segunda-feira, agosto 2, 2021

Saab RBS 70NG

Exército do Equador adquire segundo lote de utilitários Agrale Marruá

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Caxias do Sul (RS), 27 de agosto de 2009 – A Agrale, única fabricante de veículos de capital 100% nacional, fez a entrega, no final de agosto, de um novo lote de 12 unidades do Agrale Marruá para o Exército do Equador. Os veículos, do modelo AM20, serão utilizados pelas forças armadas daquele país. Esta é a segunda aquisição de utilitários da marca que o exército equatoriano realiza em menos de seis meses.

Desenvolvido no Brasil para atender às Forças Armadas nacionais, o Agrale Marruá tem sido vendido para exércitos de outros países, devido à sua versatilidade, robustez e baixo custo operacional. No início deste ano, a Agrale entregou outras 18 unidades do Marruá para o Exército do Equador, do modelo AM10-Rec.

Os Agrale Marruá AM20, vendidos para o Equador, são veículos de transporte de carga ou tropa. Equipados com banco auxiliares que permitem transportar até 8 passageiros na carroceria e 2 ocupantes na cabina. Possuem motorização diesel de 132 cv (Euro II), e PBT de 3.500 kg, com capacidade de carga de 750 kg, mais reboque militar de 750 kg, em qualquer terreno. Os modelos apresentam elevada robustez, velocidade máxima de 128 km/h (com velocidade mínima controlada de 4 km/h), fácil manutenção e autonomia de combustível de 900 km.

Produzido pela montadora na cidade de Caxias do Sul (RS), de acordo com as especificações das Forças Armadas, o Agrale Marruá conta com 100% de componentes nacionais. A Agrale também comercializa os Marruá desenvolvidos para uso civil em serviços severos como na mineração, manutenção de redes elétrica, serviços públicos e reflorestamento, entre outros.

FOTO: Mauro Martins

- Advertisement -

87 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
87 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Jonas Rafael
Jonas Rafael
11 anos atrás

O que salva a Agrale é que ela fabrica veículos pra uso civil e tem um mercado cativo nacional, uma fatia pequena, mas cativa. Mesmo que o Marruá não venda não vai ser o fim da empresa. Desde que não se meta a financiar sozinha o desenvolvimento de um Carro de Combate ela deve se dar bem..rsss.. O forte da Engesa era o mercado militar.

Lol
Lol
11 anos atrás

isso eh falta do apoio do governo e a roubalheira de dinheiro dos cofres públicos, assim estaremos usando aqueles jipes da 2 guerra daqui a ums 30 ou 40 anos!

DV
DV
11 anos atrás

Muito bom, muito bom mesmo. Se vieram comprar mais é porque o primeiro lote, com unidades de reconhecimento, agradou. É a alma da Engesa seguindo em frente.

Robson Br
Robson Br
11 anos atrás

Interessante: Tanto o Brasil como o Chile tem apoiado as FFAA equatorianas. O Chile por questões estratégicas, pois manteria uma segunda frente de tensão com o Peru e o Brasil é claro por rasões econômicas e também para manter a influência nesta região. O Mais interessante que os EEUU não vetaram a venda dos Super Tucanos da Embraer, pois tem bastantes componentes deles para a FAE.

Bruno Correia
Bruno Correia
11 anos atrás

O EB possui algum Marruá?

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

Bruno:

O EB tem várias versões das viaturas Marruá. Ainda anteontem aqui em Cps vi uma passar, da versão M2, pra uma exposição em comemoração ao Dia do Soldado.

Dê uma olhada nesse link, de 2006:

http://www.defesanet.com.br/afv/marrua_2.htm

Sds.

Mauricio R.
Mauricio R.
11 anos atrás

Sinceramente esse AM-10-Rec, a luz dos fatos no Iraque e no Afeganistão, não se sustenta.

Pode ser bão p/ levar a tuchurma a um churrasco no Torto, mas não serve p/ o campo de batalha assimétrico.

O MOD britânico foi declarado responsável cívil pelos soldados vitimas de IED, em viaturas Land Rover up-armored.

ProPatria
ProPatria
11 anos atrás

Olá pessoal

alguém sabe me dizer quantas unidades o Exército Brasileiro adquiriu e quantas unidades foram para a Marinha? Não vi até agora números exatos… mas já imagino que seja minguado como sempre são as compras militares nesse país… meia dúzia sempre.

Suiço
Suiço
11 anos atrás

Ô Maurício R,

Qual o seu “pobrema”, heim?
A dona Maria tá dormindo de calças jeans ultimamente?
Deixa de ser azedo, meu!

Caipira
Caipira
11 anos atrás

Se não me engano o motor do bixo é o MWM Sprint(similar da GM S10/Blazer e silverado, Nissan Frontier, Troller T4 entre outros) em qualquer esquina vc encontra peças de reposição, rsrsrsrs…
Bom demais ver fábricantes nacionais exportando equipamento militar.
Espero que produtos de alta tecnologia também passem a ser fabricados por aqui.

Jonas Rafael
Jonas Rafael
11 anos atrás

“O MOD britânico foi declarado responsável cívil pelos soldados vitimas de IED, em viaturas Land Rover up-armored.”
Caramba, logo, logo vai ser proibido morrer em guerras. Galera vai resolver tudo numa disputa de video game mesmo…

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

Concordo com o Jonas Rafael: infelizmente, por mais preparo e equipamento que se tenha pessoas MORREM, em conflitos. Faz parte do “negócio”.

Esse Marruá não é nenhum Humvee, mas já é melhor que nada; melhor que os jipinhos da WWII que até pouco tempo atrás a gente ainda via rodando no EB. Pelo menos é novo.

Sds.

Dell72
Dell72
11 anos atrás

Mauricio R.
não entendi tua colocação
se for parar pra pensar nem o mais forte dos “bunkers”
é seguro. em qualque guerra sempre estaremos sendo alvo
uma viatura como esta é operacional e muito boa no que ela se propoe

Tadeu
Tadeu
11 anos atrás

O Marruá é claramente inspirado no Jipe Engesa… De acordo com a fábrica, o Marruá atinge a velocidade máxima de 120 km/h e faz de 0 a 100 km/h em pouco mais de 14 seg. O câmbio utilizado no jipe é da marca Eaton de 5 marchas, caixa de transferência Agrale, as suspensões dianteira e traseira têm barras longitudinais oscilantes e barra transversal, molas helicoidais e amortecedores de dupla ação. Os eixos traseiro e dianteiro são fabricados pela Dana e o jipe conta com freio a disco na dianteira e a tambor na traseira. Sua direção é hidráulica. Com carroceria… Read more »

julio
julio
11 anos atrás

Fico feliz com a noticia, espero que haja mais encomendas interna e externas que permita a Agrale investir em novos projetos. Quanto ao apoio que o Governo Brasileiro esteja dando ao Equador, espero que seja tratado a fundo perdido, com dinheiro do BNDS e a conta fique com o trabalhor brasileiro.

julio
julio
11 anos atrás

correção: espero que não seja tratado a fundo perdido,

PR
PR
11 anos atrás

Que venha mas Marruá para as nossas Forças !!!
Que venha mas modelos de veículos !!!!
Tudo vai depender do Governo Federal em comprar e substituir todos os veículos pelos Agrale.

Abs.

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

Srs. Quem não deve estar gostando nada nada desta aproximação são meus amigos da Land Rover. Gostaria de ver uma exibição do Agrale em um campo de provas, grau de inclinação, capacidade de cruzar zonas alagadas etc. Não é só o custo de manutenção em si, fosse assim é melhor fazermos uma mega encomenda de UNO MILLE daí seria imbatível huahuaha. Mas agora falando sério, o motor citado é de que origem? É produção nacional sob licença? Na minha opinião os Land Rover, al concur, continuam bem a frente de qualquer outro veiculo da categoria, o que falta para é… Read more »

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

* hors concours é a grafia correta (ignorancia minha)

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

Srs. qual o custo de aquisição destes veículos para o Equador e para o Brasil? Pelo que pesquisei em termos de veculos civis os Agrale ficam na mesma faixa de preço dos LR. ou Toyota Bandeirantes (outro monstro do segmento). Claro estou considerando o uso para transporte sem blindagem.

Abs

Walderson
Walderson
11 anos atrás

Caraca, galera,

agora é a vez da Agrale. Se fabricamos, vem alguém e malha, se não fabricamos, falam que não damos conta de fabricar nem um jipinho. Se é tão ruim aqui no Brasil, a galera que só malha podia mudar. Vão pra um lugar que seja bom demais pra vcs.
Fala sério. Tem gente que á URUCA.

Fábio Max
Fábio Max
11 anos atrás

Indústria se desenvolve assim, de produtos mais simples para mais complexos de modo que devemos é nos orgulhar da Agrale que produz e exporta esses veículos, ao invés de malhar tudo o que é nacional. Mesmo com seus Hummvee extra-poderosos, ou seus lendários Land Rover, americanos e britânicos estão levando um suor no Afeganistão, até porque, não existe veículo nenhum 100% a prova de bombas e armamentos. Devemos é valorizar e entender que produtos nacionais assim, qualificam nossas FFAA. E se tem países que compram, é sinal de que não é patriotada dizer que tem qualidade. Quanto ao Equador, apesar… Read more »

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

Srs. quero lembrar que as missões dos Land nada tem haver com as cumpridas pelos Humvee, são veículos de simples transporte de tropa assim como os Marruá supra-citados, tanto que os mesmos tem suas respectivas versões civis. Em certos cenários a única alteranativa é o uso de blindados, mas daí é outra história. Também sou um patriota, o que quero ao instiga-los é mostrar que não basta ser nacional tem que ter qualidade, pra citar alguns exemplos nacionais podemos comparar os GURGEL como exemplo de produto que não decolou sem qualidade (embora tenha até fã clube) ao bem sucedido TROLLER,… Read more »

Fábio Max
Fábio Max
11 anos atrás

Bem…

..se o exército brasileiro adquiriu o produto, tenho que concluir que o testou antes, para as funções que operará. O EB já opera esse veículo, em pequenas quantidades, mas opera, e eu duvido que compraria porcaria apenas para agradar industriais brasileiros, pensar assim é fazer troça das FFAA daqui.

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

Sonic Wings: na minha família teve gente que comprou o tal Troller: posso lhe garantir por experiência própria que quem teve um não esquece jamais… mas nunca mais vai querer ter outro, rsrsrs…

Aliás, me lembro de certa feita estar voltando de Santos e ao meu lado, em plena Marginal Tietê, 3 da tarde, 90 km/h, um cara num Troller teve a grata surpresa de ver sua ponta de eixo (provavelmente) “quebrar” e a roda ficar “bamba” de uma hora pra outra, rsrsrs… Jamais esquecerei a cara de terror do cidadão, rsrsrs…

Abs.

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

Será que o Marruá tem as manhas?

Isso é que é jipe o resto…… é resto!

http://www.youtube.com/watch?v=N_JyynjA0XY&feature=PlayList&p=5C19450248C5E46C&playnext=1&playnext_from=PL&index=36

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

Felipe o que eu já vi este jipinho fazendo deixa muito D130 de queixo caído, acho que problemas assim acontecem com todo veiculo, não teve o maluco cantor sertanejo que conseguiu quebrar o eixo do Land em plena estrada reta? Coisa de louco, sei lá de onde o Troller que vc falou andou passando antes de chegar na marginal Tietê. Dê uma olhadinha no youtube tem muitos videos de 4X4 quebrando eixo huahuah.

Abs

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

Oi Felipe, olha só esta do Troller:

http://www.youtube.com/watch?v=7o7dlxdkuIA&feature=related

Com relação ao Marruá só achei este video promocional:

http://www.youtube.com/watch?v=1yyiAg8YvhE

Fábio Max
Fábio Max
11 anos atrás

A questão é a seguinte:

O EB adquiriu o veículo mediante uma lista prévia de requisitos?

João Curitiba
João Curitiba
11 anos atrás

O Marruá foi desenvolvido sob orientação das nossas FAs e por elas testado à exaustão.
O ponto principal da questão é que o Equador, fora aquele pequeno contratempo envolvendo a expulsão de uma construtora brasileira, continua se abastecendo aqui. Além do Marruá, tem ainda o Super Tucano. E acredito que outras compras virão.

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

João,

Este é o mercado que a Agrale está mirando, países economicamente menos favorecidos (hehe) que necessitem de um equipamento de manutenção mais barata.

Um mercado muito bom, acho que terao boas vendas na America Latina.

Abs

João Curitiba
João Curitiba
11 anos atrás

Caro sonic wings

A África também tem o mesmo perfil de mercado que você traçou.

Abraços

Ramir
Ramir
11 anos atrás

Oriente Médio tb.

sonic wings
sonic wings
11 anos atrás

João, Ramur.

A pricipio não listei estas duas regiões por ainda desconhecer a capacidade de captação da fabrica gaucha. Vcs tem alguma info a respeito?

Abs

DV
DV
11 anos atrás

Só duas questões. É uma viatura de transporte geral, não um veículo tático blindado. Não é para fazer patrulha nos piores bairros do Haiti. Por outro lado, para transportar tropa, posicionar um morteiro ou canhão ou ainda buscar mantimentos não precisa de Urutu III. É preciso entender a missão de cada equipamento antes de criticar. Burros foram os americanos de usar o Humvee para o que ele não servia. A Agrale se aliou à Inbrafiltro para produzir um blindado leve. Aí sim a missão será tomar tiro. Ponto dois, sou um grande fã de Land Rover. Gastei tudo o que… Read more »

Ever
Ever
11 anos atrás

Bon dia senhores. Trabalho na Agrale e quero prestar alguns esclarecimentos (breves) 1° Não há nenhuma previsão ou até mesmo comentários, sobre a Agrale ser vendida, até porque o Marruá é apenas um dos produtos fabricados pela empresa, que vão desde chassis para onibus, passando por caminhões (que diga-se de passagem as forças armadas compram seguidamente de nós) até tratores agrícolas. 2° Pra quem é defensor do Land rover, quero lembrar que tanto o Marruá quanto o Land foram exaustivamente testados nas mais diversas situações, por 4 anos para ser mais preciso, e o vencedor foi o Marruá. Um detalhe… Read more »

MarcosT
MarcosT
11 anos atrás

Acho o Marruá, muito bonito e robusto, más por se tratar de um veículo militar deveria ter blindagem mínima nem que fosse pra aguentar tiro de 38 somente, pouco más já é alguma coisa. Acho um erro pensar que o EB deve comprar veículos demasiadamente especializados para somente algumas funções, sou mais de veículos multi emprego.(já pensou se a padaria for na favela da Rocinha) Se existe uma opção blindada, por que não comprar essa, afinal se o EB não tem nenhuma nem outra dificilmente poderá ter as duas. E desculpa discordar de alguns aqui, más veículo militar é pra… Read more »

Monte
Monte
11 anos atrás

Os amigos aqui acham que qualquer vtr por ser do Exército deve ser blindada! Mas não é assim q funciona, o Marrua é uma vtr de transporte não especializada, pensada e desenvolvida para o combate convencional. Suas funções são entre outras o transporte de pessoal, material, reboque de morteiros, obuseiros leves e cisternas, viatura rádio, reconhecimento de ponto e de eixo e apoio de fogo quando equipado com metralhadora MAG(versão Rec).
Abraços!
“Saltar, Lutar, Vencer”

PróPatria
PróPatria
11 anos atrás

Alguem por favor pode me dizer quantas unidades foram adquiridas pelo EB e pela Marinha ???????

Harry
Harry
11 anos atrás

Caro temos todo o direito de discordar do exercito e achar que temos que ter veículos blindados Beberões mesmo que seja para transporte em ajuda de catastrofes, para o general dar volta de inspecao nas bases, para trabalhos humanitários, etc…

Mais burro é o exercito americano que tá comprando até carro eletrico He, He…

Abs

Leigo
Leigo
11 anos atrás

sonic wings …

Esse video que vc postou é impressionante hehehe … Detalhe para o limpador de parabrisas ligado debaixo d’água hahaha.

Cor Tau
Cor Tau
11 anos atrás

O caminho é esse…A mentalidade~postura~atitude é essa……Desenvolver produtos simples mas de qualidade….Baratos…….Mas que dão conta do recado…………….A maior arma que nós mais pobres temos…É o conhecimento….A sabedoria….A simplicidade e a humildade….Ninguém pode nos tirar estas virtudes…………..Semeia um pensamento e colherás um desejo…..Semeia um desejo e colherás a ação….Semeia a ação e colherás um hábito…Semeia o hábito e colherás o caráter…Torna O Simples Complicado É Fácil Tornar O Complicado Simples É Sabedoria……..Simplicidade é a sofisticação máxima……..No caráter..Na conduta…No estilo…Em todas as coisas….A simplicidade é a suprema virtude…….

http://www.youtube.com/watch?v=OElfnhcATZ8

Cor Tau
Cor Tau
11 anos atrás

Talvez blindagem em baixo para minas……..

MarcosT
MarcosT
11 anos atrás

Monte
O problema é que não existe mais guerra “Convencional”.

Harry
Volto a repetir, se é pra dar volta compra um Uno Mille, mais rápido, mais confortável, mais barato, mais discreto, etc.
Se o terreno for ruim compra uma Palio adventure Lock que até “ar condicionado” tem.

O que eu peço é o mínimo de proteção, será que é pedir demais?

DV
DV
11 anos atrás

MarcosT,

Um mínimo de proteção razoável teria de ser, pelo menos, blindagem contra 5,65mm. Mas aí, já vira um Panhard. Lembro que até a blindagem do velho Urutu foi atravessada por 7,62mm anti-armor no Haiti.

Qualquer guerra, convencional ou não, precisa de logística e retaguarda. E é aí que entra a viatura de uso geral.

Além disso, dizer que não existe mais guerra convencional é uma afirmação muito ousada.

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

Marcos T: não entendo sua crítica. Viaturas de uso geral não são para ir pra frente de combate. Meu caro, o EB executa muito mais tarefas do que apenas ir “pro pau”. Tarefas de vigilância noturna, por exemplo, que não podem ser feitas numa VBTP (por causa do óbvio barulho). Mas ainda que não fosse, me diga como é que você vai levar um morteiro 4.2 até a Z Ap, numa marcha para o combate? Vai matar de estafa e ocupar um GC inteiro? Vai usar um caminhão 2,5 ton? Ou vai ter de utilizar um VBTP pra isso, que… Read more »

MarcosT
MarcosT
11 anos atrás

O ponto é que na guerra assimétrica não existe frente de combate, fato que os americanos descobriram a duras penas no Iraque.
Não quero dizer que precissamos de “tanques” fazendo serviço de logistica más uma proteção mínima seria bem vinda.
O Marruá do jeito que está, até tiro de 38 bota fora de combate.

Dalton
Dalton
11 anos atrás

Felipe CPS…

adicionando ao seu comentario…”muitos analistas (inclusive alguns alemães) acham que o que ganhou a guerra pros EUA foi a resistência e versatilidade dos caminhões de 2,5 ton e dos jipinhos.”

milhares de caminhoes e “jipinhos” americanos foram enviados a URSS atraves do “lend lease bill” e foram vitais para transportar tropas sovieticas e suprimentos ao front, devido ao estado lamentavel das estradas russas.

sds

sds

Francoorp
Francoorp
11 anos atrás

Gostei desta unidade, esperamos que o EB compre muitas e nao deixe acontecer como o Guarà da Avibras, zero encomendas!

Felipe Cps
Felipe Cps
11 anos atrás

Marcos T: Pra guerra assimétrica (prefiro ainda chamar pelo nome antigo: guerrilha), seja ela urbana ou rural, sabe qual o meio de transporte mais eficaz? HELICÓPTEROS! São mais rápidos, mais móveis, permitem à tropa atacar e retrair em três dimensões, com velocidade, brutalidade, apoio de fogo e logístico e efeito surpresa (os objetivos principais de qualquer operação contraguerrilha), e ainda contam com alguma blindagem. Não Blindados, que são alvos fáceis para um inimigo com conhecimento do terreno e extrema mobilidade bidimensional, além de armado com armas leves anti-carro. No mais, o Marruá não é pra “tomar tiro” e sim pra… Read more »

Últimas Notícias

Rússia e China realizarão treinamento conjunto no exercício Zapad/Interaction 2021

A Rússia deve se juntar a um exercício militar no noroeste da China em agosto com o tema de...
- Advertisement -
- Advertisement -