Home Carros de Combate Exército Brasileiro revisa contratos de manutenção para a Família Leopard

Exército Brasileiro revisa contratos de manutenção para a Família Leopard

5820
30

Curitiba (PR) – Realizou-se, no período de 20 a 24 de novembro, a Reunião de Revisão de Contratos Gerenciados pela Diretoria de Material (D Mat) no 5º Batalhão Logístico (5º B Log).

Além da presença do General de Brigada Sidnei Prado, Diretor de Material do Exército Brasileiro, e de demais integrantes da Diretoria de Material, a reunião contou com a presença dos representantes da empresa Krauss-Maffei Wegmann (KMW), responsável pela fabricação dos blindados da Família Leopard.

Esses dias de trabalho tiveram como objetivos acompanhar o andamento das atividades da Revisão em si e tratar com a KMW os aspectos referentes ao objeto do contrato e as demais especificidades do Projeto Leopard. A atividade também contou com uma visita nas oficinas de manutenção de blindados do 5º Batalhão Logístico.

O Exército Brasileiro tem na Família Leopard a “espinha dorsal” de suas forças blindadas. As suas duas Brigadas Blindadas [(5ª Brigada de Cavalaria Blindada – Ponta Grossa (PR) e 6ª Brigada de Infantaria Blindada – Santa Maria (RS)] têm suas Unidades equipadas com carros de combate, viaturas blindadas de defesa antiaérea, viaturas-socorro e de engenharia blindadas, todas dessa Família.

Além disso, os Regimentos de Cavalaria Blindados das três Brigadas de Cavalaria Mecanizadas situadas no Rio Grande do Sul também passaram a contar com o Leopard em seus Esquadrões de Carros de Combate. Desse modo, o contínuo acompanhamento e a Revisão dos contratos de manutenção e suprimento de peças à Família Leopard são extremamente relevantes à prontidão e disponibilidade das capacidades de nossa Tropa Blindada.

FONTE: Exército Brasileiro

Subscribe
Notify of
guest
30 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Agnelo
Agnelo
2 anos atrás

Em meio a tanta crise, é muito bom ver o EB mantendo esse trabalho essencial para manutenção dessa capacidade.
Pude visitar instalações logísticas de manutenção desses carros e é bonito de se ver.

vicente de paulo
vicente de paulo
2 anos atrás

excelente noticia.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
2 anos atrás

Os Gepard também tem suporte da KMW ?

Colombelli
Socorro ?

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

Eu acho que o exercito mantem uma padronização de blindados e isto e de suma importância,para a logística e suprimentos,e fica evidente que se o Brasil venha a comprar blindados teriam que ser os de origem alemã.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
2 anos atrás

A grande estupidez brasileira , estamos andando de Cavalo pra Burro , poderíamos trabalhar em cima do Projeto Osório , o reprojetando , mas viramos mesmo a Casa do Ferro Velho , que nunca nos levará a lugar algum , coitado do Brasil , os sonhos de minha geração estão sendo Enterrados !!
Poderíamos também trabalhar com a Argentina com o Osório e com o TAM , mas aqui como lá caminhamos juntos , para trás !

Felipe Morais
Felipe Morais
2 anos atrás

Carlos: “Frank Haun, presidente mundial da Krauss-Maffei Wegmann (KMW), anunciou, em cerimônia solene, a inauguração da fábrica da empresa em Santa Maria (RS), localizada às margens da BR-287. Tornada pública em 2010, a nova unidade industrial está dimensionada para realizar os serviços de manutenção pesados na frota de blindados sobre esteiras Leopard 1A5 (220 unidades aproximadamente) e Guepard 1A2 antiaéreos (36 exemplares). Cerca de R$ 40 milhões foram investidos nas obras, até o momento. Foi anunciada a modernização em oito exemplares do blindado antiaéreo Guepard, visando seu emprego na defesa das instalações a serem utilizadas nos Jogos Olímpicos do Rio… Read more »

Agnelo
Agnelo
2 anos atrás

Carlos Alberto Soares 1 de dezembro de 2017 at 10:04
Tem

Agnelo
Agnelo
2 anos atrás

ForTe
Off topic
Boletim do Exército fala sobre VBR.
Sds

Tomcat3.7
Tomcat3.7
2 anos atrás

Agnelo 1 de dezembro de 2017 at 13:25

ForTe
Off topic
Boletim do Exército fala sobre VBR.
Sds
Eis uma luz, com a possível entrada do EB na missão na África pela ONU estes veículos serão imprescindíveis.

Tomcat3.7
Tomcat3.7
2 anos atrás

Agnelo,
boa tarde, eu li por alto a parte que tange a VBR(+ ou – da página 82 à 93) mas não entendi se trata se de modernização dos EE-9 Cascavél (pois se fala que este VBR 6×6 segurará as pontas até que seja possível o 8×8)ou estudo para um VBR 6×6 Guarani com canhão de 90mm .
Você pode me esclarecer???
Desde já agradeço.

Agnelo
Agnelo
2 anos atrás

jose luiz esposito 1 de dezembro de 2017 at 11:23
Infelizmente, o Osório já era… suas peças (q saiam de outros blindados) também já foram descontinuados.
Mas este Leo A5 modernizado está muito bom. muito mesmo.
Sds

Agnelo
Agnelo
2 anos atrás

Tomcat3.7 1 de dezembro de 2017 at 15:49
Inicialmente, entendi q seria um Guarani 6×6 com canhão 90, mas com a segunda parte, q se refere às Normas Técnicas do Cascavel, entendo q será a repotencializada dele.
Pelos requisitos, para uma Vtr de Rec, parece muito bom, mas adia bastante o Guarani 8×8.
Espero ter ajudado.
Sds

Tomcat3.7
Tomcat3.7
2 anos atrás

Valeu pela resposta Agnelo, bom então o que euestava meio que achando é realmente o que vai rolar.
Mas o Cascavel ainda tem muito a dar, repotencializado ainda poe terror em qualquer oponente pois foi e é uma bela máquina .

Antonio
Antonio
2 anos atrás

Incrivel como que tem gente que ainda vive falando de osório.
PLmdds esquece isso.
Osório nem foi projetado pra ser o MBT brasileiro e nem era o melhor tanque do mundo.

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Na Indonésia depois da imprensa ficar enchendo o saco do Exército dizendo que os Leopard 2A4 não podiam ser operados na lama e em região de floresta, a Cavalaria resolveu divulgar um vídeo com o treinamento dos peso pesados na lama e selva.
. https://m.youtube.com/watch?v=ZblMmFLbntg

JOSHUA
JOSHUA
2 anos atrás

jose luiz esposito, Engesa era uma excelente oportunidade para o Brasil sair um pouco da dependência externa da aquisição de armamentos de última geração, principalmente numa área extremamente importante como carros de combate blindados. O Osório foi um dos melhores tanque da década de 80. O que poderia ser feito. 1° Investir no projeto para o novo tanque Osório o EE-T2 Osório, é simples é só pega o mesmo modelo e implantar as tecnologias de Hoje. A questão reside no fato de que, além de não ser um país, povo e governo sérios, há muita corrupção e jogo de interesses… Read more »

Nunao
Nunao
2 anos atrás

Osório, o zumbi.
Zumbisório.

_RR_
_RR_
2 anos atrás

Joshua, Não é tão simples assim… Trazer o ‘Osório’ para a nossa realidade exigiria um pesado investimento. Novos optrônicos, novo sistema de controle de fogo, novo motor, novo canhão, provavelmente uma nova torre ( lembrando que só o chassi é nacional )… Enfim, estamos falando de uns US$ 3,5 milhões por carro, só aí… E eis um outro ponto crítico: ele não foi posto em produção… Por tanto, não estamos falando apenas de modernização, mas da construção de veículos novos em si, o que evidentemente aumenta ainda mais o preço; praticamente dobra, se considerarmos os materiais e uma atualização do… Read more »

Ozzy
Ozzy
2 anos atrás

O Osório teve os seus méritos na época em que foi feito, mas não vejo pra que ressucita-lo.
Oque mais existe é bons projetos de MBT hoje em dia. Se o EB quiser um novo, basta pedir algum fabricante para adaptar um projeto experimentado as suas necessidades.

Renan
Renan
2 anos atrás

Walfrido Strobel 2 de dezembro de 2017 at 14:10
Exelente maneira de saber se serve ou não.
Compra alguns coloca em operação analiza os dados. E então compra o resto
O Brasil deste tamanho gigante. E tem uma misera porção de MBT. Ridiculo.
Comprem mais e mais moderno. Já sugeri o meu numero mistico e me massacraram (1000).
Abraços

Ádson
Ádson
2 anos atrás

O que precisava era instalar o sistema israelense de proteção ativa TROPHY em pelo em nossos Leo. Eles com este sistema compensariam sua menor blindagem , em termos de perdas no TO.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
2 anos atrás

Quando teremos um Regimento de Cavalaria em Boa Vista?

Ádson
Ádson
2 anos atrás

Rsrs, “em pelo em nossos Leo.”Leia-se : pelo menos 100 de nossos Leo.

Agnelo
Agnelo
2 anos atrás

Renan 3 de dezembro de 2017 at 13:05
Boa noite, como eu já disse, 1000 CC vem acompanhado de 1500 VBTP, fora Eng e Art…
Para se manter um MEM, como estes, custa 10% de seu valor ao ano.
Uma força blindada assim seria ótimo, mas é comparável a dizer q a MB tem q ter 3 frotas com NAe.
Sds

Flávio Cardia
Flávio Cardia
2 anos atrás

Qual a opinião de vcs sobre um veículo como o CV90 com uma torre moderna de 105 ou 120mm para ser usado como um MBT?

Wilson
Wilson
2 anos atrás

Prezados Colegas,
Gostaria de saber se é verdade (li em outo forum) que, por este contrato, o uso dos Leopard em treinamento esta limitado a 200 Km e 5 tiros por ano.

Renan
Renan
2 anos atrás

Colombelli 3 de dezembro de 2017 at 14:57 Obrigado pela resposta, mas não digo criar nada. Digo comprar. Usados mas mais modernos 2A5 ou 6 Qual é o problema digamos em comprar 300 destes e estocar os 1A5 para na precisão ativá-los. Pode até estocar uns 100 destes novos adquiridos só nisto teríamos uma capacidade bélica incrível. E sonhando poderia comprar uns 50 TROPHY. Para equipamentos de linha de frente. Com certeza não seria tão diferente os custos de manutenção e as capacidades seriam muito melhores. E já teríamos um numero razoável de MBT. Modernos. Agnelo 3 de dezembro de… Read more »

Agnelo
Agnelo
2 anos atrás

Renan
Concordo em termos mais meios armazenados como reserva.
Sds

Renan
Renan
2 anos atrás

colombelli 4 de dezembro de 2017 at 15:16
Agnelo 4 de dezembro de 2017 at 17:07
A um meio termo,temos que acha-lo
Desde que seja economicamente e estrategicamente viável.
O que o exercito não pode fazer é achar bom oque temos, pois teremos algo para se preocupar.
Dinheiro tem se tem 37 bilhões para salvar mandato, pode estourar 157 bilhões o orçamento, 3,6 bilhões para campanhas politicas.
300 bilhões de desvios na lava jato.
Dinheiro tem basta procurar as torneiras e fecha-las.
Abraço.

Gonçalo Jr.
Gonçalo Jr.
2 anos atrás

Nunao 2 de dezembro de 2017 at 21:57
Osório, o zumbi.
Zumbisório.
=> AHAHAHAHAHAHAHAHAHAHA. Desse jeito!