Home Clipping Ideia de que impeachment é golpe ecoa retórica bolivariana, diz historiador

Ideia de que impeachment é golpe ecoa retórica bolivariana, diz historiador

2203
22

Carlos Malamud

SAMY ADGHIRNI
DE CARACAS

ClippingPara o historiador argentino Carlos Malamud, 65, pesquisador no Real Instituto Elcano de Madri, o discurso do golpismo alardeado pela presidente Dilma Rousseff mostra que o PT já não se diferencia do populismo bolivariano.

Em entrevista à Folha por telefone, Malamud disse que a radicalização no Brasil é uma reação ao fato de o PT se considerar o único representante legítimo do povo, e negou que haja golpe em curso.

Malamud afirmou que o eventual impeachment de Dilma seria catastrófico para os governos populistas da América Latina e atribuiu parte dos problemas da região a governos que passam tempo demais no poder.

Folha – Como vê a agressividade do embate político no Brasil?

Carlos Malamud – Esse radicalismo é parecido com os da Bolívia, da Venezuela e da Argentina. Seguidores do PT, de Evo Morales, do chavismo e do kirchnerismo defendiam a ideia de chegar ao poder para se instalar de vez, sob pretexto de serem os únicos representantes legítimos da soberania popular.

O radicalismo é resposta a esse comportamento. Para [Hugo] Chávez e Cristina Kirchner, o fato de a oposição querer ganhar eleições era por si só um esforço golpista. E a ideia de golpe alardeada por Dilma e Lula ecoa o discurso bolivariano –do qual o Brasil se mantinha à distância. Hoje, o governo petista aderiu a essa retórica populista.

Não é pertinente debater se há um golpe em curso no Brasil?

Uma coisa é a conveniência de Dilma ficar no poder. Outra é argumentar que a marcha constitucional é fruto de manobra golpista. A Constituição é clara: alguns crimes cometidos pelo Presidente da República devem ser julgados pelo STF. No caso do crime de responsabilidade, o julgamento cabe ao Senado.

Pensar que isso é golpismo equivale a desqualificar o remoção do então presidente paraguaio, Fernando Lugo [em 2012]. No fundo, o grande tema é a legitimidade democrática, e os membros do Parlamento também foram eleitos pelo povo.

Críticos dizem que a Justiça brasileira não investiga com o mesmo empenho a oposição.

É preciso pressionar todos os suspeitos de terem cometido crimes e punir os responsáveis por corrupção em empresas públicas. Mas o grau de cumplicidade do governo é maior. Se o Parlamento tivesse cumprido sua função de fiscalização, o que não fez, não haveria sido necessária tamanha atuação da Justiça.

O que opina sobre o argumento pelo qual o cerco ao PT seria fruto de revanche da classe média e da direita?

É pura propaganda. Pretender que tudo são manobras da direita contra a esquerda não condiz com a história recente. A Fiesp apoia o impeachment, mas até pouco tempo era aliada incondicional de Lula. De repente a questão é um embate entre direita e esquerda? Isso não tem sentido.

Qual seria o impacto regional da destituição de Dilma?

A saída do PT seria brutal para a Alba [Aliança Bolivariana para os Povos da Nossa América] e os governos populistas da região. A Alba já havia sentido o baque com o fim do governo Kirchner e a crise venezuelana. O motivo pelo qual a cláusula democrática do Mercosul não foi aplicada contra a Venezuela foi o apoio do Brasil a Maduro. Sem esse apoio, o cenário ficaria catastrófico para ele.

O Mercosul poderia aplicar a cláusula democrática contra o Brasil em caso de impeachment de Dilma?

O Paraguai não se esquece do que aconteceu em 2012, quando foi suspenso do Mercosul em grande medida pela posição de Dilma. Era esperado que quisesse que aconteça algo parecido com o Brasil.

Já a posição argentina leva em conta o fato de que o Brasil é seu principal sócio comercial e que qualquer turbulência brasileira pode afetá-la. Mas a Argentina nunca falou em “golpe” no Brasil.

A Venezuela está num impasse desde a vitória da oposição na eleição parlamentar.

As coisas parecem não mudar na superfície, mas a crise não para de se aprofundar. As pesquisas mostram que a perda de confiança no governo é absoluta. Maduro não permite troca de guarda nem dentro do chavismo. A solução dos problemas é cada vez mais complicada e há risco real de desfecho sangrento.

A América Latina está vivendo a reversão do ciclo dos governos de esquerda?

A democracia na região vive uma crise de maturidade. Estamos mudando, mas o futuro ainda pode ser complicado. Não está escrito que tudo será apagado e haverá um novo começo. Mas nos últimos 15 anos houve pouca alternância, e isso gerou muito desgaste. A alternância deve ser valorizada.

FONTE: Folha de São Paulo

Subscribe
Notify of
guest
22 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Golpe é sermos usurpados por esses CANALHAS.
Não há dinheiro público, o que é nosso dinheiro.
Cada centavo roubado, desviado, mal aplicado/investido é o nosso dinheiro
que está indo pro ,lixo e/ou para o bolso dos CANALHAS.
Dinheiro esse que tem que ir para a Saúde, Educação e Segurança,
áreas críticas em nosso País.
Previdência ?
70% do rombo vem de aposentadorias especiais etc etc etc.
A população que realmente trabalha e contribui está ferrada.
Brazil, um país de tolos.
——————————————-

QUE ARDAM NO INFERNO TODOS QUE USURPAM O NOSSO DINHEIRO.
___________________________

https://www.youtube.com/watch?v=YIkNJyIE0rA

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Não temos nem de longe uma pessoa com essa capacidade, preparo e sensatez, estamos ferrados e ponto. Não há fundo do poço, a curto, médio e longo prazo estamos ferrados. Tinha certeza que minha geração viveu/vive quatro (4) momentos: 1) A partir da crise do petróleo 73/74 atingimos o fundo do posso, mas ai em Novembro/Dezembro de 79 veio a Circular 66 (se não me engano esse é o famoso nº), o dólar disparou assustadoramente, todos “tomados” em dólares quebraram e ficamos duas décadas abaixo do fundo do poço; 2) Plano Real, estabilização da moeda e da economia, anos de… Read more »

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

EDITORES, lembro que o 2º vídeo nãso é completo e as legendas estão horríveis, sugiro excluir o 2º vídeo, desculpem-me. Podem excluir este pedido também. Reitero minhas desculpas.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
4 anos atrás

Ótimo tema/tópico, muito boa a entrevista.

Alexandre Samir Maziz
4 anos atrás

Concordo com Carlo Soares , sabias palavras !!!! eu sofro golpe todos os dias quando vou ao mercado , coloca gasolina no carro , cada dia tudo mais caro !!! e ai ?? que me dizem ??? abraços !!!!!

EParro
EParro
4 anos atrás

Carlos Alberto Soares 4 de abril de 2016 at 10:45 Carlos Alberto Soares 4 de abril de 2016 at 11:22 Olá Carlos Alberto Soares, acostumei-me a forma mais leve e, por vezes, até “brincalhona” de muitos comentários seus, entretanto sua análise, nestes últimos dois comentários, a meu ver, foram bem sérias, sucintas e claras. Acompanho teu raciocínio em gênero número e grau, pois tenho claro na memória a vivência destes fatos que relataste. Também não vislumbro alternativa para mim (acredito que sejamos da mesma geração) e também fico assombrado quanto ao futuro que minha filha, de 22 anos, terá que… Read more »

DaGuerra
DaGuerra
4 anos atrás

“…Ah, mas os outros governos anteriores também pedalaram…” e daí? Que tivesse o PT denunciado à época, mas na verdade, também queriam transgredir quando fossem governo. Não impede em nada que a presidente atual pague por seus crimes.

Emerson R.B
4 anos atrás

O “Carlos Alberto Soares 4 de abril de 2016 at 11:22 ” disse tudo matou a pau.
Resumindo, como ja disse em comentários anteriores.Eles são psicopatas, desprovidos totalmente de senso de empatia.Não enxergão um palmo a frente dos olhos a não ser aquilo que eles querem ver e defendem.São totalmente anti-democráticos ,e se dependesse deles, isso aqui viraria uma Venezuela do dia pra noite.

EParro
EParro
4 anos atrás

Carlos Alberto Soares 4 de abril de 2016 at 11:22 Olá Carlos Alberto Soares, acostumei-me a ler seus comentários que, no meu entender, se apresentavam de forma leve. por vezes até de forma “brincalhona”, entretanto sempre informativos. Quando li estes seus últimos comentários, vieram-me à lembrança a vivência dos fatos que relataste e me foi impossível negar que também não verei mais a estabilidade econômica que um dia tivemos (acredito que sejamos da mesma geração). Também me assombro com o futuro que minha filha (da mesma geração de teus filhos) deverá enfrentar devido a um descuido de pessoas de bem… Read more »

Jorge Tadeu
Jorge Tadeu
4 anos atrás

Triste constatação de uma dura realidade… Os atuais governantes – e o Lula – destruíram as bases da nossa economia e levará muitos anos para que se faça a reconstrução. Principalmente, porque não há ninguém com coragem e vontade política de impor uma drástica redução de gastos, com a diminuição da máquina pública (cargos comissionados, etc.) e, privatização – ou extinção – de todas as empresas estatais. Que DEUS proteja nossos filhos e netos…

DomSaf
DomSaf
4 anos atrás

Enquanto esse país tiver pessoas como a maioria ai QUE AGE como torcedor partidário, SEREMOS sempre 3º iMundo.

Quanto comentário e quanta omissão de Corrupção nos governos anteriores.
Nem acredito que li tamanhas besteiras.

Nem tentando fazer a mentira virar verdade conseguirão na base do ufanismo partidário esconder que somos ROUBADOS há mais de 35 anos.

Não estamos ferrados, SEMPRE estivemos ferrados.

Defourt
Defourt
4 anos atrás

Estou maravilhado dos MAVs não estarem aqui agora.
Acabou a mortadela?

Rodrigo Passos
4 anos atrás

Mas não é a esquerda que tem um projeto de poder? Junto com nossos vizinhos que tanto zelam pela democracia? Queremos continuar amigos de ditaduras? Ter como exemplo Rússia e China? Ou será que temos outra alternativa? Talvez termos como exemplo países de primeiro mundo, não é melhor? Países que zelam pela democracia, que permitem que seu país se desenvolva, sem criar obstáculos… algo que a esquerda nunca produziu na história, um país de primeiro mundo. E não terá sido por esse projeto de poder que se roubou tanto? Não está claro para a maioria dos brasileiros nossa melhor opção,… Read more »

Delfim Sobreira
Delfim Sobreira
4 anos atrás
DomSaf
DomSaf
4 anos atrás

Rodrigo Passos 5 de abril de 2016 at 18:45 Qual outra opção nós temos? Talvez algum iluminado possa nos dizer… Você “cita” outros países que são primeiro mundo, mas lá tem/teve INTERESSE para isso. Aqui nunca teve e nunca terá, partido nenhum. Ou alguém aqui tem um nome de um político que será PROBO e administrará esse país sem interesses próprios ? D U V I D O. Sem reformas, principalmente política, JAMAIS! Desculpem me o povo do “prano real” e do “crédito pra nova crasse média”, mas o problema do nosso país é de falta de evolução moral e… Read more »

jesusbaccaro
4 anos atrás

Não adianta trazer acadêmicos de direita pra tentar legitimar um GOLPE. Já tentaram militares, juízes, os bandidos da oposição, a mega imprensa desonesta nacional, pastores pilantras, coxinhas em geral e não adianta, continua sendo GOLPE! NÃO TEM CRIME DE RESPONSABILIDADE! O que está atrasando a vida do Brasil é o fato de vossas senhorias apoiarem gente que perdeu a eleição e quer ganhar no tapetão, não se importando se o Brasil vá pro buraco no processo. O mundo inteiro já percebeu que Dilma, uma Presidenta HONESTA, está sendo combatida por bandidos que querem continuar sugando o Brasil, apoiados por bobos… Read more »

Jorge Alberto
Jorge Alberto
4 anos atrás

Como pura propaganda que seja revanche da classe media e da direita? A FIESP apoiava Lula, nao Dilme… Principalmente apos o discurso da mesma para a entidade, onde ela disse que nao mexeria uma linha na CLT, Coisa q o PMDB e o PSDB ja estao articulando e aprovaram no congresso a lei de terceirizacao…. E para dar continuidade a esse processo, eh necessario tira-la do poder… Nao apoio o PT muitissimo menos o socialismo (esquerdismo – Sou de Direita!), porem o que esta em curso eh sim um golpe (branco), pois quem esta “nas ruas” sao as pessaos que… Read more »

Rodrigo Passos
4 anos atrás

DomSaf, concordo que existe já de muito tempo uma decadência moral no Brasil, mas não terá sido em boa parte pela própria influência da esquerda, que vem a décadas atuando fortemente na mídia, na cultura, nas universidades, nas artes, nas instituições etc etc ? Quanto aos partidos, não serão quase todos eles de esquerda? O Brasil merece uma chance, vivemos um momento histórico. O véu está caindo… O impeachment é só o começo… a lava-jato está aí, e outras investigações virão… Países de primeiro mundo já enfrentaram os problemas que enfrentamos agora, mas é a nossa vez de dar a… Read more »

Rodrigo Passos
4 anos atrás

Alguns movimentos de rua já disseram que, mesmo após o impeachment, continuarão a pressionar os políticos…
Quanto a crise econômica, há um consenso entre os bons economistas sobre o que fazer. E num eventual novo governo, as coisas devem caminhar…

Bueno
Bueno
4 anos atrás

Entrevista do ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Marco AurélioMello ao Jornal do Comercio POA.
JC – O que pode acontecer?

Mello – Os segmentos antagônicos se defrontarem na rua, e aí teremos de ver se as nossas forças repressivas, representadas pelas polícias militares, são suficientes para controlar a situação. Se não forem, o último recurso estará na intervenção das forças armadas. Isso nós não queremos, não pretendemos…

Se interessa, leia as entrelinhas de um Ministro ou Cidadão.

http://jcrs.uol.com.br/_conteudo/2016/04/politica/491460-me-preocupa-muito-o-dia-seguinte–diz-marco-aurelio-mello-do-stf-sobre-eventual-impeachment.html