Home Noticiário Nacional Nova reserva ‘fecha’ fronteira do Brasil na região amazônica

Nova reserva ‘fecha’ fronteira do Brasil na região amazônica

154
11

Amazônia

ClippingParalelamente ao debate sobre Raposa/Serra do Sol, a Funai (Fundação Nacional do Índio) acaba de concluir relatório circunstanciado de demarcação de uma nova área com alto potencial de conflito: a terra indígena Cué-Cué/Marabitanas, localizada na tríplice fronteira do Brasil com Colômbia e Venezuela. Com a demarcação da reserva, os limites nacionais da região Norte estarão praticamente encerrados em terras indígenas, restando apenas o trecho entre as reservas Alto Rio Negro e Evaré I, no Amazonas, e a área entre as reservas Yanomami e Raposa/Serra do Sol, em Roraima. Mapa da Diretoria de Assuntos Funcionários da Funai, obtido pela Folha, mostra que a nova reserva ocupará uma área de 808.597 hectares, cerca de 8.085,97 km2 -superior à da região metropolitana de São Paulo (a Grande SP).

A Cué-Cué, reivindicada há oito anos por organizações indigenistas, se estende por uma faixa de 522 km ao longo da margem esquerda do rio Negro (AM), entre as cidades de Cucuí e São Gabriel da Cachoeira. Une assim as terras indígenas Alto Rio Negro (oeste), Yanomami (leste) e Balaio (sudeste), além de outras três no Amazonas. Segundo projeções de analistas, são cerca de 23 milhões de hectares numa faixa contínua superior a 2.500 km.

Ex-presidente da Funai, o antropólogo Mércio Gomes é contra a fusão das terras: “Vai ficar uma área contínua muito grande, que barra toda fronteira e abre uma celeuma muito difícil. É uma temeridade”. Mércio explica que, quando dirigiu o órgão (2003-2007), sugeriu que a área se restringisse ao perímetro da margem esquerda do Rio Negro. Ele critica que o grupo de delimitação tenha sido integrado por organizações indigenistas.

Setores militares mais radicais vêem uma ameaça à soberania nacional. “Acho suspeito esse fechamento da fronteira. Temos que tomar cuidado com a balcanização da Amazônia e a presença de ONGs interessadas em explorar as riquezas da terra”, afirma o presidente do Clube Militar, general da reserva Gilberto Barbosa de Figueiredo. O militar defende a integração do índio à sociedade e critica a Funai de ser “pouco transparente”. Na última sessão de julgamento no STF sobre a demarcação contínua de Raposa/Serra do Sol, o ministro Carlos Alberto Menezes Direito deu garantias de acesso das Forças Armadas às reservas. Seu voto foi acolhido por outros seis ministros.

Segundo o relatório da Funai, na área de Cue-Cué/Marabitanas vivem 1.702 índios, a maioria das etnias baré e baniwa. Também há em menor proporção membros das etnias tucano e piratapuia, além de um subgrupo baré-uerequena. As famílias vivem basicamente do extrativismo, embora o subsolo da região seja rico em minerais estratégicos. A Folha apurou que haveria também pouco mais de 1.000 não-índios, moradores e comerciantes, que deverão ser retirados após a homologação da reserva.

O próximo passo será a aprovação do relatório, com o que se abrirá um período de 90 dias para contestações. Coordenador-geral de Identificação e Demarcação, Paulo Santilli admite que “pode haver algum questionamento e reações localizadas”, e que o traçado da reserva em questão não é definitivo. Santilli espera um “debate qualificado” e rejeita alegações de risco à soberania. “Os últimos casos, inclusive Raposa, reafirmam a legitimidade da presença do Exército e de outras forças. Não há qualquer restrição à presença militar e as próprias guarnições são compostas por índios, que auxiliam na garantia da presença e da mobilidade dos militares na área”, diz o antropólogo. Para Santilli, as relações entre militares e indígenas no Amazonas são diferentes das de Roraima, onde o debate é permeado pela “elite política interessada na exploração econômica das reservas”. Para a demarcação, foi feito estudo antropológico, identificação da ocupação tradicional e levantamento fundiário. Após aprovação, o relatório será submetido à homologação presidencial.

Fonte: Folha de São Paulo, via resenha CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest
11 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
zocca
11 anos atrás

essas ongs “indigenistas” INTERRESSEIRAS a serviço de GOVERNOS MAU INTENCIONADOS, e essa FUNAI que e DOMINADA por esses INTERESES ESCUSOS de protegerem os indios Brasileiros, o que sera que a AMAZONIA TEM QUE NA AFRICA NÃO TEM,LA ONDE TEM UM MONTE DE GENTE MORRENDO DE FOME, NINGUEM TA AI COM INDIO NENHUM E SIM DE OLHO NAS RIQUEZAS, QUE LA NA AFRICA NÃO TEM, o governo Brasileiro sabe disso, e ja esta fazendo alguma coisa, que bom. GRACIAS

JACUBÃO
11 anos atrás

TEM QUE BAIXAR O CACETE NESSAS ONGS QUE SE FAZEM DE BONZINHOS, MAS ESTÃO TODOS MAL INTENCIONADOS. OS FAZENDEIROS E MADEIREIROS TEM QUE ENTRAR NA PORRADA TAMBÉM, POIS É JUSTAMENTE POR CAUSA DELES QUE O BRASIL FICA SOFRENDO ESSAS PRESSÕES INTERNACIONAIS. SE A LEI ATUAL NÃO DEIXA ESSES CARAS PRÊSOS POR MUITO TEMPO (ISSO QUANDO SÃO PRÊSOS), ENTÃO MUDEM ESTA LEI BRANDA E AS TORNEM UM TORMENTO INSUPORTÁVEL PARA OS QUE QUEREM DESTRUIR A MAZÔNIA. IMAGINEM UM CARA VIR LÁ DA SUÉCIA E COMPRAR TROCENTOS EQUITARES NA NOSSA FLORESTA, E NINGUÉM FAZ NADA? PELO AMOR DE DEUS, SÓ NO BRASIL… Read more »

Flávio
Flávio
11 anos atrás

Concordo,
Esses destruidores da Amazônia tem que ser punidos exemplarmente, também os fiscais do Ibama que são corrompidos e “esquentam” madeira retirada ilegalmente.
Brasil acima de tudo.
sds.

JACUBÃO
11 anos atrás

Esse Pará é uma terra de marlboro mesmo. Destroem toda a floresta, ameaçam de morte, matam as pessoas que tentam salvar a floresta, queimam o nosso filme com o resto do mundo, a Polícia Federal tem um trabalhão para ír até lá prender aquele s filhos da p…, e depois de alguns dias os advogados dos caras usam as brechas da lei para conseguir soltar os caras, que quando saem da cadeia, começam a desmatar mais uma vez e tudo começa de novo. Não adianta a PF, PM, EB, MB, FAB, MP, ETC… fazer essas mega operações, gastando o nosso… Read more »

João-Curitiba
João-Curitiba
11 anos atrás

Minha preocupação é quanto à fronteira fechada. Se no futuro for necessário uma estrada, como é que faz? Como em Roraima, onde os índios fecham a estrada às 18 horas e só reabrem às 6 horas do dia seguinte? E olha que é uma rodovia internacional, ligando Manaus-Boa Vista-Caracas. O direito de ir e vir da Constituição não pode ser suprimido por um decreto. Estas tais reservas indígenas estão mostrando que se todos somos iguais perante a lei, alguns são mais iguais que os outros. Não estou me referindo às reservas, mas a forma como elas estão sendo demarcadas. Aí… Read more »

Hallan
Hallan
11 anos atrás

Isso é uma piada… vão dar terras para os indios na fronteira ” Governo burro “

JACUBÃO
11 anos atrás

Concordo com vç João, a nossa preocupação é com a nossa nação, um país rico de natureza, com todos os recursos que o mundo precisa, água potável, minerais, vegetais, petróleo, recursos animais, biodiversidades, excelente ponto de lançamento de foguetes ao espaço, etc,etc,etc,etc,etc,etc,etc,etc,etc,etc,etc… É, acho que exagerei no etc, mas tá enviado o recado, o Brasil precisa sim se preparar para o futuro, que ao meu ponto de vista não está tão longe assim, ou alguém acha que as superpotências vão deixar que o Brasil fique totalmente preparado para reagir sem causar um grande estrago que justifique altos investimentos em defesa… Read more »

JACUBÃO
11 anos atrás

Estranho quando se entra nesse assunto, todo o mundo fica calado. Estou começando a ficar bolado com a situação.

Brazilero Expatriado
Brazilero Expatriado
11 anos atrás

O ESTADO BRASILEIRO NÃO RESPONDE AOS ANSEIOS DA NAÇÃO BRASILEIRA,.. É UMA ATRÁS DA OUTRA !!! ESSA É MAIS UMA DENTRE AS INÚMERAS EVIDÊNCIAS DE QUE O ESTADO BRASILEIRO ESTÁ NAS MÃOS DE ONGs E GOVERNOS ESTRANGEIROS, UM DESASTRE PARA O POVO BRASILEIRO, QUE, INGENUAMENTE CONFIOU A DEFESA DA NAÇÃO A COVARDES, VENDILHÕES DA NAÇÃO E DA PÁTRIA!!!! JÁ NÃO TEMOS MAIS NADA DA PARA DEFENDER, END
PARA QUÊ, SE JÁ ENTREGARAM TUDO, ATÉ A PRÓPRIA NAÇÃO BRASILEIRA???

Ary
Ary
11 anos atrás

É muita terra para pouco índio. Não adianta, índio querer viver como há 600 anos não dá – cara pintada, nu, com chocalho, isolado vivendo de caça e pesca. Realmente não dá! O ideal seria a integração com a civilização branca. “Ah, tem que preservar a cultura, a as línguas”, papo furado, a maioria das línguas foram extintas ou são faladas por meia dúzia de pessoas – logo, em breve estarão extintas. A verdade é que o índio deseja se integrar, ele anseia por TV, computador, internet, escola (junto com alunos de outras culturas e não escolas segregadas-só para índio-um… Read more »

Thiago
Thiago
11 anos atrás

Gente vamos bombardear o MD com mensagens contra isso eu já mandei a minha sugerindo o Jobim a se pronunciar sobre isso e da um fim nessas Ongs principalmente na Funai que é “uma ONG internacional estatal”