Home Noticiário Internacional Putin admite pela primeira vez presença militar russa na Ucrânia

Putin admite pela primeira vez presença militar russa na Ucrânia

4913
44

Em entrevista coletiva anual, presidente ameaça derrubar aviões turcos que sobrevoarem espaço aéreo sírio

MOSCOU — O presidente russo, Vladimir Putin, admitiu pela primeira vez a presença de especialistas militares russos no Leste da Ucrânia. Falando a jornalistas russos e estrangeiros em sua grande entrevista coletiva anual, em Moscou, Putin disse ainda que a Rússia está disposta a convencer os separatistas pró-Moscou de que é necessário um acordo a fim de alcançar uma solução política para o conflito na região. E reservou as palavras mais duras para Turquia, cuja relação entre os países estremeceu desde a derrubada de um bombardeiro russo pelas forças turcas na Síria

Perguntado por um repórter ucraniano sobre dois oficiais de inteligência militares russos capturados por Kiev e atualmente em julgamento na Ucrânia, o presidente disse:

— Nós nunca dissemos que não havia pessoas realizando certas tarefas, incluindo na esfera militar — disse ele. — Mas isso não significa que haja tropas russas (regulares) lá. Veja a diferença.

Putin também afirmou prever a piora das relações comerciais com a Ucrânia, mas disse que a Rússia não iria impor sanções sobre Kiev relacionadas com o seu acordo comercial com a União Europeia (UE).

Em outro momento da entrevista coletiva, Putin assegurou que a Rússia nunca iria concordar com qualquer força externa decidindo sobre quem deve governar a Síria. Ele voltou a defender uma solução política como a única maneira de resolver o conflito de quase cinco anos e expressou apoio à iniciativa de Washington de preparar uma resolução no Conselho de Segurança da ONU sobre a Síria.

— Acreditamos que somente o povo sírio pode decidir quem deveria governá-los. Nós opoiamos a iniciativa dos Estados Unidos sobre a resolução da ONU — ressaltou o presidente, acrescentando que a atividade militar russa na Síria continuará até que se inicie um processo político.

A grande coletiva de Putin é realizada todos os anos desde 2001, primeiro ano da sua Presidência. Sobre a Turquia, ele afirmou que não vê perspectiva de melhorar as relações com o país após o abatimento do jato russo no mês passado. E ameaçou Ancara de derrubar seus aviões que sobrevoarem o espaço aéreo da Síria, onde a Rússia tem S-400 mísseis antiaéreos.

— Se antes a aviação turca voava e violava permanentemente o espaço aéreo da Síria, que voem agora — desafiou Putin na entrevista, transmitida ao vivo pela televisão.

O presidente classificou a derrubada do jato russo como um “ato de inimizade” e disse não entender por que a Turquia fez isso.

— É difícil chegar a um acordo com a atual liderança turca — afirmou. — O que eles conseguiram? Talvez, pensaram que iríamos fugir de lá (Síria)? Mas a Rússia não é um país assim.

Neste ano, cerca de 1.400 jornalistas russos e estrangeiros acompanham a entrevista do presidente russo, realizada no Centro de Comércio Internacional.

RELAÇÃO COM OS EUA

A relação com os Estados Unidos também foi abordada na entrevista. O presidente disse que a Rússia está disposta a para melhorar as relações com Washington e colaborar com seu próximo presidente, seja ele quem for.

Segundo Putin, as suas conversas com o secretário de Estado americano, John Kerry, no início desta semana, mostraram que os Estados Unidos também estão dispostos a “avançarem para a resolução de problemas que só podem ser resolvidos através de esforços conjuntos.”

Ele assegurou que a economia russa mostra sinais de estabilidade apesar da queda nos preços de petróleo.

FONTE: O Globo / Agências Internacionais

Subscribe
Notify of
guest
44 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Campos
Carlos Campos
4 anos atrás

nossa se ele não dissesse eu nunca saberia que existem russos atuando sob ordens de Moscou na Ucrânia. Sobre a Síria o único país que tem legitimidade para voar sobre seu território é a Rússia. Espero que os EUA aceitam que não há conversas com islamistas, querem se matar deixem se matar ou que matem o máximo possível de islamistas até atingir a paz, aquilo ali é uma lástima

edcarlos
edcarlos
4 anos atrás

Se existe presença militar Russa na Ucrânia?! Claro, tomaram a Crimeia!

A Ucrânia é uma nação dividida, e não vejo uma solução em médio prazo para restabelecer sua integridade tanto política como territorial.

Saudações!

Reinaldo Deprera
Reinaldo Deprera
4 anos atrás

A única solução para a Rússia é a completa desintegração do seu território. Até lá, eles continuarão a cultivar o desejo de ser uma potência do tamanho da sua extensão territorial, fazendo o que for preciso para conseguir tal objetivo. Já tentaram de tudo. A única coisa que não se pode esperar da sua política externa é a verdade. A mentira, a manipulação da informação e o sacrifício em massa de vidas humanas russas e estrangeiras renderam muito capital inglês e norte-americano para a URSS na segunda guerra. Enquanto pediam mais e mais ajuda aliada, seguravam os alemães no oeste… Read more »

donitz123
4 anos atrás

Tá bom. A Rússia tem um satânico plano de dominação do mundo. Só esqueceram de combinar com os russos.

Cold War 2.0. Quanta balela.

Toleman Picoli
Toleman Picoli
4 anos atrás

donitz123 18 de dezembro de 2015 at 8:25
Bela falácia! Tudo o que foi dito pelo colega Reinaldo é que a Rússia quer ser uma potência global e não mede esforços (nem vidas humanas) para buscar esse objetivo. Desqualificar um argumento bem apresentado como o dele sem rebatê-lo, apenas o ridicularizando, é de uma infantilidade abissal!

donitz123
4 anos atrás

Isto não é argumento mas uma teoria de conspiração, algo que só pode ser tratado de forma jocosa.

Vader
4 anos atrás

Caro Donitz, a Rússia querer “dominar o mundo” como você colocou não é de hoje: esse plano vem sendo realizado desde o Czar Pedro “O Grande” (so called). Isso não é Teoria da Conspiração: em linhas gerais o objetivo último da política externa russa (conquistar o mundo) é o mesmo há 200 anos! Esse objetivo já era previsto desde os czares, atingiu seu ápice na União Soviética (que chegou a ter sob seus domínios 22.4 milhões de km2) e hoje domina 17 milhões de km2. E se você olhar do ponto de vista histórico a Rússia nunca deixou de lado… Read more »

donitz123
4 anos atrás

Eu também acredito nos Protocolos dos Sábios de Sião, que o 11 de Setembro foi um trabalho interno, no Coelhinho da Páscoa, o Papai Noel, na Mula sem Cabeça, no Saci …

Abraços!

Rogério Arantes.
4 anos atrás

Discordar do Sr. Donitz, com todo respeito, parece-me o mesmo que discutir com um Pombo. Sem argumentos contrários ao argumentos do Sr.Reinaldo Deprera, o qual se baseia em fatos, o que lhe resta é vociferar, dar a ultima opinião e sair com o peito estufado, como diz o Sr. Augusto Liberato, vulgo (Gugu), “Isto é muito triste”.

Vader
4 anos atrás

Caro Donitz, ao contrário das teorias conspiratórias citadas, a pretensão russa de expansão territorial mundial encontra-se documentada em despachos imperiais, soviéticos e republicanos, não apenas do corpo diplomático mas também de altas autoridades, como os Czares Pedro e Alexandre e os líderes soviéticos Stálin e Kruschev. Pesquise a respeito e você encontrará incontáveis referências históricas. Só para pensar: a Rússia hoje JÁ DOMINA um NONO da terra seca do mundo, já tendo chegado a dominar um sétimo (URSS). E o sonho do Putin é reconstruir a “Grande Mãe Rússia”, uma espécie de “lebensraun” da qual fariam parte, entre outros países… Read more »

Antonio Palhares
Antonio Palhares
4 anos atrás

Como apreciador da história, pensava encontrar comentários mais equilibrados baseados em fatos reais e atuais sobre estes assuntos. Porém me deparo com estultices que beiram à sandice. Pelo que sei, não existe a crença no direito manifesto, da Russia ser o modelo moral e religioso mundial a ser seguido. Sei que a Crimeia sempre foi base da frota russa no mar negro desde Catarina, a grande. Como desconheço qualquer operação de guerra,de grande envergadura dos russos fora do quintal deles. No meu modesto jeito de pensar, o Putin esta apenas tentando defender os interesses do país dele. Outra coisa. A… Read more »

Rafael
Rafael
4 anos atrás

A Russia sempre almejou ser uma superpotência isso fato mas nao quer dizer que eles queiram dominar o mundo,ate porque isso e impossível. Diferente dos EUA que sempre foi uma democracia e um pais relativamente instável internamente a Russia nao teve essa mesma sorte, teve momentos onde ela esteve onde queria no mundo e outros de declínio constante, com mudança de regime. No âmbito das acoes da política externa russa nada mas e um reflexo da política interna russa ou de como eles vêem o mundo, diferente dos EUA que por um democracia tem uma visão diferente dos russos mas… Read more »

Carlos Campos
Carlos Campos
4 anos atrás

Só pra lembrar Rússia, EUA, UK, França e China mentem muito e manipulam, não existe santo entre eles. Sobre a Síria o Obama deve parar de ser bonzinho demais, deixar de ligar para o extremo politicamente correto

donitz123
4 anos atrás

Tão interessada estava a Rússia na dominação global desde os tempos dos czares que vendeu suas colônias na Califórnia e Alasca para os americanos. Eles jogaram fora aquela bela cabeça de ponte para uma invasão das Américas assim do nada. Algo não bate na teoria de dominação global russa. O que a Rússia faz é defender seus interesses regionais, isto sim ela faz.
Tem gente aqui que está sofrendo overdose de Coca-Cola.

donitz123
4 anos atrás

Sempre que leio estes comentários sobre a “Teoria da dominação global russa” lembro deste episódio dos Simpsons. Tem gente por aqui que pensa desta forma.

https://www.youtube.com/watch?v=cQKzesTq0Wo

Claudiney
4 anos atrás

A Russia é o pais mais interessante do mundo atualmente para quem gosta de diplomacia. Eles têm trabalhado com afinco para quebrar alguns paradigmas. O primeiro que podemos citar, muito aceito até pouco tempo é que suas forças armadas estavam despreparadas e não tinham como projetar poder. Outro paradigma muito comum diz que os russos sempre mentem ou escondem a verdade. Eles têm se esforçado para mostrar o contrário. Informações sobre as operações aéreas na Síria podem ser acompanhadas diariamente pelos seus boletins, e agora a cx. preta do bombardeiro sendo aberta publicamente. Só ficando nestes dois detalhes podemos dizer… Read more »

Leo
Leo
4 anos atrás

Off topic:
Mestre Bosco
de uma olhada na nova artilharia russa, principalmente no final do vídeo onde tem os disparos, a alta cadência de tiros parece algo em torno de 1 disparo a cada 3 segundos ou menos.
https://youtu.be/aHV0R30fueY

Eremildo
Eremildo
4 anos atrás

Não confundir aquisição territorial com conquista de influência. Não confundir objetivos estratégicos da Rússia com os objetivos políticos da URSS, esses sim subverter todo o mundo ao tacão comunista. A Rússia sempre buscou o controle dos estreitos para atingir as “águas quentes”.

Oganza
Oganza
4 anos atrás

Claudiney, Transparência? 🙂 – Vamos aprender a diferença entre notícia independente/Imparcial e propaganda? Ou vc acredita em tudo que os tele jornais transmite diariamente? kkkkkk Eles deveriam ter imprensa livre… pra começar… 🙁 –––––––––––––––––––––––––––––––––––– Leo, 1 disparo a cada 3 segundos? Vc não deve ter percebido o corte no vídeo… 🙂 Ps.: o “3º” disparo é na verdade o playback do primeiro. Pps.: Os russos quiseram fazer um obus primeiro com 6 e depois com 4 canos… viram que isso não funcionaria, depois reduziram para 2… aparentemente viram que isso tb não funcionaria, mas ainda continuam a divulgar as imagens… Read more »

PRAEFECTUS
4 anos atrás

Senhores, ao longo de sua história pós-soviética, a Rússia tem repetidamente usado argumentos sobre a soberania do Estado para se opor a qualquer forma de intervenção militar no Oriente Médio. ‘ No entanto, agora a Rússia não só realiza uma intervenção militar própria no Oriente Médio, mas usa argumentos sobre a soberania do Estado como justificativa para fazê-lo. ‘ Como, então, explicar o raciocínio aparentemente contraditório por trás das ações da Rússia, como algo que não seja simplesmente hipócrita? ‘ A resposta é que o Ocidente e a Rússia mantem fundamentalmente diferentes definições de soberania do Estado e, no Oriente… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Aff, vou tomar meu todinho e comer cereais !

Leo
Leo
4 anos atrás

Organza, no video eles quiseram mostrar que 2 canos era muito complicado e caro como estava escrito no tvzvezda.ru que é quem faz esses vídeos e que agora com um eles conseguiram aumentar a cadência de disparos e se manter a frente de qualquer concorrente estrangeiro na cadência de disparos fora a outras novidades…. Eu fiquei meio desconfiado se era corte mesmo vou analisar melhor…

Leo
Leo
4 anos atrás

Realmente foi corte no vídeo percebi agora kkk erro meu. Parece que a cadência de disparo é um pouco maior que a do mata e agora a tripulação não fica em contato com as munições.

Mateus S. De Souza
4 anos atrás

Se a Rússia quer dominar o mundo, o que esperar da China e dos Ianques? Ainda tem gente que toma partido…

_RR_
_RR_
4 anos atrás

Doenitz, amigos, – O Emerildo ( 18 de dezembro de 2015 at 16:25) pescou a charada… – Eu também entendo que os russos, desde a ascensão de Pedro I, tem como objetivo maior garantir os seus acessos a águas quentes para conectar-se ao mundo de forma regular. Naquele período, final do século XVII ao primeiro terço do século XVIII, o então Czar certamente identificou que uma das causas do atraso russo ( e da fraqueza de sua pátria ) era justamente o isolamento do imenso país em relação aos demais, ditado pela sua posição geográfica… – E grosso modo, se… Read more »

_RR_
_RR_
4 anos atrás

Praefectus, – Você acerta quando diz que a Ocidente tende a reconhecer o Estado e não o líder em si, e que os russos tendem a reconhecer um governo antes de um Estado. – Mas creio que se equivoca em algumas explicações. – No caso egípcio, foi justamente esse tipo de flexibilidade providenciada por esse modo de ver as diferenças entre Estado e governo que permitiu ao Ocidente reconhecer qual era o governo que se considerava mais adequado para aquele Estado em particular, e que era capaz de deixa-lo em posição mais favorável aos seus interesses. E isso funcionou muito… Read more »

Oganza
Oganza
4 anos atrás

PRAEFECTUS, – É assim que passamos a entender uma mente tico e teco… kkkkk – Meu caro bisonho analista, a Instituição Estado supera em valor um Governo e qualquer Ser que o ocupe independente de suas vontades. – As instituições e suas regras é que podam e refream os impulsos passionais do Ser que Governa, pois seu Governo NÃO É o Estado, ele apenas o Governa e o Representa obedecendo regras institucionais… Sem instituições fortes NÃO existe Governo e muito menos Estado. – Um Ser/Governante pode até encarnar/representar um Ideal, mas ele nunca poderá ser esse Ideal. INSTITUIÇÕES em sua… Read more »

Lc
Lc
4 anos atrás

Oganza,

Permita-me discordar em um ponto. Quando afirmas “.mentira institucional por definição… nada muito diferente do que estão querendo fazer com o Brasil.”
Já fizeram, caro Oganza.

Sds.

Melky Cavalcante
Melky Cavalcante
4 anos atrás

A Rússia e o Brasil são democracias recentes, ainda estão se adaptando a esse novo regime, estão consolidado suas instituições. Aqui como lá, há gerações que passaram pelos dois períodos e cada geração vai achar que sua “época” é/era a melhor, lá eles querem a volta da URSS, aqui querem um golpe militar. O fato é que o tempo se encarregará de acabar com as gerações nostálgicas e abrir caminho para o futuro que depende do agora e agora nem a Rússia nem o Brasil estão na sua melhor forma.

PRAEFECTUS
4 anos atrás

Saudações _RR_,

meu caro, creio que o amigo deve ter percebido que procurei expor uma suposta visão russa dos fatos, no emblemático Oriente médio especificamente em relação ao “caso” Síria.

Obviamente meu comentário é despojado de ideologia, prendendo-se apenas em esboçar o “modus operandi” russo e Ocidental e a partir daí os resultados práticos obtidos até então naquele teatro de operações.

Os fatos até agora ao meu ver falam por si.

Grato.

Carlos Campos
Carlos Campos
4 anos atrás

PRAEFECTUS, gostei de seu comentário, acho que é assim mesmo que a Rússia funciona e por ser assim que funciona em alguns casos odeio seus atos como a intervenção na Ucrânia e a tomada da Criméia. Ou seja o governo está indo contra meus planos= inimigo

Delfim
Delfim
4 anos atrás

RR, um aparte.

O antigo Império Russo, culturalmente, sempre foi avesso à cultura ocidental, com exceções como o Czar Pedro, o Grande. Sua economia era um simulacro do feudalismo, os trabalhadores rurais eram servos, não havia indústria decente. O antigo imperialismo russo, então, se baseava no pan-eslavismo e na proteção da religião cristã-ortodoxa; isto mudou durante o período soviético no qual almejou objetivos maiores, sob o manto de disseminação do comunismo.
Parece que o Putin ora age de uma maneira mais antiga, ora mais soviética, e com isso confunde o Ocidente.

_RR_
_RR_
4 anos atrás

Caro Delfim, Não obstante, isso não muda o fato de que as lideranças russas dos últimos 300 anos tem esse pensamento fixo, de garantir os acessos da Rússia ao mundo exterior, antes principalmente pela expansão demográfica via o “incentivo” a imigração criado pelas campanhas de conquista, iniciada ainda no século XVIII e que teve seu ápice na era soviética ( aliás, essa “arma demográfica” vem surtindo efeito mesmo hoje, mantendo consideráveis terras ao redor da Rússia sob influência deste país ). Uma outra razão, evidentemente, é constituir um “cordão sanitário” entre a Rússia e o Ocidente, mantendo o centro do… Read more »

Marcelo-SP
Marcelo-SP
4 anos atrás

Nunca devemos esquecer quem tem mísseis nucleares apontados contra as democracias ocidentais. A guerra de 1914 tem algumas tréguas, mas continua até hoje. Putin é ex-KGB, portanto um autocrata forjado no comunismo, irmão gêmeo do fascismo, com quem pretendia dividir o mundo até este último esbarrar na tenacidade dos ingleses sob a liderança do velho buldogue.

Portanto, não se confia nos governantes russos. Qualquer acordo com a Rússia não deve passar de algo tático e pontual. O verdadeiro inimigo, ainda que repaginado, continua em Moscou.

Marcelo-SP
Marcelo-SP
4 anos atrás

Como já disse, em outro post aqui: “Esse negócio de “não ter lado” entre russos e o ocidente é coisa de comuna cínico. A guerra, quente ou fria, entre as democracias ocidentais e o comuno-fascismo, iniciada em 1914, continua até hoje. E Putin, ex-KGB, não faz o menor esforço para disfarçar que representa a herança da URSS. O extremismo islâmico não acabará com o fim do ISIS. Só com uma transformação/evolução de longuíssimo prazo na cultura muçulmana, como a que o iluminismo fez com o cristianismo. Teremos que lidar com o terrorismo por muito tempo e controlá-lo dentro do possível.… Read more »

soldat
4 anos atrás

Só a uma solução para o mundo a Dissolução total dos EUA em diversos paise para o mundo ter realmente paz.

Resposta aos fanático pro-Âmis,

“A única solução para a Rússia é a completa desintegração do seu território. Até lá, eles continuarão a cultivar o desejo de ser uma potência do tamanho da sua extensão territorial, fazendo o que for preciso para conseguir tal objetivo?”.

6 mil mulheres Izadis sendo vendidas como escravas sexuais graças aos Âmis., fico imaginando se fossem mulheres aliadas aos mias se eles ficariam calados?????.

https://www.youtube.com/watch?v=xJxSCfKT4xA

Luiz Trindade
Luiz Trindade
4 anos atrás

Dos comentários aqui escritos que a maioria beira insanidade dizendo que o grande Satã do mundo é a Rússia, o que mais beira a um comentário bem estruturado em seus argumentos foi do senhor Antonio Palhares.
Os EUA nunca admitiram que a Rússia seja detentora de grande porções de riquezas que estão sobre o seu território e que seja o grande opositor no conselho de segurança. Por isso desejam tão ardentemente que suba ao poder na Rússia um outro “Boris Yeltsin”. Digo aos de anti-Rússia de plantão, não vai acontecer!

Marcelo-SP
Marcelo-SP
4 anos atrás

Grande Satã pode ficar por conta do freguês… Mas que o grande inimigo das democracias ocidentais continua sendo a Rússia, isso não muda.

rgdl
4 anos atrás

Instituições fracas e governo forte… o estado é o governo… o governo é o homem que lá está… hummm isso ai não está aproximo da definição de ditadura??

tadeumar
tadeumar
4 anos atrás

O soldat esta proposto a desintegracao dos EUA para que haja paz no mundo.

Se isso viesse acontecer com os EUA, ai sim o mundo vai virar um inferno.

Definitivamente voce nao tem ideia do que està falando.

Humberto Junior
4 anos atrás

Muito bem frisado Antonio Palhares, vários delirando num plano de dominação mundial por parte de Moscow ”destino manisfesto russo”. Se for este o grande objetivo russo, o que poderia se dizer da venda do Alasca? O que me parece é que Putin está tentando restabelecer antigas áreas de influência como Ásia Central, Europa Oriental, Repúblicas Bálticas ou tentando criar novos estado-tampão, com certa orientação russa. Aparante-se mais como a política do grande porrete.

Fabiano
Fabiano
4 anos atrás

Mesmo se Eua e Russia virarem po ,vai vir alguem de cada lado no lugar e continuar o cabo de guerra ,o mundo e sempre assim,a guerra de ideologias sempre havera. Nenhum jogador é insubstituivel a historia do mundo é assim.

Anselmo Nogueira
Anselmo Nogueira
4 anos atrás

Tenho tantas observações a fazer que melhor seria escrever um livro… Depois de ter lido todos os comentários, minha cabeça começou a indagar: um país como os EUA, bi partidário, realmente pode ser considerado uma democracia tal qual o conceito criado por Montesquieu na obra “O Espírito das Leis”? Sendo bi partidário e polarizando o pensamento político em apenas dois extremos, será que toda a sociedade estadunidense está bem representada? Creio que não… Faz parte dos ianques dividir o mundo em bem e mal, bom e ruim. E justamente a idéia central da democracia é algo como alcançar o caminho… Read more »