sábado, novembro 27, 2021

Saab RBS 70NG

Austrália lança plano de US$ 70 bi para defesa

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

A Austrália deve anunciar no domingo um plano para re-equipar nas próximas duas décadas suas Forças Armadas no valor de US$ 73 bilhões.
O país pretende comprar, entre outros equipamentos, 100 jatos, 24 helicópteros de combate e 12 submarinos para substituir a frota atual de seis unidades.

Correspondentes dizem que a Austrália estaria preocupada com os grandes gastos militares da China.
O ministro de Defesa australiano, Joel Fitzgibbon, disse que o país reconhece que o surgimento de novas potências pode levar a uma maior competição militar.

“Temos que poder defender nosso país sem necessariamente precisar da ajuda de outros países”, disse ele.
Mas o premiê australiano, Kevin Rudd, negou que o plano seja uma resposta específica à China.
“Em certas áreas da região da Ásia-Pacífico existe um fortalecimento das Forças Armadas”, disse ele.
“Nós precisamos simplesmente adotar uma atitude calma, apropriada e responsável para o futuro.”

FONTE
: Agências Internacionais

- Advertisement -

34 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
34 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
camberiu
camberiu
12 anos atrás

Eu vejo esse tipo de anuncio com tremendo ceticismo. A Australia foi atingida em cheio pela crise economica mundial e a economia daquele pais atualmente se encontra em situacao deploravel. Acho que o programa de rearmamento real sera muito mais modesto do que esse que foi anunciado.

Aluisio
Aluisio
12 anos atrás

João,a China não tenta retomar Taiwan por duas razões: O governo já é bem pressionado,uma guerra com Taiwan seria muito custosa (tanto em baixas e custos monetários) e o custo político disso talvez fosse grande demais para o governo resistir. E segundo,Taiwan está sob o guarda-chuva militar norte-americano,um ataque a Taiwan geraria uma resposta rápida da frota americana no pacífico,e como vc disse,deflagraria a quarta guerra mundial. Quanto a Australia,na minha opnião uma resposta vigorosa americana ou britânica seria menos certa,mas mesmo assim,como Maquiavel declarou séculos atrás,um país nunca deve confiar sua segurança a outros.

Kid Boy
Kid Boy
12 anos atrás

Australia foi inavadida pelo Japão durante a SGM, eles tem muita preocupação com a defesa, ate pouco tempo atras eles ainda operavam um NAe com A-4 SkyHawk que nem o Brasil

Estão no projeto do Buque de Proyecion Estrageica da Espanha, Os Australianos vão ter comprar 2 mas não mostraram interesse ainda no F-35B

João Curitiba
João Curitiba
12 anos atrás

Quem se arma na região, além da China, são Índia, Coréia do Sul e Japão. E US 73 bi ao longo de 20 anos dá US 3,650 bi por ano. Claro que os primeiros desembolsos não se dariam agora. E para um país como a Austrália, não vão faltar financiadores interessados.
Só faço uma ressalva. Não vejo nenhum inimigo em potencial a ameaçar a Austrália. Portanto, é muito estranho este anúncio. Só se estão inventando uma desculpa para gastarem com armamentos.

Wilson Johann
Wilson Johann
12 anos atrás

Para um pais da pontecialidade e do tamanho da Austrália, até que é um plano modesto, afinal, é um plano de longo prazo. Vejam que a quantidade de armamentos previstas para aquisição está dentro do mínimo que uma nação desse porte deve possuir. Acho que o Brasil também deveria explicitar o total de investimentos que pretende realizar no longo prazo. Um número real e factível com que a defesa pudesse trabalhar nas próximas duas ou três décadas, fazendo o máximo possível para cumprir com o cronograma e a liberação das verbas. Mas parece que planejamento de longo prazo não é… Read more »

Aluisio
Aluisio
12 anos atrás

João,aí você está enganado. A Australia tem sim um forte motivo para se preocupar. A China está a todo vapor,é atualmente “a fábrica do mundo”,como a Inglaterra foi na Revolução Industrial. Porém não é um país prodigiosamente rico em recursos naturais e sua industria precisa de quantidades imensas de materias primas. A Australia por outro lado é extremamente rica em recursos naturais,consome pouco deles e exporta boa parte para a China. Some-se a isso a corrida armamentista chinesa e lembre-se que o Japão invadiu a Manchúria na 2 GM pq era um país extremamente industrializado e precisava de recursos naturais.… Read more »

Waldeir
Waldeir
Reply to  Aluisio
8 meses atrás

Então é o fim pare eles 25% do PIB deles é de trocas comerciais com a China, sem falar nós milhares de estudante chinês em universidade deles , arrumar briga com o dragão vai sair caro
Boa parte do minero também é exportador para China !

João Curitiba
João Curitiba
12 anos atrás

Prezado Aluisio

Sob este aspecto, você está certo. Mas hoje os tempos são outros. Veja que a China não tenta retomar nem ao menos Taiwan. Invadir a Austrália seria iniciar a terceira guerra mundial. Lembre-se que a Austrália faz parte do Império Britânico. E que a Inglaterra é membro da Otan.
Vamos torcer para que isto não aconteça, porque se acontecer, a Coréia do Norte vai aproveitar a confusão para lançar uma bomba sobre o Japão, o Irã uma sobre Israel e India e/ou Paquistão uma bomba sobre o outro.

Abraços

Cidão
Cidão
12 anos atrás

Os EUA vebderiam o F22 para a Austrália?

Baschera
Baschera
12 anos atrás

Kid Boy,

Em seu comentário vc diz “não mostraram interesse ainda no F-35B” refereindo-se aos australianos.
Não procede.
A Austrália está entre os países parceiros do projeto, em níveis diferentes. São eles: Inglaterra, Itália, Holanda, Turquia, Austrália, Noruega, Dinamarca e Canadá.
A Austrália comprou um pacote de 24 F/A-18 Super Hornet como tampão, até que receba o F-35.

Cidão,
O único país que formalmente, solicitou a compra de F-22 aos USA, foi o Japão. A resposta foi não. Diplomaticamente é claro.

Sds.

JACUBÃO
12 anos atrás

Já falei em outras ocasiões no aéreo, naval e terrestre sobre o fato do Brasil ter um PIB muuuuuuuuuuuiiiitooooo maior que o da Austrália, Suécia, Espanha, Grécia eeeeeeeeeeee… etc, etc, etc… e teve um montão de gente que me malhou quando falei que fico indignado em ver países com economias bem menores que a nossa, serem mais poderosos que o nosso, no âmbito militar. E tem mais… vai ter gente que vai falar que não devemos ser tão poderosos assim, pois seremos um país imperialista e algo mais. Tenha santa paciência por favor. Temos que ser poderosos sim pois as… Read more »

Patriota
Patriota
12 anos atrás

Depois perguntam quem vai ser a potencia militar do hemisferio Sul. pessoal a crise não vai durar para sempre A Australia está tomando uma postura correta , é obrigação do estado ter meios eficientes para garantir a soberania e os direitos da nação sobre todo o território, isto é uma algo muito importante e deve ser prioridade para um país serio, 3 bilhões por ano não é muito pouco, eles estão no caminho certo Quanto ao END vcs viram que a marinha vai apenas modernizar alguns meios que ainda temos algumas escoltas e submarinos deverão se substituidas por novas mais… Read more »

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

O Brasil é que é sério…francamente…
amigos olhem o concreto, observem! só isso!

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Patriota Não é bem assim,no END não há um trecho escrito “o objetivo nacional não é tornar o Brasil uma potência militar”,não há isso no documento. O objetivo do END é garantir privilégio as FA e a Indústria bélica nacional,pois todas(ou quase todas)as aquisições de material bélico feitas pelo Brasil terão que passar pela indústria bélica nacional. Se nós vamos ou não nos tornar potência militar,só o tempo dirá. Agora,não acredito que a Austrália vá se tornar potência militar tão cedo,nem eles(e nem nós)temos Teatro de Operações para tal(mas nós podemos ser mesmo assim,bom mas isso já é outra história).… Read more »

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Agora,garantir a soberania nacional sem dúvida iremos.

RL
RL
12 anos atrás

Vamos ver se eles irão “COMPRAR” ou “FABRICAR”.

Ao meu ver o Brasil esta no caminho certo, más poderia ir mais além do que isso, afinal qual o PIB da Austrália e qual o PIB do Brasil?

Em comparação temos muito mais possibilidade em ter um gasto equivalente ou até superior do que eles estão fazendo.

Acredito eu, que neste momento o que não tem equivalência é “CULTURA POLITICA”, pois lá eles teem de sobra e aqui falta muita.

Patriota
Patriota
12 anos atrás

A diferença é que o END é um projeto que visa apenas a modernização de alguns meios, isso não fara de nos uma potencia
de peso no mundo na area militar é melhor esquecer o sonho de entrar no CS da ONU , nossas FAAs mesmo depois do END mal terão meios para defender nosso território quanto mais pensar em atuação global.

Infelizmente esta é nossa realidade

saudações

Flamenguista
Flamenguista
12 anos atrás

Eu acho que a Austrália tá no rumo certo! Maravilhoso esse plano!!.. Lindo país a Austrália…. Tudo lindo!!!!

Kid Boy
Kid Boy
12 anos atrás

Eu me coloquei mal

Os Australianos vão comprar 100 F-35A que são a versão Força Aerea e não o F-35B que e o SVTOL que faz função de Harrier

Sendo que os Australianos vão operar 2 Navios Amfibios multi-uso que podem operar o F-35B

Beleza

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

O Hornet já disse e explicou aqui,PIB NÃO tem nada haver com defesa,absolutamente nada.(perguntem pro Hornet que ele explica melhor :-))

Sds.

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
12 anos atrás

E la em cima disseram que a Australia foi invadida pelo Japão na Segunda Guerra Mundial………………..

Eles bem que tentaram, mas boa parte dos navios de transporte de tropas niponicos foram postos à pique no meio do caminho, forçando uma meia volta antecipada. Durante a II GM, nenhum soldado niponico pôsos pés em solo australiano.

abraços.

Vassili Zaitsev
Vassili Zaitsev
12 anos atrás

E o total (US 70 Bi) não é tanto assim não. Vejam que esse montante será investido num prazo de 20 anos.

abraços.

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

Amigo Noel, pergunte-se se o Ten Brig Batista abriria mão de parte do seu soldo, que deve ter alguns “acumulados” extensivos a mulher e filhos.. filhas principalmente..se as tiver…acho que não! e está certo!(menos as regalias aos familiares)… Estes comandantes são, sim responsáveis pelo atual sistema profissional das FA! este negócio de 70 anos! recrutada que não se profissionaliza e mal dá 10 tiros de fuzil durante sua estada na força! só se acumula salários e proventos! estas pessaos se aposentam, vão para reserva, com 50/60 anos e vivem até os 80/85! o orçamento das FA não é pouco! é… Read more »

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

Ulisses, vai mandar só o teu “secretário” responder sobre o PIB?? rsrsrsrs

Abraço !

Aluisio
Aluisio
12 anos atrás

Vassili,fui eu que falei sobre o Japão na II GM,mas eu não disse nada sobre terem invadido a Australia,eu falei sobre a invasão da MANCHÚRIA e fiz uma comparação da Manchúria com a Australia,por ambas serem muito ricas em recursos minerais e serem (hipoteticamente no caso da Australia) invadidas por países de grande industrialização… rs

Wilson Johann
Wilson Johann
12 anos atrás

Jacubão… Valeu pela indignação. Fecho contigo e não abro. O que falta nesse pais é governo, e mais nada. Começaram a fazer alguma coisa com a END e pensam que tá tudo resolvido. Estamos fazendo apenas um plano de recomposição de forças armadas, porque já não temos forças armadas. Estamos comprando um pouquinho de cada coisa apenas para repor o que não temos mais e fica todo mundo achando uma maravilha. Maravilha é a Autrália que coloca a defesa no orçamento com planejamento para vinte anos além. Pela riqueza que possuimos em nosso território somos a maior potência do planeta.… Read more »

Noel
Noel
12 anos atrás

Wilson Johann, entendo que a citação constante das “mazelas do Brasil” enchem o saco, porém infelizmente essa é a nossa realidade, não sei em qual cidade vc reside, mas na grande maioria, os serviços públicos(principalmente educação e saúde), os administradadores(municipais e estaduais), a justiça, nossos legisladores, a VIOÊNCIA URBANA E RURAL, em resumo, nossa qualidade de vida, são deprimentes. Portanto creio que essas são, ou deveriam ser, as prioridades de nossa sociedade, através dos formadores de opinião e das elites, pois infelizmente boa parte de nosso povo ainda se comporta como gado, em muitas regiões desse pais. O reaparelhamento das… Read more »

Noel
Noel
12 anos atrás

Boa noite Francisco, por partes: 1) não sei se o Ten Brig Batista tem filhas, sei q tem um filho Cel; 2) em 2001 foi feita uma reforma na Lei de Remuneração dos Militares, que derrubou o pagamento de pensão prás filhas, paga-se ainda somente o tal do direito adquirido, concordo q ainda é muito cacau, mas ai entra o nosso sistema juridico, q não tem nada a haver com as FFAA; 3) concordo q todos os militares deveriam ser profissionais, pois o gasto e o trnstorno de preparar Soldados, e qdo eles encontram-se no “ponto” chega a baixa, é… Read more »

Bonifácio
Bonifácio
12 anos atrás

Caros, Só queria adiantar uns dados para enriquecer a discussão. O governo brasileiro tem gasto cerca de 160 a 240 bilhões de reais por ano em juros, enquanto o povo agou cerca de 120 bilhões somente em spreads no ano passado. Se o Brasil quebrar o ciclo vicioso que o condena à escravatura(não esqueçam que os maiores financiadores dos atuais partidos são os bancos), não faltarão a ele os recursos para que possa finalmente estar preparado para o pior, e ainda assim o povo teria mais dinheiro se podendo até diminuir os impostos. Não seria difícil tornar a América do… Read more »

João Curitiba
João Curitiba
12 anos atrás

Caro Bonifácio

Mais um dado para complementar os seus dados: US 70 bi para serem gastos em 20 anos representam o orçamento das nossas FAs de apenas 4 anos.

Alexandre
Alexandre
12 anos atrás

Alguns comentários dão a impressão que se ganha uma guerra apenas com alguns meios de ataque mais ou menos modernos. A posição brasileira na América do Sul, em que pese as forças armadas estarem de fato precisando de atualização e amplicação é incomparável. Se os chilenos, que alias nao sao inimigos em potencial, muito ao contrário, são aliados nossos, possuem F-16 e nós nao, ou se tem Fragatas mais novas e nós não é uma contigência. O mesmo que ocorre com a Venezuela. Como já aconteceu com a Argentina. A capacidade de entrar e sair vitorioso de uma Guerra se… Read more »

Francisco AMX
Francisco AMX
12 anos atrás

Noel, vc é amigo sim! eu to aprendendo! rsrsrsrs Não entendi uma de suas colocações, sobre a reserva… se o aluno entra com 18, se forma com 22, e acho que conta o tempo de escola, mesmo não contando, ele teria direito a “aposentadoria” com 52 anos… mas como vc disse, se tu tens o direito de se aposentar, e fica mais tempo pq? promoção meu velho! mais din din! pq se tu ama a pátria que tens, não ficarás depois dos 50 anos… nada mais tens a dar que um jovem possa fazê-lo e de forma mais contundente, porém… Read more »

Noel
Noel
12 anos atrás

Bom Francisco, sua visão é totalmente pessoal, por partes novamente: 1) a maioria dos Oficiais, Graduados também, vão prá reserva nessa faixa mesmo, de 49 a 52 anos, e nem todos ficam por causa de promoção não, pois quando o cara é Cel, ele já sabe se tem ou não chance de ser promovido, e muitas vezes fica na ativa por N motivos pessoais, o principal, é não ter perspevtivas na vida civil; 2) quanto ao que cada um pode dar prá sua Força, em relação a um jovem Oficial, ai varia com função e “bagagem técnico-profissional”, e não apenas… Read more »

Sandro
Sandro
12 anos atrás

Bom voltando a falar nos plano da Australia, fiquei com inveja dos subs deles, muito superiores aos nossos futuros scorpenes, pq a MB não se espelha neles, sub nao nuclear nesse nivel e o sonho de consumo de qualquer marinha.

Últimas Notícias

O sistema de defesa aérea turco de curto alcance HİSAR-A

O sistema de defesa aérea de curto alcance HİSAR-A turco é montado em um ACV-30 derivado de M113. Carrega 4...
- Advertisement -
- Advertisement -