Home Análise Como seria a resposta de Assad a bombardeios dos EUA e seus...

Como seria a resposta de Assad a bombardeios dos EUA e seus aliados?

94
1

0320-syria-chemical-weapons_full_600

Por Guga Chacra

vinheta-opiniao-forteVou delinear aqui o pior e o melhor dos cenários de uma resposta diante do já praticamente certo bombardeio dos EUA e seus aliados europeus contra a Síria.

 O que o ataque tende a causar – Deve destruir instalações militares e políticas do regime. Não está claro se instalações de armas químicas também seriam alvejadas. A ação não será prolongada. O bombardeio tende a ser punitivo e por pouco tempo

 A resposta de Assad (Pior dos cenários) – Ações em massa contra áreas opositoras seriam levadas adiante com inúmeros massacres, incluindo uso indiscriminado de armas químicas. A Jordânia provavelmente seria alvo de ataques do regime. Israel tem o poder de dissuasão, mas talvez também acabe sendo alvo. No Líbano, as ações seriam restritas a carros-bomba contra alvos sunitas. O Hezbollah ficará de prontidão diante da possível eclosão do pior dos cenários e, se os israelenses responderem, talvez abra uma frente no sul do Líbano

 A resposta de Assad (Melhor dos cenários) – O líder sírio esperaria pelo resultado dos bombardeios. Mostraria os civis mortos e exibiria para o mundo o resultado dos ataques de Obama em uma tática de PR. Diria que o presidente dos Estados Unidos abertamente se aliou à Al Qaeda contra as minorias religiosas, incluindo os cristãos. Na ONU, a Rússia faria um protesto formal pelos ataques. E Assad concentraria toda a sua resposta nos opositores. Talvez vejamos atentados terroristas em outros lugares do mundo.

FONTE: O Estado de S. Paulo

Subscribe
Notify of
guest
1 Comentário
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Wagner
Wagner
7 anos atrás

é macabro, mas o conflito beneficiará os envolvidos, exceto Síria, pois Rússia, USA e Irâ coletarão os dados para aperfeiçoarem seus sistemas.

Para a Rússia será um teste muito interessante, os ajustes podem até mesmo ajudar no futuro S 500.