Home Blindados Singapura apresenta o novo veículo de combate blindado Hunter

Singapura apresenta o novo veículo de combate blindado Hunter

6445
69
AFV Hunter

As Forças Armadas de Singapura (SAF) revelaram detalhes recentes de seu mais recente veículo de combate blindado (AFV – Armoured Fighting Vehicle) da Hunter, sua primeira plataforma de combate blindada equipada com uma capacidade anti-tanque (ATGM). O novo veículo foi colocado em serviço durante o desfile de 50 anos do Singapore Army em 11 de junho.

O AFV Hunter de 29,5 toneladas – anteriormente conhecido como Veículo Blindado de Combate de Última Geração (NGAFV – Next-Generation Armoured Fighting Vehicle) antes do seu comissionamento – substituirá os veículos blindados de transporte de pessoal M113A2 Ultra (APCs) atualizados e antigos do exército que entraram em operação a partir da década de 1970 e veículos de combate de infantaria Bionix II em serviço (IFVs). O novo veículo está sendo desenvolvido pela Agência de Ciência e Tecnologia de Defesa de Singapura (DSTA) em parceria com a ST Engineering Land Systems desde 2006.

“O Hunter AFV representa o espírito predatório de detectar, rastrear e perseguir sua presa”, disse o brigadeiro-general Yew Chee Leung durante uma coletiva de imprensa em 7 de junho, revelando que a família da plataforma incluirá cinco variantes: combate, comando, ponte, engenharia e recuperação.

“O Hunter trabalha coletivamente como um matilha para caçar em rede”, acrescentou o Brig Gen Yew. “É também o protetor e o provedor da tribo, por isso acreditamos que essas características são um bom presságio com sua capacidade de manobrar e superar qualquer potencial agressor para garantir uma vitória rápida e decisiva”.

De acordo com as últimas especificações fornecidas pelo Ministério da Defesa (MINDEF), a linha básica do Hunter AFV tem 6,9 m de comprimento, 3,4 m de largura e uma altura total de 3,4 m.

É operado por uma tripulação de três pessoas, composta por um motorista sentado à esquerda na parte frontal, enquanto o artilheiro e o comandante do veículo estão sentados lado a lado imediatamente atrás do motor. Até oito soldados totalmente equipados podem ser transportadas no compartimento traseiro.

FONTE: Jane’s

Subscribe
Notify of
guest
69 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Willber Rodrigues
Willber Rodrigues
1 ano atrás

Ví a foto, e achei que era um M-113 Ultra Anabolizado.

Maurício Veiga
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Na verdade é um M2 Bradley “anabolizado” !!!

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Pois é … se botar a torre UT30MK2 e blindagem adicional em pelo menos uns 200 M-113BR teríamos um VCI de respeito na Força com capacidade de no minimo 07 ou 08 soldados …

o que falta é dinheiro e visão de necessidade pra isso …

https://rhk111smilitaryandarmspage.wordpress.com/ut30_mk2_02/

GeneralDeSofá
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Faz mais sentido usar as UT30MK2 e blindagem adicional no Guarani que tem pouco tempo de uso

Paulo Costa
Paulo Costa
Reply to  GeneralDeSofá
1 ano atrás

Colega, é sempre a mesma ladainha do Guarani Eu nunca vi Guarani em formação com os Leopard nos regimentos de cavalaria… o M-113 vai a lugares que o Guarani nao consegue. Alem disso, O nosso Guarani é um APC criado basicamente para substituir o Urutu e talvez no futuro o cascavel mas é usado no EB para transporte de tropas e pra isso, a Remax 12,7mm e suficiente. Tanto é, que segundo o que eu sei é que quase 450 Guarani foram produzidos ate agora e cerca de quase a metade tem apenas a torre manual ja que o EB… Read more »

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
Reply to  Paulo Costa
1 ano atrás

Sé os M-113 BR do exercito fossem iguais aos dos fuzimeiros já estava de bom tamanho.

Pedro
Pedro
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Willber, tu digitou o que eu iria digitar logo quando vi as fotos… esse é com whey hidrolisado, só pode! Kkkkkkkkkk

paulop
paulop
Reply to  Willber Rodrigues
1 ano atrás

Belo veiculo. Porém creio que essa torre UT30mk2 ficaria melhor no VBR-MR que o EB pretende adquirir. E nem precisa ser 8×8.O 6×6 já seria interessante. Bota uma torre multifuncional, com capacidade de transporte de alguns exploradores e moderniza de vez à Cavalaria Mecanizada.
Abraço

FighterBR
FighterBR
1 ano atrás

Existe um blindado parecido com esse aí que possui um canhão de 120mm. Perfeito para o EB

Ivan
Ivan
1 ano atrás

“O Hunter AFV representa o espírito predatório de detectar, rastrear e perseguir sua presa”, (…)
.
“O Hunter trabalha coletivamente como um matilha para caçar em rede”, (…) “É também o protetor e o provedor da tribo, por isso acreditamos que essas características são um bom presságio com sua capacidade de manobrar e superar qualquer potencial agressor para garantir uma vitória rápida e decisiva”.
.
Brigadeiro-general Yew Chee Leung é mais que um soldado, mais que um guerreiro.
Leung é também um POETA!!!
.
Saudações,
Ivan, o Terrível. 😉

Señor batata
Señor batata
1 ano atrás

Boa noite. Ele seria concorrente do cv90?
Desde já agradeço a resposta.

Guacamole
Guacamole
Reply to  Señor batata
1 ano atrás

Parece ser.
Fora a diferença em calibres da arma principal, o uso dos dois é o mesmo: prover poder de fogo a infantaria e caçar outros veículos blindados com misseis anti-tanque.

Señor batata
Señor batata
Reply to  Guacamole
1 ano atrás

Boa noite Guacamole.A diferença entre canhões não chega a ser grande o cv com 35mm e hunter com um de 30mm. Vou tentar achar o preço do hunter para comparar.
Tchau e agradeço a resposta.

Caio
Caio
1 ano atrás

Esse afvs estão cada vez mais pesados, visando uma proteção passiva.
Acompanhei um programa no discovery turbo, no qual engenheiros dos EUA, tentavam mudar isso, investindo em mais armas de autodefesa e menos peso na plataforma(um obuseiro m 109, não lembro qual versão). Por que imagina todo esse peso sobre pontes de madeiras, areas movediças, seu transporte e etc… . pode ser um entrave no seu uso.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
1 ano atrás

Leva mal não mas parece uma máquina de lavar com esteiras!!! contagem regressiva para comentarem que o EB não tem nada igual, que o Guarani é isso, etc e blá-blá, blá!!!

PCST27
PCST27
Reply to  Marcelo Andrade
1 ano atrás

Pois maduro ja encomendou 38 desses

wwolf22
wwolf22
1 ano atrás

Com o avanço das armas anti tanque, vale a pena investir tanto em tanques??

Luiz Floriano Alves
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

wwilf22
Mas é exatamente esse o carro alternativo ao MBT. Com as qualidades adicionais de transporte de tropa e multi missão. A dotação de um ATGM moderno é crucial para que sua sobrevivência e letalidade se mantenham ao longo dos combates. Parece a mesma filosofia do Guarani. Mas, com vantagens na tração de esteiras, na blindagem e na eletrônica que o coloca com melhor capacidade situacional. A altura também é um diferencial que reduz a silhueta exposta ao fogo inimigo e propicia mais furtividade. Um bom carro, sem duvida agregando idéias das principais potencias fabricantes de /Tanques. Abço.

wwolf22
wwolf22
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Caro Floriano, qnd me referi a tanque, eu me referia a blindados em geral…
lembro da guerra entre israel e hezbollah em 2006 qnd a IDF perdeu mais de 30% dos seus merkavas para mísseis Kornet… na época diziam que o merkava era o blindado mais avançado do mundo… foi dizimado pelos Kormet e Milan…
será que os blindados, em geral não são um alvo muito fácil de serem abatidos?? nao falta muito para os mísseis utilizarem AI…
quanto custa um Kornet?? e o guarani??

Augusto L
Augusto L
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

Armas AC sempre foram mais baratas que os blindados, mais para abrir caminho em uma posição bem defendida só com o uso da arma blindada + é claro o resto para apoiar.

Celso
Celso
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Luiz, a altura nem sempre e fator preponderante no caso. Tem vantagens, porem as desvantagens tambem sao proporcionais. Entre elas, a vibilidade que se tem para adquirir e atingir alvods a maior distancias, ficam mais prejudicadas, visto que o horizonte fica mais perto. Voce poderia escrever…ora bola, mas e os eletronicos a bordo que ajudam a localizaçao do inimigo ??? essa sim seria a comparacao mais pertinente. Uma altura maior, enseja tambem um alcance maior da arma utilizada, bem como torna mais rapida a localizacao e eliminacao do mesmo ao alcance da arma. Ultrapassar terrenos mais alagados tambem e uma… Read more »

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Luiz Floriano Alves
1 ano atrás

Sobre as operações em 2006 no Líbano: – 370 carros de combate foram utilizados (Merkavas MkII, MkIII e MkIV) – 52 foram atingidos por fogo inimigo (ATGMs, RPGs, IEDs, etc) – 21 desses CC atingidos receberam dano suficiente para serem retirados do combate (19 resultantes de ATGM e 2 de IEDs) – 5 desses foram considerados perdas irrecuperáveis ​​(2 Merkavas MkII, 1 Merkava MkIII, 2 Merkavas MkIV). – Um dos MkII destruídos e um dos MkIV destruídos foram atingidos por IEDs, o resto foi perdido devido ao fogo de ATGM. – 23 “tanquistas” israelenses morreram durante a guerra (18 por… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

Existem defesas ativas para anular – ou pelo menos reduzir – o risco representados pelo ATGM. Trophy, Afganit e outros.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

Os tanques hj com proteção ativa não são frageis como os do da época da Guerra contra Hezbollah, tanto que o Hezbollah e o Hamas tentaram abater eles, desde que o Trophy entrou em ação não ouve perdas.

wwolf22
wwolf22
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

basta um RPG na esteira/roda que ja “inutiliza” o MBT/blindado…

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

sim basta, mas acertar que é bom até agora nada.

Agnelo
Agnelo
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

Prezado
Sim, basta.
Por isso, é prevista a atuação CC+ Inf, o q não se vê muito no OM…
O CC dá poder de fogo e a Inf assegura o Carro.

wwolf22
wwolf22
Reply to  Agnelo
1 ano atrás

nao vai demorar muito para acontecer, mas logo logo vao acoplar explosivos em carrinhos de controle remoto e direciona-los para atingir as laterais dos veículos…

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  wwolf22
1 ano atrás

As proteções ativas tem se mostrado muito efetivas em lidar com ATGMs

Defensor da liberdade
Defensor da liberdade
1 ano atrás

Hora do Brasil ir às compras na Suécia. O CV90/35 seria perfeito para nossas forças mecanizadas.

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

Lynx, Namer, Puma, Hunter, CV90, o mercado é cheio de boas opções.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

A nós só falta o $$ pra adquirir algum(que seja o CV90/35 já que estamos amigos da Suécia). 😉

Delfim
Delfim
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

Caber em um KC-390 deve ser o diferencial.

Carlos Campos
Carlos Campos
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Nmaer já sei que não cabe

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Delfim
1 ano atrás

Eu realmente não sei o grau de relevância de um IFV ser aerotransportável porque eles acompanham o MBT, que não tem essa capacidade, algum militar poderia dizer sobre isso com mais propriedade. No entanto, existem versões do CV 90 com menos de 26t, o que o habilitaria a ser transportado no KC-390.

Carlos Alberto Soares
Carlos Alberto Soares
1 ano atrás

Os vizinhos:

https://www.google.com/maps/@1.3139843,103.5640535,7z

É para exportação ? Baixo custo unit ?

Rafael G Oliveira
Rafael G Oliveira
1 ano atrás

Esses novos veiculos vem com poucos assentos para tropa embarcada, e a tendência é diminuir mesmo…como ficaria a composição do GC blindado com um membro a menos?
Antigo GC do m-113 são 9 membros:
1 sgt + 2x esq. de 4 infantes (cb + 3 sd)

paulop
paulop
Reply to  Rafael G Oliveira
1 ano atrás

Considerando a redução de 9 para 8, o GC blindado passa a ter o seu comandante integrado em uma das duas esquadras. O SGT comanda o GC e a sua esquadra e um CB comanda a outra esquadra e é o subcomandante do GC. Pelo menos creio que seja isso. O Australian Army parece que segue esse padrão… Aliás: não seria um concorrente para o Land400 phase 3?
Abraço.

paulop
paulop
Reply to  paulop
1 ano atrás
Tomcat4.0
Tomcat4.0
1 ano atrás

Sinceramente viu, a baba escorreu pela boca. Que eletrônica embarcada(ao menos visualmente) show. Os caras controlando tudo de dentro do veículo, câmeras pra ver tudo do lado de fora e tal, segurança pra tripulação. Singapura e seus desenvolvedores de parabéns!!!

Pedro
Pedro
1 ano atrás

Bonito e bem tecnológico… Show!

Carlos Campos
Carlos Campos
1 ano atrás

Acharia legal um post sobre as manifestações na China, principalmente Hong Kong tá ficando séria a coisa, e a China tá culpando os EUA.

LBacelar
LBacelar
Reply to  Carlos Campos
1 ano atrás

E vc já viu matéria condenando a China aqui nesse blog? Acho meio dificil hein?!

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás
Merlin
Merlin
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Também prefiro Antunes, sem dúvida.
O complicado é que não existem ainda valores divulgados para o T-15. Se levarmos em consideração o valor do T-14, são US$ 7 milhões de dólares (R$ 27 milhões de reais) acredito que o valor não deva ficar muito abaixo.
Seguindo o pensamento, o CV90 que também é um ótimo blindado, custa € 4,5 milhões (R$ 17 milhões).
São valores bem altos se levarmos em consideração o custo do Guarani, que é de R$ 3,5 milhões.

Tomcat4.0
Tomcat4.0
Reply to  Merlin
1 ano atrás

Pois é , pra mim deveríamos, assim como já fizeram, aproveitar nossos M-113(suas plataformas) e neles montar algo similar,porém nacional, deste mesmo veículo da matéria, nos moldes e mantendo similaridade nos equipamentos do Guarani.

Merlin
Merlin
Reply to  Tomcat4.0
1 ano atrás

Gosto bastante do M-113.
A modernização que a Turquia fez me despertou uma momentânea tristeza, por não termos adotado a mesma linha.
Mas entendo que o custo talvez não tornasse o projeto atraente.
Segue um vídeo com a modernização. Ele fica, ainda mais, bonito.
https://www.youtube.com/watch?time_continue=8&v=dQJD5fmDijk

Edson Parro
Edson Parro
1 ano atrás

Para VBTP – Viatura Blindada de Transporte de Pessoal ou VBCI – Viatura Blindada de Combate de Infantaria, parece-me que há uma desfavorável exposição das “partes baixas”.

Nilton L Junior
Nilton L Junior
1 ano atrás

Deve fazer um estrago considerável na quantidade certa, alguém sabe dizer o equivalente deste em uso pela China.

ScudB
ScudB
Reply to  Nilton L Junior
1 ano atrás

VN17..

Marcelo Danton
Marcelo Danton
1 ano atrás

GUERRA no GOLFO!

Antunes 1980
Antunes 1980
1 ano atrás

Mais um IFV que viraria pó contra os ATGM.
Na Síria nem os Leo 2 escaparam da vergonha.
Difícil acreditar em mais um “lançamento “ de maquete.

Bardini
Bardini
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Papo de quem não entende nada…
.
Um ultrapassado Leopard 2A4, que tinha menos capacidade de lidar com estas ameaças que um SABRA, nunca será base pra dizer que todo blindado seria triturado por ATGMs.
.
O projeto dos Leopard 2 já tem mais de 4 décadas nas costas. Os 2A4 nunca foram pensados para combater essas ameaças simétricas.

Recce
Recce
Reply to  Antunes 1980
1 ano atrás

Fora o emprego errôneo. Os turcos deixavam os seus Leo 2 dando sopa na crista em elevações. Nunca ouviram falar de desenfiamento.

José Juscelino de Oliveira Neto
José Juscelino de Oliveira Neto
1 ano atrás

Design futurista, dá a impressão de um veículo ágil e bastante manobrável. Tem tudo pra ganhar o mercado internacional.

Cristiano de Aquino Campos
Cristiano de Aquino Campos
1 ano atrás

Triste e que nem uma modernização descente do M-113 nós fizemos. Não digo blindagem adicional e tal, más pelo menos podiamos ter padronizado com os M-113 dos fuzileiros que ficou superior aos do exército.

Luiz Floriano Alves
Reply to  Cristiano de Aquino Campos
1 ano atrás

M 113 ´é o tal de bonitinho, mas ordinário. Até serve como anfíbio, se com flutuadores adicionais. No Oriente Médio sofre com o tal armamento russo de 14,5 mm. metralhadora pesada. A tal arma faz picadinho de carro blindado desse tipo. Uma tristeza. Um carro moderno tem que resistir, pelo menos a esse calibre. Bom teste para o Guarani. Taca um tiro de 14,5 mm. e confere. Se resistir está aprovado, que RPG sabemos que não aguenta.

Everaldo Lameira
Everaldo Lameira
1 ano atrás

O Brasil já deveria ter um desses no nosso Exercito.

Mateus Lobo
Mateus Lobo
1 ano atrás

Mesmo com tantas opções de IFV atualmente disponíveis no mercado, acho o CV90 a melhor opção, um equilíbrio excelente entre poder de fogo, blindagem, mobilidade e peso. A versão com blindagem básica que já é muito boa, pode ser transportada pelo KC-390.

Bardini
Bardini
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Nenhum IFV do mercado, minimamente moderno vai caber dentro do KC-390… nem o CV90. . E um IFV nem tem de caber ali dentro. Não faz sentido querer enfiar esse tipo de blindado dentro de um avião pequeno desses bem como não faz sentido esse tipo de movimentação de blindados por via aérea no BR. Se for para operar no exterior, é via navio ou C-17/An-124 da vida. . E outra, a FAB vai ter condições de operar manter uma quantidade de 28 KC-390, ou vai ser como Super Tucano, que vai comprar quase uma centena e operar muito menos… Read more »

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Bardini
1 ano atrás

O peso e dimensões do CV9040B são compatíveis para o transporte no KC390, se faz sentido esse tipo de movimentação no Brasil eu também me questiono, alguém da cavalaria mecanizada poderia elucidar melhor esse ponto. Discordo sobre o limite de evolução da plataforma, exatamente por conta da modularidade. Quais IFVs você acha melhor que o CV90 e por quê?

Bardini
Bardini
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Transporte de blindado por via aérea aqui é uma completa ilusão. Se estiverem operando em casa, é mais fácil levar pela estrada. Se forem operar fora, a perna logística disso vai demandar muito das capacidades das aeronaves. O exemplo mais atual disso são os franceses operando no Sahel. . CV9040B é um projeto que já tem praticamente 30 anos nas costas… Já existem novos “Mks” do CV90, bem atualizados dentro da era digital e isso demanda crescimento interno que já deu no que tinha que dar. Isso não tira o peso da idade do projeto. Outro fator complicador é que… Read more »

Mateus Lobo
Mateus Lobo
Reply to  Bardini
1 ano atrás

Bardini o CV90 passou de 22t para 37t, você acha mesmo que a plataforma já deu no que tinha que dar com essa capacidade de mudança? Comparar o CV90 mais antigos com o MK IV é como comparar o Gripen C com o E. O CV 90 assim como o Lynx pode acomodar 6 ou 8 soldados, a gosto do cliente. A última conrorrencia que ganhou foi em 2012 se não me engano, e isso não é demérito, o Puma por exemplo não me recordo de algum usuário fora da Alemanha e mesmo assim ele é considerado um dos melhores… Read more »

Bardini
Bardini
Reply to  Mateus Lobo
1 ano atrás

Não que o ASCOD seja a melhor das opções (mas não é nada ruim), mas o caminho “ideal” pra mim seria esse: AFV com 120mm Low Recoil que também poderia ser montado no VBR-MR 8X8 + IFV com Torre calçando munição 30 x 173mm com capacidade ABM, que também poderia ser montado em alguns Guarani 6×6. Seria o bicho e padronizaria muita coisa…comment image?s=e6c7f7c579985a3bea06dc79ae6fd7ea68f6be1c

Bardini
Bardini
Reply to  Bardini
1 ano atrás

comment image

Vivaldo José Breternitz
Vivaldo José Breternitz
1 ano atrás

Singapura:716 km2 de área, 5.8 milhões de habitantes, encravado em outro país Malásia) que tem 330 mil km2, 32 milhões de habitantes, será que serve par alguma coisa, além de gastar a grana que abunda por lá?

Foxtrot
Foxtrot
1 ano atrás

Nu que linda máquina de guerra !
Acredito que se estivéssemos evoluindo o projeto Charruá, hoje o mesmo estaria nesse patamar.
Ainda acredito que podemos fazer isso, pegar o protótipo do Charruá (se ainda existir ), evoluir o projeto com os conhecimentos adquiridos da modernização dos M-113BR, Guarani, Torc-30mm, Marimba etc..
Mas !!!!!

Celso
Celso
1 ano atrás

Boa opção para o EB

Luiz Floriano Alves
Reply to  Celso
1 ano atrás

Bardini
Vc está na trilha das receitas de AFV modernos. Eu só agregaria um missil ATGM, de qualidade, para não temer a presença de MBTs. A construção seria muito mais em conta do que um MBT e bem adequado ao nosso TO de America do Sul.