Home Noticiário Nacional Milícias assumiram o controle do Rio de Janeiro

Milícias assumiram o controle do Rio de Janeiro

4163
63

Um levantamento inédito feito pelo The Intercept Brasil, com base em informações obtidas com exclusividade do Disque Denúncia, mostra que, das 6.475 ligações anônimas que o serviço recebeu em 2016 e 2017 – referentes às atividades de traficantes e paramilitares na capital –, 65% delas denunciam milicianos.

Como não há dados sistematizados pelo governo sobre o avanço das milícias no Rio, o volume de denúncias – analisadas por palavras-chave – são o mais forte indicativo dos caminhos do crime organizado.

Principais suspeitos da execução da vereadora Marielle Franco, os paramilitares se alastram pelas zonas ainda não colonizadas por traficantes explorando um modelo de negócios baseado em extorsão e exploração clandestina de serviços como gás, luz, televisão a cabo e as vans do transporte alternativo. Quando encontram bocas de fumo, eles avançam a golpes de metralhadora.

Nascidos no vácuo do poder público em meados dos anos 2000 sob a aura de proteção das comunidades contra o tráfico, os grupos de “autodefesas comunitárias” foram apoiados e encorajados por governantes, cresceram e se tornaram o que vemos hoje: políticos e empresários – concorrência que bate de frente com as facções de traficantes pelo controle de uma mina de ouro, as “prefeituras” dos bairros. Tudo isso ao custo de muito sangue. Os “seguranças comunitários” se tornaram, também eles, senhores da vida e da morte.

A semente plantada frutificou. Dentre os dez bairros da região metropolitana com maior número de denúncias nesse período, apenas um não fica na cidade do Rio – Cabuçu, em Nova Iguaçu, na Baixada (9º lugar). Os demais mostram como os milicianos estão sufocando os traficantes na capital: Campo Grande, Santa Cruz, Jacarepaguá, Sepetiba, Guaratiba, Taquara, Cascadura, Praça Seca, Paciência e Bangu. Destes, apenas o bairro de Cascadura não se situa na Zona Oeste da cidade. É lá reduto por excelência inclusive de políticos eleitos na cidade.

Leia a matéria completa no site The Intercept Brasil.

Subscribe
Notify of
guest
63 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Mikhail Bakunin
Mikhail Bakunin
2 anos atrás

Tropa de Elite II, uma boa introdução sobre o tema.

Augusto L
Augusto L
2 anos atrás

Nunca vi milicias funcionarem em bairro de classe media, onde os servicos privados e alguns públicos chegam.
No maximo que pode existir nesses bairros são grupos de extermínio, milicias que extorquem por proteção não tem como existir, so em favela, onde os serviços não chegam.
E a Marielle eu nunca vi ela falar de milicianos, o foco dela era criticar as ações da polícia.

André Luiz.'.
André Luiz.'.
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

Infelizmente, Augusto L, milícias também atuam nos bairros de classe média (“no asfalto”) sim. Só que de forma mais velada. Sei de um caso de um bistrô na Tijuca, rua Morais e Silva, que estava indo muito bem, quando recebeu um ‘recado’ de que os comerciantes da região pagavam uma ‘taxa de proteção’. A dona do bistrô, ingenuamente, não entendeu do que se tratava, e não pagou a tal taxa. Dias depois seu estabelecimento foi assaltado durante o horário comercial, seu cozinheiro foi agredido, e os assaltantes ainda disseram que “da próxima vez não iriam só assaltar e agredir não,… Read more »

Robsonmkt
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

Segundo a imprensa noticiou na época, a vereadora Marielle trabalhou na CPI das Milicias como assessorado deputado Marcelo Freixo.

Um detalhe importante: o vereador cassado Cristiano Girão Matias, que estava em liberdade condicional após ter sido preso sob a acusação de chefiar uma milícia em Jacarepaguá, visitou a Câmara dos Vereadores no mesmo dia em que Marielle foi assassinada.

Outro detalhe curioso: no mesmo dia em que Marielle foi assassinada, ex-mulher de Critiano Girão e seu atual marido foram também alvejados na Barra da Tijuca. O marido dela morreu no ataque.
fonte: https://theintercept.com/2018/03/16/marielle-franco-cpi-ex-vereador-miliciano-camara-rio/

Augusto L
Augusto L
Reply to  Robsonmkt
2 anos atrás

Uhmmm, eu nunca ouvir falar dela antes da morte, e tudo que ouvi dela foi criticando a policia, em questão um batalhão específico, mas é bom saber mais sobre ela. Sobre milicias continuo setico em bairros de classe media, tenho alguns patentes em uns desses bairros e nunca ngm teve q pagar nada a ngm, á não ser os impostos e servicos de empresas privadas( telefone, net,tv a cabo), mas já ouvir sobre grupos da morte. O que pode estar acontecendo é lguns politicos usarem esses “grupos” como uma forca paramilitar, amendrotando politicos rivais e limpando a ruas, para falar… Read more »

Agnelo Moreira
Agnelo Moreira
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

Infelizmente, Augusto, as milícias estão chegando nos bairros de classe média. Ainda não em todos, mas já ocorre.

SmokingSnake 🐍
SmokingSnake 🐍
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

Na verdade chega sim, mas boa parte é tudo ilegal na base do gato! Tem muitas pessoas que moram em favela no RJ que ficam com ar condicionado ligado o dia inteiro, nem gente de bairro de classe média pode se dar a esse luxo. O erro do governo foi nunca regularizar e fiscalizar esses serviços, mas tem vários problemas para serem resolvidos, primeiro teria que acabar com os grupos armados que impedem a fiscalização do Estado e diminuir impostos dos serviços. A verdade é que quem ganha cerca de um salário mínimo não tem condições de viver legalmente porque… Read more »

pangloss
pangloss
2 anos atrás

Li rapidamente a matéria, e me pareceu muito enviesada.
O problema das milícias é gravíssimo, mas a premissa é que, se houve um número maior de chamadas no disque-denúncia versando sobre milícia, então a milícia é um problema maior do que o tráfico.
Mas não é bem assim.
Os moradores de áreas dominadas pelo tráfico morrem de medo de falar qualquer coisa sobre o tráfico, o que inibe as chamadas ao disque-denúncia.
Não conheço esse “The Intercept Brasil”, mas fiquei com uma impressão muito ruim, a partir da matéria. Parece propaganda do tráfico. Ano de eleição é realmente perigoso.

Augusto L
Augusto L
Reply to  pangloss
2 anos atrás

Ia dizer a mesma coisa, mas me contive pra não ser mal interpretado por alguns.

Vaniro
Vaniro
2 anos atrás

Chegaram a Belém. Picham os muros em nome de facões, mas o modelo de negócios é miliciano. Gás, transporte e extorsão.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
2 anos atrás

Tropa de Elite II

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
2 anos atrás

Sempre uma notícia pior que a outra do Brasil. Ao invés de ficar querendo mandar tropas para pacificar a África, deveriam botar essa palhaçada em ordem primeiro. Já conversei com muitos amigos aqui no exterior, que queriam ir ao Brasil, mas ao final das contas decidiram ir à Argentina, Uruguai e outros países, porque desistiram do Brasil, por ser muito perigoso.

Juliano
Juliano
2 anos atrás

Site de militancia de extrema esquerda com premissas frágeis/viesadas, com levantamento de dados que não seguem as mais básicas regras estatísticas gera afirmativas das quais os autores já compactuavam e coincidem com a narrativa mais conveniente politicamente. Aí pra não se limitar ao seu círculo de influência o tal “estudo” é repercutido em veículos “isentos” que lhes emprestam a credibilidade que creem ter. Senhores, vamos escutar o Fantástico, CNN e aprender que “fake news” se encontra nos perfis de twitter e facebook da “extrema” direita. Ainda bem que estas empresas que são limpinhas, isentas e do bem podem silencia-los unilateralmente… Read more »

João Girardi
João Girardi
Reply to  Juliano
2 anos atrás

Concordo, o site não faz nada mais do que ficar atacando uma tal de “extrema direita”, criticando o fato de que há pessoas reclamando da intervenção de George Soros na política.

Cronauer
Cronauer
Reply to  Juliano
2 anos atrás

Fui lá verificar e é verdade!
.
Os argumentos são dignos dos PeTralhas…

Rafa_positron
Rafa_positron
2 anos atrás

A Marielle foi uma das parlamentares que atuava junto às familias de policiais mortos
Isso quem disse foi a MÃE DE UM POLICIAL e um Coronel da PM-RJ

M.Silva
M.Silva
Reply to  Rafa_positron
2 anos atrás

01 ABR já passou, Rubinho!

ODST
ODST
Reply to  Rafa_positron
2 anos atrás

Caramba, que santinha não?! Fachada! Esqueceu de dizer que ela vivia acusando a policia mesmo sem ter provas de muitas dessas fake news criadas por ela, nunca falava nada sobre os traficantes e era contra qualquer tipo de intervenção no estado, além de defender os coitadinhos dos [bandidos] pobres, negros e oprimidos (oprimidos com razão), que inclusive são mortos por policias igualmente negros e nada ricos. Tudo bem tipico da esquerda.

Robsonmkt
Reply to  ODST
2 anos atrás
Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
Reply to  Robsonmkt
2 anos atrás

Então como já disse antes acende uma vela para Deus, e outra para o Diabo.Alguma hora alguém ia cobrar, os serviços prestados

João Girardi
João Girardi
Reply to  Rafa_positron
2 anos atrás

Grande coisa, essa mulher comemorou o desarmamento da guarda municipal.
https://twitter.com/mariellefranco/status/872214345278738433

Walfrido Strobel
Reply to  João Girardi
2 anos atrás

Mas qualquer pessoa mais esclarecida tem que comemorar o desarmamento de guardas municipais, que nem deveriam existir.

Walfrido Strobel
2 anos atrás

Estão trocando um mal pelo outro, milícias X traficantes, o próximo passo é as milícias traficarem depois de tirarem os traficantes das áreas ocupadas.
Pelo menos os traficantes não obrigam ninguem a usar dtogas, só vendem, são menos nocivos a sociedade do que as milícias que vivem de extorsão.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Walfrido Strobel
2 anos atrás

Os traficantes tbm dominam os serviços das comunidades. E cobram por isso.

Augusto
Augusto
2 anos atrás

Enquanto existir favela no Rio, haverá desordem. O poder público tem que se preparar para gradualmente derrubar as favelas, reflorestar os morros e vigiar para que novas construções nunca voltem a ser feitas. Os moradores tem de ser removidos para grandes conjuntos habitacionais em terrenos na entrada da cidade, no estilo Minha Casa Minha Vida, com vias urbanas largas e iluminadas, com postos de saúde, creches e escolas, unidades da polícia e linhas de transportes urbano até o centro da cidade. Não há outra solução para o rio: ou acabam de vez com as favelas ou vão ficar discutindo homicídios… Read more »

André Luiz.'.
André Luiz.'.
Reply to  Augusto
2 anos atrás

O que o amigo propõe é impraticável… Além do custo puro e simples de tal iniciativa ‘imobiliária’, imagine a grita que não seria dos políticos de esquerda com qualquer iniciativa dessa natureza, que seria vista como ‘discriminatória’, ‘excludente’, ‘fascista’ e por aí vai… Mas as favelas são um problemaço, sim, e o poder público foi extremamente omisso (ou, conivente?…) em permitir que as favelas crescessem em número e tamanho na cidade do Rio de Janeiro…. Feitas as observações acima, concordo que é preciso ‘acabar com as favelas!’, mas entendo que, hoje, o que é necessário e razoável fazer é implantar… Read more »

Celso
Celso
Reply to  André Luiz.'.
2 anos atrás

Andre Luiz, discordo totalmente do que voce acredita. Nada, absolutamente nada deixa ou pode deixar de ser feito. Vou te citar so um otimo exemplo de fora do Brasil. Leia e pesquise um pouco sobre Cingapura e veja hoje no que se transformou pela vontade de seus governantes e de seu povo. Outra coisa, se esses babacas da dolce vita e malandragens do rio levassem mais a serio sua cidade e muinicipios limitrofes, duvido q essa babel estaria dessa forma que se encontra. Nem se fala da roubalheira que vem desde os aureos tempos de capital federal. A historia conta… Read more »

Robsonmkt
Reply to  André Luiz.'.
2 anos atrás

Isto já foi feito e não funcionou: chama-se Cidade de Deus, em Jacarepaguá. Não adianta transferir pessoas para conjuntos habitacionais sem infraestrutura e longe de seus locais de trabalho.
A favelização começa na ausência do poder público: escola, posto de saúde, praça para as crianças, quadra para os jovens e adolescentes, serviço de coleta de lixo e, claro, policiamento.

Wellington Góes
Wellington Góes
2 anos atrás

O EB tem que sentar o porrete nos dois, ponto!!!

Gabriel
Gabriel
2 anos atrás

Herança de um Senhor chamado Leonel Brizola

Rafa_positron
Rafa_positron
Reply to  Gabriel
2 anos atrás

Errado Herança da Princesa Isabel, que libertou o escravos mas ninguem cuidou de reintegrar os negros socialmente Consequencia: os negros foram pros morros, formaram favelas, barracos e começaram a viver à margem da sociedade como excluidos (coisa que sempre foram) Quando a gente fala que politicas sociais são importantes, não é sem razão… agora o resultado esta ai pra quem quiser ver! Ainda pra completar, teve a politica Higienista da epoca da revolta da vacina Vamos parar com essa EsquerdoFOBIA ridicula pq ja passou do ponto e ta parecendo doença Querer colocar a culpa de um problema profundo desses em… Read more »

Rafael M. F.
Rafael M. F.
Reply to  Rafa_positron
2 anos atrás

Não sabe do que fala. Leia o decreto abaixo: http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/1824-1899/decreto-9859-8-fevereiro-1888-542196-publicacaooriginal-49869-pe.html Havia também uma carta datada de 11 de agosto de 1889, descoberta há pouco mais de dez anos atrás, onde ela escreve o seguinte ao Visconde de Mauá: “Fui informada por papai que me collocou a par da intenção e do envio dos fundos de seo Banco em forma de doação como indenização aos ex-escravos libertos em 13 de Maio do anno passado, e o sigilo que o Snr. pidio ao prezidente do gabinete para não provocar maior reacção violenta dos escravocratas. Deus nos proteja si os escravocratas e os… Read more »

Rafa_positron
Rafa_positron
Reply to  Rafael M. F.
2 anos atrás

“Infelizmente o plano de integração dos libertos da Princesa Isabel de de Pedro II foi abortado pela proclamação da república.”

Quando eu me refiro que foi herança da princesa Isabel, eu quis dizer que foi daquela época.. entende?

Eu não quis dizer que a culpa foi dela… talvez eu tenha me expressado errado
Eu sei que ela tinha bons sentimentos e planos por um Brasil mais igualitário

Entendeu?

Luiz Campos
Luiz Campos
2 anos atrás

Mas a Globo sempre achou as favelas, ops! comunidades, um verdadeiro luxo e morar nelas com aquela vista da baia da Guanabara a coisa mais linda do mundo.

Fred
Fred
2 anos atrás

Que curioso. É segredo pra alguém que milícia = servidores da PM, civil e bombeiros? Em que mundo vocês vivem? E vcs estão criticando “premissas”. E sério que estao analisando estrutura lógica linguística só pra fugir do tema real? Frágil é esse tipo de fuga. O Rio de Janeiro de anos e anos de PMDB é esse ai: um imenso acordo entre governo, máfia miliciana chefiada por agentes do estado, empresários financiadores de campanha. O Estado e a falta dele, funcionam pra beneficiar esses tres atores políticos. Negar isso e analisar logica linguística (amadoramente, pois duvido que tem alguém formado… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  Fred
2 anos atrás

Ngm negou nada, só estamos discutindo como o texto é enviesado ideologicamente e não representa 100% da realidade. Vc q ficou com raivinha pq acredita em 100% do texto e ta com raiva pq ngm acredita como vc!
Meu amigo ngm é obrigado há.
É esse debate aqui ajuda as pessoas as pessoas a entenderem a realidade não uma visão.

Luciano
Luciano
Reply to  Fred
2 anos atrás

Olá, Fred. Vc tem um email profissional? posso tb mandar o meu. Gostaria de falar com vc sobre um congresso. Abç

Fred
Fred
Reply to  Luciano
2 anos atrás

Boa noite Luciano, tudo bem? Entre em contato por este email: fred.prof@live.com
Abç!!

Luciano
Luciano
Reply to  Fred
2 anos atrás

Obrigado!

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
2 anos atrás

Ai, ai, não sei quem aí mora no RJ, mas, aqui é um Museu de Novidades, estão sempre descobrindo a pólvora!! Há anos que isso aí ocorre, só não vê quem não quer!!

Só que agora começou a incomodar, pois quando só ficava no reduto das favelas, ninguém queria saber, desde que não me atrapalhe seguir para a minha casa de veraneio!!

Walfrido Strobel
Reply to  Marcelo Andrade
2 anos atrás

Mas é isso mesmo, em Curitiba o caminho para o aeroporto passa por uma favela a décadas, que fica atrás da Universidade Católica, nunca ninguem ligou para os traficantes que atuam no local, mas agora que a malandragem resolveu ficar assaltando os carros no semáforo virou preocupação de todos.
São como ratos, só incomodam quando saem do esgoto em que vivem, triste mas é a realidade.

Zorann
Zorann
2 anos atrás

Off Topic:

Lula teve a prisão decretada.

Rinaldo Nery
Rinaldo Nery
Reply to  Zorann
2 anos atrás

Chorei muito…

Zorann
Zorann
Reply to  Rinaldo Nery
2 anos atrás

Eu tb….

Dan7440
Dan7440
2 anos atrás

Moro em um bairro de classe média (Recreio dos Bandeirantes), e aqui tem uma favela (Terreirão) dominada por milícia. É uma favelinha bem pacífica por sinal, nunca tem tiroteio nem nada do gênero.

Caio
Caio
2 anos atrás

Aparece um cara pra dizer que a culpa da inseguranca no rio e do Brizola! Ja morto a 14 anos e a 24 saia dp governo desse estado!!!!.
Esses “raciocinios” e que facilitam a vida dos governantes brasileiros a culpa e sempre do passado, mesmo que ele esteja cada vez mais distante, que governa agora e so uma vitima.

pangloss
pangloss
Reply to  Caio
2 anos atrás

Brizola criou uma situação que perdura até hoje. Sua morte não fez cessar a causa.
Ele é culpado, sim. Muito.

Antonio Palhares
Antonio Palhares
2 anos atrás

Uma vergonha. Prova cabal que em país de povo ignorante inoculado pelo vírus da malandragem é impossível a democracia. O Rio De Janeiro desde a famigerada redemocratização jamais teve um governo que não fosse malandro e populista safado. Tem matar muito bandido para colocar as coisas no lugar. E pelo jeito vão deixar as coisas continuarem assim.

Robsonmkt
2 anos atrás

Esqueçam as ideologias: se está à margem da lei, é fora da lei, pouca importa se que porta o fuzil é um traficante ou um policial que pratica extorsão no horário de folga e chama a si próprio de miliciano.
E se está à margem da lei tem de ser combatido pelos agentes da lei.
dura lex sed lex.

João Bosco
João Bosco
2 anos atrás

Esse problema do Rio de Janeiro, desde o ano 2000, mostra o quanto o poder público ( leia-se Estado e Prefeitura da Cidade) agiu com desdém com os cidadãos da cidade – se vc mora nas áreas nobres da cidade, é bem tratado mas se mora na periferia e/ou outras áreas da cidade, é marginalizado. a presença do Estado é mínima e agressiva à população local – mal se vê falar em creches, postos médicos, policia comunitária, dentre outros nessas comunidades – e ai as milicias e o tráfico assumem o podere que deveria ser do Estado. Mas, pasmem, o… Read more »

Jacinto
Jacinto
2 anos atrás

Uma vez eu estava fazendo um trabalho em Santa Cruz no RJ em companhia de um colega japonês. E quando eu expliquei para ele sobre o que são milícias e, especialmente, o ramo de “atividades” deles, ele me surpreendeu e disse que a mesma coisa ocorre no Japão: a yakuza também cobra a taxa de proteção dos comerciantes, também “atua” na área de fornecimentos de serviços, tráfico de drogas, prostituição, jogos, e também é extremamente violenta. E que é assim desde a época em que o Japão era governado pelos Xoguns Tokugawa. A única diferença é que os mafiosos japoneses… Read more »

Renato B.
Renato B.
Reply to  Jacinto
2 anos atrás

O que não me parece muito diferente da situação de SP. Reparem que depois de 2006 a situação ficou mais quieta e não me parece que o PCC esteja enfraquecido, mas que ocorreu algum acordo. O PCC é hegemônico em SP não existem os tiroteios constantes para controle de pontos de droga como no RJ.

Rafael M. F.
Rafael M. F.
2 anos atrás

Falo de um bairro da ZOeste que conheço – Sepetiba:

Ali a milícia domina, mas não o bairro inteiro. Há um trecho onde moram militares reformados, delegados e PF aposentados e lá miliciano não se mete a besta.

Podem ser toscos, mas não burros.

Quanto ao resto da ZO, tá tudo dominado…

Mas o maior problema é a influência política que exercem na Câmara e na ALERJ.

Delfim
Delfim
2 anos atrás

Os moradores de favelas preferem a milícia ao tráfico, pois há menos confronto com a Polícia, menos “balas perdidas”, não há aliciamento de menores. Os comerciantes sim, reclamam.
.
Máfia, Camorra, Yakuza, sempre cobraram “proteção” dos locais. Onde o Estado se ausenta, alguém lucra.
.
E tráfico também cobra. A agência do Bradesco em Niterói, em frente a estação das barcas, ficou muito tempo sem porta giratória, capaz de nem ter ainda. Sempre pagou proteção e jogava nas “despesas diversas”. Nunca foi assaltado.
.
E o Santander é campeão de roubos, caixas eletrônicos explodidos… pelo que soube, não paga.

Renato de Mello Machado
Renato de Mello Machado
2 anos atrás

Quando o governo vai mal a polícia é quê mais sofre pois quem faz o serviço sujo do governo,é ela.Quanto mais esses governos do Rio desde o vereador,deputado estadual e o governador. O estado foi gerido por bandidos, os poderes foram infectado por traficantes,milícias entre outros.Com certeza a falta de recursos não investidos em educação e saúde durante anos, fez o Rio chegar a esse ponto.Se existe um batalhão da PM chamado de “batalhão da morte” é porque o governo não fez a parte quê lhe cabe.

Delfim
Delfim
2 anos atrás

Caso sendo tratado com discrição, dada a repercussão.

Delfim
Delfim
2 anos atrás

Operação da DHBF com outras delegacias atacou festa da milícia em Sta. Cruz. 4 mortos, 80 presos, +50 armas, granadas, BRT parado e o escambau.
https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/operacao-policial-interdita-via-e-fecha-estacao-de-brt-na-zona-oeste-do-rio.ghtml

Andrew Martins
Reply to  Delfim
2 anos atrás

Delfim, já são 140 presos! https://g1.globo.com/rj/rio-de-janeiro/noticia/operacao-policial-interdita-via-e-fecha-estacao-de-brt-na-zona-oeste-do-rio.ghtml

E depois dizem que intervenção não ajuda em nada rs

Delfim
Delfim
Reply to  Andrew Martins
2 anos atrás

E aqui em BRoxo as Polícias estão barbarizando.

Geraldo Nunes
Geraldo Nunes
2 anos atrás

O problema do Rio de Janeiro não é o tráfico de drogas nem as milícias, se derrubarem esses grupos outros surgirão.

O verdadeiro problema lá é a cultura do povo: espetinhos, querem levar vantagem em tudo. Enquanto em lugares civilizados o povo ajuda os necessitados em caso de catástrofe no Rio aproveitam para vender itens básicos (como água) custando 5 ou 10 vezes mais caro.
Onde houver 2 cariocas haverá um querendo aproveitar do outro.

Enquanto não mudarem esse pensamento serão escravos e vítimas das consequências que isso causa.

Naturalmente todo povo brasileiro é assim, mas no Rio é demais.

Geraldo Nunes
Geraldo Nunes
Reply to  Geraldo Nunes
2 anos atrás

*espertinhos

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

concordo com Augusto mas nunca vai acontecer ,vai contra muitos interesses, é o estado não tem dinheiro nem para pagar os funcionários,tem que ser medidas mais pontuais é mais em conta levará décadas, é não se tem certeza do sucesso,agora trocar traficantes por milicianos e trocar cebolinha.O Estado não pode ver os milicianos como protetores,quem tem que proteger e o estado a policia,o a justiça ,exercito os poderes constituídos.Os moradores das favelas dificilmente vão sair de lá,moram no centro,perto de tudo,tem energia elétrica,agua,internet e tv a cabo de graça eu não sairia.

Ronaldo de souza gonçalves
Ronaldo de souza gonçalves
2 anos atrás

Isto ai não tem nada a ver com Brizola.O rio e governado pelo pmdb,a décadas,miro Teixeira,cabral,pezão,no tempo que o pdt governava o estado não era tão violento assim,digamos que estavam tentando urbanizar a favela,pois não se iludam os moradores não vão deixar suas casas,por n motivos que listei em outro comentário.E tem pessoas racistas que coloca que os problemas vêem dos afrodescendentes,que não é verdade,ainda vão buscar na princesa isabel a culpada.1* a abolição da escravatura no Brasil foi mais por pressão internacional,claro por homens Brasileiros esclarecidos é com a mão invisível da maçonária.O problema de segurança do Rio deve… Read more »