Home Bombeiros Incêndio destrói o Museu Nacional no Rio de Janeiro

Incêndio destrói o Museu Nacional no Rio de Janeiro

1417
52

O incêndio no Museu Nacional do Rio de Janeiro, situado na Quinta da Boa Vista, na capital fluminense, foi controlado apenas por volta das 3h da manhã desta segunda-feira (3). Porém, os bombeiros continuam no local fazendo o trabalho de rescaldo e de combate a outros focos de fogo. As informações são do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro.

Até o momento, não há registros de focos de incêndio na mata que cerca o museu, localizado em um parque nacional.

O Corpo de Bombeiros informou que a partir das primeiras horas desta manhã homens de 13 quartéis e 24 viaturas estavam no local. Integrantes da Polícia Federal, Polícia Militar e da Guarda Municipal, além de profissionais de saúde, também foram chamados para colaborar com os trabalhos.

Vários diretores, funcionários e pesquisadores do Museu Nacional passaram a noite no local acompanhando os trabalhos e tentando colaborar. Havia preocupação com as dificuldades em controlar as chamas, a ausência de água e o risco de desabamento.

Oficialmente, o Corpo de Bombeiros informou que não há ainda dados sobre as causas do incêndio. Ontem (2), funcionários do museu relataram problemas na obtenção de água, pois dois hidrantes não funcionaram no momento em que os bombeiros estavam no local.

Como o museu está em uma colina, no parque nacional, há uma série de limitações para o fornecimento de água. Os bombeiros confirmaram que o abastecimento de água foi feito por carros-pipa, cedidos pela companhia de água e esgoto do Rio de Janeiro.

Acervo

O Museu Nacional do Rio reunia um acervo de mais de 20 milhões de itens dos mais variados temas, coleções de geologia, paleontologia, botânica, zoologia e arqueologia. No local, estava a maior coleção de múmias egípcias das Américas.

No local, também estava Luzia, o mais antigo fóssil humano encontrado nas Américas, que remete a 12 mil anos, e representa uma jovem de 20 a 24 anos. No museu, havia ainda o esqueleto do Maxakalisaurus topai, maior dinossauro encontrado no Brasil.

O museu é a mais antiga instituição histórica do país, pois foi fundado por dom João VI em 1818. É vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), com perfil acadêmico e científico. Tem nota elevada nos institutos de pesquisa por reunir peças raras, como esqueletos de animais pré-históricos e múmias.

História

O local foi sede da primeira Assembleia Constituinte Republicana de 1889 a 1891, antes de ser destinado ao uso do museu, em 1892. O edifício é tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan).

O Museu Nacional do Rio oferece cursos de extensão e pós-graduação em várias áreas de conhecimento. Para esta semana, era esperado um debate sobre a independência do país. No próximo mês, estava previsto o IV Simpósio Brasileiro de Paleontoinvertebrados no local.

FONTE: Agência Brasil

52 COMMENTS

  1. Uma tragédia anunciada, corrupção, desvios, canibalização de verbas beneficiando membros dos 3 poderes, amigos dos amigos. Perdi parte da minha, da nossa, da história do Brasil. Infelizmente cada dia que passa tudo se deteriora menos as regalias. Bastilha já.

  2. Parte importante da memória nacional literalmente virou pó! E um país e um povo sem memória é presa fácil de oportunistas, messiânicos e salvadores da pátria ou seja, aqueles que dizem que vão fazer o país “feliz de novo” quando na verdade semearam o caos atual e os que dizem que vão mudar o Brasil nem que seja na bala.

  3. Experime te abrir uma pequena empresa e verá as exigências dos bombeiros para autorizar sua instalação, entretanto, menos frequentemente tragédias que poderiam ser evitadas se os bombeiros tivessem impedido seu funcionamento, desde boates ao grande museu. O que faltou para os bombeiros contribuírem para impedir está tragédia?

  4. Olá Colegas. Antes de politizarem a tragédia (alguns vão culpar a direita neoliberal, outros a esquerda corruta), eu pergunto quem havia visitado este museu? (eu já). Antes de culpar o Rio de Janeiro, é bom recordar o incêndio no museu na Estação da Luz e do Museu do Ipiranga fechado desde 2013. Não aceitarei a indignação de quem achava que o museu ere um passeio para os outros.

    • O que é direita neoliberal? Onde posso encontrar um exemplo atual?

      Por que não posso me revoltar com esta tragédia enquanto contribuinte e cidadão brasileiro? Quem nunca teve a oportunidade de visitar o Rio de Janeiro não pode expressar sua opinião?

      • Caro Rafael. Lamento por aqueles que não visitaram o Museu, mas minha solidariedade é para com aqueles que o visitaram e o conheciam (e talvez até o amavam). O contribuinte de um museu não são os pagadores de impostos, mas o publico que o frequenta.

        • Então os museus ao redor do Brasil se mantém exclusivamente com as taxas dos vistantes? Não são patrimônio público? Como patrimônio público não cabe revolta de um cidadão qualquer?

    • Amigo Camargo, a culpa pelo incêndio não é da esquerda ou da direita mas sim do Brasil. E não falo “Brasil” apenas me referindo ao Estado brasileiro em sentido amplo, aquele que abriga os entes federativos (União, Estados, Municípios e DF) mas sim a todos nós como indivíduos. A verdade é a culpa é nossa enquanto povo, enquanto pessoas que não se interessam pela nossa história, pelo nosso legado, pelo nosso conhecimento e pela nossa memória.

      A consequência? É aquela que coloquei mais acima….

      • Parabéns pelo comentário sensato, a culpa não é SÓ dos políticos não. Vai falar para um brasileiro comum que o governo, seja ele quem for, esta designando verbas para a manutenção de museu A ou B e você vai ver a cara feia que a maioria vai fazer, eu mesmo já presenciei varias vezes essa tal cara feia, seguida de um para que? Falta dinheiro para hospitais, para segurança, para educação e o governo vai dar dinheiro para manter museu? Tentar argumentar com uma pessoa dessa é inútil. Quanto ao museu, fico muito triste, visitei ele em uma excursão de escola, época esta em que o museu ainda era conservado e bem cuidado

      • Caro HMS, apesar de discordamos de muita coisa, infelizmente parece que concordamos sobre essa tragédia. Culpar a todos é culpar ninguém. Culpar aqueles que não compreendem o que aconteceu é culpar a vítima, não o algoz. Existem culpados pelo incêndio (administradores, fiscais de segurança, etc.). Eles são um caso de polícia e do ministério publico, mas não podem ser tratados como bodes expiatórios.

    • Meu caro, fui tantas vezes lá que nem me dou conta, a grandiosidade era imensa, cada vez que ia, era uma surpresa diferente, uma tragédia o desleixo, o amadorismo e a atenção ao bem comum dos que nos gerenciam, deixando incinerar nossa história. Quanto a política, aqui neste país não a ideologia politica ou partidária e sim a ideologia do me dar bem, quando a coisa aperta, todos se unem em prol da coisa comum, que é ou ganhar mais ou tentar se livrar da lava jato por exemplo, Lula, dilma, genoino, dirceu, collor, alckmin, josé serra, gato angora, calheiros, jucá, aécio, são tudo farinha do mesmo saco e das podres. abração st4

      • Ao editor, me perdoe lançar nomes de políticos e a falta de uma política de estado, que preserve nosso patrimônio, nossa história e o bem estar da população.

      • Caro Saldanha. Temo nos equivocarmos ao tomar os extremos. Por um lado, culpar o ignorante por ser incapaz de perceber aquilo que ele não sabe é um erro que beira o preconceito. Culpar genericamente os políticos é como não culpar ninguém. Isso serve apenas para aliviar a revolta da turba, como seria queimar bruxas em praça pública. O fato criminal será apurado pela polícia ou ministério publico (o que não trará o acervo de volta nem evitará outros desastres). Também não é possível achar que é normal, que por aqui é assim mesmo e sempre será, porque não é. Sem dúvida, o pior e mais mesquinho será tratar o desastre como bandeira ideológica. Estamos chegando ao limite civilizado. Sem desculpas.

    • Não apenas visitava, mas estava justamente planejando uma visita provavelmente na próxima semana ou outra, visto que ando lendo muito sobre alguns assuntos dos quais haviam artefatos em exposição lá. Infelizmente virou pó. Não importa qual partido ou corrente política teve responsabilidade nisso. Acho que a sociedade brasileira como um todo teve participação ativa nessa tragédia, que infelizmente era anunciada. Cabeças deveriam rolar, independente de partido ou o que quer que seja. É triste demais ver isso acontecer, muito triste.

      • Olá Leandro. Concordo que são dois aspectos que precisam ser considerados. O primeiro e óbvio é a investigação criminal e a determinação das responsabilidades (lembro que recentemente, o MP disse que iria processar uma estudante de doutorado por um acidente na UFRJ. Espero que sejam corajosos agora). Outra coisa, é a compreensão ampla dessa tragédia. Para isso será necessário um debate franco. Parece claro que o limite do tolerável foi ultrapassado.

        • Mais do que claro, infelizmente. Não quero apenas a punição dos responsáveis, mas uma análise responsável, ampla e franca, sobre os dispositivos legais e financeiros que deveriam impedir esse tipo de tragédia de ocorrer, e fazer as correções necessárias para que isso não aconteça nunca mais, em qualquer museu.

          • Caro Colega. A investigação criminal é a menor das minhas preocupações. A turba sempre pede sangue nestes momentos de comoção, mas a comoção que nasce dessa tragédia (maior que qualquer uma que eu tenha visto até hoje no Brasil) não pode ser aplacada pela “filantropia” ou “ações de solidariedade”. Não haverá nenhum renascimento das cinzas. A perda é irreparável. Sugiro que esquecermos os paliativos.

  5. E ainda querem transformar o porta-aviões São Paulo em museu…
    Verba para museu aqui nesse país só se for para homem nu ou pinturas ridicularizando a fé cristã e a família!
    Ou para taças de futebol inúteis!

  6. Nossa… vergonha alheia. Que sentimento ruim… Nossos bisavós e avós mantiveram o patrimônio que receberam de gerações anteriores… A geração de nossos pais e a nossa geração não teve competência para tanto, ou melhor, tanto não… algo tão simples…

    Não sei se lamento mais a perda para sempre do patrimônio histórico/científico ou o fato da maioria esmagadora da população brasileira nem ter noção do que representa essa perda para nós, como nação e povo.

  7. Acho que o prédio nem estava em seu pior momento, porque recebeu um retoque cosmético antes da Copa e das Olimpíadas.
    Mas nada sério, apenas um paliativo para enganar aquele turista incômodo que, ao invés de se ocupar com futebol, eventualmente se interessasse por museus.
    Antes disso, havia paredes cobertas por limo, pedindo para desabar.
    Em museus importantes, as próprias instalações dos museus são atrações, por si mesmas.
    Aqui, serviam para denunciar nossa ordem de prioridades.
    E devemos agradecer o fato de não haver vítimas. Descaso, para isso, não faltou.
    Mas, se querem mesmo sentir raiva, leiam os comentários postados abaixo da matéria, no G1. Tem de tudo, de gente questionando a importância de museus, até aqueles que gostariam que a cidade inteira fosse consumida pelo fogo.
    O Museu Nacional é uma síntese do país: tinha um patrimônio muito valioso, mantido em condições de penúria. Desde ontem, nem mesmo essa pobreza temos mais.

    • Eita não falta gente pra polítiZar a parada em… brasileiro tem prazer em ficar horas a fio falando mal de político, culpando eles por tudo. Vem cá, já foi no Museu do amanhã campeão? Já visitou o museu naval ? São museus excelentes, porta to não me venha querer dar uma de “tá tudo ruim é tudo culpa do prefeito e dos políticos malvados”, pq esse discurso não cola a pelo menos 30 anos

  8. Visitei inúmeras vezes….

    Assim como a Baote Kiss, q morreu gente, não vai dar em nada….

    Os responsáveis pela administração em nível federal se preocuparam mais com o Canecão do que com o Museu….

    A Lei Roanet deu $$$ pra Luan Santana, Claudia Leite etc… só pra quem já tem milhões…

    O Bombeiro tem de anualmente, salvo outro juizo, emitir laudo sobre aquilo. DUVIDO, q se o Bombeiro interditasse, ficaria interditado sem grito!!! DITADURA!!!! Iriam dizer… E se tenta fazer o hidrante funcionar, com obras e tudo mais, vem Sec Meio Ambiente impedindo.

    Caos… assim está tudo…

  9. É uma pena. Muitas empresas relaxam no O PPCI, que é um plano de prevenção contra incêndios, visando mais o lucro e deixando a segurança de lado. Eu não sei desse caso do Museu em questão só a investigação que vai apontar a ou as falhas.
    A responsabilidade pelo PPCI é do proprietário ou responsável pelos prédios, podendo ser de modo voluntário, ou após o recebimento da Notificação de Adequação (NA), expedida pelo Corpo de Bombeiros.
    A elaboração de um projeto PPCI requer um profissional habilitado capaz de definir, segundo normas específicas, os tipos de proteções necessárias, suas localizações, estabelecer rotas de fuga e etc. O projeto, que será submetido ao Corpo de Bombeiros, conterá “a chave” para um sistema de proteção eficiente e capaz de preservar vidas.
    Uma vez eu perguntei para um fiscal do trabalho, aqui no RS, se o Profissional Técnico em Segurança do trabalho era necessário nas indústria e empresas com mais de 40 funcionários e etc.. ele respondeu: é dispensável, as vezes pedem…
    Eu fiquei intrigado com a resposta dele, porque logo de um fiscal do trabalho deveria dar o exemplo. Isso ocorreu logo quando o mercado público a qui em Porto Alegre RS pegou fogo à uns anos atrás. É complicado.

  10. Alguém vai falar de rediscutir o pacto federativo, fazer reforma tributária, rever os direitos da população previstos em constituição, redução do tamanho do estado, cobrar o ensino superior em federais de quem pode pagar? Porque tudo isto, e outrs questões, estam relacionados ao incêndio.
    .
    Agora a imprensa vai focar na falta de verba, como se isto não fosse culpa nossa. O museu estava lá, “largado”, sem verbas e ninguém lembrava dele. Só estão falando porque pegou fogo. E os demais museus espalhados pelo país que estão fechados? Ninguém está falando deles.
    .
    Agora o governo federal pretende criar um fundo com empresas privadas para reconstruir o museu. Mas os demais museus ficaram de fora.
    .
    Eu não moro no Rio, nunca fui neste museu.

  11. Vem cá com todo respeito aos editores,mas por que isso está aqui em um blog de assuntos militares ? O que exatamente esse tema tem a ver com e tecnologia de defesa ? Não é uma crítica,só estou realmente querendo entender a função de um blog como este postar nada menos do que 2 matérias sobre esse tema

    • Se você não consegue ver a relevância do fato e sua correlação com o tema do blog, TALVEZ, você não seja o público alvo a ser alcançado. Se você não se importa tudo bem, mas pare de encher o saco de quem sabe o significado desse acontecimento.

  12. SmokingSnake 🐍:
    Leia o meu comentário novamente, no trecho o qual cito: ..”Eu não sei desse caso do Museu em questão só a investigação que vai apontar a ou as falhas”….
    Lógico que tem quadros da Administração Pública responsável pelo PPCI. Eu falei de empresas de modo ilustrativo e a administração pública pode contratar serviços terceirizados para suprir uma demanda ou outra e etc.
    Pelo lado ideológico não me diz repeito o que os Reitores da UFRJ fazem ou deixam de fazer no campo ideológico sem udenismos, até porque vivemos numa Democracia e liberade de opinião.

    • Se não sabe então é melhor nem vir comentar nada. Olha a merreca que os reitores repassavam ao museu, o salário deles dá, facilmente, bem mais do que isso e aposto que nunca falta um centavo.

      • Só você que deve imaginar o porquê do incêndio para restringir os comentários alheios. Você já deve ter o laudo da perícia para regular os comentários dos foristas. Do contrário, já esta passando vergonha ao acusar os Reitores da UFRJ. Você tem prova da desídia dos Reitores da UFRJ???

          • Agora veio a luz que o congresso tinha aprovado R$ 20 milhões para o museu em 2014 mas o governo federal do petê não repassou nada dizendo que não eram obrigados. Está cada vez mais complicado para os verm.elhos!

            Ainda querem acusar o vampiro que já tinha aprovado um repasse de R$20 milhões pelo BNDES, que começaria a ser repassada em outubro, mas infelizmente ‘não deu tempo’.

          • Caro Smoking. As universidades estaduais de SP possuem autonomia orçamentária. Aproximandamente 9,5% do ICMS é transferido diretamente para a universidade que decide como será usado (Elas fixam os salários, número de funcionários, custeio e investimento). As universidades federais, por outro lado, dependem do MEC, que define o valor dos salários e as vagas. O MEC também transfere recursos para as universidades cobrir o custeio. Os recursos para investimentos são oriundos de outras fontes, como FINEP, CAPES, CNPq e BNDES. Na prática, as universidades federais não têm recursos próprios para investimentos. O fato do museu nacional estar vinculado à UFRJ significa que os funcionários são contratados pela UFRJ por concurso e que o custeio é depositado na conta da UFRJ. A UFRJ não tem recursos para investir nem no museu nem em qualquer unidade.

          • Eles são responsáveis de fazer a manutenção do museu com a verba que tem disponível da UFRJ, e nem isso foram capazes de fazer já que várias pessoas relatam a precariedade em que o museu se encontrava. Administrar não é apenas pedir por mais verbas.

  13. Algo que não vi ninguém falar em lugar algum.
    É correto abrigar tantas peças históricas e raras em um único lugar, especialmente considerando que era um prédio antigo com muita madeira, papel e palha?
    É um museu.
    Museu é para exibir.
    Mas também para guardar, preservar.
    Não seria mais razoável dividir o acervo em diferentes locais?
    E em cada local haver uma compartimentalização, igual a navio de guerra, de modo que o início de incêndio em uma sala não se espalhasse para as demais?
    Uma espécie de porta corta fogo separando os ambientes?
    A utilização de alguma substância sobre os papéis antigos etc de forma a torna-los não inflamáveis?

    • Caro Nonato. Um museu de história natural é também um centro de pesquisas. A ideia que um museu é apenas uma vitrine de exposição está ultrapassada. O problema não foi colocar todo o acervo em apenas um local, mas por que diferentes governos (para simplificar, desde Sarney) não construíram um prédio moderno e adequado (talvez no campus da UFRJ, por exemplo) para o Museu Nacional? Você tem razão que apontar que o antigo prédio no Palácio de São Cristóvão (que foi destruído pelo fogo) era inadequado para ser a sede do Museu Nacional, lembrando que o museu foi instalado lá em 1892. Tóquio, Washington, Londres, Cairo (para mencionar os que conheço) possuem museus de história natural que são também instituições de pesquisa.

  14. Com esse elevado número de denúncias (o que não deixa de ser também gestão incompetente), nesses anos todos, onde estiveram o TCU e o MPU? Se for pra apurar responsabilidades, esse povo que se diz intocável deve ter também, afinal de contas denúncias foram feitas aos órgãos de fiscalização e aparentemente nada foi feito.

    Nunca vi juiz ou promotor pagar pelo mal que fizeram no uso da “caneta”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here