quinta-feira, agosto 5, 2021

Saab RBS 70NG

Após exercícios conjuntos, China e Rússia planejam expandir cooperação militar

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

DF-31A_mobile_nuclear_missile_of_PLA_Chinese_army_China_military_parade_Beijing_640_001

De acordo com o vice primeiro-ministro chinês, Wang Yang, a China tem grandes expectativas de parcerias com a Rússia nas áreas militar e atômica. Wang se encontrou hoje com o vice primeiro-ministro russo, Dimitry Rogozin, na cidade de Harbin, no nordeste do país. Ainda de acordo com o vice, o encontro reforça os compromissos firmados pelo presidente Xi Jinping a fim de expandir a interação estratégica entre os dois países.

Segundo a agência de notícias Xinhua, a China estaria interessada em trabalhar com a Rússia no campo nuclear, bem como no desenvolvimento conjunto de aeronaves de longo alcance e helicópteros pesados.

Na semana passada, forças dos dois países concluíram a operação conjunta Peace Mission 2013. Os exercícios começaram em 27 de julho, e incluiram o desembarque de tropas em três etapas, planejamento de batalhas e simulação de operações de combate.

A aproximação pública com a Rússia vem logo após o encontro ocorrido ontem (19) entre o ministro da defesa chinês, Chang Wanquan, e o secretário de Defesa dos Estados Unidos, Chuck Hagel, em Washington. O general Wanquan declarou estar em território americano para advogar em favor de uma relação de “ganhos mútuos” entre duas das nações mais poderosas do mundo. “Nosso objetivo é construir confiança entre nossas forças militares através da cooperação”, declarou Hagel em comunicado oficial divulgado ontem.

FONTE: Army Recognition (tradução e adaptação do Forças Terrestres a partir de original em inglês)

- Advertisement -

1 COMMENT

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wagner
Wagner
7 anos atrás

A ideia absurda de que chineses e russos são inimigos é apenas propaganda suja do Império. Obviamente o conflito sino-soviético é coisa do passado, e ambos os povos tem muito a ganhar se ajudando.

Mas a máquina Imperial insiste em querer dizer que ambos são inimigos mortais, apenas um truque, porque sabem que russos e chineses, ao se ajudarem, tem muito a ganhar.

Os chineses tem grana e mão de obra, os russos tecnologia e experiência.

Últimas Notícias

Assessor de segurança nacional dos EUA viaja ao Brasil

Esta semana, o conselheiro de Segurança Nacional dos Estados Unidos, Jake Sullivan, viajará para o Brasil e Argentina, acompanhado...
- Advertisement -
- Advertisement -