Home Clipping Exército iraquiano anuncia a liberação da cidade de Ramadi

Exército iraquiano anuncia a liberação da cidade de Ramadi

2956
17

ramadi

Ramadi está situada 100 quilômetros a oeste de Bagdá. Integrantes do Estado Islâmico deixaram prédio governamental no domingo

O exército iraquiano anunciou nesta segunda-feira (28) a liberação total da cidade de Ramadi da dominação do Estado Islâmico, de acordo com a Associated Press. A cidade que está situada 100 quilômetros a oeste de Bagdá estava sob poder dos jihadistas desde maio.

“Ramadi foi libertada e as forças armadas de contra-terrorismo hasteou a bandeira sobre a sede do governo”, comemorou o general de brigada Yahya Rassool à televisão de Estado, de acordo com a France Presse.

No sábado (26), o ministro da Defesa, Khaled al-Obaidi, anunciou que as forças iraquianas, apoiadas por bombardeios da coalizão internacional, retomariam o controle da cidade antes do fim do ano.

A capital de Anbar, a maior província do Iraque, divide fronteira com a Síria, a Jordânia e a Arábia Saudita.

Uma vitória nesta cidade pode permitir melhorar a imagem do exército iraquiano, que recebeu muitas críticas depois de perder amplas faixas de território para os jihadistas em junho de 2014.

Todos os combatentes do Estado Islâmico deixaram no domingo (27) um complexo governamental estratégico da cidade de Ramadi, declarou um porta-voz das forças de elite antiterroristas.

As batalhas pelo edifício governamental mataram nas últimas horas vários combatentes jihadistas e integrantes das forças iraquianas.

FONTE: G1

Subscribe
Notify of
guest
17 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Delfim
Delfim
4 anos atrás

É por aí mesmo.

O que o Ocidente tem que fazer é ajudar governos árabes legítimos a combater o EIIL em terra, só fornecendo apoio material e político, e bombardeando alvos estratégicos como comboios de petróleo pra minar a capacidade econômica do EIIL.

Alguns países querem Haddad fora, mas sem ele pode melhorar ou piorar. Melhor deixar pros russos.

Leonardo.
Leonardo.
4 anos atrás

Não está confundindo os nomes? Haddad é um problema de SP e não da Síria, que tem o Assad hahaha

Luís Pereira
Luís Pereira
4 anos atrás

O perigo é armar esses “governos árabes legítimos” hoje e criar outros problemas para o amanhã.

José Carlos
José Carlos
4 anos atrás

Prezado Luís Pereira, Todo este problema foi criado no “ontem” com promessa de um “amanhã” melhor” e vc sabe por quem!!! ninguém lá: come, bebe,veste, mora ou quer deixar para ser roubado “amanhã” de novo.

Nonato
Nonato
4 anos atrás

Não comparar Assad com Haddad. Respeite o primeiro.
O segundo é seguidor de Chávez, maduro e Fidel…
Quanto a essa retomada é simbólica e importante.
Foi a única cidade retomada pelo exército iraquiano e não pelas brigadas xiitas iranianas ou pelos curdos.
Só que foram seis meses de batalha para expulsar 600 rebeldes… muitos dos quais fugiram para vilarejos e pretendem seguir na estratégia da guerrilha.
Mas é um avanço.
Mas quero ver acabar com o daesh e não apenas muda-lo de lugar para voltarem depois…
Já querem agir na Líbia e Afeganistão o que lhes daria força…

batito
batito
4 anos atrás

acho que nem é do meu calado vir aqui bostejar sobre oque esta acontecendo la ja que a maioria das noticias ou é falsa ou demora semanas para chegar aos olhos da imprensa ocidental!

Delfim
Delfim
4 anos atrás

Sim, sim Assad. Desculpem a nossa falha.

_RR_
_RR_
4 anos atrás

Delfim ( 29 de dezembro de 2015 at 17:51 ),

Caro Delfim

Concordo. No máximo, o Ocidente deve se prestar a ações de apoio de inteligência e, apenas quando for absolutamente necessário, enviar forças de elite em operações cirúrgicas.

O Ocidente deve se evitar a todo o custo a utilização de forças massivas em terra, posto isso render um desnecessário desgaste político e financeiro. Essa é tarefa para os árabes.

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

E a super-fodastica-power-hiper forças conjuntas alibaba que iriam agir ?
http://www.forte.jor.br/2015/12/17/37600/
A verdade é uma só, conseguiram esse tento com apoio dos Âmis em diversas áreas, inclusive FE’s ….. caso contrário estariam levando pau ainda.
Super-fodastica-power-hiper forças conjuntas alibaba boa parte desses países compram armas modernas, FE’s são treinadas pelo que há de melhor e por ai vai …..
Na hora do “vamo vê”, não passam de uma tchurma de BM e ponto.

groosp
4 anos atrás

“Uma vitória nesta cidade pode permitir melhorar a imagem do exército iraquiano”

Estão precisando porque perder Ramadi e Mosul mesmo com uma superioridade de mais de 15 para 1 no caso de Mosul foi de doer.

Blind Mans Bluff
Blind Mans Bluff
4 anos atrás

Não se iludam. Não existe esse negócio de estados arabes legitimos.

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Blind Mans Bluff 30 de dezembro de 2015 at 20:02
Concordo 110%.

Trollbuster
Trollbuster
4 anos atrás

Tirar o Haddad é até mais urgente que tirar o Assad 😀 😀

Bernardo-SP
Bernardo-SP
4 anos atrás

O grande problema de conquistar uma cidade grande assim é manter ela, quero ver como vão fazer isso depois de meses de lavagem cerebral no povo. Além que esses “Rebeldes ISIS Terroristas” estão correndo tudo pro lado leste da Síria que pouco a pouco está ganhando muito território ultimamente, ai sim a Turquia vai ficar com uma bomba e o Iraque vai começar minar outra pois a Síria pode estar na merda mas tem um ditador que sabe comandar o país que tem.

Delfim
Delfim
4 anos atrás

Ah sim, resolveram agitar em Israel. Atirador árabe-israeli abriu fogo em um supermercado em Telaviv, matou 2 e deu no pé.

carlos alberto soares
carlos alberto soares
4 anos atrás

Lobo solitário, com histórico, o próprio Pai deu “a ficha”.

Delfim
Delfim
4 anos atrás

Soares
Os árabes-israelis vivem melhor em Israel que em qquer outro país no entorno.
O pai dele tê-lo denunciado mostra que não é o modelo que se propaga porraí, do “árabe que se ressente do domínio judeu”, blábláblá.
Só lamento o Bibi pegar um fato isolado e resolvido pra propor o desarmamento da população árabe. Não faltarão radicais pensando em virar uns Baruch Goldsteins da vida.