terça-feira, dezembro 7, 2021

Saab RBS 70NG

Oficiais do EB irão à Suécia conhecer o sistema BAMSE da Saab

Destaques

Alexandre Galante
Jornalista, designer, fotógrafo e piloto virtual - alexgalante@fordefesa.com.br

Sistema antiaéreo BAMSE da Saab

O Boletim do Exército nº 21 divulgou que o General de Brigada Alexandre de Almeida Porto, comandante da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea e o Coronel Artilheiro Márcio Faccin de Alencar, do Estado Maior do Exército Brasileiro, foram designados para participarem de uma visita técnica à empresa Saab, fabricante do sistema de defesa aérea de média altura BAMSE, na cidade de Karlskoga, Suécia.

Eles farão também uma visita técnica à empresa Leonardo, fabricante do sistema de alvos aéreos a jato, nas cidades de Cagriari e Trieste, na Itália.

A viagem será feita no período de 7 a 16 de junho de 2019.

O sistema BAMSE

O sistema de míssil antiaéreo de média altura telecomandado BAMSE da Saab pode operar tanto em rede quanto de modo autônomo. Com alcance superior a 20 quilômetros e teto de emprego de 15 mil metros, o sistema possui um radar de vigilância ativo multifeixe e outro de acompanhamento monopulso, do tipo comando automático da linha de visada, para guiamento do míssil.

Com a possibilidade de lançar dois mísseis telecomandados simultaneamente, o sistema também permite que o operador anule o acompanhamento automático, escolha o ponto de pontaria no alvo e, se necessário, realize a mudança de alvo após o lançamento do míssil.

COLABOROU: Marcos Aryeh

- Advertisement -

237 COMMENTS

Subscribe
Notify of
guest
237 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Marcos
Marcos
2 anos atrás

Na época da novela do PANTSIR-S1, o BAMSE recebeu forte apoio do COMDEFESA e da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP)

O que me anima nestas visitas é que ambas (SAAB e Leonardo) estão conectadas. Um sistema de defesa antiaérea e um alvo aéreo.

Mauricio R.
Mauricio R.
Reply to  Marcos
2 anos atrás

Alvo aéreo????
E aquele “drone” espanhol que veio na ToT daquele arremedo de avião de transporte, táxi aéreo camuflado, pretenso substituto do “Buffalo”????

Wellington Góes
Wellington Góes
Reply to  Mauricio R.
2 anos atrás

Aonde está escrito “FAB”, na matéria?!

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Marcos
2 anos atrás

na verdade isso e noticia velha, re-esquentada porque ja no ano passado se falava disso…

mas, esse sistema parece otimo para o EB com certeza.

FighterBR
FighterBR
2 anos atrás

Não acho lá grande coisa o BAMSE. Mas precisamos de um sistema antiaéreo.

Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
Reply to  FighterBR
2 anos atrás

Bom…pra quem ainda opera, em sua maior parte, artilharia de tubo ou míssil de curto alcance em sua artilharia AAA, o que vier é lucro.

nonato
nonato
Reply to  Willber Rodrigues
2 anos atrás

Mas se fosse possível adquirir logo um melhor, com maior alcance…

Mac
Mac
2 anos atrás

Só no Brasil mesmo pra alguém ter interesse num sistema monocanal, com 20 km de alcance, que qualquer paiseco por ai que ataque com dois mísseis ou mais consegue destruir a unidade lançadora. O que não falta por ai é míssil anticarro com mais de 20 km de alcance.

Fora que é um sistema caríssimo que ninguém quis compra-lo.

Parabéns, fizeram chicana pra recusar o Pantsir e foram atrás do Bamse, que precisa de 4 deles pra valer um único Pantsir.

Beserra(FN)
Beserra(FN)
Reply to  Mac
2 anos atrás

Já fecharam a aquisição? Não?

Então é apenas uma avaliação comum, outros sistemas serão avaliados, por tanto, melhor aguardar o contrato antes de comentários desnecessários.

Mac
Mac
Reply to  Beserra(FN)
2 anos atrás

Eu falei que fecharam a aquisição? Você LEU isso? Se não leu, não crie espantalhos para sair falando.

Essa porcaria de sistema NEM se quer deveria ser avaliada. Não dá pra levar em consideração um sistema monocanal – por tanto, só pode travar em um alvo por vez – com curto alcance. Isso é só um manpads ou VSHORAD como RBS-70NG com alcance estendido.

O contrato não vai mudar o fato de que é um sistema caro, que ninguém quer, que é monocanal e de curto alcance, uma combinação terrível de ruim.

Marcos Cooper
Marcos Cooper
Reply to  Mac
2 anos atrás

Falou o técnico, especialista em defesa aérea do exército!

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Marcos Cooper
2 anos atrás

Bom, para que exista um especialista em defesa aérea do exército, essa primeiro deve existir.

cirqueira
cirqueira
Reply to  Marcos Cooper
2 anos atrás

KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK

Beserra(FN)
Beserra(FN)
Reply to  Mac
2 anos atrás

A falta de interpretação de texto é latente. Não existe referência a você dizendo que houve aquisição, fiz uma pergunta retórica.

O Sistema não é monocanal, utiliza o Radar Giraffe, um AESA. Pode adquirir alvos com uma estação e disparar com outra.

Eu também acho que existem sistemas melhores, mas no seu parágrafo final, ao parabenizar com ironia o EB por descartar o Pantsir cria uma narrativa irreal. O EB não descartou SAM algum, diante da realidade orçamentária daquela época até o CAMM nacionalizado foi postergado.

Doug385
Doug385
Reply to  Mac
2 anos atrás

Verdade. Bom mesmo é o Pantsir. Os israelenses o adoram.
Os próprios russos já estão correndo pra desenvolver um substituto para ele.

Mac
Mac
Reply to  Doug385
2 anos atrás

Quer comparar um erro com outro? A taxa de interceptação dos Pantsir está até em boa margem, tendo em vista como é o sistema em si.

Pode falar o que quiser, que o Pantsir é um lixo ou qualquer outra coisa, mas ele vai continuar sendo MUITO superior ao Bamse em basicamente tudo, principalmente em ser multicanal, podendo interceptar mais de um alvo por vez.

De onde você tirou que a Rússia está desenvolvendo um substituto para o mesmo, teria link disso? Queria estudar sobre…

Gustavo Couto
Gustavo Couto
Reply to  Mac
2 anos atrás
Gustavo Couto
Gustavo Couto
Reply to  Mac
2 anos atrás

https://youtu.be/dSUwJTwFiOA. Tem dois link pra dizer pantsir e ruim

Felipe Silva
Felipe Silva
Reply to  Mac
2 anos atrás
CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Doug385
2 anos atrás

Vamos lá Doug385 (nome de robot), pessoa não identificável, ou seja, ninguém sabe quem é, diga que tipo de fracasso o Pantsir está a revelar na Síria, se ele protege com sucesso instalações de ataques de saturação.
Vamos lá?
Ah! Como todo catequizado irá citar a unidade danificada por um drone. Todavia, caro fã-boy, não se esqueça de dizer que a unidade danificada estava desmuniciada, esperando recarga. Ou seja, operou com sucesso protegendo o alvo até aquele momento…
E aí?
Não sabe nada, como sempre…

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Doug385
2 anos atrás

E vou revelar uma coisa, o Defence Blog é editado um cidadão ucraniano, maluco, que nutre um ódio insano por tudo que seja russo, ou de lá originado.
Ninguém mais no mundo considera o Defence Blog uma fonte confiável.

Já os fã-boys… Bom, esses consideram qualquer coisa como fonte…

Flanker
Flanker
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

Como se escreve fanboy em cirílico?

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Flanker
2 anos atrás

Use o tradutor ! Defender a UCRÂNIA é Piada , como se dizia antigamente Piada de Salão ;depois do Golpe de Estado contra um Governo Legítimo ucraniano , e a propaganda ENGANOSA ocidental de que a Rússia Tomou a Crimeia da Ucrânia , quem conhece tudo isso mais a Rússia, não sabe se deve Rir ou Chorar .

Neves João
Neves João
Reply to  jose luiz esposito
2 anos atrás

Olha, Jose, vc pode ter a sua opinião e eu tenho minha, o golpe e estado realmente houve, porque o presidente Yanukovych não quis fazer reformas que o povo queria, ao invés disso pegou emprestado bilhões da Rússia, o q deixaria a Ucrânia vassala dos russos novamente. O povo não aguentava mais corrupção, simplesmente isso. Depois do governo interino restauraram a constituição e tiveram eleições livres novamente. A Criméia foi invadida pela Rússia na mão grande, por não concordar com o governo interino, aliás, falam mal do EUA mas a Rússia invade mesmo, quem não segue a cartilha de Moscou… Read more »

Caravaggio
Caravaggio
Reply to  Neves João
2 anos atrás

A Crimeia “foi invadida” pela Russia após um plebiscito em q 93% da população local queria continuar parte da Russia porque todas as suas milenares origens são russas e não ucranianas. Deixa de bobagem.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Caravaggio
2 anos atrás

Não critico a Russia pela Crimeia pois fizemos o mesmo com o Acre. A diferença e que nós, depois de umas escaramuças, compramos o Acre. Más a justificativa foi a mesma.

Bosco
Bosco
Reply to  Caravaggio
2 anos atrás

Caravaggio,
Os russos invadiram a Crimeia em 24 de fevereiro de 2014 e o “referendo” foi em 16 de março de 2014.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Pegaste o Bonde atrasado em 2014 , quando se estuda História e não estórias , se vai ao principio Ok !

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Caravaggio
2 anos atrás

A Crimeia sempre foi russa, apenas foi passada a Republica Soviética da Ucrania sua administração no inicio dos anos 50 por Nikita Kruscheve ( ucraniano), como afago após a morte de Stalin , que havia trucidado sua população. Continuou e continuaria com a Ucrania , pois ela sempre esteve atrelada a economia russa e sua defesa , mas com o golpe de estado patrocinado pelo ocidente , simplesmente a Rússia preventivamente , a retomou , sem ela sua força naval do Mediterrâneo e Mar Negro estaria sem posição e base , PUNTO !

João
João
Reply to  Caravaggio
2 anos atrás

Claro meu amigo, a Rússia encheu a Criméia de descendente russo, ou ucranianos simpatizantes aos russos..

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Neves João
2 anos atrás

Mais uma vez demonstras não saber história , repetes o noticiário , solamente !

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

É aí que tudo começou. Do post no facebook Victor Murakhovsky: https://lenta.ru/news/2018/11/04/udoli/ Por favor, note que a data de publicação é 11/04/2018. O próprio Murakhovsky nos comentários começou a vasculhar e faz perguntas desconfortáveis. Como resultado, Murakhovsky foi pego deitado e removeu o post. O próprio Murakhovsky era um tankman de educação militar, não um centro militar para as forças de defesa aérea. E aqui está a primeira menção do complexo Pantsir-SM. há uma data e até 2013. http://bastion-opk.ru/pantsir-sm/ Ou seja, Auto Defense Blog, acabou de fazer o seu texto com base em dois textos russos completamente diferentes. O autor… Read more »

Caravaggio
Caravaggio
Reply to  Doug385
2 anos atrás

Esses vira-latas de israelenses em americanos em qualquer assunto que apareça são um saco. Como se eles tivessem realmente alguma qualificação técnica pra fazerem os comentarios que fazem.

Flanker
Flanker
Reply to  Caravaggio
2 anos atrás

E você tem alguma qualificação técnica, além do seu viés ideológico? Ao rotular e taxar os outros, abre precedente para que falem o mesmo de ti. E pelo tom e conteúdo do que escreves, é mais um esquerdista que só sabe ofender, sem saber argumentar.

Augusto L
Augusto L
Reply to  Mac
2 anos atrás

Nao é monocanal, cada sistema de 2 misseis por lançador e ele pode operar em rede, ou seja, um sistema pode prover aquisição de alvo para um missil lancado de outro lançador, pro cenário brasileiro o BAMSE é mais do que bom.

teropode
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

Tipo assim: Em terra de cego quem tem meio olho é rei . É isso que vc quis dizer ? 🤔

francisco Farias
francisco Farias
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

E qual é o cenário brasileiro?

Augusto L
Augusto L
Reply to  Mac
2 anos atrás

E versões mais modernas usam o radar AESA Giraffe com certeza podem interceptar mais de um alvo.

Santos
Santos
Reply to  Mac
2 anos atrás

O seu “Pataty” tomou um banho de Israel…
Prefiro um “Bamby” mesmo. Pelo menos não tem uma legião de fãns exaltando acima daquilo que realmente vale.
E pelo que vi, nada…
Podem repetir os exemplos falaciosos mas o material russo realmente não dá o que promete…

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Santos
2 anos atrás

Que banho, ô sabe nada?
Israel lança ataques com mais de 60 mísseis por alvo e não consegue eliminar a infra-estrutura bélica síria.
É incrível como não sabem nada e falam besteira.
Cristo É Rei, Deus É Pai!
Fã-boy é provação. Ature-os e o seus pecados serão perdoados!

Flanker
Flanker
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

Eu gosto dos números e afirmações que tu fazes! Fala com uma pretensão de verdade impressionante! Ninguém tem números exatos daquela guerra que se desenvolve na Síria! Nenhum dos lados! E você, como sempre, como todos da sua espécie, critica os outros por aquilo que és. Como se escreve fanboy em cirílico?

Vinicius
Vinicius
Reply to  Mac
2 anos atrás

Mac vc cometeu um equivoco, o alcance não é de apenas 20km, é mais de 20km, na materia n fala o alcance total então vamos torcer né

Juan Soares
Juan Soares
Reply to  Mac
2 anos atrás

a maioria dos misseis anticarro (portateis) nao tem 20km lol

rui mendesmendes
rui mendesmendes
Reply to  Juan Soares
2 anos atrás

Mesmo, pensei o mesmo, e a maior parte nem 12km.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
2 anos atrás

Eu ainda prefiro o Land Ceptor. As razões? Não sei, gostei dele. Poderiam avaliar também o KM-SAM que é um derivado do S-350 Vityaz, se a Coréia do Sul usa é por que é confiável.

Luís Henrique
Reply to  Defensor da liberdade
2 anos atrás

O Sea Ceptor eu acho muito caro para a função. Cada míssil custa cerca de U$ 1 mi. Para usar em um navio e abater um míssil anti-navio que custa U$ 3 a U$ 5 mi, ainda vai. Agora para abater bombas a conta fica muito cara. O Iron Dome usa um míssil que custa de 10 a 20 vezes Menos. Já para outra função, abater aeronaves, o alcance do Sea Ceptor é muito curto. Até nas Fragatas Tamandaré, eu instalaria Barak com 100 km de alcance ou Barak-er com 150 km. Custam caro como um Sea Ceptor, mas entregam… Read more »

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Só que o Land Ceptor usa o CAMM-ER com 45 km de alcance, perfeito para abater aeronaves, para um produto novo esse preço é até normal, caso houvesse uma padronização para as três forças o custo cairia consideravelmente.

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Defensor da liberdade
2 anos atrás

O CAMM tem cabeça de guiagem ativa, portanto, se mostra muito caro por unidade para um sistema que tem como função lidar com ataques de saturação. A versão naval tem sentido pelo fato de um vaso de guerra ser um alvo de alto valor que pode operar isolado, sem ter a frota como cobertura. O KM-SAM e o S-350 Vityaz, são sistemas de médio alcance, outra categoria. O KM-SAM surgiu primeiro, pois a Almaz Antei foi contratada para desenvolver o vetor. O sensor, ou seja o radar, é coreano. O S-350 foi um aproveitamento russo do desenvolvimento contratado pelos coreanos,… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

“Lidar com ataque de saturação” Tenha dó! Pare de repetir essa besteira. O único lugar onde há muito tempo a defesa AA foca na munição é na guerra naval. Em terra o foco dos sistemas AA ainda é o vetor e não a munição e continuará assim por décadas. Só recentemente é que se cogitou de interceptar a munição dentro dos conceitos C-RAM e C-PGM. E esses conceitos só estão consubstanciados em não mais que meia dúzia de países. No Brasil precisamos antes do basicão. Até há pouco tempo as primeiras versões do Pantsir eram monocanais. Só a partir de… Read more »

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Bosco, a tua vaidade é tão grande que você fala uma merda gigantesca ao dizer que é na guerra naval que se restringe a defesa contra munição! Presta atenção no que você fala, a infelicidade é grande. O 57E6 enfrentou foguetes disparados contra a base aérea de Hemeimin! Quer lutar contra a realidade, caríssimo? Outra coisa, defina “Até há pouco tempo as primeiras versões do Pantsir eram monocanais”(.), pois o Pantsyr S-1 foi aceito pelo MinDef russo com capacidade de engajamento simultâneo de 4 alvos, caríssimo. Já que você gosta tanto de manuais, isto está na publicação de 2006 do… Read more »

Bosco
Bosco
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

Oh Grande Vaso das Virtudes, eu te respondi algumas vezes mas o Galante o tem em alta conta e não deixa você ser contestado. Paciência! Continue a vomitar esse besteirol esquerdopata que já não engana ninguém, sob a proteção dos editores.

Marujo
Marujo
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Bosco você é fascista? Se nao e, o seu discurso e típico.

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Lamentável a sua intervenção onde insinua que tenho proteção dos editores. Além de lamentável, infantil.

Você não percebe o quanto se revela, com este ressentimento visível em termos como “besteirol”, “esquerdopata”, entre outros…

Por fim, nunca procurei ter seguidores, caríssimo, portanto, a arte do engano não fez morada aqui. Já lhe disse para ter coragem e publicar. Publique e assine.

Bosco
Bosco
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

E sua honestidade é impar no Universo, só sendo sombreada pelo do seu líder hospedado em Curitiba, mas sua interpretação de texto é horrível.
Eu em momento algum me referi a Rússia. Estou me lixando quando e qual modelo ela adotou (muito tempo depois dela ter empurrado a outros) e sim ao sistema S1 ter capacidade de engajar só um alvo por vez com seu radar de controle de tiro de varredura mecânica.
Não se guie por folhetos e sim me explica como um radar de controle de tiro de varredura mecânica pode rastrear quatro alvos ao mesmo tempo.
comment image

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Bosco
2 anos atrás

Caríssimo, o Pantsyr foi colocado no mercado com a capacidade multicanal. Ponto.

Recce
Recce
2 anos atrás

Uma solução barata para as GU blindadas e mecanizadas seria adquirir algumas Remote Weapon System (RWS) do RBS 70 para equipar alguns veículos.

Seria limitado mas é melhor do que nada.

Bardini
Bardini
Reply to  Recce
2 anos atrás

Não precisa inventar muita moda… ASRAD-R
.comment image

Mauricio R.
Mauricio R.
Reply to  Bardini
2 anos atrás

E quem faz a integração, a BID???? Melhor então comprar de prateleira, sem ToT, sai até mais barato.

Recce
Recce
Reply to  Recce
2 anos atrás

Ainda penso em algo menor do que isso Bardini:

MSHORAD
comment image

Augusto L
Augusto L
Reply to  Recce
2 anos atrás

Compra uns Avengers dos estoque americanos via FMS. Mais barato

Bardini
Bardini
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

E introduzir mais um míssil e uma linha logística…

Augusto L
Augusto L
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Não precisa adquirir em quantidade, pede suprimento ao tio Sam em caso de guerra, chega rapidim num C-17.
Alem do mais não é nada monstruosa a diferença de igla/mistral para um stinger.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

Humorismo agora !Por suposição os Tiozinho do Norte apoiar o país que nos agride , como fazemos , ou se ele ficar neutro como faríamos , depois demonstras claramente a tua formação colonizada , triste não .

Caravaggio
Caravaggio
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

“pede suprimento ao tio Sam em caso de guerra, chega rapidim num C-17.”
hahahahahahahahahahhaha

Caravaggio
Caravaggio
Reply to  Augusto L
2 anos atrás

Tome algum vergonha na cara, rapaz, vc é brasileiro. queira ou não.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
2 anos atrás

Quem sabe não sai negócio nisso aí, e de lambuja já fazemos a amizade EB/SAAB pular pra um novo nível e quiça num futuro trabalhemos em algo novo, melhor.

Leonel testa
Leonel testa
Reply to  Tomcat4.0
2 anos atrás

Foristas que entendem do assunto o que acham ?

Mac
Mac
Reply to  Leonel testa
2 anos atrás

Vou dar um resumo do sistema, tire suas próprias conclusões: – Curto alcance, com 20 km de alcance e 15 km de altura de cobertura; – Sistema monocanal, ou seja, só pode travar em um alvo por vez. Se um inimigo tiver mísseis como Spike NLOS, bastariam dois mísseis para destruir uma viatura RBS-23 Bamse; e – Sistema caro, sem escala de produção, que já foi avaliado por outros países e ninguém quis comprar. – Sistema incapaz de atirar em movimento, por tanto sua utilização é limitada e pode sofrer ataques de vetores como helicópteros sem que possua capacidade de… Read more »

art
art
Reply to  Mac
2 anos atrás

Vc misturou os sistemas e suas aplicações….
Iron Dome – Curto alcance/Baixa altura, C-RAM (contra foguetes, Artilharia e Morteiros)
SOsna-R – Baixa altura/curto alcance
Pantisyr – médio alcance – proteção de estruturas, S-300. e curto alcance com seus 30mm.

BAMSE – médio alcance, proteção de estruturas, grande área de proteção.

Mac
Mac
Reply to  art
2 anos atrás

Bamse tem médio alcance? Os mísseis do Bamse cobrem 20 km de alcance com 15 de km. Isso não é médio alcance em canto algum do mundo, continuam sendo SHORAD. O próprio Pantsir é um sistema Shorad, só aqui no Brasil que o classificaram como “médio alcance”, que é uma denominação terrível. Todos os sistemas que citei são armas Anti-PGM, pois até mesmo um sistema com 40 km de alcance é fácil se manter stand-off com armas guiadas, haja vista kit’s de bombas com alcance superior até 40 km, inclusive nacional. Sua afirmação de “médio alcance” não tem absolutamente nenhuma… Read more »

art
art
Reply to  Mac
2 anos atrás

no Brasil é médio alcance de 12 a 40.000m…. BAMSE protege uma area de até 1500km2 fontes do fabricante. A Suécia usa o IRIS-T e o BAMSE em produção. Pantisir é para proteger os S-300 na Russia lá seria curto mas aqui é medio alcance

https://saab.com/globalassets/commercial/land/weapon-systems/ground-based-air-defence-missile-systems/bamse/bamse_high.pdf

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  art
2 anos atrás

E na Siria o pantisyr e usado sozinho para defender o que não deveria como missão principal. A nossa conhecida gambiarra.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  art
2 anos atrás

Na verdade o Pantisyr foi desenvolvido para a defesa de colunas blindadas contra o ataque de helicopteros e aviões anti-tanque, más pode fazer a defesa de ponto se necessário. Como fazemos com os guepard.

bjj
bjj
Reply to  Mac
2 anos atrás

MAC “– Curto alcance, com 20 km de alcance e 15 km de altura de cobertura;” Ao que parece é a faixa de alcance que o EB considera suficiente. Se quisesse mais alcance, estariam avaliando Buk M2, Spyder, etc… “– Sistema monocanal, ou seja, só pode travar em um alvo por vez. Se um inimigo tiver mísseis como Spike NLOS, bastariam dois mísseis para destruir uma viatura RBS-23 Bamse” Alguns dizem que o Bamse pode fazer duas interceptações simultâneas sendo uma delas pela alça optrônica. De qualquer forma, você analisa, neste ponto, apenas um centro de lançamento, como se cada… Read more »

art
art
Reply to  bjj
2 anos atrás

Qualquer sistema de médio alcance já tem o preço de um avião de caça ou helicóptero de ataque, o Pantisir estava perto de um bi

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  bjj
2 anos atrás

Como coloquei acima , os militares brasileiros , sempre quiseram mostrar aos do norte a BARRIGA , ok !

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Mac
2 anos atrás

Qualquer ataque com Bombas inteligentes , ficaríamos dando Salvas de Boas Vindas , somente na Cabeça dos militares brasileiros , claramente querem demonstrar ao Tiozinho do Norte que , estamos lhe mostrando a Barriga , entederão ?

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  jose luiz esposito
2 anos atrás

correção : entenderam !

Chevalier
Chevalier
2 anos atrás

Pelo menos desistiram do Pantsir, aquela porcaria que nem os russos querem.

Alfredo Araujo
Alfredo Araujo
Reply to  Chevalier
2 anos atrás

A pergunta é… Algum dia, os oficiais do EB quiseram o Pantsir ?
Não era mais uma compra baseada em ideologia e/ou pilantragem política ?

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Alfredo Araujo
2 anos atrás

Não. O que os oficiais do EB querem é armamento de tubo, movido por manivela. Manpad que pesa 80kg e que só pode ser operado em pedestal, com equipe de três… Caríssimo, houveram duas comissões em viagem para a Rússia e ambas avaliaram o míssil em testes. Todos com sucesso. Num destes a bateria interceptou com um míssil 57E6 o alvo a meros 8km desta… O alvo não era um drone, mas outro 57E6 disparado contra a bateria… E aí? Gostou da informação? Posso lhe dizer que o Pantsyr entusiasmava os oficiais de Artilharia do EB… “Ideologia e pilantragem”, não… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

Ideologia e pilantragem ocorreram, e ocorrem, antes e depois dos anos entre 2003 e 2016. Só que nesse período, foram realzadas por uma “turminha” que posava como baluarte da honestidade e moralidade na política brasileira e, o que se viu, foi eles fazendo exatamente aquilo que combatiam e criticavam….e em escalas gigantescas! Enganaram todos que votaram neles! Graças a Deus, nunca me incluí entre esses decepcionados…

Caravaggio
Caravaggio
Reply to  Flanker
2 anos atrás

Eles estiveram longe de roubarem em escalas gigantescas, não chega a troco de bala do q o establishment roubou, rouba e roubará desde as caravelas ( e continua roubando de 4 meses pra cá). O q eles tiveram foi uma mídia inimaginável cobrindo e cobrando e, muitas vezes, aumentando seus roubos, nunca antes existente nas ladroeiras praticadas por governos mais apetecíveis ao establishment principalmente midiático. Mas tem razão num ponto, o grande pecado e o grande engodo foi posarem de moralistas, se mostrando no fim tão corruptos quanto. O que também acontecerá com o atual governo de extremistas. A patifaria… Read more »

Flanker
Flanker
Reply to  Caravaggio
2 anos atrás

A Petrobras, nos governos petistas, realmente foi café pequeno, perto do que o BNDES, no mesmo período, ainda guarda, esperando ser investigado. Dali sairão coisas, realmente, nunca vistas na história desse pais!
Nos governos petistas, tivemos um programa também café pequeno, o Mais Médicos, em que os cubanos, num total de 20.000 em 5 anos e, com um número nunca menor de 8500 deles ao mesmo tempo, eram obrigados a enviar, no minimo, 70% dos seus salários para o governo cubano. Com isso, nesse período o governo brasileiro enviou para Cuba a bagatela de mais de 3,8 bilhões de reais…..

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Chevalier
2 anos atrás

Os próprios russos sabem que não querem Pantsyr?

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Chevalier
2 anos atrás

Este é o mesmo texto do Blog de Defesa. Esta é uma distorção deliberada da informação, que mencionei anteriormente.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Chevalier
2 anos atrás

Eu não sei se é porcaria, mas pelo que entendi eles tiveram problemas na Síria para enfrentar alvos pequenos e lentos, como os drones IAI Harop. O que já me parece ruim já que eles seriam justamente a segunda camada de defesa, justamente a mais próxima, a primeira seriam os S-300. Imagino que o uso de mísseis radiocontrolados pode ser mais barato, mas eles devem sofrer contra adversários com boa guerra eletrônica como os israelenses, que também tem muita experiência em atuar contra SAM’s. De qualquer modo, no caso da Síria, é dificil separar o que foi falha do equipamento… Read more »

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Renato B.
2 anos atrás

Na batalha, apenas uma máquina Pantsir foi perdida, talvez tenha sido atingida por Harop, mas isso não é um fato. O carro em si estava sobrecarregado de alvos. Lá, o dia inteiro foi às ruas e os dois carros restantes foram perdidos. Sobre os problemas. Sim, havia essa informação. Ela foi postada no Facebook em uma página no Facebook por um jornalista russo, Viktor Murakhovsky. Mas ele não confirmou suas palavras. Houve perguntas sobre o texto em si, onde Murakhovsky cometeu muitos erros. Após o qual esta mensagem foi excluída. Simplificando, isso é um lobby dos concorrentes. Sobre a rejeição… Read more »

Marcos
Marcos
Reply to  Evgeniy (RF).
2 anos atrás

Dois, Israel destruiu outro em janeiro

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  Marcos
2 anos atrás

E os palestinos ‘furaram’ o Iron Dome com o lançamento de meia dúzia de buscapés.
Cada caso é um caso.

JPC3
JPC3
Reply to  Antoniokings
2 anos atrás

Meia dúzia quer dizer várias dezenas?

Você sabe que ele só intercepta os que podem cair em áreas de risco?

Até discordo que o pantsir seja ruim, mas o Iron funciona muito bem.

Falta de argumento.

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  JPC3
2 anos atrás

Várias centenas… Mas, o Iron Dome foi projetado para isso, caríssimo. Fracassou.

E daí?
Alguém crê que defesa contra mísseis é fácil? Trabalha-se com probabilidade de acerto e você sabe disso.

Renato B.
Renato B.
Reply to  Evgeniy (RF).
2 anos atrás

Bem Evgeniy, saturação é exatamente o que uma arma dessas precisa enfrentar. Como eu disse é difícil separar limitações de operador e do equipamento.

Mas, ainda que eu ache um bom sistema, gostaria que os russos fossem um pouco mais transparentes sobre as eventuais limitações do Pantsir, acho que isso o tornaria até mais confiável. Os EUA adoram propaganda, um termo que os descreve é o triunfalismo tecnológico, mas ainda assim é possível saber quando alguma coisa não vai bem.

Pedro
Pedro
Reply to  Renato B.
2 anos atrás

O que mais incomodou os Russos sobre o sistema em si não foi seu sistema de armas ou detecção e sim a plataforma! Houve dois veículos que capotaram tanta pela massa do sistema como principalmente pelo elevado ponto de equilíbrio do caminhão. Tanto que estão justamente melhorando o sistema para reduzir sua massa e altura para que o mesmo não seja tao fácil de capotar e dar perda total ou parcial. Ha relatos que alem dos misseis guiados por radar, haverá também misseis guiados por infra-vermelho para maximizar o desempenho. Sobre o desempenho do mesmo, basta lembrar do sucesso que… Read more »

Renato B.
Renato B.
Reply to  Pedro
2 anos atrás

Pedro, muito legal essa informação dos ataques a Tartus e Lakatia. Você tem algo mais sobre isso? Especialmente sobre o desempenho do Pantsir.

Evgeniy (RF).
Evgeniy (RF).
Reply to  Renato B.
2 anos atrás

Renato B.
Sim, naturalmente, Israel toma saciedade. Além disso, o sistema de defesa aérea da Síria está muito enfraquecido pela guerra civil e os próprios sistemas de defesa aérea estão espalhados pelo país. Concentração adequada, não está lá. Repare, o Pantsir se complexifica, encontra o inimigo, geralmente um por um. Eu estou falando sobre aqueles que foram atingidos.
Sobre abertura. Eu escrevi um comentário para Cesar Antonio Ferreira, onde toda a história começou. Haverá dois links. Quando o comentário é moderado, tudo será imediatamente visível.

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Chevalier
2 anos atrás

Chevalier disse:
“Pelo menos desistiram do Pantsir, aquela porcaria que nem os russos querem”.

É assim… Quer ter os seus pecados cometidos e os vindouros perdoados?
Uma vaga cativa no Paraíso?
O Inferno para sempre afastado de ti?

Ature o fã-boy!
Perdoai!

Lembrai que toda insanidade dita é como as imundícies que escorrem pelos esgotos; chegará ao mar e se perderá.

Amém.

Antoniokings
Antoniokings
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

É verdade César.
Esses fã-boys adoram praticar esse esporte: Auto-enganação

teropode
Reply to  Antoniokings
2 anos atrás

Monólogo?

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Chevalier
2 anos atrás

Repercussão do Defense Blog…
Continue passando vergonha com matérias de um ucraniano doido, ressentido e rancoroso.

C.César
C.César
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

Tirando o ¨ucraniano¨ vc escreveu isto se olhando no espelho?

Luís Henrique
2 anos atrás

O interesse do EB, se não mudou era um sistema de média altura para proteção de instalações estratégicas. Para a missão não precisa acompanhar as colunas de blindados, nem disparar em movimento. Mas é altamente recomendável que possa disparar vários mísseis simultaneamente para conter ataques de saturação. Também o alcance não precisa ser muito grande.

O melhor sistema, em minha opinião, é o Iron Dome israelense. Melhor custo benefício.

art
art
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Iron Dome é curto alcance C-RAM (foguetes, Artilharia e Morteiro). Para médio alcance é o Barak 8 ou spider.

Luís Henrique
Reply to  art
2 anos atrás

Médio alcance para as potências militares. A avaliação deveria ser Barak, David Sling, S-350, Buk, etc.
Mas para o EB e o Brasil, média altura são: BAMSE, Pantsir, etc. Esses sistemas carecem de alcance para missão de destruir aeronaves. Serão utilizados para destruir PGMs, UAVs, helicópteros, etc.
O Iron Dome, em minha opinião, é um bom candidato para essas missões.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

S300 , vamos puxar pela a Memória! Assim que desistimos do Pantsir , os militares passaram várias notícias que íamos MIRAR no S300, Olvidaran ! Claramente nossos militares são brincalhões. Mais uma , quando resolveram desativar o A 12 , surgiu aqui , um projeto da Engepron , criado as pressas em um simples computador de uma Navio Desembarque Doca Porta Helicopteros , lembram ? Eu coloquei aqui ser FAKE , apenas para amansar os Tolos , então o que me crucificaram .Entendam , os militares brasileiros em grande parte , desde o Golpe da republiqueta , mostraram ser COLONIZADOS… Read more »

Diego
Diego
Reply to  jose luiz esposito
2 anos atrás

Lembrando que nossa última escaramuça com outra nação foi com a França.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Estratégica ! Um ataque a Instalações Estratégicas , ocorrerão como Mísseis de longo alcance ou Bombas Inteligentes , sem entrarem na área de defesa desses Mísseis ** Médios * comentados aqui , então precisaremos espalharmos várias Baterias para uma cobrir a outra ,daria tudo para saber o que realmente os militares brasileiros pensam e querem !

Bardini
Bardini
2 anos atrás

Estão indo avaliar o BAMSE enquanto os próprios suecos estão comprando IRIS-T SLS.
.
Não vejo nenhuma vantagem em bancar viagenzinha pra ir avaliar jabuticaba.

bjj
bjj
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Mas os suecos estão comprando o IRIS-T SLS para substituir o RBS 70, não o Bamse. Ao que parece o Bamse vai continuar em serviço por muito tempo.

Bardini
Bardini
Reply to  bjj
2 anos atrás

Pelo o que sei, os BAMSE que eles compraram só servem hoje com demonstrador de tecnologia… Morreu. Já era. Adeus. Ninguém quer comprar. . IRIS-T SLS é uma escolha óbvia para os suecos, eles já tem o míssil e parte do projeto do mesmo, que é o mesmo operado nos Gripens. Nada mais lógico do que padronizar. . Eles estão substituindo os RBS 70 antigos… Pessoalmente, eu duvido que eles não vão obter um lote do RBS 70 NG no futuro, pq a SAAB fez uma pressão desgraçada com essa compra dos IRIST-SLS. Mas isso é achismo meu. . Fora… Read more »

RENAN
RENAN
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Concordo não serve para o Brasil

Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Vou te explicar. Isto já está rolando faz um bom tempo. Começou com os suecos oferecendo a FAB os sistemas Bamse usados que estão sendo substituídos pelo Iris T. A FAB declinou inicialmente por questões de prioridade. O EB foi ver porque o preço é extremamente convidativo, pelos sistemas de segunda mão, a única coisa que queria saber era a possibilidade de montar encima de caminhões ao invés daqueles reboques.

Luís Henrique
Reply to  Juarez
2 anos atrás

Ah sim. Sendo de 2o mão e com preço bem convidativo, vale a pena dar uma olhada. Para quem não tem nada e nem dinheiro, pode servir.
Mas para participar de uma licitação em 2019, o BAMSE precisaria de uma versão totalmente melhorada.
Aquele radarzinho monopulso com 30 km de alcance não da mais. Os 6 mísseis por unidade é muito pouco. Teria que ter uma versão BAMSE NG com um radar bem mais moderno e multicanal nas unidades lançadoras, o dobro de mísseis (12) ou mais, e um aumento no alcance.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Juarez
2 anos atrás

Vamos de Sobra , como sempre ! Estes desperdícios são Velhos , lembram do ROLAND , desativados ainda operacionais ! Nossos Militares não tiveram Infância , então querem brincar de Guerra , ou de Desfiles Militares , este último então acabou , nosso desfile militar passou a ser desfile de circo , com centenas em todos o país , somente gastam dinheiro , engraxam as botas e lavam seus jeeps .

teropode
Reply to  jose luiz esposito
2 anos atrás

Perfeito !

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
2 anos atrás

Melhor isso, do que nada! Porém eu acredito que deveríamos procurar algo com um pouco de alcance maior. Alto com teto de 15 a 20 km de altura e que percorra pelo menos 50 a 70 km de distância.

bjj
bjj
2 anos atrás

Esse sistema é um dos que, na minha opinião, melhor se enquadra na nossa realidade. Cada bateria pode compreender de três a seis reboques de lançamento, perfazendo algo entre 18 e 36 mísseis por bateria. Pode ser transportado no C-130 e KC-390. Não necessita de veículo especial para recarga, que é feita em cerca de 5 minutos pelos próprios tripulantes do sistema. Os sistemas de lançamentos são rebocados, ou seja, em caso de falha mecânica substitui-se o veículo de transporte e segue o jogo. Enfim, é um sistema logisticamente menos complexo que os concorrentes, e ainda possui capacidade C-PGM. Outra… Read more »

Gabriel BR
Gabriel BR
Reply to  bjj
2 anos atrás

É exatamente isso que eu penso

teropode
Reply to  bjj
2 anos atrás

Sim , contra uma investida do Paraguai , Uruguai ou Suriname ele é perfeito , aliás é desnecessário segundo lote de F39 , o novo Pampa é ideal para as nossas condições e necessidades.

bjj
bjj
Reply to  teropode
2 anos atrás

Parceiro, não venha com espantalho pra cima de mim que não cola. Nós basicamente vivemos a seguinte realidade: falta de recursos necessários, território grande, e uma grande carência de sistemas de defesa aérea de média altitude (por conta da falta de recursos). E perceba que são fatos históricos, não apenas resultado da crise atual. Logo, precisamos de um sistema barato, fácil de operar, que seja aerotransportável em C-130 ou KC-390, com alcance horizontal de pelo menos 20.000 metros e vertical de pelo menos 15.000 metros (requisito das forças armadas) e preferencialmente sem restrições políticas. Quais são as opções? Buk M2:… Read more »

teropode
Reply to  bjj
2 anos atrás

Legal , o sistema sueco possui sim restrições políticas ( UE e EUA) , o Bamse é barato e meia boca , se for para optar pelo mais barato e menos eficiente que comprem mais Guepards , portanto o tal requisito de alcance não passa de preciosismo e maquiagem , montar uma cobertura anti-aérea ignorando o degrau de longa distância é perda de tempo , se for para manter ou criar doutrina que comprem algo que seja eficaz , o Spyder é naturalmente este sistema , ou mais Guepards , a esposa deu ao marido 100 reais pra comprar 1kg… Read more »

bjj
bjj
Reply to  teropode
2 anos atrás

1- Os mísseis, radares e reboques são suecos e, até onde me recordo, os suecos não ficam tentando definir quantos mísseis podem ser comprados, nem como devem ser utilizados, muito menos o lugar onde devem ficar armazenados. 2- Para falar de eficiência é preciso ter dados concretos sobre números de mísseis lançados, taxa de acerto, e outros números que não temos acesso. Logo, qualquer tentativa de pintar o sistema sueco como ineficiente não passa de achismo. 3- O “degrau de longa distância” por coerência deve vir após os de média distância. Além do mais, eles custam dinheiro que não temos… Read more »

Neves João
Neves João
Reply to  bjj
2 anos atrás

Bjj, eu concordo com vc que o sistema de defesa AAe deve ser em camadas, já possuímos manpads e guepards, logo faltam os mísseis de médio e longo alcance, não adianta comprar Patriots se não temos cobertura intermediária ainda, portanto, a próxima compra deve ser um sistema de médio alcance, entre 30-70Km, existem algumas opções interessantes no mercado.

Gabriel BR
Gabriel BR
2 anos atrás

É o melhor sistema para o Brasil.
Um sistema de médio alcance, de alta mobilidade, operação simplificada, pode ser aerotransportado para qualquer canto do país, os suecos transferirão tecnologia e poderemos fabricar o sistema BAMSE aqui no Brasil com uma alta taxa de nacionalização de componentes.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Gabriel BR
2 anos atrás

Sonha.

Mauricio R.
Mauricio R.
Reply to  Gabriel BR
2 anos atrás

É só o que falta, ToT de sistema desativado pelo usuário original, pra BID fazer.

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Gabriel BR
2 anos atrás

Isto esta Obsoleto , já esta sendo substituído na Suécia , é uma Bota Furada , sem condições de meia Sola !

Gabriel BR
Gabriel BR
2 anos atrás
Gabriel BR
Gabriel BR
2 anos atrás

O BAMSE é um sistema aerotransportável https://www.youtube.com/watch?v=dqmTpwa8iTc

Bardini
Bardini
Reply to  Gabriel BR
2 anos atrás

O que não falta no mercado são sistemas aerotransportáveis…

jose luiz esposito
jose luiz esposito
Reply to  Gabriel BR
2 anos atrás

Mais aerotransportável é Arco e Flecha , com aqueles Índios que flecham aviões , colocaríamos uns 50 deles em aviões , estaríamos melhor que este Bamse obsoleto , mais barato e talvez com o mesmo alcance .

RENAN
RENAN
2 anos atrás

Vamos gastar dinheiro atoa pois este sistema é ridículo.

O Brasil precisa de algo que possa dispara mais de 18 mísseis para proteger uma instalação. ( Para atingir aeronave)
Tenha canhões com muita munição. (Para atingir projétil, drone, mísseis, etc)
E os mísseis tenha a capacidade de travar e buscar o alvo independente do lançador. E que consiga priorizar alvos de maior relevância.

Pois na minha opinião o fraco do Pantir-S1 é a necessidade do guiamento por link, que Israel já provou ser enganado.

Ziquisira
Ziquisira
2 anos atrás

No mínimo vai uma galera com suas esposas para uma reunião de meia hora. E haja passeio.
E nós pagando.
Mas os que seja útil o passeio.

Foxtrot
Foxtrot
2 anos atrás

Seria mais interessante o término do sistema bi nacional Astros AAe. Sistema que incluía os caminhões e EW do sistema Astros e novo míssil baseado no CAMM, ainda mais agora que o mesmo foi adotado pela MB. Não temos carências emergenciais desses sistemas, sendo assim os recursos podem ser direcionados para o programa. A participação das outras duas forças no projeto e desenvolvimento do míssil é mais que providencial. Soma-se o término do radar Saber-S 200/ Vigilante/ M200 nacional, que possui além de capacidades de direção de tiro, AESA, controle aéreo etc. Mas lá vamos nos de novo dar um… Read more »

BMIKE
BMIKE
Reply to  Foxtrot
2 anos atrás

Como sistema nacional porque não utilizar uma variante do ADARTER, apenas adicionando um estágio inicial de propelente sólido para no lançamento adquirir altitude e velocidade, direcionamento inicial pelo radar saber 200 e final pelo infravermelho. Aliás, se isso for feito será de cara um dos melhores até 20 km altitude e 70 km distância, vamos poder exportar e gerar receita, fica a dica pro GF.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  BMIKE
2 anos atrás

Excelente idéia caro BMIKE! Assim como essa, já propus o MAA1-B (mais barato e de 4,5 geração), MAR-01 (com radar passivo/ativo e direção via data link BR2) etc.. Mas infelizmente só temos desnacionalizados nas FAAs de hoje, e o MD não passa de mais um cabide de empregos. Não temos uma agência nos moldes da DARPA ou DRDO, que centralize, fomente e cordene as pesquisas e aquisições das FAA,s. Continuamos com forças militares bairristas, que compram de tudo e de todo mundo (menos o nacional) sem coordenação alguma e sem critério algum. E a integração de meios, treinamento e comando… Read more »

Rafael Oliveira
Rafael Oliveira
Reply to  Foxtrot
2 anos atrás

Que fixação nos caminhões da Tatra. Por que não comprar caminhões fabricados no Brasil?

Flávio Henrique
Flávio Henrique
Reply to  Rafael Oliveira
2 anos atrás

Ou produz o mesmo aqui… considerando as nossas estradas um caminhão 6×6… seria “ideal”…..

Bardini
Bardini
2 anos atrás

A grande questão, que ninguém aqui, nem no Ministério da Defesa muito menos no EB, FAB e MB/CFN parece se atentar, é a bendita da padronização… PADRONIZAÇÃO. Isso é o que deveria mandar na escolha do próximo sistema de defesa aérea. . Qual o sistema que padroniza com a FAB, CFN/MB, EB??? . Existem opções no mercado? Se sim… Escolham a que melhor padroniza as 3 forças e que possa gerar um ESTOQUE maior do que o estoque pífio que virá com comprar separadas. Se não… Podemos ir atrás de uma parceria para desenvolver isso? . Mas um ponto é… Read more »

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Para mim o CAMM-ER é a opção mais interessante para o EB, mas pensando em padronizar o CAMM é melhor.

Bardini
Bardini
Reply to  Mateus Lobo
2 anos atrás

Hoje, vindo de fora, sem participação “BR” em desenvolvimento e etc, o NASAMS II é a melhor opção na minha opinião… . O problema maior reside é na MB. A MB deveria ter adotado o ESSM no lugar do CAMM pra fechar a conta. Seria mais caro, mas isso não só aumentaria o cobertor curto da defesa aérea nos navios, que não vai aumentar tão cedo, como poderia proporcionar o uso do seu estoque de ESSM em uma Bateria de Defesa Aérea do CFN. . A FAB poderia adotar e usar AMRAAM como BVR, que também serviria como míssil de… Read more »

Luís Henrique
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Discordo. Não existe uma defesa antiaérea eficiente de 1 camada. O NASAM não é a solução. Muito caro para destruir PGMs e falta alcance para destruir aeronaves.

Minha opiniao: Stunner e Tamir

Em todas as forças. Nas nossas fragatas e em blindados em terra. Os Stunner (david’s Sling) destroem aeronaves a mais de 160 km. E os Tamir (Iron Dome e C-dome) destroem os mísseis bombas etc. E qualquer alvo que se aproximar das instalações estratégicas.

Bardini
Bardini
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Em momento algum eu falei em defesa de apenas uma camada. . Tirando os importantíssimos MANPADS, que nem vou citar pq é óbvio de sua importância, o NASAMS II em si já é um sistema multi-míssil. Você hoje tem 4 mísseis aptos a serem disparados por esse sistema (sem contar as variantes esses mísseis). AIM-9X, AMRAAM, ESSM e IRIS-T que foi testado a pouco tempo pela kongsberg pra demonstrar que dispara míssil não americano. O sistema tem arquitetura aberta, até falei em integrar o A-Darter como ToT, que ficaria responsável pela parte interna e isso impactaria e muito na escala… Read more »

Luís Henrique
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Bardini, em padronização é realmente ótimo. Mas veja o lado ruim: 1) mísseis caríssimos. Um Iris-T deve custar U$ 1 mi ou mais. Um AIM-120 dependendo da versão custa muito mais. 2) pouco alcance para defesa de área. Por volta de 50 km é muito pouco. Minha opinião, falta alcance para defesa de área e custo muito caro para ser usado como defesa de ponto. Interessante para defender alvos muito importantes, onde o custo não pese. Como já disse, prefiro 2 sistemas diferentes. Um para a defesa de área, como o Stunner (com muito mais alcance que o NASAMS). E… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Luís Henrique
2 anos atrás

Duvido que um Stunner custaria menos que um AMRAAM… Não tem como um míssil que oferece mais opções custar menos que um que já foi fabricado aos milhares e é “mais simples”. . Um AMRAAM mal bate a casa dos 400 mil dólares. Um Stunner deve passar batido do 1 milhão de dólares. . O IRIS-T também deve ficar abaixo do valor de um AMRAAM. Não faz sentido nenhum custar mais… E tem escala e etc. Ambos poderiam ser utilizados nos caças… . Por questão de custo, falei em integrar A-Darter. Justificaria a grana investida no projeto e bancaria a… Read more »

Luís Henrique
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Bardini. Os dados divulgados indicam 40 km de alcance máximo. Não sei se esse dado já é sobre o NASANS 2 ou o 1. Mas a Raytheon divulga oficialmente que o AMRAAM-ER ampliará o alcance em 50%, porém o ER é Exclusivo para uso antiaéreo, não é utilizado em caças. Digamos que os 40 km se refiram ao AMRAAM, então teremos 60 km com o ER, porém sem compatibilidade para uso nos caças. O Japão acabou de ser autorizado a adquirir 160 mísseis AMRAAM por U$ 317 mi. Da U$ 2 mi por míssil. O míssil pac3 da Lockheed custa… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Mateus Lobo
2 anos atrás

Tem também a questão de que pra cobrir o território do Brasil, não existe defesa melhor do que caças para o Brasil. Não vai ser a ilusão de um S-“quelquernúmero”00 da vida com radar que deixa a terra plana e vê 2.000 km além da linha do horizonte. . É caça… E caça ainda é multimissão. Faz trocentas outras coisas. Ataca, defende, levanta dados e etc. . Caças armados seriam o real osso duro de roer na defesa aérea do Brasil. Investir em um sistema de AAAe que empregue os mesmos mísseis que os caças não é nem questão de… Read more »

rdx
rdx
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Penso que o SAM de médio-longo alcance ainda é fundamental para a defesa de algumas instalações estratégicas… principalmente como sistema anti-míssil, e no caso do EB, para proteger centros de comando e controle no campo de batalha. Um exército depender de caças da FA para sua proteção é certeza de uma tragédia.

Bardini
Bardini
Reply to  rdx
2 anos atrás

Mas quem é que falou em abdicar de sistemas de média altitude?
.
Estou falando de cobrir grandes áreas…

Luís Henrique
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Bardini, esses mísseis AIM-120 quando lançados do chão, perdem MUITO alcance. É um sistema na faixa de 50 km de alcance…
É melhor que 20 km do BAMSE, mas custa uma fortuna.
Prefiro um que custe uma fortuna mas que tenha 200 ou 300 km de alcance.

Bardini
Bardini
Reply to  rdx
2 anos atrás

Tá aí escrito… Corroborando com a necessidade de algo como NASAMS II.
.
“Caças armados seriam o real osso duro de roer na defesa aérea do Brasil. Investir em um sistema de AAAe que empregue os mesmos mísseis que os caças não é nem questão de ser “inteligente” é seguir o mais puro bom senso.”

Juarez
Juarez
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Você tem razão em quase tudo que disse, mas o problema grana para isto tudo.
Isto aí como eu já disse antes, se vier a ocorrer é uma compra de oportunidade para quebrar o galho até o A Darter estar maduro para desenvolver um SL. a FAB talvez fique com duas ou três baterias.

Bardini
Bardini
Reply to  Juarez
2 anos atrás

Barato que vai sair absurdamente caro…
.
Tudo o que os suecos precisam é de um tanso pra levar pra casa esse péssimo investimento que eles fizeram.

art
art
Reply to  Juarez
2 anos atrás

A intenção são 3 baterias uma para cada força mais apoio logístico.

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Eu me atentei sobre a padronização. Está lá no meu comentário.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Cara parabéns!
Enfim falou algo que valha a pena ler.
Reconheço quando alguém merece consideração, e nesse seu posto terá mais que merecido meu respeito.
Parabéns senhor Bardini !

art
art
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Será padronizado (existem fortes intenções) RFI sairá até o fim do ano e a compra deve ser conjunta. Iniciaram-se as pesquisas.

RENAN
RENAN
Reply to  Bardini
2 anos atrás

Parabéns pela discussão em alto nível
Muito obrigado

José Luiz
José Luiz
2 anos atrás

Fica a dica para os editores publicarem um artigo mais completo e técnico sobre estes sistemas.

Marcos
Marcos
2 anos atrás

Ouvi boatos de que o sistema BAMSE custa 25 milhões de dólares cada unidade

Com os 1 b do Pantsir (seriam apenas 12 veículos) daria para comprar 30 unidades do BAMSE e mais 250 milhões em mísseis

Juarez
Juarez
Reply to  Marcos
2 anos atrás

O usados são menos da metade disto.

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Marcos
2 anos atrás

30 unidades de um sistema descontinuado e superado…
É isso que você quer?

Mauricio R.
Mauricio R.
Reply to  CESAR ANTONIO FERREIRA
2 anos atrás

Ué e a compra dos “Guepard”, foi o que mesmo????

CESAR ANTONIO FERREIRA
CESAR ANTONIO FERREIRA
Reply to  Mauricio R.
2 anos atrás

Um equívoco equivalente.

Antunes 1980
Antunes 1980
2 anos atrás

Seria uma boa aquisição.
Devido a restrições orçamentárias, adquirir um sistemas deste nível já é algo extraordinário.

rdx
rdx
2 anos atrás

Mas quem já comprou RBS-70NG precisa mesmo de um BAMSE? Penso que a nossas FFAA deveriam avaliar um SAM de categoria superior… Patriot, Barak 8, CAMM-ER e SAMP-T

Paulotd
Paulotd
Reply to  rdx
2 anos atrás

Também acho furada comprar esse sistema. É um RBS 70NG com alcance estendido. Melhor comprar mais lotes do ótimo RBS 70NG, Mais radares SABER M200, e investir o dinheiro pro MTC-300 sair logo.

Juarez
Juarez
Reply to  rdx
2 anos atrás

A máquina que fabrica dinheiro já chegou????

Antiaereo FAB
Antiaereo FAB
2 anos atrás

O melhor sistema para o momento, nessa categoria e com alinhamento politico/ logistica : NASAMS; IRIS-T SLM; SPYDER.

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
2 anos atrás

Se a Suécia está querendo comprar Patriot, porque iremos avaliar esse sistema? Olhem um vídeo e poupem despesas de viajem ao exterior. Eu queria saber o quanto gastam com viagens inúteis, neste pais. Daria para comprar um bocado de equipamentos. Uns 20 Abrams, pelo menos.

Roberto Santos
Roberto Santos