Home Diplomacia Ex-embaixador dos EUA defende entrada do Brasil na Otan

Ex-embaixador dos EUA defende entrada do Brasil na Otan

4422
59
Thomas Shannon
Thomas Shannon

Em entrevista exclusiva à BBC News Brasil, em Washington, o experiente diplomata Thomas Shannon faz projeções para as relações comerciais, políticas, militares e de direitos humanos entre Brasil e Estados Unidos sob o governo de Jair Bolsonaro (PSL).

Politicamente, ele opina, a Venezuela deve se confirmar como principal ponto de interesse mútuo no curto prazo. Mas se engana quem pensa que o americano siga as ideias de Donald Trump, que já ventilou interesse por uma intervenção militar no país governado por Nicolás Maduro.

“Não é uma boa ideia”, diz, relembrando a história recente do continente.

“Nos piores momentos dos governos militares na América do Sul, a Venezuela foi muito generosa em receber pessoas que escapavam de governos autoritários. No ápice da violência na Colômbia, eles receberam muitos colombianos que estavam fugindo para salvar suas vidas (…) A Venezuela mostrou generosidade na história e é importante que outros países agora mostrem o mesmo.”

O americano também surpreende ao defender a entrada do Brasil na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) – principal aliança militar do planeta e um dos interesses de auxiliares ligados à política internacional de Bolsonaro, segundo a BBC News Brasil apurou.

“Traria ao Brasil uma oportunidade para se envolver e trabalhar diretamente não apenas em questões militares e das forças armadas, mas em tudo que for ligado a segurança nacional e segurança global”, diz.

Os EUA apoiariam a ideia? “Torço para que sim.”

Leia a entrevista completa no site da BBC News Brasil, clicando aqui.

59 COMMENTS

  1. Eu mesmo que não queria o Brasil na Otan, no final das contas não teríamos incentivos para se adequar ao que eles pedem, não por falta de dinheiro, mas por má vontade política!

  2. 01/11 – quinta-feira, btarde, no meu vê considero incoerente. Os pactos da OTAN, consideram que uma agressão a um dos países membros seria uma agressão a todos, não temos um FFAA, bem equipada, nossas fronteiras são pouco guarnecidas, nossa marinha vive de migalhas, não possuímos força de caças-minas, nossas escoltas estão no ossssssso, nossos submarinos não sabemos quantos operantes, nossa força área não possui caças para uma empreitada deste.nivel: entretanto, veríamos nossos governantes tirando dinheiro da saúde, educação, saneamento no intuito de comprar novos equipamentos para as FFAA, seria aquele cobertor curto, cobre a cabeça, deixa os pés de fora.

    • depende do que significa “uma agressão a um dos países membros seria uma agressão a todos”. como o brasil não ameaça hegemonia mundial de quem quer seja, não vejo nenhum sentido nessa entrada, a não ser os EUA apertarem ainda mais as amarras de nossa dependência militar. pra deixar o país e as FFAA’s de 4, bastam apenas alguns mísseis intercontinentais. e se os membros da OTAN vão nos defender, como manda o tratado, só deixando a agressão ocorrer pra ver. mas como sou um eterno cético…..

  3. Tomará que seja verdade por assim pelo menos teremos armas, lógico que serão só os artigos usados, mas como por aqui a indústria nacional de defesa não tem vez, junto a politicanhala

    • Abram M1A1, F-18 SH, Sea Hawks e Black Hawks, Chinooks, Bradley’s, F-16…, F-15…, C-17, Apache’s/Cobras, Humves etc. Só o que lembro agora de possibilidades de usados que são ótimos.
      Sitemas de defesa anti-aérea e afins tbm poderiam vir para nos adequarmos ao mínimo em equipamentos.

  4. O Brasil poderia entrar como parceiro Global, igual a Colômbia…
    Já nos traria boas vantagens… Com o passar do tempo e a melhoria da nossa economia e outras áreas, as coisas vão acontecendo naturalmente.

  5. Boa tarde.
    Qual seria o interesse do Brasil na OTAN? Receber refugiados de toda a parte do mundo deles?
    Já imagino entrarmos em conflito, até mesmo armado, por causa de um atrito de fronteira entre países membros da Organização com reais e legítimos interesses; quase todos eles são alvo ideológicos e não vejo pq buscar isso gratuitamente.
    ORA, direis, OTAN, nuts! para a OTAN!

  6. Eu preferiria comprar de tudo de todos e vendermos em dobro para cada um sem levar, Cor, raça, clero, mundo, ideologia. O que brasilzão está precisando é anabolizar o dinheiro circulante melhorar o seu creto: Com o sentido de crédito, de confiança e credibilidade: pessoa de maus cretos. Em contabilidade, o saldo positivo – Empregos, investimento uma repaginada…E colocarmos de novo no top 5 do Mundo.Meta.

  7. Gente, pelo amor de Deus!

    Claro que não é para ser membro da OTAN no sentido da Aliança Militar, nem do Atlântico Norte nós somos. Ele está se referindo ao nível de Parceiro Global, tal qual a Colômbia, Coréia do Sul, etc.

    Inclusive já participamos de exercício em NCW conforme os padrões deles, assim como a nossa doutrina também já os seguem. Os militares do blog vão me ajudar aqui.

    No mais, está cheio de comentaristas do G1 aqui, leem mas não entendem o que leram!

    Aldo,

    Receber refugiados na Europa, vc deve estar se referindo à UE, e não OTAN!

  8. Mais uma “Colômbia” nascendo se isso acontecer.
    Seremos obrigados a acatar todas as ingerências americanas no continente, vide exemplo da Colômbia em sua eterna “boite de núpcias” com seu marido Norte Americano.
    Mas se formos convidados e mantivermos nossa soberania (coisa que duvido muito), seria bom para as FAAs, pois se não me engano, os países membros deste bloco militar são obrigados a investir mais de 2% do PIB em defesa.
    Seria o fim das eternas contenções de gastos.

    • A onde a OTAN fere a soberania ?
      Onde a Colômbia acata as ordens de outro país ? Onde ser parceiro global da Otan significa isso ?
      Ela decide o que é melhor pra ela, e seus interesses, se você não gosta, não significa que ela entrega sua soberania pelo contrário.

  9. Vejo com bons olhos essa sugestão de sermos parceiros globais da OTAN e nos aproximarmos militarmente dos EUA, meu único senão, é uma futura sugestão de Base Norte Americana em território brasileiro, como as bases no Japão, Colômbia, Itália e etc.

  10. Brasil não precisa entrar nesse gangue saqueadores nações fracos chamado OTAN. A neutralidade do Brasil nos conflitos mundiais que protege o nosso país. Querem jogar o nosso país contra muitos países e seus vizinhos. Isso é uma armadilha!
    Brasil não precisa da proteção da OTAN.

  11. Começou o cerco, agora acham que o Brasil é seu quintal.
    Bom, mas tem gente que acha que nossos vizinhos são nosdo quintal.
    Que o Brasil caia fora e não entre nem como parceiro global, os problemas da OTAN não são nossos problemas.

  12. O srs esquecem que se tiver uma guerra entre EUA,Otam contra a Rússia vamos virar alvo,e para ganhar o que sempre ficar subordinado a armamento ocidentais.Os srs esquecem que trunp comprou que os países do bloco não se armam direito ficam todos dependendo do EUA.Tem que estudar bem 1* porque esse convite só agora(por causa do Bolsonaro)se aqui 4 anos muda o governo.Tem que veros prós e contra,por exemplo a china maior parceiro comercial do Brasil,não vai achar nada bom isto,e se perdemos a china meus amigos o EUA não está muito interessado em nossos produtos carne ,frangos é minério de ferro em tem aõs montes.

  13. Não acho bom negocio agora,pois p EUA barrou o Brasil no conselho permanente,desconfio mas posso estar enganado,seria apoio para uma intervenção na Venezuela,ou apoio ou intervenção direta.O Maior parceiro econômico do Brasil é a china,ela não vai gostar nem um pouco.Tem que pensar repensar.Ver onde ganha onde perde.

  14. Pelo tamanho do Brasil, quantos Satan2 seria necessário a Rússia apontar para a gente para nos satisfazer, se entrássemos para a OTAN?

  15. Marcelo Andrade, boa noite.

    O americano também surpreende ao defender a entrada do Brasil na Otan (Organização do Tratado do Atlântico Norte) – principal ALIANÇA MILITAR do planeta e um dos interesses de auxiliares ligados à política internacional de Bolsonaro, segundo a BBC News Brasil apurou.

    “Traria ao Brasil uma oportunidade para se envolver e trabalhar diretamente não apenas em QUESTÔES MILITARES E DAS FORÇAS ARMADAS, mas em tudo que for ligado a SEGURANÇA NACIONAL E SEGURANÇA GLOBAL”, diz.

    A parceria global a que te referes, seguramente, é corolário. Ele falou explicitamente em participação militar.

    Não falei em refugiados ‘na Europa!’ Falei da OTAN que, ao menos conceitualmente, ao que me consta, extravasa a Europa, ou UE como preferes.

  16. Eu ja imagino o unico pais do mundo que estaria na OTAN e nos BRICS ao msm tempo…
    Não atoa o Brasil historicamente abre o discurso na ONU

  17. Augusto L 1 de novembro de 2018 at 16:46
    O que a Otan tem haver com receber refugiados ??
    Tecnicamente nada. Mas no momento em que somos participntes do Tratado, somos parceiros e, obviamente, não poderemos negar acolhida aos refugiados das regiões em conflito.

  18. Os USA ja perceberam q o futuro presidente é submisso aos interesses judaico-americanos e ja começou a passar um melzinho na boquinha dele.

  19. Vamos abrir nossas bases nos EUA? Orlando, pra ficarmos perto dos parques.
    Brincadeiras a parte, vejo como vantajoso a possibilidade de obter acesso a todos os cursos, doutrina e documentação. Pra aprendermos alguma coisa tivemos que recorrer aos franceses, mas não obtivemos acesso a tudo. A CRUZEX foi uma das consequências.
    Ainda temos muito o que aprender na área de inteligência operacional, seleção de alvos e análise de danos de batalha (principalmente no nível 3).

  20. Senhores
    Bom dia
    Nosso Exército é um só nesse continente, q é o Brasil.
    O Exército inglês quando opera na Polônia, a Polônia apoia. Quando opera na Alemanha, esta o apoia, e por aí vai.
    O EB quando opera na Amazônia, o EB apoia. Quando opera na Sul, o EB apoia. A “merenda” do continente Brasil é só nosso.
    Assim também, as outras Forças.
    Como fazer isso sem o apoio e $$ da OTAN?
    Temos um exército q, na soma de Bda, É mais q o Exército inglês e espanhol juntos.
    Fazemos há anos, o q todos eles tem se voltado a fazer, q são ações não-guerra. Um parte do Exército se adestra pra guerra e outra realiza não-guerra.
    Assim como aprendemos com eles varias coisas, também tem o q aprender conosco.
    Inúmeras comitivas vem ver as OpGLO no RJ, a Op Acolhida em RR e por aí vai.
    Além disso, há o aspecto econômico-militar. Todos sabem q estamos renovando muita coisa, q, evitando o desperdício e roubalheira lulopetista, há $$, então muitos bons negócios podem ocorrer.
    Para os senhores terem uma ideia:
    Temos 25 Bda, mais as OM de RM q somariam, grosso modo, mais duas. 27 Bda, 3 AD e 1 Art Ex, 1 AAAe, 1 OpEsp e 1 AvEx, mais Eng Cnst.
    – 5 Bda em GLO. E uma AD. Apoio de Av e OpEsp
    – 1 Bda na Acolhida com outras apoiando.
    – 13 Bda com tropas e Op na fronteira com Ap OpEsp e Av.
    – 5 em Op Pipa, uma das maiores Op Aj humanitária no mundo.
    – Eng Cnst bombando full time sempre…

    Qual exército tem praticamente todo seu efetivo assim?
    Para os senhores terem ideia, a Bda Pqdt, a 9ª e a 4ª, além de toda OpGLO realizaram exercício de DE nessa semana, Exercício de Aj Humanitária e diversos outros exercícios de Def Ext.
    Qual a fórmula?

    Não se enganem, temos o q aprender e o q ensinar.

    • O profissionalismo do EB é inquestionável, Agnelo. Sem ele seríamos uns 10 países hoje. Enfrentaram até os Nazis… enfim.

      O problema do EB é falta de material. Quem venceria um combate: um faixa preta de karate de 90 kg ou um jovem de 13 anos com um revólver?

      • Concordo
        A análise é: Qual é a ameaça? O garoto, o cara de 90, quem?
        E como se contrapor?
        Com porrete? Com outro 38 ou com 32 atirando melhor e mais rápido?

  21. Augusto L 1 de novembro de 2018 at 18:37
    A onde a OTAN fere a soberania ?
    Onde a Colômbia acata as ordens de outro país ? Onde ser parceiro global da Otan significa isso ?
    Ela decide o que é melhor pra ela, e seus interesses, se você não gosta, não significa que ela entrega sua soberania pelo contrário.
    Pergunte aos colombianos se eles eram a favor do uso de agente laranja em suas florestas.
    Pergunte aos colombianos se a forma como conduziram a guerra contra o tráfico e guerrilha imposta pelos americanos era a melhor opção para eles.
    Agora a Colômbia faz parte da Otan, após anos de mandos e desmandos dos americanos em sua política interna.
    Não se engane, a Otan foi criada para proteger a Europa da crescente ação comunista da antiga União Soviética, já que após a WWII os países europeus estavam falidos e desarmados.
    Aqui na AL não corremos esse risco, só serviremos para engolir tecnologia ocidental e dominarem ainda mais nossa capacidade fabril militar, que está crescendo em tecnologia e capacidades.
    Mesma coisa que está acontecendo com a Colômbia.
    Passar bem,!

  22. A turma ai não deve ter tido infancia , agora se aproximando o natal , sonham comnbrinquedos de guerra , para desfoles militares , quando ficarão empolgados , nenhum nos quer Lider , mas apenas agarrados e pendurados noo sacos de outros , por isto , continuam com tonterias !

LEAVE A REPLY

Please enter your comment!
Please enter your name here