Companhia de Neutralização de Explosivos inicia certificação para missões de paz

7

Brasília (DF) – Em 15 de janeiro, uma Companhia de Neutralização de Artefatos Explosivos (Companhia EOD) do Exército Brasileiro foi inserida no Sistema de Prontidão das Capacidades de Manutenção de Paz da ONU (UNPCRS, sigla em inglês). Essa inserção inicia o processo de certificação da unidade como tropa apta a atuar em missões de paz da ONU.

O preparo e a capacitação da Companhia EOD serão realizados no Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil (CCOPAB), situado no Rio de Janeiro (RJ), e no Centro de Instrução de Engenharia (CI Eng) situado em Araguari (MG). Em virtude da necessidade do contínuo preparo e da natureza técnica e altamente especializada das atividades de neutralização de explosivos, a Companhia continuará seu aperfeiçoamento, em 2024 para a próxima fase da certificação.

EOD Company
Com efetivo de 140 militares, a Companhia de Neutralização de Artefatos Explosivos tem capacidade de manutenir e operar equipamentos de neutralização de explosivos; de realizar reconhecimento, avaliação, coleta e destruição de artefatos, incluindo explosivos improvisados; além de apoiar o armazenamento de explosivos detidos para atividade forense.

CCOPAB e CI Eng
Referência mundial para outros países de nações amigas, o Centro Conjunto de Operações de Paz do Brasil e o Centro de Instrução de Engenharia auxiliam no preparo de militares, policiais militares e civis, e também de nações amigas para as missões de paz das Nações Unidas. Essas instituições capacitam homens e mulheres para atuarem como observadores militares, staff officer, garantindo a proteção de civis e realizando ações contra minas. Por meio do Programa de Parceria Triangular da ONU, o Departamento de Engenharia e Construção também ministra o curso de Neutralização de Artefatos Explosivos, dentre outros.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest

7 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Camargoer.
Camargoer.
1 mês atrás

Começo a concordar com os colegas que criticam a camuflagem dos uniformes do EB. Ela só funciona se o militar fingir que é um tronco de árvore.

Sobre o trabalho de neutralização de explosivos, estão de parabéns.

Além do problema em combate, sem dúvida prioritário, o problema das minas e explosivos não detonados remanescentes após os conflitos continuam causando vítimas civis por décadas.

Mota
Mota
Reply to  Camargoer.
1 mês atrás

Não é o dos mais bonitos não, mas para selva é perfeito, para a caatinga temos o próprio, falta um terceiro para combate urbano.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Mota
1 mês atrás

Riso.. na primeira foto dá para comparar com o tronco da árvore.. Uma grande parte do território é coberto pelo cerrado e por áreas desmatadas e cultivadas. Pelo menos, o coturno não é mais preto.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
1 mês atrás

Sei que treinamento mas não gosto do capacete sem a coifa.

Patta
Patta
Reply to  Renato de Mello Machado
1 mês atrás

Tenho o mesmo gosto que você, sem o uso da coifa estraga a camuflagem do uniforme.

Last edited 1 mês atrás by Patta
India-Mike
India-Mike
1 mês atrás

Excelente notícia. Alguém sabe dizer a que OM está companhia está vinculada? Seria ao 2° BE Cmb?

Zé Rato
Zé Rato
1 mês atrás

A título de curiosidade e nesta área, há poucas semanas vi uma reportagem na TV sobre a desminagem que foi feita nas Ilhas Falklands / Malvinas. Quem a fez foi um grupo de profissionais oriundos do Zimbabwe, com experiência anterior em outras zonas de conflito. Só tiveram um ferido ligeiro, que regressou ao trabalho depois de alguns cuidados médicos.

A minha homenagem a estes profissionais!

https://en.wikipedia.org/wiki/Land_mines_in_the_Falkland_Islands

https://www.theguardian.com/uk-news/gallery/2019/oct/24/zimbabwean-experts-clearing-mines-landmines-falklands-in-pictures

https://www.bbc.com/news/av/uk-wales-54932971