Brasília (DF) – Uma palestra alusiva ao papel da Força Expedicionária Brasileira (FEB) foi ministrada aos integrantes do Hospital Militar de Área de São Paulo (HMASP) neste último dia 15. Com o tema “A Segunda Guerra Mundial e a FEB”, a palestra enalteceu a participação do Brasil durante a guerra, explorou as principais operações militares e apresentou, em números, os feitos brasileiros em terras italianas. A palestra remonta cenários com experiências pessoais de alguns combatentes da época.

A palestra é seguida de uma verdadeira mostra de artefatos históricos: fotos originais, publicações com matérias da época, uniformes e itens de coleção. Para aproximar o público da realidade da guerra, a história é contada sob a perspectiva do Sargento Max Wolf Filho, interpretado pelo idealizador do formato, o Sr Douglas Ramos, Presidente Executivo da Sociedade Amigos do CPOR/SP, que também é colaborador e apoiador da memória da FEB. O Sr Douglas acredita ser “de extrema importância preservar a memória, principalmente nas unidades militares”. Ele se sente honrado em perpetuar os feitos valorosos dos nossos combatentes.

A origem da mostra

Esse trabalho já existe há quatro anos em unidades militares e foi inspirado na admiração do Sr Douglas pelas Forças Armadas e pela trajetória dos Pracinhas.

Tudo teve início em uma pesquisa de coleta de relatos dos próprios combatentes, que realizou com o fim de apresentar a FEB como uma “história viva”. Entre os relatos, ele registrou as experiências de pessoas que atuaram diretamente no combate, como o Sargento Evaldo Méier, o pai da ilustração “A Cobra vai Fumar”, usada no distintivo da FEB. Os ex-combatentes compartilharam tudo o que viveram ao chegar na Itália e, certos do propósito daquela missão, criaram o lema: ”faria tudo de novo”.

A grande maioria dos dados não está em livros e, ao se deparar com tamanha riqueza apresentada pelos pracinhas, o Sr Douglas se viu na responsabilidade de recontar cada história, cada frase, cada memória. “Faço como um voluntário, um cidadão que acredita na nobreza dos nossos ex-combatentes. Em um momento em que os heróis são ocultados, a gente precisa escrever uma bela página da história não só do Brasil, mas do mundo”.

 

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest

5 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
JapaSp Jantador
JapaSp Jantador
2 meses atrás

Ta ai um comentário bom de ser moderado, cara ta ressentido até hj pq o EB nao deu um golpe! Kkkkk cada maluco.

Carvalho
Carvalho
2 meses atrás

Apesar de tudo o que foi escrito….ainda falta uma boa análise e descrição do papel da FEB na frente do V Exercito.
A Historiografia militar brasileira ainda está a dever.

Rony Kely Marques
Rony Kely Marques
2 meses atrás

Nas minhas aulas de História, a cobra vai fumar sempre!

Augusto Cesar Maia Cardoso
Augusto Cesar Maia Cardoso
2 meses atrás

Fico triste porque se falam tanto na FEB e esquecemos dos verdadeiros heróis que deixaram pedaços dos seus copos com a exemplo do Sargento Zacarias Izidoro Cardoso que foi voluntário e ganhou uma das poucas medalhas existente no mundo a Silver Estar

Rodrigo Maçolla
Rodrigo Maçolla
Reply to  Augusto Cesar Maia Cardoso
1 mês atrás

Desculpe amigo, mas descordo, falam é muito pouco da FEB e ainda menos dos combatentes individualmente… Por isso iniciativas como essa palestra são muito bem vindas !!