Home Noticiário Internacional Por que o Coronavírus tem sido tão bem-sucedido

Por que o Coronavírus tem sido tão bem-sucedido

2405
29

Conhecemos o SARS-CoV-2 há apenas três meses, mas os cientistas podem fazer algumas suposições sobre de onde veio e por que está se comportando de maneira tão extrema

Por Ed Yong

Uma das poucas misericórdias durante esta crise é que, por sua natureza, os coronavírus individuais são facilmente destruídos. Cada partícula de vírus consiste em um pequeno conjunto de genes, envolvido por uma esfera (capsídeo) de moléculas lipídicas gordurosas, e como as cascas lipídicas são facilmente separadas pelo sabão, 20 segundos de lavagem das mãos por completo podem destruir uma. As cascas lipídicas também são vulneráveis ​​aos elementos; um estudo recente mostra que o novo coronavírus, SARS-CoV-2, sobrevive por não mais que um dia em papelão e cerca de dois a três dias em aço e plástico. Esses vírus não perduram no mundo. Eles precisam de corpos.

Mas muito sobre os coronavírus ainda não está claro. Susan Weiss, da Universidade da Pensilvânia, os estuda há cerca de 40 anos. Ela diz que, nos primeiros dias, apenas algumas dezenas de cientistas compartilhavam seu interesse – e esses números aumentaram apenas um pouco após a epidemia de SARS de 2002. “Até então, as pessoas nos olhavam como um campo de estudo atrasado, sem muita importância para a saúde humana”, ela diz. Mas com o surgimento da SARS-CoV-2 – a causa da doença COVID-19 – é provável que ninguém repita esse erro novamente.

Para ser claro, o SARS-CoV-2 não é uma gripe. Causa uma doença com sintomas diferentes, se espalha e mata mais rapidamente e pertence a uma família de vírus completamente diferente. Essa família, os coronavírus, inclui apenas seis outros membros que infectam humanos. Quatro deles – OC43, HKU1, NL63 e 229E – foram gentilmente irritantes para os seres humanos por mais de um século, causando um terço dos resfriados comuns. Os outros dois – MERS e SARS (ou “SARS clássico”, como alguns virologistas começaram a chamar) – causam doenças muito mais graves. Por que esse sétimo coronavírus foi o pandêmico? De repente, o que sabemos sobre os coronavírus se torna uma questão de preocupação internacional.

A estrutura do vírus fornece algumas pistas sobre seu sucesso. Em forma, é essencialmente uma bola com espetos. Esses espetos (conhecidos como espículas) reconhecem e aderem a uma proteína chamada ACE2, encontrada na superfície de nossas células: este é o primeiro passo para uma infecção. Os contornos exatos das espículas do SARS-CoV-2 permitem que ele se apegue muito mais fortemente à ACE2 do que o SARS clássico, e “é provável que isso seja realmente crucial para a transmissão de pessoa para pessoa”, diz Angela Rasmussen, da Columbia University. Em termos gerais, quanto mais estreito o vínculo, menos vírus é necessário para iniciar uma infecção.

Há outro recurso importante. As espículas de coronavírus consistem em duas metades conectadas, e o pico é ativado quando essas metades são separadas; somente então o vírus pode entrar na célula hospedeira. No SARS-clássico, essa separação ocorre com alguma dificuldade. Porém, no SARS-CoV-2, a ponte que liga as duas metades pode ser facilmente cortada por uma enzima chamada furina, produzida pelas células humanas e – crucialmente – encontrada em muitos tecidos. “Isso provavelmente é importante para algumas das coisas realmente incomuns que vemos neste vírus”, diz Kristian Andersen, do Scripps Research Translational Institute.

Por exemplo, a maioria dos vírus respiratórios tende a infectar as vias aéreas superiores ou inferiores. Em geral, uma infecção respiratória superior se espalha mais facilmente, mas tende a ser mais leve, enquanto uma infecção respiratória inferior é mais difícil de transmitir, mas é mais grave. O SARS-CoV-2 parece infectar as vias aéreas superiores e inferiores, talvez porque possa explorar a onipresente furina. Esse golpe duplo também poderia explicar por que o vírus pode se espalhar entre as pessoas antes que os sintomas apareçam – uma característica que dificultou o controle. Talvez ele transmita enquanto ainda está confinado às vias aéreas superiores, antes de se aprofundar e causar sintomas graves. Tudo isso é plausível, mas totalmente hipotético; o vírus foi descoberto apenas em janeiro e a maior parte de sua biologia ainda é um mistério.

O novo vírus certamente parece ser eficaz na infecção de humanos, apesar de suas origens animais. O parente selvagem mais próximo do SARS-CoV-2 é encontrado em morcegos, o que sugere que ele se originou em um morcego, depois pulou para os seres humanos diretamente ou através de outra espécie. (Outro coronavírus encontrado em pangolins selvagens também se assemelha ao SARS-CoV-2, mas apenas na pequena parte do pico que reconhece a ACE2; os dois vírus são diferentes dos outros e é improvável que os pangolins sejam o reservatório original do novo vírus.) Quando o SARS-clássico deu esse salto pela primeira vez, foi necessário um breve período de mutação para que ele reconhecesse bem a ACE2. Mas o SARS-CoV-2 poderia fazer isso desde o primeiro dia. “Ele já havia encontrado sua melhor maneira de ser um vírus [humano]”, diz Matthew Frieman, da Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland.

Esse ajuste estranho, sem dúvida, encorajará os teóricos da conspiração: quais são as chances de um vírus aleatório do morcego ter exatamente a combinação certa de características para efetivamente infectar células humanas desde o início e depois pular para uma pessoa inocente? “Muito baixo”, diz Andersen, “mas existem milhões ou bilhões desses vírus por aí. Esses vírus são tão predominantes que coisas que dificilmente acontecem às vezes acontecem.”

Desde o início da pandemia, o vírus não mudou de nenhuma maneira obviamente importante. Está mudando da maneira que todos os vírus fazem. Mas das mais de 100 mutações que foram documentadas, nenhuma subiu ao domínio, o que sugere que nenhuma é especialmente importante. “O vírus tem sido notavelmente estável, dada a quantidade de transmissão que vimos”, diz Lisa Gralinski, da Universidade da Carolina do Norte. “Isso faz sentido, porque não há pressão evolutiva sobre o vírus para transmitir melhor. Está fazendo um ótimo trabalho de se espalhar pelo mundo agora.”

Há uma possível exceção. Alguns vírus SARS-CoV-2 que foram isolados de pacientes com COVID-19 de Singapura estão perdendo um trecho de genes que também desapareceram do SARS clássico durante os estágios finais da epidemia. Pensa-se que essa alteração tornasse o vírus original menos virulento, mas é muito cedo para saber se o mesmo se aplica ao novo. De fato, por que alguns coronavírus são mortais e outros não não são claros. “Não há realmente nenhum entendimento de por que o SARS ou o SARS-CoV-2 são tão ruins, mas o OC43 apenas lhe causa um nariz escorrendo”, diz Frieman.

Os pesquisadores podem, no entanto, oferecer um relato preliminar do que o novo coronavírus faz com as pessoas infectadas. Uma vez no corpo, provavelmente ataca as células portadoras de ACE2 que revestem nossas vias aéreas. As células moribundas se soltam, enchendo as vias aéreas com lixo e transportando o vírus para dentro do corpo, em direção aos pulmões. À medida que a infecção progride, os pulmões ficam entupidos com células mortas e líquidos, dificultando a respiração. (O vírus também pode infectar células portadoras de ACE2 em outros órgãos, incluindo o intestino e os vasos sanguíneos.)

O sistema imunológico revida e ataca o vírus; é isso que causa inflamação e febre. Mas, em casos extremos, o sistema imunológico enlouquece, causando mais danos do que o vírus real. Por exemplo, os vasos sanguíneos podem se abrir para permitir que as células defensivas cheguem ao local de uma infecção; isso é ótimo, mas se os vasos ficarem muito vazados, os pulmões se enchem ainda mais de líquido. Essas reações exageradas são chamadas de tempestades de citocinas. Elas foram historicamente responsáveis ​​por muitas mortes durante a pandemia de gripe de 1918, os surtos de gripe aviária H5N1 e o surto de SARS em 2003. E elas provavelmente estão por trás dos casos mais graves de COVID-19. “Esses vírus precisam de tempo para se adaptarem a um hospedeiro humano”, diz Akiko Iwasaki, da Escola de Medicina de Yale. “Quando eles estão nos testando pela primeira vez, eles não sabem o que estão fazendo e tendem a suscitar essas respostas”.

Durante uma tempestade de citocinas, o sistema imunológico não está apenas fora de controle, mas também geralmente está fora de jogo, atacando à vontade sem atingir os alvos certos. Quando isso acontece, as pessoas se tornam mais suscetíveis a bactérias infecciosas. As tempestades também podem afetar outros órgãos além dos pulmões, especialmente se as pessoas já tiverem doenças crônicas. Isso pode explicar por que alguns pacientes com COVID-19 acabam tendo complicações como problemas cardíacos e infecções secundárias.

Mas por que algumas pessoas com COVID-19 ficam incrivelmente doentes, enquanto outras escapam com sintomas leves ou inexistentes? A idade é um fator. As pessoas idosas correm o risco de infecções mais graves, possivelmente porque seu sistema imunológico não pode montar uma defesa inicial eficaz, enquanto as crianças são menos afetadas porque seu sistema imunológico tem menor probabilidade de progredir para uma tempestade de citocinas. Mas outros fatores – os genes de uma pessoa, os caprichos de seu sistema imunológico, a quantidade de vírus a que estão expostos, os outros micróbios em seus corpos – também podem desempenhar um papel. Em geral, “é um mistério o motivo pelo qual algumas pessoas têm doenças leves, mesmo dentro da mesma faixa etária”, diz Iwasaki.

Os coronavírus, assim como a gripe, tendem a ser vírus de inverno. No ar frio e seco, as finas camadas de líquido que revestem nossos pulmões e vias aéreas se tornam ainda mais finas, e os pêlos que repousam nessas camadas lutam para expulsar vírus e outras partículas estranhas. O ar seco também parece atenuar alguns aspectos da resposta imune a esses vírus presos. No calor e na umidade do verão, as duas tendências se revertem e os vírus respiratórios lutam para se firmar.

Infelizmente, isso pode não importar para a pandemia do COVID-19. No momento, o vírus está destruindo um mundo de pessoas imunologicamente ingênuas, e essa vulnerabilidade provavelmente varre qualquer variação sazonal. Afinal, o novo vírus está transmitindo rapidamente em países como Singapura (que fica nos trópicos) e Austrália (que ainda está no verão). E um estudo recente de modelagem concluiu que “o SARS-CoV-2 pode proliferar a qualquer época do ano”. “Não tenho muita confiança de que o clima tenha o efeito que as pessoas esperam”, diz Gralinski. “Isso pode atrapalhar um pouco as coisas, mas há tanta transmissão de pessoa a pessoa que pode precisar mais do que isso”. A menos que as pessoas possam retardar a propagação do vírus seguindo as recomendações de distanciamento físico, apenas o verão não nos salvará.

“A parte mais assustadora é que nem sabemos quantas pessoas recebem coronavírus normais a cada ano”, diz Frieman. “Não temos redes de vigilância para os coronavírus, como fazemos para a gripe. Não sabemos por que eles desaparecem no inverno ou para onde vão. Não sabemos como esses vírus sofrem mutação ano após ano.” Até agora, a pesquisa tem sido lenta. Ironicamente, uma conferência trienal na qual os especialistas em coronavírus do mundo se reuniriam em uma pequena vila holandesa em maio foi adiada por causa da pandemia de coronavírus.

“Se não aprendemos com esta pandemia que precisamos entender mais esses vírus, somos muito, muito maus nisso”, diz Frieman.

FONTE: The Atlantic

Subscribe
Notify of
guest
29 Comentários
oldest
newest most voted
Inline Feedbacks
View all comments
Ozawa
Ozawa
8 meses atrás

“A menos que as pessoas possam retardar a propagação do vírus seguindo as recomendações de distanciamento físico, apenas o verão não nos salvará.” (negrito no original)

A única certeza que se tem no combate dessa pandemia, até o momento, é a efetividade do confinamento coletivo tempestivo. Os líderes sensatos determinam tal medida, os insanos, não só o retardam como encorajam manifestações de pandemia ideológica.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Ozawa
8 meses atrás

Ozawa,

Pandemia ideológica foi aquela que infectou os cérebros de milhões de brasileiros, pêlos vírus fabricado nós laboratórios do PT e seus afiliados.

Ou você vai negar isso? Qual é a sua côr ideológica?

Camargoer
Camargoer
Reply to  Tadeu Mendes
8 meses atrás

Tadeu. Virus ideológico fabricado no laboratório do PT? Assim sou obrigado a chamar o delegado para prende-lo. O Ozawa está certo. Nesse primeiro momento, o importante é que as pessoas fiquem em casa reduzindo o contato. O vírus é frágil e não resiste fora do corpo. Então o mais importante é evitar o contato entre pessoas. Qualquer pessoa sensata irá recomendar isso.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Camargoer
8 meses atrás

Camargoer,

Eu estou em casa já faz uma semana. Só entro no carro para ir buscar munição etílica. (Single Malt Whiskey).

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Camargoer
8 meses atrás

Camargoer,

Meu pedigree científico começou na escola técnica (Química Industrial) e mais tarde em Microbiologia e Biotecnologia (ambas aqui em Boston).

Tenho o maior respeito pôr êsse nôvo vírus. O que está acontecendo aqui é assustador até para mim que já manipulei microrganismos.

Minha cutucada no Ozawa foi em função da analogia dêle para com os bolsonarianos.

Ozawa
Ozawa
Reply to  Tadeu Mendes
8 meses atrás

Psicopatas não dão valor à vida. Bolsonaro é aquele que no Exército intentou colocar bombas em locais urbanos sem escrúpulos de vitimar terceiros num plano terrorista à altura da sua índole insana. Bolsonaro não dá valor à vida de ninguém. No limiar da ameaça sanitária que se avizinhava Bolsonaro só pensava em arregimentar seus zumbis ideológicos (poucos mas aterrorizantes) para ameaçar as instituições da República, a despeito da propagação da contaminação. Bolsonaro só pensa em reeleição para continuar vomitando suas excrescências evangélico-patrióticas nos vasos sanitários que são os ouvidos dos seus sectários. Logo após essa pandemia sanitária mundial acabar será… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Tadeu Mendes
8 meses atrás

Olá Tadeu. Entendi. Talvez seja o momento de formarmos uma “rede” de divulgação científica entre os colegas com formação técnica ou científica para ajudarmos a evitar a disseminação de informações erradas. Que tal?

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  Camargoer
8 meses atrás

Camargoer,

Boa ideia meu caro.

A infopandemia está se alastrando mais rápido do que a pandemia.

Existe uma palavra a qual não sei como traduzir para o português.

Bioweapon poderia sêr traduzida livremente como bioarma?

carcara_br
carcara_br
8 meses atrás

Excelente matéria vou compartilhar no grupo de whatsapp da família.

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  carcara_br
8 meses atrás

Carcará,

Essa matéria publicada aqui foi excelente para o esclarecimento das complexidades biológicas e epidemiológicas do COVID-19.

Embora seja revestida por uma linguagem científica, e portanto arcana para a maioria das pessôas, mas ainda sim, os editôres do Forte prestaram um serviço importante ao divulgar no informação que pode atenuar bastante os efeitos da Infodemia que se alastrou pêlo mundo digital.

Salim
Salim
8 meses atrás

O virus e um combatente eficiente e a resposta dos governos e tardia e insuficiente. Receita perfeita para derrota. Governantes tem que sair da mediocridade e arregaçar mangas trabalhar .

MGNVS
MGNVS
Reply to  Salim
8 meses atrás

Salim
Perfeito seu raciocinio.

sub urbano
sub urbano
8 meses atrás

Um colunista do Deutsh Welle sugeriu que a pandemia significa o fim do Capitalismo como o conhecemos. Muita coisa vai mudar. As favelas e as ruas serão esvaziadas, pois os pobres são mais vulneráveis, vivem amontados e morrerão. A partir da proxima semana morrerão em média 200 brasileiros por dia com coronavirus, essas são as perspectivas mais otimistas. Infelizmente enfrentaremos essa crise com um maluco despreparado no poder, esse individuo precisa ser impedido e preso para o bem da humanidade.

Camargoer
Camargoer
Reply to  sub urbano
8 meses atrás

Olá Sub. Precisarei ler o artigo do D.W. mas o autor pode ter acertado no qualitativo mas errado no quantitativo. É fato que a ordem capitalista vai mudar porque ele sempre mudou depois de grande crises (só no Sec.XX ele passou pela Grande Guerra, depressão 29, Segunda Guerra, Guerra Fria, Crise do Petróleo, Queda do Muro, Bug do Milênio. Mudou, depois esqueceu, dai mudou de novo, dai esqueceu… mas nunca voltou ao mesmo lugar de antes. Considerando que a população pobre é maior e é também a mais exposta, ela vai sofrer em maior quantidade e qualidade. Contudo, algumas coisas… Read more »

Tadeu Mendes
Tadeu Mendes
Reply to  sub urbano
8 meses atrás

Sub urbano, Você deve têr jogo muito tempo de ociosidade, para vir aqui fazer sua propaganda ideológica. O vírus COVID-19 vai fazêr um estrago considerável em qualquer população do glôbo. O Brasil em particular, a situação molde sêr mais grave ainda por uma série de fatôres os quais provavelmente você não vai entender. As vítimas irão cair dos dois lados. Os da direita e os da esquêrda irão sucumbir da mesma maneira. Poe quê você não acusa a China de genocídio? Vocês vão sofrêr por causa dessa pandemia por causa da China. Vai lá e prende o PC chinês para… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Tadeu Mendes
8 meses atrás

Olá Tadeu. Sem tomar cores ideológicas, é muito provável que ocorram muitas mudanças ao longo da década de 2030, mas acho prematuro ter certeza de quais. Acho improvável que ocorram populações locais sejam dizimadas, como poderiam ter ocorrido com o ebola e o HIV. Acho muito provável que os governos das economias industriais precisarão intervir em vários setores. Claro que os países que se ajudarem terão laços de cooperação mais fortes que aqueles que ficarem sozinhos. Particularmente, o Brasil sairá enfraquecido diplomaticamente na América Latina. Nesse momento, o país deveria estar liderando a coordenação de esforços na região e colocando… Read more »

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  sub urbano
8 meses atrás

Por mais que vocês desejem o fim da civilização ocidental a probabilidade disto acontecer é zero.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Rodrigo Martins Ferreira
8 meses atrás

Olá Rodrigo. Acho que a atual crise mudará muitas coisas, mas acho difícil que ocorra um colapso do ocidente, até porque economicamente essa linha imaginária deixou de fazer sentido há alguns anos. Alguns líderes sairão irremediavelmente enfraquecidos. Poucos serão fortalecidos. Acho que vai ser preciso primeiro passar a crise, que irá passar com algum ou muito sofrimento.

Camargoer
Camargoer
8 meses atrás

Olá Colegas. O texto está muito bom e a tradução para o português está bem acessível Parabéns à Trilogia. Concordo com o Carcará. Deve ser compartilhado com a família. O versão original em inglês também está legal. Algumas coisas que gostaria de de destacar. 1) a necessidade de ensinarmos mais biologia e evolução nas escolas (nos três níveis). Fica muito mais fácil entender o que está acontecendo e o que deve ser feito. 2) alguns colegas sempre colocam que ninguém sabe para que serve uma pesquisa até precisar dela. Talvez muita gente ouviu que medir a quantidade de “furina’ parecia… Read more »

Rico Zoho
Rico Zoho
8 meses atrás

Chernobyl chines. Agora é ver como o mundo vai superar isto.

Camargoer.
Reply to  Rico Zoho
8 meses atrás

Olá Rico. Os isotopos radioativos espalhados durante a explosão de Chernobyl são de dezena a milhoes de anos. O vírus são persiste por dias. São coisas tão diferentes que nem a metáfora política faz sentido. 1. O vírus e uma mutação natural de um vírus que existia na natureza naquela região. 2. Fica a dúvida a mutação ocorreu no animal e depois veio para o ser humano ou a mutação ocorreu já no ser humano. 3. Eu não encontrei uma afirmação se a pessoa adquire imunidade após o contato oi se estaria com risco de novo contato. 4. A presença… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Camargoer.
8 meses atrás

Vírus como o covid-19 individualmente morre em questão de dias, mas coletivamente são indestrutíveis. A gripe espanhola de 1918 foi causada pelo H1N1 que ainda existe, é ativo (casou outra pandemia em 2009) e até hoje faz vítimas. Aliás, está fazendo vítimas este ano no Maranhão onde já morreram 10 pessoas por H1N1. Eu não acho que a China criou o vírus (ou que foram os EUA, como dizem os russos e chineses), mas não há dúvidas de que a China foi omissa no início da epidemia – com o complacência da Organização Mundial da Saúde cujo diretor geral, Tedros… Read more »

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jacinto
8 meses atrás

Olá Jacinto. De fato, o virus da gripe está espalhado pelo mundo há anos, por isso as campanhas anuais de vacinação. Por outro lado, o virus da variola foi praticamente eliminado (amostras estão guardadas, mas há quem defenda sua total eliminação). O virus da poliomelielite também está sendo eliminado. Portanto, há caminhos para a eliminação de um virus do ambiente. Infelizmente, outros virus como a gripe, sarampo, HIV… ainda estão disserminados. tem um estudo bem legal publicado dia 18 na Nature Medicine que conclui que o virus da covid19 teve origem natural (in Darwin we trust). Também gosto do Jamil… Read more »

Jacinto
Jacinto
Reply to  Camargoer
8 meses atrás

Camargoer A origem do vírus é natural, eu não tenho dúvidas disso, mas a origem da pandemia foi, na melhor das hipóteses, um erro técnico chines em controlar a disseminação inicial. Você vê, a OMS já sabia em 22 de janeiro que o vírus era transmitido entre humanos e, naquele momento, já estava claro que ele tinha potencial de criar – como criou – uma pandemia. Tanto é assim que estavam se reunindo justamente para declarar a pandemia e fazer os ajustes necessários para isso, entre elas impedir o transito internacional de pessoas da ou para a China. Mas em… Read more »

O bloqueado.
O bloqueado.
8 meses atrás

Infelizmente como policial estou sujeito ao vírus, o Gov. Wintzel cortou licenças e férias de policiais.
Então me conscientizei que não terei isolamento, então adotei outras práticas :
– muita água para hidratar as vias respiratórias;
– comer bem;
– tomar complexo vitamínico “de A a Z” e vitamina C;
– cortar bebida alcoolica e tabaco, já bebia pouco, e não fumo.
Meu objetivo não é evitar o sars-cov2, considero isto para mim quase impossível dadas as minhas obrigações, e apesar de lavar sempre as mãos. Meu objetivo é fazer parte dos 80% que não desenvolvem a doença.

Jacinto
Jacinto
Reply to  O bloqueado.
8 meses atrás

Olha, eu sei que é duro ter de ouvir isso, mas se você tiver parentes é preciso também refletir como você pode evitar que eles sejam eventualmente contaminados, especialmente os mais vulneráveis. Minha irmã que é médica e trabalha em hospital como intensivista – tem o mesmo pensamento seu: é quase impossível ela não contrair a doença. Então ela vai se isolar fisicamente dos meus pais que são idosos até a coisa passar.

Camargoer
Camargoer
Reply to  Jacinto
8 meses atrás

Olá Jacinto. Você tem razão. Primeiro são as ações para evitar o próprio contágio. Segundo, evitar que se transmita o virus em caso de contágio. Isso é obrigatório para alguns (policiais e profissionais da saude) e recomendado para outros (todos nós). Acho interessante que se cada um agir como se estivesse potencialmente contaminado, isso reduziria a porcentagem de contágio. Bola pra frente que atrás vem gente (talvez alguns contaminados).

Camargoer
Camargoer
Reply to  O bloqueado.
8 meses atrás

Olá B. O Jacinto está correto. A sua profissão o expõe ao virus (assim como o pessoal da saúde também está exposto). O ponto principal é criar estratégias de segurança (evitar o contado das suas roupas com a da família, tomar um banho antes de qualquer contato com a família e com a casa, evitar contato com pessoas do grupo de risco, etc). Todo mundo deveria evitar uso de álcool e tabaco.

Rodrigo Martins Ferreira
Rodrigo Martins Ferreira
Reply to  O bloqueado.
8 meses atrás

Eu acho muito f…. Tanto o Dória quanto o Witzel n estarem gastando com proteção para o pessoal da Segurança e da Saúde.. O imbecil do Covas destinou R$10 milhões para “shows de varanda”.. O valor de um kit básico para uma proteção descente comprado no atacado não sai R$100,00 por pessoa. Com este dinheiro tava para equipar praticamente toda a guarda metropolitana. Meus respeitos e aplausos a todos da SSP e da Saúde que estão trabalhando expostos a risco. A imprensa passa o dia todo batendo no Bolsonaro, mas no Candidato dela o Dória, que efetivamente ainda não fez… Read more »