Home História Fremdschämen, a constrangedora ‘aula’ sobre nazismo dos brasileiros aos alemães

Fremdschämen, a constrangedora ‘aula’ sobre nazismo dos brasileiros aos alemães

3447
87

O termo alemão para ‘vergonha alheia’ resume o que foi a enxurrada de críticas de internautas brasileiros a um vídeo da Embaixada alemã afirmando que nazismo é de direita

Por Marina Rossi e Regiane Oliveira

São Paulo / Recife

Uma palavra sintetiza a aula sobre nazismo que um grupo de brasileiros tentou dar aos próprios alemães na Internet: fremdschämen (vergonha alheia). O que era para ser um vídeo sobre como se ensina a história do nazismo, publicado no Facebook pela Embaixada da Alemanha em Brasília e pelo Consulado Geral no Recife, se tornou um campo de guerra nas redes sociais.

De um lado, brasileiros que não acreditam no holocausto e garantem que o nazismo era uma ideologia de esquerda, contestavam a história divulgada pelo Governo alemão. Do outro, brasileiros envergonhados pediam desculpas pelos comentários exaltados. E no meio, a embaixada alemã tenta equilibrar os ânimos e corrigir os néscios: “O holocausto é um fato histórico, com provas e testemunhas que podem ser encontradas em muitos lugares da Europa”, publicou em resposta a um internauta que afirmou que o “holofraude está com os dias contados”.

No vídeo institucional, a Alemanha explica que desde cedo as crianças são ensinadas confrontar os horrores do holocausto, como parte do pensamento de conhecer e preservar a história para não repeti-la. No país é crime negar o holocausto, exibir símbolos nazistas, fazer a saudação “Heil Hitler”. O vídeo deixa claro que o nazismo é uma ideologia da extrema direita. “Devemos nos opor aos extremistas de direita, não devemos ignorar, temos que mostrar nossa cara contra neonazistas e antissemitas”, afirma no vídeo Heiko Mass, ministro das Relações Exteriores.

Muitos internautas contestaram o ministro: “Extremistas de direita? O partido de Hitler não se chamava Partido dos Trabalhadores Socialistas? Onde tem extrema direita?”, perguntou um internauta, em relação ao Partido Nacional Socialista dos Trabalhadores Alemães (Nationalsozialistische Deutsche Arbeiterpartei), que ficou ativo no país entre 1920 e 1945. O partido de Hitler misturava uma cultura paramilitar racista, populista, antissemita e anti-marxista, algo como “contra tudo o que está aí” e ” ou pelos verdadeiros alemães “de bem”.

Houve quem tentasse explicar onde estava o erro da embaixada: “Não é só pelo nome do partido. É uma concentração de poder no Estado. A esquerda (comunismo/socialismo) acredita em poder centralizado no governo para a construção de uma sociedade melhor. A direita acredita na descentralização desse poder, por isso advoga um poder maior ao indivíduo e não ao coletivo (…)”. Isto é, como Hitler centralizava o poder, logo, ele não poderia ser de direita, segundo esse internauta.

Enquanto alguns tentavam ver o lado positivo da iniciativa e marcavam amigos para tentar provar que o nazismo é, sim, de direita – “(…) se o Consulado alemão explicando que o nazismo é de extrema direita não te convencer, não sei o que mais poderá”, escreveu um internauta. Outros até ameaçaram a embaixada: “[Vocês] perderam uma enorme chance de ficar de boca fechada. Mas não se preocupem. Estou compartilhando este post na Alemanha. Vamos ver o que irão dizer!”

Damaris Jenner, responsável para assuntos de imprensa na embaixada, explica que a ideia era falar sobre como se ensina história na Alemanha. “Na semana em que pensamos em fazer esse vídeo, aconteceram as manifestações em Chemnitz e vários jornais brasileiros noticiaram”, diz ela. Os protestos foram realizados por militantes da extrema direita desde o final de agosto contra a morte de um alemão, supostamente esfaqueado por dois imigrantes, e que terminaram em atos de violência.

“Achamos que seria interessante ligar esses dois assuntos para mostrar essa discussão na Alemanha”, afirma Jenner. Mas a reação dos internautas surpreendeu. “Não imaginávamos que repercutiria dessa forma”, diz. “Nosso vídeos costumam ser bem assistidos, mas esse foi excepcional”. Até o fechamento desta reportagem, o vídeo tinha mais de 630.000 visualizações na página da embaixada. Jenner diz que, além da audiência alta, fez diferença o engajamento dos usuários. “Geralmente tem menos debate”, diz. Ela afirma que alguns comentários foram respondidos “de forma cordial” pela própria embaixada ou pelos consulados que replicaram o vídeo, mas que em muitos casos os próprios usuários responderam uns aos outros.

Apesar da polêmica e de alguns comentários pouco cordiais de usuários, a embaixada não pretende retirar do ar a publicação. “Isso é um assunto importante em muitos países atualmente”, diz Jenner, sobre a temática levantada pelo vídeo. “Mas as reações daqui são devido a situação política do Brasil”, afirma. Desde as jornadas de junho de 2013, o país vive um clima acirrado de polarização política. Grupos alinhados ao pensamento da direita se uniram em torno do impeachment da petista Dilma Rousseff. Enquanto grupos de esquerda acusavam os adversários de golpe. Neste cenário, a defesa falaciosa de que o nazismo seria um movimento de esquerda se tornou comum entre militantes da direita nas redes sociais.

Na escola, os alemães começam a aprender sobre o nazismo quando têm entre 13 anos e 15 anos. E no Brasil também. “Os alunos da rede pública estudam este tema em História em dois momentos do ciclo básico: no nono ano do ciclo fundamental e no terceiro ano do ensino médio”, afirma o professor de história da rede pública de São Paulo Danilo Oliveira. A diferença é que, enquanto na Alemanha a história do Terceiro Reich está nas ruas, no turismo e nas memórias das famílias, no Brasil, as lembranças do passado de influência nazista vão sendo apagadas pelo desinteresse sobre o tema.

É o que aconteceu com a Fazenda Cruzeiro do Sul, em Paranapanema, interior do Estado, onde funcionou na década de 1930 uma colônia nazista. A história da fazenda ganhou destaque a partir do trabalho do historiador Sydney Aguilar que descobriu como 50 meninos órfãos do Rio de Janeiro foram escravizados por dez anos a ponto de terem sido privados até mesmo de seu nome, eles só ganhavam números. Essa história foi contada no filme Menino 23, lançado em 2016. O prédio da sede, construído com tijolos com o desenho da suástica, já não existe mais. O proprietário começou a demolir a estrutura em 2012, e terminou em 2016. E só restou à Procuradoria Geral do Estado processar o dono.

O professor Oliveira admite que o nível de informação dos brasileiros sobre grandes temas da humanidade, como o nazismo, pode piorar nos próximos anos. Isso porque a diferença entre as ideologias de direita e esquerda são mais aprofundadas nas disciplinas de história e sociologia no ensino médio, que deixarão de ser obrigatórias se a Base Nacional Comum Curricular (BNCC) para esta etapa de estudos for aprovada. Por enquanto, como disse um internauta, “brasileiros questionando a embaixada alemã sobre nazismo é 8 a 1 para Alemanha”. Mas pelo andar das coisas, esse placar ainda tem potencial para crescer muito.

FONTE: El País

87 COMMENTS

  1. Lamentáveis, como todos os extremos. E esse é o exemplo do extremo destro-político nacional, os “direitopatéticos”, caracterizados pelo troglodismo retórico ou a limitação intelectual, e em alguns casos ambos.

  2. Apenas umas coisas a comentar:

    Holocausto aconteceu mesmo, quem nega é doente ou mal.
    Nazismo era uma ideologia de esquerda, não precisa sem nenhum gênio pra saber disso, quem pensa o contrário está desinformado.
    Agora que a Alemanha está em uma decadência cultural e nacional, fomentada pela influência islãmica e pelo governo de esquerda de Merkel que já está la ha muito tempo, isso é fato. Essa “aula” meus amigos é o que o Governo Alemão quer passar para seus cidadãos e para o mundo. Mas não é necessariamente o que todos os Alemães pensam.

      • O partido não quer dizer nada, a forma como ela governa e pensa são orientações de esquerda sim. Seria o mesmo que dizer que o Geraldo A. por ser do PSDB é de esquerda, mas já deixou muito claro que suas ideias são de centro.
        OBS: citei apenas como exemplo na minha opinião deveria estar preso tb.

    • Nazismo “de esquerda”…
      Definitivamente, o brasileiro não precisa ser estudado pela NASA…
      O que o brasileiro precisa é estudar mais…
      Lamentável (e vergonhoso) ler isso, aqui, ou nos comentários no twitter…
      Alemanha 8 x 0 brasil

  3. Para os desinformados e influenciáveis por falta de leitura. O sistema facista alemão (Nazismo) nasce de uma resposta violenta à forte humilhação imposta a Alemanha depois da 1ª Guerra Mundial. Ele vem com viés autoritário mas dentro de um capitalismo direcionado aos interesses culturais quem manda no Nazismo. O Nazismo definitivamente não é de esquerda e nunca foi. Prova disso é que nunca se alinhou aos que defendiam o sistema de esquerda (Socialista e comunistas) que eram bem claros que deveriam seguir o modelo da ex-URSS. Dizer que o Nazismo é de esquerda é falta de leitura e de estudo da história mundial e ficar a merce de opiniões equivocadas da pessoas.

  4. Não é à toa que, atualmente, o Brasil é como é e a Alemanha é como é.
    Os brasileiros, ao contrário do povo alemão, ao que parece geralmente, preferem manter suas opiniões, mesmo que para isso não observem a realidade. Não estudam para buscar conhecimento, pois isso inclui mudar de opinião ordinariamente. “Estudam” para reafirmar opiniões, não importa a verdade, ou seja, não estudam, apenas buscam algo que os conforte. Para esses brasileiros Importa afirmar, reafirmar, o que ele concidera correto. O conhecimento, as provas, os estudos, mesmo claros e em abundância, como no caso do Nazismo ser em essência direitoso e o fato do holocausto, que fariam alguém preucupado com a verdade mudar sua opinião, não atingem essas pessoas, pois para elas o que importa é “estar certo”.

  5. El país é um site de esquerda, na Espanha tem uma linhagem de extrema-esquerda, é óbvio que ela fará matéria defendendo o governo de esquerda da Angela merkel, senhora que comanda o país há quase 2 décadas. O que o El país não fará é explicitar quais foram as ações do Hitler que convergem com um pensamento de direita, ela também não fará uma comparação entre ações do Winston Churchill e até mesmo da Margaret Thatcher. Pois se fizer essa rotulação de direita desabada rapidamente.
    Já que meus comentários ficam presos, meus argumentos não são divulgados, eu volto a repetir, pelo menos tentar repetir o que eu questiono, em vez de rotular movimentos, quero fatos que demonstrem um linhagem de direita no nazismo, pois eu olho para o fascismo, nazismo e comunismo e vejo a mesma essência, a revolução de 17 na Rússia e os movimentos coletivistas.
    Não vejo ligação alguma entre direita e esquerda com esses movimentos, muito menos com direita/liberal/conservadorismo.
    Como pode ser de direita um movimentos com ações efetivas totalmente contra os valores tradicionais da direita? Partido nacional socialista alemão – PARTIDO NAZISTA, com bandeiras vermelhas que pregava e colocou em ação os sonhos e diretrizes de Hitler (um homem de origem humilde que odiava o capitalismo e o conservadorismo): Censura dos meios de comunicação e da opinião diferente do partido; centralização do poder; concentração estatal; monopolização de ideias e poder; controle estatal sobre religião, valores, movimentos, educação, cultura; intromissão estatal nas famílias e empresas; relativização da propriedade privada; estatização; perseguição a empresários, liberais e conservadores da época; aversão ao capitalismo de mercado, fim da sociedade de classes, ou seja, planificação das relações impostas pelo Estado controlados; Estado grande com tentáculos em todos os setores, aversão ao conservadorismo (pelo contrário, Hitler criou um novo homem, chamado de ariano, com discursos de ataque aos valores germânicos tradicionais), aversão a liberdades individuais como opção sexual, religião, profissão e amizades; doutrinação estatal; fim da livre de associação das pessoas; fim da livre circulação de pessoas; fim da livre ação individual e da livre iniciativa.
    Hitler submete a sociedade ao Estado e isso a algo absurdo para uma pessoa de direita/liberal e conservadora…só esse fato anula o argumento.
    Frase de Benito Mussolini (aliado de Hitler): “Tudo para o Estado, nada contra o Estado, nada fora do Estado”
    Como pode esse homem ser de direita? Sendo que direita historicamente prega Estado pequeno, estando as pessoas sempre acima do Estado, nada de imposição estatal, nada de inferioridade diante do Estado…inclusive a raiz do fim das monarquias absolutistas na Europa estão ligadas aos liberais, direitistas e os empresários visando reduzir o poder estatal.
    Essas matérias querendo associar Hitler com o pensamento de direita é o ápice da covardia e da hegemonia da esquerda, o desespero diante do desmoronamento desse pensamento retrógrado do Estado querer controlar as pessoas, a sociedade já não aceita mais isso e não querem mais Estado controlador e pregador de normais sociais. As pessoas querem liberdade, descentralização, simplificação, livre ação individual…Estado cuidando de poucos setores, focando em falhas de mercado e ações essenciais de Estado.
    Por fim, os homens de direita/liberais e conservadores dos anos 30 e 40 lutaram contra o hitlerismo, foram derrotados em eleições forjadas diante dos movimentos vermelhos, acabaram fugindo da Europa ou foram mortos…o resto é resto!
    Os discursos de Hitler estão na internet, basta reservar algumas horas para assisti-los…verá de tudo, menos pensamento de direita.

  6. Eu também fiquei envergonhado. Não é a primeira vez (nem será a última) que nossos “doutores da internet” nos envergonham. Nessas horas repenso a utilidade da internet e questiono se não seria melhor que ela fosse abolida e voltássemos ao patamar vigente até os anos 80, quando esse tipo de “intelectual” era invisível pois não tinha voz…e com o advento da internet ganhou um canal para vomitar suas insanidades e paranóias.
    É um festival de “nazismo é de esquerda”, “o homem nunca pisou na Lua”, “terra plana”, “urnas venezuelanas”, “hospital de Sorocaba jogou córneas no lixo”, “ursal”, “atlas das escolas norte-americanas mostra Amazônia internacional”, etc etc etc .
    Isso cansa. Um dia irá mudar? Não sei. Acho que não. Muito disso é fruto da histeria coletiva e nisso o brasileiro é expert: recebe uma bobagem no WhatsApp e fica histérico pra ser o primeiro a repassar pros amigos e “lacrar”, nem chega a se perguntar se o que recebeu é verifico ou simplesmente plausível.
    É ver.

    • Específicamente quanto a esta frase:
      “…atlas das escolas norte-americanas mostra Amazônia internacional.”
      .
      Não foram todas as editoras e edições.
      .
      Você está chamando todos as reportagens que mostraram isso de mentirosas, fake news? O general Heleno (ex-comandante da Amazônia) então é um desinformado e mentiroso?
      .
      Non sequitur…

  7. Bom alguns papagaios vivem a repetir que as nossas escolas são centro de doutrinação, depois de querer ensinar a própria Historia, ao povo de uma das nações mais ricas e escolarizadas do mundo, até eu concordo que está vendo doutrinação, pois nunca formamos tantos quadrúpedes neste país.

    • Caio

      A doutrinação nas escolas/universidades existe (tem até vídeos na internet, é impossível negar) mas é na minoria, além de não ser com todos os professores também.

      • ODST,
        Nas universidades de humanas (ensino superior) são em todas!
        .
        Nas escolas públicas do ensino médio do Rio de Janeiro são na maioria.
        .
        Ninguém me contou! Eu mesmo fui cooptado até bater de frente contra esses professores.
        Eu vivi isso na própria pele.
        Até!

    • Deixa de Non sequitur!
      .
      Ninguém me contou não!, eu mesmo fui vítima disso!!!!
      .
      Você está se aproveitando de um tema para introduzir outra falácia! Tentaram me cooptar! Eu tive de intervir!
      .
      Eu estava nas aulas onde até a coordenação se aproveitou para cooptar gente para o vandalismo.
      Ouvi as dicas que davam para as sutis ou, quando podem, descaradas abordagens.
      .
      Você só está repetindo aquilo que ouviu ou mandaram você propagar?

  8. Olha, tudo bem as postagens exaltadas e tudo mais, mas o nazismo não é nem de direita e nem de esquerda. É um sistema híbrido que aplicava valores e teorias de ambas conforme conviesse. Eles tinham um ódio mortal pelos comunistas (leia-se soviéticos), mas criticaram de igual modo a direita alemã. Defendiam as empresas privadas, mas nunca se recusaram a estatizar empresas se fosse conveniente, por exemplo. Simplesmente não dá para classificá-la de direita ou esquerda seguindo os padrões atuais. Quanto ao holocausto, não tem nem o que discutir. Houve, foi um dos maiores crimes contra a humanidade e ponto final.

    • Pois é, agora vai explicar isso para um militante que reside no anão diplomático, a posição do Brasil no IDH da ONU diz muita coisa. Há 10 anos atrás eu diria para esses brasileirinhos dos pés descalços que ao invés de tentar ensinar história para os Alemães, tentassem ensinar alguma coisa sobre futebol, mas infelizmente hoje nem isso esses brasileirinhos podem fazer mais

  9. Bom… Algo no texto me chama a atenção: Totalitarismo existe de esquerda e direita. Depois do visto aqui pela esquerda, que mostrou-se mais de direita que a própria direita (pelo fato de de roubado a nação e se refestelado na “pátria mãe”). Eu também tinha a impressão de que o nazismo tinha começado alinhado mais a esquerda, talvez pelo populismo muito associado à esquerda, mas a “maldição da palavra”. Você pensa em uma e usa outra. É mais ou menos como as palavras “explicar” e “justificar”. A primeira fornece as circunstâncias que cercaram determinada ação (sua motivação), a outra a autoriza. Roubar porquê outros roubam, explicação mas muito longe de tornar a ação correta, isenta de punição ou aceitável moralmente. E no final é o que mais se faz neste país (??). Todo mundo se explica pela ação do outro, ainda que este outro tenha vivido em 1500, acreditando que vá validar ou autorizar a ação. O PT fez um monte de besteira porque o PSDB já vinha fazendo a mesma coisa à décadas, mas isso não tira a responsabilidade do PT ou a punibilidade do PSDB.

    • Mas mas mas isso vem de um país rico, desenvolvido e com um nível de educação maior que o nosso. Eles não podem estar errados e o El país é imparcial, né?!Nós somos um país de terceiro mundo, quem somos nós para questionar o El país?

      rsrs

  10. O que esperar de um pais, que elegeu um analfabeto funcional e depois uma criatura guerrilheira, que nunca conseguiu montar uma frase de forma racional?

    • O que esperar de um País que propões Escola sem Partido? Que diz que não precisa estudar História, Geografia, Filosofia e Sociologia?
      O que esperar de Mendonça de Barros como Ministro da Educação e Alexandre Frota como assessor informal do Ministério?
      Está ai. Estamos vendo os resultados.

  11. O Nazismo é, sem dúvida, de direita.
    A confusão é por causa do nome do Partido, e da conduta muito semelhante aos governos comunistas, no que tange falta de liberdade, execuções, centralização de poder etc
    E ainda há a busca da esquerda brasileira de pintar de extrema-direita um candidato q, sem dúvida, não o é.
    Quanto ao Holocausto… lembro das palavras do Gen Eisenhower..
    “Fotografem! Filmem! Registrem!! Um dia virão aqueles que tentaram negar por motivos escusos!

  12. Tá tão sinistro, que mesmo com 3 reportagens seguidas explicando o óbvio, eles continuam negando.

    Eles estão tão ensandecidos pelas suas leituras de fake news, mises, olavo, etc. que simplesmente:

    DESCOLARAM DA REALIDADE.

    Histeria coletiva induzida? Talvez. Se não é mau caratismo, estão sendo vítimas de um ardil maquiavélico.

  13. A visão histórica da II guera mundial difundida no pós guerra no Japão e na Alemanha é antes a visão dos vencedores do que a dos japoneses e alemães. O fato de uma asserção vir de alemães e japoneses neste assunto não significa dizer que esteja certa ou que represente verdadeiramente o que é a visão real do que pensa a população de tais paises, pois ainda lá vigora uma aversão ao japão imperial e a alemanha nazista que decorreu da vitória dos aliados. Se a guerra tivesse outro resultado, a “história oficial” seria outra mesmo em vista dos mesmos fatos em maioria. Logo, não só os brasileiros como qualquer um pode, sim, contestar a versão dos alemães sobre um evento de sua história sem que isso signifique uma estultice, desde que o faça com dados e argumentos.

    E um exemplo da parcialidade das versões reside no esquecimento conveniente dos bombardeios a Dresden e Leipzig e a Toquio pelos aliados. Bombardeios com dezenas de milhares de mortos e a alvos civis. Alguem ja viu filme retratando isso? Mas dos nazistas em campos de concentração (galvanizando um anti-semitismo que era generalizado e compartilhado em todos os estados europeus na época e não era so deles), ou dos japoneses agressivos impondo a marcha da morte em Batan se acha fácil.

    Por fim, quanto ao nazismo ser de esquerda ou de direta, nem um nem outro. Era uma doutrina politico-ideológico-filosofico- religiosa que se opunha ao bolchevismo soviético e ao comunismo, mas que hauria dele muitos pontos em comum, ao passo que igualmente se opunha ao liberalismo das potencias europeias e dos EUA. Enquanto Hitler copiou muitas coisas de Stalin e tinha muitos pontos em comum com o regime soviético em termos de direção econômica (regime de esquerda), foi usado como barreira pelos estados ocidentais contra os soviético e se declarava inimigo do comunismo.

    Ou seja, sintetizando: o nazismo tem elementos comuns de regimes de esquerda e de direita em praticamente iguais proporções. É um tertiun genus. Nãos pode enquadra-lo em um lado ou no outro sob pena de se cometer imprecisão ou se incorrer em subjetivismo.

  14. Hãããã…por nada, não, mas qual é mesmo a posição que os estudantes brasileiros comumente costumam aparecer em concursos acadêmicos envolvendo estudantes do Ensino Médio de vários países do mundo, como aquele da OECD?
    Acho que isso responde a razão do brasileiro se posicionar onde se posiciona em tais rankings acadêmicos. E, de certaforma, também reflete o porquê deste país nunca ter tido um momento de excelência no cenário internacional. Sem mais pro momento, Meritíssimo…

    • Samuca, o que se mede não é a capacidade de repetir um discurso, mas a capacidade de argumentar um. O que os brasileiros defendem ou deixam de defender como “verdades históricas” não é motivo do seu desempenho melhor ou pior. O conteúdo do que se defende nada tem a ver com a forma como se defende. Se estamos mal é por incapacidade argumentativa ( forma de defender), não por dizermos algo diferente da “história oficial” ( o que se defende), História não é uma ciência exata.

      E se alguns usaram argumentos rasos e facilmente debeláveis para contestar a embaixada, isso não significa que suas conclusões estejam erradas, mas apenas que usam premissas equivocadas ou inválidas para chegar a ela. O que os brasileiros defenderam pode ser argumentado com muito mais propriedade, e com relevância científica.

  15. Oq esperar da es.quer.da que segue ao pé da letra a cartilha do mar.xis.mo cultural, mas nega que são co.mu.nis.tas, é claro que tbm vão negar que o na.zis.mo é de es.quer.da.

    Volto a repetir, a embaixada alemã não postou esse vídeo atoa, estamos na reta final das eleições no Brasil liderado por um candidato de direita, querem influenciar o eleitor brasileiro, com o reforço do El País que outro antro de es.quer.da

  16. E sobre negar o holocausto, realmente é irrisório isso, há dados históricos comprovados, quem nega isso é um ju.men.to!

    o interessante disso e convoco as pessoas observarem os comentários em blogs e sites de es.quer.da para tirar a prova, são os próprios es.quer.dis.tas que mais negam o holocausto, pois a maioria dessa gente sempre apoiaram a narrativa dos radicais is.lâs.mi.cos, até nisso querem jogar na conta de quem é de direita, são risíveis !!

  17. Ao longo dos anos as principais nações em algum momento de sua história cometeram erros. A Alemanha nazista racista, se achando uma raça superior as outras, raça ariana, considerou inferiores todas as pessoas que não se encaixavam com a visão doentia deles o que resultou na morte, principalmente de 6 milhões de judeus. O grande problema é o extremismo, tudo ao extremo, mata todo mundo! Todo mundo tem que ter a mesma coisa! Queimem todos os livros, daqui para frente nós vamos escrever “inventar” uma nova história da humanidade! Sem liberdade, um monte de gente igual a uma boiada seguindo um lunático, sem pensar! Tem muita gente formada, com diploma na mão que é muito boa no que se formou, na sua especialidade, mas é extremamente burra no quesito pensar. Daí é levada de acordo com a opinião da maioria e a maioria as vezes nem sempre está certa, resultado: Vai todo mundo para o buraco. Realmente precisamos aprender como se ensina, como se educa, para que sejamos uma nação esclarecida, porque estamos pagando um preço muito alto pela má qualidade do ensino e qualificação. Alemanha derrotada na 1º guerra mundial, destruída novamente na 2º guerra mundial e 73 anos depois vemos como é a qualidade de vida daquele país, cometeram erros infames, horríveis contra a humanidade, se envergonharam disso, pagaram o preço, mas se reergueram e são o que são hoje.

    • Marcius, por uma questão de reposição da verdade não devemos nos esquecer que crimes de guerra foram cometidos pelos dois lados. Fora os que eu acima citei ( e lembro ainda de Hamburgo), o maior assassino da segunda guerra foi Stalin. Os Gulags e execuções ou o trabalho forçado que usou para fazer obras vultosas nunca são lembrados.

      Não pretendo justificar ou amenizar responsabilidades, mas é preciso olhar os dois lados e lembrar mais uma vez que a história é contada sobretudo pelos vencedores. Ai alemães e japoneses foram eleitos como vilões e esta visão lhes foi imposta.

      • Sem dúvida foram cometidos crimes dos dois lados, numa guerra perde-se a razão e alemães e japoneses foram eleitos vilões justamente porque perderam. Como você disse os vencedores é que contam as histórias. Mas existia na época uma justificativa de empreender uma guerra mundial naquela magnitude? Uma bestialidade daquela que fizeram com as pessoas? Porque acho que se eles não tivessem começado tudo isso, eles não só não seriam vistos, ou lhes seria imposta um papel de vilão, como também os aliados não teriam cometido crime nenhum. Eles começaram/atacaram, quem foi atacado teve que reagir e numa guerra a razão é a última a ter voz.

        • Marcius, no caso de EUA x Japão era questão de tempo um dos lados tomar a iniciativa. No caso dos alemães, é preciso se por no lugar deles e lembrar o que lhes foi imposto na I guerra para compreender. Outrossim, mais recentemente se tem a noção ( como tinha Hitler) de que se os alemães não tivessem agido, cedo ou tarde Stalin agiria. Então esta asserção de quem “começou” as coisas é um tanto nebulosa. Se formos mais atras, quem sabe se os vencedores da primeira guerra não tivessem sido tão severos, Hitler jamais teria ascendido ao poder.

          Uma fase importante de um guerra é o pós-guerra. tanto isso é verdade que a segunda guerra teve dos aliados vencedores atuação bem diferente com o vencido em vista da que tiveram na I. O plano Marshall e a doutrinação. Os EUA e aliados reconstruíiram o Japão e a Europa justamente porque sabem que parte do estopim da II guerra foi a atitude relapsa dos vencedores na primeira

          • No caso estava me referindo justamente quem começou a primeira guerra, que serviu para todo mundo resolver suas rixas e não quando começou a segunda. A segunda foi reflexo da primeira, aí desandou tudo mesmo. Porque foi depois da primeira que teve essa série de desastres e claro interesses.

          • Marcius, a primeira foi uma balburdia. havia um caldeirão étnico e político pronto a explodir. A má gestão do pos guerra da primeira gerou a segunda

  18. Vamos ver… Em termos percentuais, a inquisição espanhola deve ter matado tanto quanto os alemães. Os italianos massacraram etíopes na 2a GG, os americanos exterminaram etnias em sua marcha para o oeste, os britânicos perpetraram massacres gigantescos em suas colônias em nome do império. A França arregaçou os argelinos. Os turcos, mataram 1 milhão de armênios. Japoneses fizeram barbaridades no continente asiático. Os australianos matavam os nativos aos montes e “assimilaram” várias crianças locais. Astecas, incas e maias… Gente, massacres e genocídios são comuns na história humana. Além do que os russos massacraram tanto a população civil alemã, polonesa e húngara no fim da 2a GG quantos os alemães durante a guerra. Volto a frisar… Explica o comportamento, mas nunca justificará. O fato é que os alemães foram penalizados pelos crimes que cometeram, mas e os dos russos, americanos, ingleses, franceses e outros atores na 2a GG??? Estes ainda estão impunes e ninguém fala neles. Mas por quê a surpresa??? A história é escrita pelos vencedores.

    • Disse tudo, fim de papo.

      Se for cobrar, não tem um povo que não deva algo… no fim, todos “seres humanos”, o pior bicho da natureza, a pior praga na natureza, consome tudo, destrói tudo, mata semelhantes mesmo sendo o único animal racional…

    • Há uma diferença fundamental no nazismo. Embora outros governos ou regimes tenham cometido assassinatos em massa, o nazismo o fazia por um motivo racial. Judeus, ciganos, eslavos eram consideradas raças inferiores e, por isso, deveriam ser exterminadas. Não era uma questão política, geográfica, econômica ou religiosa, ainda que esses elementos pudessem ter algum papel. Era uma questão racial, genética, que justificou o assassinato de bebês e crianças, pois o seu “mal” estava no sangue.
      Isso é o que diferencia o holocausto nazista.
      Há muitas séries no YouTube que abordam o tema, assim como alguns documentários no Netflix.

      • Eduardo, vários dos exemplos citados pelo Braz são também direta ou indiretamente raciais. Não há diferença em grau de exclusividade.

  19. Parem de comentar, a vergonha só aumenta. A Embaixada da Alemanha divulga vídeo, os caras ficam montando um discussão que não tem fundamento, ainda ficam tentado cobrar da Direita e da Esquerda. Fico lembrando do serviço militar do meu pai, em 1961, os colegas dele não sabiam o que era o pé esquerdo e direito, o pobre do sargento tentava ensinar. Estamos praticamente no mesmo nível.

  20. Pois é… o Brasil é o único país do mundo a tentar abolir a História e a geografia do currículo do ensino médio e o resultado está ai: imbecis falando que o Nazismo era de esquerda ou de direita. Nem um , nem outro. Era um regime independente de ambas as ideologias, que ficava marginalmente entre eles, formado por psicopatas doentios que conseguiram – a partir da ignorância educacional aliada à uma crise econômica e de patriotismo e um líder carismático e bom de papo ( me lembra um certo candidato ) que conquistou multidões – enganar toda uma população de um país e, por mais que seja impressionante, de outros povos. E, ainda , por mais incrível , tenha tido frutos até os dias atuais. È incrível como a total ignorância de uma população pode fazer com ela mesma….

  21. Pois é… o Brasil é o único país do mundo a tentar abolir a História e a geografia do currículo do ensino médio e o resultado está ai: imbecis falando que o Nazismo era de esquerda ou de direita. Nem um , nem outro. Era um regime independente de ambas as ideologias, que ficava marginalmente entre eles, formado por psicopatas doentios que conseguiram – a partir da ignorância educacional aliada à uma crise econômica e de patriotismo e um líder carismático e bom de papo ( me lembra um certo candidato ) que conquistou multidões – enganar toda uma população de um país e, por mais que seja impressionante, de outros povos. E, ainda , por mais incrível , tenha tido frutos até os dias atuais. È incrível como a total ignorância de uma população pode fazer com ela mesma….

  22. o Brasil é o único país do mundo a tentar abolir a História e a geografia do currículo do ensino médio e o resultado está ai: imbecis falando que o Nazismo era de esquerda ou de direita. Nem um , nem outro. Era um regime independente de ambas as ideologias, que ficava marginalmente entre eles, formado por psicopatas doentios que conseguiram – a partir da ignorância educacional aliada à uma crise econômica e de patriotismo e um líder carismático e bom de papo ( me lembra um certo candidato ) que conquistou multidões – enganar toda uma população de um país e, por mais que seja impressionante, de outros povos. E, ainda , por mais incrível , tenha tido frutos até os dias atuais.
    È incrível como a total ignorância de uma população pode fazer com ela mesma….

  23. Que história é essa de brasileiros quererem discutir um fato histórico como o nazismo!?
    Isso é monopólio dos alemães!! PQP! E olha que o Ele País encontrou um professor que acredita nessa ideia.

  24. Não quero tomar partido, mas é muito simples de se explicar o que está acontecendo. Hoje a Alemanha é um país de esquerda/socialista, com o estado aparelhado por essa ideologia, mas vamos imaginar que eles estivessem aparelhados pela direita. Provavelmente este vídeo da embaixada nem existiria, ou existiria, mas dizendo para tomarmos cuidado com a extrema esquerda, e que foi isso o que levou a Alemanha ao nazismo. Ou seja, é só uma questão/visão de como e por quem o estado está sendo aparelhado no momento….

  25. Impressiona a quantidade de pessoas que continuam a passar vergonha, as pessoas leem e não entendem, acham que o mundo se resume a direita e esquerda, não conseguem pensar fora das suas caixas, não conseguem tecer um comentário sem agredir o outro, nunca subestime a ignorância humana. Insano o que acontece hoje em dia se você não gosta do partido “A” você é comunista, se você não gosta do partido “B” você é nazista, estamos eliminando as nuances de pensamento, estamos perdendo a capacidade de extrair o melhor de cada ponto de vista e construir algo melhor, estamos voltando a barbárie do Eu contra Você, independentemente do qualquer coisa, ou você está do meu lado ou você é o mal. Triste, muito triste.

  26. Apesar de o nazismo ser mais próximo da direita, e ter elementos de esquerda. Por isso alguns dizem ser outra via, ou majoritariamente de direita. Talvez o importante é notar como a herança nazista não é aceita por parte da direita moderna que não a adota, explico. Atualmente existem nazistas, neonazista, e estes são de direita em quase 100%, ou seja, parte da direita é nazista, hoje. Outra parte da direita, a maior, sem dúvidas, não é nazista. O mesmo paralelo pode ser feito com a esquerda, e parte dela ser stalinista, e a maioria não. Porém na esquerda que não é stalinista, existe o reconhecimento que o stalisnisno foi de esquerda é foi ruim e não deve ser seguido… Outrossim por parte da direita não nazista, ao inves de admitir o nazismo e seus erros, adotam a tatica de negar e “empurrar” a ideologia nazista para outro campo que não seja o seu. Isso é ruim por dois motivos centrais. Primeiramente, para se afastar de repetir erros é necessário reconhecê-los e assumi-los. Segundo, negar fatos e imputalos a outros é anti-ético e de moral negativa.

  27. Isso é no que dá quando se deixa o conhecimento à cargo dos socialistas, sejam estes jornalistas, historiadores ou professores de orientação socialista… Como acreditar neles?

      • A direita brasileira não tem relativismo moral desde as caravelas. Com ela é papo reto e franco sem tergiversar. Ela só se incomoda se quem roubar for do outro lado. Sempre quis, desde o Império, direito exclusivo ao butim.

    • Olha quem anda aprendendo coisas em redes sociais e nas cartilhas do partido não é bem a “direita”. Acho que isso ai vale para quem idolatra condenados

      • A direita instruída é eleitora do Meirelles e do Amoedo, a neo direita extremista e analfabeta de redes sociais é a eleitora do Bolsonaro. Aquela que acha que cavalo-marinho é um equino.

        Vc sem dúvida é da segunda turma, porque conseguiu ligar uma uma critica a estupidez intelectual da neo direita dos Revoltados on Line com uma pretensa idolatria a condenados de quem escreve.

      • Alex ja que voce começou com agressão, analfabetismo e imbecilidade é coisa de gente que vem aqui querendo se passar por uma coisa que não é e julgando os outros por si mesmo como voce. Passa longe e me ignora, guri, que não vou me sujar com voce. A direita instruída vota em que vence. E voce vota no presidiário que te representa. Volta la pro barril

  28. colombelli 19 de setembro de 2018 at 20:05
    Marcius, a primeira foi uma balburdia. havia um caldeirão étnico e político pronto a explodir. A má gestão do pos guerra da primeira gerou a segunda

    Acho que temos o mesmo ponto de vista, não sei se me expressei mal, só estamos talvez colocando de maneiras diferentes. Ao meu ver, respeito a opinião de todos,mas exceto se você foi atacado sem motivo que nesse caso você teria todo direito de defesa, mesmo eu me colocando no lugar da Alemanha na segunda guerra, não são justificáveis por exemplo a matança de propósito de civis inocentes, entre tantos, principalmente judeus que não tinham nada a a ver com a má gestão mencionada. Talvez por tantas covardias e ideologias ocultistas que lhes foi imposta então o papel de vilão, como falamos, descontaram a raiva em todo mundo. Coisas completamente desumanas e sem justificativa nenhuma. Nesse sentido que digo que quem dá o primeiro tiro, seja Alemanha, seja Rússia, seja quem for, que foi a bagunça da primeira, a má gestão da segunda, traz para si os horrores da guerra e numa guerra vale tudo e perde-se a razão como disse. Eu jogo uma bomba em você, você vai jogar uma maior em mim e não tem fim, aí chegamos a bomba nuclear onde quem mais morre são inocentes. Não sei se consegui passar o meu pensamento, já me estendi demais no assunto, o debate foi muito bom.

    • Marcius, na primeira guera tinhamos estados que eram colchas de retalhos étnicas. Havia enorme competição e desconfiança entre os estados nacionais europeus e a política de alianças levou a que um incidente localizado conduzisse a uma escalada e ao massacre da guerra de trincheiras ( a coisa mais proxima do inferno que ja se viu realizada).

      Vencida a Alemanha, os termos que foram impostos pelos vencedores fomentaram ainda mais o nacionalismo e a frustração que permitiram Hitler ascender. O espancionismo sobre os sudetos, Memel, polônia etc. vinha muito disso. Não podemos nos esquecer que Inglaterra e França mantinham sua colônias. E este mesmo espancionismo movia o Japão no oriente. Se os aliados tivessem administrado melhor a Alemanha pos primeira guerra ( como fizeram na segunda) a segunda guerra não teria ocorrido como ocorreu, embora um embate com Stalin cedo ou tarde fosse ocorrer, capitaneado pela Alemanha (como foi) ou por outros.

      Uma vez desencadeada a guerra, um ressentimento contra os judeus que era correntio em toda a Europa teve vasão. Houve uma generalizada omissão dos estados europeus em se manifestar contra o antisemitismo, e houve mesmo, alguns incidentes na propria europa (e fora da Alemanha) de perseguições, justamente por conta disse. E não foram so eles as vítimas. Stalin matou bem mais. Homossexuais, ciganos, opositores, judeus. Bem mais que os alemães. Já os japoneses fizeram horrores contra os chineses e diversos povos do oriente ( malaios, filipinos etc.). E os próprios norte americanos fizeram contra os japoneses muita coisa que a versão dos vencedores esquece. Há pouco tempo saiu uma reportagem sobre a prática de militares dos EUA de “ferver cabeças” de soldados japoneses para usar os crânios como enfeites. A propaganda política e militar da época os colocava como sub-humanos. Mesma coisa era feita dos japoneses em vista dos EUA.

      Enfim. Pouco importando o estopim de um e outro conflito (e as vezes as causas até podem ser legítimas, seja no momento ou depois), a guerra é sempre horrivel. É uma atividade baixa, que, paradoxalmente, requer pessoas de moral e firmeza para sua condução, sob pena de decair na barbárie completa. Quem morre sofre e paga o maior preço. E quem mata também sai com sequelas indeléveis. E uma das coisas mais importantes para se evitar uma guerra e como se atua logo depois da ultima. Isso foi aparentemente aprendido depois da segunda guerra mundial.

      É por isso que a maior virtude de uma arma e de uma força armada e fazer com que ela própria não tenha de ser usada

  29. Definido por estudiosos, o Nazismo foi de extrema direita, muitos entende que foi de esquerda e outros veem um sincretismo político no partido nazismo.
    Li recentemente, Aldo Rebelo e Jornalistas dizendo que lula nunca foi de esquerda kkkk

    Em breve as FARCs será exaltada como de direita e que luta por democracia e pelo povo
    A Embaixada do Irã , defendeu o diplomata estuprador e pedófilo quando este tentou estrupa uma criança no Brasil, isto é normal por lá, adultos ter relação com crianças.

    Os Palestinos não acham que o Hamas é terrorista, pra eles é um partido politico que luta pelo seu povo.
    Os Brasileiros não acham que Dilma, Jose Dirceu e ORCRIM “foram” terroristas, muitos os tratam com heróis que lutaram pela democracia

  30. “Os brasileiros de classe média frequentemente surpreendem um europeu com uma longa lista de faculdades e cursos que terminaram; mas, na verdade, o conhecimento adquirido por eles é muito superficial, o que significa que no Brasil, por regra, encontramos pessoas ignorantes, que, mesmo com numerosos títulos científicos, não chegam aos pés da nossa gente com formação primária”.

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here