terça-feira, dezembro 7, 2021

Saab RBS 70NG

Líbia: contraofensiva do governo em três frentes

Destaques

Guilherme Poggiohttp://www.forte.jor.br
Editor da Revista Forças de Defesa

Tropas leais a Muammar Gaddafi promoveram contraofensivas em três cidades controladas pelos rebeldes, no domingo, intensificando os temores de que a Líbia esteja rumando para uma guerra civil prolongada, e não para revoluções rápidas como vistas na Tunísia e no Egito.

O governo Gaddafi anunciou que conquistou grandes vitórias desde o sábado contra o que chamou de bandos terroristas.

Mas depois de um dia descrito por residentes como de combates ferrenhos, com artilharia, foguetes e morteiros, forças rebeldes anunciaram ter afastado as forças de Gaddafi nas cidades de Zawiyah, imediatamente a oeste de Trípoli, e Misrata, ao leste.

“Hoje Misrata foi palco da batalha mais ferrenha desde o início da revolução. Ataques horrendos,” disse à Reuters pelo telefone um morador da cidade que não quis informar seu nome.

Com 300 mil habitantes, Misrata é a maior cidade controlada pelos rebeldes fora do leste do país, que está sob o domínio dos rebeldes.

Se os soldados rebeldes forem capazes de prosseguir em seu avanço irregular em direção ao oeste, Misrata pode ser o ponto que os aproxima da capital, o reduto principal de Gaddafi.

Hafiz Ghoga, porta-voz do conselho rebelde oposicionista, disse em coletiva de imprensa em Benghazi: “Queremos tranquilizar o povo desta grande nação … porque o regime está espalhando boatos.”

“Tanto Zawaya quanto Misrata são cidades libertadas e que estão em segurança.”

Contando com o apoio de tanques, artilharia, aviões de guerra e helicópteros, as tropas de Gaddafi também atacaram posições próximas do porto petrolífero de Ras Lanuf, 660 quilômetros a leste da capital.

Sob fogo pesado, os rebeldes foram forçados a recuar de Bin Jawad, situada na estrada para Sirte, a cidade natal de Gaddafi.

“Gaddafi nos retalhou,” disse Momen Mohammed à Reuters. “Está disparando contra nós com tanques e mísseis. Não sei o que vamos fazer agora.”

Partidários de Gaddafi saíram às ruas de Trípoli ao amanhecer do domingo, dando tiros para o ar e erguendo retratos do líder que há 41 anos comanda a Líbia, país produtor de petróleo e gás e membro da Opep.

“Estas são comemorações porque forças do governo assumiram o controle de todas as áreas até Benghazi e estão no processo de tomar o controle de Benghazi,” disse o porta-voz Mussa Ibrahim, aludindo à segunda maior cidade da Líbia, situada no extremo leste do país.

Mas os festejos parecem ter sido prematuros, já que Benghazi permaneceu firmemente sob controle dos rebeldes, enquanto os insurgentes não cediam terreno em Zawiyah e Misrata.

Um médico disse à Reuters pelo telefone que pelo menos 18 pessoas foram mortas nos combates em Misrata no domingo, entre elas um bebê.

“Temos 18 mártires, mas essa cifra não é a final. Também temos muitos feridos – nem sequer consigo contá-los,” disse o médico, que trabalha no hospital principal de Misrata, acrescentando que entre os mortos há rebeldes e civis.

O chanceler britânico William Hague disse no domingo que o que ele descreveu como uma equipe diplomática britânica que tinha sido capturada em Benghazi já deixou a Líbia.

Líderes ocidentais vêm denunciando o que descrevem como a resposta brutal de Gaddafi ao levante, e a Corte Criminal Internacional disse que Gaddafi e seu círculo mais estreito de assessores serão investigados devido ao fato de suas forças de segurança terem alegadamente alvejado civis.

O ministro do Interior alemão, Guido Westerwelle, disse em um jornal no domingo que o Conselho de Segurança das Nações Unidas deveria impor novas sanções a Gaddafi.

A Agência Internacional de Energia disse que a revolta vem bloqueando cerca de 60 por cento da produção petrolífera líbia de 1,6 milhão de barris por dia. A queda, que se deve em grande medida ao fato de milhares de estrangeiros que trabalhavam no setor petrolífero terem deixado o país, vai prejudicar fortemente a economia e já causou uma alta nos preços do petróleo no exterior.

FONTE/FOTO: Reuters/AP

- Advertisement -

2 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
2 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wagner
Wagner
10 anos atrás

O pior é que continuam dando dinheiro pro Kadafi…

Ivan
Ivan(@ivan)
10 anos atrás

Mais uma vez, olhem o mapa:

http://www.africa-turismo.com/imagens/libia-mapa.gif

Observem que Zawiyah e Misrata estam próximas de Trípoli, uma de cada lado da capital, e continuam sob controle dos rebeldes.

Interessante é que o terreno permite deslocamento de forças motorizadas rapidamente de uma cidade para a outra.
A propósito, o combate é pelas cidades, portos e entroncamentos.

Sds,
Ivan.

Últimas Notícias

SIPRI: Indústria global de armas floresce apesar da COVID

Um negócio de US $ 531 bilhões: O novo relatório do SIPRI mostra que os 100 maiores produtores de...
- Advertisement -
- Advertisement -