segunda-feira, dezembro 6, 2021

Saab RBS 70NG

EUA temiam invasão nazista no Brasil

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Para o pesquisador americano Frank McCann, a contribuição feita pelo Brasil ao esforço aliado durante a 2ª Guerra Mundial foi maior do que se imagina. As bases americanas instaladas em território brasileiro, afirma, foram fundamentais para os aliados na África, na ex-União Soviética e até na China durante o conflito, que poderia ter tido outra história se elas não existissem.

McCann lembra ainda que os Estados Unidos chegaram a temer que, assegurado o norte africano, os alemães atravessassem o Atlântico para invadir o Brasil, com apoio de revoltas das comunidades germânicas e italianas do Sul do país.

O pesquisador também relata que ocorreu, na 2ª Guerra, um choque de culturas, no qual os norte-americanos tiveram uma visão negativa dos brasileiros por causa da falta de condições de saúde dos soldados do Brasil.

Segundo ele, após o fim da Guerra Fria, e desde que foi superada a tensão que precedeu o rompimento, em 1977, do acordo militar de 1952, há mais respeito mútuo entre os dois países. “Havia alguma suspeita entre oficiais brasileiros de que os americanos estavam interessados demais na Amazônia”, disse McCann. A seguir, os principais trechos da entrevista concedida por ele ao Estado:

O senhor diz que o Brasil na 2ª Guerra foi um dos primeiros exemplos do uso de civis em projetos militares. Como isso ocorreu?

Eu estava me referindo à construção das bases aéreas. Os militares americanos não poderiam fazê-lo, então foram à Pan American Airways, cuja subsidiária Pan Air do Brasil foi encarregada de obter as terras, os trabalhadores, e organizar as construção. O contrato da Pan Am com o Exército dos EUA estabelecia que construiria bases de Miami a Natal e então, através da África, de Dacar à Somália. Quando a Europa estava sob domínio alemão, e os japoneses dominavam o Pacífico, essa rede abasteceu os britânicos no Norte da África, a União Soviética e até o crucial teatro da China, Burma e Índia. Sem as bases brasileiras, a Segunda Guerra Mundial teria tido uma história diferente.

Qual foi o peso que teve, para a entrada do Brasil na guerra, a Operação Pote de Ouro, invasão planejada do Nordeste por 100 mil americanos para garantir a área para as operações dos EUA?

Não acredito que tenha tido alguma influência na tomada de decisão. Franklin Delano Roosevelt e o Exército americano não desejavam combater brasileiros. Em vez disso, temiam que a Alemanha, após assegurar o norte da África, lançasse um ataque no Nordeste brasileiro e que as comunidades alemãs e italianas no Sul se revoltassem em apoio ao esforço alemão. A vitória alemã contra a França e o ataque aéreo à Grã-Bretanha assustaram todo mundo.

Houve um choque de culturas entre brasileiros e americanos na 2ª Guerra?

O Brasil deu aos americanos uma visão negativa do País. Grandes recursos, maravilhosa hospitalidade, mas uma população doente. Embora o intenso treinamento tenha irritado alguns oficiais brasileiros, não era diferente daquele aos quais os soldados americanos eram submetidos. A regra era simples, soldados subtreinados poderiam logo ser mortos. Minha impressão é que oficiais como Castello Branco logo entenderam que o contínuo treinamento era necessário.

Por que a FEB teve apenas 25 mil homens? O que faltou? Dinheiro?

Não, foi simplesmente uma questão de não ter homens jovens saudáveis em número suficiente. Um dos problemas foi que o processo decisório no Brasil era muito lento. As decisões certas foram tomadas muito tarde para tirar vantagens das oportunidades que passavam rapidamente. Se o Brasil tivesse estado pronto para enviar suas forças em 1943 como parte da campanha no Norte da África, mesmo que tivesse tido somente um par de divisões, seu status teria sido diferente.

Como ficou a relação Brasil-EUA na área militar após o fim da Guerra Fria?

Acho que há mais respeito mútuo. Havia alguma suspeita entre oficiais brasileiros de que os americanos estavam interessados demais na Amazônia. O Brasil negou permissão para pouso aos EUA em alguns campos em Roraima no fim dos anos 80, mesmo em missões humanitárias. E, com pelo menos um treinamento envolvendo paraquedistas brasileiros em Roraima, os EUA foram advertidos para que mantivessem distância. Recentemente, o Brasil lançou um extenso programa de compras militares. Comprou equipamentos da Rússia e da França.

Os americanos continuarão distantes ou Obama poderia mudar esse quadro?

Ouvi que o presidente Obama estava impressionado com o presidente Lula. Mas ficaria surpreso se ele tivesse uma ideia clara sobre o que o Brasil é hoje. Espero que ele venha logo e consiga ver muito do País. Como regra, os americanos têm poucas ideias concretas sobre o Brasil. Quanto mais Obama ver, melhor será.

FONTE: Estadão

- Advertisement -

36 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
36 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Muito interessante esta matéria,dai vemos quanto fomos importantes na 2°GM.Claro,tivemos problemas e tal mas o legado nunca se apagará.

“Sem as bases brasileiras, a Segunda Guerra Mundial teria tido uma história diferente.”

Mas é claro,afinal na época a marinha mercante brasileira tinha uma das maiores frotas mercantes do mundo,isto foi fundamental para nós e os aliados,lutaram por um mundo livre.

Clésio Luiz
Clésio Luiz
12 anos atrás

_,_

Noel
Noel
12 anos atrás

Invasão do Brasil??? Que isso seu pesquisador. O Brasil nunca fez parte desses riscos mirabolantes, coisa de teorias da conspiração, e a Kriegsmarine não tinha a menor capacidade prá isso. Nem a Africa fazia parte das prioridades alemães, era um TO italiano, que quebraram a cara, e foram socorridos pelos tedescos, e mesmo pros italianos, os objetivos eram o Suez e Aden. Esse papo do pesquisador é só prá massagear nosso ego, pois o transporte para apoio à China e Campanha no Leste europeu, nada tem a haver com as bases no NE brasileiro, e sim a Africa e a… Read more »

Gustavo
Gustavo
12 anos atrás

Os nazistas poderiam querer e talvez até pensassem em invadir o Brasil, mas ja teriam sofrido muitas baixas até terminarem de conquistar o norte da áfrica e não teriam efetivo e nem uma frota para isso.

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Noel

O Norte da África realmente não era prioridade dos nazistas,mas não deixa de ter sido importante,se os aliados tivessem perdido a batalha pelo Norte da África para os alemães,este ultimo poderia ter tomado Suez e outros territórios britânicos no Oriente médio,e os aliados não teriam base para nenhuma invasão para a Europa.

Portanto foi muito importante sim e saiba que nossa marinha mercante também contribuiu muito com matéria prima e outros recursos para abastecer as linhas de frente.

Abração.

AJS
AJS
12 anos atrás

Os protagonistas já há muito se foram, para negar ou confirmar os fatos.
Porém, é claro creio que para muitos, que se o governo brasileiro da época, negasse o fornecimento dos espaços pretendidos, os mesmos seriam ocupados em nome do mundo livre.
Foi bom o governo “permitir” a utilização do território, que seria concretizada com ou sem perda de vidas brasileiras.

Noel
Noel
12 anos atrás

Ulisses em 07 jun, 2009 às 21:43 Leia novamente o que escrevi: ” transporte para apoio à China e Campanha no Leste europeu, nada tem a haver com as bases no NE brasileiro, e sim a Africa e a Batalha do Atlântico.” Talvez vc não tenha interpretado bem o que escrevi, ou eu não me fiz claro. Pois foi exatamente a importância do Brasil, no apoio aos dois TO, Atlântico, primeiro, e Africa em segundo; e pq postei nessa ordem? Por que sem o domínio dos mares, não se chegaria tão facilmente a Africa. E isso foi alcansado com o… Read more »

VirtualXI
VirtualXI
12 anos atrás

E por esse feito o Brasil não recebeu nada. Aliás, oque recebeu já vendeu na época canalhista FHC (Votantes e Votados), portanto cada gota de sangue de cada brasileiro que serviu nesta guerra, que não era nossa, foi em vão. Não fomos reconhecidos como vencedores da guerra, não ganhamos algo a mais, um assento no conselho de segurança da ONU por exemplo. Fomos participantes e na verdade não tivemos o respeito que nos merecia após a guerra. E se ainda hoje perguntarem ao povo da Itália, na região onde o Brasil lutou, eles irão responder que quem os libertou dos… Read more »

Marcos T.
Marcos T.
12 anos atrás

Havia uma planos concretos de invasão sim, e os ermanos Argentinos faziam parte do plano, tanto que muitos nazistas que fugirão vieram se refugiar na Argentina e o exercito já estava sendo treinado por oficiais alemães.

Dalton
Dalton
12 anos atrás

Para quem acha que o Brasil nao ganhou nada com sua participaçao na guerra, sugiro pesquisar sobre o nascimento da Siderurgia nacional, sem falar na criaçao de portos aeroportos e estradas entre outras coisas. Os EUA surpreenderam-se com o atraso do Brasil quando aqui chegaram e antes que pudessemos servir de base na luta contra os nazistas muita infra estrutura precisou ser criada e que pudemos utilizar depois do fim do conflito. Nossa marinha mercante possuia sim um grande nr de navios, mas muitos eram de pequena tonelagem, nossa marinha mercante era de tamanho aproximado a da Grecia. A Italia… Read more »

massa
massa
12 anos atrás

O que vale numa Guerra é a determinação de seus soldados e uma liderança competente e capaz, vide os vietcongs contra os soldados ianques no Vietnã !

Quanto a II Guerra Mundial, vejam a campanha de Rommel no Norte da Africa, os alemães não contavam com suprimentos regulares, eram mal armados e alimentados, portanto não tinham muita saúde também, além de serem em menor número, mas deram um trabalho danado, quase venceram, se não fosse a burrice de Hitler os germanicos tinham ganhado a Guerra mesmo com recursos inferiores…

Dalton
Dalton
12 anos atrás

Massa, determinaçao e liderança capaz sao importantes, mas nao podemos desmerecer a industria. os soldados japoneses eram tao obstinados quanto os vietcongues, e foram batidos varias vezes, guadalcanal, tarawa, iwo jima e okinawa apenas para citar alguns exemplos por forças americanas bem treinadas e comandadas porém apoiadas por meios aereos e navais formidaveis. os vietcongues nunca venceram uma grande batalha, e eram apoiados pelo Vietna do Norte, que por sua vez contava com o apoio da URSS e China e isso impediu os EUA de agirem com mais força, sem falar que os EUA apoiavam um governo fraco e corrupto… Read more »

Felipe Cps
Felipe Cps
12 anos atrás

VirtualXI: Deixa de ser burro e falar asnice rapaz. Nada do que foi conquistado se perdeu. Vc sabia que o Brasil é o primeiro a falar na Assembléia Geral das Nações Unidas, sempre? TODOS OS OUTROS, INCLUSIVE OS ESTADOS UNIDOS, tem de esperar sua vez na fila, O BRASIL NÃO! O Brasil é o país cujo orador abre a Assembléia Geral, uma homenagem mais que justa dos países aliados à participação da FEB e da FAB na Segunda Guerra Mundial e uma conquista quase pessoal de nosso corpo diplomático. E se estás a falar da Vale do Rio Doce, saiba… Read more »

Bazooka
Bazooka
12 anos atrás

vi essa mesma materia no defesabr,mas tambem falando sobre a pissivel ocupação do territorio autriáco pelo brasileiros,depois da guerra,mas o brasil não aceitou,vejo o motivo no site http://defesabr.com/blog/index.php/07/06/2009/os-eua-e-o-grupo-bric-tem-divida-historica-com-o-brasil/

Marine
Marine
12 anos atrás

Dalton, Excelente comentario! Concordo com os que dizem que o Brasil fez o melhor que pode com o que dispunha na epoca, alias fizemos ate mais do que podiamos. Nao fomos protagonistas, fomos coadjuvantes mas nao ha nada do que sentir vergonha disso alias nao pode se esperar mais quando enviamos apenas uma divisao de infantaria leve treinada as pressas e equipada por outro pais. Discordo dos que afirmam que o pais nao conquistou nada, a India e Australia por exemplo pagaram preco muito maior do que nos e tambem nao possuem assento no CS so para citar um ponto… Read more »

AJS
AJS
12 anos atrás

Para uma situação melhor, teriamos que ter concordado em permanecer como força de ocupação ao fim das hostilidades, o que foi negado por nosso governo, a partir disso, todo o transporte foi retirado da FEB, pois as ordens eram para que só contasse com transporte a força de ocupação. Pelo acordado, deveriamos desembarcar em Dacar, mas a BBC em determinado ponto da viagem, anunciou a posição exata do navio transportando o 1º escalão e o navio teve seu destino alterado para Nápoles, base de um posto de ressuprimento do USArmy e não local para equipar uma divisão de infantaria, por… Read more »

Ulisses
Ulisses
12 anos atrás

Noel

Me desculpe,agora que eu vi,é…você está certo.

Sds.

Dalton
Dalton
12 anos atrás

AJS, nunca soube que o destino do primeiro escalao seria Dacar…de qualquer forma, todos os escaloes seguintes tinham como destino certo a Italia, onde encontrava-se o 5 exercito americano. Por que os escaloes seguintes nao foram enviados a Dacar se Napoles nao era adequada? O que a FEB faria em Dacar? Treinar por mais alguns meses antes de ser transportada para a Italia? Mais de 2 anos se passaram desde a declaraçao de guerra ao eixo até o envio do primeiro escalao. Sei que havia no inicio planos para empregar a FEB em açoes na retaguarda, talvez uma estada em… Read more »

Omega
Omega
12 anos atrás

Ate onde eu sei os EUA tinham sim um plano para invasao do Brasil pelo nordeste, vi documentarios sobre isso.
E putz, que na epoca so tinha doentes foi cruel.

estou se acentuacao pessoal, desculpem.

Marine
Marine
12 anos atrás

Pessoal, O que o historiador disse sobre a falta de saude do soldado brasileiro na epoca e verdade, o que ele quer dizer nao e que o povo brasileiro e por consequencia o soldado brasileiro era doente…Para quem nao sabe o nivel de “saude” para que um soldado seja enviado para fora do pais exigido pelas nacoes de “primeiro mundo” e altissimo. Umas das maiores causas para que o pais nao tivesse homens suficientes no nivel de tais nacoes era a saude dentaria e vacinacoes sem contar outras pequenas causas. So para se ter uma ideia, uma carie pode deixar… Read more »

Adrik
Adrik
12 anos atrás

Felipe CPS,

Só uma correção amigo, a Vale não é uma siderurgica (apesar de ser acionista de várias siderurgicas, e sim uma mineiradora. A maior mineiradora de ferro do mundo e a segunda maior mineiradora diversificada do mundo (perdendo somente para a BHP BILITON).

Concordo que a Vale só passou a ser uma empresa grande e competitiva quando foi privatizada. A burocracia e falta de controle de quando era uma empresa estatal causa saudades aos colegas de trabalho que não gostam da labuta, e sim do dinheiro fácil.

Abraços.

AJS
AJS
12 anos atrás

Caro Dalton.
Eu também desconhecia esses fatos que mencionei e muitos outros, até ler o livro “A verdade sobre a FEB”, de autoria do `Marechal Floriano de Lima Brayner, o qual por ocasião dos fatos, era Coronel, Chefe do Estado-Maior da FEB.
Um abraço.

Angelo Nicolaci
Angelo Nicolaci
12 anos atrás

Felipe cps Amigo, desculpe mas a esquerda tem varias alas, eu por exemplo defendo a privatização de alguns meios não estrategicos mas com supervisão direta do estado, como é feito na china, o governo te concede a estatal mas vc tem que honrar p pagamento devido da parcela dos lucros se houver divergencia o governo retoma e dá para outro administrar. E caro Felipe essa briga ideologica esta ultrapassada, o mundo esta multi-polarizado, a esquerda e a direita andam muito parecidas, não vê o caso do Brasil? Eu me considero um Neo-Comunista, apesar de ainda não ser considerado este termo… Read more »

Felipe Cps
Felipe Cps
12 anos atrás

Caro Angelo Nicolaci: Respeito a idéia do amigo, mas só pra constar não sou nem de esquerda nem de direita (aliás, no Brasil isso nem sequer existe – só existe esquerda clássica, esquerda nova e extrema-esquerda – todas igualmente populistas), mas sei reconhecer quando uma idéia é retrógrada, e as chamo genericamente de esquerdalha, termo que pode estar etimologicamente incorreto, talvez o mais correto fosse “atrasália”, ou algo do gênero. Esse termo aliás nem é meu, é de Reinaldo Azevedo, que o cunhou da mistura de “esquerda” com “canalha”. Em termos de Brasil me parece extremamente apropriado, na medida em… Read more »

Felipe Cps
Felipe Cps
12 anos atrás

Ângelo, pra não misturar assunto: A participação da FEB na Itália não foi decisiva em hipótese alguma. Foi uma participação prá lá de gloriosa, mas dizer que no meio de centenas de divisões uma única seria decisiva só porque era composta de brasileiros é messianismo, achar que somos o “povo escolhido por Deus” ou algo do gênero, idéia que me repugna na medida em que foi exatamente contra esse tipo de pensamento, de raça superior, que a FEB lutou. Por fim, dizer que os EUA iriam invadir o Nordeste é tão paranóico quanto dizer que nos anos 60 os americanos… Read more »

Noel
Noel
12 anos atrás

Angelo Nicolaci, pesquise mais sobre os TO da Africa e Mediterrâneo, que vc vai ver o peso que a FEB teve, já adianto, nenhum; procure saber das capacidades da Kriegsmarine e veras que era impossível fazer transporte marítimo no Atlântico para a Alemanha e a Itália.

Fernando Gonzales
Fernando Gonzales
12 anos atrás

Este Felipe Cps ta mais perdido que cusco em procissão. É Neo-comunista, depois não é de esquerda nem de direita…ta meio confuso. Se voce não é nada, do que dizem que é, nem do que voce mesmo pensa que é, ou acha que é, ou aind….puts!
Cara faz o seguinte, para de de criticar os outros e põe apenas a tua opinião ou então pergunte o que alguém quiz dizer com tal coisa…é muito mais amigavel as pessoas discutirem os assuntos, corrigindo o que foi dito ou tentando explicar o mal entendido.

Marine
Marine
12 anos atrás

Felipe Cps,

Perfeito seu ultimo comentario sobre a FEB e 2GM em geral!

Semper Fidelis!

Felipe Cps
Felipe Cps
12 anos atrás

Caro Fernando Gonzales, vamos fazer assim, pode ser? Da próxima vez eu desenho pra vc entender tá? Saudações.

Osório
Osório
12 anos atrás

Estou impressionado como pessoas sem nenhum conheicmento histórico podem opinar sobre assunto tão importante….
É preciso estudar e ver que a participação brasileira na II GG foi muito importante.As Forças Armadas, em particular o Exército, melhoraram muito sua instrução e adestramento. Mas ficou um grande legado para o País, sobretudo na parte psicossocial e econômica.
Saímos sem dívidas da guerra e também com uma participação maior no cenário internacional. Implementou-se um parque industrial significativo para a época.

lobo
lobo
12 anos atrás

VirtualXI, vai estudar moleque,dizer que o Brasil não ganhou nada com sua participação na 2guerra é muita falta de preparo e conhecimento, as matérias primas que iam a inglaterra,estados unidos e europa(não ocupada pela alemanha,como portugal e espanha) foram pagas com bonus de guerra, dolares que o Brasil acumulou ao final da guerra que poderiam ser gastos em obras de desenvolvimento e infraestrutra e foram gastas displicentemente pelo governo dutra importando aparelhos de tv,quando sequer havia alguma empresa que transmitisse no nosso pais, a tv tupi foi fundada em 1950 , mas já haviam milhares de tv em são paulo… Read more »

Igor Henrique
Igor Henrique
11 anos atrás

Noel Na verdade o Brasil poderia ter sido sim invadido pelos nazistas caso eles tivessem vencido no norte da África. Eles mesmos já haviam declarado guerra submarina contra o Brasil e também seria uma área estratégica para abastecer seus submarinos. E Ulisses Eles tinham prioridade no Norte da África, pois era uma região estratégica e com bastante petróleo. Além disso, se tivessem vencido a Batalha de El Alamein, iriam cercar o Oriente Médio através do Cáucaso( uma região onde detinha 90% do combustível soviético) e do Egito, podendo assim dominar os grandes poços de petróleo. E não acho que o… Read more »

Sukhoi
11 anos atrás

“Por que a FEB teve apenas 25 mil homens? O que faltou? Dinheiro?” Bem… os requisitos para ser um militante na guerra eram: *Ter mais de 60 quilos; *Ter mais de 1,60 m; *Ter pelo menos 26 dentes na boca; *Ser capaz de ler mapas e usar bússolas. O Brasil queria levar 100 mil homens à guerra, mas pra não levar esfarrapados, levou 25 mil. E ainda sim, estes 25 mil passaram necessidades. Eles tiveram problemas sérios com o inverno (até -20 ºC), tendo que recorrer aos norte americanos em busca de agasalhos para suportarem o gélido inverno… R: Faltou… Read more »

Sukhoi
11 anos atrás

E sobre a Alemanha invadir o Brasil, isso era sério.

Talvez se concretizaria se a Alemanha tivesse ganho a guerra (se Hitler não fosse tão NAZISTA – radical).

Talvez assim Hitler seria o 1º a ter uma bomba atômica.
Sim, porque os mentores intelectuais da bomba eram…

Isso mesmo!

E Hitler, como era louco e porta voz da mística Thule Gesselshaft… Jogaria uma dessas nos EUA… URSS… O mundo seria outro.

A vida nos prega peças, Hitler que o diga! rs

MINHA OPINIÃO
MINHA OPINIÃO
11 anos atrás

Em janeiro de 1942, época em que os EEUU fecharam o acordo com o Brasil para o estabelecimento de bases no nordeste brasileiro, a Alemanha já estava ocupada demais com a Rússia para pensar em invadir a América do Sul. Isso poderia ter ocorrido se a Alemanha vencesse na Rússia, na Europa e na África, e, e só então, tivesse que cruzar o Atlântico para dominar os EEUU. Mas se os EEUU tivessem levado avante a “Operação Pote de Ouro”, a invasão do nordeste brasileiro, aí sim, o rumo da guerra poderia ter mudado. E isso porque, embora o Brasil… Read more »

Henicka
Henicka
11 anos atrás

Boa noite a todos…vou entrar no debate. Getulio vargas, aliado preferencialmente aos nazistas antes das definições dos blocos principais,mas sofria pressão tanto alemã-italiana, quanto ao lado que apoiaria. …Filinto Muller, enviou policiais brasileiros para um “estágio” na Gestapo… Góes Monteiro, o chefe do Estado Maior do Exército…articipou de manobras do exército alemão e ameaçou romper com a Inglaterra quando os britânicos apreenderam o navio Siqueira Campos, que trazia ao Brasil armas compradas dos alemães. …No entanto, as pressões norte-americanas foram intensas, contaram com o apoio de outros países latino-americanos e utilizou-se de diversos mecanismos, desde aquele que foi considerado o… Read more »

Últimas Notícias

23° Esquadrão de Cavalaria de Selva recebe instrução sobre simulador da Viatura Blindada Guarani

Tucuruí (PA) – Entre os dias 23 e 24 de novembro, o 23° Esquadrão de Cavalaria de Selva (23...
- Advertisement -
- Advertisement -