quinta-feira, fevereiro 25, 2021

Saab RBS 70NG

União Europeia aprova reforço às sanções impostas à Líbia

Destaques

Rússia e Arábia Saudita assinam acordo para implantação de fábrica de fuzis Kalashnikov

A Rússia assinou um acordo com a Arábia Saudita para implementar a primeira fase de produção conjunta de fuzis...

MBT Leopard 2 da Alemanha será equipado com o Trophy APS da Rafael

COLÔNIA, Alemanha – Os ministérios da defesa alemão e israelense assinaram um acordo para a compra do sistema de...

Tabela de salários dos militares das Forças Armadas para 2021

Sabe quanto ganha um Sargento, Capitão ou Cadete da Marinha, Exército e Aeronáutica? Veja a tabela de soldos dos...
Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

BRASÍLIA — A União Europeia aprovou nesta segunda-feira (28) uma série de sanções ao governo do presidente da Líbia, Muammar Khadafi. As restrições reforçam as medidas definidas pelo Conselho de Segurança das Nações Unidas de proibir a venda de armas, determinar o congelamento de bens de Khadafi e as pessoas ligadas a ele, além de vetar que viajem para quaisquer países europeus.

A chefe da diplomacia da União Europeia, Catherine Ashton, disse que a intenção do bloco é colaborar com o Conselho de Segurança das Nações Unidas. “Estamos colaborando com os Estados Unidos e com o Conselho de Segurança das Nações Unidas] para, de forma coordenada, aplicar medidas restritivas”, disse ela. Em Genebra, na Suíça, para a reunião do Conselho dos Direitos Humanos que ocorrerá nesta tarde, a secretária de Estado norte-americana, Hillary Clinton, reuniu-se com os chefes da diplomacia do Reino Unido, da França, da Alemanha e da Itália. Nas conversas, ela defendeu a aplicação imediata das sanções.

Na sexta-feira (25), diplomatas europeus discutiram a possibilidade de estabelecer uma zona de exclusão aérea sobre a Líbia, o que impede Khadafi de recorrer à força aérea para combater as manifestações.

O chefe da diplomacia alemã, Guido Westerwelle, anunciou que Berlim está disposta a “cortar todos os laços financeiros” com a Líbia, incluindo o congelamento de pagamentos pelas importações de petróleo líbio.

Desde 15 de fevereiro, Khadafi enfrenta uma onda de manifestações contra o governo no país. De acordo com relatos, as forças leais ao líder controlam apenas a região em torno da capital, Trípoli, enquanto os manifestantes dominam áreas importantes, como a segunda cidade do país, Benghazi.

FONTE: DCI

- Advertisement -
Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
- Advertisement -

Guerras Modernas

Armênia, Azerbaijão e Rússia fecham um acordo para acabar com o conflito de Nagorno-Karabakh

YEREVAN/BAKU (ARMENIA/AZERBAIJÃO) — Armênia, Azerbaijão e Rússia disseram que assinaram um acordo para encerrar o conflito militar na região...
- Advertisement -
- Advertisement -