hcosta
Hcosta
Reply to  Maurício.
10 meses atrás

Está à espera que Trump tenha alguma estratégia a longo prazo?

Ele diz que o que lhe der mais votos e faz o que mais lhe convém aos seus próprios interesses. E são duas coisas diferentes…

Maurício.
Maurício.
Reply to  Hcosta
10 meses atrás

“Está à espera que Trump tenha alguma estratégia a longo prazo?”

Eu não estou a espera de nada, eu só perguntei se o Trump estava dando indícios que não ajudaria mais a Ucrânia porque tem um pessoal que está bem convencido disso. E outra, na minha opinião, se a Ucrânia realmente quer defender seus territórios, eles não podem ficar dependendo de terceiros.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Maurício.
10 meses atrás

Depender exclusivamente de terceiros…

Mas pode depender de terceiros. Entra para a OTAN, apesar de ter a sua quota parte de obrigações.

Werner
Werner
Reply to  Maurício.
10 meses atrás

O problema de trump é um dragão e não um urso.

jairo
jairo
Reply to  Gerson Carvalho
10 meses atrás

Depende do Congresso, na verdade. Mas que a eleição do Trump é meio caminho andado para o fim ou diminuição do apoia a Ucrania é bem provável.

Paulo Roberto
Paulo Roberto
Reply to  jairo
10 meses atrás

Se o Trump “perder” essa eleição como perdeu a última pro Biden,uma guerra dos estados do Oeste dos EUA contra a União vai começar
Ou pelo menos o início de situações que vão culminar com este cenário

Diego
Diego
Reply to  Gerson Carvalho
10 meses atrás

E eu achava que Trump era doido….

Underground
Underground
Reply to  Gerson Carvalho
10 meses atrás

Agora a guerra depende de Trump.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Fábio De Souza
10 meses atrás

Talvez um dia destes isso aconteça mas lembro que já tinham esse “discurso” antes da 2ª invasão… Todo o mundo está cansado desta guerra e querem que termine o mais rápido possível. A questão é que continuam a apoiar os Ucranianos. E estar à espera de umas eleições, já foram feitas algumas na Europa e os Putinistas todos excitados por eventuais vitórias dos populistas e a consequente diminuição do apoio, não me parece que seja a melhor estratégia. Uns estão à espera de eleições, outros da China intervir diretamente com apoio militar, da capacidade de produção Russa, etc… Isso já… Read more »

jairo
jairo
Reply to  Fábio De Souza
10 meses atrás

Um paralelo a esse cenário é a Geórgia. Alguém sabe informar como política, militar e economicamente ficou a Geórgia após a invasão russa de 2008?

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Fábio De Souza
10 meses atrás

Beleza no dia que invadirem o Brasil e tomarem Amazônia, veremos se tem a mesma opinião.

Werner
Werner
Reply to  Rodrigo
10 meses atrás

Invadirem para quê? Ele já partilhou tudo,afinal é o governo do amor.

MMerlin
MMerlin
Reply to  Fábio De Souza
10 meses atrás

“Basta” atender as exigências russas:
– Desmilitarização do país;
– “Desnazificação” social;
– Proteção ao idioma russo;
– Alteração da constituição para definição de neutralidade;
– Concessão da Crimeia; e
– Concessão do territórios separatistas.

Simples e fácil, certo?

Nilton L Junior
Nilton L Junior
10 meses atrás

Contribuição análise da crônica militar O que está acontecendo perto de Kupyansk: A situação nesta direção para as Forças Armadas da Ucrânia está se tornando cada vez mais complicada. Existem poucas opções de resposta, e nenhuma delas é boa ou mesmo aceitável para o exército ucraniano. O que está acontecendo na direção de Kupyansk? Durante a ofensiva, unidades das Forças Armadas da RF chegaram perto de Sinkovka, um dos últimos assentamentos antes de Kupyansk na região de Kharkov. Kupyansk, para o qual o exército russo está a apenas 7 km de distância, assim como os objetos das Forças Armadas da… Read more »

Nacionalista
Nacionalista
Reply to  Nilton L Junior
10 meses atrás

tira essa bandeira do avatar cara

bit_lascado
bit_lascado
Reply to  Nacionalista
10 meses atrás

Deixa é engraçado ver um antifa apoiando o governo “super-hiper-mega-blaster-premium-gourmet democrático” russo.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  bit_lascado
10 meses atrás

Não comento opinião de torcedor porque é carregada de passionalidade.

Nemo
Nemo
10 meses atrás

Esses infelizes foram libertados pela Rússia no início da guerra, depois foram libertados pela Ucrânia e agora estão sendo libertados pela Rússia novamente. Será que sobrará algum para usufruir de tanta liberdade?

Haepia
Haepia
Reply to  Nemo
10 meses atrás

Melhor comentário em tempos!!!
Bem isso! Seria cômico se não fosse muito, muito trágico!!

Filipe
Filipe
10 meses atrás

Segundo o Hoje no Mundo Militar a coléra estava acabando com as tropas russas. 😑😑😑

Rogerio
Rogerio
Reply to  Filipe
10 meses atrás

Segundo o __________ a Ucrania estava colapsada desde março de 2022, a europa congelaria em dezembro e a inflação acabaria com os eua.

AVISO DOS EDITORES: SOLICITAMOS A TODOS QUE FAÇAM SUAS CRÍTICAS A OUTROS SITES E CANAIS NOS MESMOS, PARA QUE OS PRÓPRIOS RESPONSÁVEIS POSSAM RESPONDER DIRETAMENTE A VOCÊS.

Jefferson Ferreira
Jefferson Ferreira
10 meses atrás

Na cnn informou que além da russia esta quase conquistando a região de Kharkiv muitos militares e equipamento militares ucranianos foram apreendidos…

Felipe
Felipe
Reply to  Jefferson Ferreira
10 meses atrás

Coincidência ou não, o Zelascado começou a demitir lideranças militares “https://liveuamap.com/en/2023/11-august-president-zelensky-is-dismissing-all-heads-of-regional”
Isso mostra o “sucesso” da contra-ofensiva.

Francisco Vieira
Francisco Vieira
10 meses atrás

Notícia muito mal redigida. Notícias soltas, desconexas entre si e sem obedecer nenhuma cronologia.
No final, você não sabe quem expulsou (ou repeliu) quem.

bit_lascado
bit_lascado
Reply to  Francisco Vieira
10 meses atrás

Não é não, como diria Chorão: “o coro vai cume” nessa região e os ucranianos tão tirando os civis da área. Simples e fácil.

Pedro
Pedro
10 meses atrás

É o sucesso da contraofensiva, agora em marcha ré. Estratégia 5d do Ze Lascado.

sergio
sergio
10 meses atrás

Na verdade foram 57 aldeias e povoados, não assentamentos!

Francisco Vieira
Francisco Vieira
Reply to  sergio
10 meses atrás

A palavra “assentamento” reduz a importância militar do feito. É como se fosse um punhado de barracas móveis.

sergio
sergio
Reply to  Francisco Vieira
10 meses atrás

Exatamente !!!! por isso fez questão de corrigir !!!!!

Quirino
Quirino
10 meses atrás

Alguém viu o Marcelo?
Estou preocupado, ele esta desaparecido desde que a ofensiva ucraniana não conseguiu chegar na primeira linha de defesa russa.
Se alguém souber do Marcelo da um toque pra não ficarmos preocupados, estamos com saudade dos textos enormes deles pró ucraniana com as fontes super criveis dele.
#VoltaMarcelo

LUIZ
LUIZ
Reply to  Quirino
10 meses atrás

Esse Marcelo é o dono daquele canal Hoje no Mundo Militar ?? O que foi entrevistado pelo Lito??

Allan Lemos
Allan Lemos
Reply to  LUIZ
10 meses atrás

Nāo, era um rapaz pró-Ucrânia que postava aqui.

sergio
sergio
Reply to  LUIZ
10 meses atrás

Não e esse não, o nosso e outro.
Não sabia que o Marcelo do “Hoje no mundo da Otan” tinha sido entrevistado pelo Lito!!!

sergio
sergio
Reply to  Quirino
10 meses atrás

Pois e cara pensei nele esses dias powww deve ta sendo muito difícil o choque de realidade.
#ForçaMarcelo

Kommander
Kommander
Reply to  sergio
10 meses atrás

😂😂😂
#ForçaMarcelo

Francisco Vieira
Francisco Vieira
10 meses atrás

Embora o texto abaixo tenha sido feito por uma fonte não confiável da Rússia, acho crível: A decisão de mandar soldados atravessarem campos minados (correndo, de olhos fechados e segurando um fuzil afastado do corpo?) foi política e não militar. “O início da contraofensiva ucraniana foi uma decisão política tola e suicida, não justificada do ponto de vista militar profissional, declarou o especialista militar e político húngaro, Laszlo Foldi. “Acho que se você perguntasse aos políticos e especialistas militares tanto nos EUA como na Europa, eles diriam unanimemente que a contraofensiva foi em vão. Seu início não foi uma decisão… Read more »

Frederico Boumann
Frederico Boumann
Reply to  Francisco Vieira
10 meses atrás

Já se sabia que a Ucrânia não venceria essa guerra; e depois que o exército russo implementou as defesas, na atual conjectura ficou impossível para a Ucrânia.
Pelo visto se criará uma “Coreia” na Europa. Os equipamentos e as quantidades necessárias para mudar a, na verdade, quebrar as linhas defensivas russas não serão fornecidas pelos aliados, por que não querem e por que não podem.
Acredito que as conversas de bastidores já são no sentido de cessar fogo e vamos sentar à mesa.

Neural
Neural
Reply to  Frederico Boumann
10 meses atrás

Uma dúvida? Que tipo de equipamento romperia um campo minado de km de distância?

Frederico Boumann
Frederico Boumann
Reply to  Neural
10 meses atrás

Defesa aérea em maior quantidade, caças, muita munição cluster para os caças e para artilharia. Qual seria a ideia? Fazer a “varrição” das trincheiras com bombardeamento massivo com munições clusters, seja por caças, seja por artilharia; no campo minado criar uma “estrada” com as várias explosões das munições de mesmo tipo, dessa vez pela artilharia, só que essa operação demandaria muito poder aéreo, seja pela defesa aérea por misseis seja por caças mesmo, coisa que a Ucrânia não teve e nem terá. Isso é guerra em grande escala, em nenhum momento a OTAN ofereceu isso a Ucrânia, e nem poderia,… Read more »

Neural
Neural
Reply to  Frederico Boumann
10 meses atrás

Defesa aérea e caças bombardeiros? Me desculpe não acredito nisso. Acredito que precisaria de centenas de sapadores, com equipamento de ponta para tirar as minas manualmente abrindo estradas nos campos. Mas não tem como fazer isso se tiverem no alcance da artilharia e bombardeiros inimigos, seria um massacre.

Frederico Boumann
Frederico Boumann
Reply to  Neural
10 meses atrás

Seria uma forma, todavia muito arriscada. Do jeito que eu disse o risco é menor, mas teria que empregar meios que, como disse anteriormente, a Ucrânia não tem e nem terá. A forma que falei “economizaria” soldados, bombardeia as trincheiras com bombas clusters com caças e artilharia pesada, só que isso demandaria uma defesa aérea de ponto muito densa, como já sabemos, isso não está disponível. Os campos minados têm que ser bombardeados forçando a explosão das minas, abre-se uma “estrada” é fácil de fazer (na teoria), só que, na prática, não há meios; pois requereria mais uma vez uma… Read more »

Francisco Vieira
Francisco Vieira
Reply to  Neural
10 meses atrás

Acho que nenhum, nesse caso, pois aqui a largura do campo é maior do que o comprimento. São centenas de quilômetros! Os ucranianos precisariam de tantas máquinas que, fatalmente, seriam bombardeados. Quando avançaram, os russos se explodiram nas minas ucranianas, inevitavelmente. Agora está acontecendo o inverso. Vi um artigo que dizia que o mato cresceu nas áreas agricultáveis e cobriu as minas! E enquanto estamos lendo este texto, se os russos não forem bobos, mais minas eles estarão colocando e mais armas estarão fabricando. O verão lá já está quase acabando e nada de resultados. Agora será chuva gelada, com… Read more »

sergio
sergio
Reply to  Francisco Vieira
10 meses atrás

Vou so complementar, com um trexo de uma materia daqui mesmo do forte : “Se houver um ataque de míssil em um tanque, e um tanque explodir, e se for para o Twitter, uma grande bola de fogo será retuitada. Muitas pessoas verão isso”, disse ele”. ““Há muitos vídeos também de mísseis atingindo tanques, mas tanques sobrevivendo ao ataque”, acrescentou. “Não vai ser muito retuitado porque não é um vídeo muito interessante. Muitas pessoas logo no início chegaram a essa conclusão muito errada de que os tanques eram mais obsoletos do que eram.” Esse trecho e de uma reportagem aqui… Read more »

Peter Pan
Peter Pan
10 meses atrás

Por onde andam os panfletários da OTAN!?

João Moita Jr
João Moita Jr
10 meses atrás

Ainda bem que a Ucrânia está ganhando, né? Não quero nem pensar como seria a derrota…hehe

Bispo
Bispo
10 meses atrás

O apoio da população americana está ruindo.

https://edition.cnn.com/2023/08/09/politics/white-house-responds-cnn-poll/index.html

Lembrando que o “fator tempo” foi determinante para a Rússia em outra guerra.

Com as eleições Americanas chegando, corra Zelenski, corra.

Marcos
Marcos
10 meses atrás

Audi, Skoda, Volkswagem retornando para a Rússia!!!!

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Marcos
10 meses atrás

Show…pq dirigi lada ninguém merece

Felipe
Felipe
Reply to  Rodrigo
10 meses atrás

Lada (Autovaz) hoje é do mesmo grupo da Renault/Nissan/Dacia

Monarquista
Monarquista
10 meses atrás

Agora ninguém segura! Agora os russos vão derrubar o nazismo de vez na Europa! Em 2 semanas chegam a Berlim!

Monarquista
Monarquista
Reply to  Monarquista
10 meses atrás

Naquela vez teve algo chamado Lend Lease. Agora o Lend Lease está do outro lado,

Felipe
Felipe
Reply to  Monarquista
10 meses atrás

e vai mostrar que não foi por lend lease que USSR venceu da outra vez..

Monarquista
Monarquista
Reply to  Felipe
10 meses atrás

Podemos fazer uma aposta, que tal? Quanto tempo tu acha que a Rússia leva para conquistar a Ucrânia?

Senhor Mascarado
Senhor Mascarado
Reply to  Monarquista
10 meses atrás

EDITADO:
4 – Não escreva em maiúsculas, o que equivale a gritar com os demais. As maiúsculas são de uso exclusivo dos editores para dar destaque às advertências nos comentários eventualmente editados ou apagados.

BraZil
BraZil
10 meses atrás

Bom dia a todos. Com relação ao tópico Trump que surgiu aí, o discurso (conhecidíssimo) dele é o América first e as diretrizes disso eram (também conhecidíssimas), que a OTAN deveria se virar sozinha (em termos), ou seja menos intervencionismo americano no mundo e mais investimentos dentro do seu próprio país. Portanto sim, ele não irá priorizar essa guerra inútil e cada vez mais impopular entre os eleitores americanos e europeus. (apesar dos dividendos colhidos pelo CIM (Complexo industrial militar- para os incautos)) Vide o que aconteceu agora no Maui, que será usado como crítica ao atual desgoverno certamente e… Read more »