Home Artilharia Antiaérea Artilharia Antiaérea do EB realiza tiro real no campo de instrução de...

Artilharia Antiaérea do EB realiza tiro real no campo de instrução de Formosa

12437
79

Formosa (GO) – Entre os dias 5 e 9 de agosto, a 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea (1ª Bda AAAe), subordinada ao Comando Militar do Sudeste (CMSE), coordenou a Escola de Fogo de Instrução – Operação Sagitta Primus II, no campo de instrução de Formosa, interior goiano. Trata-se do maior exercício de adestramento da artilharia antiaérea do Exército Brasileiro, reunindo mais de 600 militares das unidades e subunidades dessa natureza, para a execução de tiro real com todo o armamento antiaéreo da Força.

O exercício foi composto de cinco etapas: preparação, concentração estratégica, escola de fogo de instrução, demonstração e desmobilização. Participaram da operação os seis grupos de artilharia antiaérea, o núcleo do Batalhão de Manutenção e Suprimento de Artilharia Antiaérea e sete baterias de artilharia antiaérea orgânicas de Brigadas de Infantaria e Cavalaria. O objetivo da atividade foi adestrar as organizações militares no emprego do material militar adquirido e entregue pelo Projeto Estratégico do Exército Defesa Antiaérea.

Os tiros reais foram executados com os seguinte armamentos: canhão 40mm C70 BOFORS, blindado GEPARD, míssil telecomandando RBS 70 e o míssil portátil IGLA-S. Foi utilizado um sistema de controle e alerta composto pelo radar SABER M-60, capaz de localizar aviões, helicópteros e aeronaves remotamente pilotadas em alcance de até 60km, e pelo Centro de Operações de Artilharia Antiaérea, que tem a finalidade de controlar eletronicamente uma defesa antiaérea.

Uma das novidades dessa edição da Escola de Fogo de Instrução foi a execução dos primeiros tiros da nova geração do míssil RBS 70, incluindo o tiro noturno. O novo modelo oferece capacidade operacional noturna e diurna, guiamento a laser imune a interferências e a função de acompanhamento automático de alvos, aumentando a precisão do engajamento.

A demonstração do exercício foi realizada no dia 8 de agosto, com a presença de autoridades como: o Tenente-Brigadeiro do Ar José Magno Resende de Araujo, Comandante de Operações Especiais; o General de Exército José Luiz Dias Freitas, Comandante de Operações Terrestres; o General de Exército Marco Antonio Amaro dos Santos, Comandante Militar do Sudeste; e o General de Brigada Alexandre de Almeida Porto, Comandante da 1ª Brigada de Artilharia Antiaérea.

O Comandante do CMSE ressaltou o esforço logístico para a realização da operação, “que contou com organizações militares de norte a sul do Brasil, deslocando-se dezenas de milhares de quilômetros, somados, além do trabalho conjunto com a Força Aérea Brasileira, que permitiu a realização do tiro antiaéreo com segurança”. Já o Comandante da 1ª Bda AAAe destacou que “a Escola de Fogo demonstrou o adestramento e a operacionalidade das nossas tropas, coroando o trabalho de preparação desenvolvido nas organizações militares de artilharia antiaérea”.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

79
Deixe um comentário

avatar
19 Comment threads
60 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
49 Comment authors
JoreneReccecarvalho2008RafaelsrsMARCOS DA SILVA QUEIROZ RIBEIRO Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
jodreski
Visitante
jodreski

Minha sugestão é realizarmos essa operação nas regiões de fronteira, aonde vira e mexe nosso espaço aéreo é invadido por aviões monomotores e bimotores a serviço do tráfico de drogas e contrabando, pouparíamos nossos alvos aéreos, adestraríamos a tropa com tiro real e ainda cumpriríamos um favor a sociedade brasileira.

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

Não existe legitimidade para isso, o abate de uma aeronave civil desarmada só se justifica em caso de perigo iminente. Por exemplo, eu pessoalmente não concordo com os casos em que tucanos dispararam contra aeronaves de traficantes, não é que eles não mereçam, é só que embora seja para os forçar a aterrar, também podem muito bem se despenhar, o que cria perigo injustificado a bens materiais e humanos no solo, que mesmo sob a Amazónia, existe sempre a probabilidade de ocorrer. Abater um avião desarmado? Só se houver a suspeita de terrorismo ou de ser uma aeronave de inteligência… Read more »

DOUGLAS TARGINO
Visitante
DOUGLAS TARGINO

Defensor de bandido detectado.

Daniel7440
Visitante
Daniel7440

Defensor de bandido??? Não seja ignorante! O cara só narrou o que existe na realidade, sob os fundamentos jurídicos aí postos

Aldo Ghisolfi
Visitante

Depois de receber a ordem de pouso e descumpri-la, o avião tem mais é que ser abatido. Não vi nenhum fundamento jurídico para evitar o abate, vi um excesso de cautela que deixa bem claro que o avião civil com drogas pode voar à vontade nos ares tupiniquins.

C. César
Visitante
C. César

Pois é, Aldo e Douglas. É incrível como os es quer dis tas tanto daqui quanto os de fora tentam disfarçar mas procuram todas as formas possíveis proteger os seus amigos bandidos. E os daqui que não por coincidência defensores ferrenhos de corruptos presos são aliados até do PCC como vimos nos últimos dias.

gordo
Visitante
gordo

Exatamente Sr Peter nine nine, trafico e assemelhados é problema de policia. Querer que FA façam papel de policia é tapar o Sol com peneira e dar a impressão de que com força e violência tudo se resolve. Deve se investir muito em inteligencia policial para pegar o avião que pousou e o pessoal que ia receber. A FAB poderia e pode monitorar os voos e ver onde pousam (vai que é em alguma fazenda de gente graúda, e ali ninguém pode mexer) para as investigações terem uma ponta para começar. Derrubar avião não resolve nada, só vão mudar o… Read more »

pampapoker
Visitante
pampapoker

Para entrar em área privativa tem que ter mandado da justiça para entrar em fazenda.

gustavo
Visitante
gustavo

Se estiver ocorrendo um crime na propriedade privada não precisa de mandado!

Rafaelsrs
Visitante
Rafaelsrs

Exato! Flagrante delito?! Pé na porteira e vamos que vamos MAS (tem sempre um mas) se for em fazenda de Senador ou Deputado…

Diogo
Visitante
Diogo

Deixa eu ver se eu entendi: a FAB monitora aviões de pequeno porte que sobrevoam em baixíssima altitude a região de floresta densa da Amazônia, daí marcam com um alfinetezinho no google maps e começam a investigação… é isso? Como monitorar milhares de quilômetros quadrados de floresta fechada? E a droga, não tem problema dela chegar até o seu destino final que é o consumidor? é cada comentário…

Douglas Rodrigues
Visitante
Douglas Rodrigues

Dos abates executados pela FAB, há algum que tenha consequências para terceiros? Pois se tiver, desconheço…
Ninguém em terra morreu ou sequer foi atingido por uma peça de avião abatido… Quanto aos bens materiais, se o bandido carrega droga, já deve saber que corre o risco de que aconteça algo a sua aeronave ou acha que bandidos não acompanham tais notícias sobre fiscalização, apreensão e abate? Só o fato de executarem abates com sucesso, já inibe muito o tráfico.

Jorene
Visitante
Jorene

Bandido é bandido. Se você tem dó, leve para a sua casa e lhe dê carinho e proteção.

Heinz Guderian
Visitante
Heinz Guderian

Esse canhão 40mm C70 BOFORS já deveria está “aposentado” a tempos , quando será que vai cair a ficha para o alto escalão das forças armadas e para os políticos, que o Brasil é um país continental e que precisamos de mais do que lançadores de ombros e canhões de repetição para defender nosso céu? Deviam aproveitar essa aproximação com os EUA e comprar uns Patriot, ou começar um projeto nacional em conjunto com alguma empresa internacional. Até a combalida Venezuela tem uma defesa AA melhor que a nossa. No mais, parabéns aos bravos guerreiros do EB que com o… Read more »

Peter nine nine
Visitante
Peter nine nine

O dito canhão pode estar obsoleto. Mas existem soluções modernas com o mesmo conceito, mas automatizadas e/ou remotamente controladas, geridas por um sistema de radar, integradas num sistema complexo.
O canhão de defesa aérea não está obsoleto, o que está obsoleto é disparar contra aeronaves puramente a olho nu, se bem que os rebeldes sírios sempre acertaram em alguma coisa. 🍷🙂

_RR_
Visitante
_RR_

Heinz, No nosso caso, com o território imenso que temos e lidando com recursos sempre muito limitados, simplesmente não há forma de constituir uma defesa AA em camadas como o modelo russo, por exemplo – mesmo se considerarmos um cinturão apenas em torno de regiões consideradas estratégicas… Não há como fugir dessa realidade.. O melhor caminho, de longe, é garantir a capacidade de “atirar no arqueiro” primeiro, o que somente a caça consegue, e não a AAA. Para nós, entendo que a AAA deve privilegiar a capacidade de bater munições guiadas, o que exigiria sistemas com grande capacidade C-PGM. Nesse… Read more »

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Prezado _RR_, Antes de mais nada, peço-lhe para não se referir a arqueiros latinos irreais contra nós. Portanto, as considerações só são possíveis contra os inimigos do Norte, que já nos agrediram e nos ameaçaram, várias vezes. Estes são reais, e não adversários esfarrapados de conjecturas diversionistas de estrategistas se dirigindo a um público desinformado. Mas caso, não queira se aventurar no mundo real que nos cerca tudo bem, cada um na sua. – – Bem, atingir o arqueiro, em estado de guerra declarada, apenas poderia acontecer depois que ele tivesse tido a iniciativa da agressão contra nós, antes disto… Read more »

_RR_
Visitante
_RR_

Caro Farroupilha. Temo que esses arqueiros não sejam irreais… Só porque são poucos ou de qualidade dúbia, não significa que devam ser subestimados… Primeiramente, você parte da ideia de um ataque de surpresa, no qual não haveria qualquer aviso prévio… Ora. Se for esse o caso, então ter ou não uma defesa AAA em camadas se torna irrelevante diante do simples fato de que elas sequer estariam posicionadas, e seriam destruídas em suas bases… Daí que, tal qual expresso no final de meu comentário anterior, para não serem pegos com as calças na mão, todo o aparato tem de estar… Read more »

_RR_
Visitante
_RR_

Mais uma coisa, Farroupilha: Dado tudo que já está exposto até aqui, a estratégia do EB visa clara e principalmente o combate contra outro tipo de inimigo… Pode não parecer, mas o EB estuda muito a sério a guerra de quarta e quinta geração, e isso consome considerável fatia do pensamento estratégico brasileiro hoje ( até a prioridade no reequipamento das forças motorizadas e mecanizadas denota isso… ). E francamente, não creio na possibilidade de uma guerra convencional direta. Uma invasão ao Brasil não é um algo plenamente viável, haja visto o custo de tal empreitada ( mesmo considerando a… Read more »

Oliveira
Visitante
Oliveira

Ou seja _RR_ o EB esta mais preocupado com subversivos do que uma invasão de potência estrangeira kkkkkkkkkkkkkkk

rdx
Visitante
rdx

Concordo….mas o pessoal do EB adora colecionar armas obsoletas.

Canhões AA rebocados fazem parte do passado.

O substituto ideal foi apresentado no exercício: o RBS 70NG.

rdx
Visitante
rdx

Eu defendo a seguinte configuração para a defesa AA do EB:

CAMM-ER (montado sobre o caminhão da família ASTROS)

RBS 70NG

Gepard modernizado com sensores estado da arte e RBS 70

IGLA-S para defesa orgânica de batalhões de infantaria e GAC

Patriot ou equivalente para defesa de nível estratégico (centros de comando e controle e instalações estratégicas, como p. ex. Itaipu, Zona Franca de Manaus e Brasília)

Kommander
Visitante
Kommander

Rapaz, o EB tá parado no tempo faz tempo. (metáfora rsrsr)

Fernando
Visitante
Fernando

E parece que você adora reclamar nos lugares errados. Acha que ficar comentando aqui vai resolver esse problema? Tem que reclamar com o deputado que você votou.

Augusto L
Visitante
Augusto L

Eu ainda quero saber quem são esses inimigos do Norte e quais vezes eles nos ameaçou ? Kkkkkkk.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Sabe nada, inocente!
Deve ter caído de paraquedas neste site de Defesa.

ELTON R
Visitante
ELTON R

Montado num caminhão ,em cenario de guerra civil faz bastante estrago como artilharia contra predios e posiçoes

Art
Visitante
Art

O Programa estratégico do Exército defesa antiaérea está pequisando materiais para troca, tanto o canhão quanto o míssil. o objetivo do programa é recuperar a Baixa altura/curto e muito curto alcance e obter o medio alcance/média altura.

Pablo
Visitante
Pablo

agora que foi anunciado sobre Brasil e Otan, tem algum armamento que possa interessar nossas forças via FMS com maior capacidade que nossos atuais meios ou existe algum projeto para construir algo do tipo em parceria ou 100% nacional? sei la, tem alguma coisa para melhorar a nossa artilharia de defesa aérea??

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

Nossos meios antiaéreos de baixa altitude são bons, só precisam ser adquiridos em maior quantidade e serem disseminados pelas GU’s e OM’s.

Carlos
Visitante
Carlos

É de Cortar o Coração , um ABSURDO Desses!! Valorosos Homens Dedicados com Equipamentos e Armamentos Obsoletos , Chega as Raias da IRRESPONSABILIDADE , um DESCASO como esses . Será que não tem um GENERAL HOMEM aí pra DAR UM BASTA NISSO , NÃO ? Como pode entra ano sai ano e FINGEM estar tudo certo , HIPNOTIZADOS por seu SOLDOS e POMPAS ! Não Comunguemos mais dessa Situação Calamitosa , é preciso se indignar e demonstrar essa cantilena que A TEMPOS SE ARRASTAM . Nosso PAÍS e nosso POVO , Merece mais e o melhor para nossos Soldados .… Read more »

Kommander
Visitante
Kommander

Esses exercícios aí são só pra mostrar aos desinformados que o EB está “protegendo o país”, pois quem é entusiasta da área militar sabe que as FA estão sucateadas.

Bosco
Visitante
Bosco

Kommander,
O EB tem limões, o jeito é fazer limonada. Independente do material não ser o melhor que existe e nem na quantidade desejada o seu manuseio tem que ser treinado pela tropa.

Doug385
Visitante
Doug385

Só consigo enxergar uma coisa: capacete sem coifa brilhando contra o Sol.

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Pois é!

PauloOsk
Visitante
PauloOsk

Rapaz, eu fico louco com isso, eh muito relaxo.

Kommander
Visitante
Kommander

Ainda bem que não tô sozinho nessa!

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Quero saber e cobrar do nosso Exército: Cadê nossa produção local de MANPADS? Até quando vamos depender de fabricantes de fora? Precisamos desenvolver novos manpads, menores, mais leves e baratos, produzidos as dezenas de milhares, que nosso céus a baixa altitude se tornem um inferno para qualquer invasor. Cadê nossa produção local de drones espiões, furtivos e assassinos, de todos os tamanhos e autonomia, produzidos também aos milhares? etc etc Estratégia de guerrilha só se for super robusta. Se acordem generais, o tempo urge, NY Times, também está na onda de colocar nosso Brasil como grande ameaça mundial. O inimigo… Read more »

Teórico
Visitante
Teórico

Instalação estratégica ? Se eu fosse um grupo oponente os meus aviões bombardeiros não iriam atacar Itaipu. Jogaria umas bombas burras em uma dúzia de torres de transmissão (linhões) que trazem energia para São Paulo. Bem lá no meio do nada kkkk. Um apagão nacional. Pronto 7×1 !!Então para evitar o vexame é melhor matar o bebê no berço. Serviços de inteligência no países limítrofes etc. Uma pergunta: o EMFA já têm os mapas dos alvos estratégicos de países vizinhos para os nossos valentes AMXs ? Na Guerra do Yom Kippur, de 1973, Israel arrenbentou o Egito com a frota… Read more »

Antunes 1980
Visitante
Antunes 1980

Qual é o alcance do míssil portátil IGLA-S?

Bosco
Visitante
Bosco

5 km horizontal e 4 vertical.

Luiz
Visitante
Luiz

Espero, sinceramente, que um dia não precisemos utilizar todo esse “poderio” Vai ser um fiasco de dar dó.

Bardini
Visitante
Bardini

Mais um ano, mas um exercício enrolation em Formosa… E segue o baile.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Heinz Guderian
Mein Obst. O bom e velho Bofors de 40 mm. foi declarado inoperante contra vetores mais modernos. Isso após as batalhas das Malvinas/Falklands, quando a RNavy chegou a conclusão que nenhum disparo de AA de tubo conseguira atingir ou abater algum avião dos Argies. Acho que é uma arma que deve ser utilizada como artilharia secundária embarcada. Nossas modernas corvetas, ou micro fragatas (Meko 100) irão receber essa arma. Será o terror dos piratas ,contrabandistas/traficantes.
Abço.

Bosco
Visitante
Bosco

Luiz, Não tem nada de errado com o canhão 40L70 desde que seja municiado com projétil 3P e tenha um diretor de tiro radar/optrônico associado e coberto por um radar de vigilância. O problema é que o EB não tem tudo isso. E para a função AA clássica (contra aviões e helicópteros) os canhões são pesados e menos capazes que os mísseis portáteis. Não há nada que um 40L70 faça que um RBS-70 não possa fazer melhor, com vantagem para o míssil por pesar pronto para uso menos de 100 kg enquanto o canhão pesa 5 t. *O canhão com… Read more »

rdx
Visitante
rdx

Sem falar que peças rebocadas possuem baixa capacidade de sobrevivência no campo batalha moderno.

colombelli
Visitante
colombelli

Houve um harrier abatido por tudo em goose gren e tem fotos de um deles com uma cauda atingida

Colombelli
Visitante
Colombelli

Tubo digo. . Um oerlikon 35 mm que depois foi usado para fogo terrestre contra os británicos.

rdx
Visitante
rdx

Isso foi em 1982! Poucos anos depois, durante a guerra do Afeganistão, a CIA queria fornecer um sistema AA aos guerrilheiros afegãos. Ela ficou na dúvida entre o GDF e o Stinger. O GDF foi considerado pesado demais para ser deslocado no montanhoso Afeganistão. Ela forneceu o Stinger e todos conhecem o final da história: vários helicópteros Hind foram abatidos e a aviação soviética deixou de voar a baixa altitude.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Correto mas não infirma o fato que goose green tinha 4 peças oerlikon das 14 na ilha e um harrier foi pro brejo. O preço cobrado dos ingleses foi caro

rdx
Visitante
rdx

Eles atacaram a baixa altitude e com bombas burras um aeródromo bem protegido por AAA. A perda de 02 Harrier (os britânicos perderam um Sea Harrier antes da invasão) foi o preço. Curiosamente, os argentinos empregaram SAM sem sucesso na guerra das Malvinas. Salvo engano, eles usaram Blowpipe, Roland, Tigercat e SA-7 (doados pelo Peru). A explicação é muito simples…os SAM de baixa altitude desenvolvidos na década de 70 eram ruins. Eu não trocaria um GDF por um SAM naquela época. Mas como eu falei, isso aconteceu em 1982. Hoje, ninguém atacaria uma posição fortemente protegida com foguetes e bombas… Read more »

rdx
Visitante
rdx

PS. Os SAM argentinos tiveram algum sucesso na guerra. Eles derrubaram 02 Harrier (um abate para o Blowpipe e outro para o Roland)

Colombelli
Visitante
Colombelli

Um helicoptero britânico foi derrubado por um missis portatil em são carlos. Ataques a baixa altitude com bombas burras é o que se espera no cenario da AL salvo raras exceções.

Recce
Visitante
Recce

Os britânicos perderam dois Sea Harrier FRS.1 (um atingido por fogo antiaéreo durante ataque em 4 de maio em Goose Green e um por míssil Roland durante ataque em 1º de junho em Port Stanley) e três Harrier GR.3 RAF (um derrubado por míssil disparado do ombro em Port Howard em 21 de maio, um atingido por fogo antiaéreo em 27 de maio sobre Goose Green e um atingido por fogo disparado do solo perto de Port Stanley em 30 de maio).

Recce
Visitante
Recce

Um Pucará foi abatido em Goose Green por fogo de armas leves do 2 PARA.
comment image?itok=B7kq-m4r

nonato
Visitante
nonato

Offtopic:
Vi na Quatro Rodas uma matéria acerca de um novo “jipe” blindado da Iveco que o EB teria selecionado.
1,5 milhão a unidade.
Achei um absurdo…
Não lembro de ter visto matéria aqui a respeito.

rdx
Visitante
rdx

Pois é. Existem milhares de MRAP 4×4 e HMMWV blindados disponíveis no deserto dos EUA. Tudo grátis…e com fornecimento de peças de reposição garantido ad eternum….só não tem a grife Iveco.

Marujo
Visitante
Marujo

Mas sem a mesma capacidade de sobrevivência dos Ivecos.

rdx
Visitante
rdx

O LMV nunca foi um genuíno MRAP e se a intenção do EB é adquirir um veículo de esclarecimento e ligação, uma versão blindada do HMMWV está de bom tamanho. Aliás, ele é tão bom, que os britânicos colocaram seus 395 LMV (Panther) à venda.

Rafael Oliveira
Visitante
Rafael Oliveira

Saíram várias matérias no Forte sobre a concorrência vencida pelo pelo Iveco Lince.
Sua memória deve estar ruim.

Victor F.
Visitante
Victor F.

“Foi utilizado um sistema de controle e alerta composto pelo radar SABER M-60, capaz de localizar aviões, helicópteros e aeronaves remotamente pilotadas em alcance de até 60km”

Me desculpem se a pergunta não fizer o menor sentido, mas se o “alvo” for um caça, muito antes do radar detectar provavelmente já vai ter sido detectado e neutralizado. É isso?

Bardini
Visitante
Bardini

Depende do “caça”, do armamento disponível, do envelope da missão que está sendo voada… São muito fatores, não é super trunfo. . Mas no duro, a única defesa do Brasil contra “caças” propriamente ditos (e não um Super Tucano, que a FAB chama de “caça”), são as aeronaves da FAB e todos deveriam rezar ao menos um Pai Nosso todos os dias, por terem comprado o Gripen e o projeto estar andando. Todo o resto é alvo, e alvo que vai demandar muito saco preto pra guardar quem for operar esses equipamentos em um ambiente REAL de média ou alta… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

O SABER é utilizado para uma função específica, que não é ficar procurando caças mais modernos mas para vigiar o espaço aéreo de aviões de ataque semelhantes ao super tucanos, helicópteros, etc. Para os SU, F-15 e companhia, existe o avião de alerta antecipado e os radares fixos de alta potência.

Bosco
Visitante
Bosco

João, Eu respeitosamente discordo. Não há porque o SABER M60 não ser efetivo contra caças. Apesar de não ser informado o seu desempenho em relação ao RCS a lógica diz que pelo menos em relação aos caças de 4ª G ele seria efetivo para detecta-los nas distâncias referidas (60 km) . O problema maior que se apresenta é se o caça em questão vai atacar usando armas “burras” de curto alcance ou armas guiadas stand off. Se usar armas stand off ele fica fora de alcance de nossas armas AA e não temos armas anti PGM capazes de lidar com… Read more »

João Moro
Visitante
João Moro

Pelo que eu sei do SABER, ele é um radar que a sua vantagem maior é a sua mobilidade. Acredito que por causa disto sua capacidade (raio de detecção, capacidade de reconhecimento de aeronaves com capacidade stealth ) seja inferior. Mas precisaria me aprofundar mais para afirmar com certeza. Mas se ele realmente não tenha um teto de detecção alto, este radar já será de grande valia para detectar aviões e helicópteros a baixa altitude. Obrigado pelo contra-argumento, Bosco.

João Moro
Visitante
João Moro

“O Radar SABER M60 (Sistema de Acompanhamento de alvos aéreos Baseado em Emissão de Radiofrequência) é um radar de busca e vigilância em três dimensões desenvolvido para defesa antiaérea de baixa altura. Detecta alvos com teto de 5.000 metros de altura, e até 60 km no radar primário e 75km no radar secundário (IFF). Possui capacidade de processamento de 40 alvos simultaneos[2], e é capaz de classificar aeronaves em asa fixa e asa rotativa; para os casos de asa rotativa, é capaz ainda identificar o modelo da aeronave. O radar SABER M60 caracteriza-se pelo emprego de tecnologia moderna na época… Read more »

Bardini
Visitante
Bardini

“Se usar armas stand off ele fica fora de alcance de nossas armas AA e não temos armas anti PGM capazes de lidar com a munição guiada lançada”
.
Se a FAB furar, qualquer coisa voando acima de 20.000 pés pode fazer o que quiser por aqui, usando um Litening da vida e bombas guiadas.

Bosco
Visitante
Bosco

Victor,
Em regra a emissão do radar pode ser detectada pelo RWR muito antes desse radar detectar a ameaça (é dito ser pelo menos no dobro do alcance do radar) , então, em tese o que vc cogitou faz sentido. Só que para o radar ser neutralizado a grande distância o caça tem que ter os armamentos certos, que felizmente não são ainda generalizados em nosso teatro de operações.
Como “armamento certo” eu me refiro , por exemplo, ao mísseis antirradiação como o HARM , com 120/150 km de alcance.

Junior
Visitante
Junior
colombelli
Visitante
colombelli

Prezados, suguem criticas ao EB imputando-lhe negligência quanto à defesa AA. Isso resulta de uma avaliação superficial da questão. Há equivoco. A aparente secundarização da defesa AA resulta de varias premissas . Para compreender a adoção dos nossos meios AA é preciso primeiro ter como premissas a identificação do que se defende e contra quem se defende. O que se defende? Segundo estudo feito pelo PROTEGER existem 13000 pontos sensíveis no Brasil dos quais mais de 600 apresentam relevo estratégico e mais de 300 são críticos. Estão espalhados pelo país mas mais concentrados em regiões mais urbanizadas do sul, sudeste… Read more »

samuka
Visitante
samuka

bom comentário colombeli, é o que a maioria vem falando, se passou pela FAB, tem pouco que se possa fazer contra um adversário preparado, armas stand off etc…
aproveitando o gancho, saberia dizer em que situação operacional se encontram os nossos gepard? radares, disparos antiaéreos, tiros noturnos etc..
seria possível uma melhoria nisso que você propôs, englobando radares diretores de tiro para operação dos canhões anti-aéreos?

Colombelli
Visitante
Colombelli

Tem fotos na net do tiro noturno do gepard da bateria orgânica da 5 brigada. Estão.operando em plenas condições. Os oerlikon e bofors tem alguns fila e supefladermaus operando como diretores de tiro mas precisam de atualização.

Alexandre ziviani
Visitante
Alexandre ziviani

Collombelli,acredito que o EB precisa dar um upgrade nos oerlikon 35mm elevando para o padrão gdf 005 (até a África do sul que tem um orçamento menor que o nosso,modernizou os 35 mm deles),também os edt fila bem como a adoção do radar giraffe 1x,instalado no marrua para acompanhar os RBS70 NG para utilizar o máximo de seu potencial,e para finalizar,para média altura(considerando a pouca disponibilidade de recursos)a aquisição de algumas baterias de segunda mão tanto de saab Banse quanto de aspide/spada2000 italianos que serão substituídos por camm er.
Saudações

Colombelli
Visitante
Colombelli

A compra de usados de mais alcance é algo interessante se tiver bom preço e boa vida util. Misseis sào caros e tem vida util de algo em torno de 15 anos. Quanto ao oerlicon não dei se financeiramente valeria a pena. Seria questão de ver preço. O fila tem.potencial de modernização é não é uma facada. O que o pessoal.precisa entender porem é que as realidades de outros paises não nos servem de paradigma e não teremos nem recurso e nem necessidsde de gastar bilhões com misseis de medio alcance novos. O tamanho de um.pais é per se stante… Read more »

Ismael
Visitante
Ismael

Sou leigo no assunto mas tenho uma curiosidade, qual as chances de eficácia no caso de uma invasão por um caça moderno com bons radares de ultima geração, se um caça destes pode se defender de um outro caça ou míssil á quilômetros de distância então ele não poderia detectar estas baterias bem antes de entrar no campo de ação delas e assim destruí-las?

Farroupilha
Visitante
Farroupilha

Caro Ismael, Para vigiar os céus de um país se necessita de vários tipos de radares. As baterias de AAA, sejam de tubo, ou de mísseis, necessitam também de radares. E o sinal desses radares percorrem enormes distâncias, muito além da de seu uso para retorno de sinal. Vamos falar um pouco apenas do nosso radar brazuca SABER, seu alcance é de 60km. CONTUDO (e agora temos informação classificada por fabricantes de radar e seus utilizadores) seu sinal se estende por muito mais que 60km, apenas acontece que esses 60km é a distância útil até a qual acontece um bom… Read more »

Eli
Visitante
Eli

Tem que levar em conta a soberania nacional e a autoridade das forças armadas. Se um avião invasor não respeita a ordem e nem o tiro de advertência então deve ser abatido assim como veículos que não param em barreiras policiais.

MARCOS DA SILVA QUEIROZ RIBEIRO
Visitante

Se for acima de 6km …….pode vir tranquilo…..kkkkkk.

carvalho2008
Visitante
carvalho2008

Existe um equipamento Iraniano que tenho muita curiosidade de conhecer o desempenho real e pratico do Sa’eer automatic 100mm anti-aircraft gun.

Uma atualização de antiguissimos KS19 . Pesam 11 ton, mas tem um alcance entre 20km a 40km e uma altitude de 15 km, com 15 a 20 rodadas por minuto.

Alocaram um remuniciador automatico, radar e sensores eletro opticos, podendo ser usado tanto contra aviões de alta e media altitude quanto, contra obuses e navios.

Parece ser intrigante como funcionará em sistemas de defesa em camadas.