Home Artilharia Antiaérea Sistema RBS 70 chega ao 12º Grupo de Artilharia Antiaérea de Selva

Sistema RBS 70 chega ao 12º Grupo de Artilharia Antiaérea de Selva

3620
45

Manaus (AM) – Na semana de 2 a 6 de março, o 12º Grupo de Artilharia Antiaérea de Selva, “Grupo Tenente Juventino da Fonseca”, recebeu o sistema de mísseis telecomandados RBS 70 e realizou, no dia 10 de março, uma cerimônia militar para apresentar o material mais moderno da Artilharia Antiaérea brasileira aos integrantes da organização militar.

O RBS 70 (Robotik System 70), da fabricante sueca Saab, faz parte do Programa Estratégico do Exército – Defesa Antiaérea (PEEDAAe) e atende às necessidades de defesa antiaérea à baixa altura.

O míssil opera com um sistema de guiamento por feixe de raios laser e será empregado com base em informações recebidas em tempo real do radar SABER M60, com o tratamento das informações no Centro de Operações de Artilharia Antiaérea (COAAe), estruturas já existentes na unidade.

Com os novos postos de tiro, e somadas às capacidades dos mísseis Igla-S, o 12º GAAAe Sl amplia sua capacidade de realizar a defesa antiaérea em qualquer ponto do território nacional, com ênfase na Região Amazônica.

FONTE: Agência Verde-Oliva/CCOMSEx

Subscribe
Notify of
guest
45 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
2 meses atrás

Muito bem, EB. Um equipamento de qualidade para a AAA de pequeno alcance, de ultilidade especial na selva.

Carlos
Carlos
Reply to  Joao Moita Jr
2 meses atrás

Não entendam como Crítica , é uma pergunta mesmo . Acho que não é uma Nova Aquisição Não né , pois os Novos RBS 70 são NG ,não é isso ?
Se contrário podem me corrigir .
Tenham Um Bom Dia , com muita Saúde .

DOUGLAS TARGINO
DOUGLAS TARGINO
Reply to  Carlos
2 meses atrás

Deve ter sido um deslocamento de um local para o outro apenas.

Carlos
Carlos
Reply to  DOUGLAS TARGINO
2 meses atrás

Concordo Douglas , Obrigado..
Bom dia !!

Pedro
Pedro
Reply to  DOUGLAS TARGINO
2 meses atrás

Se não me engano, saiu aqui mesmo neste canal, de que o EB havia comprado mais algumas unidades, acredito que sejam essas; ou as que foram compradas e estão chegando, fazendo com que os equipamentos já existente aqui, fossem remanejados, que pode ser o caso desse da matéria…

jorge domingos
jorge domingos
2 meses atrás

Esperemos que saibam conferir se aparelhos aéreos são amigos ou não

Fabio Araujo
Fabio Araujo
2 meses atrás

Muito bom, mas precisamos de sistemas de média e alta altura.

Lucas
Lucas
2 meses atrás

Para uso na selva amazônica é excelente!

Jhon
Jhon
2 meses atrás

Com investimentos de $9 bilhões nas cobertas Tamandaré,na FAB tem Gripem e o KC 390 o exército não vai cobrar do governo um investimento igual para equilibrar os poderes?

Daniel SIlva
Daniel SIlva
Reply to  Jhon
2 meses atrás

O exército tem, ao menos, dois programas em curso: a aquisição/modernização do ASTROS 2020 e especialmente a aquisição da família Guarani.

FighterBR
FighterBR
Reply to  Jhon
2 meses atrás

Cara, o EB é a força com o melhor planejamento de compras.

Space Jockey
Space Jockey
Reply to  Jhon
2 meses atrás

9 Bi só se for em reais.

Evandro Zeferino
Evandro Zeferino
2 meses atrás

imaginem este sistema enfrentado caças bombardeios supersônicos voando a 10 mil metros de altitude.

Bosco
Bosco
Reply to  Evandro Zeferino
2 meses atrás

Estes seriam enfrentados pela aviação de caça.

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  Bosco
2 meses atrás

Com os Gripen tudo bem, mas no momento, nossa espinha dorsal são os F5M, e não os vejo como adversários contra os prováveis equipamentos da Venezuela.

Daglian
Daglian
Reply to  José Carlos David
2 meses atrás

E o que você quer que a FAB faça?

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  Daglian
2 meses atrás

A FAB vai fazer o que tiver que ser feito, mesmo com equipamento inferior.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Daglian
2 meses atrás

Com dizia meu pai, “Compra feito.”

José Carlos David
José Carlos David
Reply to  José Carlos David
2 meses atrás

Sejamos patriotas, mas não idiotas.

francisco Farias
francisco Farias
Reply to  José Carlos David
2 meses atrás

A Venezuela tá quieta lá na dela. Guerra só se o Brasil atacar in suflado pelos USA.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  francisco Farias
2 meses atrás

Correto. Na Venezuela estão apenas segurando as pontas como podem. No Brasil, também. Especialmente agora, com a pulverização da Bolsa, e o pânico do Corona Virus. Esses países precisarão brevemente se ajudar, e muito. Guerra? Nem pensar.

Marcelo Andrade
Marcelo Andrade
Reply to  Evandro Zeferino
2 meses atrás

Evandro, é de todos o conhecimento de que o Brasil necessita de um sistema para médias e altas altitudes e já existe um Grupo de Estudos no MD para o caso, entretanto, a utilização naquele TO amazônico do RBS 70 não deixa de ser uma boa notícia.

sagaz
sagaz
Reply to  Evandro Zeferino
2 meses atrás

“O RBS 70 (Robotik System 70), da fabricante sueca Saab, faz parte do Programa Estratégico do Exército – Defesa Antiaérea (PEEDAAe) e atende às necessidades de defesa antiaérea à baixa altura.”

Tem que abrir a possibilidade de desenhar para responder alguns comentários, acho que o pessoal tem dificuldade em interpretar texto.

Bosco
Bosco
Reply to  Evandro Zeferino
2 meses atrás

Evandro,
Só um complemento. Mesmo que sejamos atacados por caças a 10 mil metros ou ele utiliza caras armas guiadas para se manter nessa altitude ou vai ter que baixar para atacar com armas burras. E é nessa hora que o RBS-70 pode pegá-lo.
Mesmo com toda a tecnologia disponível para aumentar a precisão de um ataque com bombas burras ele só se torna prático se realizado a menos de 3000 metros.

Alexandre ziviani
Alexandre ziviani
Reply to  Bosco
2 meses atrás

Bosco,você acha que seria interessante a modernização dos oerlikon GDF 001 para o 007 e configura-lo para defesa contra bombas guiadas,Drones e mísseis de cruzeiro?.

Bosco
Bosco
Reply to  Alexandre ziviani
2 meses atrás

Alexandre,
Sem dúvida poder operar com munição AHEAD seria um imenso incremento de letalidade e combinado com um sistema de direção de tiro avançado resultaria num sistema muito capaz nas mais variadas funções antiaéreas.
Como sempre o problema é “din-din”. rsrsss
Mas é realmente interessante o EB começar a pensar em aumentar a letalidade de seus canhões de modo a preencherem essas funções a que você se referiu porque definitivamente a função AA clássica pode muito bem ser preenchida pelos “manpads” e “crewpads” ora em uso.

Joao Moita Jr
Joao Moita Jr
Reply to  Evandro Zeferino
2 meses atrás

Para isso só a FAB. Tudo indica que o Brasil não tem interesse em sistemas de alto alcance como o S-300, ou o Patriot.
Esses sistemas são mais bem para a supressão de asas rotativas, ou para negar o uso de landing strips.

Antunes 1980
Antunes 1980
2 meses atrás

Este equipamento é capaz de abater um vetor stealth?
China e Rússia já operam vetores com estas características.

Bosco
Bosco
Reply to  Antunes 1980
2 meses atrás

Antunes,
Aviões stealth, como norma, atacam de grande altura. Se o avião stealth atacar de baixa altura ele poderia sim ser adquirido pelo sistema de mira do RPS-70 ou até mesmo pelo Igla.
Se você se refere aos russos terem um tipo de míssil como o RBS70, eles têm sim. É o Sosna R.

Augusto Mota
Augusto Mota
2 meses atrás

Acho que a parceria com os suecos tem q ser pra valer, se o Gripen ganhou, então temos q aproveitar e levar tudo deles, de lanchas a obuseiros, tudo eles produzem de alta qualidade, radares inclusive, pra mim essa parceria tinha que ser extremamente explorada até o limite, dando um salto de qualidade em nossos equipamentos.

Luiz
Luiz
Reply to  Augusto Mota
2 meses atrás

Infelizmente, tratando-se do Brasil, parece que já estamos no limite. ($)

jodreski
jodreski
Reply to  Augusto Mota
2 meses atrás

Augusto… é só vc dar lastro ao cheque que as forças irão passar que compraremos tudo… infelizmente amigo a questão é financeira mesmo.

Claudio Moreno
Claudio Moreno
2 meses atrás

Boa tarde Senhores!

É o tal Grupo de Trabalho que foi anunciado em 16 de Janeiro? Eles tem 120 para apresentar seus trabalhos, alguém sabe dizer se o grupo está progredindo?

CM

Luiz
Luiz
Reply to  Claudio Moreno
2 meses atrás

Só faz 2 meses que foi criado e você já quer resultados?! Calma ai amigo, vamos devagar que o santo é de barro, estamos no Brasil. Acredito que esse prazo, por ser “muito curto”, ainda vai acabar sendo adiado muitas vezes.

Eliton
Eliton
2 meses atrás

Porque o Brasil não adquiriu mais nenhum lote do IGLA? Nós temos um estoque gigante, o pouco que compramos nunca foi usado em treinamento ou estão querendo queimar tudo e ir pro lado americano da força?

Davi
Davi
Reply to  Eliton
2 meses atrás

Sou leigo, mas acredito que o RBS-70NG seja mais capaz que o IGLA

Bosco
Bosco
Reply to  Davi
2 meses atrás

Davi,
Os dois são complementares.
Vantagens :

RBS70:
maior resistência às contramedidas;
pode ser utilizado contra alvos na superfície.

Igla:
operação tipo “atire e esqueça”;
maior portabilidade (na versão “manpads”);
não se expõe prematuramente já que não é irradiante

Alfa BR
Alfa BR
Reply to  Eliton
2 meses atrás

O IGLA deveria ser distribuído para todos os batalhões de infantaria.

De acordo com a doutrina do EB cada unidade deve ter um grupo de auto-defesa antiaérea com três peças.

Henrique
Henrique
Reply to  Alfa BR
1 mês atrás

Amigo, nem o US Army distribuí defesa aérea terrestre a nível batalhão, seria bom pesquisar mais sobre doutrina e organização militar.

paulop
paulop
Reply to  Eliton
2 meses atrás

Penso que o EB junto da Ares poderia desenvolver uma torre operada remotamente para disparar mísseis AA. Uma plataforma que possa operar tanto os Igla quanto os RBS-70. Que possa ser instalada tanto em veículos táticos leves quanto em blindados(Guarani AA, M113). Creio que melhoraria a questão da mobilidade da ArtAA.
Abraço.

Cristiano de Aquino Camposkv
Cristiano de Aquino Camposkv
Reply to  Eliton
2 meses atrás

Se não me falha a memoria, foi comprado um lote novo sim más e tudo a conta gotas pois so misseis tem validade de 5 anos e pouco usamos os que temos e a regra e só comprar para repor, sendo IGLA, Mistral ou RBS-70.
OBS. Todos esse sistemas fazem treino de tiro virtual.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
2 meses atrás

Esses são da versão NG?

Luiz Floriano Alves
Luiz Floriano Alves
Reply to  Filipe Prestes
2 meses atrás

Para a selva são excelentes. O alvo provável será um helicóptero. Estes voam a baixa altura e velocidade. O RBS 70, a Laser acompanha no visual com eletrônica menos sofisticada. Terá que ser tropicalizado. A umidade da selva destrói tanto quanto a salinidade do mar.

Filipe Prestes
Filipe Prestes
Reply to  Luiz Floriano Alves
2 meses atrás

Sim, concordo. Mas esses são da versão NG?

Entusiasta Militar
Entusiasta Militar
2 meses atrás

Olha, Parabéns ao EB porque para ser usado em selva ou locais/ocasiões específicos este equipamentos é muito bom, mas, o nosso Exercito Brasileiro tem poucas unidades desses sistemas e ainda falta desenvolver/comprar um sistemas anti=aéreo médio/longo alcance