Home Engenharia Força de Defesa de Israel terá mais um batalhão de engenharia

Força de Defesa de Israel terá mais um batalhão de engenharia

438
20

Puma

O Quartel General do Exército da Israel Defence Force (IDF) determinou o estabelecimento de um quarto batalhão de engenharia e a expansão das capacidades de desativação de explosivos, visando o preparo para futuros conflitos no Líbano e Faixa da Gaza.

O Corpo de Engenheiros de Combate teve participação fundamental entre dezembro de 2008 e janeiro de 2009, contra o Hamas na Faixa de Gaza.

É creditado a eles o salvamento de muitas vidas de soldados israelenses, através da descoberta e remoção de de IEDs (improvised explosive devices) plantados pelo Hamas, bem como a eliminação de túneis-armadilhas.

O Corpo será atualizado também com um novo APC (armoured personnel carrier), que é baseado num chassis de Centurion sem torre.

20
Deixe um comentário

avatar
20 Comment threads
0 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
12 Comment authors
Floresteirolucas lasotaKEmsytMarineIvan Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Francoorp
Visitante
Francoorp

Muito bem, pois assim terão mais eficiência em derrubar as casas dos palestinos para construir en cima as novas colônias hebraicas!! Agora a capacidade militar logística de Israel vai aumentar consideravelmente, abrindo novas estradas, bases militares e insediamentos nos territórios ocupados… muito justo isso, justíssimo!! Quero ver quando a palestina tiver acapacidade de se defender destas agressões como é que vai ficar a coisa, os grandes do Oriente Médio deveriam é aumentar o fornecimento de armas para a Palestina, pois eles têm todo o direito de se defender das agressões judaicas, de igual pra igual, mas não têem aviões ,… Read more »

lc
Visitante

É evidente que Israel, mesmo possuindo equipamentos militares no estado da arte, não descarta seu material mais antigo. A quantidade de veículos modernizados e aproveitados em outras funções é grande.
Acho que o EB deveria estudar alternativas para nossos veículos mais antigos, M41-C por exemplo, e aproveitá-los ao invés de simplesmente descartá-los.

Sds.

Francoorp
Visitante
Francoorp

Postei a coisa como vejo, este novo IDF será sem dúvida usado na infinita guerra entre os Palestinos, isso é cristalino, é um fato! Fui além somente para mostrar o uso prático de uma unidade de engenharia, construção de estradas, pontes, casas para colonos, etc… mas sem deixar de mostrar como tudo isso pode ser usado contra o inimigo deles, os Palestinos. Seria parcial pra mim falar de um e não do outro quando estes estão em guerra. Falei dos dois lados e do uso prático de um batalhão de engenharia em zona de guerra… não é so para as… Read more »

lc
Visitante

Peço licença pra viajar um pouquinho.hehehe.
Imagino um M41 com torreta não tripulada, canhão 20 ou 30mmm, MAG coaxial, os devidos optrônicos, lançador para um míssil AC e blindagem reativa. Acho que daria um bom veículo de apoio para nossos M113, mesmo não sendo anfíbio, ou quem sabe um otimizado para combate urbano.
Modelos no mercado existem, basta seguir o exemplo israelense ou versões atualizadas de veículos russos.

Sds.

Francoorp
Visitante
Francoorp

lc em 25 mar, 2010 às 19:25

Mas aí ja vira infantaria, nada haver com a engenharia!

Valeu!!

lc
Visitante

Francoorp,

Tá certo, eu sei disso. Viajei demais.hehe.
Esqueci da versão de engenharia e do carro para limpeza de campos minados.

Sds.

Galileu
Visitante
Galileu

Mais um……eles tem vários, para varrer as casas dos palestinos.

Quanto ao assunto do descarte.
Pelo amor de Deus pessoal m41, m113, fal ou seja nosso EB é peça de museu, guarda alguns num museu e o resto derrete ou sei lá o que se faz com lixo militar, alguns acabam indo pro fero velho da cidade.

Felipe Cps
Visitante
Felipe Cps

Cala a boca Francoorp. Pô, tem hora que tu é muito chato…

lc
Visitante

Galileu,

E o Centurion, o T-55, o BMP-2? Não são peças de museu?
Qtos M-113 ainda estão operantes no mundo?
Faça uma pesquisa e veja no que eles se transformaram nas mãos de gente com experiência real de combate.
Será que as IDF não têm dinheiro ou são geridas por curadores de museu?

Sds.

Francoorp
Visitante
Francoorp

Felipe Cps em 25 mar, 2010 às 20:14

“Cala a boca Francoorp. Pô, tem hora que tu é muito chato…”

Vem fazer UAI!!!

Danilo Brasil
Visitante

Atençao Galante e amigos do blog acabei de ver uma notícia no site http://www.defesabrasil.com,intitulada Cartada Nuclear na qual diz que o governo brasileiro reconhece que foi um grande erro o fhc ter assinado o tnp de armas nucleres e que o governo nao tem mais interesse em continuar no tratado,resultado da pressao dos militares e especialistas em defesa,e que o Brasil já domina todo o ciclo nuclear,inclusive para a produçao de bombas nucleraes e ainda nao fez porque a constituiçao nao permite,vamos lá Comandante Galente,poderia postar aqui para o pessoal comentar.Valeu.

Julio
Visitante
Julio

lc
“E o Centurion, o T-55, o BMP-2? Não são peças de museu?
Qtos M-113 ainda estão operantes no mundo?
Faça uma pesquisa e veja no que eles se transformaram nas mãos de gente com experiência real de combate.”

execelente colocação e se me permite complementar…alem da experiencia real de combate eles tem dinheiro. Sds

Ivan
Visitante
Ivan

lc em 25 mar, 2010 às 19:07 LC, Vc tem toda a razão. Usar viaturas e/ou blindados antigos em outras missões diferentes das originalmente planejadas existe desde a Segunda Guerra Mundial, quando os ingleses aproveitaram os Matildas e Churchill como veículos de combate de engenharia, ou os Sherman Malhadores com correntes giratórias para explodir minas a frente do tanque, ou os Kangoos australianos para transporte de tropas. Todos os países reutilizam seus veículos em outras funções, quando não os repassam, como os ingleses com Chieftain e Chalengers I para a Jordânia e os alemães com Leopards I e II para… Read more »

lc
Visitante

Ivan,

Bem lembrado, já tinha me esquecido da série X-1. Carcará 90mm, lança pontes, 4x.50 Browning AAe, XLF-40 e por aí vai.
Concordo com vc, se não há possibilidade de elevar os Leo 1A1 para o padrão A5, deveríamos aproveitá-los para outras funções.
Parto do princípio que material bélico, se houver a possibilidade de reaproveitamento não deve ser desperdiçado. Principalmente se vc vive em estado de beligerancia (Israel), ou eternamente sem recursos, o nosso caso.
Pode ter certeza que eu gostaria que vc expusesse suas idéias.

Sds.

Marine
Membro
Member

E comum em varios paises o uso de veiculos e meios antigos em posicoes de segundo escalao como veiculos ambulancia e rebocadores so para citar alguns exemplos. Devemos lembrar que nao e todo veiculo que deve ou foi projetado para estar na linha de frente ainda mais em uma guerra blindada convencional. O problema e que apesar do veiculo, da “carroceria” ser velha ainda ha necessario dinheiro para modifica-la em sua funcao de segundo escalao. Agora em um apais que nao tem dinheiro nem pra pagar o rancho da tropa falta verba ate pra modernizar M-41 e M-113 como ambulancias… Read more »

KEmsyt
Visitante
KEmsyt

nao sei se tem a ver com o assunto, mas ja que falaram de blindados, uma duvida? existem blindados brasileiros nas fronteiras, em postos avançados?

lucas lasota
Visitante
lucas lasota

O marine tem razao. A modificacao dos antigos vetores para o segundo escalao requer muito dinheiro e uma necessidade bem explicita para mover os coracoes dos comandantes. Ja encontramos na internet analise da transformacao dos m-41 em transporte pesado de tropas. Entretanto vejamos: os tratores, bem como as patrolas e outros veiculos de apoio israelenses sao todos blindados, parecendo, muita das vezes, uns MRAP…rs No brasil dificilmente se vera um daqueles, porque nao ha necessidade. A conversao dos blindados antigos tambem e vista da mesma maneira, apesar de ser algo que vejo com bons olhos ate mesmo para a industria… Read more »

Floresteiro
Visitante
Floresteiro

Acho q vou ser o únuco a dar razão ao Francoorp.
Como não entrar no tema da utilidade deste novo batalhão.
Por acaso vai servir pra q então??