Home Artilharia Marinha do Brasil interessada no obuseiro M777 da BAE Systems

Marinha do Brasil interessada no obuseiro M777 da BAE Systems

3365
46

A Marinha do Brasil avaliou o obuseiro leve rebocado M777 (LV155) de 155 milímetros, da BAE Systems, como um candidato para substituir os antigos M114A1 do mesmo calibre em serviço no Corpo de Fuzileiros Navais – CFN.

Fontes da empresa britânica confirmaram à Infodefensa.com que arma já tinha sido apresentada aos técnicos dos Fuzileiros Navais. Aparentemente, poderiam ser adquiridas pelo menos seis unidades de M777.

As novas peças irão se juntar aos 18 obuses rebocados de 105 milímetros L118 Light Gun da Combat Systems Global da BAE Systems, seis M101A1 105 mm e seis morteiros K6A3 de 120 milímetros, do Batalhão de Artilharia do Corpo de Fuzileiros Navais da Marinha do Brasil .

Além do Brasil, a BAE Systems acredita que tem oportunidade substancial para vender este sistema de armas a países como Chile, Portugal, Dinamarca, Índia e Itália. Preedy Robert, chefe de sistemas de artilharia da empresa britânica, disse em junho à Infodefensa.com que a arma já foi apresentada a cerca de 35 nações.

O M777 tem um peso inferior a 4.218 quilos e está em serviço no Exército e no Corpo de Fuzileiros Navais dos Estados Unidos. O Exército Canadense comprou 37 unidades que estão em processo de entrega e a Austrália confirmou recentemente a compra de 35 da versão M777A2.

O sistema é aerotransportável por aviões (C-130 Hercules, C-5 Galaxy e C-17 Globemaster III), helicópteros (CH-53E Super Stallion, CH-47D Chinook e MV-22 Osprey) e transportável por veículos MTVR, FMTV, M800, M900 e HMMWV (High Mobility Multipurpose Wheeled Vehicle).

A versão M777A2, uma peça de calibre 39, pode usar munições guiadas de precisão de longo alcance M982 Excalibur, da General Dynamics OTS / BAE Systems Bofors AB / Raytheon Missile Systems. Estas munições, existentes em diferentes configurações, podem ser equipadas com cargas MACS (Modular Artillery Change System).

A peça será qualificada para utilizar a munição de longo alcance sul-africana da empresa Rheinmetall Munition Denel (Pty), segundo informação da BAE Systems  à Infodefensa.com  durante apresentação de sistemas de artilharia.

FONTE: Infodefensa.com

46 COMMENTS

  1. Quem gosta de ler sobre a segunda guerra mundial fica meio embaraçado com uma noticia dessas…
    Lemos sobre batalhas, como a de kursk, onde alemães tinham mais de 20 mil obuses, e russos mais de 30 mil, entre canhoes de artilharia e canhoes anti-tanque…

    Ai vem um pais do tamanho, fisico e economico, do Brasil e se interessa em comprar 6 obuses !!!!

    Tudo bem q é uma comparação meio exagerada entre o momento atual e a 2GM… mais 6 obuses ??? Ao menos temos caminhoes de sobra pra rebocar esses obuses…

  2. A dita “padronização” da END não se sustenta, pois ignora as necessidades individuais das forças singulares, simplesmente joga tdo em uma vala comum.
    Agora que esse “brinquedinho” ia deixar a artilharia do EB e do CFN um brinco, não duvido.
    Ah, sonho meu…
    Mas como não é francês, então não poderá ser adquirido p/ modernizar nossas combalidas ffaa.

  3. Parabens e espero que a compre se concretize!

    Alfredo Araujo,

    Com relacao a serem somente seis, nao ha nada de errado com isso, afinal irao equipar o unico batalhao de artilharia do CFN e provavelmente uma bateria apenas.

    Nao adianta sonharmos em termos 600 disso ou 20 subnucs e esses exercicios imaginarios se nao tivermos as unidades, tripulacoes e logistica necessaria para utiliza-los. Tem gente que adora chegar aqui e opinar/arrotar um numero qualquer. “Deveriamos comprar 60 ao inves de 6”, mas desde quando um batalhao de artilharia possui 60 obuses? Iremos agora montar outros batalhoes pra eles? De onde virao esses homens e dinheiro? Quanto tempo levara pra formar esses homens e “stand up” esses batalhoes novos?

    Espero que entenda o que quero dizer, a quantidade dos meios adquiridos sao baseados nas tabelas de organizacao e equipamento e nao em alguma formula magica como alguns pensam.

    Steel Rain!

    Semper Fidelis!

  4. Essa Excalibur é muito bacana. Certa vez vi uma reportagem sobre ela… A coisa vai onde é programada para ir, com grande precisão.
    Lembro que, à época, a dificuldade era produzir os sistemas eletrônicos que suportassem a tremenda aceleração a que a munição é submetida.
    A Excalibur tb seria uma boa pedida para a MB.

  5. Na artilharia do EB existe um fato interessante, servem substituído e substituto.
    O EB emprega os obuseiros Oto Melara/OtoBreda Modelo 56 e Light Gun britânico.

  6. Marine, antes das invasões Kuawit, Iraque, Afegan. Quantos batalhões de artilharia a US Navy e o US Army tinha ?

    Poderia perguntar sobre a França, Inglaterra, mas não tem ninguem aqui que sirva lá, ou tem ?
    Somente para caso de analogia !

    SdS,

  7. Legal essa compra da MB, realmente comprar muito para equipar que batalhões? Agora um Off tópic, para quem acha que tudo que vem de fora é bom!A PM do Pará usa a carabina MAGAL Micro Galil .30 israelense como arma patrão da patrulha urbana, é muito comum vermos os PM com aquela carabina, que para mim lembra a G36, bom hoje na praça havia uma demostração das armas utilizadas pela PM, ao conversar com o PM da GOE, ele me disse que ela foi reprovada,o governo não comprará mais dessa arma, a mesma apresentou muitos problemas de travamento e dificuldades na ora de efetuar os disparos, e conversando mais o mesmo deixou claro que o grupo de operações especiais adora o FAL e não tem grandes amores pela Ar 15, na verdade eles gostam do calibre da FAL, desculpem o off topic, só resolvi escrever por que alguns gostam de malhar os fuzis da IMBEL, ai um exmplo de armamento de Israel com muitos problemas!

  8. Sopa,

    Primeiramente, lembre-se que a USN nao possui batalhoes de artilharia.

    O US Army, nao sei te dizer de cabeca. Mas para se ter uma ideia so de Brigadas de Artilharia hoje sao pelo menos 7 e cada uma deve contar com cerca de 2-4 Batalhoes cada entao da pra voce ter uma ideia assim com esses numeros.

    Ja no USMC, sao 4 Regimentos de Artilharia, um para cada divisao com um total de 14 Batalhoes de artilharia.

    Sds!

  9. Li em algum lugar (fórum estranjeiro) que estes M-777 já tinham sido confirmados pelo CFN.

    Qualquer modo, a fonte citou que foram muito bem avaliados.

    Vamos aguardar…..

  10. Marine,para um pais do tamanho do Brasil,voce realmente acha SEIS pecas de artilharia dessa indole suficientes??? Voce sabia que o Exercito Brasileiro ainda usa por exemplo obuses da Segunda Guerra Mundial? E por que nao criar sim algums batalhoes de artilharia moderna no Brasil? Para o CFN e para o Exercito.Sera que algo assim nunca sera possivel??? Sera que e bom demais para o Brasil??? Sera que estamos condenados a obsolecencia eterna??? Na semana passade estive na base de Camp Roberts,CA. La estao em exposicao os M-41 Bulldogs,muito bonitos e majesticos…mas pecas de museu,expostos dessa maneira. No Brasil,ainda sao parte da spearhead do EB.

  11. Marine,
    Mas quando nós, leigos, dizemos que ter 6 canhões é pouco, está implícito que queremos que tenham meios para que os 60 ou 100 canhões possam operar.
    Claro que com a atual organização dos fuzileiros ou do Exército não tem como termos números razoáveis de peças de artilharia, mas gostaríamos que fosse diferente e que houvesse batalhões, regimentos, brigados, ou coisa que o valha, compatível.
    Eu sou leigo, mas no meu modo leigo de ver, acho que 6 é muito pouco independente de ser 1 regimento, 1 batalhão, ou só um escoteiro, sua irmã e seu cãozinho.
    Ou se reformula o batalhão, ou se cria mais batalhões, mais baterias, etc.
    Para nós, leigos, temos um entendimento de que existem poucas ‘bocas de fogo”. Como os especialistas vão resolver isso é problema deles.srsrsrs
    Um abraço.

  12. Dieter,

    Estou perfeitamente ciente dos meios ainda da Segunda Guerra no EB e do tamanho territorial do Brasil.

    Minha birra e com as criticas infundadas. Ora claro que todos nos queremos dezenas de divisoes para o EB, milhares de carros de combate, pecas de artilharia pra fazer inveja a Franca, avioes de caca para cobrir todo o territorio nacional, submarinos suficientes para fazer a 4th Frota pensar duas vezes antes de nos ameacar (hehehe) e por ai vai…

    O que essas criticas nao tem como fundamento e que nada disso acontece de noite para o dia. Digamos que comprassemos 60 ou 600 desses obuseiros para o CFN:

    Fariamos o que com eles ate que criassemos tais novos batalhoes de artilharia? Iam ficar enferrujando ate la?

    Criariamos um CFN com quantos batalhoes de artilharia? Aumentariamos na mesma proporcao os batalhoes de infantaria?

    O CFN seria entao um corpo baseado em artilharia agora? Quantos batalhoes de artilharia se pode desembarcar e ocupar uma cabeca de praia?

    Se aumentassemos a infantaria na mesma proporcao, passariamos entao ao inves de ter um CFN de 15.000 homens com quantos? 50 mil, 75, 100 mil??

    O fato continua o mesmo, nao adianta arrotarmos ou desejarmos numeros sem seguir tabelas de organizacao e equipamento ou a missao da unidade.

    O fato continua que para uma corporacao com 3 batalhoes de infantaria, 1 batalhao de artilharia e mais do que suficiente. Ou seja equipa-lo com uma bateria de 6 obuses e padrao mundo afora.

    O problema e que o pessoal fica com essa mentalidade de que “olha o tamanho do Brasil, logo 6 de equipamento X nao sao suficientes!” E desde quando e necessario cobrir todo o territorio com pecas de artilharia? Sera que ninguem ouvir falar que guerra de atricao sem mobilidade alguma e de vulto de Kursk ou Estalingrado nao existem mais?!

    Caso se um dia o CFN precisar ter seus 3 batalhoes de infantaria apoiados, sera feito muito bem or essa possivel futura bateria de 6 obuses.

    Enfim, minha briga nao e com o fato de que deveriamos ter mais mas sim com os palpites e arrotos de numeros de meios sem qualquer base de analise.

    se quisermos ter mais meios nao basta so comprar, seja aviao, obus ou subs. Tem que lotar tal meio, treinar gente, aumentar as forcas em proprocao, aumentar a logistica e centenas de outras coisas e principalmente isso nao ocorrera da noite pro dia!

    Sds!

  13. boa noite!
    Bosco e demais amigos, la pelos meados dos anos 90 quando ainda era possível eu ligava para o Francisco Ferro ou o Cosme D. Drumond, como eu era um leitor assíduo da revista T&D e uma vez eu questionava a compra de apenas 60 carros de combate Leopard 1A1 pelo Brasil a Bélgica e ele me dizia que os conflitos atuais são rápidos enquanto esperam a intervenção da comunidade internacional e que este numero de carros poderiam ser decisivos e dar uma boa vantagem para sentar a mesa de negociações.
    Penso que podemos fazer a mesma analogia aos obuses, se bem acho que o CFN no devido templo ampliara para mais de um o numero de batalhões de artilharia e tal escolha sem duvida nenhuma influenciara o exercito.
    Se eu não estiver enganado e se tiver não me crucifiquem por isso, rsrsrsrs, as forças britanicas transportaram um pequeno numero de conhões light gun para as ilhas contra os argentinos e tiveram otimos resultados, mas claro tiveram ajuda dos canhões de seus navios onde o alcance lhes permitia “praias” penso que a marinha esteja usando esta linha de raciocínio.

    desculpem os erros e abraços!

  14. Bosco,

    Entendo o que voce quer dizer amigo! Quero so apontar que nao e tao simples assim.

    Nao se pode por exemplo achar que 5 Brigadas de Selva nao sao suficientes na Amazonia, “olha so o tamanho da amazonia!”. Claro que nao sao! Mas nao se pode chegar e simplismente dizer que deveria ser 10, 15 ou X Brigadas ao inves das 5 atuais.

    Voce sabe que existem centenas de fatores precavindo a formacao de mais unidades ou pra voce que gosta do poder aereo eu queria que o Brasil comprasse 200 cacas no FX-2 mas e dai?

    Nao devemos nem ter pilotos de caca pra tal numero! Entao os avioes que sobrarem vao ficar no hangar parados ate termos tais pilotos?

    Outra, esse negocio de que numero X nao e suficiente pra tamanho do pais e relativo. Poxa na 2GM uma divisao mal cobria 10km de linha de frente mas o Iraque em 2003 foi derrotado em 3 semanas com 3 Divisoes apenas, 3 divisoes para um pais inteiro!

    Entao, veja bem, nao estou “puxando sua orelha” (hehe), apenas querendo lhe demonstrar isso como ja aprendi muito com voce mesmo la no Aereo.

    Semper Fidelis!

  15. Pois é Marine, concordo em grau, gênero e número. Mas meus impostos e da maioria dos brasileiros está em dia.
    Não cansamos de bater recordes de arrecadação e sobra muito, muito, muito dinheiro. O que fazem com ele? Eu não sei.
    Eu acho que se deve a desonestidade, misturado com um pitada de incompetência.
    Corrupção por aqui não é de 10% como por aí não. Aqui é de 300, 400, 1000 por cento. E pior, além de ficar 10 x mais cara, fica 2 vezes pior que é pra poder fazer de novo na próxima gestão, sem falar que precisa de colocar um parente pra dono de empreiteira pra fazer manutenção mais constante.
    Ou seja, voltando ao tópico, nós, os cidadãos, damos o dinheiro para que o Estado faça o que tem que ser feito, em todas as áreas, inclusive na militar, se não faz, só podemos ficar cobrando que faça, porque não é falta de dinheiro e nem de tempo, já que o Brasil é independente e soberano o mesmo tempo que os EUA, que ao contráiro, fez.

  16. Eu entendo a frustracao Bosco, principalmente no que diz respeito ao quesito militar brasileiro.

    Eu mesmo ja critiquei nossas FAs em muitas coisas mas nem por isso tudo que fazem e &^$%! Existem criticas e existem criticas.

    Abracos!

  17. Se adquirido, seria mais um grande sucesso dos profissionais do CFN do Brasil. A corporação se destaca nas aquisições de excelentes materiais. Que não seja prejudicado com a conversa de padronização da END, já que o EB ainda enfrenta a conscrição, o uso como mão de obra barata e a ultrapassada idéia de escola de civismo. Bem que a força terrestre poderia adotar este obuseiro na artilharia divisionária.

  18. Vejam como tem crítica infundado, o sujeito quer ter 6000 m777, 3.000.000 de MBT, Trocentos caças, Centenas de Escoltas na MB e ao mesmo tempo tem quem critica o tamanho das forças armadas achando que tem de diminuir o efetivo. E quem é que vai operar todo esse material ?
    Mais peças de artilharia, tem-se que criar novas baterias e grupos de artilharia, consequentemente mais gente e mais verba.
    Mais caças, novos esquadrões, mais pilotos.
    Mais navios escoltas, mais tripulação e por aí vai.
    Mas o negócio é criticar, mas alguns vão dizer “eu critico por que quero o bem das nossas FFAA”, só que a critica tá indo para o endereço errado. Mandem para o endereço certo que é Palácio do Planalto e congresso nacional.
    Aqui essas críticas são palavras ao vento.

    Ad summus!!

  19. Pessoal,a aquisição de 6 M777 não quer dizer que vão ser apenas esses que serão adquiridos….é como os Piranhas,qtos a princípio foram adquiridos? Não podemos querer que as nossas FAs se tornem poderosas e modernas da noite pro dia…Afinal de contas são mais de 25 anos de descaso,vamos dar um desconto….Será muito bom caso essa aquisição seja feita,quem sabe o EB não vem logo atrás…Mais uma vez a MB sai na frente em termos de equipamentos de ponta…

  20. Este Obuseiro é excelente,mas poderiamos encomendar uns 40 pois o CFN merecem. e uns 40 para o EB.assim estariámos razoaveis em nossa defesa.

    Brasil.

  21. 6 obuses!!! naõ paga nem o frete, ver um pais como a arabia investir 60 bilhões em armas. da a impresão que o brasil é uma pais do continente africano.

  22. Marine,

    Totalmente off topic, mas deixa eu tirar algumas dúvidas.
    Como se dá a hierarquia no USMC, é totalmente independente da USN?
    Qual unidade no USMC equivale ao SEAL? É possível um marine se tornar SEAL?
    Alguns pilotos de F18 são marines, qual a necessidade disso? Eles ficam apenas dando suporte aéreo à vocês ou também fazem missões com os pilotos da USN?

    Se puder, ajude ao amigo.

    ps: editores perdoem minha curiosidade…rsrs

  23. Andre,

    O USMC tem sua cadeia de comando separada da USN, e uma outra forca armada, uma outra corporacao.

    A unidade analoga aos SEALs no USMC seria o Force Recon e os Marines Special Operations Companies do MARSOC.

    Um Marine pode se tornar Seal e alias ja conheci muitos mas primeiramente ele deve terminar seu contrato no USMC, alistar-se na USN e passar no curso BUDS.

    Ja com relacao a nossa aviacao, sempre houve o desejo de possuirmos nossa propria ala aerea para apoiar o Marine no chao. O medo sempre foi de que a USN e depois a USAF nao pudessem sempre faze-lo deixando nossas tropas terrestres sem apoio aereo.

    Sendo assim os pilotos de F-18 tem como missao principal apoiar missoes do USMC mas claro treinam em conjunto e ate “deploy” com porta-avioes se necessario.

    Sds!

  24. Marine – DENÚNCIA

    Marine, volto a cena para fazer uma denúncia de segurança nacional.
    VOCÊ É UM ESPIÃO DO IMPERIALISMO AMERICANO CAPITALISTA BUSHLESCO !!

    Quando você fala que 6 peças de artilharia esta de bom tamanho é porque VOCÊ quer contribuir para sucatear as formas armadas nacionais para facilitar a invasão do Império Satânico contra o Brasil.

    E descobri muito mais Marine. Tu NÃO é brasileiro e nem filho de brasileiros !!

    Na verdade tu é um argentino que se faz passar por brasileiro com cidadania americana servindo ao US Marine Corp’s.

    Pessoal, cuidem o que vocês falam para o Marine, vocês podem estar entregando nosso país aos demônios imperialista, capitalistas e consumistas.

    ( tinha que dar minha contribuição depois de ler tantas bobagens )

    Hehehehe

  25. Nossa, tem gente entrando em “loop” aqui nos comentários. A impressão é que não lê a matéria, apenas segue o comentário anterior, aí realmente o debate não avança, sendo que basta olhar lá o texto da matéria para buscar algumas comparações.

    Lendo a quantidade encomendada por outras nações, no texto, fica mais fácil comparar. trinta e poucas unidades para a Austrália, outros tantos para o Canadá, ambos países que costumam participar muito mais ativamente que o Brasil de operações pelo mundo afora. Ok, continua pouco, mas já não é tão pouco assim.

    Continuando: seis é um número pequeno? Assim, a seco, parece que sim, mas qual o principal emprego do CFN e qual o seu tamanho? Não é uma força expedicionária? Capacitada para desembarques anfíbios, assaltos aerotransportados, situações em que peças de artilharia chegam a uma praia transportadas por embarcações de desembarque, ou helicópteros? (isso para citar apenas um tipo de emprego, nem estou falando de forças de paz etc). Somados aos demais equipamentos já utilizados, qual o total de peças? Vale a pena fazer essas comparações.

    Mas, só pra deixar claro: sim, acho que seis unidades não é muito mesmo. Mas decididamente esse número não é uma piada, no contexto da artilharia do CFN.

  26. Marine,

    Importante também dizer que o “nossos” pilotos voam os “nossos” F/A-18 e na nossa seita os “nossos” pilotos são antes de tudo, infantes até o fundo da tripas.

    Semper Fi

  27. Finalmente,

    Já vejo namoro no CFN com o dito cujo desde do tempo que ele ainda pensava em ser XM-777.

    A Bia de 155 agradece.

    O Batalhao tem duas Bia de 105 e uma de 155

    Nao da para ter 3 Batalhoes de Artinharia e 1 de Infantaria porque no planeta terra, longe dos cogumelos não é assim que funciona; é infantaria naval, nao artilharia naval.

  28. Marine mais uma vez dando aula…

    O Nunão matou a charada. Basta comparar com o número de compras do Canadá e Austrália pra ver que seis obuses é um bom número PARA COMEÇAR a modernizar o batalhão de artilharia.

    Sobre os comentários, creio que um dos problemas aqui é que o pessoal compara o CFN com o USMC, que é a principal força de ataque dos USA, país que possui as maiores e mais modernas forças armadas do mundo!

    Essa comparação é impossível de ser feita!

    Enquanto nós temos 15 mil fuzileiros, eles tem mais de 100 mil Marines(correto Marine?)

    E mesmo que aconteça a ampliação do efetivo do CFN (e vai aumentar, pois foi aprovado um aumento considerável de efentivo na Marinha) ele jamais terá sequer metade da força que o USMC possui.

    Pelo simples fato de que não precisamos tanto poder de fogo, pois ao contrário dos yankees, não ficamos enviando soldados pra qualquer buraco do mundo trocar tiros por causa de poder geopolítico.

  29. Creio que com as 7 peças dos M777. aguçaria os olhares dos generais, e quem sabe, viria, mais compras. Veja as compras dos Mil Mi 35M, agora o exercito tem a intençao de adquirir baterias antiáereas Russas. Sds.

  30. Excelente! Que venham os 6 obuseiros, ou seja, uma bateria de 155mm M777. Certamente o BtlArt aproveitará muito esse moderno material. E quanto aos que afirmam que é pouco, concordo! Mas isso é um problema político. Nossa Força armada ainda é pequena frente à dimensão do nosso país, e frente ao que o Brasil quer ser no mundo. Nosso país está ganhando grande projeção internacional sendo um importante personagem mundial, e num curto espaço de tempo, creio que em 20 anos, assumirá novos papéis internacionais, inclusive de caráter militar. Para “brincar” de gente grande por aí, tem de ter um porrete em casa.

  31. Cadê os 6 M777, já chegaram?????????? Claro de 6 peças é um número miserável, claro que também não adianta comprar mais se não está preparado para recebê-las, isso é óbvio ululante, mas acho que o que o ideal é substituir todos M114 pelo M777, quantos M114 temos? Uns 50? 100? Então a compra de M777 deveria ser de 50 ou 100 peças, para substituir todas as peças antigas, neste caso não precisa formar novos batalhões, não precisa fazer uma logística nova, pois a compra é para substituir os antigos em uso, nada mais.

  32. SERÁ QUE O BRASIL VAI TER ONDE GUARDAR TANTOS CANHÕES? O MAIS ENGRAÇADO É TERMOS QUE COMPRAR EM OUTROS PAÍSES…HAJA FALTA DE PATRIOTISMO.CADÊ O IME E O ITA?A AVIBRAS, A MECTRON, NÃO TERIAM COMPETÊNCIA PARA TAL? É MELHOR FECHAR AS PORTAS.TEMOS QUE DESENVOLVER NOSSOS ARMAMENTOS…! VEJAM O EXEMPLO DA ARGENTINA NA GUERRA DAS MALVINAS.O BRASIL DEVERIA REABRIR A ENGESA; E VOLTAR AOS SEUS GRANDES PROJETOS COMO O BLINDADO OSÓRIO, CHARRUA,SUCURI,É LÓGICO COM NOVAS TECNOLOGIAS.

  33. TEMOS CANHÃO INGLÊS, ITALIANO,BLINDADOS ALEMÃES,AVIÕES AMERICANOS,MÍSSEIS FRANCESES…SÓ NOS FALTA TRAZER AGORA SOLDADOS DE OUTROS PAÍSES…

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here