quinta-feira, outubro 21, 2021

Saab RBS 70NG

24 de maio, Dia da Infantaria

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Tuyuti2

Barra de Cinco Pixels

“Soldados rastejavam, me seguiam; baionetas cruzavam, tiniam, espetando a morte, furando o vento; várias vezes fui ferido, levantei, prossegui, mas um dia fiquei caído, nos campos de Tuiuti. Era maio, mesmo dia em que nasci, parti, mas não morri, porque a morte, por mais que tente, por mais que dura, valente, não mata nunca a audácia, a bravura, a vida… um infante.”

Barra de Cinco Pixels

patrono_sampaioNo longínquo 24 de maio de 1810, duzentos anos atrás, nascia Antônio de Sampaio. Num outro 24 de maio, 56 anos mais tarde, o mesmo Sampaio, Brigadeiro, no Comando da Divisão Encouraçada, em franco combate, receberia os três ferimentos graves que lhe tiraram a vida.

Era 24 de maio! Eis a efeméride consagrada como legenda eterna para a Infantaria Brasileira. Antônio de Sampaio, filho de sertanejos simples, nasceu na Fazenda Vitor, povoado de Tamboril, Capitania do Ceará-Grande.

Aos 20 anos, assentou praça como voluntário no 22º Batalhão de Caçadores, sediado na atual cidade de Fortaleza. Seu batismo de fogo não tardaria. Em 1832, no que ficou
conhecido como Encontro de Icó, lutou contra a rebelião que se opunha à abdicação de D. Pedro I. Sampaio combateu no Pará, na Cabanada; no Maranhão, na Balaiada; no Rio Grande do Sul, na Guerra dos Farrapos; e em Pernambuco, na Revolução Praieira. Em
todas essas ocasiões, com extraordinária atuação.

Em 1852, o então Major Sampaio tomou parte na gloriosa campanha de Monte Caseros. Em 1861, já coronel, assumiu a 5ª Brigada, comandando-a nas campanhas do Prata. Em 1865, ascendeu ao posto de Brigadeiro, por merecimento, como foram todas as suas promoções, em reconhecimento às demonstrações de bravura, coragem e engenhosidade.

Mas foi na Campanha da Tríplice Aliança que o sertanejo de Tamboril cobriu-se definitivamente de glória. Em 1866, Sampaio rumou para o teatro de operações. À frente da Divisão Encouraçada, combateu nas operações de transposição do Rio Paraná e nas
batalhas da Confluência e do Estero Bellaco. Na marcha para Tuiuti, coube-lhe o comando da vanguarda. Na véspera da batalha, conduziu o perigoso reconhecimento na Linha Negra, de onde vieram preciosas informações de combate e grande número de
prisioneiros.

Tuiuti foi a maior batalha campal da história da América do Sul. Com manobras ousadas e engenhosas do Comandante e graças à tenacidade e valentia dos combatentes sob seu comando, a Encouraçada derrogara o ataque inimigo. Tuiuti estava vencida
antes do cair da tarde.

Em suma, nos tumultuados dias da Regência e nos primeiros anos do II Império, Sampaio participou das campanhas contra as revoltas internas e os inimigos externos, destacando-se pela bravura e pela liderança em combate. No comando de sucessivos
escalões, transformou-se num condutor de homens, conhecedor profundo do terreno e mestre em adestrar, empregar e conduzir tropas de Infantaria.

Recebeu de D. Pedro II seis condecorações, entre 1852 e 1865, em reconhecimento aos excelentes serviços prestados à Nação, na paz e na guerra.

A história registra que Sampaio recebeu três ferimentos no dia do seu aniversário. O primeiro, por granada, comprometeu-lhe a coxa direita; os outros dois foram nas costas. Em consequência desses ferimentos, faleceu em 06 de julho de 1866 a bordo do
navio-hospital que o transportava para Buenos Aires.

Homem com pureza de propósitos e sentimento patriótico radicado em seu coração, o Brigadeiro dedicou-se inteiramente ao ofício militar. Exemplo da noção de denodo, foi consagrado Patrono da Arma de Infantaria do Exército Brasileiro em 1962, por
meio de decreto presidencial.

Em 1969, os restos mortais do insigne Patrono foram transladados para o Cemitério São João Batista, em Fortaleza, e, desde 24 de maio de 1996, repousam no mausoléu erigido em sua homenagem no Quartel-General do Comando da 10ª Região
Militar, na capital cearense.

Sampaio legou, com o sangue de seus três ferimentos, um ideário de liderança, coragem e patriotismo. Eternizou-se na História do Exército Brasileiro como o mais distinto dos
Infantes.

Em Tuiuti

Barra de Cinco Pixels

Tuyuti

No vasto espaço de TUIUTI, uma atmosfera vibrante contagiava todos naquele 24 de
maio de 1866. Travou-se ali, a maior batalha campal do continente sul-americano – cerca de 50.000 homens em armas.

O Brigadeiro SAMPAIO largou de suas posições com a 3ª Divisão, conhecida como
“Divisão Encouraçada”, para atacar o adversário. Três vezes atingido, impulsionou seus aguerridos infantes até a certeza da vitória.

BATALHA TUIUTI-texto

FONTE: Exército Brasileiro

- Advertisement -

61 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
61 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Fabio
Fabio
11 anos atrás

Nunca faltou e nunca faltara bravura a nobre infantaria do Exército Brasileiro.

Falta fuzil, falta Vtr sobre rodas, falta Bld, falta OVN, falta munição!

Sub Nuclear? sim!! importancia estratégica!

Mas onde esta o “feijão com arroz”?

Vader
Vader
11 anos atrás

Canção Nobre Infantaria: “Nobre infantaria, arma de respeito, faz amedrontar. Quando, no peito a peito o inimigo nos encontrar. A fama levando, vamos espalhando, a nossa alegria E, junto ao Brasil está o fuzil da infantaria. Somos soldados, nobres infantes que nos mostramos alegres triunfantes com belo porte, que até a morte, não ousará nos destruir. Sempre a sorrir, vamos marchando Vamos lutando em pról deste pavilhão: O nosso Brasil a quem dedicamos o coração! Junto à nossa bandeira, lutaremos com valor daremos a vida inteira por ela temos amor! Mas, se algum dia a guerra nos vier surpreender temos… Read more »

Caio
Caio
11 anos atrás

e foi hoje que eu fui no TG aqui de cachoeiro-ES jurar a bandeira!!!

Leandro RQ
Leandro RQ
11 anos atrás

Viva a Infantaria!

Que Deus abençõe a mais nobre das armas do Exército Brasileiro!

The Captain
The Captain
11 anos atrás

Os amigos imaginem que “argumento” extraordinário teria um cineasta patriota para a produção de um filme épico se apenas contasse e mostrasse a vida, e passagens dela, deste insigne brasileiro. Quanta riqueza em patriotismo, denodo e amor à pátria, desde o seu nascedouro, ali nos primeiros anos, no combate contra os insurgentes no Encontro de Icó, na Cabanada, na Balaiada, depois na Guerra dos Farrapos e por fim, coberto de glórias no Tuiuti. O Ministério da Defesa, para criar uma cultura que respeite e ame suas Forças Armadas deveria patrocinar iniciativas de produção de filmes épicos retratando nossas guerras e… Read more »

Galileu
Galileu
11 anos atrás

Sou de Cavalaria, mas, “És a nobre Infantaria. Das armas a rainha….”

Parabéns ao dia do Infante!

Alex Nogueira
Alex Nogueira
11 anos atrás

Interessante esse post, eu como bom brasileiro não sabia sobre a história da infantaria do Brasil (a cultura de nossas forças armadas não são bem divulgada e explicadas para a população em geral 🙁 )

Que falta faz termos mais informações durante o periodo escolar, penso principalmente quando lembro de 2 anos da matéria de história do colegial que meu professor não ensinava nada, absolutamente nada……

Mas é isso ai, vivendo e aprendendo, nunca é tarde para aprender coisas novas.

Parabéns ao blog pela matéria.

J. Carlos
J. Carlos
11 anos atrás

É NO COMBATE QUE O INFANTE É FORTE;
VENCE O PERIGO E DESAFIA A MORTE !

INFANTARIA ! SELVA !
BRASIL ACIMA DE TUDO !

Flávio
Flávio
11 anos atrás

És a nobre Infantaria,
Das armas a rainha,
Por ti daria
A vida minha,
E a glória prometida,
Nos campos de batalha,
Está contigo,
Ante o inimigo,
Pelo fogo da metralha!

És a eterna majestade,
Nas linhas combatentes,
És a entidade,
Dos mais valentes.
Quando o toque da vitória
Marca nossa alegria,
Eu cantarei,
Eu gritarei:
És a nobre Infantaria!

Desculpem as outras armas e forças…Mas esta é a infantaria. Rainha das Armas.

BRASIL!!!

Leonardo
Leonardo
11 anos atrás

Parabéns a infantaria, que tanto nos orgulha!

Luis
Luis
11 anos atrás

Nós somos estes infantes Cujos peitos amantes Nunca temem lutar; Vivemos, Morremos, Para o Brasil nos consagrar! Nós, peitos nunca vencidos, De valor, desmedidos, No fragor da disputa, Mostremos, Que em nossa Pátria temos, Valor imenso, No intenso, Da luta. És a nobre Infantaria, Das armas a rainha, Por ti daria A vida minha, E a glória prometida, Nos campos de batalha, Está contigo, Ante o inimigo, Pelo fogo da metralha! És a eterna majestade, Nas linhas combatentes, És a entidade, Dos mais valentes. Quando o toque da vitória Marca nossa alegria, Eu cantarei, Eu gritarei: És a nobre Infantaria!… Read more »

RtadeuR
RtadeuR
11 anos atrás

Entre duas forças, o primeiro passo de ambas as partes será a destruição mútua de toda tecnologia.
Ao final sobrará um infante com seu fuzil e baioneta para decidir a guerra, casa à casa, rua por rua, metro à metro.
Viva a Infantaria sempre.

fsinzato
fsinzato
11 anos atrás

Parabéns aos infantes de hoje e aos verdadeiros Heróis de ontem.

E depois me falam de um sujeito chamado Chuck Noris… tisc… Este mesmo correria, apenas de saber a história do Nosso honroso Sampaio.

Um filme épico com linguagem moderna que encante, crianças, adultos e velhos, seria muito bem vindo para a formação da combalida identidade nacional.

Parabéns pelo 24 de maio.

Sds.

Fernando Sinzato
Fernando Sinzato
11 anos atrás

A mensagem anterior é minha. Tinha esquecido de trocar o e-mail no blog do Forte.

MN-QS
MN-QS
11 anos atrás

Parabéns a Infantaria e ao EB!!! Hoje eu senti muito orgulho de ser Brasileiro e também Cearense. O único fato estranho do dia foi a entrevista que o NJ deu a Tv local nas comemorações aqui na 10ª RM, a respeito do enriquecimento do urânio, dizendo que o mesmo não seria empregado em armas. O subnuc não é uma arma?!

Celso Cruz
Celso Cruz
11 anos atrás

de pé! um, dois? três, quatro INFANTARIA! nunca me esqueci disto o_O

Cláudio
Cláudio
11 anos atrás

Ontem me esqueci de dar parabéns a INFANTARIA.

Falem bem ou mal, é parte imprescindível das Forças Armadas; Embora o rumo das guerras modernas seja ditado pela alta tecnologia.

Fica meu Parabéns aos Integrantes da Infantaria !!!

Manock
Manock
11 anos atrás

The Captain,

se este filme que vc propõe mostrasse a real história da guerra do paraguai aí não sei se o dito infante seria coberto por glórias ou por crimes.

Nada contra a infantaria, mas a favor da verdade histórica!

The Captain
The Captain
11 anos atrás

Meu caro Manock, Um homem que recebe um primeiro ferimento e retorna pra luta; recebe segundo ferimento, retorna pra luta; ainda que caia ao receber terceiro ferimento; covarde é que não é. É, isto sim, um bravo, um herói, esteja seu lado da luta certo ou errado! Talvez você já tenha ouvido falar do General George Armstrong Custer, militar e herói do povo norte americano, existindo pelo menos quatro cidades nos E.U.A. com o nome de Custer. Este herói, cultuado pelos norte americanos e com sua história contada em alguns filmes pelo menos desde a década de 30, é tido… Read more »

Vader
Vader
11 anos atrás

Manock disse:
25 de maio de 2010 às 10:10

“se este filme que vc propõe mostrasse a real história da guerra do paraguai aí não sei se o dito infante seria coberto por glórias ou por crimes.Nada contra a infantaria, mas a favor da verdade histórica!”

Muda pro Paraguai então, cara! Vai prá lá, chorar ao lado dos perdedores! 🙂

Mas não, quem sabe você preferisse que o Mato Grosso e os três estados do Sul do Brasil falassem Guaraní né?

Athos
Athos
11 anos atrás

Bom, o texto sobre a diplomacia brasileira esta fechado para comentários.

Gostaria de alertar os editores que isso sempre ocorrerá quando forem publicados textos com viés ideológico.

Existem diversas análises ideologicamente isentas e a editoria escolhe o de um político inexpressivo, em ano de eleição.

… virou zona por lá, como não poderia deixar de ser.

Por que não publicar a coluna de Janio Freitas na Folha de hoje.

Tito
Tito
11 anos atrás

Manock disse:
25 de maio de 2010 às 10:10

Meu amigo, aquilo era uma guerra, e na guerra não existe beleza nem romantismo.

E graças a Homens (com H maiúsculo mesmo) como Antônio de Sampaio, estamos do lado vencedor e podemos ficar agora com sentimentalismo bobo.
🙂

DaGuerra
DaGuerra
11 anos atrás

Soldados armados com Minié anti-carga rastejando?? De onde saiu este poeminha? “Reminicências da Campanha do Paraguai” de Dionísio Cerqueira, lá tem a bela descrição de um participante sobre a Batalha de Tuiuty.

Manock
Manock
11 anos atrás

The Captain, concordo com a maior parte do seu post, porém nossas diferenças estão na concepção de Heróismo e Glória. Para mim isto não se resume à vitória ou à derrota e sim à postura gloriosa ou não, heróica ou não. Não tenho nada contra o dito infante e/ou outros que lutaram na guerra do paraguai. O Brasil venceu ao lado da Argentina e do Uruguai, ou melhor, nossos escravos venceram ao lada da Argentina e do Uruguai. Defendo apenas que uma revisão histórica, isenta e feita por cientistas e não militares possa nos trazer muita luz sobre os acontecimentos… Read more »

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin
11 anos atrás

O único pais que lucrou com a guerra do paraguai foi a Inglaterra, manipulou os dois lados, vendeu fortunas em armamento para os dois lados e arruinou a única economia que a ameaçava na época, o Paraguai. Nós “orgulhosos” e “vitoriósos” brasileiros nada mais fizemos que um genocídio para o glória inglesa. Nada mais!

FAIL

Vader
Vader
11 anos atrás

Manock disse: 25 de maio de 2010 às 17:55 Caro Manock, três falácias ridículas que os revisionistas latrino-americanos implantaram a fórceps na historiografia de nosso continente na última geração (coincidentemente após a chegada da ideologia comunista em nosso ideário vulgar), e que não sobrevivem à menor análise criteriosa: 1. A de que a Inglaterra lucrou em cima do Brasil com a Guerra do Paraguai. A imensa maioria de nossas dívidas com o Império Britânico são posteriores ao episódio (na verdade a maior parte é posterior ao advento da República). Idem ocorreu com a Argentina e o Uruguai. De mais a… Read more »

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin
11 anos atrás

Vader, essa é a herança maldita do pseudo historiador Júlio José Chiavenato deixada para a juventude brasileira, um crime de lesa pátria. Eu mesmo estudei história com livros desse sujeito. Veja os métodos do kamarada: Em linhas gerais, logo após a guerra, cada país abraçou seu herói. Aqui, endeusamos e panteamos Duque de Caxias, Osório e Tamandaré. No Paraguai, quase todo governo populista ou mesmo conservador se considerava herdeiro do espírito indomável de López. Depois do golpe de 1º de abril, esse clima de ufanismo histórico ficou cada vez mais difícil de engolir. A esquerda, acuada por todos os lados,… Read more »

Vader
Vader
11 anos atrás

É isso Bakunin. A verdade é que em matéria de ciências humanas, e especialmente em História, temos que ficar muito, mas muito, muito atentos ao que ensinam a nossas crianças na escola. Pois a infiltração do marxismo em tais matérias beira o ridículo.

É a reconstrução da História conforme prega a dialética marxistas. Desconstruindo a verdade e elegendo falsidades e meias-verdades que sirvam ao seu propósito de doutrinação.

Grande abraço.

Manock
Manock
11 anos atrás

1- Sanguinário ditador Solano López!? Ainda bem que na époco o brasil tinha um “Imperador” (que difere MUITO de ditador) conhecido pela sua, bondade com os mais pobres, espírito democrata… 2- Cada senhor branco que enviasse dois escravos ficava livre da obrigação de servir ou de seu filho servir na guerra. E a alcunha de exército de escravos não foi dada pela historiografia revisionista de orientação marxista (leia-se: comedores e criancinhas, filhos do demônio) e sim pelos argentinos e uruguaios. Mas sem problemas, realmente todos nós dotados de inteligência e o mínimo de bom senso sabemos que nas trincheiras os… Read more »

Fernando Sinzato
Fernando Sinzato
11 anos atrás

Senhores,

Na minha opinião, vocês estão discutindo duas coisas distintas, por isso o choque, pois o que se comemora na data é o mito do herói e não só o seu personagem histórico a que deu origem.

É o que Sampaio SIGNIFICA para a Nação e não o que ele FOI.

Mitos e história são bem diferentes em si, porém ambas corretas considerando este ponto de vista.

Abs.

Vader
Vader
11 anos atrás

Manock disse: 26 de maio de 2010 às 9:47 1. Meu caro, D. Pedro II era Imperador Constitucional do Brasil e reconhecidamente o governante mais lúcido e erudito que jamais teve este país. É até uma heresia comparar com “El Supremo”, “El Mariscal”, que chegou ao poder sucedendo o pai e matando seu irmão, escravizou seu povo, matou sua mãe, invadiu o Mato Grosso, invadiu as “Corrientes”, arrastou sua nação para uma guerra que não poderia vencer, e concedeu honrarias públicas a seu cavalo! Seu CAVALO! 2. Exército nenhum é feito para demonstrar “vanguardismo nos direitos civis e republicanos” (wtf???).… Read more »

Manock
Manock
11 anos atrás

Afirmei que o Paraguai produzia armas?

Manock
Manock
11 anos atrás

Amigo Vader,

contenha-se na discussão de ideias, não é necessário agressividade contra seu interlocutor. Vamos manter o nível de boas discussões centradas no debate de argumentos.

Abraço,

Manock

Vader
Vader
11 anos atrás

Não, V. Sa. afirmou que o Paraguai era industrializado a ponto de oferecer ameaça à hegemonia inglesa, o que é tão mentira quanto afirmar que o Brasil também era industrializado. Além das outras mentiras, meias-verdades, generalizações e interpretações equivocadas que o amigo usou para desqualificar o herói da Infantaria, o Exército Brasileiro, a motivação brasileira na Guerra do Paraguai e, até mesmo (pasme-se) o Imperador Pedro II, tido a seu tempo como um dos homens mais iluminados do mundo. Já lhe disse e repito: reveja suas fontes. Se você estiver de boa-fé (o que respeitosamente começo a duvidar) você foi… Read more »

Vader
Vader
11 anos atrás

Ok, caro Manock, como queira, me desculpe pela ênfase demasiada.

Ocorre que esse tema é recorrente aqui no ForTe, e diversas vezes desconstruído por mim e por outros, malgrado certa parcela dos frequentadores insista na falácia de que o Brasil foi o algoz do Paraguai, quando a verdade é bem mais prosaica e bem menos maniqueísta do que isso.

Saudações.

Celso Cruz
Celso Cruz
11 anos atrás

pois é… isto é o que acontece ao estudarmos apenas da história oficial (livresca). pergunta-se: qual o país interessado em dizimar a economia paraguaia? quais países deviam muito para este principal interessado? qual país teve de pagar para que sua independência fosse reconhecida? :/

em guerras não existem vencedores… todos perdem (e muito) o_O

The Captain
The Captain
11 anos atrás

E no entanto insisto que o Brigadeiro Sampaio foi um dos grandes e poucos verdadeiros heróis brasileiros. Não nos é lícito manchar sua honra com discussões extemporâneas por conta de uma guerra em que ainda se discuti sua legitimidade, tanto mais ao comemorarmos os 200 anos de nascimento deste Bravo!

Manock
Manock
11 anos atrás

Vader, desculpas aceitas. continuando o profícuo debate: Afirmei que o Paraguai oferecia perigo aos mercados ingleses na bacia do prata e volto a afirmar. Por se tratar da primeira e mais proveitosa iniciativa de industrialização na america do sul o Paraguai representaria em pouco tempo um perigo à hegemonia econômica inglesa na região. Não se tratava de desbancar a Inglaterra mas de competir no mercado sul americano com uma vantagem logistica imensa! Se vc não concorcorda com os meus argumentos isso não significa que sejam mentiras. São apenas argumentos contrários ao seus. Em momento algum desqualifiquei o dito infante, motivo… Read more »

Vader
Vader
11 anos atrás

Manock disse: 26 de maio de 2010 às 16:32 Manock, como disse discordo quanto ao Paraguai. Não há provas históricas suficientes de que sequer tenha se dado alguma maior industrialização no séc. XIX, muito menos que esta, caso tenha ocorrido, tenha sido autóctone ou desligada do capital internacional (leia-se europeu) como quer o amigo. Mas ainda que fosse verdade, não retiraria ao Paraguai o caráter de agressor no conflito da Tríplice Aliança. Ou seja: de “bonzinho” o Paraguai não tinha nada: queria apenas substituir a Inglaterra para fazer ainda pior. E “El Supremo” é a maior prova disso: era apenas… Read more »

Celso Cruz
Celso Cruz
11 anos atrás

e a história oficial (livresca)? :p

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin
11 anos atrás

Celso Cruz disse: 26 de maio de 2010 às 14:30 pois é… isto é o que acontece ao estudarmos apenas da história oficial (livresca). pergunta-se: qual o país interessado em dizimar a economia paraguaia? quais países deviam muito para este principal interessado? qual país teve de pagar para que sua independência fosse reconhecida? :/ E quem disse que havia algum interessado em “dizimar a economia paraguaia”? Não houve influência Inglesa no conflito pelos motivos: 1º O Brasil não mantinha na época relações diplomáticas com a Inglaterra, 2º A Inglaterra não teria motivos em destruir um cliente de seus produtos manufaturados,… Read more »

Manock
Manock
11 anos atrás

Quanto ao Paraguai, Vader, realmente nunca foi e em será, bonzinho, pois país nenhum o é! Não digo que a culpa da guerra foi do Brasil, e nem do Paraguai, foi da incompetência de ambos em resistir às pressões inglesas. (+ Argentina e Uruguai) A Inglaterra não obrigou nenhum dos países a entrar no conflito, apenas criou situação para que o conflito existisse. Minha crítica é à forma como a guerra teve seu desfecho. A vitória, como todas elas, foi nobre mas isso não nos impede de ver a admitir as atrocidades cometidas. Amigo, comparar o Brasil aos USA é… Read more »

claudio ( r.  j )
claudio ( r. j )
11 anos atrás

Manock disse: 25 de maio de 2010 às 10:10 The Captain, se este filme que vc propõe mostrasse a real história da guerra do paraguai aí não sei se o dito infante seria coberto por glórias ou por crimes. Nada contra a infantaria, mas a favor da verdade histórica! Manock, o livro do chiavenatto é eivado de mentiras e simplesmente não teve um mínimo de trabalho de pesquisa na confecção do livro, ele na realidade tentava via Guerra da Triplice Aliança denegrir o Exercito Brasileiro junto ao seu publico alvo (do autor), jovens em vias de entrar na Universidade. Indico… Read more »

Celso Cruz
Celso Cruz
11 anos atrás

Mikhail Aleksandrovitch Bakunin disse: 26 de maio de 2010 às 19:11 E quem disse que havia algum interessado em “dizimar a economia paraguaia”? Não houve influência Inglesa no conflito pelos motivos: 1º O Brasil não mantinha na época relações diplomáticas com a Inglaterra, 2º A Inglaterra não teria motivos em destruir um cliente de seus produtos manufaturados, pois o Paraguai ao contrário das LENDAS a respeito, não era industrializado. LENDA? não me faça rir… O Brasil ainda mantinha uma relação muito forte com Portugal e esta por sua vez devia muito dinheiro a Inglaterra. 1) Por exigência de Portugal, o… Read more »

Vader
Vader
11 anos atrás

Manock disse: 26 de maio de 2010 às 19:31 Caro Manock, o que você chama de “herança maldita” dos portugueses foi o que nos salvou de ser o que hoje é a “gloriosa” América Espanhola. Os resultados falam por si só. Repito: você preferiria 20 países independentes (como a África hoje, por exemplo), ou uma única potência regional como o Brasil? 🙂 Aliás, os resultados já o demonstravam no séc. XIX: tanto é assim que o Brasil já era de longe a maior pôtência da AS, como bem demonstrou a Guerra do Paraguai, que foi vencida basicamente pelo Brasil, conquanto… Read more »

Vader
Vader
11 anos atrás

Celso Cruz disse:
26 de maio de 2010 às 22:59

Blá blá blá, blá blá blá, nhém nhém nhém, mas o fato é que, a maior parte da dívida externa brasileira com o Império Britânico é posterior à REPÚBLICA! Não tem NADA A VER com a Guerra do Paraguai. Muito menos com a Independência!

Informe-se meu caro. Ou ao menos pare de vomitar besteiras para os mais desinformados.

Sds.

Vader
Vader
11 anos atrás

Manock disse:
26 de maio de 2010 às 19:31

Esqueci de recomendar: sobre as condições de trabalho do proletariado na Europa durante a revolução industrial (séc. XIX) procure ler “Germinal” de Emile Zola, e verifique por si mesmo como em muitos aspectos era melhor ser ESCRAVO no Brasil do que “livre” na França. Na libertária e pós-revolucionária França!

Boa noite.

Celso Cruz
Celso Cruz
11 anos atrás

hahahaha… de novo? vão gostar de história oficial (portuguesa?) lá na casa do chapéu… atenham-se a fatos históricos (estudem)! :p

Vader
Vader
11 anos atrás

Mais blá blá blá? PROVE, não alegue…

Últimas Notícias

Colin Powell, líder militar e primeiro secretário de Estado negro dos EUA, morre após complicações da Covid-19

(CNN) – Colin Powell, o primeiro secretário de estado negro dos EUA cuja liderança em várias administrações republicanas ajudou...
- Advertisement -
- Advertisement -