MGM-140 ATACMS

O MGM-140 ATACMS (Sistema de Mísseis Táticos do Exército) entrou em combate novamente. Desta vez, o ATACMS faz a sua primeira aparição na Ucrânia. Este também é o primeiro uso deste míssil por militares estrangeiros. Os EUA dispararam mais de 600 ATACMS durante operações de combate.

O ATACMS tem uma história longa e complexa. Originalmente, este míssil era destinado ao uso contra os soviéticos, atacando grandes concentrações de tanques, bem como centros de comando e controle. O ATACMS nunca viu combate contra os soviéticos, mas participou na Operação Tempestade no Deserto e na Operação Liberdade do Iraque.

No início da guerra com a Rússia, o governo ucraniano solicitou o ATACMS, para aumentar a sua capacidade de apoio no campo de batalha e compensar a falta de aeronaves de ataque suficientes. Os EUA estavam relutantes em fornecer estes mísseis, temendo que pudessem ser usados contra alvos dentro do território russo.

Eventualmente, Washington cedeu e forneceu um número não revelado de ATACMS à Ucrânia. Os alvos anunciados eram duas bases aéreas russas.

Irá o ATACMS mudar o curso da Guerra Russo-Ucraniana? Provavelmente não. Mas o míssil tornará mais difícil para a Rússia reabastecer as suas tropas na Ucrânia ocupada. Cada nova arma fornecida é outra peça de xadrez movendo-se no tabuleiro. A artilharia de longo alcance já estava causando problemas logísticos russos e o ATACMS irá complicar ainda mais as suas dificuldades.

O poder aéreo não derrotou os alemães na Segunda Guerra Mundial. Uma combinação de poder aéreo, ataques terrestres, operações navais e guerra econômica corroeu lentamente a capacidade de resistência da Wehrmacht alemã. O ATACMS é outro meio de desgastar as tropas russas que lutam na Ucrânia.

VÍDEO: ATACMS na Ucrânia lança salva contra alvos russos

FONTE: Forecast International

Subscribe
Notify of
guest

87 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos 07
Carlos 07
8 meses atrás

Mudar não! Mas será um desafio considerável para os Russos. Lembrando que, o missil Kinhzal é mais poderoso que o ATACMS, e mesmo assim não deu grande vantagem aos russos.

Atirador 33
Atirador 33
Reply to  Carlos 07
8 meses atrás

A vantagem do ATACMS são os explosivos clusters que ele carrega e que espalham a destruição por uma área bem grande. Recentemente os ucranianos utilizaram dois dessas mísseis contra duas bases russas, segundo noticiaram alguns meios de comunicação, com apenas um míssil, os ucranianos destruíram vários helicópteros e depósitos de munição russos em uma das bases.

Em resumo, poucas unidades fazem bastante estrago. Acredito que os russos terão de repesar as posições de suas bases e depósitos na Ucrânia.

Last edited 8 meses atrás by Atirador 33
Walsh
Walsh
Reply to  Atirador 33
8 meses atrás

Não acredito que tenha sido usado apenas um míssil, a área atingida foi enorme, mais de 15 helicópteros foram destruídos só em uma base. Na outra foram mais 5 ou 6.

Rodrigo Frizoni
Rodrigo Frizoni
Reply to  Walsh
8 meses atrás

24 foram destruidos

Maurício.
Maurício.
Reply to  Atirador 33
8 meses atrás

“A vantagem do ATACMS são os explosivos clusters que ele carrega e que espalham a destruição por uma área bem grande.”

Não existe vantagem, o Tochka-U e o Iskander também fazem isso.

Marcelo
Marcelo
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

A grande vantagem do ATACMS é a precisão. O Tochka-U e o Iskander erram os alvos. Simples assim …

Maurício.
Maurício.
Reply to  Marcelo
8 meses atrás

Claro, claro, as armas russas eram todos os alvos, se tu quiser acreditar nisso como uma espécie de conforto psicológico, tudo bem, afinal, cada um acredita no que quiser…🤷🏻‍♂️

Marcelo
Marcelo
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Tem um episódio de um míssil russo matador de porta aviões que acertou um edifício residêncial na Ucrânia. O Pravda Russo correu para justificar que havia uma miniatura do Nimitz na estante do apartamento … rsrsrs … o disparo foi preciso e o alvo foi destruido.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Carlos 07
8 meses atrás

e depende da quantidade…

e ainda estamos a falar da versão mais antiga…

Provavelmente os EUA ainda limitam, em muito, o seu uso…

Walsh
Walsh
Reply to  Carlos 07
8 meses atrás

A diferença é que o ATACMS foi produzido em larga escala e o Kinhzal serve só para fazer propaganda, como alias é a grande maioria das armas “do fim do mundo” russas.

A resistência russa esta baseada principalmente em artilharia burra em larga escala e infantaria (ainda mais burra) para ser jogada no moedor de carne da frente de guerra.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Walsh
8 meses atrás

Tu tem que comparar o ATACMS com o Iskander, e não com o Kinzhal.

Bosco
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

O Iskander pesa quase 4,5 t para 400 km.
O ATACMS pesa 1,6 t para 300 km.
O ATACMS teve que caber no MLRS M-270, com mo máximo 4 metros de comprimento e 2 t de massa. O Iskander não tinha limitação.
O novo PrSM tem 650 km de alcance e pesa 1,2 t , igualmente com 4 metros.
Os americanos privilegiam mais a precisão que a capacidade destrutiva.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Bosco
8 meses atrás

Se o ATACMS tem a limitação para caber no M-270, o problema é dos americanos, mas o fato é que ambos são mísseis balísticos comparáveis. Quanto ao PrSM, a Ucrânia possui? Não, então não entra na comparação, na verdade acho que nem pronto está.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Não é uma limitação, seu raciocínio está errado, é uma vantagem! Ele cabe em veículos menores, mais leves e rápidos, que por sua vez cabem em aviões de carga menores ,ou seja, podem ser transportados em grande escala e posicionados rapidamente, essa é uma enorme vantagem tática.

Bosco
Reply to  Carlos Crispim
8 meses atrás

Carlos,
Um HIMARS carregado pesa 16 toneladas e pode ser levado por um C-130.
O M-270 MLRS pesa 24 toneladas e tem o dobros dos mísseis/foguetes.
Um transportador/eretor/lançador MZKT7930 com dois Iskander M pesa mais de 40 toneladas.

Last edited 8 meses atrás by Bosco Jr
Maurício.
Maurício.
Reply to  Carlos Crispim
8 meses atrás

Depende do ponto de vista, se tu quiser um míssil menor e com menor alcance, vai de ATACMS, se tu quiser um míssil maior, com uma carga destrutiva maior e com um maior alcance, vai de Iskander, simples assim.

Mafix
Mafix
Reply to  Walsh
8 meses atrás

No inicio da guerra pensei que a aviação russa faria um estrago gigante nas forças ucranianas apoiando a infantaria russa como os EUA emprega a aviação visto que eles tem muitos tipos de aeronaves mas o que vimos foi o uso de artilharia usando munição da era sovietica que eles tem aos montes ainda…

Rayr Guilherme
Rayr Guilherme
Reply to  Mafix
8 meses atrás

Não é a mesma doutrina. Os russos usam a aviação de forma limitada como plataforma para lançamento de mísseis. Eles preconizam o uso maciço de artilharia de todas as formas (tubos, mísseis etc.) para atingir os objetivos táticos e estratégicos.

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Rayr Guilherme
8 meses atrás

Não tem nada a ver com doutrina, o problema para a aviação, para os dois lados, são os vários sistemas SAM presentes, desde manpads, curto, médio e longo alcance.

Bosco
Reply to  Rui Mendes
8 meses atrás

O problema é o completo despreparo da Rússia , do ponto de vista doutrinário, para implementar atividade SEAD e DEAD.
Sem isso e sem aeronaves stealth não tem como utilizar a aviação de combate em seu pleno potencial.
Isso foi uma imensa surpresa tendo em vista que no passado eles desligaram um destroier Aegis e causaram pânico extremado na tripulação com um de seus pods de ECM.

Neural
Neural
Reply to  Bosco
8 meses atrás

EDITADO

Bosco
Reply to  Neural
8 meses atrás

Tadinha da colina. Meu Deus…

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Bosco
8 meses atrás

kkkkkkkkkkkk boa

Groosp
Groosp
Reply to  Carlos 07
8 meses atrás

A ISR (Intelligence, surveillance and reconnaissance) da Ucrânia é superior. Por isso que armas de longo alcance como o HIMARS, Storm Shadows e agora ATACMS fornecidos à Ucrânia acabam tendo um impacto maior mesmo os russos tendo armas da mesma classe ou até superiores.

Rayr Guilherme
Rayr Guilherme
Reply to  Groosp
8 meses atrás

Não é da Ucrânia e sim todo aparato de obtenção de informação (satélites, drones,etc) da OTAN.

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Rayr Guilherme
8 meses atrás

Mas quem está na frente, são os Ucranianos, não a OTAN, pois os Russos também recebem ajuda massiva da Coreia do Norte, Irão, China e Bielo-Rússia, pelo menos.

LUIZ
LUIZ
Reply to  Rui Mendes
8 meses atrás

Ajuda ?? Quais ajudas a Rússia recebe desses países? Pois a Ucrânia recebe todo o tipo de suporte dos países da OTAN.

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  LUIZ
8 meses atrás

Recebe sim, do Irã, China e CN, se não recebe mais é por que nenhum país democrático quis ficar do lado russo, todos os países da ex-cortina de ferro hoje são terras arrasadas pelo comunismo, atrasados e com a indústria destroçada , todavia, do lado americano sobram países fortes e fornecedores de armas inteligentes e tecnologias avançadas, fazer o quê?

Carlos Crispim
Carlos Crispim
Reply to  Rayr Guilherme
8 meses atrás

Tolinho

Bosco
Reply to  Groosp
8 meses atrás

Cirúrgico!

Hcosta
Hcosta
Reply to  Groosp
8 meses atrás

Nessa questão a capacidade HUMINT Ucraniana deve ser muito superior à da Rússia, ou seja, tem muitas mais fontes nos territórios ocupados a passarem informação do que o inverso.

Werner
Werner
Reply to  Groosp
8 meses atrás

Da Ucrânia ou da OTAN?

Macgaren
Macgaren
8 meses atrás

A Wehrmacht desdentada atual precisa ser parada.

Vamos ver os estragos que esse armamento americano vai fazer.

Plinio Jr
Plinio Jr
8 meses atrás

Sozinho não, é mais uma ferramenta importante na luta dos ucranianos em expulsar os invasores .

Junior Souza
Junior Souza
8 meses atrás

Mais uma forma de impedir os Russos de mobilizarem grandes formações de material belico no território ocupado.
Essa briga vai longe ainda.

Profyler
Profyler
8 meses atrás

Mudar a maré não sei, mas que vai atrapalhar os bizarros planos já frustrados da Rússia, isso vai.

Marcelo
Marcelo
8 meses atrás

Qualquer acúmulo de tropas, qualquer nó logístico, qualquer instalação militar, qualquer depósito de munições ou suprimentos russo no território ucraniano ilegalmente ocupado está ao alcance do ATACMS. Seja usando munições cluster ou uma ogiva única, a precisão e a capacidade de destruição desse míssil é impressionante. Os russos serão obrigados a recuar aeronaves de asas fixas e de asas rotativas bem como dispersar tropas, combustível, munições e suprimentos. Essa é a nova dificuldade imposta pelo ATACMS à já precária logistica russa.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Marcelo
8 meses atrás

Se os russos simplesmente trocarem mísseis balísticos com os ucrânianos, os russos ainda assim estarão na vantagem, já que o Iskander é um míssil bem maior que o ATACMS e com um alcance maior. A comparação tem que ser com as armas que ambos os lados possuem, falando apenas no míssil americano dá a impressão que os russos não possuem um equivalente, o que é um erro.

Last edited 8 meses atrás by Maurício.
Marcelo
Marcelo
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Se os russos tem misseis equivalentes (e já tinham antes da invasão), pq não ainda não ganharam a guerra?

Maurício.
Maurício.
Reply to  Marcelo
8 meses atrás

Tu vai negar que a Rússia possui o Iskander, que inclusive é um míssil superior? Quanto a Rússia ainda não vencer, é simples, eles estão se mostrando incompetentes. E outra, uma andorinha só não faz verão, tu já deveria saber disso, afinal, tu falava em leopard, challenger, Abrams, m777, storm shadow, entre outros, e eles conseguiram expulsar os russos? Pois é…

Hcosta
Hcosta
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Muitas dessas armas já expulsaram os Russos de muitos sítios. O mais recente deve ser o Storm Shadow que expulsou muitos navios da Crimeia…

Marcelo
Marcelo
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Depois da invasão, os russos estão tomando uma cossa dos ucranianos. Ninguém vence uma guerra da noite para o dia … rsrsrs … exceto pelo pensamento do Putin. Mais importante que os equipamentos, que continuam chegando na Ucrânia, é a mudança da doutrina militar. Os ucranianos primeiro pararam os russos e agora os estão empurram lentamente para trás, causando o máximo de destruição possível. E o passar do tempo vai favorecendo Kiev …

Marcelo
Marcelo
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

O Iskander já estava disponível para os russos logo no início da invasão da Ucrânia e qual foi o alvo estratégico que esse míssil destruiu: nenhum. Pelo contrário, quatro baterias Iskander constam como destruídas pelos ucranianos. Muitos outros Iskanders foram abatidos pelas defesas antiaéreas ucranianas. O ATACMS fez uma estréia triunfal no conflito militar na Ucrânia. E somente seis ATACMS foram disparados. Não se sabe quantos foram enviados, mas um estoque gigante desses mísseis está ficando disponível nos EUA … e todos eles já foram pago há anos pelos contribuintes americanos.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Marcelo
8 meses atrás

Marcelo, com todo respeito, mas tu é muito entusiasmado, tu ficou entusiasmado com o M777 e depois com a munição Excalibur, depois com os Switchblade, que na teoria daria uma boa vantagem para os ucrânianos, principalmente para atacar bases russas, depois com os sistemas de defesa aérea, até com as velharias do Crotale e do Hawk tu se animava, depois com o Storm Shadow, sem falar das “Bestas do Ocidente” (Leopard , Challenger e Abrams) que depois do fiasco de estréia, ninguém mais falou sobre, fora o tal treinamento padrão OTAN, que na sua opinião seria um treinamento “pika”, mas… Read more »

Marcelo
Marcelo
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

E todos esses equipamentos continuam a dar trabalho para os russos na Ucrânia. Inclusive já tem vídeo dos velhos mísseis Hawk derrubando mísseis de cruzeiro e drones russos. Segue a contra ofensiva ucraniana …

Marcelo
Marcelo
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Eu vejo uma ex-superpotência penando para atingir algum objetivo estratégico em Aviidvka enquanto uma ex-república soviética impõe uma lenta contra ofensiva contra fortes linhas de defesa. Depois de mais de 600 dias de combates, a Ucrania continua empurrando os russos para trás.

Last edited 8 meses atrás by Marcelo
Maurício.
Maurício.
Reply to  Marcelo
8 meses atrás

Daqui uns seis meses eu volto aqui e te pergunto como está indo a contraofensiva, inclusive contando com o apoio do ATACMS…

Bosco
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

O desempenho comparado do ATACMS com o Iskander para estimar o grau de efetividade não faz sentido tendo em vista que não são armas diretamente digladiáveis.
Diferente da comparação entre um míssil ar-ar BVR e outro ou de mísseis antinavios sup-sup , que seria plenamente pertinente tendo em vista serem armas que podem se bater diretamente dando vantagem a quem tem a de melhor desempenho.

Maurício.
Maurício.
Reply to  Bosco
8 meses atrás

Quanto xadrez 4D Bosco, todo mundo que entende o mínimo do mínimo sabe que o Iskander é superior ao ATACMS, isso é um fato, não sei o por que de tanta celeuma! E outra, qualquer armamento pode ser comparado com outro de mesma categoria para se comparar o grau de efetividade, tu mesmo, faz isso direto aqui na trilogia, a categoria de mísseis balísticos não foge a essa “regra”.

JapaSp Jantador
JapaSp Jantador
Reply to  Marcelo
8 meses atrás

Lembrando que quem ganhar a logística tem muitas chance de ganhar toda a guerra. Ou seja os russos estão lascados. A batata do outin está assando mais e mais

LeoRezende
LeoRezende
Reply to  JapaSp Jantador
8 meses atrás

“Exércitos marcham sobre seus estômagos”,dizia Napô,o corso.
Sem apoio ao combate,não existirá combate…não por muito tempo.

C G
C G
8 meses atrás

Como sempre dito:
“O tempo joga a favor de Kiev!”
Enquanto os russos vieram mostrando tudo o que tinham e tiveram que recuar diversa vezes os Ucranianos vão melhorando dia após dia, na longa escalada de equipamentos hj temos o ATACMS, logo será F-16, se bobear até gripens!

Rafael Aires
Rafael Aires
Reply to  C G
8 meses atrás

Pelo contrário. O Putin só precisa aguardar a opinião pública da Europa e dos EUA pararem de falar da Ucrânia.

Bosco
Reply to  Rafael Aires
8 meses atrás

Estratégia digna de um jogador de dama de quinta categoria. Esse Putin é mesmo um jênio.
Joga o seu país na lama, mata milhares de seu próprio povo , é considerado criminoso internacional, gasta bilhões e bilhões de dólares e o jênio da dama espera obter alguma vantagem apelando para o inverno europeu e para o noticiário da CNN.
Para quem tinha o imparável Kinzhal e podia paralisar destroieres com raios de pavor hoje sustenta sua ofensiva com drones com motor de motosserra feitos no… Irã.

Mafix
Mafix
Reply to  C G
8 meses atrás

Depende da versão e tipos de armas de f-16 que os ucranianos vão receber talvez ajude no combate destruindo postos de comando e depositos de munição e armas.

C G
C G
Reply to  Mafix
8 meses atrás

Se vier com misseis anti radiação (HARM?) vai ser um pega pra capar nas defesas aéreas russas, talvez abrindo caminho para uso de drones de verdade e operações CAS!
Estar na Criméia pode se tornar uma ideia bem ruim para qualquer soldado russo, com esse ATACMS já já a ponte vai pro vinagre e sem defesa então…

Mafix
Mafix
Reply to  C G
8 meses atrás

Bom esse cenario só é possivel com uma ofensiva em massa na Crimeia inciada após a destruição da ponte, não creio que os ucranianos tem essa capacidade de mover muitas tropas e avançar varios KM em pouco tempo mesmo com aviação dando suporte .

Rayr Guilherme
Rayr Guilherme
Reply to  Mafix
8 meses atrás

Bem observado

C G
C G
Reply to  Mafix
8 meses atrás

“ofensiva em massa”
Pois é justamente o contrário, nada de ofensiva, o objetivo é dificultar a logística russa ao máximo e causar atrito severo, não são balas que vencem uma guerra entre parelhos mas a capacidade de fornecer essas balas, comida, remédios, agua…

Last edited 8 meses atrás by C G
Mafix
Mafix
Reply to  C G
8 meses atrás

Mas como vão retomar e manter o territorio após destruir a ponte sem tropas ?

C G
C G
Reply to  Mafix
8 meses atrás

Colocando a Rússia de joelhos, dobrando a capacidade industrial Russa, fazendo faltar combustivel e bala, criando baixas humanas de difícil reposição, fazendo o soldado russo passar fome e frio, pular de trincheira em trincheira depois disso é consequência!

Hcosta
Hcosta
Reply to  C G
8 meses atrás

Logística Russa inclui os militares e a população.
E é a população o ponto mais fraco. É uma grande pressão logística somente com os militares, juntando a necessidade de suportar mais 2 milhões de pessoas, aí o cenário se torna assustador…

C G
C G
Reply to  Hcosta
8 meses atrás

É isso, a Crimeia está razoavelmente dentro do alcance de AWACS da Otan, é uma pena que essa contra ofensiva não chegou em Mariupol mas ainda é perfeitamente possível criar esse problema!

Carlos Campos
Carlos Campos
8 meses atrás

vai dificultar a vida dos Russos, mas tem como resolver isso, mas os generais Russos não tem pensamento bom o suficiente para isso, é incrível como ainda existe aviões na Ucrânia, como que ainda existe estradas que ligam a Ucrânia à outros países.

Mafix
Mafix
Reply to  Carlos Campos
8 meses atrás

Estradas e ferrovias uma equipe de manutenção repara rapidamente diferente de destruir uma estação de de fornecimento de energia ou fabricas que são usadas no esforço militar.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Mafix
8 meses atrás

não tem como consertar numa velocidade aceitável, visto que uma bomba faria um buraco onde caiu, e não é reparo fácil, ferrovia e estrado não é algo móvel.

Mafix
Mafix
Reply to  Carlos Campos
8 meses atrás

Dois dias é um tempo aceitavel para voce ?

Jogar terra em um buraco e pedras depois colocar dormentes e trilhos é algo que precisa de uma tecnologia avançada ou mão de obra extremamente qualificada?

Maurício.
Maurício.
8 meses atrás

O problema do ATACMS é que realmente tem um pessoal que acha que ele sozinho pode fazer alguma diferença, não vai. Em uma guerra onde já foi utilizado outros mísseis balísticos como o Tochka-U pelos ucrânianos e russos, e o Iskander pelos russos, que é um míssil superior, e nenhum fez grandes diferenças, não vai ser o ATACMS que vai fazer essa diferença. O Kinzhal e o Storm Shadow também foram muito falados, já hoje, alguém tem notícias desses dois mísseis? Pois é…

Bosco
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Ninguém pensa isso, Maurício. Os meios ofensivos de maior alcance disponível aos ucranianos são os caças, aviões de ataque e os helicópteros de ataque (além de alguns C-UAVs) ou utilitários configurados para ataque, mas que de forma bizarra não são operados na sua plenitude. Estes receberam mísseis HARM e mísseis SCALP/Storm Shadow, além de bombas planadoras guiadas JDAM-ER. Sobram os drones kamikazes de longo alcance, os mísseis Neptune modificados e o drone Tu-141 modificado. No plano tático eles têm uma quantidade desconhecida de mísseis Tochka (120 km) , além dos “mísseis” M-30/M-31 (80km) dos sistemas MLRS/HIMARS. Com a entrada em… Read more »

Maurício.
Maurício.
Reply to  Bosco
8 meses atrás

“Ninguém pensa isso, Maurício.” Discordo, basta ler os comentários desde a primeira vez que se falou em ATACMS para a Ucrânia, desde o início da guerra praticamente. Quanto ao “20 vezes mais precisos” e “uma prontidão 30 vezes maior”, tem que se fazer uma comparação real, colocar números apenas por colocar não diz muita coisa. A minha questão é apenas ao uso dos mísseis balísticos, sem a interferência de caças e helicópteros, que os russos também possuem, e nesse ponto, o ATACMS não vai trazer nada de novo, essa é a questão, pode causar muita dor de cabeça e muito… Read more »

Hcosta
Hcosta
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Ter uma arma capaz de diminuir a superioridade aérea Russa é por si um game changer. E especialmente uma com capacidade para atacar as suas bases.
Mudou o jogo. Agora os Russos vão ter uma dificuldade muito maior em colocar unidades em apoio próximo e em responder em tempo útil.

Mais informação sobre o assunto…
https://www.youtube.com/watch?v=-z630Rt1mTs

E o CEP do Tochka-U, é de 95 metros…

Maurício.
Maurício.
Reply to  Hcosta
8 meses atrás

Sério que tu falou em “Game Changer”? Não é possível…
Outra coisa, o “jogo virou”? Onde? Na teoria, pro “jogo” virar, a Ucrânia tem que colocar a Rússia pra correr. Até isso acontecer, esse jogo ruim e cansativo de se acompanhar não passa de um empate, empate esse que favorece a Rússia com o pedacinho de terra conquistado/roubado.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Não, isso é ganhar o jogo e o “game over”. Virar o jogo para os Ucranianos é passar para a ofensiva e uma ofensiva cada vez mais ampla em termos de ferramentas e de danos causados. A Rússia está na defesa e com cada vez maiores dificuldades, algo diferente de estar a jogar para ganhar. E segundo a sua lógica a batalha de Midway/porta aviões, assim como muitas outras, não teve qualquer importância já que os Japoneses continuaram a controlar uma grande área e a guerra não acabou. Como os desembarques, bombardeamentos, produção industrial, etc… É um game changer porque… Read more »

Nickless
Nickless
Reply to  Maurício.
8 meses atrás

Não é um “game changer” porem no primeiro ataque destruiu/danificou mais de 20 helicópteros russos, os que não foram destruídos ficaram com tantos furos que dificilmente vão conseguir reparar. (tem fotos e videos deles assim), se em torno de 10 ka-52 foram destruídos, esses equipamentos vão fazer muita falta na linha de frente dos russos. pois como todo mundo sabe, um equipamento desse leva meses pra ser reposto. ou seja. pode não mudar o rumo da guerra de imediato, mas a longo prazo as perdas russas serão tão grandes que vão ficar insustentáveis.

Bispo
Bispo
8 meses atrás

Apesar das “porradas” que a Rússia está tomando… vejo como um laboratório para os russos face as armas da OTAN empregadas.

Há relatos e fotos de mísseis EUA e Inglês capturados semi destruídos, servem para estudos.

Emmanuel
Emmanuel
8 meses atrás

Não vai.
E ano que vem, com a possível vitória de Trump, a fonte de dinheiro para a Ucrânia esgotará.
Simples assim.

Jose
Jose
Reply to  Emmanuel
8 meses atrás

Mais fácil Trump ganhar uma vaga no xadrez…

Bosco
Reply to  Emmanuel
8 meses atrás

A Ucrânia continuará lutando como fizeram os afegãos que não tinham ajuda de ninguém.
Também é simples.

wilhelm
wilhelm
Reply to  Bosco
8 meses atrás

Sim, os Stingers se materializaram de maneira milagrosa nas rochas das montanhas afegãs.

Bosco
Reply to  wilhelm
8 meses atrás

Não vá tão longe no tempo. Me refiro ao pós 11/09.

Bispo
Bispo
Reply to  Bosco
8 meses atrás

No Afeganistão a CIA lutou junto e muito, fora que as montanhas ofereciam ótima proteção.

Aliás a CIA ajudou tanto , por lá, que teve um filho Osama bin Laden.

O resto é e está na história.

Paulo Roberto
Paulo Roberto
Reply to  Bosco
8 meses atrás

Mais uma vez te digo que não adianta,a contraofensiva da sua amada OTAN usando a Ucrânia de bucha não deu em nada.(aliás,deu em algo sim,deu em m**rda)

Bosco
Reply to  Paulo Roberto
8 meses atrás

“Mais uma vez te digo…”
Fique só com um nick para eu poder me balizar. Não me lembro de um Paulo Roberto me dizer nada.
Voltando ao assunto seu contorcionismo retórico demonizando quem ajuda a Ucrânia e passando pano para os assassinos que a invadiram é patético.
Se para os americanos a Ucrânia é bucha de canhão o que ela é para os russos?

Bosco
Reply to  Paulo Roberto
8 meses atrás

O fato da Ucrânia ter reagido ao agressor parece ter te incomodado muito provavelmente porque estourou a bolha em que vive , onde nela os russos são os invencíveis assassinos invasores crueis do bem , matando e estuprando em nome da nobre causa de destruir o Ocidente opressor e a Ucrânia tinha que ter se dado por felizarda e se prostrado inerte ao estuprador já que sua subjugação prestaria um serviço à causa.
Esqueceu de combinar isso com os ucranianos. Sinto muito.

Hcosta
Hcosta
Reply to  Emmanuel
8 meses atrás

Esperança é a última a morrer…

Marcelo
Marcelo
8 meses atrás

O ATACMS associado ao crescente aumento da consciência de campo de batalha dos ucranianos tem potencial para desarticular as forças russas. Mas os pequenos drones kamikaze ucranianos ainda fazem enorme estrago. Nesse link tem o relato com video de um pequeno drone destruindo um poderoso TOS-1A. A enorme explosão termobárica não deixa dúvida do que era o alvo e de como ele foi completamente destruído.
https://www.thedrive.com/the-war-zone/russian-tos-1a-thermobaric-rocket-launcher-absolutely-detonates-when-hit-by-drone

JapaSp Jantador
JapaSp Jantador
8 meses atrás

Um cenário vai se pintando… A tendência é que a Ucrania não precisará de tanta ajuda americana mais. Americanos vão sim continuar ajudando mas estarão mais presentes em outros fronts. A Europa principalmente os vizinhos da Ucrânia fazem e farão esse papel de defesa mútua. Muitos esquecem que os Europeus estão apavarados. Rússia e China estão desafiando a ordem mundial vigente. O direito internacional que mantém a paz e permite a globalização, (todo o comércio), estão colocados a prova. Ninguém quer perder a posição de poder e futuro das próximas gerações. Se eu fosse russete comuna, não subestimaria a vontade… Read more »

Last edited 8 meses atrás by JapaSp Jantador