Kristallnacht, designada em português “Noite dos Cristais”, foi um pogrom contra os judeus pela Alemanha Nazi na noite de 9–10 de Novembro de 1938, levado a cabo pelas forças paramilitares das SA e por civis alemães. As autoridades alemãs olharam para o acontecimento sem, no entanto, intervir. O nome Kristallnacht deve-se aos milhões de pedaços de vidro partidos que encheram as ruas depois das janelas das lojas, edifícios e sinagogas judaicas terem sido partidas.

As estimativas sobre o número de vítimas causadas pela violência variam. Os primeiros relatos indicavam que 36 judeus tinham sido mortos durante os ataques. Mais recentemente, as análises ao progrom efectuadas a documentos académicos feitas por historiadores como Richard J. Evans, refere um valor mais elevado, cerca de 91 mortos. Quando se inclui as mortes posteriores, devido a maus-tratos dos judeus detidos, e suicídios, o número de mortos ascende a centenas. Para além das vitimas mortais, cerca de 30 000 judeus foram detidos e enviados para campos de concentração.

As casas dos cidadãos judeus, hospitais e escolas foram pilhados e postos abaixo pelos atacantes com o recurso de marretas. Mais de mil sinagogas foram incendiadas (95 só em Viena) e mais de sete mil negócios foram destruídos ou danificados. Martin Gilbert escreve que mais nenhum acontecimento na história dos judeus alemães entre 1933 e 1945 foi tão difundido à medida que ia acontecendo, e os relatos dos jornalistas estrangeiros a trabalhar na Alemanha causaram ondas de choque em todo o mundo. O Times escreveu na altura: “Nenhum propagandista estrangeiro se dedicou a enegrecer a Alemanha antes que o mundo pudesse superar o número de incêndios e espancamentos, de assaltos violentos a pessoas indefesas e inocentes, que desonraram aquele país ontem”.

O pretexto para os ataques foi o assassinato do diplomata alemão Ernst vom Rath por Herschel Grynszpan, um polaco judeu nascido na Alemanha a viver em Paris. À Noite de Cristal seguiram-se perseguições económicas e políticas aos judeus, vistas pelos historiadores como uma parte da mais abrangente política racial da Alemanha nazi, e o início da Solução Final e do Holocausto.

FONTE: Wiki

Subscribe
Notify of
guest

31 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Vitor
Vitor
8 meses atrás

Ontém foram os judeus hoje são os palestinos que são massacrados o ser humano não aprende a história se repete.

Underground
Underground
Reply to  Vitor
8 meses atrás

Há milhares de àrabes vivendo em Israel sem serem molestados. Entretanto, contudo, o reverso não é verdadeiro.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Underground
8 meses atrás

EDITADO

Caerthal
Caerthal
Reply to  Vitor
8 meses atrás

Comparação completamente descabelada.

Henrique
Henrique
Reply to  Vitor
8 meses atrás

Progrom que o Hamas (a amiguinhos associados) esta fazendo nos palestinos e tentando fazer isso nos judeus…

L G1e
L G1e
Reply to  Vitor
8 meses atrás

Realmente vc não sabe nada de história. O holocausto foi um extermínio em massa nas câmaras de gás, além de fome, escravidão, etc. Que nunca mais ocorra com os judeus aquilo que os nazistas fizeram com eles. Israel vive.

naval762
naval762
Reply to  Vitor
8 meses atrás

Claro! São iguaizinhos! Realmente, o ser humano não aprende!

KKce
KKce
Reply to  Vitor
8 meses atrás

Que comparação ridícula.

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Vitor
8 meses atrás

EDITADO

Luiz Trindade
Luiz Trindade
Reply to  Luiz Trindade
8 meses atrás

Editado?!? O que eu falei de errado?!? Temos um lado político aqui no Braço Forte?!? Que bom saber! Minha última postagem aqui @Alexandre Galante quiça nos outros blogs! Vivo num país democrático e me recuso a fazer parte de algum local com viés ditadorial! Viva o Artigo 5° da Constituição Federal! Editem à vontade. Pois não voltarei mais aqui!

Heinz
Heinz
Reply to  Vitor
8 meses atrás

você só pode ser um completo analfabeto funcional para digitar uma asneira desta.

Last edited 8 meses atrás by Heinz
MARS
MARS
Reply to  Vitor
8 meses atrás

Se o mundo fosse justo, você seria um perfeito candidato a receber a visita do Kidon…

Last edited 8 meses atrás by MARS
Radagast, o Castanho
Radagast, o Castanho
Reply to  Vitor
8 meses atrás

Eu pensei em responder, mas depois que li os comentário dos demais colegas… acho que não preciso.

Underground
Underground
8 meses atrás

É bom lembrar que os judeus têm sido perseguidos ao longo milênios, simplesmente por serem judeus.

Heinz
Heinz
Reply to  Underground
8 meses atrás

Sim, e isso é algo irrefutável, o irã mesmo afirma que quer a destruição do estado judeu. A pergunta é o que os judeus fizeram ao Irã? Absolutamente nada! É só ódio por eles serem quem são.

Underground
Underground
Reply to  Heinz
8 meses atrás

“A pergunta é o que os judeus fizeram ao Irã?”
– Ajudaram o Irã contra o Iraque durante a guerra.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Underground
8 meses atrás

Olá Camarada Underground,

Perfeito o comentário, apenas uma correção necessária.
Judeu é a religião =Judaica
Hebreu é o israelita ou israelense.

Então é o povo israelita ou hebreu que é caçado, não a sua religião Judaica ou Judeu.

É como se dá com os Hutus e Tutsis na Ruanda / África era a etinia o povo que estava sendo caçado não a religião (que no caso de ambos os povos é a mesma!)

Sgt Moreno

fjuliano
fjuliano
8 meses atrás
Leo Costa
Leo Costa
8 meses atrás

Observando os deslikes dos haters acéfalos de Israel. Ñ conhecem história, só sabem das coisas de ouvir falar… Nunca trabalharam com árabes pra saber o que grupos fundamentalistas realmente planejam.. Ou sequer nunca visitaram um campo de concentração pra sentir o q cerca de 6 milhões de pessoas passaram. Sensação horrível estar num lugar desses.Se depois de td q está sendo divulgado, e o vídeo de 40 minutos, que com certeza vai vazar um dia, quero ver se ainda continuarão a ficar do lados desses monstros terroristas…

Jose
Jose
Reply to  Leo Costa
8 meses atrás

Não duvido nada deles meu amigo…infelizmente.

Leo Costa
Leo Costa
Reply to  Jose
8 meses atrás

Trabalhei por 30 dias com Egípcios como interprete e conversávamos quase sobre dia sobre a questão de Israel e as diferentes culturas dos países árabes ao redor.. Eles contavam com detalhes o que é o Hamas, Hezbolah, AlQaeda Estado Islamico, e o que o Irã se tornou após a revolução islâmica de 1979.
Visitei Mauthausen em 2008…
Qnd vejo as “Maria vai com as outras” opinando sobre q ñ sabem, percebe-se o quão imbecil se tornou parte da sociedade.

Jose
Jose
Reply to  Leo Costa
8 meses atrás

Imagino as conversas que deve ter conhecimento. Só quem passa por certas situações que pode contar realmente.

Leo Costa
Leo Costa
Reply to  Jose
8 meses atrás

Pois é!

Claudio Moreno
Claudio Moreno
8 meses atrás

Testemunhas de Jeová, Judeus e outras minorias foram perseguidas e mortas. Ainda hoje na Rússia existem mais de 120 Testemunhas de Jeová presas e torturadas por falsa acusações de se tratarem de um povo extremista…os caras nem prestam o serviço militar por serem objetores de consciência! Assim como são aqui no Brasil. Como podem dizer que são extremistas, recusarem matar ao próximo mas amar ao próximo como disse o hebreu Jesús? Agredito qué o mal do mundo está na cristandade e sua hipocrisia. Sempre repudie o serviço religioso em meus batalhões, como o padre pode me abençoar para ser eficaz… Read more »

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Claudio Moreno
8 meses atrás

Olá Moreno. O Estado Nazista perseguiu uma série de grupos e minorias por diferentes razões. Os judeus foram o maior grupo. Você tem razão ao lembrar das Testemunhas de Jeová que também foram perseguidas. Os nazistas também prenderam e executaram gays, comunistas, social-democratas, sindicalistas e outros grupos, como prisioneiros de guerra soviéticos. Na convenção que definiu a solução final, foi estimado a existência de 11 milhões de judeus na Europa. Segundo os registros feitos pelos nazistas, foram executados 6 milhões, sendo que cera de 1,5 milhão foram executados por fuzilamento pelos grupos de extermínio que invadiram a URSS. O mais… Read more »

Radagas, o Castanho
Radagas, o Castanho
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

De fato Camargoer, tudo começou com pelotões de fuzilamento, mas devido ao tempo necessário para o fuzilamento, ao custo e aos efeitos psicológicos nos soldados eles abandonaram essa forma.

Mas antes dos nazistas usarem as câmaras de gás eles usaram caminhões fechados que tinham o gás do escapamento direcionado para dentro do baú, abandonaram essa forma por causa do custo.

O uso do zyklon-b literalmente “industrializou” o processo da maquina de matar nazista.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Radagas, o Castanho
8 meses atrás

Exato. O uso dos “furgões da morte” foi usado no programa T4 para assassinar doentes mentais. Este furgões usavam o escapamento. Estas mortes eram terríveis. Os corpos eram retirados dos furgões misturados ás fezes e vômitos das vítimas. As crianças consideradas “indignas” de viver eram assassinadas com injeções de formol diretamente no coração. Lembro de uma frase sobre os mortos nos campos de extermínio que lembrava que apenas os mortos conheceram o seu horror. Já ouvi muita gente comparando o número de mortos com outras ditaduras, sugerindo que existiram ditaduras piores que os nazistas. Algo desprezível. Em última análise, isso… Read more »

Caerthal
Caerthal
Reply to  Claudio Moreno
8 meses atrás

Não há nada no Novo Testamento que incite o ódio a mentira e assassinatos.

Traga a Religião Sem Deus que você segue e eu te mostrarei vários mandamentos de perversidades.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
8 meses atrás

Sério! O preconceito religioso deste site é deste nível!

Editaram todo o comentário realizado por mim à 12 horas ao senhor Undeground, porque expus uma perseguição a minorias assim como foi aos judeus, homossexuais, negros, ciganos… Mas quando se trata dos TJ não pode comentar!

Isso está agora mesmo subindo em todas as redes sociais e na JP AM aonde meu pai é um dos diretores de redação.

Ridículo esta Trilogia. Talvez por isso MOstra e até o Bacchi quando vivo nem mais dava visualização a isso aqui.

Sgt Moreno

Claudio Moreno
Claudio Moreno
Reply to  Claudio Moreno
8 meses atrás

Nota
Não fiz proselitismo religioso. Dei informação assim como os editores assim ô fizeram sobre a Noite de Cristal, que foi um ataque a religião judaica não ao povo hebreu.

Se esse é o caso os Senhores Editores tem a obrigação moral de tirar o artigo do ar… Ou em vosso caso não se aplica “Dura lex sed lex”?

Sgt Moreno

Brandão
Reply to  Claudio Moreno
8 meses atrás

Aprende a escrever, seu fanfarrão!
Se realmente for um Sgt, deve ser mais um golpista baixado.