Os membros da OTAN, Lituânia, Letônia e Estônia acreditam que a agressão russa não parará na Ucrânia e estão aumentando seus gastos militares de acordo

Por Natasha Lindstaedt

Com Donald Trump liderando em muitas das pesquisas para a próxima eleição presidencial dos EUA, seus comentários sobre segurança global e política externa devem ser levados a sério.

Em fevereiro, Trump fez um comentário displicente de que encorajaria a Rússia a fazer o que quisesse com os estados da OTAN que falhassem em pagar suas contas. Em uma entrevista de acompanhamento na GB News esta semana, ele advertiu os aliados a “não tirarem vantagem” dos EUA.

Isso está causando mais preocupação nos países dos Estados Bálticos – Lituânia, Letônia e Estônia.

Trump não apenas diz, às vezes, que quer parar toda a ajuda militar dos EUA para a Ucrânia, mas quer minar o Artigo 5 do tratado da OTAN – o princípio da defesa coletiva – algo que se tornou cada vez mais importante na esteira da agressão da Rússia.

Fontes militares britânicas estão preocupadas que os comentários de Trump fortalecerão a determinação de Putin sobre a Ucrânia, e poderiam resultar em sua avanço sobre ainda mais território.

Mesmo antes de Trump emergir na cena política dos EUA, os países bálticos já estavam especialmente preocupados com as crescentes ambições da Rússia. Afinal, eles foram invadidos e ocupados pela Rússia antes, em 1940, e então forçados a fazer parte da União Soviética. Há muitas pessoas que ainda se lembram da vida na União Soviética.

Desde a anexação da Crimeia pela Rússia em 2014, os Estados bálticos têm sido as vozes mais altas soando o alarme sobre a ameaça existencial representada pela Rússia. Todos os três países aumentaram seus gastos militares para mais de 2% do seu PIB, e recentemente concordaram em aumentá-lo para 3%.

Construindo defesas compartilhadas

Diante das crescentes preocupações de segurança, os ministros da defesa da Letônia, Lituânia e Estônia também concordaram em janeiro em estabelecer uma zona de defesa báltica comum em suas fronteiras com a Rússia e Belarus. Isso consistiria na construção de estruturas defensivas físicas, como bunkers.

A Estônia começará a construção de 600 bunkers no início de 2025. As nações também cooperarão no desenvolvimento de artilharia de mísseis, e garantirão que seus equipamentos, munições e efetivos sejam atualizados.

A Estônia também dobrou o tamanho de sua força de defesa territorial para 20.000 pessoas, enquanto a Letônia reintroduziu o serviço militar obrigatório em 2023 após se tornar o único estado báltico a parar o serviço militar obrigatório em 2006.

A Letônia também planeja dobrar o tamanho de suas forças armadas para 61.000 até o ano de 2032. Enquanto isso, a Lituânia fez um acordo com a Alemanha para permitir uma brigada permanente de 4.800 tropas alemãs prontas para combate na fronteira russa até 2027.

O compromisso de Putin com os falantes de russo

Mas, dado que a Rússia faz fronteira com 14 países, por que os estados bálticos estão especialmente preocupados com sua segurança? Além de estarem geograficamente próximos, números notáveis de etnia russa vivem nos países bálticos (5% na Lituânia; 25% na Estônia e 36% na Letônia. Na cidade de Narva, no leste da Estônia, 95,7% da população são falantes nativos do russo e 87,7% são russos étnicos.

Isso importa, pois Putin argumentou que ter números substanciais de russos étnicos vivendo fora da Rússia, devido à dissolução “catastrófica” da União Soviética, representa um “desastre humanitário de proporções épicas”, pois deixou os russos cortados de “sua pátria”. Putin jurou proteger ativamente todos os “russos” vivendo no exterior.

Em particular, Putin disse estar preocupado com o tratamento dos russos étnicos nos Bálticos, observando que a deportação de russos étnicos (mais notavelmente na Letônia, onde houve mudanças recentes em suas leis de imigração), representa uma ameaça à segurança nacional russa.

O Kremlin também protestou contra a demolição de monumentos soviéticos nos Bálticos, colocando a Primeira-Ministra da Estônia, Kaja Kallas, em sua lista de procurados por fazê-lo.

Mas essas afirmações de querer proteger os russos no exterior são realmente apenas um pretexto para justificar a escalada com os Bálticos, o que testará a aliança da OTAN e desestabilizará a organização. Então, não é apenas importante que haja russos étnicos vivendo nos países. Há razões estratégicas também que os tornam um alvo fácil.

Mesmo com os países bálticos fortalecendo seus números de tropas, a Rússia atualmente tem 1,32 milhão de militares ativos e dois milhões de reservistas ativos. Combinados, isso é maior que toda a população da Lituânia de 2,8 milhões de pessoas, e muito maior que as populações da Estônia e Letônia, 1,3 milhão e 1,8 milhão de pessoas, respectivamente.

Para a Lituânia, que faz fronteira com Belarus e o mini-estado controlado pela Rússia, Kaliningrado, há preocupações de que poderia ser tomada primeiro pelas forças russas, o que então isolaria fisicamente a Lituânia do resto dos Bálticos.

A região de Kaliningrado tornou-se cada vez mais militarizada nos últimos anos, com a instalação de mísseis balísticos Iskander e sistemas S-400. Com Trump sugerindo que enfraqueceria o compromisso dos EUA com a OTAN se eleito, não haverá muito de uma dissuasão para impedir Putin de aproveitar oportunidades.

A força de resposta atual da OTAN consiste em aproximadamente 40.000 tropas, com planos de atualização para 300.000 tropas. Mas as unidades de reação rápida, apesar de seu nome, ainda podem ser muito lentas para proteger os Bálticos das forças russas porque mover grandes unidades, veículos e munições através das fronteiras é burocrático e leva tempo.

Seria importante ter excelente inteligência e mover-se rapidamente, algo que será mais difícil com os EUA potencialmente optando por não cumprir seus compromissos.

Embora a Rússia tenha investido muitos de seus recursos para vencer a guerra na Ucrânia, Putin ainda visa expandir a soberania russa através dos estados pós-soviéticos e desmantelar efetivamente a OTAN, algo com o qual Trump não tem problemas.

À medida que a Rússia vem intensificando sua máquina de guerra, os estados Bálticos acreditam firmemente que a agressão russa não parará na Ucrânia, e que eles podem ser os próximos.


Natasha Lindstaedt é professora no Departamento de Governo na Universidade de Essex.

Este artigo foi republicado de The Conversation sob uma licença Creative Commons. Leia o artigo original.

Subscribe
Notify of
guest

88 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Kommander
Kommander
22 dias atrás

Segurança nunca é demais! Entendo a preocupação dos países bálticos, aliás, estão fazendo agora o que já deviam ter feito a muito tempo, pois queriam deixar a segurança deles nas mãos dos EUA. rsrsrs

No mais, esse tipo de euforia só causa medo e sensação de pânico nas pessoas, parece que a Rússia vai invadir esses países de uma hora pra outra, pura especulação! Estão atolados até o osso na Ucrânia e vão demorar um pouco pra repor as perdas todas por lá. O que eu vejo é o pessoal criando climinha pra expansão do conflito.

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Kommander
22 dias atrás

Tenho a impressão que construir buinkers é um bom negócio para as empreiteiras mas inócuo para a defesa do país.

João
João
Reply to  Camargoer.
21 dias atrás

Depende de quem ocupar o Bunker.
Se for essa Bda alemã?
Outros países da OTAN também tem tropa lá.

Perguntei pra um colega de curso, então major dos USArmy, e ele foi bem claro. Atacar um cidadão americano, principalmente um soldado, é atacar os EUA.

Paulo Sollo
Paulo Sollo
22 dias atrás

Se estes … tivessem um mínimo de racionalidade, buscariam estabelecer relações amistosas com a Rússia ao invés de adotar esta postura belicosa.
Não apenas os eua vão abandonar a Otan mas as velhas potência europeias decadentes irão abandonar estes países se o caldo entornar. A função deles para a Otan é a de amortecedores, buchas de canhão.
E a Otan se mostrou tão incompetente em suas táticas contra a Rússia que só loucos podem confiar em sua capacidade de proteção.

Last edited 22 dias atrás by Alexandre Galante
Orivaldo
Orivaldo
Reply to  Paulo Sollo
22 dias atrás

EDITADO

Jose
Jose
Reply to  Paulo Sollo
22 dias atrás

Você tem razão, o correto é ficarem a mercê do bom humor de uma nação que já ocupou esses territórios e infringiu a estes povos o terror por décadas, aliás você sabia que até hoje a parte oriental da Alemanha não conseguiu se igualar a ocidental, curioso não é mesmo, por quê será?

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Paulo Sollo
22 dias atrás

Não há como ter relações amistosas com um país que os ocupou de forma brutal de 1945 a 1990 além de os ter explorado nesse período.

De igual forma cumprir acordos tratados e outros ajustes não é um hábito russo atual vide os tratados reconhecendo a independência e soberania da Ucrânia que foram solenemente rasgados.

Por fim, mesmo um néscio geopolítico como Trump não pode ignorar o fôlego renovado da OTAN, que adquiriu dois membros de peso e vê os países gastando cada vez mais.

Paulo Sollo
Paulo Sollo
Reply to  Giora Epstein
22 dias atrás

Você deve saber muito bem que Trump não tem nenhum interesse em confrontar a Rússia. O negócio dele é com a China.
Trump simpatiza bastante com Putin. Eu diria que há até uma admiração. Ele mesmo declarou isto quando era presidente.

Portanto essa coisa de mais integrantes e mais gastos não vai mudar a postura ideológica de Trump.

Carlos
Reply to  Paulo Sollo
22 dias atrás

O negócio de Trump é mesmo a Rússia porque Putin prometeu-lhe muitos dólares, rios de dólares e daí nos EUA se diga; ” Trump first” já que o ego de Trump é tão grande que nada existe em primeiro, “Russia second” porque os rios dólares apagam qualquer outro interesse, e “USA third”, porque nos últimos quatro anos os valores foram subvertidos kkkk

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Paulo Sollo
22 dias atrás

Tanto faz se for Trump ou Biden…
Nenhum deles manda ou tem poder.
Um está senil e o outro é louco.
Ambos, serão derrotados pelo regime

Rodrigo
Rodrigo
Reply to  Paulo Sollo
21 dias atrás

So avisando eua não é ditadura, congresso precisa aprovar qualquer ato que enfraqueça otan. Na Rússia sim é ditadura e o pigmeu faz o quer.

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Rodrigo
21 dias atrás

Melhor desenhado impossível

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
22 dias atrás

Está falando do Pinochet?

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
21 dias atrás

Pinochet não tinha nenhuma pretensão expansionista, na verdade quase foi vítima de uma por parte da ditadura genocida argentina.

E agora?

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

Ah ah ah.
Quem o ajudou no golpe, assassinando um presidente eleito?
Você não tem hipótese, por mais vassalagem que preste

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
20 dias atrás

Estamos falando das condutas dele no exercício no poder e não de como chegou neste….

No mais vassalagem mesmo é tentar justificar a guerra imperialista do Putinstão contra o povo ucraniano

Camargoer.
Camargoer.
Reply to  Paulo Sollo
22 dias atrás

Olá Paulo. È a grande lição de Keynnes sobre o tratado de Versalhes no livro “As consequências econômicas da paz”.

Paulo Sollo
Paulo Sollo
Reply to  Camargoer.
22 dias atrás

O fracasso da estratégia do governo Biden de tentar destruir economicamente e após isto desmantelar geograficamente a Rússia, trouxe lições amargas.
Os congressistas republicanos dos eua já bateram o martelo pelo fim disto e Trump vai consolidar a mudança de foco.

A UE continua com sua postura contra a Rússia semelhante a que tiveram contra a Alemanha após a 1ª Guerra. Enquanto os eua já mudaram sua postura, falando da necessidade da Ucrânia aceitar um acordo com perdas, a UE se mantém intransigente, impulsionados por um desejo de punir a Rússia.
Estão adubando e regando as sementes da 3ªGuerra.

Jefferson B
Jefferson B
Reply to  Paulo Sollo
22 dias atrás

Relação amistosa? A Ucrânia nunca atacou a Rússia e hoje a Rússia invadiu e anexou eles. Zelensky ou o presidente anterior não deu 1 tiro em direção à Rússia.
A Rússia covarde que invadiu é anexou outro país, matando milhões de pessoas e destruindo cidades e sonho.
Você inverter a realidade dos acontecimentos e apoiar aqui no site esse regime criminoso é algo ridículo.
A Rússia não tem o direto de invadir ninguém, não tem direito de pintar regras sobre outros povos…

Caerthal
Caerthal
Reply to  Jefferson B
21 dias atrás

A Ucrânia oprimir sua minoria russa do Donbass.

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Caerthal
21 dias atrás

Isso é um assunto interno ucraniano que não autoriza de forma alguma uma invasão russa. Se Putin estava incomodado que evacuasse os russos étnicos tal como fez Portugal com seus colonos depois da Revolução dos Cravos.

Carlos
Reply to  Paulo Sollo
22 dias atrás

Ainda acreditas no Papai Noel. A mãe e a avó de Kaja Kallas foram parar à Sibéria. Eles sabem bem com quem não negociar nada

Rui Mendes
Rui Mendes
Reply to  Paulo Sollo
22 dias atrás

Só sai …
Uma máquina que não consegue em dois anos conquistar o Donbass todo.
O Saloio do Trump, foi e é o que de melhor aconteceu para a unidade Europeia.

João
João
Reply to  Paulo Sollo
21 dias atrás

Cresci com uma família da Letônia.
Namorei com uma menina linda….

Eles tem ódio visceral da Russia….

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  João
20 dias atrás

Não apenas eles como praticamente todo o leste europeu, lembrança amarga do país que os ocupou entre 1945 e 1990, os explorou, oprimiu e reprimiu.

Vitor Botafogo
Vitor Botafogo
Reply to  Paulo Sollo
21 dias atrás

Os EUA não vão abandonar a OTAN. É puro discurso. Eles sabem do seu papel, mas estão dando um alerta que a Europa precisa contribuir mais firmemente visto que possuem as condições para tal.

Giora Epstein
Giora Epstein
22 dias atrás

Bem colocado!

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
22 dias atrás

A vitória da Rússia e China é estratégica.
Os EUA foram derrotados na Europa. A cereja no topo do bolo é Trump.
Usar a narrativa dos Estados Bálticos, democracias voláteis que podem mudar de pendor nos próximos tempos, como se viu na Eslováquia é desespero.
EUA que comece a preparar a batalha no Pacífico.

Last edited 22 dias atrás by Coringa Makalaba
Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
22 dias atrás

Não há vitória estratégica alguma da Rússia muito pelo contrário! E o ingresso de Suécia e Finlândia na OTAN, o aumento dos gastos europeus com defesa e o papel dos EUA agora como maior fornecedor de energia do velho continente deixa exatamente claro que não foram derrotados.

Sinto muito

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
22 dias atrás

Se você soubesse como se entra para a OTAN, não diria isso.
Suécia e Finlândia entraram porque já respeitavam a maioria dos critérios da OTAN, participando inclusive em conflitos, aliás, um ataque a estes países, antes da entrada na OTAN, levaria a uma reação da coligação atlântica.
Você e muitos apenas propagandeam isto, porque não têm vitórias para vender

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
22 dias atrás

Pelo visto você não sabe como se dá o ingresso na OTAN, e o fato de Suécia e Finlândia cooperatem há tempos com a aliança além de realizar exercícios militares é irrelevante

O relevante é que são dois países com indústrias de defesa fortes e no caso da Finlândia aumentou em muito a fronteira terrestre com a Rússia, e nem vou falar que o Báltico virtualmente se transformou no “NATO Lake” colocando o porto de São Petersburgo e o enclave de Kalinigrado em uma situação difícil.

E agora?

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

E quando foi que estás indústrias não estiveram ao serviço da NATO?
Você tá dizendo que quem já joga na sua equipa e até tem histórico de golos e assistências é uma nova contratação.
O motivo para você dizer isso é porque ele estava emprestado, mas agora assinou pelo clube.
Isto é comum em quem não tem nada a mostrar.
Vosso caso.

Jefferson B
Jefferson B
Reply to  Coringa Makalaba
22 dias atrás

De qualquer forma, hoje a Rússia não controla mais o báltico e o mar negro, então ela perde!

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Jefferson B
22 dias atrás

Qual é o racional para a perda de controle do Mar Negro e do Mar Báltico se geograficamente a Rússia continua onde está?
Há bloqueio?
Manda a NATO bloquear e você depois vai ter de culpar o ISIS pela reação

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Jefferson B
22 dias atrás

E quem controla o Mar Báltico, se geograficamente a Rússia continua por lá?
Isto são teorias desenvolvidas para darem vitórias fictícias a OTAN

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
21 dias atrás

Não há teoria alguma e sim uma vitória estratégica real: o Báltico é controlado pela OTAN, e a presença da Rússia ali é irrelevante

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
22 dias atrás

O fato de anteriormente esses dois países colaborarem com a aliança é absolutamente irrelevante, o que importa é que a OTAN ganhou dois novos membros que possuem forças armadas muito profissionais e indústria de defesa forte

De igual forma a fronteira da OTAN com a Rússia mais que duplicou e tanto São Petersburgo quanto o enclave de Kalinigrado encontram-se em situação difícil pois o Báltico se converteu em uma espécie de “NATO Lake”

E agora?

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

Nada mais falso.
Os acordos de proteção entre OTAN e Suécia mais Finlândia, antes da entrada na organização, já eram claros neste campo.
Apenas em caso de guerra e da Rússia contra a NATO, haverá estratégias de bloqueio das duas partes.
Por acaso a NATO está em guerra contra a Rússia?
Por acaso a NATO deixou de ser uma instituição defensiva?
Do que vejo, a NATO está sendo derrotada na Ucrânia, após ter iniciado uma guerra por procuração onde já desistiu de incluir Kiev na OTAN e na UE.

Last edited 21 dias atrás by Coringa Makalaba
Zoranm
Zoranm
22 dias atrás

Que vi.agem. Tem gente que adora criar pân.ico.

Makarov
Makarov
22 dias atrás

Por isso que a Rússia é uma potência bélica, do lado tem a Organização Terrorista do Atlântico Norte (OTAN).

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Makarov
22 dias atrás

Rússia hoje é aquele cara falido que vive do que sobrou do avô ou pai milionário rsss

Last edited 22 dias atrás by Giora Epstein
Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
22 dias atrás

Aprenda história.
Pai milionário e Rússia, não combina

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
21 dias atrás

Pai milionário: URSS, que prosperou em virtude da espoliação primeiro de suas repúblicas como a Ucrânia (vide o Holodomor) e depois dos países do leste europeu que ocupou a partir de 1945

Rússia: herdeiro falido que vive das glórias passadas do morto

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

A URSS só acabou milionária na escola em que você estudou

Cassini
Cassini
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

É, realmente você precisa estudar MUITO a História.

Vitor Botafogo
Vitor Botafogo
Reply to  Makarov
21 dias atrás

hora de suspender a vodka camarada!

Junior Duraes
Junior Duraes
22 dias atrás

Os europeus relaxaram no que diz respeito a segurança durante mais de duas décadas, agora a conta chegou.
O preço para quem negligência sua própria segurança é perder sua soberania, a coisa não vai parar na Ucrânia,muita gente la vai sofre por conta das decisões tomadas por gente como a Sra Angela Merkel anos atrás….

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Junior Duraes
22 dias atrás

Bem colocado! Merkel depauperou as forças armadas alemãs até deixá-las completamente sucateadas além de ter colocado a economia do país dependente do gás russo.

Jose
Jose
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

Mas o enterro da Europa saiu e continua saindo daqueles que se reúnem em Bruxelas, impondo políticas desastrosas como as ambientais entre outras, além de narrativas desagregadoras para a sociedade como as pautas raciais/feministas/etc., o que está acontecendo na Europa nada mais é do que o resultado de nações entregarem seu controle aos “ilegítimos” de Bruxelas.

Douglas Targino
Douglas Targino
22 dias atrás

Esses países tem que parar de ir na onda de alguns países! Fica ali, neutro, que quase certeza que o outro lado fica na sua…

Bruno Vinícius
Bruno Vinícius
Reply to  Douglas Targino
22 dias atrás

Isso funcionou muito bem para eles em 1940… Neutralidade sendo vizinhos da Rússia é um erro que jamais repetirão.

Jefferson B
Jefferson B
Reply to  Douglas Targino
22 dias atrás

A Ucrânia não deu 1 tiro em direção à Rússia e vou invadir e anexada, milhões de mortos, sonhos destruídos.
Isso é o resultado de ficar quieto diante de Estados nazistas (Rússia).

BISPO
BISPO
22 dias atrás

Pela dimensào e população alguns países são indefensáveis…. se não tiverem Nuc.

Melhor defesa…. ter armas nucleares, a Ucrânia(que não é pequena) concorda…rs

Last edited 22 dias atrás by BISPO
Carlos
Reply to  BISPO
22 dias atrás

Isso não é piada mas recordo que a Ucrânia foi obrigada a entregar todas as ogivas nucleares à Rússia porque necessitava de dinheiro e as potências só bancariam se entregasse as ogivas è Rússia, Tratado chama-se Memorando de Budapeste e assinaram esse tratado Bill Clinton, presidente dos EUA, John Major, PM do Reino Unido, Boris Yeltsin, da Rússia e o presidente ucraniano Kravchuk, e a França e China tambem deram o seu aval ao Tratado, e no tratado a Rússia reconhecia a soberania e territórios ucranianos, os EUA e UK entravam com o dinheiro que a Ucrânia necessitava e todos… Read more »

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Carlos
21 dias atrás

Ao contrário do que hoje se mente, daí terem bloqueado a RT, foi a Rússia quem mais forçou a independência da Ucrânia, Polónia e outros, tal e qual das nações da Ásia central, onde se destaca o Cazaquistão.
Principalmente, Boris Ieltsin.

Nemo
Nemo
22 dias atrás

Militarmente somando os três não dá meio. O melhor é continuar confiando na OTAN e usar o dinheiro para melhorar a vida da população.

Palpiteiro
Palpiteiro
Reply to  Nemo
22 dias atrás

A entrada de Finlândia e Suécia na Otan faz toda diferença para esses países.

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Palpiteiro
22 dias atrás

Qual?
Se já lá estavam, cumprindo protocolos e participando em conflitos?

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Palpiteiro
20 dias atrás

E alguma vez deixaram de a usar?
Você precisa de texto para mostrar narrativas sem a palavra derrota.

adriano Madureira
adriano Madureira
Reply to  Nemo
22 dias atrás

comment image

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Nemo
21 dias atrás

O Ocidente traiu Ieltsin e sabe-o.
Agora aguentem o Putin.

Jefferson B
Jefferson B
22 dias atrás

Sabe quem vai para as agressões russa? Um louco na Europa que tenha de peitar essa palhaçada do Putin. Somente um outro doido para um doido.
A Rússia é fraca, não é esse bicho que muitos acham.

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Jefferson B
20 dias atrás

Repete mais vezes para ver se se torna verdade.
A Rússia fraca está a cilindrar a OTAN na Ucrânia.
Só não vê quem não quer ver.

adriano Madureira
adriano Madureira
22 dias atrás

“Os membros da OTAN, Lituânia, Letônia e Estônia acreditam que a agressão russa não parará na Ucrânia e estão aumentando seus gastos militares de acordo”.
Estão tendo vergonha na cara, coisa que não tinham e agora estão mostrando que trump estava certo…

70% do investimento na otan vem dos eua, diferença que deveria ser diminuída, talvez 60-40 já seria um percentual aceitável.

Luciano
Luciano
22 dias atrás

Os Estados Bálticos possuem hoje dois inimigos: Putin no leste e Trump no oeste.

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Luciano
22 dias atrás

Nem um, nem outro.
Produções fictícias.
As nações da OTAN perderam historicamente território para a Rússia, após terem optado por derivado nazis ao longo da história.
Foram derrotados. Nada mais.
Até então, entre Vladivostok e Lisboa, há paz e trocas comerciais.

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
22 dias atrás

Qualquer um que discorde do atual regime russo é automaticamente rotulado por este de nazista.

Qualquer semelhança com o verdadeiro nazismo não é mera coincidência, e nem vou comentar a menção ao tal “eurasianismo” de Dugin, o rasputin frustrado.

Luciano
Luciano
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

Bom dia, Epstein. A situação é bem mais complicada. Boa parte da galera que comenta aqui escolheu um lado e segue vendo tudo num maniqueísmo de briga de torcida (igualzinho com fazem no cenário político interno). Isso atrapalha muito um bom debate! Grupos de extrema direita cresceram por toda Europa (de Lisboa à Moscou) nos últimos 10-15 anos, ironicamente em países que sofreram com esses regimes nos anos 30/40. Isso chama muito minha atenção especialmente no caso do leste europeu. Então temos extremistas, no caso da Guerra da Ucrânia, dos dois lados! A xenofobia é a tônica da política desses… Read more »

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

Discorde do regime americano e verá.
Não confunda discordar do regime com ser mais um animador que faz confusão, julgando que é oposição…

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
20 dias atrás

Você não é nazista, mas apoia um regime em Kiev que apoia nazistas, comprovadamente.

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
22 dias atrás

Está falando do regime que prendeu Assange?

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
21 dias atrás

Assange não é jornalista e sim um Hacker que praticou atos de espionagem muito provavelmente a mando de uma potência hostil aos EUA.

Isso (espionagem) é crime nos EUA, na Russia, na China e até mesmo em Zamunda, a diferença é que ao menos nos EUA e em Zamunda ele terá ou teria um julgamento minimamente justo.

Caerthal
Caerthal
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

Assange recebeu e divulgou informações. Ele não é hacker.

Óbvio que incomodou uma liderança que se descobriu ser bastante inepta e venial.

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Caerthal
21 dias atrás

Conspirou para obter informação classificada de um país, o nome disso é espionagem

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

Sempre que vocês são apanhados, inventam…
Assange até pode ser hacker, mas exibiu vários crimes cometidos pelo vosso amor cultural que para vossa infelicidade, também vos despreza

Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
20 dias atrás

Fez isso praticando crime de espionagem, logo deve ser julgado e punido. É assim que funciona…..

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
20 dias atrás

O crime de espionagem foi expor os crimes do vosso império cultural.
Aliás, quem destruiu o Nordstream 2 para impor o LNg a Europa?

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
22 dias atrás

Conversa para boi dormir e acordar no rodízio.
A Rússia partilha a fronteira com estes Estados pequeninos e do tamanho de aldeias minúsculas.
Não há como criar meios de defesa perante tamanha proximidade e mísseis tão rápidos, salvo desenvolvendo uma arquitetura de segurança comum.
Deixem de colocar nações fantoches na frente para defenderem o culturalismo americano

Last edited 22 dias atrás by Coringa Makalaba
Giora Epstein
Giora Epstein
Reply to  Coringa Makalaba
22 dias atrás

Depois do tal “globalismo” agora temos o “culturalismo americano” rssss

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

O Brasil (e você) é exemplo disso.
Por culturalismo americano, escondem o fato de os americanos já terem ameaçado e prejudicado está nação, algo que a Rússia e China nunca fizeram.
Fazem-nos porque aspiram ser americanos, tornando-se em americanos wanna be, americanos culturais.
Já a China, imitou a política de negócios americana, a industrial idem, mas nunca desistiu de ser um povo naturalmente chinês.

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Giora Epstein
21 dias atrás

Já respondi, mas vamos ver se o comentário é liberado.

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Coringa Makalaba
21 dias atrás

Não foi liberado, mas vou tentar novamente.
A defesa dos interesses americanos contra os seus próprios interesses enquanto brasileiro é culturalismo americano.
Exemplo: os EUA já ameaçaram e já ingeriram diretamente na política brasileira. China e Rússia, não.

Caerthal
Caerthal
21 dias atrás

Trump não tem nenhum apreço pelo Establisment político. Quando tentou pacificar as coisas foi traído e ameaçado.

Se voltar (ie se não for assassinado) terá que pensar na sua sobrevivência política antes de muitos outros temas.

Alcançar um entendimento com a Rússia de forma a esfriar as coisas na Europa seria uma grande vitória.

A história sugere que Trump tentará reduzir seu comprometimento com uma Europa, cuja liderança no passado recente o tratou com desprezo. Isso significaria menos dinheiro e menos tropas.

Coringa Makalaba
Coringa Makalaba
Reply to  Caerthal
21 dias atrás

Tanto faz se for um ou outro, salvo o facto de um ser sanguinário e estar debilitado e outro ser belicista e ser incauto.

Werner
Werner
Reply to  Caerthal
19 dias atrás

Europa de extrema esquerda,progressista e woke.
E a culpa é do Trump,a Europa que pague o preço da lacração.

Vitor Botafogo
Vitor Botafogo
21 dias atrás

Ta na hora de eles se Armarem mesmo e construirem FA´s. Muito facil não gastar e contar com suporte de terceiros que bancam sua segurança. Por mais que paguem, o mínimo é que contribuam fortemente também.
A Europa se iludiu por muitos anos de que não haveria mais guerra dentro do continente e esqueceu a geopolitica e o mundo real.

Heli
Heli
20 dias atrás

Diga isso para o Mexico que perdeu o que hoje são 11 estados para os EUA

Senhor Maskarado
Senhor Maskarado
16 dias atrás

Quando alguns países mais atingirem a independência tecnologia para usar seus recursos quero ver aonde empresas relacionadas aos países europeus vão tirar suas patentes , empresas e recursos de outras nações para lucrar tanto com a exploração alheia , está guerra mostrou a ineficiência em alguns âmbitos que eram esperados e pensando como um golpe forte em diversas áreas , eu vejo tudo isso como uma bela oportunidade de várias nações atingirem seu grau básico de independência tecnologia o maior exemplo disso atualmente e a china que está a poucos estágios de dominar por completo a tecnologia lintografrica , está… Read more »