Home Blindados Senado aprova doação de tanques M41 do EB ao Uruguai

Senado aprova doação de tanques M41 do EB ao Uruguai

9374
97

O Plenário aprovou nesta quarta-feira (5) projeto que autoriza o Executivo, por meio do Ministério da Defesa, a doar ao governo do Uruguai 25 viaturas blindadas de combate do Exército Brasileiro. O Projeto de Lei da Câmara 91/2018 segue agora para sanção presidencial.

O texto condiciona a doação à autorização prévia — já concedida — pelo governo dos Estados Unidos. As despesas decorrentes serão custeadas pelas dotações orçamentárias do Ministério da Defesa.

Carros de combate
O Exército brasileiro dispõe de 152 carros de combate VBC CC M41 adquiridos dos Estados Unidos, mediante aceitação de cláusula de não transferência sem autorização prévia do Departamento de Estado norte-americano.

Os modelos antigos, desativados para fins operacionais, passaram a ser usados como meio auxiliar de instrução do Comando do Exército e foram substituídos pela família de blindados Leopard, adquiridos do governo alemão.

Em virtude de acordo de cooperação entre Brasil e Uruguai, é necessária a autorização do Congresso Nacional para que o Exército brasileiro concretize a doação das viaturas M41.

O Ministério da Defesa ressalta que a concretização da doação reforçará o bom relacionamento bilateral entre o Brasil e o Uruguai, estreitando os laços de cooperação militar. O custo do transporte das viaturas até o Regimento de Cavalaria 3 em Rivera, no Uruguai, está estimado em R$ 350 mil, devendo ser arcado pelo Brasil.

M-41C preservado no Museu Conde de Linhares no Rio de Janeiro

FONTE: Agência Senado

97 COMMENTS

    • Doar equipamentos obsoletos para nossos vizinhos é muito bom para o Brasil, porque fazendo isso, inibe nossos vizinhos de obter equipamentos modernos, mantendo-os sempre fracos diante de nós.

      • Tá certinha jovem
        O Uruguai invadiria o Brasil e seus blindados chegariam até o RJ sem problemas
        Perigoso o Uruguai ainda consegyir abater nossos F-5 com seus dragonfly

  1. Caros Colegas. Haveria dois caminhos para o material obsoleto. Doa-los ou transformar em sucata. As duas opões têm algum custo, já que abandona-los em um terreno baldio seria inviável (os vizinhos saberiam de cara quem jogou aqueles tanques de guerra lá durante a noite). Considerando o interesse geoestratégico de termos o exército uruguaio minimamente operacional por meio de uma efetiva colaboração brasileira é muito melhor do que deixar outro país o faça, cobrando uma fatura que será muito mais cara do que o custo de transporte de 25 M41.

        • O EB já faz leilões há anos e pode ter certeza que esses veículos para doação ou leilão precisam ser preparados, o EB não dar de mão beijada tecnologia ao Uruguai ou a civis.
          O Brasil pode até doar equipamento obsoleto, os EUA fazem isso com o Brasil, mas dúvido que o Tio Sam paga pelas custas.

  2. Eu pagava o frete e ainda enviava um Guarani de presente para eles. Política de bom vendedor!! Se vc me oferecer um celular Sansung grátis, eu aceito!
    rsrs
    Na política de venda, tem que motivar os possíveis compradores, ninguém tira o money do bolso não, tem que motivar a tirar.

  3. Se o Uruguay utilizar para vigiar as fronteiras e combater o tráfico de armas e drogas já tá valendo. Li dias atrás que as facções estão se armando cada vez mais com armas pesadas…nada melhor que combate-los com tanque de guerra…já fará estrago e impõem respeito…rsss

  4. Este da primeira foto fica situado no posto Rodoserv na Rod. Castello Branco na altura de Pardinho. Passo sempre por ele.
    Chama a atenção e as vezes tem gente tirando fotos.
    Não sei qual o regime de concessão do bicho, comodato, se foi comprado.. mas me lembrou que esse tipo de monumento seria interessante porém imagino que traria mais custos que o frete da doação pois além de desativar a célula, seria necessário o transporte pra diversos pontos diferentes e a construção de estruturas em praças por ex.
    Algo como no posto talvez fosse mais interessante, duro seria achar interessados.

    • Exato.
      Igual a esses navios britânicos ou os blindados americanos.
      É feita uma negociação vantajosa, de graça ou barata.
      Quem recebe fica grato e mais inclinado a ser grato no futuro.
      Sem obrigação, mas mais inclinado.

    • Aqui em Campo Grande – MS (CMO) temos esses blindados como monumentos nos seguintes unidades:
      – QG do CMO
      – 9ª Região Militar
      – 20º RCB
      – 18º B Log
      – Pq R Mnt/9

      Nas unidades do interior não sei quantos tem se tiverem…

  5. Alguém em responde um ponto?

    Por que o Brasil precisa arcar com o custo de logística? o mínimo seria o Uruguai arcar com a entrega.

  6. Acho ótimo só doação de 25 carros blindados Isso é para manter a boa relação com vizinho é melhor ainda quem sabe um dia isso pode nos ajudar e Pelo que eu entendi não serve mais para nada no Brasil e que foram substituídos por leopard 1 a 1 mas o Brasil tem que comprar mais carros de combate

  7. “O texto condiciona a doação à autorização prévia — já concedida — pelo governo dos Estados Unidos.´´
    Até pra doar esse blindados foi preciso a permissão dos EUA?

  8. Ainda acredito que as carrocerias destes tanques poderiam nos servi muito bem (com poucas modificações) como veículos de desminagem, veículos socorro para os Guaranis e 4×4, etc.
    Alguma unidade poderia ser transferida a instituições como faculdades nacionais e centros de P&D civis para estudos e desenvolvimentos de conhecimentos em áreas como máquias especiais para fabricação de esteiras, canhões, etc..
    Mas estamos falando de Brasil, ai ou se doa sem lucro algum ou vira sucata!

    • Foxtrot, o M41 já é velho conhecido tanto da Academia quanto da indústria brasileiros. Foi aqui no Brasil mesmo que modernizamos os M41 pela empresa Bernardini, trocamos canhão, motores, suspensão, melhoramos blindagem, etc. Só que no caso deles, simplesmente não vale mais à pena. São blindados bem antigos, de filosofia mais antiga, engenharia antiga, que não teriam mais tanto espaço para modernização sem uma intervenção radical no veículo, e ao mesmo tempo as células já estavam bem desgastadas. Foram adquiridos na década de 1960 e já renderam excelentes serviços à nação e que agora servirão à nação ao serem doados para um país vizinho.

  9. O exército deveria vender em Leilão para colecionadores (obviamente após inutilizar o canhão e retirar outros armamentos).

    PS: mais uma vez o povo pobre do Brasil faz caridade para o povo menos pobre do Uruguai.

    • Rafael, apenas 25 dos 152 mencionados como ainda de posse do EB estão sendo doados. Sobram aí uns 127 para que algum possa seguir para um leilão e ser adquirido por alguém com bastante grana para mantê-lo. Sempre há esperança, né? 😉

      • Leandro, se ele for ser apenas um monumento numa chácara ou museu particular nem precisa de tanta grana assim para manter (só tinta e anticorrosivos, basicamente).

        Dependendo do valor, eu não duvido que existam bem mais do que 127 pessoas, empresas e museus dispostos a comprar um. Eu mesmo teria interesse rsrs.

  10. A doaçāo só traz atraso, o certo é comprar, abrir financiamento, produzir riqueza
    Ou entāo assumir a condiçāo de pais podre e viver essa realidade. Tanques obsoletos e inúteis, farāo o país ficar mais pobre ainda.

    • Caro Roberto. Creio que o Uruguai não possui nenhum programa de aparelhamento militar. O Uruguai gasta cerca de 2% do seu PIB com defesa (cerca de US$ 1,2 bilhão) enquanto que o Brasil gasta 1,4% (cerca de US$ 20 bilhões). Isso mostra que o Uruguai não tem condições financeiras de adquirir equipamentos novos sem que isso resulte em um enorme aumento da fração do PIB em defesa.

      • Camargoer.
        Então ele deveria ter pensado nisso antes de proclamar sua independência do Império.
        Ou que vá a procura de ter condições financeiras para ter equipamento, ou que se assuma como independente e sem armas e reze bastante para ninguém atacá-lo.
        Não é problema do Brasil ou de qualquer outro país.

  11. Prezados,

    Ótima iniciativa.

    Gosto muito do Uruguai e seu povo. Uma reportagem que sempre quis ver foi sobre a operação dos S-2 Tracker da Armada Uruguaia no ARA 25 de Maio em 1971. Li uma reportagem em revista argentina na época.

    Eles tinham a opção de treinar com o NAeL Minas Gerais ou com o ARA 25 de Maio. Ao final, optaram pelo navio argentino.

    Me permitam. Nessa semana a MB recebeu 20 CLANF.

    https://www.marinha.mil.br/noticias/corpo-de-fuzileiros-navais-recebe-20-novos-carros-lagarta-anfibios

    Grande abraço

  12. A doação tem de ser casada. Ou seja, tem de ser troca.
    .
    Troque por qualquer coisa, por qualquer contrato, ou por qualquer facilidade. Não tem de doar. Isto está errado.
    .
    Vcs ja viram o IDH do Uruguai? Já viram o do Brasil? Quem é o país pobre? Eles não tem armamento moderno porque não é a prioridade deles.

    • Caro Zorann. Os equipamentos cedidos ao Brasil dos excedente das forças armadas dos EUA não possem as restrições que você sugere que sejam feitas ao Uruguai.

      • E oque tem isto a ver? Não disse nada dos EUA. Nós não somos eles. E as restrições não são exclusivamente ao Uruguai. Lembra do Paraguai? (lembra dos caminhões doados apos revisão custeada por nós?)
        .
        Os EUA doam equipamentos ao Brasil. Mas me responda de quem compramos os kits de modernização dos M113? E os M109 modernizados por lá? Acorda… não há almoço grátis.
        .
        Está errado. Não há verbas nem pra rancho, e vc vai doar, arcando com despesas de transporte e revitalização?

  13. Se o exército quiser me doar algum eu aceito. Mesmo sem armamento.
    Alguém sabe me dizer se resiste a tiros de fuzil 7.62 e 5.56? Sabe como é, moro no RJ…

  14. Aos entendidos,

    As unidades doadas ainda apresentam a fragilidade da suspensão pós-conversão ? Nunca foi sanado esse problema de projeto ?

  15. Um dos fatores de dissuasão de conflitos é o equilíbrio de forças na região. Aliás gostei de sugestão de doar alguns para o Paraguai. Eles estão precisando.

  16. O Uruguai,não compra nada do Brasil,vão procurar aviões de combate na China,material de guerra Russo,aviões comerciais no Canada,quantos helicópteros Helibrás tem na força aérea deles ? Até avião da Argentina eles compraram (Pucará) .Mas do Brasil nada,e agora vão receber doação. Pelo menos deveria ser troca por alguma coisa.

    • O Uruguai foi o promeiro cliente da Embraer ( Bandeirantes), foi cliente da Engesa ( Cascavel e Jararaca) e de várias empresas brasileiras( Marcopolo, GM e tantas outras).

  17. Esses blindados, no Brasil, serviriam pra alvos táticos e pra avaliação de armamento. Quanto não poderíamos ter ganho se ao invés dos M41 o EB não tivesse mandado pra cachimbo o que a FAB pediu, os M60.

    Gastamos um monte, tiramos algum leite de pedra, mas a sabotagem ou falta de profissionalismo ficou evidente. Uma pena.

    O Brasil, como nação, perdeu.

  18. Colombelli
    Estes M-41 já foram considerados os melhores carros para evitar um desembarque. Contra lanchas de desembarque o canhão é muito poderoso. Um tiro, um kill. Tinhamos um kit de modernização. Tipo motor Diesel nacional (Scania V-8 ?), miras e sensores a la Cascavel modernizado. Radio comunicação atualizada. As partes mais sujeitas a desgaste são as esteiras. Mas, estas tem mesmo que trocar de tempos em tempos. Ter um M-41 no litoral faz muito sentido. Abraço

  19. Não vejo problema em doar, desde que seja algo que não tenha mais uso aqui.

    E estes carros ainda poderiam render algo por aqui.

    Poderiam ser usados como força de oposição..

    Poderiam ser usados como bancos de testes para outros sistemas..

    2 exemplos apenas..

    E concordo com os amigos, doar e pagar o frete é demais…

  20. Eu acho correto a doação…são apenas 25 blindados, somos um país muito mais forte que o Uruguai. Os Estados Unidos doa para o Brasil, isso é bom e nós gostamos, então não há nada de errado em doar aquilo que não vamos mais usar. A própria Alemanha praticamente doou os leopard comprados recentemente, preço muito justo…se for analisar eles não deveriam ter vendido para o Brasil pelo preço que venderam, não seria interessante para eles.
    Alguns falaram em vender como sucata, caramba, preferem transformar em sucata do que doar a quem precisa? Vocês fazem isso com aquilo que não usam mais? Eu costumo doar tudo o que não uso…não fica aqui em casa incomodando e acaba ajuda alguém. Sem falar que nesse caso ainda reforça o nosso lado diplomático.
    Feliz 7 de setembro… Abraço!

  21. Primeiro material usado em bom estado deveria ser usado como off set para alavancar vendas da industria de defesa, segundo deixa algumas unidades para servirem de teste de mísseis como o MSS 1.2.

    • Caro Bardini. Eu também não sei. Acho que poderia existir um paralelo entre o exercito do Uruguai e meu primo. Ambos preferem comprar um carro antigo usado do que entrar no financiamento de um carro novo. Inclusive, ás vezes ele pergunta á minha esposa se ela não gostaria de vender nosso carro para ele. Mas concordo que teríamos que perguntar ao comandante do exército uruguaio as razões.

      • Ao Comandante não Camargoer…ao Ministro ou ao Presidente. É necessário substituir os velhos M23. Sao os M41 ex brasileiros ou nada. Assim de simples.

      • A hipótese de utilização de CCs em combate convencional é quase nula. Ao contrário do emprego da infantaria mecanizada, para o qual o Uruguai está até bem dotado, considerando o tamanho do país.
        Nesse caso, o M41 se presta ao apoio de fogo.
        Não esquecer que a reforma da Bernardini limitou as condições de uso do mesmo. Ou seja, mesmo para manobra, é temerário a sua utilização.

        Sds

    • Isso é um problema do Brasil. Se o Brasil conseguiu esses blindados, é por mérito seu como nação e potência regional. Não há nada pior do que mal agradecidos. Talvez apenas mal agradecidos que também sejam arrogantes.

      • Rindo muito. Mas esta resposta era pra um comentário mais acima e nao tem nada de ofensivo ou arrogante. Menos amigo…bem menos.

  22. Eu tirava a torre, revitalizava as lagartas e transformava em unidades lançadoras de mísseis…nem que fosse uma torreta com um Piranha dotado de buster.

    Sds.

  23. Caros Colegas. Fiz o óbvio. Li o texto da PL 91/2018. Então fiquei sabendo que o convênio entre os exércitos do Uruguai e do Brasil foi assinado em 2011, que o EB dispunha de 152 unidades de M41 desativadas que foram substituídas pelo Leopard, e que o custo do transporte foi firmado pelo estado maior dos dois países e que o texto de justificativa do projeto de lei foi assinado pelo Alm. Julio Soares em 2013. Portanto, se o EMCFA considerou os termos da doação pertinentes, fica a minha dúvida sobre a argumentação dos colegas contra a operação. Sugiro a leitura do projeto de lei,

    • Não entendo seu ponto, caro Carmargoer. Se o EMCFA considerou a doação em seus termos atuais pertinente, devemos aceitar de cabeça baixa? Na condição de contribuintes, temos o direito de questionar qualquer ação governamental.

      Não necessariamente acho que a doação em si foi algo negativa em se tratando do Uruguai (apesar de não compreender bem que benefícios isso traz ao Brasil), mas realmente aquele país não poderia nem ter custeado o frete? O orçamento brasileiro está tão bom assim para gastarmos esse recurso extra num favor que estamos fazendo a uma nação amiga?

    • Caro Daglian. Meu ponto é sobre o equívoco de expressar opiniões baseadas em achismos ou sobre fundamentar a opinião sobre um valor pessoal desconectado do fato analisado. Neste ponto, concordo com o Bardini quando comenta que não consegue entender as motivação do exército uruguaio (também não entendo). Ao contrário daqueles que dizem Concordo! Discordo! sem ao menos fazer o óbvio, que era ler o documento. O fato de ser um contribuinte não capacita uma pessoa a ter uma opinião. O que capacita alguém (contribuinte, isento ou estrangeiro) a ter uma opinião é informação, formação e inteligência.

      • Sinceramente não entendo o celeuma de alguns aqui. Não gostou que o Estado Brasileiro está bancando também o transporte, certo, reclame junto ao seu deputado ou senador e pronto.
        Se o Estado achou melhor, pois prefere que o intercambio e as relações entre as Forças Armadas dos dois países seja o melhor possível, ótimo, não são estes milhares de reais que vão quebrar as forças armadas. Se o Uruguai realmente quiser, vai procurar, se não for nós, serão por exemplo os Chineses ou Venezuelanos. Particularmente me parece bem mais confortável ter 25 M41 do que 25-50 Type 80 ou T-72.
        Hoje já temos a hegemonia militar na região, o jeito mais barato de continuar desta forma, é manter as outras forças armadas com equipamento inferior ao nosso.

        • Parabéns Humberto, até que enfim uma visão de águia no meio de tantas colocações imediatistas, tacanhas e – me permitam- lesas.
          O pessoal vive lendo notícias e comentando sobre o poder militar e geopolítica, mas não entendem um fato tão óbvio e corriqueiro .

  24. Quando eu dôo alguma coisa, eu coloco no carro e levo até a instituição ou pessoa. Não sou rico e este frete não me deixa mais pobre.
    O Uruguai é uma nação amiga e prefiro estar com eles do que eles estarem com outros.

  25. Lendo e relendo certos comentários e lendo e me tentando me aprofundar sobre países latino-americanos sinto-me tolo em não observar que o Uruguai é um importante país e que sempre foi um bom aliado do brasil em várias questões comerciais , defesa e podemos contar sim com a hospitalidade do povo uruguaio. estava fazendo um curso de língua espanhola e soube conhecer um pouco mais sobre o belo país chamado Uruguai. Sr. Alejandro Peres humildemente peço desculpas por algum comentário indecoroso visto que o Uruguai mantém um excelente intercâmbio cultural com nós brasileiros. Bienvenidos! amigo Alejandro.

  26. Faltou aqui os comentários daqueles que vibraram com notícias dos 100 T-72 que o Uruguai compraria dos russos. Nada se concretizou e muito menos há notícias a respeito após abril deste ano.
    https://www.forte.jor.br/2018/04/09/tanques-t-72-para-o-uruguai/

    São os mesmo que vibraram com a possível compra pela Bolívia de caças de 2a ou 3a mão de Su-30MK/K da Bielorússia que também não se concretizou. E ssa notícia dessa compra pela Bolívia é aventada desde 2016 havendo até vídeos no youtube a respeito.
    http://www.aereo.jor.br/2018/04/08/cacas-russos-de-2a-ou-3a-mao-para-a-bolivia/
    https://www.youtube.com/watch?v=fbhIUTyo5LI

  27. Senhores
    1) são relações militares. É melhor q os militares uruguaios se sintam bem em ser aliados nossos, do q de outros.
    2) Qual o valor de informações q um Adido Militar uruguaio pode passar para um Adido brasileiro?
    3) Quanto q o Uruguai vai dar de $ para nossos parques darem a manutenção de seus meios? Quanto custará as peças de reposicao?
    4) Quanto de inteligência militar pode ser repassado com boas relações entre as Forças?
    A administração das FFAA brasileiras não é igual o q vcs viram da UFRJ no caso dos museus…

    • Eu ja falei aqui ma quero reforçar o que o Agnelo esta colocando. Amigos, o alto comando não é feito de amadores. É, em regra, gente velha, estudada, experiente. Aprendam a olhar mais profundamente nas coisas. Nada é feito sem motivo, nada é feito por acaso e nenhuma atitude é tomada sem planejamento e sem uma avaliação de custo benefício e objetivos ( grifo objetivos).

      Estes meios são estão ocupando espaço e dando gasto. Seria isso ai ou ir para praças. Mas nestas ja está até o Leo A1.

      E os gestos como esta trazem muitas vantagens, algumas que não podem ser tratadas de publico abertamente. A segunda seção agradece.

  28. Na minha cidade tem alguns em praças e na frente dos batalhões e sempre me passou a impressão de serem frágeis talvez até um disparo de .50 perfurasse a blindagem e um tanque antigo mas já foi batizado em combate no Vietnã tirando de operação até alguns T-54/55 em combate, uma vez eu perguntei a um ex-sargento do EB que foi tripulante de M-41 se na modernização tinham se trocado os canhões de 76 mm originais pelo de 90 mm mas ele me disse que não ouve troca foi feita usinagem nos tubos pra comportar uma munição de 90 mm.

    • Eu tenho acesso a um corte de blindagem deles. Se os editores permitissem eu conseguiria até uma foto da blindagem de um deles aberto no meio literalmente. Tem mais ou menos umas duas polegadas a frontal. Alguns tiveram o canhão substituido efetivamente por um de maior quantidade de calibres ( comprimento).

  29. O Uruguai é um país com IDH e Econômico altos. Um país que possui uma excelente agricultura e “ganedería(!2 milhões de cabeça de gado, ovinos, caprinos , suínos.) possui um porto maravilhoso de Montevidéu. Exporta comódites( trigo, cevada, e soja… só perdendo para Brasil e senão me engano Argentina.) O Uruguai possui excelentes acordos comerciais com os EUA. O Mercosul deve ser reestruturado( Brasil Uruguai, Argentina e Paraguai/delete a Venezuela)i. A presença do Brasil para acordos de Defesa com este país são muito importantes. acrescento o Chile também. Peru, Colômbia e Equador deveriam se juntar ao Brasil para formar o Merco-norte. Venezuela, enquanto permanecer a ditadura não deve ser incluída em Nada até a normalidade democrática retornar ao país e isto poderá demorar. Países como Chile e Uruguai são bem-vindos em todos os aspectos. esqueci: índice de analfabetismo quase zero. O que atrasa na minha opinião é esta Frente ampla que não larga o osso. Tirando isso, O Uruguai vai muito bem obrigado. Sr. Thiago meu conterrâneo agradeço. Um homem que ama seu país como o Sr. Alejandro merece nosso respeito. Lutar por seu país mesmo com todas as vicissitudes. Parabéns.

  30. Só não entendi porque teremos que arcar com a logística. De resto, não vejo problema algum nesta doação (claro, desde que as revitalizações, etc e tal, sejam também custeadas pelo beneficiário, como acontece conosco quando adquirimos equipamentos doados dos EUA).

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here