Home Adestramento VÍDEO: Demonstração de Ataque Coordenado de Força-tarefa Blindada

VÍDEO: Demonstração de Ataque Coordenado de Força-tarefa Blindada

8675
138

Vídeo divulgado pelo Comando Militar do Sul do Exército Brasileiro com uma Demonstração de Ataque Coordenado de Força-tarefa Blindada.

A demonstração foi feita para os alunos da EsAO – Escola de Aperfeiçoamento de Oficiais.

O exercício tático contou com carros de combate Leopard Leopard 1A5, M113 e Gepard e aviões de ataque A-1 da Força Aérea Brasileira.

138
Deixe um comentário

avatar
36 Comment threads
102 Thread replies
0 Followers
 
Most reacted comment
Hottest comment thread
56 Comment authors
Plinio JrR_cordeiroJoao Moita JrRENANCamargoer Recent comment authors
  Subscribe  
newest oldest most voted
Notify of
colombelli
Visitante
colombelli

vibrei. é o meu batalhão. No começo se pode ver o pelotão de exploração com o marrua. Obviamente para efeitos de demonstração ele estava logo adiante da FT. Na realidade opera bem a frente. Reportou a posição AC que teve uma brecha aberta pela engenharia. Antes de o blindado passar é feita a sondagem de minas. A FT passa na brecha flanqueia e ultrapassa as posições adversárias e as ataca por atras. Observem que, como eu disse a alguns dias tentando mostrar pra um sujeito como a coisa funciona, os cascaveis na defensiva atuam em espaldões. A rigor eles iriam… Read more »

Alexandre ziviani
Visitante
Alexandre ziviani

Muito bom!apenas acredito que pode pôr uma camuflagem barracuda da dávamos Leos,bem como a substituição do marrua por um veículo mais blindado,como o Humvee,e talvez uns MRAP para operações em ambiente de combate assimétrico,e melhorias na camuflagem dos cascavel.

Alexandre ziviani
Visitante
Alexandre ziviani

Errata:*”dávamos” é na verdade da Saab
Esse teclado de smartphone é um p@#%.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Humvee não meu caro Alexandre.
Ou vamos de LMV para toda tropa.
Ou LMV para Forças de Recon, e especiais e Gladiador II, Guará 4WS para as demais.

Alexandre ziviani
Visitante
Alexandre ziviani

Sim meu caro foxtrot! a escolha dos blindados já foi feitas,mas estou fazendo uma análise hipotética na falta de recursos do EB,que justifique uma mudança de fornecedores levando em conta os parcos recursos destinados às forças,e convenhamos que alguém acredita que o EB irá pagar R$ 1,6 milhão por cada LMV sendo necessário170 unidades?.
Abs

Colombelli
Visitante
Colombelli

Correto Alexandre. Faltara o $$$. So nas unidades blindadas seria no minimo 72 unidades do LMV. Se for por na cavalaria mec são mais 680. Custa metade do preço de um guarani. Se este ja está quase parando o programa magine por blindados leves no reconhecimento.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Na hora em que houver necessidade de emprego de munição real (vindo do lado contrário) vão aparecer os LMV.
Foi assim no RJ.

nonato
Visitante
nonato

Esse preço é um absurdo.
Por que não pegar uma picape comum e colocar alguma blindagem?
O estado islâmico usava Hilux.
Poderiam pegar a mais barata, tipo frontier, colocar algumas blindagens, subir a suspensão…
Sairia bem mais barato

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Tem que $atisfazer os requisitos técnicos dos generai$ e politico$ nacionais caro Nonato.
Pergunta a Avibras quanto custará um Guará 4WS.
A Inbra blindados o preço do Gladiador II.
A Agrale que tem o Marruá cabine dupla e blindado (semelhante a sua sugestão) o valor do mesmo.
Mas nossas “poderosas” FAA,s precisam de equipamentos importados com preço$$$ “em consonância com o mercado “.

Flanker
Visitante
Flanker

Kkkkkkkkkkkkk…..só tu mesmo, Nonato!

Camargoer
Visitante

Olá Nonato. Pelo que entendi, o ISIS usava Hilux e perdeu a guerra.

Salim
Visitante
Salim

Faltou o helicóptero de ataque e o A29, pois os A1 sozinhos náo daria cobertura efetiva na evolução, também senti Falta de maior apoio infantaria mecanizada. Sera que o exercício e mais tático e fica mais seguro nao expor a infantaria a um acidente. Acima do A1 também teria o F5 para cobertura aérea. Ficou muito bacana o filme mostrando claramente a evolução tática no terreno.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Ideia era so o assalto do ataque blindado. Por isso foi limitado. Nem sempre a FAB interfere em objetivos taticos como este. Isso e excecão. Ali a regra será as pecas de morteiro das OM (81 e 12)0, a artilharia da brigada e eventualmente a divisionaria (mais voltada a objetivos mais profundos).

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Os AMX estavam simulando um atacante inimigo ?

Colombelli
Visitante
Colombelli

Positivo. Pra treinar o gepard

Vovozao
Visitante
Vovozao

20/08/19 – terça-feira, bdia, somente como uma pessoa com conhecimento restrito: como é uma ”operacao conjunta” não seria também necessário o uso de helicópteros de ataque???

Colombelli
Visitante
Colombelli

Depende do cenario considerado. Uma frente bem defendida poderia ter concentraçâo de meio AA não recomendando uso deles. No caso de um treinamento os unicos helicopteros de ataque que temos estão em RO. Muito gasto trazer

Vovozao
Visitante
Vovozao

Obrigado.

Augusto L
Visitante
Augusto L

O ideia mesmo, era substituir os Marrua por um IFV ou uma combinação IFV+CC, é assim que é na OTAN, pelo menos nas unidades blindadas deles, sem bem que alguns países já estão fundido as brigadas blindadas com as mecanizadas, formando o que chamam STRIKE brigades.

Antonio Palhares
Visitante
Antonio Palhares

Colombelli.
Parabens pelo entusismo e vibração pela sua unidade.

Cinturão de Orion
Visitante
Cinturão de Orion

Amigo Colombelli.

Santa Maria, minha cidade natal. Excelentes lembrança da passagem pelo 29 BIB. Na época, o Boi Morto era literalmente só campo, e o 7o ainda tava na Borges.

Faz tempo.

Flanker
Visitante
Flanker

Bah, faz tempo mesmo. Hoje, na Borges está o Comando da 6a Brigada, a 3a CiaCom, a PE e outras unidades vinculadas ao funcionamento do Comando da Brigada. O 7⁰ BIB foi transferido para Santa Cruz do Sul, mais ou menos na mesma época em que o 1⁰ RCC veio do RJ pra cá pra Santa Maria. Lá no bairro Boi Morto, hoje temos o 29⁰ BIB, o 4⁰ Blog, o 1⁰ RCC, o CIBld, o 6⁰ EsqCMec, o Campo de Instrução de SM, o Centro de Simulação Sul. As novas instalações da 6a Bia AAé estão sendo construídas junto… Read more »

FERNANDO
Visitante
FERNANDO

Uau, este tipo de treinamento deveria ser realizado mais vezes.

Luiz Floriano Alves
Visitante

Boa demostração do que podemos quando os meios são disponibilizados. A velocidade da progressão é impressionante. Realmente a artilharia móvel poderia compor essa manobra com maior brilho. Bom que os Foristas vejam o que temos no Sul. Fronteiras extensas e soldados de aço.

Carvalho
Visitante
Carvalho

A velocidade do filme foi acelerada para transmitir a sensação de movimento.

Heinz Guderian
Visitante
Heinz Guderian

Que coisa linda de se vê, apesar dos meios não serem os mais modernos temos uma tropa blindada bem treinada e isso no final faz diferença. Uma pergunta o cascavel tem um papel agora de “Caça tanque”? Ele n deveria ir na frente como carro de reconhecimento? É apenas uma curiosidade. Abç.

Fernando “Nunão” De Martini
Visitante
Fernando “Nunão” De Martini

Pelo que entendi as viaturas Cascavel fizeram parte da força inimiga, na defensiva.

Heinz Guderian
Visitante
Heinz Guderian

Obrigado por responder.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Prezado
Na defesiva este é exatamente o papel do cascavel. Serbir de forca de cobertura e executar acão retardadora enquanto posições são.preparadas (sumarias fortificadas ou artilhadas conforme o tempo de preparação). O cascavel atua como no video na defensiva, vale dizer sucessivos espaldões de onde realuza alguns disparos e retrai junto vom as demais seções do pel c mec. A seção de exploradores e mais movel e vai usando coberturas do terreno sempre em movimento.
Na ofensiva é que ele irá a frente reconhecendo, explorando e reportando, logo atras das duas patrulhas de exploradores.

Heinz Guderian
Visitante
Heinz Guderian

Obrigado por responder.

MFB
Visitante
MFB

Não passam de belos e caros alvos móveis, ultrapassados, diga-se de passagem
Enquanto não tivermos poder aéreo e AA, isso aí é uma piada.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Qualquer cc é vulneravel a misseis modernos. Por outro lado atingir carros moveis vom armas burras que são ainda regra na AL é extremamebte dificil. Este metodo de ataque é universal

Defensor da liberdade
Visitante
Defensor da liberdade

Sinto cheiro de ferrugem daqui…. Bem poderiam ser uns Leos 2a6 e uns CV90s com torres de 40 mm, com cobertura aérea de uns T-129, mas aí seria sonhar demais.

Gabriel
Visitante
Gabriel

Sinto cheiro de jogador de vídeo game aqui…

Jhon
Visitante
Jhon

Esse exercício no campo de Saican em Rosário do sul RS?

Colombelli
Visitante
Colombelli

Provavelmente. Ou no CICA, menos provavel. Cism nao é com certeza.

Antonio
Visitante
Antonio

Santa Maria, mesmo!

Cinturão de Orion
Visitante
Cinturão de Orion

Acho que é no CISM (Coxilha do Jacaré).

PauloOsk
Visitante
PauloOsk

A camuflagem do black hawk parece que funciona muito bem.

João Moro
Visitante
João Moro

Também acho. Foi difícil achá-lo nas imagens.

Flanker
Visitante
Flanker

Pois é…..e muitos criticam essa camuflagem da FAB!

Recce
Visitante
Recce

Sempre é bom ver a tropa indo a campo para se adestrar. Porém o M-113 é muito limitado para operar da maneira que o EB o utiliza. Assim como o Exército Brasileiro, o Exército Australiano ainda emprega os M113 nos seus batalhões de infantaria blindada (chamada lá de “mechanized infantry”). Um dos pontos observados pelos australianos é que o M113 carece de poder de fogo e blindagem que permita acompanhar os carros de combate M1A1 até o objetivo, tendo que desembarcar os fuzileiros a uma distância maior, o que os exporia por mais tempo aos fogos do inimigo (diretos e… Read more »

Eduardo Jardim
Visitante
Eduardo Jardim

Boa noite foristas.

Colombelli e Agnelo.

Em outro posto foi dito que a a infantaria do Exército é um elemento de manobra.

O que é a manobra e quais são os princípios básicos da mesma?

Quantos tipos de manobra existem?

O assalto anfíbio é uma manobra?

Quais são as diferenças de doutrina entre um elemento de manobra e a infantaria da Força Aérea?Pelo que, segundo entendi, é um elemento de guarda.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Manobra é a condicão de toda força capaz de por seu poder de interferência no combate em movimento. A cavalaria e a infantaria são as armas de manobra por excelência ( armas base).enquanto que as comunicações, a artilharia e a engenharia são armas de apoio. Mas todas interferem na manobra. No proprio EB ha unidades de guarda. Os BPE e os RCG e as cias de guardas que não realuzam manobra em regra apenas provendo segurança a instalações e PC. A manobra pode ser ofensiva ou defensiva. Exemplos da primeira temos no ataque coordenado, ataque aeromovel, conquista de cabecas de… Read more »

Adriano Luchiari
Visitante
Adriano Luchiari

Prezado Colombelli, qual é a porcentagem de conscritos nas armas de manobra? Pergunto porque fico imaginando se, após um exercício como este, a experiência adquirida se perde após a baixa dos mesmos, sendo necessário sucessivos treinamentos a cada nova turma de conscritos… Essas armas, por excelência, não deveriam ser compostas estritamente por profissionais como no CFN, cabendo aos conscritos atuarem apenas nas armas de apoio? Antecipadamente grato, abraço.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Em 1995 1997 o bib incorporava uns 250 a 280 pouco mais ou pouco menos, de 700 homens. No Bib tem.muito cabo e nb por causa dos blindados. Hoje são 4 cias. Deve ser faixa de uns 350 ev. Uns 20 ou 30 se tornam.nb ( nucleo base)

Agnelo
Visitante
Agnelo

Depende da OM.
Tem unidade com uma proporção maior de Efetivo Profissional.
E nas Cia q tem recrutas, tem efetivo profissional também.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Complementando as unidades de pronto emprego das GU da forca de ação estrategica (5, 23, pqdt e 12 brigadas) tem mais proporção de NB e incorporam menos recrutas. Os RCC também porque tem menos soldados.

Bosco
Visitante
Bosco

Colombelli,
Muito bom!!

João Adaime
Visitante
João Adaime

Prezado Colombelli.
Qual o equipamento mínimo para ser considerado “reconhecimento em força”?

Agnelo
Visitante
Agnelo

Não há equipamento minimo.
É empregada força necessária pro Inimigo empregar suas armas de apoio e “revelar” seu dispositivo. Então depende do tipo de inimigo, terreno etc.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Joao complementando o Agnelo o recohecimento em força é uma modalidade de reconhecimento e não um aprestamento especial. Pode ser feito com qualquer equipamento e desde de que se adeque àf orça opositora. O que caracteriza o reconecimento em força é que ele é agressivo. Não se limita a observar e reportar. Ele ataca o adversario pra provocar e medir suas defesas podendo eventualmente aproveitar êxitos localizados. Claro que se voce esta diante de um adversario blindado dificilmente ele va se revelar e engajar uma simples forca a pe ou com viaturas leves nào blindadas. Então as vezes voce tem… Read more »

João Adaime
Visitante
João Adaime

Obrigado ao Agnelo e ao Colombelli
Aproveito para repassar a vocês a pergunta que meu sobrinho me fez ontem:
Uma vez retirado o pino de uma granada de mão, é possível recolocá-lo? Claro que antes de jogá-la.
Abraço

Colombelli
Visitante
Colombelli

Sim é possivel. So não da quando salta uma peça chamada capacete e é acionado o fulminato de mercurio. Ele queima por volta de 3.2 e 4 segundo a ai aciona a carga. O capacete e aquela haste de metal que fica na lateral.

João Adaime
Visitante
João Adaime

Mais uma vez obrigado.
Abraço

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Não entendo muito de doutrina blindada, mas prender galhos em veículos blindados no T.O moderno onde há grande disseminação de sensores IR, radares, satélites Ópticos, SAR etc não seria inútil ?

Colombelli
Visitante
Colombelli

Nem todos tem acesso a estas tecnologias. Os que tem não a tem em toda parte. O movimento constante limita sua eficacia. E o maior risco ao blindado ainda é o olho do adversario.

Bosco
Visitante
Bosco

Uma proteção mesmo que precária é melhor do que nenhuma. A imagem térmica pode ser alterada se utilizar esse tipo de proteção e pode, por exemplo, influenciar no trancamento de um míssil como o Javelin ou o Maverick D.
Não à toa os americanos ainda mantém o TOW guiado por comando na sua linha de frente apesar de terem o Javelin.

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Discordo caro Bosco.
Contra o TOW pode até ser mas contra o Javelin não mudará nada essa folhagem sobre os veículos.
O que interfere no IR na verdade é fumaça, mas folhas não.
As mesmas podem interferir em um intensificador de luz residual, que é diferente do IR.
Mas obrigado pelos esclarecimentos.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Pra acionar o javelin ou outro meio a tropa tem que ver o blindado primeiro. Em um ataque com attilharia tu não ouve o motor e se não vè o blindado não ira visa-lo com o termal. Outrossim ha muitas armas ac menos sofisticadas na tropa não especializada como o AT4. E ai faz diferenca a silhueta

Foxtrot
Visitante
Foxtrot

Caro Colombelli como disse hoje o T.O moderno é dominado por N,s tecnologias para colheita de informações no campo de batalha, mesmo para países com poucas verbas. Tecnologias como os drones por exemplo, que possuem câmeras IR,CCD HD etc. Essas informações são repassadas ao soldado em campo que opera o tiro. Concordo que o melhor sensor e a melhor arma são os sentidos do soldado e sua mente, mas quando os mesmos são ampliados isso se torna letal. Então de nada adianta folhas em veículos que emitem calor de seus motores, assinatura magnética de seu casco ou barulho de seu… Read more »

Colombelli
Visitante
Colombelli

Estes tipos de sensores ainda são raros e caros. Especialmenre na AL. A maioria da tropa ainda usa um simples binoculo. As folhas reduzem.o calor absorvido que se soma ao do motor. Outrossim as camuflagens artificiais que são relativamenre caras apenas atenuam mas não eliminam calor e assinatura magnetica. O custo beneficio financeiro so se justifica pra quem não sofre tanto com penuria de valores. O barulho sempre havera. Neste caso ha formas de gerar cobertura. Por fim as camuflagens artificiais não conseguem ser polivalentes. Sempre é preciso complementar com vegetação local que inclusive muda muito cor com a época… Read more »

Flanker
Visitante
Flanker

Pergunta para os militares, que tão com o rabo deles na reta, operando esses blindados, se eles preferem ir para o combate com esses galhos e folhas, ou sem! Como O Bosco disse, é melhor do que nada!
É óbvio que Sensores IR, eleteo-oticos, radares, etc podem detectar esses veículos….mas, esses galhos atrapalham? Não! Ajudam? Sim!

Kommander
Visitante
Kommander

Bom vídeo! Até que enfim fizeram uma filmagem séria “profissional”. Só senti falta do Guarani aí.
Uma pergunta: é com esse equipamento individual que os soldados vão pra guerra? Porque nunca vejo eles completamente equipados.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Nao, vai mais coisa. O assalto é feito com fardo abrrto que é o cinto suspensorio ou colete. Ainda com a tropa vai o fardo de combate que é a mochila e o fardo de bagagem que é o saco VO. Normalmente isso vai em cima e dentro do blindado mais um cunhete de 1000 tiros 7,62mm e 800 tiros de .50 em dois ou três chunhetes de madeira. Dentro vira uma lata de sardinha.

Ironcop
Visitante

Sensacional, o exercício em si e a edição de vídeo, gostei da trilha sonora transformers ao fundo

Bardini
Visitante
Bardini

Isso aí faria sucesso na década de 80…

Carvalho
Visitante
Carvalho

Equipamento anos 80
Hipótese de emprego anos 60

Bardini
Visitante
Bardini

Mas tem iludido que vê o videozinho e acha que isso aí é grandes coisa.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Sem contar que rasparam o tacho para juntar meio esqd do 1o RCC

Fernando
Visitante
Fernando

Se qualquer outro país do hemisfério norte fizesse exatamente a mesma coisa você provavelmente diria que é a melhor estratégia do mundo.

Bardini
Visitante
Bardini

Claro. É a minha função aqui. Sou pago pelos globalistas malvados para falar bem do Norte e denegrir a imagem do Sul, instalando ainda mais o “complexo vira-latas”.
.
Acorda pra vida, iludido.

RENAN
Visitante
RENAN

Bardini
Eu sempre suspeitei de você, sabia que era está a sua função
Kkkkkkkk

Gabriel
Visitante
Gabriel

Por favor “expecialista”, descreve para os meros mortais como é feito um ataque coordenado com uma força bld nos dias atuais.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Prezado
Vão baixar o manual e vão descrever em linha gerais achando q entendem o q está escrito…

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Entre isso e nada… pelo menos temos capacidade de treinar para nos defender de algum país da AL.

Patriota
Visitante
Patriota

Muito Bom! Se pudessem acrescentar Helicópteros e drones da FAB e uma Vtr Blindada aos exploradores ficaria melhor ainda! Parabéns pelo vídeo!

rdx
Visitante
rdx

Minha opinião: Marruá de esclarecimento é simplesmente ridículo. É apenas um alvo fácil….para IED/minas, atiradores de elite, patrulhas de emboscada e veículos de esclarecimento inimigos (armados com simples metralhadoras a canhões 23 mm). Existem excelentes substitutos no mercado… e no deserto dos EUA. Antes que alguém cite o Iveco LMV, primeiro é necessário avaliar se ele bom para missões de esclarecimento. Por que ninguém viu blindados 6×6 em deslocamento? tática, mobilidade limitada em terreno off-road ou tática adotada em função dessa limitação? Uma coisa é certa: nenhum veículo sobre rodas opera naquele terreno após uma chuva. Até um blindado 8×8… Read more »

Carvalho
Visitante
Carvalho

Os 6×6 não aparecem pq o exercício simula uma ação de ataque blindado em frente limitada.
Em ação real certamente eles estariam compondo os flancos ou na reserva para explorar alguma brecha.
No geral, os 6×6 operam sobre eixos (na estrada). Vale tanto para o Urutu e Cascavel.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Estas correto quanto ao veiculo sobre rodas. Tem lugares que não vai. Ate a lagarta fica. Ja vi precisar 3 M113 pra desatolar um. Nada impede que um ataque tenha forças mecanizadas mas a FT sera sempre blindada em regra. Ou seja so lagarta. Quanto ao M113 engana-se. Quando se tem que fazer um avanço de 600 ou 1000 metros com lanços de 3 segundos e 8 ou 10 metros cada e com 15 kg de equiipamento ou mais voce descobre a importancia de ter qualquer coisa com motor pra te levar o mais perto.possivel do assalto. Se chega na… Read more »

rdx
Visitante
rdx

O EB precisa com urgência de um genuíno VCI para acompanhar o Leopard.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Seria o ideal mas $$$$$. Nem.o guarani vai chegar ao fim do programa. Tem muita coisa concorrendo junto. Por hora sera isso ai mesmo. No nosso cenario cumpre missão. Ha inclusive plano de modernizar os demais M113 que restam

Carvalho
Visitante
Carvalho

Sim. Precisa.
A última diretriz para a formação das forças blds fala no desenvolvimento de uma plataforma comum para o CC e VCI.
O M113 já não dá mais conta, há muito tempo. Mesmo países que ainda possuem no seu invetário usam apenas em funções secundárias.
As modernizações que ocorreram no Brasil tratam apenas da parte mecânica.
O único incremento em capacidade de combate foi a compra de visores IF para os motoristas dos M113 dos BIB, para poderem operar à noite.
Ainda é muito pouco

Carlos Campos
Visitante
Carlos Campos

Isso mesmo tem que treinar para não passar vergonha igual os Turcos e o Sauditas que tamques modernos mas são facilmente abatidos, Leopard 2 e M1 virando ferro fumegante.

Bosco
Visitante
Bosco

A mídia ocidental faz questão de mostrar falhas nos que estão do lado do … Ocidente. Não se deixe levar por essas desinformações. Elas geralmente são histriônicas, parciais e não mostram a realidade.

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

Mas a AS tá la ha um tempão batendo cabeça, patinando, então tem um fundo de verdade.

OSEIAS
Visitante
OSEIAS

show de bola, é isso que queremos, ver a coisa acontecendo. Parabéns a todos

Alfredo RCS
Visitante
Alfredo RCS

Muito bacana! Aprendizado para saber o que fazer quando necessario!

Cristiano Salles (Taubaté-SP)
Visitante
Cristiano Salles (Taubaté-SP)

Muito bom…, sem dinheiro para novos investimentos, más a tropa está em treinamento…, operacionalidade tem que ter sempre, senão desmotiva a tropa…

Aldo Ghisolfi
Visitante

Bom dia…
Grande movimentação, bonita de se ver…
Mas, nossos blindados ficaram estrangulados numa passagenzinha estreita e, se o inimigo inventasse de se defender?
Vi, com muita facilidade, as nossas garças todas derrubadas…

Carvalho
Visitante
Carvalho

Embora eu não ache muito plausível, esta ação parte do princípio de se explorar uma brecha, um ponto mais vulnerável onde a fração blindada penetre em massa.

O pressuposto é a existência de uma frente estabilizada, que necessite ser rompida

Colombelli
Visitante
Colombelli

Estes casos ai Aldo é quando tem defesa com obstaculos AC como os fossos israelenses em Golan no Yom kippur. Tem obstaculos e minas e a engenharia so pode abrir uma brecha. Observa que tem umas madeiras e cavalos de frisa representando obstaculosmais efetivos. . Nem sempre é assim. Maioria das vezes a defesa é “sumaria” ou levemente fortificada ai o ataque é em linha. Quando participei era este segundo caso. Muito bonito de ver.. vai tudo em linha em alta velocidade. Pra ter sucesso em caso de brechas tu faz um ataque diversionario em.outro ponto e tira atencão dali.… Read more »

Agnelo
Visitante
Agnelo

Prezado
Isso ocorre em qq parte de uma frente defendida. Não há obstáculo q não seja batido por fogos, se não, não é obstáculo.
Essa abertura é muito difícil e é executada sob MUITO apoio de fogo e engajamento pelas frações de Inf e Cav, pra Eng poder trabalhar.
Infelizmente, não tem como abrir muitas brechas, pois não há meios de eng disponíveis para tanto. Basta lembrar q o preço de um Pel Eng Cmb Bld é o valor quase de um RCC de VBCCC.
É isso mesmo… guerra não é fácil.
Sds

Marcos
Visitante
Marcos

Nossas forças armadas, pelas migalhas que recebem para manter o aparato, são as melhores do mundo. show .

ANTONIELLE JULIO
Visitante
ANTONIELLE JULIO

Bem sonhando…são fracas e sem experiência.

SmokingSnake 🐍
Visitante
SmokingSnake 🐍

Esse tank não serve para atirar em movimento, olha como o canhão dele sobe e desce a cada buraco que o tank passa. O do M1 Abrams fica estável no mesmo lugar

https://www.youtube.com/watch?v=MuTAy4Pyyzk

Bardini
Visitante
Bardini

Eles estão treinando com o sistema de estabilização desligado. Se ligar, além de queimar vida útil, pode dar pau…

Rafael G Oliveira
Visitante
Rafael G Oliveira

Como seria uma manobra dessa frente a um campo minado grande? Cabe aos exploradores tb essa análise ou um reconhecimento de engenharia de combate?

Bardini
Visitante
Bardini

“Como seria uma manobra dessa frente a um campo minado grande?” . Um campo do mundo real tu quer dizer? . Um inferno e entre os campos certamente existiriam fossos para deter avanço da força blindada e roubar tempo, atrapalhando a engenheira e entregando um baita alvo para a artilharia inimiga fazer o bambu roncar. . NINGUÉM vai fazer o que aconteceu naquele vídeo ali, onde a força encostou na ponte. Chegar perto daquilo ali, é entrar no alcance da artilharia inimiga. . Primeiro de tudo, teriam que dar um jeito de se livrar da artilharia inimiga. O EB tem… Read more »

Rafael G Oliveira
Visitante
Rafael G Oliveira

Obrigado pela resposta Sr Bardini

Agnelo
Visitante
Agnelo

Rafael Boa noite Depende da frente onde estiver esse obstáculo. Pode estar em uma frente “secundária”, principal ou de pouca importância. Normalmente, se evitará o engajamento em uma frente bem defendida. Um ataque decisivo ocorre após varias ações de inteligência, reconhecimento em força e pesado Apoio de Fogo. Frações de exploradores, principalmente não blindados, estão acabando, mas ainda são utilizados em Seg Retaguarda, vigilância (ação defensiva em uma frente com baixíssima probabilidade de atuação inimiga) e Rec em vias onde ainda não há ctt com o inimigo. Blindados na Defensiva são utilizados em escaldões. O Bld fica escondido na retaguarda,… Read more »

Colombelli
Visitante
Colombelli

O reconhecimento é bem anterior. Podera vir de FE ou comandos. Patrulhas da propria forca atacante e outros meios (aereo, prisioneiros etc…). Eu ja fui destacado numa patrulha a pe destas na margem.leste do rio Santa Maria junto com o sgt menezes, o sd hartmann e os então soldados e hj sgt vargas e arendt. Fomos e voltamos no mesmo dia. Se fosse real teria durado dois ou tres dias. Teriamos itinerarios e objetivos “pagos” pelo comando pra reconhecer. Outras patrulhas tambem.foram designadas. Tudo partindo da z reu a 10 km e como preparação ao ataque. Se tem suspeita de… Read more »

Tomcat4.0
Visitante
Tomcat4.0

Parabéns ao EB, mantendo a “doutrina de emprego” do equipamento que tem e fazendo bonito, ainda é melhor que ter Leo 2A7+ e nem sair do lugar pra treinar e dominar o veículo .

Space Jockey
Visitante
Space Jockey

As imagens todas estão aceleradas, tirando isso ótimo video.

LUIZ CARLOS - PARA DE MINAS - MG
Visitante
LUIZ CARLOS - PARA DE MINAS - MG

BLITZKRIEG ! AÇO! BRASIL !

LUIZ CARLOS - PARA DE MINAS - MG
Visitante
LUIZ CARLOS - PARA DE MINAS - MG

A cobra vai fumar.

Antonio josé
Visitante
Antonio josé

https://youtu.be/sm7uYgGPau8
mais um vídeo de Operações do EB

Luiz Floriano Alves
Visitante

Esta cena me reporta ao grande combate de blindados de Kursk. As colunas da Alemanha bateram de frente com extensos campos minados e cobertos por centenas de embasamentos de artilharia AT. 3800 minas AT, por quilometro de frente. O desgaste foi muito grande antes do choque entre os blindados. Dai a grande importância do esclarecimento e da engenharia de combate na missão de demarcar os caminhos e remover obstáculos. Na guerra de hoje a artilharia AT é substituída, em parte, pelos misseis ATGM, dentro das possibilidades da logística e da economia dos combatentes. Míssil é muito caro,para nós, ainda mais… Read more »

rdx
Visitante
rdx

ATGM só é caro para o EB. Qualquer exército sério (a maioria infinitamente mais pobre que o nosso) possui uma consolidada doutrina nesse campo desde a década de 80. Aliás, a guerra civil síria provou que ele é uma das principais armas do campo de batalha moderno. Definitivamente, o EB precisa ser estudado.

Agnelo
Visitante
Agnelo

Prezado
Em qual Bld inimigo vc acha q devemos atirar?
É caro pra cassete comprar e manter isso.
Temos doutrina e simuladores.
A tropa com mais probabilidade de utilizar tem seu míssel lá.
E temos como adquirir MUITO rapidamente, caso uma provável ação comece a surgir no Horizonte.
Só pra vc ter uma ideia, transportar de forma segura a Mun do Gepard custou mais de 20x o valor da Mun. E mísseis? Tem ideia?
A MB, por exemplo, não tem facilidade em adquirir mísseis (seja qual for), então tem empaiolado. IDEM FAB.
Nao pense q não há planejamento. Há muito. Até demais….
Vcs sabem? Não. Nem é pra saber.

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

Que mísseis AC possuímos? Em quais OMs?

Colombelli
Visitante
Colombelli

Cfm e pqdt. Bill e o milan e erix. So não sei se estào vâlidos. E tem o lote piloto do mss

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

Pouco então. Pelo que me lembro cada OM de infantaria deveria ter pelo menos 4 unidades lançadoras de MAC.

Isso junto com a falta de MA Ae Ptt nas OM ao meu ver é uma falha grave.

O EB poderia realizar um reequipamento pontual, priorizando as OM da FAR Estratégica e da FAR Regional.

rdx
Visitante
rdx

Na prática, o EB não possui mísseis AC. No papel existem alguns Eryx e Milan adquiridos 02 décadas atrás e o lote piloto do MSS 1.2 AC. Com exceção dos poucos oficiais envolvidos no desenvolvimento do MSS 1.2AC, nenhum militar do EB possui experiência no emprego de mísseis AC… Provavelmente a pequena experiência adquirida principalmente com o Milan (existe um manual de 1998) foi perdida.

GFC_RJ
Visitante
GFC_RJ

Sim, mas aí não é treinamento de doutrina de combate, mas um ensaio logístico.

BTW, se o pessoal reclamou de treinamento dos anos 80, o que dirá desta infra-estrutura logística do século XIX!!! Min. Tarcísio, meu querido! Contamos contigo pra fazer o Brasil chegar finalmente ao século XX!

ANTONIELLE JULIO
Visitante
ANTONIELLE JULIO

Será que na hora do vamos ver, com uma força conjunta que seguramente será maior que a nossa, faremos frente para defender, num mero exemplo, a Amazônia? Nosso exército NUNCA esteve efetivamente numa guerra e não venham conclamar a força expedicionária na segunda guerra, porque simplesmente não foi uma participação efetiva. Chegamos no fim, sem treinamento, sem armamento, sem casaco e viramos recrutas dos americanos. Pois bem, senhores me digam na boa, sem querer ofender ninguém….num caso de guerra real, casca grossa, com uma força invasora, digamos europeia, temos como fazer frente? Dá pra por os caras no lugar deles?… Read more »

Alfa BR
Visitante
Alfa BR

“um caso de guerra real, casca grossa, com uma força invasora, digamos europeia, temos como fazer frente?”

Eles não tem capacidade para sozinhos realizam isso.

ANTONIELLE JULIO
Visitante
ANTONIELLE JULIO

Não diga isso não meu amigo…… aí é complicado subestimar toda a história deste continente antiquíssimo

Carvalho
Visitante
Carvalho

Nossa participação na 2 GM foi efetiva, dentro do contexto da frente do IV Corpo de Exército.
Quando a frente parou, nós paramos. Quando a frente avançou, a FEB avançou, dentro da frente delimitada de atuação. Nunca a FEB comprometeu o esforço do V Exército.
A falta de treinamento, equipamento e, principalmente, experiência de combate, cobraram seu preço nas fases iniciais, mas na ofensiva de primavera a FEB teve uma atuação bem compatível com a atuação das divisões americanas na mesma frente.
Lembrando que ingleses, franceses e americanos sofreram nos primeiros anos da guerra, até a formarem tropas experimentadas e confiantes.
Saudações

ANTONIELLE JULIO
Visitante
ANTONIELLE JULIO

Carvalho….me desculpe mas não foi. Foi uma participação fraca, forçada e totalmente aquém do que outras forças, até menores, como a Canadense para citar só um pequenino exemplo. Nosso exército é fraquíssimo.
Os Americanos, depois de Pearl Harbor simplesmente tomou a frente e conjuntamente com os aliados e russos, destruiu a máquina alemã. Isso é força meu amigo. Nós somos fraquíssimos, por favor não se iluda. É bobagem querer se iludir.

Carvalho
Visitante
Carvalho

É que acho que estamos falando de coisas diferentes…
O IV corpo de exército tinha aprox. 10 divisões. A FEB era apenas 1 divisão
Concordo que foi uma contribuição muito pequena, em uma frente secundária, e na qual tivemos missões apenas acessórias.
Mas fomos efetivos nos 20 km de frente que nos foram designados.
Consegue perceber meu argumento?
Os adjetivos precisam ser bem empregados.
Na pequena frente em que atuamos, a FEB atuou de forma efetiva na ofensiva da primavera.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Olha o documentario “Navalha: um batalhão brasileiro na linha Gotica”. Esta passando na tv a cabo. Esta visão da FEB como tropa inferior é propalada por certos setores movidos a interesses ideológicos. A tropa brasileira teve um desempenho absolutamente normal e no mesmo nivel da maioria das tropas aliadas conforme experiência qye iam adquirindo. O militar brasileiro não é pior e nem melhor que os outros. E os nichos de excelência igualmente não devem nada pra ninguem.

ANTONIELLE JULIO
Visitante
ANTONIELLE JULIO

Colombelli eu sou sou aparelhado. Minha ideologia se chama Pátria. E sim, nosso militar é excelente. Mas, não vencemos guerras com infantaria cheia de treinamento e vontade. E não meu caro, não temos a menor condição de deter forças invasoras numa guerra amazônica. Você pode dizer todo tipo de coisa, defender sua posição o quanto quiser. Mas nossas forças são FRACAS. Os militares podem ser os melhores, mas somos um composto de instituições militares, fracas, sucateadas, pequenas e SEM QUALQUER EXPERIÊNCIA em guerras. Seríamos dizimados. E em pouco tempo. Militares excelentes, como é o caso de nosso militar, precisam de… Read more »

Colombelli
Visitante
Colombelli

Voce so demonstra conhecer muito pouco de operaçòes mlitares meu caro. A amazônia se defende por sua condição. A selva te derrota se boce não a conhecer. Tive soldados que eu formei e que fizeram o CIGS como sargentos. A selva é o maior obstaculo. E la é persistência e conhecimento. O fuzil bem usado e não o missil ou o abião é que conta.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Quero chamar atenção de um fato. Não é propriamente um treinamento mas sim uma demonstração. Qual diferença? Na demonstração tudo tem que ser concentrado em uma área pequena e em pouco tempo pra poder ser visto pelos instruendos. Os conceitos sào os mesmos mas o tempo e o espaço utilizados pra um e outro são diversos. Da mesma forma os efetivos de uma demonstração acabam sendo menores. E no caso é carissimo levar forças blindadas 150 km ate o saicã. Claro que a tropa aprende mas o foco da demonstração é o aprendizado de outros.

Francisco AMX
Visitante
Francisco AMX

desculpe a minha ignorância… mas já não era para este tipo de batalhão estar fazendo recon/exploração com pequenos drones? até a gurizada que faz video para o youtube consegue explorar áreas razoavelmente distantes… só uma pergunta.

Carvalho
Visitante
Carvalho

Alguns RCMec já estão utilizando Vants para isso, como dotação organica da unidade.

Colombelli
Visitante
Colombelli

O rec aereo não substutui o de solo. Tem.um monte de coisa que so rodando no terreno pra ver. Esta fase do video ja é posterior ao reconhecimento aereo da FAB, por drones da cav e por patruhas.

Pedro Augusto
Visitante
Pedro Augusto

Vamos substituir os leopard 1 por leopards 2 algum dia? acho que o canhão de 105mm está ficando obsoleto hj em dia

RENAN
Visitante
RENAN

Parabéns pelo exercício realizado
Para isso que pagamos nossos impostos.
Espero que tenha mais exercício com frequência mensal.
E que mais tecnologia chegue ao campo de batalha.
Menos generais, menos oficial, menos graduado e mais tecnologia, mais exercício, mais custeio, mais investimentos.

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

Olha esse vídeo aqui; Aos 02:44, do lado do Stug, esse é um tanque brasileiro???
https://youtu.be/HtFwWB8cv1I

Flanker
Visitante
Flanker

Sim, João. É um M3A1 Stuart, usado pelo Brasil na 2a GM e depois, até os anos 1970. Foi modificado por aqui, resultando no X1A1 e no X1A2.

Joao Moita Jr
Visitante
Joao Moita Jr

Valeu. Eu achei o símbolo da turret meio familiar.

Colombelli
Visitante
Colombelli

Este M3 foi doado ao Bovington museum. Foi preparado pelo hoje capitão reformado Paiva e equipe no parque regional 3. O proprio que me relatou. Na epoca que atuei no 29 BIB tinha um que era mantido em condições de rodar. Conheci elementos que tinham sido motoristas deles quando o BIB era BCC e os operava. Os M3 eram conhecidos como “perereca”. Hoje tem um em condições de rodar no museu militar em Panambi/RS. Ha exemplares no CI blind e no museu do CMS em POA mas não sei se rodam. Foi posta uma torre e canhão frances 90mm neles… Read more »

R_cordeiro
Visitante
R_cordeiro

Pessoal calma. O Brasil tem a proteína animal mais barata do mundo e com normas sanitarias excelentes, possuímos umas das maiores produções de soja e derivados do mundo, exportação de madeira plantada e seus conexos. Todos os agricultores subsidiados europeus estão puntos com o acordo Mercosul X ué. Dito isso, vcs acham q eles vão deixar de comprar do Brasil? Na vdd estão encontrando uma maneira de barrar o acordo Mercosul e de quebra comprar nossos produtos ainda mais baratos pois não há outro fornecedor tão competitivo como o nosso país. É tudo negocio rapazes, portanto sossegue seus rabiscotes, deixem… Read more »

R_cordeiro
Visitante
R_cordeiro

Comentario saiu na noticia errada, desculpe.

Plinio Jr
Visitante
Plinio Jr

Creio que em virtude dos últimos acontecimentos, com troca de rusgas nos bastidores entre alguns países europeus , entre eles alemães e franceses com o governo brasileiro, deve jogar os programas de reequipamento de nossas FA´s para americanos e israelenses entre outros….aquele papinho de modernização de Leo1A5 e aguardar Leo II, pode subir o telhado literalmente….sem falar de outras aquisições…

Recce
Visitante
Recce

Demonstração similar realizada pelo US Army.

https://www.youtube.com/watch?v=oI0Vprf7FBo