Home Estratégia EUA têm interesse em fazer alianças com os governos do Brasil e...

EUA têm interesse em fazer alianças com os governos do Brasil e da Colômbia

4076
44
John Bolton
John Bolton

Assessor de Segurança Nacional da Casa Branca diz que Bolsonaro e Duque ‘pensam como nós’

O conselheiro de Segurança Nacional da Casa Branca, John Bolton, afirmou nesta quinta-feira (1º) que os EUA têm interesse em fazer alianças com os governos do Brasil e da Colômbia para aumentar a segurança e melhorar a economia na América Latina.

O presidente Iván Duque e o presidente eleito Jair Bolsonaro foram citados como “líderes que pensam como nós” por Bolton, durante discurso em Miami.

Segundo Bolton, a eleição de Bolsonaro demonstra “um crescente compromisso regional em torno dos princípios de livre comércio e de governança aberta e transparente”.

Nos últimos dias, o governo colombiano sinalizou uma aproximação com o Brasil de Bolsonaro em torno de um aumento da pressão sobre o regime de Nicolás Maduro.

Bolton anunciou ainda uma série de medidas contra os regimes de Venezuela, Cuba e Nicarágua, a quem chamou de “troica da tirania”.

“Sob a liderança do presidente Trump, os EUA tomarão ações diretas contra esses três regimes para defender o estado de direito, a liberdade e a mínima decência humana em nossa região”, disse Bolton, em Miami, lar de muitos migrantes de origem cubana e venezuelana.

Os EUA esperam “para ver como cada vértice do triângulo vai cair: Em Havana, Caracas e Manágua”, disse Bolton.

O conselheiro ressaltou que, quando esse dia chegar, as pessoas da região “podem ​​ter certeza de que a América estará com elas contra as forças da opressão, totalitarismo e dominação”.

Leia a matéria completa no site da Folha, clicando aqui.

44 COMMENTS

  1. Eu espero que o governo Brasileiro sempre tenha ganho em qualquer acordo que se faça com a potência EUA. Eu sou totalmente favorável a acordos com os EUA, mas precisa-se fazer de uma forma que ambos ganhem. Agora, Off-topic, Bolsonaro disse que mudará a embaixada Brasileira em Israel ´para Jerusalém… O que ganha e o que perde com isto?

    • Ganha prestigio com países de maioria cristã que tenham eleito lideres de direita ( o que pode abrir espaço para cooperações econômicas, etc).
      Perde dinheiro (muita exportação nossa vai para o oriente médio) e possível ataques terroristas com motivação religiosa.

      Também se tornará alvo da grande mídia de esquerda.

      Mas de concreto mesmo, não vejo nada em um primeiro momento.

  2. E o interesse dos EUA por Alcantra e de ter uma base no nordeste? Será que será vantajoso ter uma base americana no nordeste?
    Já tô imaginando a chiadeira dos EsquerdoPaTas, rs.

    • A partir do momento em que a proteção dos interesses nacionais passa a ser considerado sinônimo de esquerdices, percebe-se o quão díspar da realidade e raso se tornou o debate político aqui no Brasil.

    • Além da histeria coletiva da esquerda, não há nada demais nisso.
      Já imaginou 10 mil militares americanos numa Base militar no Brasil?
      Já imaginou a quantia de dinheiro que iria circular?

    • Não simplifique a questão.
      Ter uma base militar estrangeira em nosso território é algo a ser muito pensado e refletido.
      Da mesma forma que vender longas áreas de fronteira a Chineses, a excesso de autonomia em Reservas Indígenas, uma Base militar estrangeira em nosso território é uma grande abdicação de soberania naquele território.
      Boa parte dos militares não enxergam essa questão com bons olhos desde muitos governos atrás.
      Então não se trata dessa simplificação “esquerdopatas” e “minions” e sim abdicar de parte da sua soberania.

    • Que mané base no nordeste, enlouqueceu, ta vivendo onde? Vai atrais olhares russos, chineses e seja la quem for. Sem base no nosso país soberano. Se quiserem um local pra usar de ponto estratégico de operações de invasão usem nossas bases conosco por tempo determinado. Agora uma ocupação de outro país no nosso visando os próprios interesses, ditando regras na região, jamais. Só pra constar isso se chama Patriotismo coisa que vc mostrou não ter.

    • Kornet

      Nossas leis não permitem bases estrangeiras em território nacional, a não ser em casos de uma guerra externa. Isso só seria possível com alguma brecha, o que eu acho bastante difícil.

      • Prezado,do Brasil não duvide de nada,ainda mais se rolar dinheiro.
        Essa conversa da base esta rolando,pq eles querem mesmo é a de Alcantra.
        O tempo dirá o que acontecerá.

    • Ter uma base americana no nordeste só vai confirmar que somos vassalos dos EUA.
      O ponto não é ser esquerdopata. O ponto é enxergar que o Brasil é um país gigante e não precisa ser vassalo de ninguém.
      Mas também não é pra ter uma relação ruim eles. Só precisamos manter nossa soberania.

  3. Esse assessor parece esquecer que os líderes de quem ele fala são sexagenários, brevemente septuagenários, o seu próprio inclusive, mas fala como se seus projetos de poder, na cíclica política da América Latina e mesmo dos Estados Unidos, como em qualquer democracia aliás, e ainda diante da inevitável mortalidade dos homens, fossem durar por décadas.

    De outro ponto, historicamente a América Latina não tem um alinhamento ideológico com os Estados Unidos em diversos assuntos, ao contrário de outras regiões do mundo, e a merecida reprovação da ditadura Cubana e Venezuelana pelo Brasil não significa subordinar-se a uma atuação em face desses países sob os exclusivos, e não raras vezes arrogantes, termos dos Estados Unidos, mas, sim, através de organismos multilaterais, das Américas ou do mundo conforme a matéria, trazendo mais legitimidade e equilíbrio nas decisões.

    O Brasil deve ser um implacável defensor da democracia na América Latina segundo sua histórica relação de respeito e consideração com seus vizinhos, que transcendem governos, especialmente o do fanfarrão Trump, considerando, ainda, seu imenso peso político e econômico na região.

  4. Dizem que haverá converas pela base.
    Se o Brasil vai ceder a tal pedido é outra história .
    Só não dá pra entender pq o interesse em ter uma base no nordeste, com a palavra os especialistas.

    • Base é Fake News. Eles não estão nem a fim de manter as bases na Europa, imagina abrir uma por aqui. Não torrariam bilhões de dólares do contribuinte por causa do Maduro e nem precisam de um posto avançado para operações na Venezuela, já que poderiam fazer isso a partir da Flórida. Seria uma base no meio do nada. O foco deles para os próximos anos será a Ásia-Pacífico.

  5. 01/11 – quinta-feira, bnoite, eles estão tentando colocar o Brasil/Colômbia em uma furada, querem que sejamos o boi de piranha em um ataque contra a Venezuela. São coisas que os Americanos sempre fazem, bombardeiam, mas na hora de entrar mandam os das ”nacoes amigas” na frente. Colocar nossos irmãos para servir a interesses americanos, ou seja eles ( Exxon, Chevron, e outras) estão de olho nos poços de petróleo, e, como o Maduro/Chaves, criou monopólio PDVSA, não presta, deixem o Maduro cair de maduro.

    • seu post me lembra a visita da esposa do jimmy carter ao brasil, com o geisel tendo de engoli-la. na hora de tirar o goulart, os eua deram o apoio. mas quando o pau de arara cantou, os yankees saíram pela tangente e viraram defensores dos direitos humanos. e não se esqueçam do editorial d’O globo condenando a ditabranda. por isso o general heleno já disse que invasão da venezuela nem pensar. depois que o coturno cruzasse a fronteira, estaria por sua conta e risco. e risco é o que não se pode ter no momento.

  6. Que ótimo o Leôncio ai podia deixar a conversa fiada de lado e remover as injustas taxações do nosso aço que entra no mercado americano, medida populista e eleitoreira do Trump, tendo em vista que somos os maiores importadores de carvão americano do mundo, além de exportamos o aço semi acabado, portanto não competindo com o aço americano.Nem os congressistas americanos entenderam do pq o Brasil estar na lista de taxações do Trump

      • Quando o site fizer uma matéria com o Xing Ling falando que quer fazer uma aliança com o governo do Brasil, pode apostar que virei nos comentários para lembrar desses 90% de taxação do açúcar e do frango. Não sou militante e tento ser coerente sempre, portanto não meça meus comentários com a sua régua

      • Na verdade o Brasil não teve escolha, ou aceitava as alíquotas impostas pelos americanos ou era taxado, no caso do aço escolheu-se a alíquota, no caso do alumínio escolheu-se aceitar a taxação. Por isso que eu falei para o Leôncio deixar de conversa fiada, alianças se formam através de atos e não só de palavras

  7. Até que enfim o Brasil vai voltar a ser considerado relevante como um player no mundo militar-geopolítico e deixará de ser “anão diplomático”.

    Já passou da hora de ficar em cima do muro, temos que assumir um lado e assumir a liderança no hemisfério sul, chega de frescura, ou é parceiro ou não é.

    Brasil – EUA, é hora de fazer uma parceria duradoura onde os ganhos sejam 50/50, vamos nos espelhar na Coreia do Sul e meter o pé na tábua.

  8. gente do céu, a china tá metendo medo mesmo. e entre as duas potências de peso, vem o brasil “soberano” pular de galho em galho pra ficar bem com todos. se se afastar da china, perde dinheiro e muito. dos eua, idem. a verdade é que não adianta brasília encostar a buzanfa na parede. e vem os direitopatas achar que pitacaremos alguma coisa nesse xadrez de cachorro grande.

  9. Disse a autoridade NA: “Nos últimos dias, o governo colombiano sinalizou uma aproximação com o Brasil de Bolsonaro em torno de um aumento da pressão sobre o regime de Nicolás Maduro”.

    Qual é a ‘pressão’ que exercemos?

    Isso quer dizer que vamos começar a mandar armas e munição para a oposição venezuelana? Ou que vamos suspender as exportações que ainda são feitas? Que vamos começar a negociar a imensa dívida deles para pagamento em petróleo? Que vamos atender às pretensões do Trump?

    Temos muitos problemas para resolver, muita faxina a fazer. Quero ver o país fora de toda essa confusão, que não nos pertence.

  10. È fria eles cuidam do apoio aéreo, é nos mandamos nossos jovens para morrer e matar por eles.Vai ser guerra de guerrilha,os Americanos vão assessorar na logística bem longe do front.é os venezuelanos tem a capacidade de resistir,pois eles conhecem melhor seu pais.Colocar pressão diplomática,exercer diplomacia,

  11. É cada ideia retardada o que que o Brasil ganha se metendo em rolo com a Venezuela sendo que aqui dentro o próximo governo tem que se focar em arrumar e limpar a casa, Reforma da previdência, reforma tributaria, reforma trabalhista, reforma do legislativo e judiciário, desburocratização desengatar o freio de mão da economia e fazer o pais crescer em taxas superiores a 5%, e tem comentarista de ufanismo defendendo intervenção na Venezuela enquanto nossa intervenção caseira aqui tá longe de dar resultado, tem muita coisa pra começar a consertar em território brasileiro pra ficar se preocupando em terras estrangeiras, o minimo que o governo brasileiro pode fazer e deixar de apoiar essas ditaduras esquerdistas pela AL encerrar essa farra de dinheiro do BNDES financiar obras corruptas pelo mundo a fora, o Itamaraty vai ter um trabalho herculano de passar uma borracha na desastrosa e vergonhosa politica externa brasileira nesse período fétido do PT que se aliou ao que de pior existe no mundo, então temos coisas bem mais importantes pra resolver não viajem, menos, bem menos.

  12. O Brasil não deve ceder seu território para qualquer outro país. Espero que o nosso presidente não faça esta besteira. A nossa soberania não pode estar a venda. Sou eleitor do Bolsonaro.

  13. Não é os venezuelanos que querem invandir o Brasil, salvo os refugiados em Roraima.E o EUA que está vendo uma brecha para depor um governo legitimo,ou ilegítimo, e querem por os boboês,até pedindo para o Brasil associar com a colombia,que alias não tem nenhum tanque e não pode ajudar muito. Os venezuelanos tem 5000 iglas,43 penchorar,23 bulks e 6 ou 8 baterias s-300,isto significa que a Fab não pode garantir superioridade aérea,fora os sulkois,f-16. e nem a força aérea colombiana poderia ajudar muito.O que podemos fazer e posicionar um grande contigênte na amazonia e pressionar a diplomacia que vou ouvir criticas mas no tempo do lula era forteagora e um anal diplomático,é tem de reconquistar a diplomacia de líder da américa latina.

  14. Os EUA querem estreitar os negócios na área militar. Não seria um retrocesso ao Brasil, uma vez que os americanos não transferem tecnologias e impõe várias sanções!? Não é melhor ter uma gama maior de países como parceria inclusive para transferir tecnologias!?

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here