Home Cavalaria Exercício de Cavalaria com a participação de alunos do NPOR

Exercício de Cavalaria com a participação de alunos do NPOR

2059
19

Jaguarão (RS) – No período de 6 a 11 de outubro, o 12º Regimento de Cavalaria Mecanizado recebeu o Curso de Cavalaria do Centro de Preparação de Oficiais da Reserva de Porto Alegre, em virtude de Pedido de Cooperação de Instrução (PCI).

A atividade teve por objetivo, proporcionar aos alunos a oportunidade de participarem de um exercício no terreno onde foram cumpridas missões clássicas da Arma de Cavalaria, particularmente das frações mecanizadas, tais como: reconhecimento, movimento retrógrado e ocupação de posição de bloqueio, colocando em prática o conhecimento adquirido e contribuindo com o desenvolvimento de atributos intrínsecos do Oficial de Cavalaria.

Ainda no período que os alunos estiveram na OM, os mesmos puderam realizar o tiro com o armamento coletivo de um pelotão de cavalaria mecanizado.

Ao final foi realizada a Análise Pós-Ação da atividade, quando os instrutores transmitiram os pontos positivos, negativos e oportunidades de melhoria para os alunos.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest
19 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Space Jockey
Space Jockey
8 meses atrás

FN-MAG ok, mas com cinta de elos fixos…

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

Mais do que isso: nunca vi uma MAG daqui equipada com mira ótica.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
8 meses atrás

Não só para o pessoal da cavalaria, mas da infantaria. Um tripé mais leve e compacto também faria bem.

Note que há 37 anos a infantaria britânica já dispunha de miras noturnas nas suas metralhadoras:
comment image

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
8 meses atrás

No Exército Britânico é chamada de GPMG SF (Sustained Fire). Provê apoio pelo fogo continuo, em rajadas longas. É quase um fogo indireto.
comment image

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
8 meses atrás

Aqui tem uma guarnição disparando uma em apoio a um ataque durante um exercício no Quênia:

https://www.instagram.com/p/BqmWqkhBBOc/?utm_source=ig_web_button_share_sheet

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
8 meses atrás

Só para efeito de curiosidade:

Atual organização do pelotão de fuzileiros dos Btl Inf L do Exército Britânico.

https://www.battleorder.org/british-rifle-platoon-2019?fbclid=IwAR2MAW9VjZMI_lX5sTAnsHI57NaUGHEKgY7BKMr8XLDb9nnv3CEgrAdo4tg

São 3 MAG (L7A2 por lá) por Pel, 1 em cada GC.

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Alfa BR
8 meses atrás

Colombelli os britânicos estão retirando as Minimi (L110 por lá) de serviço pois concluíram que a arma é deficiente na função que exerce (?). Para compensar a perda de poder de fogo colocaram as MAG nos GC, penso eu como medida provisória.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Space Jockey
8 meses atrás

Umm… ouvi falar que a de elos desintegráveis ocorre menos falhas, mas na minha mão nunca ví.

Foxtrot
Foxtrot
8 meses atrás

Eu ainda não entendo o porquê de não se aproveitar os conhecimentos de fabricação local do canhão Koqueril 90 mm (acho que é isso mesmo) fabricados localmente, somar a fábricação dos morteiros de 120 mm raiados nacionais e se desenvolver um canhão 120 mm nacional.
Realmente não entendo porque até hoje não sabemos fazer um simples “tubo de pressão” ?
Complicado viu !

carvalho2008
carvalho2008
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

o segredo aparentemente nao é a usinagem….mas a metalurgia…o material em si….o tubo é de alta pressão….acho que o problema é a liga de material…embora sempre fiquemos com o problema de qtde de encomendas….a coisa nunca gira…então ninguem faz….

ScudB
ScudB
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Amigo Foxtrot!
Na realidade (se não entrar nos detalhes) só existem 2 países que “inventam” seus canhões de CC de ponta – a Alemanha e a Rússia. O resto – so copia ou fabrica sob licença. OU ficam com soluções tipo “mais ou menos”.
O colega carvalho2008 esta absolutamente certíssimo!
Um grande abraço!

Salim
Salim
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Complicado náo e. E muito caro e o volume de producão nunca se pagaria. A compra da tecnologia sob licença ou simples compra e o mais sensato. Desenvolver a producão da munição estrategicamente e mais importante.

Foxtrot
Foxtrot
Reply to  Foxtrot
8 meses atrás

Mas o engraçado é que já fizemos sob licença os canhões de 90 mm da Koqueril aqui no Brasil para os Cascavéis. Ou seja, todas as explicações que me deram não se justifica mais. O aço especial dos Koqueril 90 mm será o mesmo dos 120,105 etc. Sabemos usinar e produzir ligas de titânio, tungstênio etc. Com o projeto Guarani 8×8 serão mais de 800 unidades armadas com canhões 120 ou 105 ( ainda não decidiram), ou seja escala haverá. Isso sem levar em conta as possibilidades de exportações, que se o produto tiver bom preço e qualidade com certeza… Read more »

Cidadão
Cidadão
8 meses atrás

Cavalaria que não ataca, recua e se aferra ao terreno. ..

paulop
paulop
8 meses atrás

Caros: a primeira foto, muito bem feita, na minha humilde opinião , em um futuro não muito distante terá o Veículo Blindada de Combate de Cavalaria, VBCCav, no lugar do Cascavel. Baseado na plataforma do Guarani e com um canhão de 30mm, provavelmente. Torço sinceramente que possua capacidade de transportar uma patrulha de exploradores para atuar desmontados, e aposentar de vez os fuzileiros. Junta com os exploradores protegidos nos LMV, ou similar para as forças de segunda linha, e ta loco de bom.Tá na hora do EB rever seu PelCavMec. Vamos modernizar nossa cavalaria pra ontem…
Abraço

Agnelo
Agnelo
Reply to  paulop
8 meses atrás

Prezado
Penso diferente.
Acredito q com a melhora da tecnologia dos radares terrestres e dos Drones, os Exploradores podem até um dia não serem usados, como já ocorre em alguns exercícios.
Mas os Fuzileiros continuarão.
O binômio Fuz-Carro sempre será eficiente, pois um “cobre e potencializa” o outro.
Os LMV acredito q seriam mais úteis nas Pa Seg na AR.
Uma ideia q já pensei.
Sds

Carvalho
Carvalho
Reply to  paulop
8 meses atrás

Prezados, A questão dos fuzileiros é um tanto complexa de equacionar. O GC no PCMec é a fração menos acionada nas ações retardadoras e mesmo nos reconhecimento de eixo. Muitas vezes Ele apenas vai na carona ao longo da operação. Quem trabalha mesmo são os exploradores e os CCs, que são mais exigidos em termos de técnica de movimento. Entretanto, caso seja necessário, ter apenas um GC muitas vezes é bastante limitado para envolvimentos mais complexos, o que exige a assistência dos exploradores atuando como exploradores. Entretanto, em uma situação de bloqueio, os fuzileiros serão a fração que irá ser… Read more »

Oseias
Oseias
8 meses atrás

Pessoal, uma pergunta offtopic. Em alguns vídeos de treinamentos militares, eu vi uma tecnica bastante curiosa para subir em obstaculos: um soldado segura na ponta de uma comprida haste de madeira e na outra ponta uns 4 ou 5 soldados levantam a haste, de forma a colocar o combatente em algum lugar alto (em cima de uma edificação, por exemplo). Pesquisando no google, eu não consegui achar o nome desta tecnica e se ainda é usada. Alguem aqui sabe sobre isso?