Home Conflitos em andamento França não se retira da Síria apesar da pressão turca

França não se retira da Síria apesar da pressão turca

5199
43

BEIRUTE, LÍBANO – Os militares franceses não se retirarão de Síria apesar da pressão constante do regime turco.

De acordo com uma declaração do Ministério das Relações Exteriores da França, a missão em andamento para as tropas “desdrobradas no Levante (Síria) não mudou”

“Através da Opération Chammal, o Exército Francês permanece engajado, os termos do engajamento levando em conta permanentemente as realidades do campo. As prioridades são derrotar militarmente os últimos bolsões dessa organização terrorista e impedir seu ressurgimento quando estiver no subterrâneo”, disse o comunicado do Ministério da Defesa da França na quinta-feira.

Os militares franceses continuarão apoiando as Forças Democráticas Sírias lideradas pelos curdos (SDF), ao mesmo tempo em que ajudam o Iraque na batalha contra o Estado Islâmico (ISIS/ISIL/IS/Daesh).

“A Força-Tarefa Wagram apoia as Forças Democráticas da Síria contra o Daesh (IS) na região de Hajine. A FT Wagram realizou 34 missões de combate do Iraque”, continua o comunicado.

“Esta semana, as aeronaves da Opération Chammal fizeram 22 surtidas aéreas (saldo de 19 a 25 de dezembro incluído). O Rafale liderou 13 ataques esta semana ”, acrescentou o MoD.

A Turquia tem pressionado o governo francês a se retirar da Síria depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, anunciou que as forças armadas de seu país deixariam o país nas próximas semanas.

FONTE: Al-Masdar News

Subscribe
Notify of
guest
43 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Paulo Costa
Paulo Costa
1 ano atrás

A ambição da Turquia e na verdade, uma forma implantar base militares na região, dominar os curdos e posicionar a Turquia como principal ponto dais rotas de energia, petróleo e gases para toda a União Europeia. A França dever algum acordo secreto com os curdos sobre isso enta o por isso vai tentar ficar mas a saída dos EUA eles ficaram isolados. A Russia sozinha foi a maior beneficiada com a retirada dos EUA e poderá ter “argumentos” forte para ao lado de Assad exigir a saída de todas as forças militares da região (ira, hezbollah turquia, frança e israel)… Read more »

MGNVS
MGNVS
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Paulo Costa – 30 de dezembro de 2018 at 14:37

Saudacoes
Nesse comentario especifico eu concordo totalmente com vc.

E faço um adendo sobre a Turkya.
Alem dos interesses militares e economicos, Erdogan esta transformando a Turkya de país democratico e laico em uma Republica Religiosa Radical Fundamentalista nos mesmos moldes da Arabya Saudita e do Iran. No meu ponto de vista tanto os EUA qnto a Russia deveriam evitar vender armas de grande tecnologia para esses tres países. Mas… como o dinheiro fala mais alto, entao, sem chance disso acontecer.

Socrates
Socrates
Reply to  MGNVS
1 ano atrás

Grande parte do petróleo e gás consumido na Europa é russo, por isso para os russos quanto pior estão os países árabes MELHOR, pois assim os preços sobem, a oferta fica diminuída, os fornecedores ficam restritos…basta ver o que foi a guerra do golfo. Para os russos quanto mais bloqueios contra o Irã melhor, quanto mais ferrada a Venezuela melhor, quanto mais guerras nas fronteiras da Arábia Saudita melhor. Como analogia imaginem a China em guerra e tendo seus portos destruídos, como fica a exportação para todos os cantos do mundo, quem vai suprir essa demanda? Por isso a Rússia… Read more »

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Socrates
1 ano atrás

Ninguém gosta dos russos? Ali aonde? No médio oriente? Na Europa? Engana se….

Socrates
Socrates
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Só vou dizer uma coisa: a rota do petróleo e gás é oriente médio para Europa, ou seja, tem demanda na Europa, agora você pode ter certeza que em 20 anos essas duas commodities vão desabar no continente europeu.Se você pegar gráficos dos anos 80 até os dias atuais vai ver que em vários desses países a demanda é decrescente. O petróleo e o gás no mundo estão com os dias contados, principalmente nos países europeus, isso faz parte de um enorme esforço energético. Essas commodities serão usadas principalmente na indústria petroquímica e na indústria (fornos), porém isso representa apenas… Read more »

Antoniokings
Antoniokings
1 ano atrás

Como se a França tivesse bala na agulha para manter uma intervenção em outro País.
Além disso. na primeira ofensiva do Governo sírio e da NDF, com algumas baixas francesas, o clamor popular na França exigirá a imediata retirada das tropas.

Almeida
Almeida
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Se a Rússia, com a economia em frangalhos, consegue, a França também consegue.

E a França foi vítima algumas vezes desse grupo terrorista, então nada mais natural que continua por lá até exterminá-lo.

Blindmans Bluff
Blindmans Bluff
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Nós especialistas…

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Blindmans Bluff
1 ano atrás

Simmm ^^ ^^ ^^

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Antoniokings
1 ano atrás

Têm bala que chegue, a França é uma potência nuclear, e com o melhor e mais sofisticado(e caro) dos vetores, que são os submarinos nucleares lançadores de mísseis balísticos nucleares, os SNLE, além de misseis de cruzeiro nucleares lançados por aviões, e com uma das melhores indústrias de armamento do mundo, totalmente independentes em todas as areas,ar, mar e terra. Poucos países no mundo podem dizer o mesmo Quanto á opinião publica exigir o regresso dos soldados com mortes, isso é mesmo de quem não conhece nada de nada, pois morreram soldados franceses no afeganistão, combatem á decadas em países… Read more »

Jesus Baccaro
Jesus Baccaro
Reply to  rui mendesmendes
1 ano atrás

Pode ter milhares de megatons no estoque, mas não vão poder usar na Síria. Os EUA tem muito mais e estão caindo fora.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Jesus Baccaro
11 meses atrás

O que os EUA fazem é com eles. A França e quem diz a França, diz a UE, ou um outro país da ue, faz o que os seus decisores acham que devem fazer, e não como certos lideres de alguns países, que lambem as botas de Trump.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Antoniokings
11 meses atrás

Tém ´´bala que chegue para derreter o teu continente, então deve dar para estar na Siria. Muito gostam os Sul Americanos de odiar a UE e seus integrantes. Azar o vosso, ela é forte e rica, para vosso desgosto.

Matheus
Matheus
1 ano atrás

Os primeiros comboios do US Marines partiram hoje da província de Hasakah na Síria em direção ao Iraque.

Cidadão Armado
1 ano atrás

Mais um vexame se aproxima para os francusos como na Indochina, Argélia e na Guerra da Lagosta!

Elton
Elton
1 ano atrás

Os franceses são pouco persistentes quando a situação militar fica complicada ,apanharam feio dos alemães em1914 e 1940 ,apanharam dos vietnamitas em 1954 só gostam de falar auto,quando sair nos jornais da França as primeiras listas de baixas o governo deles manda todo mundo pra casa igual após o atentado que ocorreu em Beirute.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Elton
1 ano atrás

Elton, menos OK? No Vietname todos levaram porrada, franceses, americanos, chineses, vietcongs, vietnamitas…. Todos. Na primeira guerra mundial igual, todos levaram porrada:franceses, ingleses, alemães e etc. Nesta talvez só os EUA não levaram, já que entraram só no fim como forma de garantir acordo. Na segunda de facto a França perdeu em todos os aspectos, foi dominada em todas as frentes e formas de contabilizar uma guerra, mas de facto, mal lutou e mal acreditava que tal se pudesse suceder, razão pela qual foram invadidos tão rapidamente.

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Elton
1 ano atrás

Só dizes treta, os Franceses talvez tenham das mais bem preparadas forças especiais do Mundo. Combatem por todo o Mundo á décadas. E se países existem em que os soldados nunca viram guerra mesmo, esse não é a França, mas sim o teu. O teu sim, ás primeiras baixas, regressava tudo. Os soldados Franceses além de habituados a guerra, tem muitos mercenários franceses por esse mundo fora.

Brunow Basillio
1 ano atrás

França e nada é a mesma coisa ,são os primeiros a falar “grosso” e também os primeiros a sair de mansinho, com tantos problemas sociais na França o “almofadinha ” vai manter tropas na Síria ……
Aguarde mais alguns dias…
Situacao econômica de quem fica na Síria
França
Crescimento econômico:1,4%
Desemprego:9,1%
Inflação: 1,9%
Dívida R/pib: 97%
Reserva:U$ 149 Bi

Rússia
C. E :1,5%
Desemprego:4,8%
Inflação:3,8%
Divida R/pib::12,6%
Reserva:U$ 462 Bi

Turquia
C.E : 1,6%
Desemprego:11,4%
Inflação: 21,62%
Divida R/PIB: 28,3%
Reserva: U$ 129 Bi

Irã
C.E: 1,8%
Desemprego:12,10%
Inflação: 39,90%
Divida R/PIB:39,50%
Reservas:***

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Brunow Basillio
1 ano atrás

A França, junto com a América e o UK são sempre os primeiros a entrar nas guerras, tem juízo, o teu país é que de guerra é só na fase dos capacetes azuis.

Augusto L
Augusto L
1 ano atrás

Provavelmente o presidente francês vai pedir um apoio financeiro da UE. Manter uma presença de 2 mil soldados não é nada absurdo ou colossal. Se os EUA manterem as bases no Iraque e fizerem incursões das suas FE’s apartir dali, já ajuda tbm, também tem o RU que tem tropas na e não se pronunciou, a May pode manter suas tropas na Síria e nas bases americanas no Iraque. Outra coisa importante é, se os EUA vão retirar seus componentes aéreos da região, assim como os franceses e britânicos, essa é uma questão que não está sendo falada e é… Read more »

Zé
1 ano atrás

É a Síria que não vai se retirar da frança .

XFF
XFF
1 ano atrás

Invasor querendo dá as ordens na casa dos outros, além de eles treinaram vários grupos terroristas para combater o Exército Sírio. Não vai demorar muito, a França vai cair fora.

Mateus Tenório
Mateus Tenório
1 ano atrás

Pra quem não sabe a França ainda mantém diversas operações militares ao redor do mundo algumas bem antigas e custosas como a presença militar no Chade desde os anos 80 de ontem eles entraram em guerra direta com a Líbia do coronel gadaffi, só a presença de uma força estrangeira em uma região é motivo suficiente pra evitar que países/facções menores ataquem diretamente a mesma, nesse caso enquanto houver as forças francesas, os britânicos, os alemães e outras nações menos reportadas no lugar, os curdos vão estar salvos de uma ofensiva turca

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Mateus Tenório
1 ano atrás

Sem dúvida, bem dito, ao menos falas e sabes do que falas.

MGNVS
MGNVS
1 ano atrás

França? Basta lembrar da intervençao desastrada que ela fez na Líbia.
Melhor a França se preocupar com os arredores de Paris, onde existem verdadeiros bolsoes de radicais islamicos, um verdadeiro barril de polvora prestes a explodir.

Augusto L
Augusto L
Reply to  MGNVS
1 ano atrás

Tão desastrosa que a França tem o controle dos poços de petróleo Líbios assegurando o fornecimento de petróleo pós Kadhafi.
Se o povo líbio está se matando, é outro problema, e se o Kadhafi estivesse no poder nada seria diferente, a única diferença seria que o fornecimento de petróleo francês estaria em risco.
Só uma observação depois da queda de Kadhafi a produção de petróleo triplicou.

Quatzy
Quatzy
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto L,
Você confirmou o que todo mundo já sabia. A invasão da Líbia pela OTAN é para assegurar o fornecimento de petróleo, no Iraque também. Usaram o argumento de proteção civis como desculpa para atingir seus objetivos reais.
Tentaram fazer mesma coisa na Síria, só que a Rússia não deixou.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Quatzy
1 ano atrás

Todos sabemos isso.

MGNVS
MGNVS
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto L – 31 de dezembro de 2018 at 7:13 Augusto… saudacoes. Deixe a ideologia de lado e veja as coisas como elas sao. A acao militar dos países ocidentais na Libia so trouxe mais caos e pior, levou terroristas ao poder, o que culminou na morte do embaixador americano. E igual vc disse, e foi voce que disse, a intervencao na Libia foi unica e exclusivamente por causa do petroleo, igual aconteceu no Iraq, com a desculpa esfarrapada de encontrar armas de destruicao em massa. E como ja citei no meu comentario acima, a França igual a Russia, tem… Read more »

Augusto L
Augusto L
Reply to  MGNVS
1 ano atrás

Não é ideológica.
É racional, com uma guerra civil em seu flanco seu, a França iria perde seu fornecimento de petróleo, iria ter muito mais imigrantes ilegais viajando para Europa, se o Kadhafi ficasse, iria virar uma disputa secretária e a França iria se ver numa posição onde ficaria sob a chantagem do coronel líbio, tendo que o apoiá-lo, o que seria inviável.
Além que provavelmente teriam uma intervenção russa no seu flanco sul.
Resumindo a decisão de intervir foi certa, se não o tivessem a situação estaria muito pior, inclusive para o ocidente.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  Augusto L
1 ano atrás

Augusto, kadhafi era o único capaz de manter a ordem na Líbia assim como sadam no Iraque. O interesse externo ocidental é o principal culpado pela desordem e revolta contra esses regimes, assim como o ocidente alimentou e conspirou a favor da Primavera árabe, reacção em cadeia que levou a actual instabilidade no mundo muçulmano.

Pedro nine-nine
Pedro nine-nine
Reply to  MGNVS
1 ano atrás

A intervenção liderada pela França (não foi feita só com franceses) foi um sucesso militar assim como a maioria das operações militares ocidentais. O único problema é mesmo depois.

Delfim
Delfim
1 ano atrás

Lembrando que a Síria já foi colônia francesa. A França leva isso muito a sério, ver como ela trata com o Líbano, Tchade, Guiana Francesa e outros países de língua francesa.
.
E as ambições da Turquia já estão visíveis : retomar territórios otomanos. Voltar ao mapa pré-1WW.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Que viagem ei meu amigo.

Camillo Abinader
Camillo Abinader
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Siria nunca foi colonia da França. Após o fim do Império Otomano, foram criados dois países, Líbano e Síria, ambos foram ocupados militarmente pelos franceses, que ajudaram inclusive na elaboração da constituição de ambos, essa ocupação durou cerca de 20 anos apenas, iniciando em 1920 e a França saindo em 1943 do Líbano e 1946 da Síria, não é colonização, é ocupação militar, é diferente. É o mesmo que acontece no Japão e Alemanha até hoje, onde ainda há tropas americanas.

Art
Art
Reply to  Delfim
1 ano atrás

os Turcos querem reviver o Império Turco Otomano, Endorgan quer rivalizar com a Arábia Saudita, e se alia a Rússia. Existe sim uma volta a 1GM, grandes impérios o Russo, o Chinês, o Turco se levantam. ventos de pré guerra cheiram no ar. pode ser fria, mas as coisas estão se definindo.

Art
Art
Reply to  Art
1 ano atrás

A França sempre teve a politica de intervir onde estão seus interesses….Além disso ninguém sabe qual será o primeiro país islâmico ocidental, França ou Inglaterra?

Renato B.
Renato B.
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Lembrando que até hoje a França tem poder de decisão sobre a moeda de várias de suas ex-colônias com o Franco CFA, que garante um mercado fácil para os produtos franceses.

Binho
Binho
Reply to  Delfim
8 meses atrás

Cada Expert em geopolítica que aparece……

Camillo Abinader
Camillo Abinader
1 ano atrás

Quando vc conquista um território, envia colonos, introduz sua lingua, religião, etc, isso é colonização. Foi oque Portugal fez no Brasil e a Inglaterra fez nos EUA, ou a França fez na África. Quando vc vence um país ou império em uma guerra e ocupa por um período de tempo com tropas isso é uma ocupação militar. Foi oque os EUA fizeram com a Alemanha e Japão na II guerra e que fizeram recentemente no Iraque, e que tentaram no Vietnam, e o mesmo que a França tb fez em partes do Império Otomano após a I guerra mundial.

Talisson Goet
Talisson Goet
1 ano atrás

Esse efetivo seria da Legiao?

Ricardo Bigliazzi
Ricardo Bigliazzi
1 ano atrás

Mais do que dar uma resposta a qualquer Nação a França deve dar uma resposta ao seu Povo que sofre uma série de atentados sem fim. Dessa forma não há como questionar a França.

Se esses terroristas matassem algumas dezenas de Brasileiros nas ruas de nosso Pais muito provavelmente apoiaríamos ações de retaliação que o nosso Governo quisesse tomar. E estaríamos “cagando e andando” para Turquia ou outro País qualquer.

A França é bem grandinha e já passou da hora de comportar como um Pais que ainda pretende ter força no cenário mundial.

Segue o jogo.