sábado, outubro 23, 2021

Saab RBS 70NG

Acordo nuclear para o Irã: comentário em destaque

Destaques

Fernando "Nunão" De Martini
Pesquisador de História da Ciência, Técnica e Tecnologia, membro do corpo editorial da revista Forças de Defesa e sites Poder Aéreo, Poder Naval e Forças Terrestres

complexos em Arak, no Irã, e Kushab, no Paquistão - imagem Global Security

Reproduzimos aqui o comentário da leitora Elizabeth, enviado em 18/05/2010, às 2:30, na matéria “Israel diz que Irã enganou Brasil e Turquia“. Uma análise que coloca em perspectiva aspectos técnicos, políticos e estratégicos muito interessantes a respeito do acordo de troca de material nuclear para o Irã, costurado pela diplomacia brasileira e turca.

“Deixa-me rapidamente explicar a questão da “bomba iraniana”, um assunto complexo altamente resumido.

Para você ter uma bomba atômica é necessário dois tipos de combustível. Urânio acima de 90% ou Plutônio.

Enriquecer Urânio a 90% é caríssimo e demora, foi utilizado no projeto Manhattan como pulverização de risco, não se sabia ao certo se uma bomba de plutônio com a tecnológica da época seria possível nem se urânio a 90% seria viável, então se tentou as duas coisas e ambas deram certo, gerando duas bombas tecnicamente distintas, Fat Man (plutônio) e Litlle Boy (Urânio).

Desde os anos 50, o caminho pelo qual quase todas as bombas atômicas são feitas é pelo uso de plutônio. Para obter este combustível você coloca urânio e um reator e dentro de algum tempo ele produz plutônio.

A questão é que tipo de Urânio você precisa colocar em função do modelo de reator.

Reatores água leve pressurizada: Coloca-se urânio enriquecido.

Reatores água pesada ou grafite: Coloca-se urânio natural (sem enriquecimento).

Os engenheiros iranianos assim como seus colegas do projeto Manhattan sabem que tem muitos desafios técnicos proporcionais a sua tecnologia disponível, então decidiram partir por dois caminhos diferentes.

Caminho 1. O urânio é retirado de três minas na região central do país e levado a uma localidade chamada Ardacam, lá é purificado e gerado o Yellow Cake, depois em Fasa é feita a conversão para hexafluoreto de urânio que é enriquecido em Ramandeh. Este urânio volta para Fasa onde são montados os conjuntos de combustível e estes irão abastecer a usina de Bushehr. Esta usina esta em operação inicial desde o ano passado.

Este é um caminho muito análogo ao Brasileiro deste a mineração a usina o processo é eminentemente civil. O único jeito de construir uma bomba por este caminho é retirar plutônio da usina de Bushehr que é fiscalizada pelos russos e nem mesmo os EUA tem desconfianças quando a honestidade russa neste processo.

Caminho 2. Este é o caminho da bomba iraniana. O caminho do urânio é o mesmo desde as minas na região central até a conversão em Yellow Cake em Ardacam. Porem em Arak, próximo a Teerã há a um reator de água pesada sendo construído, este tipo de reator utiliza urânio natural (que não passa por enriquecimento e portando por controle de nenhum país externo), utiliza água pesada que é fabricada em Kondabh (também próximo a Teerã), ao fabricar água pesada o Ira não precisa de negociar com exportadores deste tipo de insumo da industria nuclear como Argentina e Canadá.

O reator presente em Arak tem algumas características digamos “suspeitas”,

O primeiro é a sua pequena potencia. Ele tem 40MW de potencia térmica o que dá menos de 5MW de potencia útil, se fosse utilizado para gerar eletricidade forneceria o suficiente para uma cidade de apenas 40.000 habitantes.

O segundo é a utilização de urânio natural, por ser moderado a água pesada (livre portando dos percalços políticos e tecnológicos associados ao enriquecimento de urânio).

O terceiro é a sua proximidade com Teerã, um local com pouca estabilidade sísmica (onde normalmente não se constrói reatores por motivos óbvios), mas que é mais facilmente defendido de um ataque aéreo pela proximidade com a capital. O reator de Bushehr por exemplo, esta a 1300Km de Teerã, as margens do golfo não é um lugar fácil de ser atingido por um inimigo, mas é construído em um dos únicos lugares sismicamente estáveis do Irã, por ser um reator comercial não é um algo militar legítimo.

O atual acordo de troca de urânio enriquecido em solo turco muda algo no “caminho da bomba”, na pratica não porque ele esta associado ao “caminho 1” onde os fins são a usina de Bushehr que tem a Rússia como fiadora e utilizações médicas e cientificas de material nuclear enriquecido.

Já o caminho 2, aquele que passa pelo reator de Arak este em nada é afetado, porque como vimos este tipo de reator opera com urânio natural.

EUA e Rússia sabem disto, que esta ofensiva diplomática brasileira dá ao Irã um credito político junto a comunidade internacional, porque afinal de contas o “Irã cedeu” em alguma coisa.

Cedeu porem em um aspecto que nada influencia seu “caminho da bomba”. E tenham certeza esta pirotecnia diplomática brasileira em muito irritou aos países que defendem sanções ao Irã, porque em nada impede o Irã de seguir o caminho da bomba.

Em muito ajuda ganhar tempo ao governo de Teerã.

Porque EUA e Rússia não criticam o Brasil abertamente? Em um primeiro momento para não parecer que estão com dor de cotovelo diplomático, até porque não estão; o que Lula fez foi ajudar Mahmoud Ahmadinejad a parecer mais “flexivel” perante o mundo enquanto seu plano da bomba continua inalterado.

O reator de Arak fica pronto daqui a 12 meses bem como a fabricação de água pesada em Kondabh. Estes são os alvos mais estratégicos para um ataque contra o Irã.

Até 2015 haverá plutônio suficiente para a produção das primeiras ogivas. A bomba atômica do Irã esta com seu make-up de engenharia pronto, falta o combustível e o iniciador de nêutrons.

Informações da Casa Branca, tendenciosas como aquelas produzidas contra o Iraque em 2003?

Não, isto são dados da inteligência russa, país que mais coopera com o Irã hoje em programas nucleares civis, mas que tem colocado mais energia política e diplomática nos últimos 5 anos para evitar um Irã nuclear.

Sabedoria política que sobra em Moscou, mas que falta em Brasília.”

Elizabeth

IMAGEM (complexos em Arak, no Irã, e Kushab, no Paquistão): Global Security

Obs – a imagem foi escolhida pela editoria do Blog, não pela autora do comentário.

- Advertisement -

123 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
123 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ivan
Ivan
11 anos atrás

Elizabeth

Parabéns pela abordagem técnica, mas de forma simples, que tem escapado a tantos analistas de plantão.

Grato,
Ivan, do Recife.

Leandro RQ
Leandro RQ
11 anos atrás

Mais uma vez elogio a “AULA” que a Elisabeth deu sobre a questão iraniana.

É um privilégio ter gente do nível dela por aqui.

Vader
Vader
11 anos atrás

Como já disse, perfeito comentário.

Vader
Vader
11 anos atrás

PS: cadê o “Ilha”, que detesta que mulher fale sobre assuntos de defesa? 🙂

NOTA DOS EDITORES:
VADER,
O REFERIDO LEITOR TEVE SEUS COMENTÁRIOS BLOQUEADOS (NOS TRÊS BLOGS) POR PROSSEGUIR NA ATITUDE DE DIRIGIR PALAVRAS OFENSIVAS AOS DEMAIS LEITORES, MESMO APÓS SER AVISADO MAIS DE UMA VEZ.
APROVEITAMOS ESTA RESPOSTA PARA, MAIS UMA VEZ, ALERTAR AOS DEMAIS LEITORES SOBRE A NECESSIDADE DE SE RESPEITAR AS REGRAS DE BOA EDUCAÇÃO DOS BLOGS.

The_mal_voltou
The_mal_voltou
11 anos atrás

comentário perfeito, na verdade não parece um simples “pitaco”, mas sim uma matéria digna de capa.
parabens Elizabeth.

Tito
Tito
11 anos atrás

Realmente um dos melhores comentários que já vi aqui no Blog, e olha que no geral o nível é bem alto.

Parabéns mais uma vez. 🙂

Floresteiro
Floresteiro
11 anos atrás

hehe
Um pouco mais de explicação e eu faria uma.

Wilhelm Canaris
Wilhelm Canaris
11 anos atrás

Parabens à Elizabeth! É um belo texto que nos esclarece muito.
Gostaria de colocar a questão por outro anglo… seria o Paquistão mais confiavel que o Irã? Lembramos que a tecnologia da Coreia do Norte foi passada pelo Paquistão se não me engano. A questão é: O Paquistão já é uma nação com a bomba, o Irã não (talvez daqui a 5 anos), não seria o caso, dado a diversidade de etnias no Paquistão, promover tambem sanções contra o regime Paquistanes?

Vader
Vader
11 anos atrás

Wilhelm Canaris disse:
18 de maio de 2010 às 17:08

Só para constar 1: tanto Paquistão quanto Índia sofreram décadas de sanções por seus programas nucleares.

Só para constar 2: a bomba norte-coreana é uma salada de frutas de tecnologia, mas principalmente chinesa.

Sds.

Nick
Nick
11 anos atrás

Parabéns à Elizabeth,

Esse post foi o mais elucidativo que já li sobre Irã/BombaNuclear.

[]’s

nod_br
nod_br
11 anos atrás

Wilhelm Canaris, a diferença entre o Paquistão e o Iran é que o 1º é aliado dos EUA, e o 2º não. é meio engraçado criticar a situação política do Ira quando a situação paquistanesa está uma zona.

[]´s

Pedro
Pedro
11 anos atrás

Agora sim entendi, o que o Irã anda fazendo, e o medo de Israeleo mundo para com eles.

Abraços e ótimo comentário da senhorita.

Wilhelm Canaris
Wilhelm Canaris
11 anos atrás

Vader disse:
18 de maio de 2010 às 17:16

Acabou as sanções? Não entendo mais nada, e pelo que sei, até um acordo nuclear foi assinado ente os EUA e a India.
Para serem coerentes, acho que os EUA deveriam tambem exigir que Israel assina a TNP e seu protocolo adicional (aquele que querem impor ao Brasil) e desativar todos os artefatos nucleares de Israel. Acho que só assim teriam moral com relação ao Irã.
no mais acho que a diplomacia da paz venceu!!

dranuits
dranuits
11 anos atrás

Perfeita a aula da Elizabeth, mas me veio uma dúvida, as fotos são dos reatores Iraniano e Paquistanês, muito parecidos, a tecnologia do reator de água pesada é Paquistanesa, Russa ou é do próprio Irã ??

NOTA DOS EDITORES:
DRANUITS, SÓ PARA DEIXAR CLARO, A FOTO É UMA ESCOLHA DA EDIÇÃO DO BLOG, NÃO DA AUTORA DO TEXTO.
MAS, DE QUALQUER FORMA, A DÚVIDA É PERTINENTE, E AGUARDAREMOS A RESPOSTA DA AUTORA.

Leandro RQ
Leandro RQ
11 anos atrás

O USA pagam quantias altíssimas aos generais que comandam o Exército do Paquistanês para eles se manterem dentro da doutrina pregada por Washington.

Basta procurar na internet que encontramos várias matérias citando a corrupção do alto comando das FAs do Paquistão, sempre citando os yankees como os corruptores.

Paulo Cezar
11 anos atrás

O reator de Arak esta sujeito a fiscalização da AIEA assim como o ja existente.

Marcelo Tadeu
Marcelo Tadeu
11 anos atrás

Espetacular o seu comentário, Elizabeth,

claro, objetivo e muito informativo. Estou até preocupado. Na última edição da Revista Força Aérea, saiu uma reportagem sobre o ataque de Israel contra a usina de enriquecimento de urânio da Síria, em 2007. Foram usados 5 aviões F-15I, a versão israelense do F-15E Strike Eagle. Acho que até o fim deste ano ou no próximo, Israel vai atacar este reator em construção, infelizmente… ou não! Estou preocupado com a escalada da violência que isto vai gerar no já conturbado Oriente Médio.

Paulo Cezar
11 anos atrás

“Wilhelm Canaris”

O Paquistão é aliado dos EUA, e por carona, de Israel. Portanto não sofrerão sanções.

FighterSkilll
FighterSkilll
11 anos atrás

Elizabeth Vou dizer para vc oque eu acho…sei que vc com sua incrivel intelectualidade deve estar pouco interessada. 1- Vc é no minimo (……………………….) 2- Não vi…em nenhuma linha escrita por vc…sobre as armas atomicas dos EUA e outros. 3- Não vi e nem li vc mensionar a retirada total das amas atomicas das potencias. Resumindo…pois estou sem saco para seu artigo: Vc é no minimo (……………………..) …enxergue alem do quadrado querida. Alias se é que vc existe mesmo…deve ser fake…ou de algum partido com dor de cotovelo em (…………….) Isto faz com que a Elite branca e especuladora brasileira… Read more »

Paulo Cezar
11 anos atrás

E digo mais, se a história real fosse realmente essa da Elizabeth, o Irã ja teria escapado de sanções a muito tempo , pois o conselho de segurança apenas esta pedindo que ele pare de enriquecer urânio. Como o plano é outro, não haveria dificuldades para o Irã de atender ao conselho.

Contudo, porém , todavia, o Irã briga para continuar a enriquecer urânio, que é a melhor maneira de utilizar a radiação para fins pacificos, como na medicina por exemplo.

FighterSkilll
FighterSkilll
11 anos atrás

Pior é ver um monte de bobão ler e aplaudir uma pessoa que sequer talvez exista. Detalhe: que soca o bucha no pais em que a maioria dos bobões nasceram… Outro detalhe: sequer conseguem analisar acima das linhas tendenciosas da tal…Elizabeth. Incrivel…vcs devem adorar morar um pais de 3 mundo mesmo…continuem assim… NOTA DOS EDITORES: FIGHTERSKILL, POR ACASO VOCÊ TEM ALGO DE RELEVANTE A ESCREVER SOBRE O ARTIGO, QUE NÃO SEJA ESSA ATITUDE DE DESQUALIFICAR A AUTORA DO TEXTO E OS DEMAIS LEITORES DO BLOG? SE NADA TIVER A ESCREVER DE RELEVANTE, NOSSA SUGESTÃO É QUE NEM COMENTE NADA, JÁ… Read more »

Marcelo Ostra
Marcelo Ostra
11 anos atrás

Po Ronaldo, quem é o miope ?, ler o titulo do post:

“Acordo nuclear para o Irã: comentário em destaque”

Pq, baseado no topico, falaria os itens que vc citou ?

cara, acho que o perdido aqui não é ela não, muito pelo contrário …

E seguindo o seu proprio raciocinio, quem eh vc ? vc tbm existe ?

buuuuuhhhh pra vc
8-P

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Excelente texto Elizabeth.
Parabéns!
Bem técnico e com argumentos críveis para justificar sua linha de raciocínio e não apenas bravata e patriotada infantil.
Para quem não concorda com o ponto de vista da Elizabeth apresente o contraditório para que possa ser apreciado por todos.

Fighter,
o fato de ter nascido aqui no Brasil tem me provocado mais vergonha que algum tipo de êxtase paradisíaco.
Apesar disso amo esse país que tanta vergonha me causa.
Mas aviso, sentimento patriótico nenhum me faria fazer aquilo que desagrade a minha consciência, que antes de ser brasileiro, sou “ser humano”.

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin
11 anos atrás

FighterSkilll, você nem sabe usar reticências, e ainda quer criticar a análise de uma engenheira aeroespacial?

Se não tem nada de inteligente para dizer, fique quieto para não passar vergonha.

Marcelo Ostra
Marcelo Ostra
11 anos atrás

Outra coisa Ronaldo, com qual embasamento vc critica o texto dela, pois os argumentos foram nada a ver com nada

quanto ao seu orgulho do teu amigo fazedo algo pelo pais quero ver se um dia Tel Aviv for pelos ares se o mesmo falará algo diferente de

‘Hã, mas eu não sabia …”

Agora, se vc acha o pais uma maravilha, cara, ja que falou em miopia, procura um oftalmologista

MO

Tito
Tito
11 anos atrás

FighterSkilll disse:
18 de maio de 2010 às 18:55

“Isto faz com que a Elite branca e especuladora brasileira fique com dor de cotovelo…”

Por mais que eu me esforce, nunca vou entender…

Elizabeth, sei que você não esta nem ai pra conversinha baixa de alguns, mas até eu fico envergonhado com tamanha ignorância explicita ao ponto de lhe pedir desculpas.

nádja rocha
nádja rocha
11 anos atrás

Cara Elizabeth, se assim for, pois pela narração não pelo conhecimento, a mim parece raciocínio masculino da área de física.Mas a questão principal não é essa.A questão é: Pq Israel tem bomba atômica e o ocidente não interfere? Pq o Paquistão tem bomba nuclear e de política bem mais tulmutuada do que o Irã e ninguem contesta? Minha cara Lili, se permite assim chamá-la, vamos ser justos e conscensiosos, o certo é todos se desarmarem, principalmente os EUA, havendo um acordo entre os possuidores de arma atômica para se desarmarem, ai sim, como diz aqui em minha região: ” fale… Read more »

Vader
Vader
11 anos atrás

FighterSkilll (três “eles”???), vc é (……………) ou simplesmente mal-intencionado? Se vc for quem eu estou pensando que é (Ronaldo?) vc não é (…………) (embora como quase todo esquerdopata não saiba escrever): é simplesmente mal-intencionado. Não deu UM ÚNICO argumento decente para contradizer a autora do comentário: só os ataques basbaques de sempre. Vc é tão mal intencionado que não percebeu que o post se destina a esclarecer uma questão eminentemente técnica, sem adentrar em julgar a parte política da coisa. E quando fala da parte política, fala com REALISMO, como as coisas SÃO, e não com o puxa-saquismo embasbacado típico… Read more »

Vitor
Vitor
11 anos atrás

Otimo texto. Obrigado! Muito informativo. Se a tecnologia atomica nao tivesse sido usada para a guerra poderiamos ter coisa inimaginaveis no mundo. A tecno atomica eh o que muitos sonharao durante muito tempo. Energia em abundancia com um pouco de matéria.
So lamento o comentario do “cego” acima. Que em vez de ler algo que incrimente sua cultura apenas se fecha em seu “quadrado” que vangloria a falta de educação.
Até mais pessoal.

Leandro
11 anos atrás

Desculpe-me, mas só uma dúvida, quais as fontes de Elizabeth, e quais as referências dela? Não estou duvidando não, só gostaria saber se tudo que ela disse, tem base fundamentada e correta. E claro, tudo é muito interessante.

FighterSkilll
FighterSkilll
11 anos atrás

Ué…cadê os Editores para dar uma geral no Vader???

Ele me maltratou!!!

Rsss…to vendo que só serve para alguns aqui a edição né?

Outra se nao me engano aqui diz:

18 de maio de 2010, em Análise, Opinião, Política, Relações Internacionais, Tecnologia, Tecnologias Sensíveis, por Nunão

NOTA DOS EDITORES:
ELES ESTÃO AQUI, E AVISARAM TAMBÉM AO LEITOR VADER.
JÁ VOCÊ NÃO PRECISA DE MAIS AVISO ALGUM, CASO TENHA LIDO AS NOTAS AOS SEUS COMENTÁRIOS OFENSIVOS À AUTORA DO TEXTO, QUE É LEITORA DO BLOG.

Léo Costandrade
Léo Costandrade
11 anos atrás

Muito bem, interessante o texto, pode servir muito bem para enganar incautos, mas, então esta Elizabeth é espão no Irã?, então o Brasil é cumplice do Irã?, então a única pessoa que sabe tudo (além, claro da Rússia e dos Estados Unidos como ele mencionou) é ela e por maldade não advertiu nossos inocentes governantes?, então até a tal Elizabeth sabe, mas, nossos governantes não?, será que os Estados Unidos vão invadir o Brasil, mãe Elizabeth?.

FighterSkilll
FighterSkilll
11 anos atrás

OPINIÃO e POLITICA….

NOTA DOS EDITORES:

CATEGORIA OPINIÃO E CATEGORIA POLÍTICA (DE CLASSIFICAÇÃO DAS MATÉRIAS).

EDIÇÃO DE COMENTÁRIO POR CONTER PROPAGANDA POLÍTICA.

ENTENDEU A DIFERENÇA?

Renato
Renato
11 anos atrás

Não tenho nem muito o que dizer depois dessa análise, além de obrigado, claro.

Brandalise
Brandalise
11 anos atrás

Parabens a Elizabeth pelos comentarios, e a editoria pela decisao de apresenta-lo como um post.

Definitivamente, muitos nao sabiam o que foi exposto aqui, e eu sou um deles (ainda mais pq, nesta area, sou apenas um curioso). Entao, agradeco bastante!

Abs!

lc
lc
11 anos atrás

Ótima análise Elizabeth. Agradeço pelo texto.

FighterSkill,

Elite branca???

Pára com isso! Deixe de recalque camarada.

FighterSkilll
FighterSkilll
11 anos atrás

Bem aos senhores do Forte;

Peço desculpas a Elizabeth caso eu tenha causado algum embaraço. Na verdade de fato me empolguei em meus argumentos. Não queria causar todo este transtorno a você. Seu post é muito elucidativo e de alto gabarito.

Aos demais leitores que por ventura também tenham causado indignação peço humildemente minhas desculpas.

Aos Moderadores, peço que desconsiderem as observações por mim postadas. Não condizem com a politica impostas por mim aceitas.

Acredito que foi num momento de calor patriotico que blasfemei.

Mas pro Vader uma banana!

Antonio M
Antonio M
11 anos atrás

Parabéns pelo artigo.

Vou guardar.

Belmiro
11 anos atrás

Informações excelentes pra quem não entende o mínimo a respeito do assunto,mas é obvio que o governo sabe a respeito dos detalhes técnicos de informações nucleares tão elementares como essas.
Não se enganem que estaõ bem assessorados a esse respeito. O acordo foi algo já acertado no passado e que o Irã naõ cumpriu, ponto pro Brasil, mesmo que o Irã volte a desreispeitá-lo. O final do texto, infelizmente mostra uma brasileira desiludida e amarga com o país.

Nailton
Nailton
11 anos atrás

Parabens pela clareza. Vejo que a nossa diplomacia ficou sem o beneficio da inteligência e prudência nesse caso. talvez o Lula achou que estava negociando uma greve no ABC. Lamentável demonstração de amadores. Enviei um e-mail ao Itamarati e ao Planalto dizendo que como brasileiro repudio a atitude de irresponsabilidade do presidente.

Bosco
Bosco
11 anos atrás

Nadja, a Elizabeth não analisou a questão do “por quê Israel tem armas nucleares e é deixado em paz pela cCmunidade Internacional e outros países igualmente soberanos não podem ter?” Ela colocou seu ponto de vista em relação às reais intenções do Irã, que de acordo com ela, parece não serem exatamente de acordo com o discurso de seus líderes. Também deu sua opinião sobre o que acha da atitude do governo brasileiro, que independente de qualquer coisa está sujeito a críticas, já que vivemos em um regime democrático. Pode ficar tranquila que, com certeza, a opinião da Elizabeth não… Read more »

Bosco
Bosco
11 anos atrás

“censurado ou admoestado” rsrsr
Quando quero falar difícil eu tropeço nos cabelos da perna. rsrs
Desculpem-me pela redundância.

Bosco
Bosco
11 anos atrás

por quê errado.
porquê correto.
rsrsrs

MN-QS
MN-QS
11 anos atrás

Não deu certo! É Elizabeth, USA, UK, Russia, Alemanha, China e França se reuniram hoje e é muito provável que entre eles tenha algum(s) que raciocine como você. Eu concordo em todos os pontos com o seu comentário. Parabéns! Vão anunciar sanções em breve. Agora, talvez eu esteja errado, mas essas restrições vão, “talvez”, aproximar e unir aqueles do povo do “Irão” que são contra ao governo de Ahmadinejad e dessa forma eles incentivem a massa a ir às armas, pois em um ponto Lula e CA tem razão quando afirmam que quem vai sofrer as últimas conseqüências é o… Read more »

Fabio
Fabio
11 anos atrás

Bom…depois dessa incursão brasiLULA por um terreno que ele não conhece…

acho que o proximo passo…sera um ataque de Israel…com o objetivo de destruir mais uma tentativa do Irã de possuir armas nucleares…

deu certo em 1981 (se não me engano)…em 2011 deve dar certo novamente…

Pedro
Pedro
11 anos atrás

Com trechos do proprio “artigo” mata ele: 1º “Porem em Arak, próximo a Teerã há a um reator de água pesada sendo construído, este tipo de reator utiliza ” (…) “O reator de Arak fica pronto daqui a 12 meses” > Sendo? Então não está pronto? Quando ficará pronto? Qual é o estagio da contrução? Será finalizado mesmo em 12 meses? Donde vem essa informação? Se não existe, não há como esse reator produzir a agua pesada e terá que importar de outros países. Sendo isso algo de conhecimento técnico mundial, pode saber que já estão de olho nessas transações… Read more »

Regina
Regina
11 anos atrás

Elizabeth,

Sua análise é interessante, não farei contestação técnica pois não conheço o tema. Farei um questionamento lógico:
Se o Irã fará a Bomba através de urânio natural e este está fora das intervenções de organismos internacionais, porque a ONU, EUA e demais paises lutam para que ele não enriqueça Urânio? É óbvio que há uma contradição importantissima em seu argumento. Você conseguiria resolvê-la?

Regina

Vader
Vader
11 anos atrás

nádja rocha disse: 18 de maio de 2010 às 20:00 A paraquedística leitora veio fazer turismo no blog, peroração política, ou louvação ao “Grande-Timoneiro” ao “Sol-da-Humanidade”? Porque tirando o lixo ideológico (ou religioso, ou amoroso, vai saber), não entendi patavina do que disse a cidadã. Porque vcs não fundam uma Igreja, como aquela que os argentinos fundaram para o Maradona, colocam a Mulla no pedestal (numa cruz seria mais bacana, desde que “bem pregado”, hehe) e vão orar para ele? E deixam em paz os pobres blogs de Defesa? De qualquer maneira, seja bem vinda. Espero poder contar com mais… Read more »

D3lta
11 anos atrás

Eu tenho a impressão que USA/Russia/França escondem algo além do que o BRASIL e o resto do mundo sabe sobre o Irã. O que será?

Elizabeth
Elizabeth
11 anos atrás

Deus do céu, quanta agressividade gratuita contra a minha pessoa, apenas porque discordo tecnicamente da eficácia.

Faz o seguinte pessoal. Cada qual com a sua crença.

Abraço a todos

Últimas Notícias

Recife (PE) sediará a nova Escola de Formação de Sargentos do Exército

O CENTRO DE COMUNICAÇÃO SOCIAL DO EXÉRCITO INFORMA: Na 339ª Reunião do Alto Comando do Exército, realizada de 18 a...
- Advertisement -
- Advertisement -