Em 25 de junho de 2024, o Ministério da Defesa de Taiwan revelou um novo caça-tanques 8×8 com canhão de 105mm durante um evento de mídia em Nantou. Este veículo é um precursor do futuro veículo de combate de infantaria Clouded Leopard II. O protótipo D2 passou por testes de frenagem após aceleração em linha reta, destacando características como a capacidade Hunter-Killer, similar aos tanques M1A2T adquiridos dos EUA, projetada para aumentar a eficiência de ataque e permitir o engajamento contínuo de alvos. Espera-se que a versão melhorada, o modelo D3, conclua a validação no próximo ano.

O caça-tanques 105mm, em desenvolvimento pelo Bureau de Armamentos de Taiwan e pelo Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia Chung-Shan (NCSIST), foi testado com sucesso em várias condições, incluindo inclinações de 50% para frente e 30% laterais, superfícies onduladas e frenagem em alta velocidade. O Exército taiwanês indicou que o veículo ainda está em fase de desenvolvimento, com dois protótipos (D1 e D2) produzidos entre 2019 e 2023. Avaliações operacionais iniciais concluídas em 2023 mostraram que a maioria dos testes foi aprovada, mas algumas melhorias ainda são necessárias, como a redução da altura do veículo.

Para atender aos requisitos do exército, a altura do veículo deve ser reduzida de 3,3 metros para menos de 3 metros, necessitando ajustes no layout interno da torre. O Ministério da Defesa Nacional aprovou financiamento para a construção do protótipo D3, com o NCSIST responsável pelo desenvolvimento da torre e o Bureau de Armamentos pelo casco do veículo. A produção e validação do modelo D3 devem ser concluídas até 2025, com 89% das peças produzidas internamente. O canhão de 105mm do veículo, testado com 400 tiros, tem uma expectativa de vida útil de 800 a 1.000 tiros.

O veículo inclui design para maior proteção contra munições de pequeno calibre, tiros de 12.7mm e RPGs, além de melhor consciência situacional com faróis LED e câmeras EO/IR externas para visão panorâmica. Ele mantém o motor Caterpillar C9 do Clouded Leopard I, com um aumento de potência de 450hp para 600hp. Além do canhão principal de 105mm, possui uma metralhadora coaxial de 7.62mm e uma estação de armas operada remotamente (RWS) com uma metralhadora de 12.7mm, que pode atuar como a mira do comandante.

A série de veículos blindados Clouded Leopard de Taiwan inclui variantes como CM-32, CM-33 e CM-34, além do veículo de batalha com canhão de 105mm e o veículo tático de reconhecimento em desenvolvimento. Esses veículos são projetados para alta mobilidade e adequados para combates em áreas costeiras, fluviais e urbanas, oferecendo maior mobilidade em comparação aos veículos de esteira. Com essas inovações, Taiwan busca fortalecer suas capacidades de defesa e responder eficazmente às necessidades operacionais contemporâneas.

FONTE: Army Recognition / FOTOS: MoD de Taiwan

Subscribe
Notify of
guest

44 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Bernardo Santos
Bernardo Santos
19 dias atrás

Bonito caça-tanque.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Bernardo Santos
19 dias atrás

Bonito onde?rs….aproveitamento de um chassi de IFV faz dele mais uma bizarrice, olha silhueta da viatura com essa torre de grande dimensões totalmente desproporcional ao tamanho do chassi (centro de gravidade muito alta).….além de um desperdício de espaço interno (dificilmente esse tipo de viatura transportará fuzileiros) a desculpa de ocupar espaço com munição extra na prática não existe, não estamos falando de um MBT para levar tanta munição, a ideia absorvida e até vendida por alguns fabricantes que é um “caça tanque” é equivocada. Penso que um “caça tanque” precisa ser pequeno, ágil e de grande poder de fogo (note… Read more »

Bernardo Santos
Bernardo Santos
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
19 dias atrás

Faz um melhor então

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Bernardo Santos
19 dias atrás

Bem que eu gostaria….já vou lhe avisando não basta ter a 5 série

deadeye
deadeye
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
19 dias atrás

Imagine quando esse pessoal descobri que o Centauro II por exemplo, é derivado do Freccia que é um APC/IFV.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  deadeye
19 dias atrás

A preocupação dos italianos com Centauro 2 foi resultado de uma total remodelagem de projeto (tanto o chassi quanto a torre) justamente para diminuir a silhueta pelos motivos que eu citei e absorver um recuo de uma arma muito maior 120mm que o torna um legítimo caça-tanques, tanto é que o torna incomparável com os demais “concorrentes”.

julio
julio
Reply to  deadeye
18 dias atrás

O Centauro 2 foi pensado desde o início como caça tanques, o Freccia veio depois.

deadeye
deadeye
Reply to  julio
17 dias atrás

O Freccia entrou em operação no exercito Italiano em 2006. A menos que o tempo “ande para trás” você está errado.

Mauricio Autorino Veiga
Mauricio Autorino Veiga
Reply to  deadeye
16 dias atrás

O Centauro 2 é uma evolução do Centauro 1, lembra dele?!?!

Jose Pereira
Jose Pereira
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
18 dias atrás

Nunca fez uma pipa, papagaio, cartolinha e quer criticar ?

Nei
Nei
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
18 dias atrás

Eles estão fazendo e praticamente sozinho. Mérito deles.

Agora, realmente acredito que um caça tanque deve ser bem armado, pequeno e ágil.

Zigg
Zigg
19 dias atrás

Ainda é válido esse conceito de “caça tanques” em tempos de drones armados?

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Zigg
19 dias atrás

claro

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Zigg
19 dias atrás

Excelente pergunta caro Zigg….depende muito….falando de custo eu acredito que precisaria mensurar o quão custoso é um combate para responder, algo tão complexo que vai além do custo material, tem o custo pessoal também, tanto é que na matéria da Eurosatory foi o tema mais agitado da feira. Com o recente combate na Ucrânia percebemos 2 tipos de “drones armados” destinados ao ataque, tem as loitering munition vulgo drone kamikaze e tem os drones bombardeiros que podem lançar mísseis, bombas e granadas. Na conta de padaria, ou seja no 1×1 precisaria mensurar o porte desse drone e a tecnologia empregada… Read more »

Nilo
Nilo
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
19 dias atrás

Caro Rafael infelizmente meu comentário está preso, mas vai no sentido contrário aí seu, drones usados por soldados ucranianos para inutilizar tanque russo não passa de mil dólares.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
18 dias atrás

Desativar mbt inoperante com drone não é algo complicado, agora em movimento e com interferência da muito trabalho.

Nilo
Nilo
Reply to  Zigg
19 dias atrás

Um caça tanques, que deveria atuar como caçador na linha de frente? A Ucrânia, 2/3 dos tanques russos foram colocados fora de combate segundo dados graças ao uso de drones com valor inferior a mil dólares, suplantando em resultado a eficácia do caros mísseis como o Jovelins, levando em consideração que os tanques tem sistemas de proteção muito mais eficazes diria que a capacidade de sobrevivencia seria muito menor, se esse tanque não vier com o sistema de proteção eletrônica, como os emissores “jammer” Guardian H3, para avaliação diria que os testes seriam superficial no que tange a capacidade de… Read more »

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Nilo
19 dias atrás

Não é contrario não meu caro Nilo, acredito que no caso da Ucrânia estamos falando de um cenário específico, onde se luta com o que tem e com o que pode….um drone adaptado civil cumpre a missão? claro que cumpre…já viu quantos drones são perdidos naquela guerra? Da mesma forma que um lado aprimora o outro também vai se utilizar de meios para contrapor a ameaça….exemplo, note que os drones do tipo Bayraktar TB2 já não conseguem tantos êxitos mais como no início da guerra. O que acontece ali pode ser válido como aprendizagem sim, mas jamais pode-se acatar como… Read more »

sergio 02
sergio 02
Reply to  Zigg
19 dias atrás

Claro que e, ainda mais se vc pensar que na guerra moderna de grande intencidade, onde vc precisa atirar e sair “correndo ” feito louco, um veiculo comn o peso e a agilidade do centauro, e mais que valido.
Alias eu sempre defendi a tese de que seria melhor deixar de lado esses MBT, e equipar toda força blindada do Exercito com esses caça tanques

Nilo
Nilo
Reply to  sergio 02
18 dias atrás

Velocidade do Centauro II, não torna menos imune que um MBT, senão o Himars não estariam sendo atingido e Tendo que trabalhar em retaguarda profunda, agora imagina um tanque feito para caça tendo que trabalhar na retaguarda rsrsr. Que é bonito o Centauro II e os MTB continuam operando tanto na Ucrânia como na Rússia, né….

Tomcat4,6
Tomcat4,6
19 dias atrás

Que trosoba enorme !!!

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Tomcat4,6
19 dias atrás

muito forte para infantaria e muito fraco para cavalaria…rs

Bernardo Santos
Bernardo Santos
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
18 dias atrás

Você é especialista Militar ?Se eles fizeram é porque acha que isso pode ser útil Para as forças taiwanesa. Não acredito que um país que vive em constante ameaça de invasão investiria tempo e dinheiro em algo que não precisaria.

Gabriel BR
Gabriel BR
19 dias atrás

Excelente , mas o nosso é melhor

Rafael Coimbra
Rafael Coimbra
Reply to  Gabriel BR
19 dias atrás

Só falta chegar….

carvalho2008
carvalho2008
19 dias atrás

É o que seria o Guarani com a torreta 105mm

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  carvalho2008
19 dias atrás

Já tenho minhas dúvidas se o chassi guarani suportaria uma torre da CMI/John Cockeril de 90mm, uma torre de 105mm desmontaria a viatura toda…rs
Aproveitando…. se fosse possível tal adaptação, na minha opinião era melhor converter alguns guarani 90mm do que modernizar cascavel….

Last edited 19 dias atrás by Rafaelvbv
Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Rafael Gustavo de Oliveira
19 dias atrás

Se o vetusto Cascavel aguenta o recuo da arma é de presumir que o Guarani, projetado depois, com novas tecnologias e aço de melhor qualidade aguente o tranco do canhão 90mm com tranquilidade.
Mas é um canhão ultrapassado. Melhor colocar a torre UT30BR no Guarani e mandar o Cascavel com seu canhão de 90mm para alguma metalúrgica fazer prego.

Rafael Gustavo de Oliveira
Rafael Gustavo de Oliveira
Reply to  Rafael Oliveira
18 dias atrás

Esse Guarani 30mm na cavalaria funcionaria nos mesmos moldes do EBRC Jaguar francês.
De início achei que o EB iria utiliza-la na viatura padrão de fuzileiro igual outros países da Otan, mas por essas bandas alguem concluiu que a Remax já é suficiente (na realidade faltou verba), concordo que a torre com canhao 30mm poderia ser melhor aproveitada, acredito que a doutrina ainda pode passar por reavaliação (tomara).

Tomcat4,6
Tomcat4,6
Reply to  carvalho2008
19 dias atrás

Não mesmo ;
comment image
A diferença é enorme.

Last edited 19 dias atrás by Tomcat4,6
Bardini
Bardini
Reply to  Tomcat4,6
19 dias atrás

Isso foi o que projetaram:comment image

Carvalho2008
Carvalho2008
Reply to  Bardini
18 dias atrás

Pois é…o pessoal “esquece” que seria a versao6 Guarani 8×8

Tomcat4,6
Tomcat4,6
Reply to  Bardini
18 dias atrás

Poisé Bardini, a imagem que compartilhei ,ao que parece ,é do 6×6 com torre com canhão de 90mm de alta pressão e não 105mm(que é a imagem que vc compartilhou).

rfeng
rfeng
19 dias atrás

Caça tanques com canhão de 105 mm, obsoleto antes de começar.

Guacamole
Guacamole
Reply to  rfeng
18 dias atrás

Taiwan é uma ilha com um centro urbano apertado. O combate seria travado a distâncias curtíssimas onde o canhão 105mm ainda tem poder o suficiente para passar por blindagem das tanques.

E mesmo assim, sendo que colocar tanques chineses na ilha seria difícil, é mais provável que estar veículo seria utilizado para apoio do tropas com munição Altamente Explosiva ou do tipo cannister.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  rfeng
18 dias atrás

105mm é perfeito para esse ilha montanhosa, 120mm seria um desperdicio de dinheiro

Fernando
Fernando
19 dias atrás

Desculpa, mas não entendi esse “caça tanque”. Os caras moram em uma ilha que meia dúzia de bombas devasta tudo, será que pensam que os chineses vão invadir de tanques? Acredito que o foco principal teria que ser na defesa anti aérea e marinha. “Se”, os chineses invadiram, é pq já não sobrou devesa anti aérea e nem mesmo força aérea, então esses blindados só servirão para os china treinar pontaria com seus drones

Mcruel
Mcruel
Reply to  Fernando
19 dias atrás

Sugiro assistir documentários sobre Iwo Jima, Tarawa e outras ilhas do pacífico durante a campanha do pacífico na 2a guerra mundial. Mesmo cercados e com cabeças de ponte estabelecidos pelos Marines, os japoneses ofereceram forte defesa. Além disso, é melhor ter e não usar do que não ter.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
18 dias atrás

Não vou entrar no mérito das virtudes do veículo e sim na decisão do governo da ilha rebelde em valorizar sua indústria de defesa, aqui o importante é desenvolver tecnologia própria.

Cristiano ciclope
Cristiano ciclope
18 dias atrás

Já nasceu velho, ultrapassado.
Acho que e na era do drone, um veículo com canhão leve, de tiro rápido, com 4 ou 8 mísseis anti-tanque, por tanto mais leve, ágil e discreto, melhor.
Mas fazer o quê, provavelmente será localizado e abatido por um drone de 10 mil deletas.

J-20
J-20
18 dias atrás

Para aqueles que acham 105mm pouco, com munições de alta penetração, são suficientes para destruir os blindados anfíbios da PLA ou os tanques leves Type 15.

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  J-20
16 dias atrás

O calibre 105mm continua atual como nunca , as munições 105mm modernas são excelentes.

Um Simples Brasileiro
Um Simples Brasileiro
17 dias atrás

Pergunta para quem está a par das minúcias: Qual o nível de qualidade dos equipamentos taiwaneses?

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  Um Simples Brasileiro
16 dias atrás

similar aos ocidentais