Home Defesa Antiaérea Forças Terrestres/Forças de Defesa no tiro de recebimento do Gepard

Forças Terrestres/Forças de Defesa no tiro de recebimento do Gepard

232
25

Gepard Canon 347a

Estivemos presentes no dia 23 de junho (domingo) na Restinga de Marambaia, no município do Rio de Janeiro/RJ, quando a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea (Bda AAAe) realizou o tiro de recebimento das Viaturas Blindadas de Combate do novo Sistema de Defesa Antiaérea do Exército Brasileiro, o Gepard 1A2. O tiro ocorreu no Centro de Avaliações do Exército (CAEX).

No dia anterior foi realizado tiro contra alvo aéreo rebocado. No domingo, os disparos foram contra alvos terrestres a 500 e 1.500m de distância.

Estamos preparando uma longa matéria especial sobre o Gepard para a próxima edição da revista impressa Forças de Defesa.

Gepard 349a

Gepard 211a

25
Deixe um comentário

avatar
24 Comment threads
1 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
13 Comment authors
Hans SchommerjoseboscojrGuilherme PoggiojairoMauricio R. Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
Soldat
Visitante
Soldat

Sensacional…..

também queria está la em Marambaia só para ver de perto essas maquinas alemãs maravilhosas.

Continuo com minha opinião o Gepard pode estar até ultrapassado mas para o governo Brasileiro que nunca tem direito para defesa desse pais só sabem comprara caminhões, foi uma grande aquisição ter comprado esse sistema que são lindos.

Soldat
Visitante
Soldat

Desculpe ai o certo é dinheiro e comprar.
Não vejo a hora da revista sair.

eduardo.pereira1
Visitante
Member
eduardo.pereira1

Belo aparelho, esses cartuchos(capsulas deflagradas) parecem ser do tamanho de uma garrafa de Coca Cola ,dessas de vidro, bacana, no aguardo da revista e a respectiva reportagem sobre o Gepard 1A2 do EB.

wwolf22
Visitante
Member
wwolf22

o alvo estava parado ou em movimento ???

glaison
Visitante
glaison

Tenso estar na mira desse negocio.

Os giro flex são para mostrar para o inimigo de onde vem os disparos.

Guilherme Poggio
Editor
Member

Matéria esta com muitas informações e fotos exclusivas.

Como diria o outro “Nunca antes no Brasil…”

Vader
Membro
Trusted Member

Muito legal.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

A sucata alemã, definitivamente faz a nossa alegria.
Esses cartuchos podem ser remanufaturados e reaproveitados???
Pois pela foto parece que a culatra desses canhões, amassa o “pescoço” dos mesmos.

martins
Visitante
Member
martins

Essa munição pode ser produzida no Brasil?

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Essa é a vantagem do veículo antiaéreo dotado de canhão. Na falta de ameaças aéreas pode ser usado para apoio de fogo direto contra alvos no solo ou pode se auto-proteger de ameaças diversas.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

O amassamento do estojo se faz pela janela de ejeção e não pela culatra. É algo comum em muitas armas, mesmo de menor calibre. Embora seja possivel reutilizar o estojo em um novo cartucho, normalmente eles não tem a mesma qualidade de um novo. Os giroflex são medidas de segurança para evitar que pessoas sejam atingidas pelas ejeções ou até pelos disparos se entrarem na linha de fogo. Nos canhões convencionais sao utilizados elementos com banderiolas vermelhas. Sou totalmente a favor da manutenção de canhões AA no inventário do EB, inclusive canhões autorebocados e sem guiagem de radar, ainda que… Read more »

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

E parabens à equipe da revista. Certamente o público será brindado com um trabalho de altíssima qualidade.

ReturnOfTheKing
Visitante
ReturnOfTheKing

Se uma gepard desse pegar uma cadencia de tiros a um alvo no solo, um exemplo m1 abrams. Que tipo de estragos faria ao mesmo?

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Respondendo à pergunta supra, um canhão 35mm não é uma arma AC por excelência, embora possa ser usado em tal finalidade. Sua eficácia dependerá do tipo de veículo alvejado. Viaturas como caminhões, 2,5 ton, 5 ton, ou menores como 3/4 ton ou 1/2 ton sofreriam danos severíssimos, sobretudo com emprego de munição HE ( alto-explosivo). VBPT ou VBCI com blindagem leve, como um M-113 ou Guarani igualmente seriam neutralizados com graves riscos à tripulação e ao GC, pois haveria perfuração, tanto mais com emprego de munição APDS. Em veiculos com blindagens um pouco mais consistentes, como um Marder,cuja blindagem frontal… Read more »

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Colombelli,
Mas não esqueça que o GAU-8 de 30 mm é a arma primária do A-10 para neutralizar veículos de combate de modo geral, inclusive carros de combate.
Tá certo que em geral os projéteis perfurantes (APFSDS) disparados pelo A-10 atingem a parte de cima dos veículos, que inclusive nos mais pesados é mais delgada e frágil.
Se o projétil cinético de 30 x 173 já faz um estrago, o de 35 x 228 tem um poder nada desprezível e como norma há sempre 20 deles prontos para uso no sistema de alimentação dupla do canhão.

Mauricio R.
Visitante
Member
Mauricio R.

No Iraque alvejava-se o arco frontal da torre c/ RPG, p/ chamar a atenção qndo o M-1 manobrasse, alvejavam a turbina, na traseira do veículo c/ canhões Oerlikon; mas de 25mm.
Outro alvo era a APU, na traseira da torre.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Correto Bosco, mas como referes, a premissa do A-10 é o ataque por cima, parte mais frágil do CC, como ocorre, também, com mísseis como o BILL. Ademais, o A-10 usa até projéteis perfuradores de suporte (sabot) descartável de urânio empobrecido, com maior capacidade de perfuração. Num ataque ao mesmo nivel, vale dizer, contra a blindagem frontal ou lateral, se levarmos e conta um MBT de quarta geração, as chances de neutralização do CC são pequenas. Creio que somente se os sensores ou a lagarta for atingida isso poderia ocorrer. A lagarta é relativamente frágil, e pode ser rompida nos… Read more »

jairo
Visitante
jairo

Srs
Pena que em pouco tempo estarão sendo canibalizados e sem munição.
Abs

Guilherme Poggio
Editor
Member

Pena que em pouco tempo estarão sendo canibalizados e sem munição.

Caro jairo

Foram compradas unidades para este propósito (canibalização).

Soldat
Visitante
Soldat

Será que o Gepard tem capacidade de combate o A-10?

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Soldat, com certeza, pois o A-10 é uma aeronave relativamente lenta e que atua primordialmente mais proxima ao solo. Porém, o A-10 pode ter uma vantagem na medida em que tem misseis como o Hellfire, que podem ser disparados fora do envelope de engajamento do Gepard. Logo, o vencedor seria determinado pelas circunstâncais, especialmente pela surpresa com que pudesse operar o Gepard, mantendo-se indetectado até o ultimo momento inclusive usando a alça optrônica. Poggio, creio que não foram adquiridos veiculos para canibalização, pois são 32 veiculos de combate e pelo menos 02 de resgate, de forma que se houver veiculo… Read more »

Bosco Jr
Membro
Active Member
Bosco Jr

Colombelli,
Você se equivocou. O A-10 usa o Maverick.
No resto você está corretíssimo. O A-10 pode ser enfrentado pelo Gepard se usar apenas o GAU-8, mas usando o Maverick D ou as bombas Paveway e JDAM ele fica fora do envelope de ação do veículo antiaéreo.

Colombelli
Visitante
Active Member
Colombelli

Valeu Bosco, de fato o Hellfire é o Apache que usa.

Hans Schommer
Visitante

Nós muitas vezes praticada na Alemanha o duelo contra os norte-americanos . Os A-10 pilotos nunca ter nos visto na primeira abordagem. Temos o nosso radar e nosso laser não usar (modo silencioso com dados de outro radar). Só quando tivermos acendeu a luz de alerta, eles poderiam nos ver. Importante é a camuflagem e decepção térmica ! Os gases de escape do motor do gerador é muito quente.
Hans Schommer